Você está na página 1de 10

Amorização

Pe. Alírio Pedrini

1. Amai-vos como Eu vos amei

Hoje, venho vos oferecer uma pérola, um tesouro. Como aquele da parábola, que a gente
vende faz tudo para comprar. Esta pérola é capaz de produzir em seu bom coração grande paz
interior, felicidade, plenitude, harmonia e muita saúde...

Venho oferecer-lhe a pérola preciosa da Oração de Amorização - para cura das feridas do seu
coração emocional.

Um coração curado, pode amar mais - muito mais! E, desta forma, pode ser mais feliz e fazer
mais felizes os seus entes queridos.

Jesus resumiu toda a Lei, os profetas, os salmos, enfim, todo o Antigo Testamento - numa só
palavra: Amor!

É um mandamento-síntese. Os antigos 10 Mandamentos continuam existindo, mas agora, sob


a ótica do Amor.

Amar! Amar a Deus e por causa deste amor, amar o próximo.

Amar, eis o Catolicismo, a Santidade, a perfeição da vida cristã!

Se Jesus nos mandou amar, é porque o Amor é a realidade mais importante do mundo;
é a solução para todos os problemas pessoais, familiares e sociais.

Mais ainda: o Amor é a fonte de toda realização e felicidade humana.

Esta dimensão é tão grande que Jesus não nos aconselha a amar - ele ordena a amar...

Jo 15,12-17 - Este é o meu mandamento: amai-vos como Eu vos amei.

Repito, Jesus nos manda amar pois o amor é a realidade mais importante para o ser humano.
Quem ama é mais feliz, realizado e cheio de vida.

Mas, Jesus não diz que devemos amar somente aqueles que nos amam... mas, amar a TODOS!

Veja, para ficar claro, Jesus declarou: “Amai os vossos inimigos...; fazei o bem - orai por
àqueles que vos caluniam e maltratam...”

“Não deveis pagar o mal com o mal”

Este ensinamento divino é para o nosso bem...: quem lhe obedece é mais realizado, mais feliz
e mais sadio.

Portanto, a norma de vida cristã é o amor para com todos!

Agora, é lógico e evidente que Jesus sabia que nem sempre é fácil amar...

Algumas vezes, amar é até bem difícil!


Observe que não foi fácil para Jesus amar os fariseus e Mestres da Lei - que o perseguiam e o
acusavam; não foi fácil para Jesus amar os soldados que o flagelavam...

Sim, Jesus sabe que, às vezes, amar é muito difícil. Mesmo assim, Jesus não anula seu
mandamento, mas o pratica.

Quando Jesus estava crucificado, disse: “Pai, perdoa! Eles não sabem o que fazem...”

No dia a dia, sabemos como é difícil amar: maridos, esposas, filhos, pais, patrões, empregados,
até dentro da Igreja, Padres, leigos, e dentro de todas as relações sociais, há, quase sempre
alguém que é difícil de amar...

2. Porque é tão difícil amar?

Vamos começar da palavra de Jesus: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos Amo” - como EU,
como EU VOS AMO!

No AT o mandamento era diferente: “Amai ao próximo como a ti mesmo” - portanto a


“medida” do amor ao próximo era o “amor a si mesmo”... - Era, portanto, uma medida
humana, pequena. Era do tamanho do pequeno amor humano.

Mas no NT, a “medida” mudou - agora a medida é nova, é divina. A nova medida é o Amor de
Jesus... ; é a medida do Amor de Jesus por nós.

E como é que Jesus nos ama?

Você bem sabe! Ele nos amou até a morte de Cruz! Amou-nos até dar sua vida por nós...

Amou até o ponto de nos dar o Seu Pai, para ser o nosso Pai. Até nos dar o seu Espírito Santo,
até nos dar a sua Mãe! Ele nos deu a Igreja, com todos os sacramentos, e todos os seus
tesouros espirituais...

Veja, é assim que Jesus quer que nos amemos: com um Amor sem medida! Sem limites!

Um amor até dar a vida! Pelo marido, pela esposa, pelo filho, pela filha, pelo pai, pela mãe...
por QUALQUER PESSOA!

E porque esta nova medida? Porque este “novo” mandamento? Porque o Amor é a fonte de
felicidade e de realização de todo coração humano.

O Amor é o oxigênio necessário para que o ser humano se realize plenamente...

Mas, se o amor é tão importante, cabe uma pergunta: Porque, às vezes, é tão difícil amar?

Parece que existem duas razões muito fortes...

1ª - O mal está disseminado e, muitas vezes, enraizado no coração das pessoas: orgulho,
egoísmo, ciúmes, inveja, vaidade, preguiça, fofoca, mentira, paixões desenfreadas,
desonestidade, traumas, complexos, frustrações, mágoas, iras, ódios, sentimento de vingança
e a lista continua...

Estas coisas estão presentes nos corações humanos e dificultam o exercício, a prática do amor.

Às vezes, o orgulho do irmão, ofende, fere, machuca você... ele pisa em você, te fere. Por
causa do orgulho, que há nele, é difícil amar este irmão.
Mas, às vezes, pode ser que o seu irmão não te ame por causa da sua superficialidade, por
causa da sua infidelidade, por causa da sua irresponsabilidade...

Entende? Por causa do mal que existe em teu irmão e por causa do mal que existe em você, a
prática do amor, torna-se, às vezes, muito difícil...

Uma outra razão torna difícil a prática do amor.

Todos nós temos uma tendência a guardar dentro de nós, todas as lembranças negativas que
vivemos. Todos os momentos dolorosos do nosso passado, todas as tristezas da caminhada da
nossa vida...

É fácil constatar isto quando ouvimos uma conversa em que, de repente, a pessoa diz “MAS...”

A esposa começa: “Meu marido é um bom homem, trabalhador, honesto, MAS...”

O marido não fica atrás: “Minha esposa é uma boa mãe, dedicada, MAS...”

Após o “mas”, vem um rosário de reclamações! Não é assim?

O que existe depois do “mas” não é exatamente uma fofoca, não é maldizer, mas, são
revelações de experiências dolorosas que trazem em seu coração... são as feridas do
DESAMOR que estão em seus corações!

Estas pessoas estão mostrando o seu coração chagado, ferido, magoado, entristecido...

Revelam que esperavam amor, tinham expectativas de amor e receberam um DESAMOR, que
as feriu.

O problema é que, além do Desamor, temos a tendência de arquivar, guardar e deixar “vivas”
em nossos corações, estas marcas de Desamor - e estas lembranças acabam por nos prejudicar
muito, e acabam por nos impedir de praticar o exercício maravilhoso do Amor...

Perceba que a ferida lembrada, revolve a dor e a dor é algo que não gostamos. Quando
sentimos dor, é sinal que algo não vai bem.

Em geral, usamos quatro palavras bem fortes para expressar estes sentimentos desagradáveis:

- “Meu marido me feriu muito, quando me traiu”

- “Meu irmão me machucou, quando me tratou daquela maneira”

- “Você me magoou, ao falar assim comigo”

- “Ela me ofendeu, quando falou de minha filha”

3. Perdoar é Sabedoria Divina

Eis uma tarefa importantíssima para todos: curar as feridas do coração - das menores às mais
graves... Desde as mais recentes até as mais antigas.

Mas, onde encontrar o remédio para a Cura?

O remédio, o tratamento, a terapia nos foi ensinada pelo Divino Médico - Jesus Cristo!
Não existe remédio mais eficaz do que este! Do que o que ensinou Jesus!

Qual é a terapia de Jesus? Qual é o remédio capaz de curar tantas dores que nos são tão
prejudiciais?

O remédio de Jesus, a terapia, chama-se: PERDÃO.

Apenas isto: O perdão dado, repetido, repetido, repetido diversas vezes, até sarar
completamente a ferida.

Mas, o que é perdoar? Há muitas idéias erradas quanto ao perdão...

Há quem ache que o perdão é “covardia” - que perdoar é ser fraco, ser covarde...

Isto está errado: perdão não é fraqueza, nem covardia! Antes é SABEDORIA!

Sabedoria Divina!

Quem não perdoa fica CARREGANDO suas feridas, suas dores, prejudicando-se a si mesmo,
tornando-se doente espiritual, psicológico, emocional, física e familiarmente.

Percebe-se, então, que NÃO PERDOAR é na verdade, um tremendo prejuízo para a pessoa.

Outra linha errada é achar que perdoar é “dar razão ao agressor”, “dar o braço a torcer àquele
que o ofendeu”...

Isto não é verdade! Perdoar NÃO É DAR RAZÃO À QUEM NÃO TEM...

Na verdade, perdoar é RECONHECER que você está ferido e que esta ferida lhe faz um grande
mal e que, por isso, QUER CURÁ-LAS!

E o remédio é o perdão dado e repetido, MUITAS VEZES...

Perdoar é decidir-se a dar uma absolvição: um perdão GENEROSO, MISERICORDIOSO, TOTAL E


ABSOLUTO à quem lhe feriu para que você possa ficar curado das feridas e suas conseqüências
tão prejudiciais...

Perdoar É CURAR-SE!

Perdoar É LIBERTAR-SE!

Perdoar é cuidar da saúde do coração e de TODO O SEU SER!

Por isso reafirmo que o Perdão é Sabedoria Divina!

Perdoar não é “fazer um favor”... nem é fazer um bem, nem “fazer um serviço” àquele que o
ofendeu...

Perdoar é, antes de tudo, FAZER UM GRANDE BEM A SI MESMO!

Entenda e grave isto: PERDOAR É FAZER UM GRANDE BEM A SI MESMO!

Porque Jesus nos deu este remédio? Porque toda vez que você perdoa, O PRIMEIRO
BENEFICIÁRIO, O GRANDE BENEFICIÁRIO do Perdão É... VOCÊ!

Pois o perdão dado, cura as feridas do seu coração...

Perdoar, portanto, É AMAR-SE! É QUERER-SE BEM!


O perdão dado e repetido, cura do desamor e suas conseqüências tão negativas e enche o
coração de um renovado amor.

Entendeu porque Jesus insistiu tanto no perdão?

Vamos abrir em Mt 18, 21-22 em que Jesus ensina o remédio do perdão.

(70x7) - Mas isto não é 490, nem “sempre” como se costuma dizer...

Na verdade, Jesus quis dizer: “Pedro, quando seu irmão lhe fizer uma ferida, repita o curativo
do perdão, tantas vezes quantas forem necessárias até que você se sinta totalmente curado,
sem ressentimentos, sem mágoas daquele que o ofendeu”...

Em outras palavras: Pedro, quando alguém ferir seu coração, faça tantos curativos com o
remédio do Perdão até que seu coração fique totalmente curado.

Pense assim: num machucado físico, um corte na perna, por exemplo. Você não vai dizer, vou
fazer apenas 5 curativos, mas vai fazer curativos até que a perna fique completamente boa!

É exatamente isto que Jesus está nos recomendando!

Isto é “perdoar 70x7 - repetir o perdão tantas vezes quanto for necessário, até a cura total”.

Até poder curar seu coração completamente, até poder ficar com a pessoa que o ofendeu
como se nada estivesse acontecido.

Que fique claro: É NO PROCESSO DE REPETIÇÃO DO PERDÃO, que está a chave do sucesso da
cura total do coração!

5. Terapia do Perdão

Agora, vamos à parte prática. Vamos treinar, aprender a fazer os “curativos” que tanto o seu
coração precisa...

Vamos fazer isto na forma de oração, que é muito simples, dinâmica e eficiente: a Oração de
Amorização.

Deve ser feita diariamente, muitas vezes, de modo simples mas eficaz.

Entenda que isto é uma terapia que depende de você. Vamos começar aqui, mas vocês
precisam continuar em casa, sozinhos. Repetindo muitas vezes, por muitos dias, tantas vezes
até que não sintam mais necessidade do remédio do perdão...

É uma terapia divina. O tempo não importa. Mas, o resultado virá se for bem aplicado.

Trata-se de uma terapia-oração em quatro momentos.

Quando estiver em casa, procure um lugar calmo, numa posição confortável, onde você se
sinta bem, onde possa se concentrar e onde não seja interrompido.

Neste local, concentrado, você cria o clima de oração para realizar a cura do seu coração.
Num PRIMEIRO momento, invoque a presença de Jesus. Faça como o Pe. Marcelo Rossi,
imagine-se, diante de Jesus.

[Procure Jesus com fé e esperança, como ensinou o Papa Francisco: Nossa esperança vem da
vitória de Jesus pela Cruz. Então diga: “Jesus, tu és a minha esperança! Minha certeza da
vitória e da paz!”]

Louve o Senhor Jesus, adore-O e peça sua ajuda para realizar muito bem o perdão que Ele
ensinou...

Depois disso traga, na sua imaginação, aquela pessoa que te feriu, te machucou, te magoou, te
ofendeu... Traga à mente a imagem da pessoa que você precisa perdoar para curar seu
coração...

No SEGUNDO momento faça mentalmente, àquela pessoa, os QUATRO ATOS DE PERDÃO:

a) Perdoar

b) Pedir perdão

c) Perdoar-se a si mesmo

d) Pedir perdão à JESUS para AMBOS...

Vamos acompanhar:

1º Ato de Perdão: PERDOAR

“Conversando” com a pessoa presente em sua imaginação, dizendo o nome desta pessoa -
dirigindo-se a ela, comece a perdoar, ofensa por ofensa, fato por fato, até falar de todas as
coisas que lhe ofenderam e machucaram seu coração.

2º Ato de Perdão: PEÇA PERDÃO

Se, no momento da ofensa, você REVIDOU, VINGOU-SE, FEZ OU DESEJOU ALGUM MAL, OU
GUARDOU MUITA RAIVA daquela pessoa, dirija-se, em sua imaginação, a ela e peça perdão por
cada ato, desejo ou pensamento de sua parte... Este passo é importante. Quase sempre
acabamos por fazer ou pensar algo mal...

3º Ato de Perdão: PERDOE-SE A SI MESMO

Se você AGIU de modo errado contra esta pessoa, se lhe causou algum mal - entenda que
VOCÊ TAMBÉM ERROU! Você também a feriu, conscientemente ou não, de modo real ou
espiritual... Pecou! Acabou fazendo o mal (lembre-se que não devemos pagar o mal com o
mal)

Então, conversando consigo mesmo, perdoe-se dos fatos errados que fez...
4º Ato de Perdão: PEDIR PERDÃO A JESUS POR AMBOS

Conversando com Jesus, peça perdão para a pessoa que o feriu e também peça perdão para si
mesmo, já que você, também, errou revidando, ofendendo ou pensando de alguma forma...

Depois de você ter feito detalhadamente, longamente, estes quatro passos de perdão,
cuidando de todas as feridas, você passa à terceira parte...

No TERCEIRO momento você vai louvar...

Nesta etapa, mentalmente diante da pessoa, você vai elogiá-la, louvá-la, por seu lado bom e
positivo, suas qualidades, virtudes, capacidades, boas realizações, etc.

É recomendável que você seja GENEROSO e até PROLONGADO nestes elogios, porque eles
produzem um efeito MUITO POSITIVO em seu coração...

Finalmente, no QUARTO momento, é hora de AGRADECER

Você agradece a Jesus pela oração feita, por esta “TERAPIA” que Ele lhe ensinou.

Termine pedindo para Jesus abençoar muito a pessoa que você perdoou...

.............

À primeira vista, parece ser complicado tudo isto, mas não é!

Vejamos um exemplo. É bom ter em mãos, um guia, dos passos a serem feitos. Para fazer de
modo completo e cadenciado. Eu poderei ir lendo e orando conforme as instruções...

Vou assumir um personagem fictício (Eduardo) que é casado com (Sônia) Vamos fechar os
olhos e imaginar Jesus chegando e se sentando perto de mim.

1º) Senhor Jesus, o Senhor prometeu ficar conosco para sempre. Venha ficar comigo agora.
Obrigado, Jesus. Senhor, eu te adoro. És o Filho de Deus! Deus, como o Pai e como o Espírito
Santo. Eu creio e proclamo a sua divindade. És o Deus da minha vida, da minha família, dos
meus antepassados e da minha Igreja. És digno de toda glória, toda honra e todo amor.
Mesmo sendo um Deus tão grande, se fez Emanuel, Deus-conosco, Amigo, Mestre, Salvador e
Senhor! Eu te agradeço, Jesus, de modo particular, pela maravilha da minha família, minha
esposa e meus três filhos. Te agradeço pelo remédio que o Senhor nos deu para curar nosso
coração. Obrigado, Senhor!

2º) Trago, diante de Ti, Jesus, minha esposa (pela imaginação). Quero conversar com ela
agora... (imagino minha esposa chegando e se sentando junto de Jesus e de mim).
Sônia, quero falar agora, sobre alguns acontecimentos dolorosos do nosso passado... Ao falar
com você, quero perdoá-la, para curar as feridas do meu coração. Para que eu possa amá-la
muito mais. O perdão que te dou é para que EU me cure e me torne um marido capaz de te
amar mais e melhor. Obrigado por estar comigo.

Vou agora fazer os quatro atos de perdão, ferida por ferida:

I - Primeira Ferida

a) (Sônia) quando éramos namorados, você deve se lembrar que marquei de levá-la ao teatro
às 19hs e cheguei somente às 21hs... Você ficou muito nervosa e aborrecida. Você nem quis
me receber... Acabou recebendo mas, nervosa, me acusou de sair com outra antes de ir te
buscar... Queria ter lhe dito que minha mãe havia passado mal e precisei levar ela às pressas
para o hospital, mas você não quis ouvir. Lembro que voltei pra casa muito magoado com suas
agressões e desconfianças.

b) Eu a perdôo por isto. Quero te perdoar de todo o meu coração. Te perdôo por você não me
deixar explicar. Te perdôo por suas acusações de eu estar saindo com outra pessoa. Eu te
perdôo. Sinta-se perdoada, pois eu a perdôo de todo o meu coração.

c) Jesus, perdoe, Senhor! Perdoe por ela ter me ferido muito, aquela noite. Eu já a perdoei e
peço que o Senhor também a perdoe. Obrigado, Senhor!

II - Segunda Ferida

a) Sônia, lembra-se na festa de nosso noivado? Aquele problema ocorrido com nossos
convidados, me marcou muito. Você não quis que eu convidasse alguns dos meus melhores
amigos... Eu me senti muito mal. Você não gostava deles. Os seus convidados vieram todos,
enquanto que os meus não puderam vir. Seu egoísmo e incompreensão, me marcou muito
naquele dia...

b) Sônia, eu a perdôo. Perdôo de todo meu coração. Perdôo pela sua intransigência e por seu
egoísmo. Sinta-se perdoada daquele erro que você cometeu. Da injustiça que cometeu
comigo.

c) Peço que você também me perdoe. Naquela discussão, eu também lhe ofendi. Disse
palavras bem duras que lhe machucaram. Perdoe-me como eu a perdôo, de todo coração.

d) Eu, Fernando, me perdôo. Quero me perdoar, porque naquele dia eu não agi bem. As coisas
que disse foram pesadas e feriram Sônia. Eu me perdôo de todo meu coração. Eu me perdôo
para sempre, daqueles erros cometidos contra Sônia...

e) Jesus, perdoe-nos por aquelas ofensas mútuas, por termos nos ferido, por todo desamor
praticado... Perdão, Senhor, perdão! Jesus, livra-nos do nosso sofrimento! Cura nossos
corações!

............

Desta forma, Fernando vai repassando todas as lembranças dolorosas


Terceiro Momento

Elogiar a esposa, reconhecer seus méritos e qualidades...

- Sônia, se é verdade que tivemos problemas - que já não existem porque já nos perdoamos - é
verdade, também, que tenho muitos motivos para elogiá-la... E quero fazer isto, diante de
Jesus, com toda sinceridade... Meu amor, você tem sido uma esposa maravilhosa; você é a
grande graça de Deus na minha vida. Sou muito feliz por ter te encontrado, amado e me
casado com você... Seu carinho, sua compreensão, seus cuidados por mim, pelos nossos filhos,
seu companheirismo, tudo isto faz de você, a melhor das esposas. Seu amor por nossos filhos é
uma grande graça. A dedicação, o zelo, etc...

[Aqui, devem ser lembradas todas as coisas boas acontecidas, em forma de elogio: qualidades
morais, espirituais, por seu trabalho e dedicação, por seu sucesso, pelos momentos de alegria,
de ajuda, pelos presentes, pelas boas surpresas, enfim, por tudo quanto você possa lembrar de
bom feito pela outra pessoa. Quanto mais elogios fizer, melhores os resultados...]

Quarto momento

Agradecimento a Jesus

Senhor, ao terminar minha oração de amorização, quero lhe dizer meu muito obrigado!

Por sua presença, por sua colaboração no Espírito Santo, por sua graça de me curar.

Sinto, Senhor, Sua graça inundar meu coração! Sei que estas feridas estão sendo curadas e
que, o meu coração, agora, ama muito mais.

Percebo, Senhor, que algumas amarras interiores estão desaparecendo.

Sei, Jesus, que a partir de agora, amarei muito mais minha esposa e meus filhos.

Obrigado, Senhor!

......

Aqui chegamos ao fim. Esta oração pode durar mais ou menos 20 ou 30 min.

Mas não basta fazer isto apenas uma vez. É preciso fazer isto muitas vezes. Curando o coração
e criando uma nova imagem positiva da esposa...

Uma observação importante: quando não revidamos, nem em pensamento, não precisamos
pedir perdão nem perdoar-nos, pois nos calamos e não fizemos nada errado.

Mas, se fizermos ou pensarmos o mal, devemos pedir perdão, nos auto-perdoar e pedir a Jesus
perdão para ambos.

Também, é interessante, fazer previamente, uma lista de coisas boas da outra pessoa, para
poder elogiar sinceramente (e não inventar, nem fazer de improviso).

Concluindo: Esta é uma terapia Divina, maravilhosa para alcançar grandes curas ao nosso
coração. É uma fonte de saúde física, de equilíbrio emocional. É uma sabedoria para saber
viver bem com todas as pessoas. É o grande segredo para saber viver o amor e todas as
dimensões e em todos os relacionamentos.
Experimente! Persevere!

Faça sempre, novamente, quando alguém ferir seu coração. Não guarde as feridas.

Agora, você sabe como cuidar da saúde do seu coração. Aprenda a amar-se a si mesmo!

Desejo que você seja feliz, tenha paz e que o Senhor te abençoe!

Vamos ficar de pé e cantar: Inunda meu ser