Você está na página 1de 7

ELEMENTOS DO POEMA

Poema: conjunto de versos.


Verso: Linha de uma composição poética, dotada de um ritmo e cadência determinados.
Estrofe: Grupo de versos que formam geralmente sentido completo num poema. As estrofes
do mesmo poema são separadas uma das outras por um espaço em branco.
Ritmo: O ritmo do poema é a sucessão de sons fortes (sílabas tônicas) e sons fracos (sílabas
átonas), repetidas com intervalos regulares ou variados que dão musicalidade (melodia) ao
poema. No poema, as pausas existem não necessariamente através de sinais de pontuação,
mas as palavras provocam a melodia e, o ritmo é determinado por elas e pela sequência de
sons. A distribuição das sílabas átonas e tônicas e o tamanho do verso determinam o seu ritmo.
E para medi-lo é necessário observar a quantidade e a intensidade das sílabas.
Rima: é recurso usado nos poemas para dar sonoridade. Consiste em colocar palavras com
sons iguais a partir da última vogal tônica no meio (rima interna) ou no fim (rima final) do
verso. Aqui vamos deter-nos nas classificações que mais interessam para a composição de
poemas.

 Quanto à disposição, as rimas classificam-se em:

Emparelhadas ou paralelas (1º com 2º, 3º com 4º - esquema: AABB):


No rio caudaloso que a solidão retalha,
na funda correnteza na límpida toalha,
deslizam mansamente as garças alvejantes;
nos trêmulos cipós de orvalho gotejantes...
(Fagundes Varela)

Alternadas ou cruzadas (1º com 3 º, 2º com 4º - esquema: ABAB):


Amor, essência da vida,
é uma expressão de Deus.
Alma, não fique perdida!
Ele luz os dias seus.
(Josete - http://www.escrevo.net/index.php)

Opostas (1º com 4º, 2º com 3º - esquema: ABBA):


Mais de mil anos-luz já separado,
Naquela hora, do meu pensamento.
O filme de uma vida, ínfimo momento,
O derradeiro instante havia impregnado.
(Ferraz - http://www.escrevo.net/index.php)

Encadeadas ou internas (a palavra final do verso rima com uma palavra do meio do verso
seguinte):
"Quando alta noite n'amplidão flutua
Pálida a lua com fatal palor,
Não sabes, virgem, que eu te suspiro
E que deliro a suspirar de amor."
(Castro Alves)

Misturadas (não possuem posição regular):


De uma, eu sei, entretanto,
Que cheguei a estimar
Por ser tão desgraçada!
Tive-a hospedada a um canto
Do pequeno jardim;
Era toda riscada
De um traço cor de mar
E um traço carmesim.
(Alberto de Oliveira)
A partir do início do séc. XX, os poetas, numa rebeldia, porque não queriam mais a poesia
com esta forma rígida, criaram os versos sem rima, que são chamados brancos.

 Quanto à natureza, as rimas classificam-se em:

Rimas pobres: quando as palavras que rimam pertencem à mesma classe gramatical
(substantivo com substantivo, por exemplo).
Rimas ricas: quando as palavras que rimam pertencem a classes gramaticais diferentes
(um substantivo e um adjetivo, por exemplo).
Examinemos o quarteto abaixo:
Um mestre, embora muito sonhador,
Precisava esconder sua afeição...
Na Idade Média, uma imortal paixão
uniu uma aluna e um professor.
(Mardilê Friedrich Fabre)

 A palavra paixão, que é um substantivo, rima com afeição, que também é um


substantivo. Temos rima pobre.
 A palavra professor, que é um substantivo, rima com sonhador, que é um adjetivo.
Temos rima rica.

Rimas preciosas: quando as palavras que rimam apresentam estruturas gramaticais


diferentes. Por exemplo: estrela com vê-la.

 Quanto à fonética, as rimas classificam-se em:

Perfeitas: quando todos os fonemas (sons das letras), a partir das últimas vogais tônicas
dos versos são iguais. Exemplo: vida e perdida.
Imperfeitas: quando os fonemas são semelhantes a partir das últimas vogais tônicas dos
versos. Exemplo: Deus e céus.
Toantes: quando somente as últimas vogais tônicas dos versos são iguais. Exemplo: hora
e bola.
CARTA PESSOAL

A Carta Pessoal é um tipo de texto epistolar utilizado geralmente entre indivíduos que
apresentem certa aproximação (amigos, familiares, etc.).
Ainda que seja pouco utilizada atualmente, visto a expansão da tecnologia (e-mail, redes
sociais, etc.), há pessoas que preferem escrever no papel (texto manuscrito) e enviar as cartas
via correio. Assim, quando enviamos pelo correio, o nome do destinatário e as informações do
endereço, CEP, cidade e Estado aparecem na frente do envelope.
Já na parte de trás, deverá estar o nome do remetente, seguido do endereço (rua,
avenida, número e bairro), além do CEP (Código de Endereçamento postal), cidade e Estado.
Dependendo da pessoa a quem se destina, a linguagem utilizada na carta pessoal pode
ser uma linguagem mais despretensiosa (coloquial e informal) ou mais preocupada com as
normas gramaticais (linguagem formal).
Assim, se a carta for destinada a uma pessoa próxima é provável que apresente vícios e
figuras de linguagem, bem como gírias e expressões populares.
No entanto, se for uma carta destinada ao diretor da escola, por exemplo, expressões
de formalidade serão incluídas, por exemplo, frases de cordialidade (atenciosamente,
cumprimentos, etc.), além de seguir as normas gramaticais da língua.

CARACTERÍSTICAS

As principais características da carta pessoal é:

 Presença de destinatário (interlocutor) e remetente (locutor)


 Uso de linguagem formal ou informal
 Texto de ordem sentimental e subjetiva
 Texto geralmente breve
 Escritos na primeira pessoa do singular
 Tema livre (seja fatos do cotidiano, acontecimentos)

Estrutura
Dependendo da proximidade entre o destinatário e o remetente, as cartas pessoais não
seguem uma estrutura padrão. No entanto, vale lembrar que como gênero epistolar ela
apresenta uma estrutura básica:

Local e Data: são colocados acima de qualquer informação.


Vocativo: o nome do destinatário aparece logo abaixo do local e da data. Pode também ser
substituído (ou estar junto ao nome) por expressões de saudações (caro amigo, tia querida,
etc.).
Corpo do texto: conta com a introdução, desenvolvimento e conclusão do que se pretende
informar.
Despedida: saudações do remetente que podem ser de cunho formal ou informal, por
exemplo, “atenciosamente” ou “beijos carinhosos e forte abraço”
Assinatura: para finalizar a carta, o remetente assina seu nome abaixo das saudações de
despedida. Nas cartas pessoais geralmente é escrito somente o primeiro nome.

EXEMPLOS
Para compreender melhor esse tipo de texto, segue abaixo dois exemplos de Carta
Pessoal. A primeira é destinada a um amigo e por isso contém uma linguagem informal, e a
segunda destinada ao diretor da escola apresenta a linguagem culta ou formal:
Exemplo 1

São Paulo, 12 de janeiro de 2015

Amiga querida,

Estive pensando muito em você esses dias e resolvi lhe mandar uma carta para falar
sobre o ocorrido naquela noite. Antes de mais nada, quero ressaltar que a Ana estava de olho
no Adriano desde o início da festa (e já sabemos que antes disso!!!).
Como você não estava presente, ele aproveitou o momento para chegar nela. Todo
mundo viu eles ficando e isso foi uma surpresa para todos. Quero que saiba que quando precisar
conversar conte comigo. Estarei aqui sempre que precisar! Podemos combinar um cafezinho
esses dias. O que acha? Tenho muitas saudades de nossas conversas Bia!
Te adoro demais!!!
Beijos grandes e enormes abraços!!!
Espero ansiosa sua resposta!!!
Carol

PS: Até quando você fica na cidade? O Davi está agora na praia, mas chega dia 15.
Uhuuu!!!

Exemplo 2

Brasília, 15 de fevereiro de 2014

Caro Diretor,
Venho por meio desta solicitar o espaço exterior para realizar a feira de ciências
organizada pela turma do 9° ano que ocorrerá dia 20 de fevereiro na Escola Estadual José
Alvim.
Visto a importância desse evento e a impossibilidade de o realizar na sala de aula,
pedimos encarecidamente o espaço externo.
Desde já agradecemos a atenção!

Atenciosamente,

Aluno Representante do 9° ano.

Curiosidade: Você sabia?

A Sigla "P.S." que apresenta uma informação abaixo de todo o texto, significa pós-escrito ou
escrito depois (em latim, Post Scriptum). Trata-se, portanto, de uma observação que o escritor
não acrescentou ao corpo de texto e deseja adicionar.
O GÊNERO TEXTUAL “DIÁRIO”

O diário é um gênero textual escrito em linguagem informal, sempre registra a data e,


geralmente, tem o próprio escritor como destinatário. Normalmente é utilizado para apontar
os acontecimentos importantes do dia a dia, com o objetivo de guardar as lembranças e
desabafar.
No gênero textual abordado há o registro de ideias e opiniões sobre a realidade que cerca
o escritor, com a expressão de sentimentos.
Dentre as características deste gênero estão:
 A expressividade informal;
 Caráter subjetivo;
 Há a presença de referentes afetivos e cognitivos;
 Sinceridade do emissor;
 Pode ser escrito em longos ou curtos períodos;
 As páginas costumam ser datadas;
 Pode ser real ou fictício;
 Pode conter ou não assinatura pessoal;
 Linguagem empregada na 1ª pessoa, com verbos no pretérito perfeito;
 Pode ou não ser dirigido a alguém;
 Pode ou não se tornar público.

O DIÁRIO PESSOAL E O DIÁRIO FICTÍCIO

Diário pessoal
O diário pessoal é composto por relatos íntimos que devem ser lido apenas pelo (a)
próprio (a) autor (a). Apresenta uma linguagem simples, coloquial e familiar, sem preocupações
literárias.

Diário de ficção
Trata-se de uma obra literária com o formato de anotações pessoais, na qual o (a) autor
(a) registra as suas emoções e vivências cotidianas.

A ESTRUTURA DE UM DIÁRIO

Vocativo: Geralmente é iniciado com “Meu querido diário”, uma vez que não é escrito para
uma pessoa específica.
Data: A data é parte essencial de um diário.
Desenvolvimento: É a parte na qual as informações serão detalhadamente registradas.
Assinatura: Para finalizar, há a presença da assinatura, que serve para evidenciar o (a) autor
(a) do texto.

Exemplo de diário

“Domingo, 14 de junho de 1942

Vou começar a partir do momento em que ganhei você, quando o vi na mesa, no meio
dos meus outros presentes de aniversário. (Eu estava junto quando você foi comprado, e com
isso eu não contava.)
Na sexta-feira, 12 de junho, acordei às seis horas, o que não é de espantar; afinal, era
meu aniversário. Mas não me deixam levantar a essa hora; por isso, tive de controlar minha
curiosidade até quinze para as sete. Quando não dava mais para esperar, fui até a sala de
jantar, onde Moortje (a gata) me deu as boas-vindas, esfregando-se em minhas pernas.”
(O Diário de Anne Frank)
CARACTERÍSTICAS DO GÊNERO MEMÓRIA

A vida não é a que a gente viveu,e sim a que a gente recorda,e como recorda para contá-la”
Gabriel Garcia Márquez – Viver para contar

Para vocês, o que caracteriza um texto de memórias literárias?


Nas memórias literárias, o que é contado não é realidade exata. A realidade dá base ao
que está sendo escrito, mas o texto também traz boa dose de inventividade. Algumas marcas
comuns:
-Expressões em primeira pessoa usadas pelo narrador, como “eu me lembro”, “vivi numa
época em que”.
- Verbos que remetem ao passado, como “lembrar”, “reviver”.
- Palavras utilizadas na época evocada, como “vitrola”, “flertar”.
- Expressões que ajudam a localizar o leitor na época narrada, como “naquele tempo”.

Etimologicamente, ‘recordar’ vem de re + cordis (coração), significando, literalmente,


“trazer de novo ao coração algo que, devido à ação do tempo, tenha ficado esquecido em algum
lugar da memória”. Podemos dizer que, em linhas gerais, é exatamente essa a função de um
texto do gênero Memórias.
Um texto de memórias objetiva resgatar um passado, a partir das lembranças de pessoas
que, de fato, viveram esse passado. Ele representa o resultado de um encontro, no qual as
experiências de uma geração anterior são evocadas e repassadas para uma outra, dando assim
continuidade ao fio da História, que é de ambas; porque a história de cada indivíduo traz em si
a memória do grupo social ao qual pertence.
É esse resgate das lembranças de pessoas mais velhas passadas continuamente às
gerações mais novas, por meio de palavras e gestos, que liga os moradores de um lugar. O
fato de entender que a história de alguém mais velho é nossa própria história desperta um
sentimento de pertencer a determinado lugar e a certa época, e ajuda a aumentar a percepção
de um passado que foi realmente vivido e não está morto nem enterrado.
Alguém que almeje escrever um texto de memórias tem uma árdua tarefa pela frente:
identificar pessoa(s) que possa(m) realmente contribuir para a elaboração do texto, com suas
lembranças; realizar uma entrevista com essa(s) pessoa(s); selecionar e organizar as
informações relevantes coletadas e, finalmente, escrever o texto.
Não podemos contudo esquecer que a entrevista é um gênero da modalidade oral da
língua, e, se foi gravada, certamente apresentará várias marcas da oralidade. O escritor de
memórias deve estar ciente disso, e seu trabalho será transformar aquele texto oral em texto
escrito. Além disso, precisa atentar para algumas características específicas desse gênero, que
devem ser atendidas. O escritor, por exemplo, deve assumir a voz da pessoa entrevistada, ou
seja, o texto deve ser em primeira pessoa. Não se trata de um simples reconto do que ouviu
na entrevista, e sim de uma reinterpretação, que deve resultar em um texto de natureza
literária, narrativo em sua maior parte. Ademais, em nenhum momento se pode perder de vista
que há um leitor curioso para conhecer o passado, de modo que o texto deve ser escrito com
criatividade, de tal maneira que esse leitor se sinta envolvido por ele.
Alguns elementos normalmente presentes nos textos de memórias são as comparações
entre passado e presente, a presença de palavras e expressões que transportam o leitor para
uma certa época do passado (“antigamente”, “naquele tempo”, etc.), referência a objetos,
lugares e modos de vida do passado, descrições (se couberem) de lugares ou pessoas e
explicação do sentido de certas expressões antigas ou de palavras em desuso.
Enfim, cabe ao escritor das memórias posicionar-se como um pesquisador que busca
recuperar a memória coletiva de sua cidade, e, por meio do seu texto, possibilitar que os
leitores “tragam para o coração” um passado que, mesmo não tendo sido vivido por eles, foi
decisivo para que sejam o que são atualmente.
CARACTERÍSTICAS DO ANÚNCIO CLASSIFICADO

O Anúncio Classificado ou Classificados é um tipo de texto encontrado nos veículos de


comunicação sejam jornais, revistas e internet. Os classificados são aqueles textos breves que
se encontram nas seções de vendas, trocas, empréstimos, aluguéis, dentre outros.

Características do Anúncio Classificado


Página de Classificados do Jornal

Recebem o nome de classificados porque são divididos em categorias, ou seja, são


classificados de acordo com a intenção discursiva proposta.

Assim, os anúncios classificados têm como principais funções comunicativas as seguintes


categorias: empregos ou oportunidades, vender ou alugar imóveis, móveis, veículos, serviços
e objetos no geral.

Além disso, as pessoas podem utilizar as páginas de anúncios em busca de empregos ou


mesmo para procurar algo. Por exemplo, o candidato que apresenta suas habilidades,
competências, formação e experiência, indicando a área e o salário pretendido.

A principal intenção é expor o que se pretende, sem deixar de lado a persuasão, ou seja,
a intenção de convencer o leitor. Por esse motivo, podem ser ao mesmo tempo: textos
expositivos, descritivos e argumentativos. Note que os anúncios classificados utilizam muitos
adjetivos, com o intuito de chamar a atenção dos leitores.

O anunciante, ou seja, quem está disposto a anunciar algo, geralmente paga um valor
para que sua oferta ou procura seja veiculada nos meios de comunicação pretendidos. No
entanto, há classificados em que são grátis e as pessoas podem anunciar por determinado
tempo, seja uma semana ou um mês.

Anúncio Classificado e Anúncio Publicitário


Embora os dois tipos de textos anunciem algo, o anúncio publicitário tem como principal
característica convencer o leitor e em grande parte não é um texto descritivo e expositivo como
os anúncios classificados.

Principais Características
 Texto veiculado nos meios de comunicação de massa;
 Exposição breve e objetiva;
 Caráter persuasivo, expositivo e descritivo;
 Linguagem simples e formal;
 Presença de emissor (locutor) e receptor (interlocutor);

A estrutura básica de um anúncio classificado é a seguinte:

Título: Indica o que se pretende anunciar de maneira direta e atrativa, por exemplo: "Luxuoso
Apartamento em Ubatuba".
Corpo de Texto: é a descrição do que se pretende anunciar, incluindo toda a informação de
forma clara e coesa, por exemplo: "Apartamento no quinto andar de frente para a praia das
toninhas em Ubatuba. Possui 3 quartos, 2 banheiros, duas salas (estar e jantar) e uma cozinha
ampla. Além de oferecer uma ótima área de lazer que inclui área verde, parquinho infantil,
duas piscinas, sauna e salão de festas."
Contato: ao final do texto aparece o contato e o nome da pessoa que está veiculando o
anúncio, ou seja, o anunciante, por exemplo: "Contatar Maria Almeida dos Santos: e-mail:
loft.ubatuba@aluguel.com.br/ Telefone de Contato (11) 44895623."