Você está na página 1de 7

OAB – PEÇAS

Dicas de como fazer:


ENDEREÇAMENTO
Você deverá endereçar a sua peça a pessoa ou o órgão competente
para apreciar o pedido.
Atenção: Se o enunciado não fizer menção à comarca, não enderece
ao juiz de sua cidade!!
Quando não souber, use um traço ou reticências.
Exemplos:
Delegado
Ilustríssimo Senhor Doutor Delegado de Polícia Titular do ____
Distrito Policial da …..
Ilustríssimo Senhor Doutor Delegado de Polícia Federal da _
Delegacia de Polícia Federal de…

Juiz de direito – vara singular

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara …. Criminal


da Comarca de …
Jecrim – Juiz de direito

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito do Juizado Especial


Criminal da Comarca de…
Jecrim – Colégio Recursal

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Presidente do Egrégio Colégio


Recursal do Juizado Especial Criminal de …
Juizado Especial Criminal Federal

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal do Juizado Especial


Criminal Federal da Seção Judiciária de…
Colégio Recursal Federal

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Presidente do Egrégio Colégio


Recursal do Juizado Especial Criminal Federal de…(para HC)
Tribunal do Juri (Crimes dolosos contra a vida) – Juiz de direito

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da … Vara do Júri da


Comarca de …. (1ª fase)
Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Presidente do Tribunal do Júri da
Comarca de … (2ª fase)
Justiça Federal – Juiz de direito

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da … Vara Criminal


Federal da Seção Judiciária de …
Vara de execuções criminais – juiz de direito

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da Direito da Vara das


Execuções Penais da Comarca de …
TRF – Tribunal Regional Federal

Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Presidente do


Egrégio Tribunal Regional Federal da… Região.

Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Presidente do


Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de … (para HC e Revisão
Criminal)

Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Relator do Acórdão


nº … da …Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado
de… (para Embargos Infringentes e de Nulidade)
STJ – Superior Tribunal de Justiça

Excelentíssimo Senhor Doutor Ministro Presidente do Superior


Tribunal de Justiça.
STF – Supremo Tribunal Federal

Excelentíssimo Senhor Doutor Ministro Presidente do Supremo


Tribunal Federal.
PREÂMBULO
Trata-se da introdução e deve conter as informações necessárias
sobre as partes, o processo e a petição oferecida. Na sua peça, por
via de regra deverão constar:

1. nome da parte:
Você dever colocar o nome que constar do enunciado do problema.
Jamais invente dados!!
2. qualificação das partes e identificação do processo
Lembre-se que não é permitido inventar dados que não constem do
problema.
Se o enunciado não fornecer a qualificação, caso ela seja necessária
você poderá indicar da seguinte maneira:
“nacionalidade…, estado civil…, profissão…, portador da cédula de
identidade número… e inscrito no CPF/MF sob o número…,
residente e domiciliado no endereço…”
Na maioria das peças, a qualificação não será necessária, então
você colocará apenas: “já qualificado nos autos da ação penal nº…
que lhe move…”
Atenção: se a peça for Queixa-Crime, lembre-se de qualificar o
querelante e o querelado!!

3. menção ao advogado:
“por seu advogado que esta subscreve” ou “por seu advogado que
esta subscreve (conforme procuração anexa)”.
4. menção ao juiz:
“vem, mui respeitosamente, à presença de Vossa Excelência…”.
Note que, nas petições de recurso, além de mencionar o magistrado,
você deve nesse momento mencionar a decisão: “vem
respeitosamente à presença de Vossa Excelência, não se
conformando com a respeitável decisão que…”.
5. Verbo na peça:
“Opor” – Embargos.
“apresentar” – RA, Memoriais e Queixa-crime.
“interpor” – Apelação, RESE, ROC e Agravo.
“impetrar” – HC
“propor” – Revisão Criminal.
“requerer” – Peças de Prisões.
6. Nome da peça:
“resposta a acusação”, “memoriais”, “apelação” etc.
7. Fundamento legal:
“com fulcro no artigo…”.

Exemplo:
Tício (1), já qualificado nos autos da ação penal n.º ____, que lhe
move o Ministério Público (2), por seu advogado que esta subscreve
(3), vem, mui respeitosamente, à presença de Vossa Excelência (4)
apresentar (5) MEMORIAIS (6),com fulcro no art. 403, § 3.º, do
Código de Processo Penal (7), pelas razões a seguir aduzidas:

DICA: Quando for redigir a peça, tenha sempre em mente estes 7


itens, tente manter sempre essa sequência. Isso irá facilitar sua
memorização.

NARRAÇÃO DOS FATOS


Você deve expor os fatos trazidos pelo problema proposto. Faça um
breve resumo do enunciado da prova, narrando com as suas
palavras, os dados fáticos mais importantes.
Mais uma vez, lembre-se de que não é permitido inventar qualquer
dado que não conste expressamente do enunciado.
Atenção: na queixa-crime, por se tratar de petição inicial, é
necessário fazer a descrição completa da conduta do querelado!

EXPOSIÇÃO DO DIREITO
Este é o ponto mais importante da sua peça, é nele que você terá a
oportunidade de demonstrar todo o seu conhecimento jurídico.
Uma boa argumentação desenvolve-se segundo um modelo lógico
(silogismo), composto por quatro partes:
1) Introdução: É a apresentação da tese que será desenvolvida.
2) Premissa maior: É o seu ponto de partida, algo que não poderá
ser refutado. Na argumentação jurídica, a premissa maior é
geralmente uma fonte do direito (artigo de lei, súmula, entendimento
jurisprudencial ou doutrinário).
3) Premissa menor: É a situação concreta apresentada pelo
problema. Você deverá demonstrar que aquela situação concreta se
subsume perfeitamente ao direito apresentado na premissa maior.
4) Conclusão: É a constatação de que o direito exposto na premissa
maior aplica-se à situação concreta exposta na premissa menor.
Portanto, é a finalização de sua argumentação.
Se houver mais de uma tese a ser deduzida, a regra é manter a
estrutura lógica interna de cada argumento (premissa
maior/premissa menor/conclusão).

DICA: no Exame de Ordem, é melhor pecar por excesso! Argumente


tudo o que vier em sua cabeça, alegue tudo o que puder, mas não
“encha linguiça”. Lembre-se: o que não for objeto de pontuação, será
ignorado pelo examinador, e não haverá prejuízo à nota. Atente-se
sempre em mencionar o instituto jurídico objeto de avaliação e a sua
previsão legal.

PEDIDO
Nele devem constar todos os requerimentos próprios daquela
petição.
Em regra, os pedidos são consequência lógica da argumentação. Se
por exemplo a tese é alguma nulidade, pede-se a anulação. Os
pedidos são pontuados individualmente.

Atenção: Na queixa-crime, é preciso colocar pedido de recebimento,


de designação de audiência preliminar ou de conciliação, de citação,
de oitiva de testemunhas (se houver), condenação e de fixação de
indenização.
No XV Exame a peça foi Queixa-Crime e todos os pedidos foram
pontuados pela FGV.
PARTE FINAL
Na parte final da peça:
Nestes Termos,
Pede Deferimento.
(Local, data)
___________________
OAB n.º
Cuidado com a identificação da peça!
Só coloque a comarca se o problema trouxer essa informação.
NUNCA assine a peça ou forneça quaisquer outros dados pessoais.
No entanto, caso a peça profissional exijam assinatura, o candidato
deverá utilizar apenas a palavra “ADVOGADO”.

Atenção: Fique atento, pois algumas peças tem prazo, ou seja, em


alguns casos a FGV costuma pedir para que a peça seja oferecida,
por exemplo, no último dia de prazo.
Quando a peça for composta por duas petições (recursos em geral)
e o enunciado solicitar que seja indicado o dia do prazo, coloque a
mesma data em ambas as petições.

DICAS
Procure montar um “esqueleto” da peça, uma breve estrutura dos
elementos que ela deverá conter.
Comece lendo o enunciado com atenção e identifique a peça.
Compreenda o problema identificando:

1. o tipo penal tratado pelo problema;


2. a ação penal;
3. o rito processual;
4. o momento processual;
5. as partes;
6. a competência;
7. a situação prisional (se no enunciado houver menção que o agente
está preso);
8. teses preliminares, de mérito e subsidiárias. Faça um sumário com as
teses que serão arguidas.
Fique atento a alguns detalhes importantes:

Assinatura da peça: Jamais assine ou coloque o seu nome na peça.


Você será automaticamente desclassificado.
Ortografia e gramática: Muito cuidado com a ortografia. Erros de
português são avaliados e poderão prejudicá-lo. Evite abreviaturas,
prefira escrever as palavras por extenso. Muito cuidado com erros
de português, tais como erros de acentuação e ortografia.
Muita atenção à regência, concordância e aos tempos verbais. Muito
cuidado com a pontuação.
Vocabulário: Não se esqueça de que o edital da OAB não menciona
a obrigatoriedade do uso de palavras em latim. É comum o uso de
vocábulos e expressões típicos do universo jurídico, pois transmite à
peça maior profissionalismo, mas se não tiver certeza de como
escrever, não escreva. Evite a repetição de palavras utilizando-se de
sinônimos.
Paragrafação e respeito às margens: A primeira linha de cada
parágrafo (com exceção do endereçamento) deve iniciar levemente
deslocada para a direita. Além disso, não ultrapasse o espaço entre
as margens da folha reservado à redação.
Limpeza: A apresentação estética da peça tem sido item expresso da
avaliação da prova. Preste atenção às margens da folha; não
escreva fora da pauta e evite rasuras. Caso tenha cometido algum
erro, a solução é passar um traço sobre a palavra e prosseguir.
Letra clara e legível: a petição escrita em letra ilegível exige mais
atenção do examinador e revela uma atitude negligente e
descuidada por parte do candidato.
Rascunho: Antes de elaborar a peça, faça um rascunho do que deve
ser pedido, para que nada seja esquecido. É preciso, entretanto,
observar o tempo a ser despendido para passar a limpo a petição,
pois o conteúdo da folha de rascunhos em hipótese alguma será
corrigido.