Você está na página 1de 74

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)

CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS – PSCOLOGIA INTA

NÚCLEO COMUM

1º SEMESTRE

01. ANTROPOLOGIA APLICADA À PSICOLOGIA


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Possibilidades de uma antropologia psicológica. A interface entre


psicologia e antropologia. Os domínios epistemológicos e as principais correntes
teóricas do campo de conhecimento antropológico e psicológico. Compreensão da
relação entre antropologia e psicologia e definição e dos seus objetos de estudo.
Diversidade e relativismo cultural. As contribuições da Antropologia para a formação
do psicólogo.

Bibliografia Básica:
DAMATTA, R. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro:
Rocco, 2010.
LAPLATINE, F. Aprender Antropologia. São Paulo: Brasiliense, 2007.
FREYRE, G. Casa Grande e Senzala. 51. Ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

Bibliografia Complementar:
AUGÉ, M. Não-Lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. 6. Ed.
Campinas: Papirus, 2007.
COSTA, J. F. Ordem médica e norma familiar. 5. Ed. Rio de Janeiro: Graal, 2004.
GEERTZ, C. Obras e vidas: o antropólogo como autor. Editora UFRJ, 2003.
PINSKY, J. As primeiras civilizações. 25. Ed. São Paulo: Editora Contexto, 2011.
VYGOTSKY, L. S. Estudos sobre a história do comportamento: o macaco, o
primitivo e a criança. Porto Alegre: Artmed, 1996.

02. CIÊNCIA E SOCIEDADE


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: História e desenvolvimento da ciência na produção do conhecimento.


Noções de objetividade, verdade e neutralidade na ciência. A ciência e as diversas
concepções de conhecimento humano (religião, filosofia, arte, senso comum, etc).
Pressupostos básicos do método de pesquisa. A emergência das ciências humanas no
século XIX e seu desenvolvimento no século XX (A. Comte, K. Popper, T. Kuhn, E.
Morin, Boaventura S. Santos, entre outros). A dimensão ética da pesquisa.

Bibliografia Básica:
MORIN, E. Ciência com Consciência – 11ª ed. – Rio de Janeiro: Bertrand Russel,
2002.
REALE, G. & ANTISERI, D. História da Filosofia: de Freud à atualidade. (vol. VII).
São Paulo: Paulus, 2006.
REALE, G. & ANTISERI, D. História da Filosofia: do Romantismo ao
empiriocriticismo. (vol. IV). São Paulo: Paulus, 2005.

Bibliografia Complementar:
ANDERY, M. A. P. A. et al. Para Compreender a Ciência: uma perspectiva histórica.
14 ed. São Paulo: EDUC, 2004.
BORDIEU, P. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.
DESCARTES, R. Discurso do Método – 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
JAPIASSU, Hilton. A Crise das Ciências Humanas. São Paulo: Cortez Editora, 2002.
SANTOS, B. S. O Discurso sobre as Ciências. 7ª Ed. São Paulo: Cortez, 2010.

03. INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA


CARGA HORÁRIA: 75h. CRÉDITOS: 05.

EMENTA: Paradigmas epistemológicos e históricos e suas influências na Psicologia:


Estruturalismo, Associacionismo, Funcionalismo. Contextualização da ciência
psicológica, de suas diferentes vertentes e de seus métodos de investigação. Formação
do Psicólogo e exercício profissional. Questões pertinentes à (a)normalidade.
Perspectivas do homem nas principais vertentes da psicologia: Análise do
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Comportamento, Psicanálise, Abordagens Humanistas (Abordagem Centrada na Pessoa


e Gestalt-Terapia) e Psicologia Social.

Bibliografia Básica:
BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. de L. T.. Psicologias: uma
introdução ao estudo de psicologia - conforme a nova ortografia. 14. ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.
FIGUEIREDO, L. C. M. & SANTI, P. L. R. Psicologia: uma (nova) introdução. 3ª Ed.
São Paulo: Editora EDUC, 2010.
SCHULTZ, D. P.; SCHULTZ, S. E. História da Psicologia Moderna. 9ª ed. São Paulo:
Cengage Learning, 2010.

Bibliografia Complementar:
ATKINSON & HILGARD. Introdução à Psicologia. 15ª Ed. São Paulo: Cencage
Learning. 2012.
BOCK, A. M. B. (org.) Psicologia e Compromisso Social. São Paulo: Editora Cortez,
2003.
FIGUEIREDO, L. C. M. Matrizes do Pensamento Psicológico. 13ª ed. Petrópolis:
Vozes, 2007.
GOODWIN, C. J. História da Psicologia Moderna. 4ª Ed., São Paulo: Cultrix, 2010.
JACÓ-VILELA, A.; FERREIRA, A. A. L.; PORTUGAL, F. T. (org.) História da
Psicologia: rumos e percursos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2013.

04. INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO PSICOSSOCIOLÓGICO


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: As condições históricas do surgimento da Sociologia. A Sociologia como


ciência. Os estudos dos sociólogos clássicos: Émile Durkheim, Max Weber e Karl
Marx. As influências do Positivismo Lógico na constituição da Psicologia. Sociologia e
Psicologia Social em diálogo: o pensamento psicossocial. As abordagens na Sociologia
moderna. Indivíduo, cultura e sociedade. Psicossociologia Contemporânea.

Bibliografia Básica:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

GIDDENS, A. Sociologia. Porto Alegre: Artmed. 2005.


LARAIA, R. de B. Cultura, um conceito antropológico. 22ª Ed. RJ: Jorge Zahar
Editor, 2008.
QUINTANEIRO, T. et al. Um toque de Clássicos: Marx, Durkheim e Weber. 2ª Ed.
MG Editora UFMG, 2002.

Bibliografia Complementar:
BOFF, Leonardo. A Águia e a Galinha: uma metáfora da condição humana – 43ª ed.
RJ: Vozes, 2006.
CHARON, E.M. Sociologia. São Paulo: Saraiva, 2000.
GUATTARI, F. & ROLNIK, S.. Cartografias do Desejo – 9ª ed. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2008.
MARCELLINO, N. C. Introdução às ciências sociais. Campinas: Papirus, 2001.
MARTINS, C.B. O que é sociologia. Coleção Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense,
2001.

05. MATRIZES DO PENSAMENTO EPISTEMOLÓGICO


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: A filosofia em sua origem e suas diferentes compreensões. O conhecimento


filosófico e suas especificidades. Correntes filosóficas: Filosofia Antiga, Medieval,
Moderna e Contemporânea (principais representantes e fundamentos epistemológicos).
Breves apontamentos entre Filosofia e Ciência Moderna. Filósofos modernos e
contemporâneos que contribuíram para a psicologia: A. Schopenhauer, F. Nietzsche, S.
Kierkegaard, E. Husserl, L. Wittgenstein, J. P. Sartre, M. Foucault.

Bibliografia Básica:
ARRUDA, M. L. A. & MARTINS, M. H. Filosofando: Introdução à Filosofia. 4. Ed.
Rev. São Paulo: Moderna, 2009.
CHAUÍ, M. Convite à filosofia. 9 ed. São Paulo: Ática, 2011.
MARCONDES, D. Iniciação à História da Filosofia: dos pré-socráticos a
Wittgenstein. 2. Ed. Rev. e ampliada. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Complementar:
CHALITA, G. Vivendo a Filosofia. 1. Ed. São Paulo: Editora Ática, 2011.
CORREIA, A. Filosofia. Coleção Passo a Passo. 1. Ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.
DELEUZE, G. e GUATTARI, F. O que é a Filosofia? – 3ª ed. R.J.: Editora 34, 2000.
MARCONDES, D. Filosofia Analítica. Coleção Passo a Passo. Rio de Janeiro: Zahar,
2004.
PRADO JR, C. O que é Filosofia. Coleção Primeiros Passos. 25. Ed. São Paulo:
Editora Brasiliense, 1997.

06. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Ciência e conhecimento científico. Texto científico e outras formas de


produção de conhecimento. Iniciação à produção científica: fichamentos, resenhas,
papers, estrutura de projeto de pesquisa e artigos. Modalidades de pesquisa nas ciências
humanas e sociais. Compreensão de normas técnicas de referência e documentação e
sistemas de busca em bases de dados. Revisão sistemática de literatura. A apresentação
de trabalhos e a discussão de ideias em público.

Bibliografia Básica:
MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica.
São Paulo: Editora Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed.
Petrópolis: Vozes, 2009.
SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Acadêmico. 22ª Ed. São Paulo: Editora
Cortez, 2002.

Bibliografia Complementar:
BAUER, W. M.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um
manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.
DINIZ, D. Carta de uma orientadora: o primeiro projeto de pesquisa. Ed. Letras
Livres. 2012.
FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2009.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

GIL, A. C.. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. de; SOUZA, E. R. de. Avaliação por triangulação
de métodos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

2º SEMESTRE

07. FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS DA PSICOLOGIA


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Antecedentes da Psicologia moderna (mitologia, filosofia e fisiologia). A


constituição epistemológica das principais vertentes psicológicas (Psicanálise,
Fenomenologia e Humanismo, Análise do Comportamento e Psicologia Histórico-
Cultural).

Bibliografia Básica:
FIGUEIREDO, L. C. M. Matrizes do Pensamento Psicológico. 13ª ed. Petrópolis:
Vozes, 2007.
FIGUEIREDO, Luis Cláudio M. A Invenção do Psicológico: quatro séculos de
subjetivação (1500-1900) – 7ª ed. São Paulo: Educ: Escuta, 2007.
JACÓ-VILELA, A.; FERREIRA, A. A. L.; PORTUGAL, F. T. (org.) História da
Psicologia: rumos e percursos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2013.

Bibliografia Complementar:
ABIB, J. A. D. Epistemologia pluralizada e história da Psicologia. Em: Scientiae
Studia, v. 7, n. 2, 2009.
ANTUNES, M. A. N. A Psicologia no Brasil: leitura histórica sobre sua constituição.
São Paulo: Unimarco Editora & EDUC, 2005.
COIMBRA, C. Guardiões da ordem: uma viagem pelas práticas psi no Brasil milagre.
Rio de Janeiro: Oficina do Autor, 1995.
GUARESCHI, N. e HÜNING, M. F.. Foucault e a Psicologia. Porto Alegre: Abrapso
Sul, 2009.
NYE, R. D. Três Psicologias: Ideias de Freud, Skinner e Rogers. São Paulo: Pioneira,
2002.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

08. NEUROCIÊNCIAS I
CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Introdução ao estudo da Neuroanatomia. Filogênese do cérebro humano.


Noções de desenvolvimento do cérebro humana desde a concepção. Estrutura das
células nervosas. Divisão Anatômica do Sistema Nervoso: Sistema Nervoso Central e
Sistema Nervoso Periférico. Divisão Funcional do Sistema Nervoso: Sistema Nervoso
Somático e Sistema Nervoso Visceral. Grandes Vias Aferentes. Grandes Vias Eferentes.
Organização morfofuncional do Sistema Nervoso. Anatomia macroscópica do Sistema
Nervoso Central: cerebelo, tronco encefálico, medula espinhal, telencéfalo e diencéfalo.
Formação Reticular. Vascularização do Siste’ma Nervoso Central. Meninges e Líquor.
Estesiologia.

Bibliografia Básica:
DANGELO, J.G., FATTINI, C.A. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 30 ed.
Rio de Janeiro: Atheneu, 2007. 763 p.
MACHADO, A. & HAERTEL, L. M. Neuroanatomia Funcional. 3ª Ed. Rio de
Janeiro: Atheneu. 2013.
SOBOTTA, J. Atlas de Anatomia Humana. 220 ed. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2013.

Bibliografia Complementar:
CONSTANZO, L. Fisiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 5ª edição, 2012.
FUENTES, D. et al. Neuropsicologia- teoria e prática. 2ª Ed. Porto Alegre: Artmed,
2014.
GUYTON, A. C.; HALL, J. E. Tratado de Fisiologia Médica. 12.ed. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2011.
NETTER, F.H. Atlas de Anatomia Humana. 5ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.
TORTORA, G. J. Princípios de Anatomia Humana. 12ª Ed. Rio de Janeiro: Ed.
Guanabara Koogan, 2013.

09. PESQUISA QUANTITATIVA EM PSICOLOGIA


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Visão abrangente da pesquisa quantitativa e sua aplicação à Psicologia, de


modo a integrar conhecimentos e conceitos básicos de Estatística descritiva e
inferencial. Tipos de delineamentos. Questionários e escalas. Noções de amostragem.
Introdução à probabilidade. Introdução à Inferência Estatística: Análise estatística de
dados de pesquisa da área de Psicologia. Programas estatísticos nas análises estatísticas
em Psicologia. O uso de softwares estatísticos (SPSS, etc.). Aspectos éticos na análise
estatística.

Bibliografia Básica:
BUSSAB, W. de O. & MORETTIN, P. A. Estatística Básica. 8ª Ed. Editora Saraiva:
2013.
CRESPO, A. A. Estatística Fácil. 19ª Ed. Atualizada. Editora Saraiva: 2011
DANCEY, C. P.; REIDY, J. Estatística Sem Matemática Para Psicologia. 5ª Ed.
Porto Alegre: Editora Penso, 2013.

Bibliografia Complementar:
CORROYER, Denis & WOLFF, Marian. A análise estatística de dados em
Psicologia: conceitos e métodos de base. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.
FIELD, A. Descobrindo a Estatística usando o SPSS. Editora Penso: 2009.
LEVIN, J. Estatística Aplicada às Ciências Humanas. São Paulo. Editora Harbra,
2003.
MARTINS, G A. Estatística Geral e Aplicada. São Paulo. Editora Atlas, 2005.
TRIOLA, M. F. Introdução à Estatística. 9. ed. Rio de Janeiro: LCT, 2005.

10. PROCESSOS PSICOLÓGICOS I


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Aspectos teórico-conceituais e metodológicos relacionados aos processos


de sensação, percepção, atenção, memória, consciência, emoções e motivação.
Integração desses processos e as influências no comportamento humano.

Bibliografia Básica:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

ATKINSON, R. et. al. Introdução à Psicologia. 13. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.
STERNBERG, R. Psicologia Cognitiva. São Paulo: Cengage Learning, 2010.
WEITEN, W. Introdução à Psicologia: temas e variações. São Paulo: Cengage
Learning, 2010.

Bibliografia Complementar:
ANDRADE, V.M., SANTOS, F.H. dos, BUENO, O.F.A . Neuropsicologia Hoje. Porto
Alegre: Artes Médicas, 2004
BADDELEY, A.; ANDERSON, M. C.; EYSENCK, M. W. Memória. Porto Alegre:
Artmed, 2011.
GAZZANIGA, M. S.; HEATHERTON, T. F. Ciência Psicológica: mente, cérebro e
comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2005.
GUYTON, A. C. Neurociência Básica: anatomia e fisiologia. 2 ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 1993.
KANDEL, E. R.; SCHWARTZ, J. H.; JESSELL, T. M. (Eds.). Fundamentos da
Neurociência e do Comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

11. PORTUGUÊS INSTRUMENTAL


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Regência nominal e verbal. Concordância nominal e verbal. Novo acordo


ortográfico da língua portuguesa. Textualidade e contexto. A produção textual:
mecanismos de coesão e coerência. O parágrafo: tópico frasal. Tipos de parágrafo. A
leitura e a compreensão de textos. Estratégias de leitura e interpretação do texto.

Bibliografia Básica:
ALVES, Magda. Como escrever teses e monografias: um roteiro passo a passo. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2003.
FIORIN, J. L.; SAVIOLI, F. P. Para entender o texto. Leitura e redação. São Paulo:
Ática, 1991.
OLIVEIRA, Luciano Amaral. Manual de sobrevivência universitária. Campinas, SP:
Papirus, 2004.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Complementar:
ABREU, A. S. Curso de redação. São Paulo: Ática, 1991.
CASTRO, Belluci Belório de Castro et. al. Os degraus da leitura. Bauru, SP: EDUSC,
2000.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas,
2010.
MAGALHÃES, Gildo. Introdução à metodologia científica: caminhos da ciência e
tecnologia. São Paulo: Ática, 2005.
MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos.
São Paulo: Atlas, 2001.

12. PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO I


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: O conceito e a delimitação do campo da Psicologia do Desenvolvimento:


histórico e tendências atuais. As principais teorias psicogenéticas. Correntes
psicológicas e as contribuições para a compreensão do desenvolvimento humano. O
desenvolvimento pré-natal. O desenvolvimento físico e neuropsicomotor, emocional,
intelectual e social da criança. Temas contemporâneos em desenvolvimento infantil.

Bibliografia Básica:
BEE, H. A Criança em Desenvolvimento. 7ª Edição São Paulo: Harper & Row do
Brasil, 2004.
BELSKY, J. Desenvolvimento Humano: experienciando o ciclo da vida. Porto Alegre:
Artmed, 2010.
COLL, C. PALACIOS, J. & MARCHESI, A. Desenvolvimento Psicológico e
Educação: Psicologia evolutiva. V.1 Porto Alegre: Artmed, 2004.

Bibliografia Complementar:
DELVAL, J. Introdução à Prática do Método Clínico: descobrindo o pensamento das
crianças. (F. Murad, Trad). Porto Alegre: Artmed, 2002.
DESSEN, M. A.. COSTA, J. R. & cols. A Ciência do Desenvolvimento Humano:
tendências atuais e perspectivas futuras. Porto Alegre: Artmed, 2005.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

GALVÃO, I. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. 21.


Ed. Petrópolis: Vozes, 2012.
PIAGET, J. Seis Estudos de Psicologia. 24. Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária,
2005.
VIGOTSKI, L. S. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos
psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

13. PSICOLOGIA SOCIAL I


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04

EMENTA: Aspectos históricos relacionados ao surgimento da Psicologia Social.


Fundamentos epistemológicos e metodológicos da Psicologia Social Psicológica e
Sociológica. Psicologia histórico-Cultural. Teoria das Representações Sociais.
Abordagens atuais em Psicologia Social. Principais categorias da Psicologia Latino-
Americana e Brasileira. O compromisso ético-político do psicólogo social.

Bibliografia Básica:
FARR, R. As Raízes da Psicologia Social Moderna (1872-1954) – 2ª ed. Petrópolis:
Ed. Vozes, 1999.
LANE, S. T. M. e CODO, W. (orgs.). Psicologia Social: o homem em movimento – 13ª
ed. São Paulo: Brasiliense, 2006.
MOSCOVICI, S.; GUARESCHI, P. Representações Sociais: investigações em
psicologia social – 2ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

Bibliografia Complementar:
ÁLVARO, J. L. & GARRIDO, A. Psicologia Social: perspectivas psicológicas e
sociológicas. São Paulo: McGraw Hill, 2006.
CAMPOS, R. H. & GUARESCHI, P. Paradigmas em Psicologia Social: a perspectiva
latino-americana – 6ª ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2014.
JACÓ-VILELA, A. M.; ROCHA, M. L.; MANCEBO, D. (orgs). Psicologia Social:
relatos na América Latina. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.
MATOS, Olgária. A Escola de Frankfurt – luzes e sombras do Iluminismo. São Paulo:
Moderna, 1993.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

VILELA, A. M. J.; FERREIRA, A. A. L.; PORTUGAL, F. T. História da Psicologia:


rumos e percursos. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2007.

3º SEMESTRE

14. ESTÁGIO BÁSICO I.


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Estágio em caráter observacional no qual se objetiva fornecer ao aluno a


compreensão das práticas e intervenções do psicólogo em seus diferentes contextos de
atuação. Reflexão acerca da prática deste profissional e da dimensão do mercado de
trabalho.

Bibliografia Básica:
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do
Psicólogo. Brasília: CFP, 2005.
FERREIRA-NETO, J.L. A Formação do Psicólogo: Clínica, Social e Mercado. Editora
Escuta. SP. 2004
ISMAEL, S. M. (Org). A Prática Psicológica e sua Interface com as Doenças. 2ªEd.
Casa do Psicólogo. 2010.

Bibliografia Complementar:
CAMPOS, R.H.F (Org.). Psicologia Social Comunitária. 18ª Edição. Editora Vozes,
RJ. 2011.
CRUZ, R,L; GUARESCHI, N (Orgs.). Políticas Públicas e Assistência Social. 4ª
Edição, Editora Vozes. RJ. 2012.
ROMARO, A.R. Ética na Psicologia. 3ª Edição. Editora Vozes. RJ. 2010.
TEDESCO, S; NASCIMENTO, M, L (Orgs.). Ética e Subjetividade – Novos Impasses
no Contemporâneo. Editora Sulina. 2010.
YAMAMOTO, O; GOUVEIA, W (Orgs). Construindo a Psicologia Brasileira:
Desafios da Ciência e Prática Psicológica. 2ªEd. Casa do Psicólogo. 2003.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

15. ÉTICA E PSICOLOGIA


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Estudo das questões éticas a partir da filosofia, em suas diferentes escolas.
Contextualização acerca da formação da identidade profissional do psicólogo e os
desafios contemporâneos. Órgãos representativos, legislação regulamentadora da
profissão e desdobramentos legais vinculados ao exercício do psicólogo. Princípios de
Bioética. Estudos de casos emblemáticos em atendimentos psicológicos. Sigilo
profissional da prática do psicólogo.

Bibliografia Básica:
BOFF, L. Saber cuidar. Ética do humano, compaixão pela terra. 14. ed. Petrópolis RJ:
Vozes, 2008.
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do
Psicólogo. Brasília: CFP, 2005.
VÁSQUEZ, A. S. Ética. Tradução de João Dell’Anna. Rio de Janeiro, 2006.

Bibliografia Complementar:
DINIZ, D. & GILHEM, D. O que é Bioética? 1ª Ed. São Paulo: Editora Brasiliense,
2002.
FIGUEIREDO, L. C. Revisitando as Psicologias: da epistemologia à ética das práticas
e discursos psicológicos. Petrópolis: Vozes, 2008.
NOVO, H.; SOUZA, L. & ANDRADE, A. (orgs.) Ética, cidadania e participação:
debates no campo da Psicologia. Vitória-ES: Editora EDUFES, 2001.
SUNG, J.M. & SILVA, J.C. Conversando sobre ética e sociedade. 18ª Ed. Petrópolis:
Vozes, 2009.
VAZ, H.C. L. Escritos de Filosofia II – Ética e Cultura. São Paulo: Loyola, 2000.

16. NEUROCIÊNCIAS II
CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTÁRIO: Bases e fundamentos da Neurofisiologia. Potencial de ação e de


membrana celular. Vias neurais e neurotransmissão envolvidas na modulação das
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

funções neuropsicológicas: atenção, memória, percepção, funções executivas.


Neurobiologia do comportamento. Neurobiologia da aprendizagem e memória.
Neurobiologia do sono. Neurobiologia da emoção e dos transtornos mentais.
Plasticidade neural e suas relações com a Psicologia.

Bibliografia Básica:
GAZZANIGA, M. S. Neurociência Cognitiva: a biologia da mente. 2. Ed. Porto
Alegre: Artmed, 2006.
GONDIM, F.A.A.; TAUNAY, T. C. D. Neuropsicofisiologia. Fortaleza, CE: F.A.
Aquino Gondim, 2009.
LENT, R. Cem Bilhões de Neurônios: conceitos fundamentais de neurociência. São
Paulo: Atheneu, 2001.

Bibliografia Complementar:
CARLSON, N. R. Fisiologia do Comportamento. 7ª Ed. São Paulo: Manole, 2004.
GUYTON, A. C.; HALL, J. E. Tratado de Fisiologia Médica. 12.ed. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2011.
KANDEL, E. R.; SCHWARTZ, J. H.; JESSELL, T. M. (Eds.). Fundamentos da
Neurociência e do Comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
KOLB, B. & WHISHAW, I. Q. Neurociência do Comportamento. São Paulo:
Manole. 2002.
MACHADO, A. & HAERTEL, L. M. Neuroanatomia Funcional. 3ª Ed. Rio de
Janeiro: Atheneu. 2013.

17. PSICOLOGIA COMUNITÁRIA


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Crise do pensamento social nos anos 1960. História e perspectivas teóricas
da Psicologia Comunitária. Psicologia Comunitária: aspectos teórico-conceituais. A
ética na Psicologia Comunitária. Atuação e papel do psicólogo na comunidade.
Aspectos metodológicos do desenvolvimento de comunidade. Desenvolvimento de
trabalhos em comunidade. A construção de novos paradigmas em Psicologia
Comunitária. O campo de atuação profissional e seus desafios contemporâneos. Temas
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

e pesquisas atuais na Psicologia Comunitária. Projetos de intervenção em Psicologia


Comunitária.

Bibliografia Básica:
CAMPOS, R. H. F. (org.) Psicologia Social Comunitária: da solidariedade à
autonomia. 16ª ed. Petrópolis: Vozes, 2010.
GÓIS, Cezar Wagner de Lima. Psicologia Comunitária – atividade e consciência.
Fortaleza: Publicações Instituto Paulo Freire de Estudos Psicossociais, 2005.
SARRIERA, J. C. Psicologia Comunitária: estudos atuais – 3ª ed. Porto Alegre:
Sulina, 2010.

Bibliografia Complementar:
DONZELOT, Jacques. A Polícia das Famílias – 3ª Ed. Rio de Janeiro: Ed. Graal,
2001.
GUZZO, Raquel S.L.; LACERDA JUNIOR, Fernando. Psicologia Social para
América Latina: o resgate da psicologia da libertação. São Paulo: Editora Alínea,
2009.
LARA JR., N. & LIMA, A. F. de (orgs.). Metodologias de Pesquisa em Psicologia
Social Crítica. Porto Alegre: Sulina, 2014.
PRADO, Marco Aurélio Máximo. A Psicologia Comunitária nas Américas: o
individualismo, o comunitarismo e a exclusão do político. Psicologia: Reflexão e
Crítica, Porto Alegre – RS, vol. 15, nº 2, 2002 (pp. 201-210).
SOUZA, L.; FREITAS, M.F.Q.; RODRIGUES, M.M.P. (Orgs.) Psicologia: reflexões
(im)pertinentes. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

18. TEORIAS PSICOLÓGICAS I: BEHAVIORISMO RADICAL


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: O modelo monista para a abordagem da subjetividade. A interpretação


behaviorista radical para os eventos privados. A apropriação do Operacionismo pelo
Behaviorismo Radical. A filosofia, os métodos e o objeto de estudos da Análise do
Comportamento. A produção de conhecimento em Análise do Comportamento. As
dicotomias privado/público, subjetivo/objetivo, interno/externo e mental/físico. A noção
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

de seleção pelas consequências. Princípios básicos do comportamento em animais e


humanos.

Bibliografia Básica:
BAUM, W. M. Compreender o Behaviorismo. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.
CHIESA, M. Behaviorismo Radical: a filosofia e a ciência. Brasília: Ibac Editora e
Editora Celeiro, 2006.
SKINNER, B. F. Sobre o Behaviorismo. 10. ed. Tradução de Maria da Penha
Villalobos. São Paulo: Cultrix, 2006.

Bibliografia Complementar:
SÉRIO, T. M. A. P.; ANDERY, M. A.; GIOIA, P. S.; MICHELETTO, N. (Org.).
Controle de estímulos e comportamento operante: uma introdução. São Paulo:
EDUC, 2002.
SIDMAN, M. Coerção e suas implicações. Tradução de Maria Amália Andery e
Tereza Maria Sério. Campinas: Editora Livro Pleno, 2011.
SKINNER, B. F. Questões Recentes na Análise do Comportamento. 2. Ed.
Campinas, SP: Papirus - 1995.
SKINNER, B.F. Ciência e comportamento humano. Brasília: Editora Martins, 2003.
TOURINHO, E. Z. A produção de conhecimento em psicologia: a análise do
comportamento. Psicologia: Ciência e Profissão, vol. 23, n. 2, 30-41, 2003.

19. TEORIAS PSICOLÓGICAS II: FENOMENOLOGIA, HUMANISMO E


EXISTENCIALISMO
CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: História e Epistemologia da Fenomenologia. A construção da


Fenomenologia de Edmund Husserl. O método fenomenológico. O pensamento
existencialista de Heidegger e de Merleau-Ponty. História, desenvolvimento e
epistemologia do Humanismo. Os desdobramentos do pensamento fenomenológico-
existencial-humanista na Psicologia e a relação com as abordagens fenomenológicas-
existenciais-humanistas.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Básica:
DARTGUES, A. O que é Fenomenologia? Editora Centauro, 2005.
GOTO, T. A. Introdução à Psicologia Fenomenológica. São Paulo: Editora Paulus,
2008.
HOLANDA, A. Fenomenologia e Humanismo. Curitiba, Editora Juruá, 2013.

Bibliografia Complementar:
AMATUZZI, M. M. Por uma Psicologia Humana. 3. Ed. Campinas, SP: Alínea, 2010.
KARWOWSKI, S. L. Gestalt Terapia e Método. Campinas: Editora Livro Pleno,
2005.
PERLS, F., HEFFERLINE, R.; GOODMAN, P. Gestalt Terapia. São Paulo: Summus,
1997.
ROGERS, C. R. Tornar-se Pessoa. 6. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
YONTEF, G. M. Processo, Diálogo e Awareness. São Paulo: Summus, 1998.

20. TEORIAS PSICOLÓGICAS III: PSICANÁLISE


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Da hipnose à associação livre: a origem da psicanálise (contexto histórico e


social do surgimento da Psicanálise). A descoberta dos processos inconscientes:
natureza e evolução do método de investigação (a história do Movimento Psicanalítico).
A concepção e os fundamentos da ciência em Freud. A formulação do conceito de
inconsciente. O método. O aparelho psíquico. A metapsicologia e suas dimensões:
tópica, dinâmica e econômica. O sonho. A teoria da sexualidade. A função e campo da
fala e da linguagem em psicanálise.

Bibliografia Básica:
FREUD, S. Compêndio da psicanálise. 1. Ed. Porto Alegre: L&PM, 2014.
FREUD, S. Obras Psicológicas Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.
JORGE, M.A.C. Fundamentos da Psicanálise: de Freud a Lacan. Vol. 1: As bases
Conceituais. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

Bibliografia Complementar:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

FREUD, S. Escritos sobre a Psicologia do Inconsciente. Rio de Janeiro: Imago Ed.,


2004.
FREUD, S. Obras Psicológicas Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.
JAPIASSU, H. O Eclipse da Psicanalise. Rio de Janeiro: Imago, 2009.
JORGE, M.A.C. & FERREIRA, N.P. Freud: criador da psicanálise. 4a ed.
Reimpressão. Coleção Passo-a-Passo. 14. 21. Rio de Janeiro: Zahar, Ed. 2002.
ROUDINESCOU, E. Em Defesa da Psicanálise: Rio de Janeiro: Jorge Zahar, Ed.
2009.

4º SEMESTRE

21. ANÁLISE DO COMPORTAMENTO II


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: A Filosofia da Ciência e o nascimento da Psicologia. A Filosofia da Ciência


e o movimento behaviorista. Concepção de conhecimento científico contemporâneo: K.
Popper e T. Kuhn. A concepção da ciência do comportamento: a Análise do
Comportamento. O realismo do Behaviorismo Metodológico. Os neo-behaviorismos:
Tolman e Hull. As influências do Pragmatismo no Behaviorismo Radical de Skinner. O
funcionalismo.

Bibliografia Básica:
CATANIA, C. Aprendizagem: comportamento, linguagem e cognição. Porto Alegre:
Artmed, 1999.
MATOS, M.A.; TAMARINI, G.Y.A. Análise do Comportamento no Laboratório
Didático. São Paulo: Manole, 2002.
MOREIRA, M. B. & MEDEIROS, C. A. de. Princípios Básicos de Análise do
Comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2007

Bibliografia Complementar:
ABREU-RODRIGUES, J. & RIBEIRO, M.R. (Org.). Análise do Comportamento:
pesquisa, teoria e aplicação. Porto Alegre: Artmed, 2005.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

HÜBNER, M. M. C. Controle de estímulos e relações de equivalência. Revista


Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 95-102,
2006. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtcc/v8n1/v8n1a09.pdf>. Acesso
em: 19 jun. 2013.
MILLENSON, J. R. Principles of Behavior Analysis. Macmillan, 1967.
SÉRIO, T. M. A. P.; ANDERY, M. A.; GIOIA, P. S.; MICHELETTO, N. (Org.).
Controle de Estímulos e Comportamento Operante: uma introdução. São Paulo:
EDUC, 2002.
SKINNER, B.F. Ciência e Comportamento Humano. Brasília: Editora Martins, 2003.

22. FENOMENOLOGIA, HUMANISMO E EXISTENCIALISMO II


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Compreensão da influencia da fenomenologia, do humanismo e do


existencialismo no desenvolvimento das psicologias e, em específico, das psicologias
humanistas, também chamadas de “terceira força”. Investigação dos aspectos
epistemológicos, bem como do homem e do mundo das denominadas abordagens
fenomenológicas-existenciais-humanistas. Perspectivas de saúde e de adoecimento das
principais abordagens: Gestalt-Terapia, Abordagem Centrada na Pessoa, entre outras
correntes.

Bibliografia Básica:
AMATUZZI, Mauro Martins. Por uma Psicologia Humana. Campinas, SP: Editora
Alínea, 2010. 3ª edição.
BUBER, Martin. Do Diálogo e do Dialógico. São Paulo: Perspectiva, 2009.
CARDELLA, Beatriz H. Paranhos. A Construção do Psicoterapeuta: uma abordagem
gestáltica. São Paulo: Summus, 2002.

Bibliografia Complementar:
HYCNER, Richard. De Pessoa a Pessoa: psicoterapia dialógica. São Paulo: Summus,
2007.
LOFFREDO, Ana Maria. A Cara e o Rosto: Ensaio sobre Gestalt-terapia. São Paulo:
Escuta, 1994.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

MOREIRA, Virgínia. De Carl Rogers a Merleau-Ponty: a pessoa mundana em


psicoterapia. São Paulo: Annablume, 2007.
POLSTER, Erving & POLSTER, Miriam. Gestalt-terapia Integrada. Belo
Horizonte:Interlivros, 2007.
ROGERS, C. Um Jeito de Ser. Tradução Maria Cristina Machado Kupfer, Heloísa
Lebrão, Yone Souza Patto. São Paulo: EPU, 1983.

23. PSICANÁLISE II
CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: A condução do tratamento em Freud (os princípios e a especificidade da


técnica psicanalítica). O início da análise, os fundamentos práticos e teóricos dos
primeiros passos do processo; as entrevistas preliminares, o uso do divã, o tempo e o
dinheiro e a ação de transferência. A direção do tratamento no ensino de Lacan. A ética
da psicanalise.

Bibliografia Básica:
JORGE, M.A.C. Fundamentos da Psicanálise: de Freud a Lacan. Vol. 2: A clínica da
fantasia. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.
LACAN, J. A Direção do Tratamento e os Princípios de seu Poder. In: Escritos. Rio
de Janeiro. Jorge Zahar Ed., 1998.
QUINET, Antonio. As 4+1 Condições da Análise. 12.ed.– Rio de Janeiro: Jorge Zahar
Ed., 2009.

Bibliografia Complementar:
FREUD, S. Obras Completas. 3 ed. Ver. Rio de Janeiro: Imago, 1900.
LACAN, Jacques. O Seminário, Livro 17: o Avesso da Psicanalise. Rio de Janeiro.
Jorge Zahar. 1992.
LACAN, Jacques. O Seminário, Livro 7: a ética da psicanálise (1959- 1960). Rio de
Janeiro: Jorge Zahar. 1997.
QUINET, Antonio. A Descoberta do Inconsciente – do desejo ao sintoma. 4ª Ed. Jorge
Zahar Ed. Rio de Janeiro, 2011.
ROUDINESCOU, E. Dicionário de Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

24. PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO II


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Principais mudanças que afetam as estruturas físicas, cognitivas,


emocionais, psicossociais e na sexualidade no adolescente e vida adulta. O ciclo vital
segundo Erik Erikson e as fases do desenvolvimento e teorias psicológicas na
adolescência e vida adulta. Contexto cultural do adolescente e adulto na sociedade
contemporânea. O processo de mudança psicossocial durante o envelhecimento:
relações familiares, sexualidade, sociabilidade, perdas, lutos e morte. O
desenvolvimento adulto e o processo de envelhecimento considerando as contingências
e especificidades históricas e culturais e em diferentes condições sócio-econômicas.

Bibliografia Básica:
BELSKY, J. Desenvolvimento Humano: experienciando o ciclo da vida. Porto Alegre:
Artmed, 2010.
COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Orgs.) Desenvolvimento Psicológico e
Educação: Psicologia da Educação Escolar. V. 2. Porto Alegre: Artmed, 2004.
STUART HAMILTON, I. A Psicologia do envelhecimento: uma introdução. Porto
Alegre: Artmed, 2002.

Bibliografia Complementar:
COLE, Michael; COLE, Sheila. O desenvolvimento da criança e do adolescente.
Porto Alegre: Artmed, 2004.
ERIKSON, R. O ciclo de vida completo. Porto Alegre: Artmed, 1998.
OLIVEIRA, M. K. Ciclos da vida: algumas questões sobre a psicologia do adulto.
Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 211-229. 2004.
PALADINO, E. O adolescente e o conflito de gerações na sociedade
contemporânea. Porto Alegre: Artmed, 2003.
ROGOFF, B. A natureza cultural do desenvolvimento humano. Porto Alegre:
Artmed, 2005.

25. PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Contexto sócio-histórico e filosófico de constituição da Psicologia


Histórico-cultural: Revolução russa (1917) e base materialista histórico-dialética (Karl
Marx). Desenvolvimento psíquico: bases biológicas e culturais da consciência. Linhas
natural e cultural do desenvolvimento. Planos de desenvolvimento: filogênese,
ontogênese, sociogênese e microgênese. Conceitos e categorias fundamentais do
desenvolvimento humano na perspectiva teórico-metodológica de L.S.Vigotski: Signo,
instrumento e mediação cultural. Gênese cultural das funções psicológicas superiores.
Construção do pensamento e da linguagem. A formação dos conceitos. A relação entre
aprendizagem e desenvolvimento. Conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal.

Bibliografia Básica:
REGO, Teresa Cristina. Vygotsky – uma perspectiva histórico-cultural da educação.
22ª. Edição. Petrópolis: Vozes, 2011.
VEER, R.; VALSINER, J. Vygotsky: uma síntese. Tradução de Cecília Bartalotti. 5ª
Ed. São Paulo: Ed. Loyola, 2006.
VIGOTSKI, L. S. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos
psicológicos superiores. 7ª Ed. São Paulo, Martins Fontes, 2007.

Bibliografia Complementar:
EIDT, N. M., & TULESKI, S. C. Discutindo a medicalização brutal em uma sociedade
hiperativa. Em M. E. M. Meira & M. G. D. Facci (Orgs.), Psicologia Histórico-
Cultural – contribuições para o encontro entre subjetividade e a educação São Paulo:
Casa do Psicólogo, 2007.
VIGOTSKI, L. S. O Desenvolvimento Psicológico na Infância. São Paulo: Martins
Fontes, 1998. (Texto original de 1932).
VIGOTSKI, L. S. O significado histórico da crise da psicologia. In: L.S. Vigotski.
Teoria e Método em Psicologia. 3ª. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004. (Texto
original de 1927).
VIGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. 2ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
VIGOTSKI, L.S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. Trad. Paulo
Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001. (Texto original de 1934).
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

26. PSICOLOGIA SOCIAL II


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Histórico do pensamento psicossocial dos comportamentos coletivos.


Conceitos e abordagens teórico-críticas das Psicologias das Massas. A contribuição das
diferentes teorias críticas para o desenvolvimento da Psicologia Social e para o estudo
da inter-relação entre sujeitos, grupos e movimentos coletivos. Psicologia das Massas e
Movimentos Sociais. Psicologia Política. Categorias e fenômenos psicossociais das
Sociedades contemporâneas.

Bibliografia Básica:
FARR, R. As Raízes da Psicologia Social Moderna (1872-1954) – 2ª ed. Petrópolis:
Ed. Vozes, 1999.
LA BOÉTIE, E. Discurso da servidão voluntária. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1999.
LIMA, Aluísio Ferreira. Para uma reconstrução dos conceitos de massa e identidade, em
Revista de Psicóloga Política 14 (7), 2008.

Bibliografia Complementar:
BOLTANSKI, Luc e CHIAPELLO, Ève. O Novo Espírito do Capitalismo. São Paulo:
Martins Fontes, 2009.
GALEANO, Eduardo. As Veias Abertas da América Latina. Porto Alegre, L&PM,
2014.
GUARESCHI e HÜNING. Foucault e a Psicologia. Porto Alegre, Abrapso Sul, 2005.
GUATTARI, Felix e ROLNIK, Suely. Cartografias do Desejo – 9ª ed. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2008.
LARROSA, Jorge. & SKLIAR, Carlos. (Orgs.) Habitantes de Babel: políticas e
poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

27. PSICOMETRIA
CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Introdução ao estudo da Avaliação Psicológica. Compreensão histórica da


Avaliação Psicológica no Brasil e no Mundo. Principais métodos e procedimentos em
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Avaliação Psicológica. Diferenças entre Avaliação Psicológica e Testagem Psicológica.


Classificação dos instrumentos de Avaliação Psicológica: tipos (instrumentos
psicométricos x projetivos), finalidades, usos, vantagens e limitações. Psicometria e a
Teoria da Medida. Fundamentos científicos dos testes psicológicos: Validade,
Fidedignidade (Precisão) e Normatização. A importância da Padronização em Avaliação
Psicológica. Administração de instrumentos psicométricos. Perspectiva Crítica e Ética
para o uso dos testes psicológicos. A Psicometria e a interface com outros campos de
investigação. Avaliação Psicológica e a importância da adaptação de instrumentos
psicológicos considerando as questões culturais/étnico-raciais.

Bibliografia Básica:
AMBIEL, R. A. M. & cols. Avaliação Psicológica: guia de consulta para estudantes e
profissionais de Psicologia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011.
ANASTASI, A. & URBINA, S. Testagem Psicológica. 7ª Ed. Porto Alegre: Artmed,
2000.
URBINA, S. Fundamentos da Testagem Psicológica. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Bibliografia Complementar:
ALCHIERI, J. C. Avaliação Psicológica: conceito, métodos e instrumentos. São Paulo:
Casa do Psicólogo, 2003.
CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico – V, 5ª edição revisada e ampliada. Porto Alegre:
Artmed, 2000.
ERTHAL, T. C. Manual de Psicometria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.
HUTZ, C. S. (org.) Avanços e Polêmicas em Avaliação Psicológica. São Paulo: Casa
do Psicólogo, 2009.
PASQUALI, Luiz. Técnicas de Exame Psicológico. TEP: manual/ Luiz Pasquali (org.).
São Paulo: Casa do Psicólogo / Conselho Federal de Psicologia, 2001.

5º SEMESTRE

28. ESTÁGIO BÁSICO II


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Estágio em caráter observacional no qual se objetiva fornecer ao aluno a


compreensão das práticas e intervenções do psicólogo em seus diferentes contextos de
atuação. Reflexão acerca da prática deste profissional e da dimensão do mercado de
trabalho.

Bibliografia Básica:
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do
Psicólogo. Brasília: CFP, 2005.
FERREIRA-NETO, J.L. A Formação do Psicólogo: Clínica, Social e Mercado. Editora
Escuta. SP. 2004
ISMAEL, S.M (Org). A Prática Psicológica e sua interface com as doenças. 2ªEd.
Casa do Psicólogo. 2010.

Bibliografia Complementar:
CARVALHO, M, N; MIRANDA, R, V. Psicologia Jurídica. Juruá Editora. Curitiba.
2007.
FERNANDES, A; ROCHA, M, L; MARCONDES, A. Novos possíveis no encontro da
psicologia com a educação. Casa do Psicólogo. 2007.
ROMARO, A.R. Ética na Psicologia. 3ª Edição. Editora Vozes. RJ. 2010.
TEDESCO, S; NASCIMENTO, M, L (Orgs.). Ética e Subjetividade – Novos Impasses
no Contemporâneo. Editora Sulina. 2010.
YAMAMOTO, O; GOUVEIA, W (Orgs). Construindo a Psicologia Brasileira:
Desafios da Ciência e Prática Psicológica. . 2ªEd. Casa do Psicólogo. 2003.

29. MÉTODOS PROJETIVOS EM AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Avaliação Psicológica de personalidade: os métodos projetivos de


avaliação. A apropriação do conceito freudiano de projeção pelos métodos projetivos.
Métodos projetivos: testes projetivos gráficos, testes expressivos e técnicas de contar
histórias. Principais características, contribuições e importância dos métodos projetivos
para a avaliação psicológica. Entrevista psicológica em avaliação de personalidade.
Psicopatologia e técnicas projetivas. Questões éticas no uso dos métodos projetivos de
avaliação.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia básica:
CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico – V, 5ª edição revisada e ampliada. Porto Alegre:
Artmed, 2000.
OCAMPO, M. L. S. de; ARZENO, M. E. G.; PICCOLO, E. G. de (& cols.). O processo
de psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. 11. Ed. São Paulo: Ed. WMF Martins
Fontes, 2009.
PASQUALI, L. (& cols.). Instrumentação Psicológica: fundamentos e práticas. Porto
Alegre: Artmed, 2010.

Bibliografia complementar:
AMARAL, A. E. de V.; CASADO, L. P. A cientificidade das técnicas projetivas em
debate. Psico-USF, v. 11, n. 2, p. 185-193, 2006.
ANNING, A.; RING, K.. Os significados dos desenhos de crianças. 1. Ed. Porto Alegre:
Artmed, 2009.
FONSÊCA, A. L. B. da, MARIANO, M. do S. Desvendando o Mecanismo da Projeção.
Psicologia em foco, v. 1, n. 1, 2008.
HUTZ, C. S. (org.) Avanços e polêmicas em avaliação psicológica. São Paulo: Casa
do Psicólogo, 2009.
VAN KOLCK, O. L.. Testes Projetivos Gráficos no diagnóstico psicológico - vol. 5.
São Paulo: EPU, 1984.

30. PESQUISA QUALITATIVA EM PSICOLOGIA


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Elementos da pesquisa qualitativa e suas diversas modalidades de pesquisa.


Elementos básicos da pesquisa qualitativa: trabalho de campo, estratégias para produção
dos dados e os métodos de análise em pesquisa qualitativa. Aprofundamento acerca das
principais estratégias de pesquisa de campo: pesquisa bibliográfica, pesquisa
documental, história de vida, estudo de caso, pesquisa etnográfica, pesquisa-ação,
pesquisa com imagem e/ou vídeo e triangulação dos dados de pesquisa. Elaboração de
técnicas de produção dos dados: entrevistas, grupo focal, observação participante, entre
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

outras. Interpretação dos achados na pesquisa qualitativa: análise de discurso, análise de


conteúdo, hermenêutica, entre outros.

Bibliografia Básica:
BAUER, M.W.; GASKELL, G. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e
som: um manual prático. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.
FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed. 2009
MINAYO, M.C.S (Org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. (17ª Ed.).
Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

Bibliografia Complementar:
BOSI, M. L.M; MERCADO, F.J (org). Pesquisa qualitativa de serviços de saúde.
Petropolis. Vozes, 2007.
LUDKE, Menga, Marli E. D. A. André. Pesquisa em Educação: Abordagens
qualitativas. São Paulo : EPU, 1986.
MINAYO, M. C. S. (org.). Caminhos do Pensamento: epistemologia e método.
Coleção Criança Mulher e Saúde. Rio de Janeiro. Fiocruz. 2002.
MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed.
São Paulo: Hucitec, 2010.
REY, F.L.G. Pesquisa Qualitativa em Psicologia. São Paulo: Thompson, 2001.

31. PROCESSOS PSICOLÓGICOS II


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Abordagem teórico-conceitual e metodológica das funções psicológicas


superiores: memória, atenção, linguagem, pensamento, inteligência, afetividade e
aprendizagem: interações dialéticas entre as bases biológicas e socioculturais e as
influências no comportamento humano. Pesquisas atuais na área e suas relações com
outras ciências.

Bibliografia Básica:
ANDRADE, V. M., SANTOS, F. H. dos, BUENO, O. F. A. Neuropsicologia Hoje.
Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

VIGOTSKI, L. S. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos


psicológicos superiores. 7ª Ed. São Paulo, Martins Fontes, 2007.
VIGOTSKII, L.S.; LURIA, A.R.; LEONTIEV, A.N. Linguagem, Desenvolvimento e
Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2006.

Bibliografia Complementar:
BADDELEY, A.; ANDERSON, M. C.; EYSENCK, M. W. Memória. Porto Alegre:
Artmed, 2011.
GAZZANIGA, M. S.; HEATHERTON, T. F. Ciência Psicológica: mente, cérebro e
comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2005.
PINO, A. As marcas do humano: as origens da constituição cultural da criança na
perspectiva de Lev S. Vigotski. Cortez, 2005.
VIGOTSKI, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. Trad. Paulo Bezerra.
São Paulo: Martins Fontes, 2001. (Texto original de 1934).
VYGOTSKY, L. S. O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins
Fontes, 1998. (Texto original de 1932).

32. PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: O que é política. Conceito de Políticas Públicas. As Políticas Públicas no


Brasil face às transformações no cenário econômico e a garantia dos direitos sociais.
Exclusão social e suas consequências sobre o desenho de Políticas e Programas.
Participação e controle social. Caracterização das Políticas Públicas nos campos da
Saúde (SUS), Educação e Assistência Social (SUAS). Diversidade e a garantia dos
direitos sociais. Ética e compromisso social. A Psicologia e a construção de marcos
legais. A atuação do psicólogo frente aos marcos legais e as Políticas Públicas.

Bibliografia Básica:
GUARESCHI, N e CRUZ, L. R. (orgs.). O Psicólogo e as Políticas Públicas de
Assistência Social. Petrópolis, Vozes, 2012.
HOFLING, Eloisa de Mattos. Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Caderno Cedes,
Campinas – SP, vol. XXI, nº 55, 2001.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

MAYORCA, Cláudia; PRADO, Marco Aurélio Máximo (orgs.). Psicologia Social:


articulando saberes e fazeres. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

Bibliografia Complementar:
GUARESCHI, N e CRUZ, L. R. (orgs.). Políticas Públicas e Assistência Social – 4ª
ed. Petrópolis, Vozes, 2012.
IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Políticas Sociais: acompanhamento
e análise. Brasília: 2007.
MAAR, Leo Wolfgang. O que é Política. São Paulo: Brasiliense: 2004
MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. São Paulo: Editora Três, 1974.
ZIZEK, Slavov. Os Direitos Humanos e o Nosso Descontentamento. Mangualde,
Portugal: Editora Pedagogo, 2008.

33. PSICOLOGIA EXPERIMENTAL


CARGA HORÁRIA: 75 H. CRÉDITOS: 05

EMENTA: Psicologia e método científico: perspectiva da ciência moderna e da ciência


pós-moderna. Psicologias e método experimental: a psicologia social norte-americana, a
psicologia cognitiva e a análise experimental do comportamento. A Análise
Experimental do Comportamento: contribuições de Thorndike, Pavlov, Watson e
Skinner ao estudo do comportamento. O método experimental de sujeito único.
Questões éticas na pesquisa em Análise do Comportamento. Condicionamento
Respondente. Condicionamento Operante: a aprendizagem pelas consequências.
Reforçamento Positivo. Controle Aversivo. Extinção Operante. Modelagem. Definição
e classificações de reforçadores. Controle de estímulos: discriminação e generalização
de estímulos. Esquemas de reforçamento simples e combinação de esquemas.

Bibliografia Básica:
ELMES, D. G. K., ROEDIGER, B. H., HENRY, L. Psicologia Experimental –
Psicologia para compreender a pesquisa em Psicologia. São Paulo: Cencage Learning,
2006.
MATOS, M.A.; TAMARINI, G.Y.A. Análise do Comportamento no Laboratório
Didático. São Paulo: Manole, 2002.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

MOREIRA, M. B. & MEDEIROS, C. A. de. Princípios Básicos de Análise do


Comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Bibliografia Complementar:
ABREU-RODRIGUES, J. & RIBEIRO, M.R. (Org.). Análise do comportamento:
pesquisa, teoria e aplicação. Porto Alegre: Artmed, 2005.
CATANIA, C. Aprendizagem: comportamento, linguagem e cognição. Porto Alegre:
Artmed, 1999.
MILLENSON, J. R. Principles of Behavior Analysis. Macmillan, 1967.
SÉRIO, T. M. A. P.; ANDERY, M. A.; GIOIA, P. S.; MICHELETTO, N. (Org.).
Controle de estímulos e comportamento operante: uma introdução. São Paulo:
EDUC, 2002.
SKINNER, B.F. Ciência e comportamento humano. Brasília: Editora Martins, 2003.

34. PSICOPATOLOGIA GERAL


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Aspectos conceituais, históricos e epistemológicos da psicopatologia, do


normal e do patológico. Evolução e desdobramentos de tais conceituações. Etiologia
dos Transtornos Mentais das principais correntes psicopatológicas. Diagnóstico
psiquiátrico, seus quadros clínicos e as implicações para a psicologia. A psicologia e as
suas perspectivas psicopatológicas.

Bibliografia Básica:
BARLOW, D. H. & DURAND, V. M. Psicopatologia: uma abordagem integrada. Trad.
da 4a edição. São Paulo: Cengage Learning, 2008.
CANGUILHEM, G. O Normal e o Patológico. 7ª Ed. Forense Universitária. 2011.
DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2ª
Edição. Porto Alegre, Artmed. 2008.

Bibliografia Complementar:
ARAUJO, J. R; MEDEIROS. C. A. Classificação diagnóstica: o que a análise do
comportamento tem a dizer? In H. M. Sadi & N. M. S. Castro. (Eds.), Ciência do
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

comportamento. Conhecer e avançar: Vol.3 (pp. 185-194). Santo André, SP:


ESETec, 2003.
FOUCAULT, M. Os Anormais – Curso no Collège de France (1974-1975). SP.
Martins Fontes. 2013.
JASPERS, Karl Psicopatologia geral. Psicologia compreensiva, explicativa e
fenomenologia. Trad.do alemão por Samuel Penna Reis. Rio de Janeiro: Livraria
Atheneu (dois volumes). [1913] (1985).
JERUSALINSKY, Alfredo e FENDRIK, Silvia (Orgs). O livro negro da
psicopatologia contemporânea. São Paulo, Via Lettera, 2011.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Classificação Estatística Internacional
de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – CID-10. Porto Alegre ARTMED,
1998.

6º SEMESTRE

35. ANÁLISE INSTITUCIONAL


CARGA – HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Contextualização histórica do Movimento Institucionalista. Perspectivas de


análise institucional. Conceitos de instituição, grupos e indivíduo. Ideologia e cultura
nas instituições. Dimensão institucional dos grupos. Métodos de pesquisa e intervenção
institucional.

Bibliografia Básica:
BAREMBLITT, Gregório. Compêndio de Análise Institucional e outras correntes:
teoria e prática. 5ª ed. Belo Horizonte, MG, Instituto Félix Guattari, 2002.
RODRIGUES, H. de B. C.; LEITÃO, M. B.; BARROS, R. D. B. (Orgs.) Grupos e
instituições em análise. 2ªed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2000.
LOURAU, René. A análise institucional. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

Bibliografia Complementar:
BASAGLIA, Franco. A instituição negada: relato de um hospital psiquiátrico. 2. ed.
Rio de Janeiro: Graal, 1991.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

ENRIQUEZ, E; LEVY, A.; NICOLAI, A.; DUBOST, J. Psicossociologia: análise


social e intervenção. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.
KAMKHAGI, Vida Rachel e SAIDÓN, Oswaldo (Orgs.) Análise Institucional no
Brasil: favela, hospício escola, Funabem. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1987.
LAPASSADE, Georges. Grupos, organizações e instituições. 3. ed. Rio de Janeiro: F.
Alves, 1989.
RODRIGUES, H.de B. C. Análise Institucional Francesa e Transformação Social: o
tempo (e contratempo) das intervenções. In: Heliana de Barros Conde Rodrigues e
Sônia Altoé (Orgs.) Saúdeloucura No. 8. Análise Institucional. São Paulo: Hucitec,
2004:115-164.

36. PSICOFARMACOLOGIA
CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Histórico da Farmacologia e da Psicofarmacologia. Princípios de


neurotransmissão. Teorias biológicas sobre as doenças mentais. Farmacodinâmica e
farmacocinética. Classificação dos psicofármacos: antipsicóticos, antidepressivos,
estabilizantes de humor, ansiolíticos, anticonvulsivantes, antoparkinsonianos,
estimulantes, drogas empregadas nos distúrbios de memória. Modos de ação dos
psicofármacos. Efeitos comportamentais dos principais psicofármacos.
Psicofarmacologia e psicoterapias. Uso não médico de drogas psicotrópicas e
dependência química: álcool e outras drogas. Medicalização e Psicologia: perspectiva
crítica.

Bibliografia Básica:
BRUNTON, L. L.; CHABNER, B. A.; KNOLLMANN, B. C. (orgs.) As bases
farmacológicas da terapêutica de Goodman & Gilman. 12. Ed. Porto Alegre:
McGraw Hill-ArtMed, 2012.
SENA, E. P. de.; MIRANDA-SCIPPA, Â. M. A., QUARANTINI, L. de C.;
OLIVEIRA, I. R. de. (orgs.). Irismar: Psicofarmacologia Clínica. 3. ed. Rio de Janeiro:
Medbook, 2011.
STAHL, S. M. Psicofarmacologia – Bases Neurocientíficas e Aplicações Práticas. 4.
Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Complementar:
KANDEL, E. R.; SCHWARTZ, J. H.; JESSELL, T. M. (Eds.). Fundamentos da
Neurociência e do Comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
KAPCZINSKI, F.; QUEVEDO, J.; IZQUIERDO, I. Bases Biológicas Dos Transtornos
Psiquiátricos. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.
KOLB, B. & WHISHAW, I. Q. Neurociência do Comportamento. São Paulo:
Manole. 2002.
SCHATZBERG, A. F.; COLE, J. O.; DEBATTISTA, C. Manual de
Psicofarmacologia Clínica. 6. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.
TENG, C-T.; DEMETRIO, F. N. Psicofarmacologia Aplicada: manejo prático dos
transtornos mentais. 2. Ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2012.

37. PSICOLOGIA, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Histórico das relações entre Educação e Sociedade. Inserção histórica da


Psicologia no contexto educacional. Políticas públicas e educação. Teorias da
aprendizagem e suas contribuições teórico-metodológicas para a atuação do profissional
psicólogo em contextos escolares/educacional. Correntes psicológicas e suas
contribuições para a compreensão dos fenômenos educacionais.

Bibliografia Básica:
CARRARA, K. Introdução à Psicologia da Educação: seis abordagens. São Paulo:
Avercamp, 2004.
COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Orgs.) Desenvolvimento Psicológico e
Educação: Psicologia da Educação Escolar. V. 2. Porto Alegre: Artmed, 2004.
MARCONDES, A.; FERNANDES, A.; ROCHA, M. (Orgs.) Novos possíveis no
encontro da Psicologia com a Educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

Bibliografia Complementar:
MALUF, M. R. Psicologia Educacional: questões contemporâneas. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2004.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

SILVA, Tomás Tadeu da (org.). O sujeito da Educação: estudos foucaultianos.


Petrópolis: Vozes, 2002.
LARROSA, J.; SKLIAR, C. (Orgs.) Habitantes de Babel: políticas e poéticas da
diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.
PATTO, Maria Helena de Souza. A Produção do Fracasso Escolar – 3ª ed. São Paulo:
Casa do Psicólogo, 2008.
TANAMACHI, E. de R. et al. Psicologia e Educação: desafios teóricos e práticos. São
Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

38. PSICOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Aspectos relacionados ao conceito de Saúde e de Doença. Epidemiologia e


Saúde. O campo da saúde coletiva: o Sistema Único de Saúde (SUS), sua constituição,
marcos e princípios reguladores. Gestão e Atenção em Saúde e articulação com a prática
do psicólogo (Promoção da Saúde, Prevenção em Saúde, Atenção Primária, Secundária
e Terciária em Saúde). A prática do psicólogo e o campo da saúde. A dimensão
multiprofissional em saúde. Principais campos de atuação do psicólogo na saúde: Saúde
do Trabalhador, Saúde Mental, Estratégia de Saúde da Família, entre outros.

Bibliografia Básica:
CAMPOS et al (orgs.). Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de
Janeiro: Editora Fiocruz, 2006.
FERREIRA NETO, J. L. Psicologia, Políticas públicas e o SUS. São Paulo: Editora
Escuta, 2011.
SPINK, M.J.P. (orgs.). A Psicologia em diálogo com o SUS: prática profissional e
produção acadêmica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

Bibliografia Complementar:
ALMEIDA FILHO, N. O que é saúde? Editora Fiocruz. RJ. 2011.
DIMENSTEIN, M. A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista.
Estudos de Psicologia, 5(1): 95-121, 2000.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

DIMENSTEIN, M. O psicólogo e o compromisso social no contexto da saúde coletiva.


Psicologia em Estudo, Maringá, 6( 2):57-63, jul./dez. 2001
FERREIRA-NETO, J.L. A Formação do Psicólogo: clínica, social e mercado. São
Paulo: Editora Escuta, 2004
PAIM, J, S. O que é SUS? Editora Fiocruz. RJ. 2009.

39. PSICOLOGIA HOSPITALAR


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: História da Psicologia Hospitalar no Brasil e no mundo. Características do


contexto hospitalar. O adoecimento e suas relações com a subjetividade. Doenças
crônicas e doenças agudas e seus possíveis impactos nas relações sociais, familiares e
laborais. Intervenções psicológicas junto a pacientes terminais. O paciente no contexto
ambulatorial. O paciente no contexto da enfermaria. O papel do psicólogo junto aos
familiares e cuidadores dos pacientes. O papel do psicólogo junto à equipe
interdisciplinar de saúde. O psicólogo e as interconsultas. Ética e atuação do psicólogo
no contexto hospitalar.

Bibliografia Básica:
ANGERAMI-CAMON, V. A. (org). O doente, a Psicologia e o Hospital. 3. Ed. São
Paulo: Pioneira, 2009.
ANGERAMI-CAMON, V. A. (org). Psicologia Hospitalar: teoria e prática. 1. Ed. São
Paulo: Cencage Learning, 2010.
SIMONETTI, A.. Manual de Psicologia Hospitalar. 6. Ed. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2011.

Bibliografia Complementar:
ANGERAMI-CAMON, V. A. (org). E a psicologia entrou no hospital... São Paulo:
Ed. Pioneira Thompson Learning, 2001.
ANGERAMI-CAMON, V. A. (org). Urgências Psicológicas no Hospital. São Paulo:
Ed. Thomson Pioneira, 2002.
ANGERAMI-CAMON, V. A. (org). Psicologia da Saúde: um novo significado para a
prática clínica. São Paulo, Cencage Learning, 2011.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

KÜBLER ROSS, E. Sobre a morte e o morrer. 9. Ed. São Paulo: Martins Fontes,
2008.
STRAUB, R. O. Psicologia da Saúde: uma Abordagem Biopsicossocial. 3. ed.. Porto
Alegre: Artmed, 2014.

40. PSICOLOGIA SOCIAL DO TRABALHO


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: A categoria trabalho. Significados e sentidos do trabalho. Transformações


no mundo do trabalho: Revolução Industrial e reestruturação produtiva. Implicações da
categoria trabalho na estruturação social e na constituição subjetiva. Surgimento da
Psicologia do Trabalho e das Organizações. Abordagens organizacionais
(Administração Científica, Teoria Clássica, Escola das Relações Humanas, Burocracia e
Teoria Contingencial) e seu impacto na compreensão das diferentes formas de inserção
laboral.

Bibliografia Básica:
ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho: Ensaio sobre a afirmação e a negação do
trabalho. São Paulo: Bontempo Editorial. 2002.
CLOT, Y. A Função Psicológica do Trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.
ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J.; BASTOS, A. V. B.. (orgs.). Psicologia,
Organizações e Trabalho no Brasil. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

Bibliografia Complementar:
ALBORNOZ, S. O que é Trabalho. 6ª Ed. São Paulo: Brasiliense. 1995
CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas. 4ª Ed. Manole. 2014.
DEJOURS, C. A Loucura do Trabalho. 5. Ed. São Paulo, Cortez, 2003.
ROBBINS, S. P.. Comportamento Organizacional. 11. ed. Rio de Janeiro: Prentice
Hall Brasil, 2005.
GOULART, I. B. & J.R. SAMPAIO. (orgs). Psicologia do Trabalho e Gestão de
Recursos Humanos: estudos contemporâneos. São Paulo: Casa do Psicólogo. 1998.

41. PSICOPATOLOGIA INFANTIL


INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Aspectos conceituais, históricos e epistemológicos da psicopatologia


infanto-juvenil. Etiologia dos Transtornos Mentais infantis das principais correntes
psicopatológicas. Conhecimentos das principais intervenções em psicopatologia
infanto-juvenil da psicologia e da psiquiatria. Quadro clínicos infanto-juvenis.

Bibliografia Básica:
BARLOW, D. H. & DURAND, V. M. Psicopatologia: uma abordagem integrada.
Trad. da 4a edição. São Paulo: Cengage Learning, 2008.
DUMAS, J. E. Psicopatologia da Infância e da Adolescência. 3ª Ed. Porto Alegre.
Artmed. 2011.
MARCELLI, D; COHEN, D. Infância e Psicopatologia. 8ª Ed. Porto Alegre. Artmed.
2010.

Bibliografia Complementar:
CIRINO, Oscar. Psicanálise e Psiquiatria com crianças: desenvolvimento ou
estrutura. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.
FOUCAULT, Michel. Problematização do sujeito: Psicologia, Psiquiatria e
Psicanálise. 2ª Ed., Rio de Janeiro: Forense universitária, 2002.
JERUSALINSKY, Alfredo e FENDRIK, Silvia (Orgs). O Livro Negro da
Psicopatologia Contemporânea. São Paulo, Via Lettera, 2011.
OAKLANDER, V. Descobrindo Crianças – a abordagem gestáltica com crianças e
adolescentes. Summus, 1980.
PETERSEN, C. WAINER, R. Terapia Cognitivo-Comportamentais para Crianças e
Adolescentes. Artmed, 2011.

7º SEMESTRE

42. AVALIAÇÃO COGNITIVA


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Avaliação cognitiva e sua relevância em Avaliação Psicológica. Os


diferentes métodos de avaliação cognitiva: instrumentos padronizados vs métodos
clínicos. Diferenças entre os métodos clínicos na avaliação cognitiva e os instrumentos
padronizados (psicométricos). O método clínico piagetiano na avaliação da inteligência:
histórico e bases teóricas. Abordagem piagetiana acerca da inteligência e sua
investigação clínica. Abordagem histórico-cultural na investigação da inteligência.
Instrumentos psicométricos relevantes na avaliação cognitiva: WISC, WAIS,
NEUPSILIN, etc.

Bibliografia Básica:
CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico – V, 5ª edição revisada e ampliada. Porto Alegre:
Artmed, 2000.
DELVAL, J. Introdução à prática do método clínico: descobrindo o pensamento das
crianças. Porto Alegre: Artmed, 2004.
FACCI, M. et al. Psicologia Histórico-Cultural e Avaliação Psicológica: o processo
ensino aprendizagem em questão. Revista da ABRAPEE, v.11, n. 2, p. 323-338,
jul./dez. 2007.

Bibliografia Complementar:
CARRAHER, T. O Método Clínico: usando os exames de Jean Piaget. São Paulo:
Cortez, 1989.
FACCI, M.; EIDT, N.; TULESKI, S. Contribuições da Teoria Histórico-Cultural para o
Processo de Avaliação Psicoeducacional. Psicologia USP, v.17, n.1, p.99-124, 2007.
PIAGET, J. Nascimento da Inteligência na Criança. 4. Ed. Rio de Janeiro,
Guanabara, 1987.
PIAGET, J. Seis Estudos de Psicologia. 25. Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária,
2012.
VIGOTSKI, L. S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. São Paulo: Martins
Fontes, 2001.

43. ESTÁGIO BÁSICO III


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Estágio em caráter observacional no qual se objetiva fornecer ao aluno a


compreensão das práticas e intervenções do psicólogo em seus diferentes contextos de
atuação. Reflexão acerca da prática deste profissional e da dimensão do mercado de
trabalho.

Bibliografia Básica:
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do
Psicólogo. Brasília: CFP, 2005.
FERREIRA-NETO, J.L. A Formação do Psicólogo: Clínica, Social e Mercado. Editora
Escuta. SP. 2004
ISMAEL, S.M (Org). A Prática Psicológica e sua interface com as doenças. 2ªEd.
Casa do Psicólogo. 2010.

Bibliografia Complementar:
ROMARO, A.R. Ética na Psicologia. 3ª Edição. Editora Vozes. RJ. 2010.
SPINK, M. J. P. Psicologia Social e saúde: práticas, saberes e sentidos. Editora
Petropolis, Vozes. 2010.
TEDESCO, S; NASCIMENTO, M, L (Orgs.). Ética e Subjetividade – Novos Impasses
no Contemporâneo. Editora Sulina. 2010.
YAMAMOTO, O; GOUVEIA, W (Orgs). Construindo a Psicologia Brasileira:
Desafios da Ciência e Prática Psicológica. . 2ªEd. Casa do Psicólogo. 2003.
ZANELLI, J, C. BORGES-ANDRADE, J, E. BASTOS, B, A, V. Psicologia,
Organizações e Trabalho no Brasil. 2ª Ed. Artmed. 2014.

44. MÉTODOS E TÉCNICAS DE INTERVENÇÃO


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04

EMENTA: Modelos de intervenção. Delimitação do contexto e do fenômeno a ser


observado. Fases de um projeto de intervenção: planejamento, execução e avaliação.
Relações de poder entre o profissional e o indivíduo/grupo/coletivo nas fases de uma
intervenção na clínica psicológica, na atuação em políticas públicas e nos mais diversos
campos de atuação do psicólogo. Discussão sobre a formação do psicólogo.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Básica:
BARÓ, Martin. O Papel do Psicólogo. Estudos de Psicologia, vol. 2, nº 1, 1996 (pp. 7-
27).
CAMPOS, L.F.L. Métodos e Técnicas de Pesquisa em Psicologia. 3 ed. Campinas:
Editora Átomo & Alínea, 2004.
FARACO, C. B. & JAEGER, M. A (2014). A Ética na Intervenção psicossocial. In:
SARRIERA, J. C & SAFORCADA, E.T. Introdução à Psicologia Comunitária: bases
teóricas e metodológicas. Porto Alegre: Sulina, 2014.

Bibliografia Complementar:
BRANCO, M. T. C. Que Profissional Queremos Formar? Psicologia: Ciência e
Profissão, Brasília, vol. 18, n.3, p. 28-35, 1998.
FERREIRA NETO, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.
GUARESCHI, N. e HÜNING, S. M. O Efeito Foucault: desacomodar a Psicologia In.:
GUARESCHI, N. & HÜNING, S. M. Foucault e a Psicologia. Porto Alegre, Abrapso
Sul, 2005.
YAMAMOTO, O. H. (1996). Neoliberalismo e políticas sociais: o impacto na
psicologia brasileira. Psicologia Revista, São Paulo, vol. 2, p. 13-26.
MENDES, E.V. (1996). Um novo paradigma sanitário: a produção social da saúde. In:
Uma agenda para a saúde. São Paulo: Hucitec, 1996.

45. PROJETO DE PESQUISA


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04

EMENTA: Investigação acerca dos elementos da pesquisa qualitativa, da pesquisa


quantitativa e suas diversas modalidades de pesquisa. Modalidades de trabalhos
acadêmicos: Artigo Cientifico, Projeto de Pesquisa, Monografia, Relatório, entre outros.
Estratégias de pesquisa qualitativa e quantitativa. Elaboração de técnicas de
produção/coleta dos dados. Delimitação e escolha do tema para o projeto de pesquisa.
Desenvolvimento de estudos relacionados ao tema de pesquisa (pesquisa bibliográfica),
organização de fichamentos, resumos, relatórios e análises de dados.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Básica:
MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica.
São Paulo: Editora Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed.
Petrópolis: Vozes, 2009.
SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Acadêmico. 22ª Ed. São Paulo: Editora
Cortez, 2002.

Bibliografia Complementar:
BAUER, W. M.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um
manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.
DINIZ, D. Carta de uma orientadora: o primeiro projeto de pesquisa. Ed. Letras
Livres. 2012.
FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2009.
GIL, A. C.. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. de; SOUZA, E. R. de. Avaliação por Triangulação
de Métodos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

46. PSICOLOGIA ESCOLAR/ EDUCACIONAL I


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04

EMENTA: Escola e demais contextos educacionais como instituições engendradas e


atravessadas na e pela ideologia da sociedade capitalista. Crítica às teorias tradicionais
sobre o fracasso escolar. Psicologia escolar e as contingências sociais, políticas e
econômicas que estruturam a sociedade. Teorias da aprendizagem e suas contribuições
teórico-metodológicas para a atuação do profissional psicólogo em contextos
escolares/educacional.

Bibliografia Básica:
BARBOSA, R.M.; MARINHO-ARAÚJO, C.M. Psicologia escolar no Brasil:
considerações e reflexões históricas. Estudos de Psicologia Campinas, Volume 27,
Número 3, 2010. p.393- 402.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

MARCONDES, A.; FERNANDES, A.; ROCHA, M. (Orgs.) Novos possíveis no


encontro da Psicologia com a Educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.
PATTO, M. H. S. A Produção do Fracasso Escolar – 3ª ed. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2008.

Bibliografia Complementar:
CARRARA, K. Introdução à Psicologia da Educação: seis abordagens. São Paulo:
Avercamp, 2004.
GOULART, I. B. Psicologia da Educação: fundamentos teóricos, aplicações à prática
pedagógica. 15. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
MALUF, M. R. Psicologia Educacional: questões contemporâneas. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2004.
COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Orgs.) Desenvolvimento Psicológico e
Educação: Psicologia da Educação Escolar. V. 2. Porto Alegre: Artmed, 2004.
TANAMACHI, E. de R. et al. Psicologia e Educação: desafios teóricos e práticos. São
Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

47. PSICOLOGIA, GRUPOS E FAMÍLIA


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Elementos da Família, da cultura e da sociedade. Estruturação da família no


Brasil. Bases conceituais da terapia familiar Sistêmica. Organização do grupo familiar e
novas configurações familiares. Ciclo vital da família. Principais abordagens em terapia
familiar. Teorias de grupo e dinâmicas grupais. Processos de facilitação de grupos no
contexto das organizações sociais e clínica.

Bibliografia Básica:
ANDALÓ, C. Mediação grupal: uma leitura histórico-cultural. São Paulo: Ágora
Editora. 2006.
OSÓRIO, L. C. Como Trabalhar como Sistemas Humanos: Grupos, Casais e
Famílias, Empresas. Porto Alegre: Artmed, 2013.
OSÓRIO, L. C., et. al. Manual de Terapia Familiar. Porto Alegre: Artmed, 2009.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Complementar:
ARIES, P. História Social da Criança e da Família. Tradução de Dora Flaksman – 2ª
ed. – Rio de Janeiro: LTC, 2006.
BARROS, R. B. Grupo: a afirmação de um simulacro. 3. Ed. Porto Alegre: Editora
Sulina, 2013.
CARTER, B., et al. As Mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a
terapia familiar. Tradução de Maria Adriana Veríssimo Veronese – 2ª ed. – Porto
Alegre: ARTMED, 2001.
NICHOLS, M. P., et. al. Terapia Familiar: conceitos e métodos. Tradução Maria
Adriana Veríssimo Veronese – 7ª ed. – Porto Alegre: Artmed, 2007.
VASCONCELLOS, M. J. E. Pensamento sistêmico: o novo paradigma da ciência. 2ª
ed. – Campinas: Papirus, 2003.

48. PSICOLOGIA SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04

EMENTA: O conceito de organização. A Psicologia como campo de saberes e práticas


nas organizações. Cultura e clima organizacional. Principais subsistemas
organizacionais e possibilidades de atuação do psicólogo nos níveis estratégico, tático e
operacional: Recursos Humanos, Desenvolvimento Humano, Segurança do Trabalho,
Qualidade de Vida no Trabalho etc. Comportamento Organizacional. Práticas
recorrentes em Psicologia Organizacional em uma perspectiva crítica: recrutamento e
seleção (atração e retenção de pessoas), treinamento e desenvolvimento e avaliação de
desempenho.
Bibliografia Básica:
CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas. 4ª Ed. Manole. 2014.
ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. 11. ed. Rio de Janeiro: Prentice
Hall Brasil, 2005.
ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J.; BASTOS, A. V. B.. (orgs.). Psicologia,
Organizações e Trabalho no Brasil. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

Bibliografia Complementar:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

BORGES-ANDRADE, J. E.; ABBAD, G. D. S.; MOURÃO, L. Treinamento,


Desenvolvimento e Educação em Organizações e Trabalho: fundamentos para a
gestão de pessoas. Porto Alegre: Artmed, 2006.
GOULART, I. B. Psicologia Organizacional e do Trabalho – Teoria, Pesquisa e
Temas Correlatos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011.
ROTHMANN, I.; COOPER, C. Fundamentos de Psicologia Organizacional e do
Trabalho. 1. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
SIQUEIRA, M. M. M. (org.) Novas Medidas do Comportamento Organizacional:
ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2014.
TAMAYO, A.; PORTO, J. B. Valores e Comportamento nas Organizações. Rio de
Janeiro: Vozes, 2005.

ÊNFASE NA CLÍNICA PSICOLÓGICA

8º SEMESTRE

49. ESTÁGIO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL I


CARGA HORÁRIA: 180 h. CRÉDITOS: 12.

EMENTA: Conhecimento e familiarização com as principais práticas realizadas no


Serviço de Psicologia Aplicada. Reflexões sobre o processo psicoterápico e a relação
terapeuta/ analista vs cliente/ analisando.

Bibliografia Básica:
AGUIRRE, A. M. B., Herzberg, E., Pinto, E. B., Becker, E., Carmo, H. M. S. &
Santiago, M. D. E. A Formação da atitude clínica no estagiário de Psicologia.
Psicologia USP, 11 (1), 49-62. 2000.
BRANCO, M. T. C. Que Profissional Queremos Formar? Psicologia: Ciência e
Profissão, 18 (3), 28-35. 1998.
FERREIRA, Neto, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.

Bibliografia Complementar:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

ANZOLIN, C. & Silveira, A. Falando de Psicologia: entrevista com Guilherme Valle.


Psicologia Argumento, 21 (33), abril-junho, 11-15. 2003.
CARVALHO, A. M. A. & Kavano, E. A. Justificativas de opção por área de trabalho e
Psicologia: Uma análise da imagem da profissão em psicólogos recém-formados.
Psicologia, 8 (3), 1-18. 10882.
CAMPOS, L. F. L., Largura, W. A. N. & Jankovic, A. L. Efeito da graduação em
Psicologia nas escolhas profissionais de seus estudantes. Psico, 30 (2), 29-44. 1999.
DIMENSTEIN, M. A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista:
implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de
Psicologia, 5 (1), 95-125, 2000.
FALEIROS, E. A. Aprendendo a ser psicoterapeuta. Psicologia: Ciência e Profissão,
24 (1), 14-27, 2004.

50. PSICOLOGIA E INCLUSÃO


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Psicologia no contexto do atendimento às pessoas com deficiências:


exclusão versus inclusão social, cultural, familiar e política. Histórico da exclusão social
de pessoas com necessidades especiais. Identidade e estigmas. Psicologia Histórico-
cultural: Defectologia e Educação Inclusiva. Políticas públicas voltadas para a inclusão
social (laboral e educacional) das pessoas com deficiências. Dinâmica familiar e a
inclusão social de pessoas com deficiências. Conceituação e caracterização das
deficiências: física, visual, auditiva, intelectual, múltipla, condutas típicas, transtornos
globais do desenvolvimento (TGD) e superdotação/altas habilidades.

Bibliografia Básica:
ANACHE, A. A.; MARTÍNEZ, A. M. O psicólogo nas Redes de Serviços de Educação
Especial: desafios em face da inclusão. Albertina Martinez (Org). Psicologia Escolar e
Compromisso Social, p. 115-123, 2005.
COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Orgs.). Desenvolvimento psicológico e
educação: Transtornos de Desenvolvimento e Necessidades Educativas Especiais. V. 3.
Porto Alegre: Artmed, 2004.
MITTLER, P. Educação Inclusiva: contextos sociais. Porto Alegre: Artmed, 2003.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Complementar:
BATISTA, C.R. Inclusão e escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre:
Mediação, 2006.
FIGUEIREDO, R.V. (Org.). Escola, diferença e inclusão. Fortaleza: Edições UFC,
2010.
MAGALHÃES, R. de C. B. P. M. (Org.) Reflexões sobre a diferença: uma introdução
à educação especial. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.
SAWAIA, B. Introdução: Exclusão ou inclusão perversa? In: Bader Sawaia (Org.). As
artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social.
Petrópolis: Vozes, 3ª. Ed., 2001. P. 16-26.
VEIGA-NETO, Alfredo. Incluir para excluir. In: LARROSA, J.; SKLIAR, C. (Orgs.).
Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001,
p.105-118.

51. PSICOLOGIA E SAÚDE DO TRABALHADOR


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Perspectivas teóricas no estudo da saúde do trabalhador: teorias sobre o


estresse, psicodinâmica do trabalho, clínica da atividade, abordagem epidemiológica e
abordagem materialista dialética. Psicologia, ergonomia e saúde do trabalhador.
Psicologia e Políticas de Saúde do Trabalhador. O papel do psicólogo nas Políticas de
Saúde do Trabalhador. O CEREST e a prática do psicólogo. As relações entre trabalho e
saúde. Saúde mental e trabalho.

Bibliografia Básica:
CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS
PÚBLICAS (CREPOP). Saúde do Trabalhador no âmbito da Saúde Pública:
referências para a atuação do(a) psicólogo(a). Brasília: CFP, 2008.
CLOT, Y. A Função Psicológica do Trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.
DEJOURS, C. A Loucura do Trabalho. 5. Ed. São Paulo, Cortez, 2003.

Bibliografia Complementar:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

BORGES, L. O. Os Profissionais de Saúde e seu Trabalho. São Paulo: Casa do


Psicólogo, 2005.
GLINA, D.M.R. & ROCHA, L.E. (org.) Saúde Mental no Trabalho: da teoria à
prática. São Paulo: Rocca, 2010.
GUERIN, F.; LAVILLE, A.; DANIELLOU, F.; DURAFFOURG, J.; KERGUELEN, A.
Compreender o Trabalho para Transformá-lo: a prática da ergonomia. São Paulo:
Edgard Blucher, 2001.
LIMONGI FRANÇA, A.C.; RODRIGUES, A.L. Stress e Trabalho: uma abordagem
psicossomática. São Paulo: Atlas, 2005.
MENDES, A. M.; BORGES, L. O. Trabalho em Transição, Saúde em Risco.
Brasília: Ed. UnB, 2004.

52. PSICOTERAPIA DE CURTA DURAÇÃO


CARGA – HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: A modalidade de psicoterapia de curta duração ou psicoterapia breve nas


diversas abordagens da psicologia (Análise do Comportamento, Psicanálise e
Humanismo). Intervenções e técnicas no processo de psicoterapia de curta duração. A
entrevista inicial, o diagnóstico em psicoterapia de curta duração, o término do processo
psicoterápico. Atendimento em situações de crise e de emergência. Possibilidades da
psicoterapia de curta duração em instituições públicas (hospitais, serviços de saúde,
etc.).

Bibliografia Básica:
BRAIER, E. A. Psicoterapia Breve e Orientação Psicanalítica. 3ª Ed. SP. Martins
Fontes. 1997.
BRITO, E. Psicoterapia de curta duração na abordagem gestáltica: elementos para
prática clínica. Editora Summus, 2009.
HEGENBERG, M. Psicoterapia Breve. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

Bibliografia Complementar:
RIBEIRO, P. J. Gestalt Terapia de Curta Duração. Editora Summus, 1999.
KNOBEl, M. Psicoterapia Breve. São Paulo: EPU. 1986.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

FIORINI, H.J. Teoria e Técnicas de Psicoterapias. São Paulo: Martins Fontes. 2004.
GILLIÉRON, E. As Psicoterapias Breves. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 1986.
MAHFOUD, M. Plantão Psicológico: novos horizontes. São Paulo: Companhia
Ilimitada.1999.

53. OPTATIVA I – LIBRAS


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Aspectos sociohistóricos da inclusão de pessoas com deficiência auditiva.


Educação de pessoas surdas no Brasil. Estrutura linguística e gramatical da Língua
Brasileira de Sinais. Classificadores de Libras. Técnicas de tradução da
LIBRAS/Português e de Português/LIBRAS. Especificidades da produção textual
escrita de pessoas surdas. Aspectos interrelacionais entre ouvintes e pessoas surdas. O
intérprete e a interpretação de LIBRAS como fatores de inclusão social e acesso
educacional para pessoas/alunos com deficiência auditiva.

Bibliografia Básica
FELIPE, T. A. Libras em Contexto: Curso Básico: Livro do Estudante. 9a. ed. Rio de
Janeiro: WalPrint: Feneis, 2009.
GÓES, M. C. R. de. Linguagem, Surdez e Educação. 3a. ed. Campinas: Autores
Associados, 2002.
KARNOPP, L. B.; QUADROS, R. M. Língua de Sinais Brasileira: estudos
linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Bibliografia Complementar:
ALMEIDA, E. O. C. Leitura e Surdez: um estudo com adultos não oralizados. Rio de
Janeiro: Revinter, 2000.
GESSER, A. Libras: Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de
sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.
MAZZOTTA, M. J. S. Educação Especial no brasil: histórias e políticas públicas. 5.
ed. São Paulo: Cortez, 2005.
SACKS, O. Vendo Vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. São Paulo: Companhia
das Letras; Companhia de bolso, 2010.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

SKLIAR, C. (Org.). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Porto Alegre:


Mediação, 2005.

9º SEMESTRE

54. ESTÁGIO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL II


CARGA HORÁRIA: 180 h. CRÉDITOS: 12.

EMENTA: Práticas supervisionadas de planejamento e intervenção em processos


clínicos segundo diferentes orientações teóricas e metodológicas em psicologia e/ ou
áreas afins. Reflexões sobre o processo psicoterápico e a relação terapeuta/ analista vs
cliente/ analisando.

Bibliografia Básica:
AGUIRRE, A. M. B., Herzberg, E., Pinto, E. B., Becker, E., Carmo, H. M. S. &
Santiago,M. D. E. A Formação da atitude clínica no estagiário de Psicologia. Psicologia
USP, 11 (1), 49-62. 2000.
BRANCO, M. T. C. Que Profissional Queremos Formar? Psicologia: Ciência e
Profissão, 18 (3), 28-35. 1998.
FERREIRA, Neto, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.

Bibliografia Complementar:
ANZOLIN, C. & Silveira, A. Falando de Psicologia: entrevista com Guilherme Valle.
Psicologia Argumento, 21 (33), abril-junho, 11-15. 2003.
CARVALHO, A. M. A. & Kavano, E. A. Justificativas de opção por área de trabalho e
Psicologia: Uma análise da imagem da profissão em psicólogos recém-formados.
Psicologia, 8 (3), 1-18. 10882.
CAMPOS, L. F. L., Largura, W. A. N. & Jankovic, A. L. Efeito da graduação em
Psicologia nas escolhas profissionais de seus estudantes. Psico, 30 (2), 29-44. 1999.
DIMENSTEIN, M. A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista:
implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de
Psicologia, 5 (1), 95-125, 2000.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

FALEIROS, E. A. Aprendendo a ser psicoterapeuta. Psicologia: Ciência e Profissão,


24 (1), 14-27, 2004.

55. PSICODIAGNÓSTICO
CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Aspectos conceituais e práticos do Psicodiagnóstico Clínico.


Psicodiagnóstico tradicional e Psicodiagnóstico interventivo. As etapas do processo
Psicodiagnóstico: técnicas de entrevista, observação comportamental, seleção e
composição da(s) bateria(s) de instrumentos e métodos de avaliação, análise e
interpretação dos resultados, produção de documentos escritos decorrentes da Avaliação
e devolutiva. Os diferentes documentos escritos decorrentes de Avaliação Psicológica:
atestado psicológico e relatório/laudo psicológico. Documentos escritos não decorrentes
da Avaliação Psicológica: declaração e parecer psicológico. Ética e Avaliação
Psicológica.

Bibliografia Básica:
ARZENO, M. E. G. Psicodiagnóstico Clínico: novas contribuições. Porto Alegre:
Artmed, 1995.
CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico – V. 5ª edição revisada e ampliada. Porto Alegre:
Artmed, 2000.
SENNE, W. Psicologia e Psicodiagnóstico: Bases Epistemológicas. Petrópolis: Vozes,
2005.

Bibliografia Complementar:
ALCHIERI, J. C.; CRUZ, R. M.. Avaliação Psicológica: conceitos, métodos, medidas
e instrumentos. 6. Ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2014.
BARBIERI, V. Psicodiagnóstico Tradicional e Interventivo: confronto de paradigmas?
Psicologia: Teoria e Pesquisa. V. 26, n. 3, 2010.
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP nº 007/2003. Institui o
Manual de Elaboração de Documentos Escritos produzidos pelo psicólogo, decorrentes
de avaliação psicológica e revoga a Resolução CFP º 17/2002. Brasília: CFP, 2003.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Avaliação Psicológica: Diretrizes na


Regulamentação da Profissão. Brasília: CFP, 2010.
OCAMPO, M. L. S. de; ARZENO, M. E. G.; PICCOLO, E. G. de (& cols.). O processo
de psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. 11. Ed. São Paulo: Ed. WMF Martins
Fontes, 2009.

56. PSICOLOGIA E PRÁTICAS LUDOTERÁPICAS


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Aspectos teórico-metodológicos da intervenção clínica com crianças.


Conceitos teóricos básicos. Entrevista de anamnese. Setting terapêutico, rapport,
materiais, contrato com a criança. Recursos e técnicas de avaliação psicológica da
criança. Sessões de jogo diagnóstica. O lugar dos pais/familiares/responsáveis, da
criança e do terapeuta no atendimento em ludoterapia. Brinquedos, brincadeira, jogos,
atividades, desenhos, arte e materiais projetivos como recursos lúdicos para a expressão
infantil.

Bibliografia Básica:
ABERASTURY, Arminda. A criança e seus jogos. Porto Alegre: Artmed, 1992.
OAKLANDER, V. Descobrindo crianças. Summus Editorial, 1980. 17ª. Edição.
WINNICOTT, D. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago,1975.

Bibliografia Complementar:
AGUIAR, L. Gestalt-terapia com crianças: teoria e prática. Summus Editorial, 2014.
ANNING. A.; RING, K. O Significado do desenho das crianças. Magda França Lopes
(trad.). Porto Alegre: Artmed, 2009. 168 p.
ANTONY, S. A clínica gestáltica com crianças: caminhos de crescimento. São
Paulo: Summus, 2010.
COSTA, T. Psicanálise com crianças. Zahar, 2007.
OCAMPO, L. M. S. O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. São Paulo:
Martins Fontes, 2001.

57. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I


INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Delimitação e escolha do tema. Desenvolvimento de estudos relacionados


ao tema de pesquisa (pesquisa bibliográfica), organização de fichamentos, resumos,
relatórios e análises de dados para elaboração do Projeto de Trabalho de Curso
(Introdução, Referencial Teórico, Objetivo) para a qualificação. Submissão do Projeto
em Comitê de Ética.

Bibliografia Básica:
MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica.
São Paulo: Editora Atlas, 2010.
SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Acadêmico. 22ª Ed. São Paulo: Editora
Cortez, 2002.
MINAYO, M. C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed.
Petrópolis: Vozes, 2009.

Bibliografia Complementar:
BAUER, W. M.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um
manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.
DINIZ, D. Carta de uma orientadora: o primeiro projeto de pesquisa. Ed. Letras
Livres. 2012.
FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2009.
GIL, A. C.. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. de; SOUZA, E. R. de. Avaliação por triangulação
de métodos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

58. OPTATIVA II – DE ACORDO COM A ESCOLHA DOS ESTUDANTES


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: De acordo com a disciplina escolhida do elenco das optativas.

10º SEMESTRE
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

59. ESTÁGIO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL III


CARGA – HORÁRIA: 180h. CRÉDITOS: 12.

EMENTA: Práticas supervisionadas de planejamento e intervenção em processos


clínicos segundo diferentes orientações teóricas e metodológicas em psicologia e/ ou
áreas afins. Reflexões sobre a formação do psicólogo, atuação profissional e mercado de
trabalho. Discussões acerca do processo psicoterápico e da relação terapeuta/ analista vs
cliente/ analisando.

Bibliografia Básica:
AGUIRRE, A. M. B., Herzberg, E., Pinto, E. B., Becker, E., Carmo, H. M. S. &
Santiago,M. D. E. A Formação da atitude clínica no estagiário de Psicologia. Psicologia
USP, 11 (1), 49-62. 2000.
BRANCO, M. T. C. Que Profissional Queremos Formar? Psicologia: Ciência e
Profissão, 18 (3), 28-35. 1998.
FERREIRA, Neto, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.

Bibliografia Complementar:
ANZOLIN, C. & Silveira, A. Falando de Psicologia: entrevista com Guilherme Valle.
Psicologia Argumento, 21 (33), abril-junho, 11-15. 2003.
CARVALHO, A. M. A. & Kavano, E. A. Justificativas de opção por área de trabalho e
Psicologia: Uma análise da imagem da profissão em psicólogos recém-formados.
Psicologia, 8 (3), 1-18. 10882.
CAMPOS, L. F. L., Largura, W. A. N. & Jankovic, A. L. Efeito da graduação em
Psicologia nas escolhas profissionais de seus estudantes. Psico, 30 (2), 29-44. 1999.
DIMENSTEIN, M. A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista:
implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de
Psicologia, 5 (1), 95-125, 2000.
FALEIROS, E. A. Aprendendo a ser psicoterapeuta. Psicologia: Ciência e Profissão,
24 (1), 14-27, 2004.

60. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II


INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

CARGA HORÁRIA: 75h. CRÉDITOS: 05.

EMENTA: Desenvolvimento de pesquisa de campo em suas diversas modalidades


(entrevistas, análise documental, etc.). Elaboração e organização dos dados de pesquisa.
Redação final do Trabalho de Conclusão de Curso. Defesa do Trabalho de Conclusão de
Curso.

Bibliografia Básica:
MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica.
São Paulo: Editora Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed.
Petrópolis: Vozes, 2009.
SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Acadêmico. 22ª Ed. São Paulo: Editora
Cortez, 2002.

Bibliografia Complementar:
BAUER, W. M.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um
manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.
DINIZ, D. Carta de uma orientadora: o primeiro projeto de pesquisa. Ed. Letras
Livres. 2012.
FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2009.
GIL, A. C.. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. de; SOUZA, E. R. de. Avaliação por triangulação
de métodos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

61. OPTATIVA III – DE ACORDO COM A ESCOLHA DOS ESTUDANTES


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: De acordo com a disciplina escolhida do elenco das optativas.


INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

ÊNFASE EM PSICOLOGIA, POLÍTICAS PÚBLICAS E SUBJETIVIDADE

8º SEMESTRE

62. ESTÁGIO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL I


CARGA HORÁRIA: 180 h. CRÉDITOS: 12.

EMENTA: Práticas supervisionadas de planejamento e início de execução de uma


intervenção profissional na atuação em políticas públicas e/ ou nos mais diversos
campos possíveis de atuação do psicólogo. Familiarização com métodos, técnicas ou
instrumentos da Psicologia que deem subsídios para a análise, interpretação e execução
de situações e contextos que possibilitem o planejamento de uma intervenção
profissional. Reflexões e discussões sobre a formação do psicólogo, atuação
profissional e mercado de trabalho.

Bibliografia Básica:
BRANCO, M. T. C. Que Profissional Queremos Formar? Psicologia: Ciência e
Profissão, Brasília, vol. 18, n.3, p. 28-35, 1998.
CARVALHO, A. M. A. e KAVANO, E. A. Justificativas de opção por área de trabalho
e Psicologia: Uma análise da imagem da profissão em psicólogos recém-formados.
Psicologia: Ciência e profissão, Brasília, vol. 8 n. 3, 1-18, 2000.
FERREIRA NETO, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.

Bibliografia Complementar:
ANZOLIN, C. e SILVEIRA, A. Falando de Psicologia: entrevista com Guilherme
Valle. Psicologia Argumento, Curitiba, vol. 21 n.33, abril-junho, 11-15, 2003.
CAMPOS, L. F. L., LARGURA, W. A. N. e JANKOVIC, A. L. Efeito da graduação em
Psicologia nas escolhas profissionais de seus estudantes. Psicologia: Ciência e
profissão, Brasília, vol. 30, n. 2, 29-44. 1999.
DIMENSTEIN, M. A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista:
implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de
Psicologia, Campinas-SP, vol. 5 n. 1, 2000.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

FARACO, C. B. & JAEGER, M. A (2014). A Ética na Intervenção psicossocial. In.:


SARRIERA, J. C & SAFORCADA, E.T. Introdução à Psicologia Comunitária: bases
teóricas e metodológicas. Porto Alegre: Sulina, 2014.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder – 3ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1995.

63. PSICOLOGIA E INCLUSÃO


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Psicologia no contexto do atendimento às pessoas com deficiências:


exclusão versus inclusão social, cultural, familiar e política. Histórico da exclusão social
de pessoas com necessidades especiais. Identidade e estigmas. Psicologia Histórico-
cultural: Defectologia e Educação Inclusiva. Políticas públicas voltadas para a inclusão
social (laboral e educacional) das pessoas com deficiências. Dinâmica familiar e a
inclusão social de pessoas com deficiências. Conceituação e caracterização das
deficiências: física, visual, auditiva, intelectual, múltipla, condutas típicas, transtornos
globais do desenvolvimento (TGD) e superdotação/altas habilidades.

Bibliografia Básica:
ANACHE, A. A.; MARTÍNEZ, A. M. O psicólogo nas Redes de Serviços de Educação
Especial: desafios em face da inclusão. Albertina Martinez (Org). Psicologia Escolar e
Compromisso Social, p. 115-123, 2005.
COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Orgs.). Desenvolvimento psicológico e
educação: Transtornos de Desenvolvimento e Necessidades Educativas Especiais. V. 3.
Porto Alegre: Artmed, 2004.
MITTLER, P. Educação Inclusiva: contextos sociais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Bibliografia Complementar:
BATISTA, C.R. Inclusão e escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre:
Mediação, 2006.
FIGUEIREDO, R.V. (Org.). Escola, diferença e inclusão. Fortaleza: Edições UFC,
2010.
MAGALHÃES, R. de C. B. P. M. (Org.) Reflexões sobre a diferença: uma introdução
à educação especial. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

SAWAIA, B. Introdução: Exclusão ou inclusão perversa? In: Bader Sawaia (Org.). As


artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social.
Petrópolis: Vozes, 3ª. Ed., 2001. P. 16-26.
VEIGA-NETO, Alfredo. Incluir para excluir. In: LARROSA, J.; SKLIAR, C. (Orgs.).
Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001,
p.105-118.

64. PSICOLOGIA E SAÚDE DO TRABALHADOR


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Perspectivas teóricas no estudo da saúde do trabalhador: teorias sobre o


estresse, psicodinâmica do trabalho, clínica da atividade, abordagem epidemiológica e
abordagem materialista dialética. Psicologia, ergonomia e saúde do trabalhador.
Psicologia e Políticas de Saúde do Trabalhador. O papel do psicólogo nas Políticas de
Saúde do Trabalhador. O CEREST e a prática do psicólogo. As relações entre trabalho e
saúde. Saúde mental e trabalho.

Bibliografia Básica:
CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS
PÚBLICAS (CREPOP). Saúde do Trabalhador no âmbito da Saúde Pública:
referências para a atuação do(a) psicólogo(a). Brasília: CFP, 2008.
CLOT, Y. A Função Psicológica do Trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.
DEJOURS, C. A Loucura do Trabalho. 5. Ed. São Paulo, Cortez, 2003.

Bibliografia Complementar:
BORGES, L. O. Os Profissionais de Saúde e seu Trabalho. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2005.
GLINA, D.M.R. & ROCHA, L.E. (org.) Saúde Mental no Trabalho: da teoria à
prática. São Paulo: Rocca, 2010.
GUERIN, F.; LAVILLE, A.; DANIELLOU, F.; DURAFFOURG, J.; KERGUELEN, A.
Compreender o Trabalho para Transformá-lo: a prática da ergonomia. São Paulo:
Edgard Blucher, 2001.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

LIMONGI FRANÇA, A.C.; RODRIGUES, A.L. Stress e Trabalho: uma abordagem


psicossomática. São Paulo: Atlas, 2005.
MENDES, A. M.; BORGES, L. O. Trabalho em Transição, Saúde em Risco.
Brasília: Ed. UnB, 2004.

65. PSICOLOGIA JURÍDICA


CARGA HORÁRIA: 60h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: Aspectos conceituais e históricos da constituição da interface da Psicologia


com o Direito. Diferentes âmbitos de atuação do psicólogo no Judiciário. O trabalho em
equipes interdisciplinares. Elaboração de documentos escritos decorrentes de avaliações
psicológicas. Considerações éticas. Questões centrais no debate atual.

Bibliografia Básica:
FIORELLI, José Osmir& MANGINI, Rosana C. R. Psicologia Jurídica. 3ª. Edição.
São Paulo: Atlas, 2011.
LEVISKY, D. L. Adolescência pelos caminhos da violência. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 1998.
WONNICOTT, D.W. Privação e Delinquência. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2005.

Bibliografia Complementar:
CAIRES, M. A. de F. Psicologia jurídica: implicações conceituais e aplicações
práticas. São Paulo: Vetor, 2003.
COHEN, Cláudio; SEGRE, Márcio; FERRAZ, Flávio Carvalho (Org.). Saúde mental,
crime e justiça. São Paulo: EDUSP, 1996.
FERNANDES, Maria da Penha Maia. Sobrevivi... posso contar. Fortaleza, 1994.
FERNANDES, Newton; FERNANDES, Valter. Criminologia integrada. 2.ed. São
Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2002.
VARELLA, Drauzio. Estação Carandiru. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

66. OPTATIVA I – LIBRAS


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Aspectos sociohistóricos da inclusão de pessoas com deficiência auditiva.


Educação de pessoas surdas no Brasil. Estrutura linguística e gramatical da Língua
Brasileira de Sinais. Classificadores de Libras. Técnicas de tradução da
LIBRAS/Português e de Português/LIBRAS. Especificidades da produção textual
escrita de pessoas surdas. Aspectos interrelacionais entre ouvintes e pessoas surdas. O
intérprete e a interpretação de LIBRAS como fatores de inclusão social e acesso
educacional para pessoas/alunos com deficiência auditiva.

Bibliografia Básica
FELIPE, T. A. Libras em Contexto: Curso Básico: Livro do Estudante. 9a. ed. Rio de
Janeiro: WalPrint: Feneis, 2009.
GÓES, M. C. R. de. Linguagem, Surdez e Educação. 3a. ed. Campinas: Autores
Associados, 2002.
KARNOPP, L. B.; QUADROS, R. M. Língua de Sinais Brasileira: estudos
linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Bibliografia Complementar:
ALMEIDA, E. O. C. Leitura e Surdez: um estudo com adultos não oralizados. Rio de
Janeiro: Revinter, 2000.
GESSER, A. Libras: Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de
sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.
MAZZOTTA, M. J. S. Educação Especial no brasil: histórias e políticas públicas. 5.
ed. São Paulo: Cortez, 2005.
SACKS, O. Vendo Vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. São Paulo: Companhia
das Letras; Companhia de bolso, 2010.
SKLIAR, C. (Org.). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Porto Alegre:
Mediação, 2005.

9º SEMESTRE

67. ESTÁGIO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL II


CARGA HORÁRIA: 180 h. CRÉDITOS: 12.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: Práticas supervisionadas de planejamento, execução e avaliação de


intervenção em políticas públicas, grupos, instituições, organizações e comunidades,
segundo diferentes orientações teóricas e metodológicas em psicologia e/ ou áreas afins.
Reflexões e discussões sobre a formação do psicólogo, atuação profissional e mercado
de trabalho.

Bibliografia Básica:
FERREIRA NETO, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.
ROMAGNOLI, Roberta. Algumas Reflexões Acerca da Clínica Social. Revista do
Departamento de Psicologia – UFF. Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, jul-dez 2006.
GUEDES, C. R.; NOGUEIRA, M. I. CAMARGO JR, K. R. A subjetividade como
anomalia: contribuições epistemológicas para a crítica do modelo biomédico. Ciência &
Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, vol.11 n.4, out-dez, 2006.

Bibliografia Complementar:
A Bibliografia Complementar será indicada a partir do desenvolvimento da Disciplina,
em acordo com as contingências do contexto onde o Estágio Supervisionado estiver
ocorrendo.

68. PSICOLOGIA ESCOLAR/ EDUCACIONAL II


CARGA HORÁRIA: 45 H. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Compreensão das práticas educacionais/escolares a partir das contribuições


teórico-metodológicas da ciência psicológica. Processos de subjetivação em contexto
escolar. Atuação do psicólogo em contextos escolares/educacionais: possibilidades e
limites. Crítica ao modelo clínico de intervenção do psicólogo na escola. Intervenções
institucionais e atuação interdisciplinar do psicólogo frente às demandas
contemporâneas no espaço escolar.

Bibliografia Básica:
ALMEIDA, S. F. C. de. Psicologia escolar: ética e competências na formação e atuação
profissional. 2. ed. Campinas, SP: Alínea, 2006. 194 p.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

CAMPOS, H. R. Formação em psicologia escolar: realidades e perspectivas.


Campinas, SP: Alínea, 2007.
GUZZO, R.S.L.; MARINHO-ARAUJO, C. M. Psicologia escolar: identificando e
superando barreiras. Campinas, SP: Editora Alínea, 2011.

Bibliografia Complementar:
CASSINS, A.M. Manual de psicologia escolar – educacional. Curitiba: Gráfica e
Editora Unificado, 2007.
MARINHO-ARAUJO, C. M. Psicologia escolar: novos cenários e contextos de
pesquisa, formação e prática. Campinas, SP: Alínea, 2009.
MARTÍNEZ, A. M. (Org.) Psicologia escolar e compromisso social: novos discursos,
novas práticas. Campinas, SP: Editora Alínea, 2005.
PATTO, M.H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia.
3a. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.
RAGONESI, M. E. M. M.; ANTUNES, M. A. M. Psicologia escolar: práticas críticas.
São Paulo, SP: Casa do Psicólogo, 2003.

69. POLÍTICAS PÚBLICAS (SUAS E SUS)


CARGA HORÁRIA: 60 h. CRÉDITOS: 04.

EMENTA: História da assistência em saúde e da assistência social no Brasil. Princípios


doutrinários do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Sistema Único de Assistência
Social (SUAS). Psicologia aplicada ao campo da saúde e ao campo da assistência social.
Diferentes níveis de atuação do psicólogo no âmbito do SUS e do SUAS.

Bibliografia Básica:
CUNHA, T. G. Construção da Clinica Ampliada na Atenção Básica. São Paulo:
Hucitec, 2005.
FERREIRA NETO, João Leite. Psicologia, políticas públicas e o SUS. Belo
Horizonte: Escuta; FAPEMIG, 2011.
CORGOZINHO, J.; SILVA, J. Atuação do Psicólogo, SUAS/ CRAS e Psicologia
Social Comunitária: possíveis articulações. Psicologia & Sociedade [online], vol. 23, n.
spe, 2011.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Bibliografia Complementar:
BERTOLLI FILHO, C. História da Saúde pública no Brasil. São Paulo: Ática, 1996.
BRASIL, Ministério da Saúde. A construção do SUS: histórias da reforma sanitária e
do processo participativo. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.
COSTA, Jurandir Freire. História da psiquiatria no Brasil: um corte ideológico – 5ª
ed. Rio de Janeiro: Xenon, 2007.
ROMAGNOLI, Roberta. Algumas Reflexões Acerca da Clínica Social. Revista do
Departamento de Psicologia – UFF. Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, jul-dez 2006.
SPINK, Mary J. Psicologia social e saúde: práticas, saberes e sentidos. 8ª ed.
Petrópolis: Vozes, 2011.

70. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I


CARGA HORÁRIA: 45H. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Delimitação e escolha do tema. Desenvolvimento de estudos relacionados


ao tema de pesquisa (pesquisa bibliográfica), organização de fichamentos, resumos,
relatórios e análises de dados para elaboração do Projeto de Trabalho de Curso
(Introdução, Referencial Teórico, Objetivo) para a qualificação. Submissão do Projeto
em Comitê de Ética.

Bibliografia Básica:
MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica.
São Paulo: Editora Atlas, 2010.
SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Acadêmico. 22ª Ed. São Paulo: Editora
Cortez, 2002.
MINAYO, M. C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed.
Petrópolis: Vozes, 2009.

Bibliografia Complementar:
BAUER, W. M.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um
manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

DINIZ, D. Carta de uma orientadora: o primeiro projeto de pesquisa. Ed. Letras


Livres. 2012.
FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2009.
GIL, A. C.. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. de; SOUZA, E. R. de. Avaliação por triangulação
de métodos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

71. OPTATIVA II – DE ACORDO COM A ESCOLHA DOS ESTUDANTES


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: De acordo com a disciplina escolhida do elenco das optativas.

10º SEMESTRE

72. ESTÁGIO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL III


CARGA HORÁRIA: 180H. CRÉDITOS: 12.

EMENTA: Práticas supervisionadas de planejamento, execução e avaliação de


intervenção em políticas públicas, grupos, instituições, organizações e comunidades,
segundo diferentes orientações teóricas e metodológicas em psicologia e/ ou áreas afins.
Reflexões e discussões sobre a formação do psicólogo, atuação profissional e mercado
de trabalho.

Bibliografia Básica:
FERREIRA NETO, J. L. A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.
ROMAGNOLI, Roberta. Algumas Reflexões Acerca da Clínica Social. Revista do
Departamento de Psicologia – UFF. Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, jul-dez 2006.
GUEDES, C. R.; NOGUEIRA, M. I. CAMARGO JR, K. R. A subjetividade como
anomalia: contribuições epistemológicas para a crítica do modelo biomédico. Ciência &
Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, vol.11 n.4, out-dez, 2006.

Bibliografia Complementar:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

A Bibliografia Complementar será indicada a partir do desenvolvimento da Disciplina,


em acordo com as contingências do contexto onde o Estágio Supervisionado estiver
ocorrendo.

73. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II


CARGA HORÁRIA: 75 h. CRÉDITOS: 05.

EMENTA: Desenvolvimento de pesquisa de campo em suas diversas modalidades


(entrevistas, análise documental, etc.). Elaboração e organização dos dados de pesquisa.
Redação final do Trabalho de Conclusão de Curso. Defesa do Trabalho de Conclusão de
Curso.

Bibliografia Básica:
MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica.
São Paulo: Editora Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S. (org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed.
Petrópolis: Vozes, 2009.
SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Acadêmico. 22ª Ed. São Paulo: Editora
Cortez, 2002.

Bibliografia Complementar:
BAUER, W. M.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um
manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.
DINIZ, D. Carta de uma orientadora: o primeiro projeto de pesquisa. Ed. Letras
Livres. 2012.
FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2009.
GIL, A. C.. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G. de; SOUZA, E. R. de. Avaliação por triangulação de
métodos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

74. OPTATIVA III – DE ACORDO COM A ESCOLHA DOS ESTUDANTES


CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

EMENTA: De acordo com a disciplina escolhida do elenco das optativas.

DISCIPLINAS OPTATIVAS
* A serem ofertadas conforme demanda dos estudantes, no 9° e 10º Semestres.

01. PSICOLOGIA DO ESPORTE


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Conhecimento geral sobre a Psicologia do/ no Esporte. Fundamentos


teóricos e metodológicos para a atuação do psicólogo no contexto do esporte e do
exercício. Dimensões psicológicas na prática de atividades físicas. Intervenções
psicológicas nas lesões, seja no ambiente esportivo ou não. Particularidades
psicológicas inerentes ao universo da competição. Habilidades mentais e alto
rendimento. Populações especiais no esporte e atividade física. Qualidade de vida e
exercício físico. Últimos avanços em Psicologia do esporte e Exercício Físico como
ciência do esporte.

Bibliografia Básica:
ANGELO, L. F. & RUBIO, K. Instrumentos de avaliação em Psicologia do Esporte.
São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.
BRANDÃO, M. R. F. & MACHADO, A. A. Coleção Psicologia do Esporte e
Exercício – vol. 1: Teoria e Aplicação. São Paulo: Atheneu, 2007.
BURITI, M. A. Psicologia do Esporte – 4ª ed. São Paulo: Alínea, 2012.

Bibliografia Complementar:
FRANCO, G. S. Psicologia no Esporte e na Atividade Física: uma coletânea sobre a
prática com qualidade. São Paulo: Ed. Manoel, 2000.
GOULD, D. & WEINBERG, R. S. Fundamentos de Psicologia do Esporte e
Exercício. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.
RUBIO, K. Esporte, Educação e Valores Olímpicos. São Paulo: Casa do Psicólogo,
2009.
SAMULSKI, D. Psicologia do Esporte. São Paulo: Ed. Manole, 2002.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

WEINBERG, R. S. & GOULD, D. Fundamentos de Psicologia do Esporte e


Exercício. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

02. ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL


CARGA-HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Histórico da Orientação profissional. Diferentes abordagens em orientação


vocacional e orientação profissional. Conceito, métodos e instrumentos nas diversas
perspectivas teóricas e práticas em orientação profissional. Orientação profissional
sócio-histórica. O processo de escolha profissional. Discussão sobre o significado da
escolha profissional, os diversos determinantes da escolha. Orientação profissional no
contexto educacional, clínico e do trabalho. Apresentação técnicas para atuação em
Orientação profissional individual e em grupo.

Bibliografia Básica:
BOCK, S. D. Orientação profissional: a abordagem sócio-histórica. São Paulo: Cortez,
2002.
CAMARGO, L. Orientação profissional: uma experiência psicodramática. São Paulo:
Ágora, 2006.
LEVENFUS, L.S. et al. Psicodinâmica da escolha profissional. Porto Alegre: Artmed,
2004.

Bibliografia Complementar:
ANDRADE, J. M. A.; JESUS, G. R.; MEIRA, M. et. al. O Processo de Orientação
Vocacional Frente ao Século XXI: Perspectivas e Desafios. Psicologia Ciência e
Profissão. Brasília, v. 22, n. 3, p. 46- 53, 2002.
COSTA, J.M. et al. Orientação profissional: Encontros e desencontros. In: Tereza
Gláucia Matos et al (Orgs). Educação e Libertação: a tessitura de saberes pela
prática. Fortaleza: Premius, 2010. p. 181-198.
LEVENFUS, R. S.; SOARES, D. H. P. (Org.). Orientação Vocacional Ocupacional:
novos achados teóricos, técnicos e instrumentais para a clínica, a escola e a empresa.
Porto Alegre: ARTMED, 2002.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

MELO-SILVA, L.L; LASSANCE, M. C. P; SOARES, D. H. P. A orientação


profissional no contexto da educação e trabalho. Revista brasileira de orientação
profissional, vol.5, no.2, p.31-52, 2004.
SILVA, J.J. O papel da família na escolha profissional. São Caetano do Sul: Yendis,
2006.

03. TRABALHO SUPERVISIONADO EM PESQUISA


CARGA-HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03

EMENTA: Participação em Projeto de Pesquisa sob orientação de docentes do INTA.


Estudos de temas vinculados às Linhas de Pesquisa da Pós-graduação

Bibliografia: de acordo com o Projeto a ser desenvolvido.

04. TRABALHO SUPERVISIONADO EM EXTENSÃO


CARGA – HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Participação em projeto de Extensão sob orientação de docentes do INTA.

Bibliografia: de acordo com o Projeto a ser desenvolvido.

05. PROCESSOS PSICOSSOCIAIS I


CARGA HORÁRIA: 45H. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Compreensão dos aspectos teórico-práticos de intervenção psicossocial.


Desenvolvimento de pesquisa e de intervenção psicossocial. Planejamento, execução e
avaliação das intervenções do psicólogo em seus diversos campos de atuação: Escola,
Saúde Pública, Organizações, Instituições, Comunidades, entre outros. Vivências de
campo e interlocuções com os profissionais das áreas da Psicologia.

Bibliografia Básica:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Contribuições do Conselho Federal de


Psicologia para a constituição da Rede de Atenção Psicossocial no Sistema Único
de Saúde a partir do Decreto 7.508/2011. Brasília: CFP, 2011.
FERREIRA NETO, J. L. A formação do psicólogo: clínica, social e mercado. São
Paulo: Escuta, 2004.
MARTÍNEZ, A. M. (org.) Psicologia Escolar e compromisso social: novos discursos e
novas práticas. Campinas, SP: Editora Alínea, 2005.

Bibliografia Complementar:
ANDALÓ, C. Mediação grupal: uma leitura histórico-cultural. São Paulo: Ágora
Editora. 2006.
BARROS, R. B. Grupo: a afirmação de um simulacro. 3. Ed. Porto Alegre: Editora
Sulina, 2013.
CASSINS, A. M. (et al.). Manual de psicologia escolar – educacional. Curitiba:
Gráfica e Editora Unificado, 2007.
PITTA, A. Reabilitação psicossocial no Brasil. São Paulo: Editora Hucitec, 2001.
ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. 11ª ed. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2005.

06. SAÚDE MENTAL


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Paradigmas em psicopatologia: principais perspectivas teóricas. O


problema do diagnóstico e psicodiagnóstico na psicopatologia. Funções psíquicas e suas
alterações. Principais síndromes psiquiátricas. Ética em Saúde Mental. Dispositivos de
atenção psicossocial: organização dos serviços de atenção psicossocial territorial. Saúde
mental e Programa Saúde da Família. Saúde mental no Hospital Geral. CAPS e serviços
residenciais terapêuticos. Rede de trabalho: oficinas, cooperativas e políticas de
inclusão. Regulamentação das internações involuntárias. Ética e Bioética e a
interdisciplinaridade na atenção psicossocial. Instituições penais e doentes mentais.
Financiamento e política nacional da desospitalização.

Bibliografia Básica:
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial. SciELO-Editora


FIOCRUZ, 2007.
BERTOLLI FILHO, C. História da saúde pública no Brasil. São Paulo: Ática; 2004.
BRASIL. Manual do Programa de Volta Para Casa. Brasília: Ministério da Saúde,
2003.

Bibliografia Complementar:
BOARINI, Maria Lúcia. Desafios na atenção à saúde mental. Maringá, PR: EDUEM,
2000. 133 p.
BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações
COSTA-ROSA A. O modo psicossocial: um paradigma das práticas substitutivas ao
modo asilar. In: P. Amarante (org.). Ensaios, subjetividade, saúde mental, sociedade.
Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2000. p. 141-68
MELLO, M.F. et. al. Epidemiologia da saúde mental no Brasil. Porto Alegre:
Artmed, 2007.
PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS. Saúde Mental no SUS: os centros de
atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
TABORDA, J.G. et. al., Psiquiatria Forense, Porto Alegre: Artmed, 2004.

07. PSICOTERAPIA DE CASAL / FAMILIAR


CARGA-HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Análise sistêmica do contexto sócio-histórico, interrelacional e psicológico


em que se estruturam o casal e a família. Dinâmicas relacionais entre o casal e entre os
membros familiares. Estudo dos fundamentos, conceitos básicos e da evolução da teoria
e das abordagens da Psicoterapia de Casal e Familiar. Implicações éticas. Reflexão
sobre a inserção da Terapia Conjugal e Familiar em contextos de prevenção e
intervenção.

Bibliografia Básica:
CARNEIRO, T. F. Família e casal: arranjos e demandas contemporâneas. Edições
Loyola, 2003.
FISHMAN, M. Técnicas de terapia familiar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

NICHOLS, Michael P.; SCHWARTZ, Richard C. Terapia familiar: conceitos e


métodos. Artmed, 2007.

Bibliografia Complementar
DOLTO, F. Quando os pais se separam. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2003.
ELKAIM, M. Terapia familiar em transformação. Grupo Editorial Summus, 2000.
OSORIO, L. C.; DO VALLE, M. E. P. Manual de terapia familiar–Volume I. Porto
Alegre: Artmed, 2009.
ROUDINESCO, E. A família em desordem. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores,
2003.
SHAFFER, David R. Psicologia do Desenvolvimento: Infância e Adolescência. São
Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

08. SAÚDE COLETIVA


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Determinação histórico-social do processo saúde-doença. Educação em


Saúde. Modelos de Atenção à Saúde no Brasil. Programa Saúde da Família. Vigilância
sanitária e controle das Doenças Transmissíveis. Sistemas de informação em saúde.
Psicologia da Saúde: aspectos históricos, teóricos e metodológicos. Formação do
psicólogo e atuação no campo da saúde. Aspectos conceituais. Princípios doutrinários
do sistema de saúde. Psicologia aplicada ao campo da saúde. Diferentes níveis de
atenção à saúde e a prática do psicólogo. Análise de situação, planejamento e
intervenção na saúde. Intervenções em crise. Produção de recursos interventivos para
promoção e prevenção da saúde. A inserção do psicólogo nos três níveis de atenção do
SUS. Modelos assistenciais em saúde. O processo saúde-doença-cuidado: possíveis
contribuições da Psicologia. Considerações éticas.

Bibliografia Básica:
ACURCIO, F. de A. Evolução Histórica das Políticas Públicas de Saúde no Brasil. In:
MARCOLINO, H.(Coord.). Projeto Multiplica SUS: Curso básico sobre o SUS:
Brasília: Ministério da Saúde, 2005.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

ANGERAMI-CAMON, V.A. (Org.). Psicologia da Saúde: Um novo significado para a


prática clínica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.
CAMPOS, G. W.S. Tratado de Saúde Coletiva. SP: HUCITEC; RJ: FIOCRUZ, 2006.

Bibliografia Complementar:
BRASIL, Ministério da Saúde. A construção do SUS: histórias da reforma sanitária e
do processo participativo. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Relatório Final do I Fórum Nacional de
Psicologia e Saúde Pública: Contribuições técnicas e políticas para avançar o SUS.
Brasília: CFP, 2006. Disponível em:
http://www.pol.org.br/pol/export/sites/default/pol/publicacoes/publicacoesDocumentos/
relatorio_saude_publica_final.pdf
PELIZZOLI, M. E LIMAA, W. (Org.) O Ponto de Mutação na Saúde: A integração
mente-corpo. Recife: EDUFPE, 2009.
SILVA, R. C. da. Psicologia Social da Saúde e a construção de um conceito positivo
de saúde. Metodologias Participativas para Trabalhos de Promoção de Saúde e
Cidadania. São Paulo: Vetor, 2002.
SPINK, M. J. P. Psicologia Social e Saúde: práticas, saberes e sentidos. Petrópolis:
Vozes, 2009.

09. SAÚDE MATERNO INFANTIL: ABORDAGEM PSICOLÓGICA


PREVENTIVA
CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Estudo das abordagens psicológicas no processo saúde-doença materno-


infantil. Educação em Saúde na área Materno-Infantil. Promoção da saúde da mulher-
mãe trabalhadora. Saúde do bebê na primeira infância. Formação de profissionais
psicólogos para atuação interdisciplinar na área de atenção básica da saúde materno-
infantil. Implicações éticas. Perspectivas preventiva e clínico-terapêutica.

Bibliografia Básica:
BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Pré-natal e puerpério: atenção qualificada e
humanizada. Manual técnico. Brasília (DF): MS; 2006.
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Textos básicos de saúde (Série B). Política nacional de
promoção da saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006. Disponíveis em:
<http://saudeemmovimento.com.br/>.
MALDONADO, M. T. P. Psicologia da gravidez: parto e puerpério. 16ª ed. São Paulo
(SP): Saraiva, 2002.

Bibliografia Complementar:
BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização (PNH). Disponível
em: http://portal.saude.gov.br/saude/area.cfm?idarea=390.
COSTA, E.M.A.; CARBONE, M.H. Saúde da família: uma abordagem
interdisciplinar. Rio de Janeiro: Rubio, 2004.
DELVAN, J. S. et al. Estimulação precoce com bebês e pequenas crianças
hospitalizadas: uma intervenção em psicologia pediátrica. Contrapontos, Volume 9,
número 3, 2009. Disponível em: https://www.univali.br/seer/index.php/rc/article/
view/1453/1473.
SARMENTO, R.; SETÚBAL, M.S.V. Abordagem psicológica em obstetrícia: aspectos
emocionais da gravidez, parto e puerpério. Revista Ciência Médica. Volume12,
número 3, 2003. p. 261-268.
SCHWENGBER, D.D.S.; PICCINNI, C.A. O impacto da depressão pós-parto para a
interação mãe-bebê. Estudos de Psicologia. Volume 8, número 3, 2003, p. 403-411.

10. ATENÇÃO PSICOSSOCIAL NO USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS (USO


DE ENTORPECENTES NO ADULTO – PSICOSE ORGÂNICA CAPS A/D- CAPS
GERAL I; II; III E CLÍNICAS)
CARGA HORÁRIA: 45 h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Modelos de compreensão em dependência química: médico, psicodinâmico,


espiritual e comportamental; Concepção de uso abusivo e nocivo; fatores de risco e de
proteção; diagnóstico e caracterização das síndromes de dependência e abstinência; Sistema
de recompensa cerebral e neuroadaptação; Principais drogas de abuso e seus efeitos
biopsicossociais: tabaco, álcool, cocaína, drogas sintéticas, opiáceos, etc.; abordagens de
tratamento individual, familiar e institucional: terapia cognitivo comportamental, entrevista
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

motivacional, redução de danos e prevenção de recaída; organização de serviços preventivos


e de tratamento; concepção ampliada de dependência química e políticas públicas.

Bibliografia Básica:

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Política do Ministério da Saúde para a Atenção


Integral a Usuários de Álcool e outras Drogas. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2003.
FOCCHI, G. R. de A. Dependência Química: novos modelos de tratamento. São Paulo
(SP): Roca, 2001.
RIGOTTO, S.D.; GOMES, W.B. Contextos de Abstinência e de Recaída na Recuperação da
Dependência Química. Psicologia: Teoria e Pesquisa v.18, n.1, p.95-106, janeiro/abril 2002.

Bibliografia Complementar:
CONSENSO sobre a síndrome de abstinência do álcool e o seu tratamento. [S. l.]:
Associação Brasileira de Psiquiatria/ Departamento de Dependência Química, 2002.
GRAEFF, F. G.; GUIMARÃES, F. S. Fundamentos de psicofarmacologia. Atheneu,
2000.
ORTHA, A. P. S.; MORÉB, C. L. O. O. Funcionamento de famílias com membros
dependentes de substâncias psicoativas. Psicologia Argumento, v. 26, n. 55, p. 293-
303, 2008
SOUZA, J.; KANTORSKI, L. P.; MIELKE, F. B. Vínculos e redes sociais de indivíduos
dependentes de substâncias psicoativas sob tratamento em CAPS AD. Revista eletrônica
saúde mental álcool e drogas, v. 2, n. 1, 2006.
STAHL, S. M. Psicofarmacologia: base neurocientífica e aplicações práticas. Medsi,
2002.

11. INOVAÇÃO TÉCNICO-PEDAGÓGICA EM PESQUISA


CARGA HORÁRIA: 45h. CRÉDITOS: 03.

EMENTA: Conceitos básicos de hardware, software. Arquivos: conceitos,


classificação, organização e uso. Sistemas operacionais. Noções dos principais
aplicativos: planilhas, processadores de textos, assistente de apresentações. Internet e
correio eletrônico. Ferramentas de pesquisa. Formatação de Documentos. Planilha
INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)
CURSO DE PSICOLOGIA
Autorizado conforme Portaria nº 13, de 27 de janeiro de 2016, publicada no D.O.U. em 29 de janeiro de 2016.

Eletrônica (Estudo de Caso: MS-Excel). Como realizar cálculos. Gráficos. Gerenciador


de apresentações (Estudo de Caso: MS-Power Point).

Bibliografia Básica:

CAPRON H. L., JOHNSON J.A; Introdução à Informática – São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2004.
SILVA M. G. da, Informática - Terminologia - Microsoft Windows 8 - Internet -
Segurança -Microsoft Office Word 2010 - Microsoft Office Excel 2010 - Microsoft
Office PowerPoint 2010 - Microsoft Office Access 2010– São Paulo: Editora Érica,
2012.
SILVA M. G. da, Informática: MICROSOFT OFFICE EXCEL 2003 –
MICROSOFT OFFICE ACCESS 2003 - MICROSOFT OFFICE POWER POINT
2003 – São Paulo: Erica, 2006.

Bibliografia Complementar:
MANZANO, A. L. N. G. & MANZANO, M. I. N. G.; Estudo Dirigido de Microsoft
Word 2013. São Paulo: Editora Érica, 2013.
MANZANO, A. L. N. G. & MANZANO, M. I. N. G.; Estudo Dirigido de Microsoft
Excel 2013 – Avançado. São Paulo: Editora Érica, 2013.
MANZANO, A. L. N. G.. Estudo Dirigido de Microsoft Excel 2013. São Paulo:
Editora Érica, 2013.
MANZANO, A. L. N. G.; Estudo Dirigido de Microsoft Power Point 2013. São
Paulo: Editora Érica, 2013.
SILVA, M. G. da. Informática - Terminologia - Microsoft Windows 8 - Internet -
Segurança - Microsoft Word 2013 - Microsoft Excel 2013 – Microsoft Power
Point 2013 - Microsoft Access 2013. São Paulo: Editora Érica, 2013.