Você está na página 1de 21

Acumuladores de energia

Aula 4

Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva


Prof. Dr. Rafael Traldi Moura
Acumuladores de Energia
• Definição:
– Componente mecânicos simples cuja função básica é
armazenar energia hidráulica como fonte eventual, auxiliar
ou principal de energia.

• Utilização:
• Fonte Auxiliar de Energia;
• Compensador de Vazamento;
• Fonte de Energia de Emergência;
• Amortecimento de Pulsação de Bomba e Choque Hidráulico.

Aula 4 Acumuladores de Energia 2


Acumuladores de Energia

• Funcionamento:

– Princípio operacional baseado na acumulação do fluído,


mantido sob pressão em decorrência da interação entre
forças de pressão interna e externa, do tipo gravitacional,
de mola mecânica, pneumática, etc.

– A energia fica armazenada e fica disponível para


reabsorção do sistema hidráulico quando a resistência ao
escoamento diminui.

Aula 4 Acumuladores de Energia 3


Acumuladores de Energia
Tipos de Acumuladores

Aula 4 Acumuladores de Energia 4


Acumuladores de Energia
Acumulador de peso morto
• Massa pode ou não ser constante;
• Pressão depende da área do cilindro;
• Manutenção da pressão constante ao
longo do cilindro do pistão,
independente da vazão requerida
pelo sistema;
• Consegue suprir grandes volumes a
pressões elevadas (devido a
facilidade de construção);
• Custo elevado e utilizado em
aplicações estacionárias, como fonte
auxiliar de energia.
Aula 4 Acumuladores de Energia 5
Acumuladores de Energia
Acumulador de mola

• Pressão depende da área do cilindro


e da posição do mesmo. A pressão
mínima é determinada pela pre-
tensão da mola;
• Pressão de operação e volumes
máximos admissíveis constumam ser
relativamente reduzidos;
• Sistema de segunda ordem massa-
mola. Massas do pistão e mola altas
tornam a resposta do sistema lenta;
• Utilizado em operações de reigme
permanente.
Aula 4 Acumuladores de Energia 6
Acumuladores de Energia

Acumulador a gás

𝑃1 𝑉1 𝑃2 𝑉2
• Baseado na lei de Boyle dos gases: = , ou seja, utiliza
𝑇1 𝑇2
a compressibilidade dos gases como fonte de energia
potencial;
• Pressão não se mantem constante;
• Utilizado em operações de reigme permanente e dinâmico.

Aula 4 Acumuladores de Energia 7


Acumuladores de Energia

Sem separador • Elevada resposta dinâmica;


• Permite absorção de gás pelo fluido, que
pode levar a cavitação;
• Deve ser recarregado periodicamente;
• Utilizado em operações de regime
dinâmicas, sempre na posição vertical,
volume útil limitado a 2/3 da capacidade.

Com separador • Massa do pistão resulta em uma resposta


de pistão dinâmica relativamente lenta;
• Utilizado para suprimento de vazamentos
e fonte auxiliar de energia;
• Utilizado em operações de reigme
permanente.
Aula 4 Acumuladores de Energia 8
Acumuladores de Energia
Acumuladores com separador flexível
• Diafragma é um elastômero
compatível com o fluído;
• Obturador impede que
elastômero passe para a
canalização quando pressão é
menor que pré-carga do gás;
• Pode ser de cilindro soldado,
descartável ou de dois
hemisférios, que permite
reposição do diafragma;
• Utilizado em aplicações
aeronáuticas(baixa relação peso
Acumulador de diafragma potência).

Aula 4 Acumuladores de Energia 9


Acumuladores de Energia
Acumuladores com separador flexível

• Bexiga elástica introduzida pela


tampa na extremidade superior;
• Válvula de retenção impede que
elastômero passe para a
canalização quando pressão é
menor que pré carga do gás;
• Utilizado em operações de
reigme dinâmicas,
especialmente absorção e
amortecimento de choques
hidráulicos e de absorção da
pulsação da bomba.
Acumulador de bexiga

Aula 4 Acumuladores de Energia 10


Acumuladores de Energia

• Seção variável da parede da bexiga permite um maior


rendimento volumétrico do acumulador;
• A bexiga se expande primeiramente ao redor do topo e em
seguida gradualmente para baixo e para os lados do cilindro,
expulsando completamente o fluido.
Aula 4 Acumuladores de Energia 11
Acumuladores de Energia
Fonte Auxiliar de Energia

• Valores abaixo da média são


dados pela bomba e acima
completados pelo acumulador;
• Ordem de grandeza da força
no atuador (pressão) dentro da
faixa de operação do
acumulador.
• A vazão que sai do
acumulador pode ser
considerada constante para a
faixa de pressão de trabalho
do acumulador, mesmo que na
realidade não seja.
Aula 4 Acumuladores de Energia 12
Acumuladores de Energia
Fonte Auxiliar de Energia

Aula 4 Acumuladores de Energia 13


Acumuladores de Energia
Compensação de Vazamentos • Bomba promove
movimento do cilindro
(através de VD1) até
atingir pressão P, em que
o pressostato desliga a
bomba.
• Acumulador pode
compensar vazamentos
(no cilindro ou na bomba),
deixando pressão
constante.
• VD2 serve para
descarregar acumulador.
(atenção no tratamento do
fluído ao descarregar VD2)

Aula 4 Acumuladores de Energia 14


Acumuladores de Energia
Fonte de Energia de Emergência

Aula 4 Acumuladores de Energia 15


Acumuladores de Energia

Amortecedor de pulsação

Exemplo: torno de precisão

Aula 4 Acumuladores de Energia 16


Acumuladores de Energia
Amortecedor de
choque hidráulico
• Pistão atinge fim
de curso em
25ms.
• Acumulador é um
dissipador (como
amortecedor ou
capacitor)

Aula 4 Acumuladores de Energia 17


Acumuladores de Energia
Seleção de Acumuladores
• Lento o suficiente
• Menos de 1 min
Acumulador como fonte de potência auxiliar ou de emergência

𝑝2 /𝑝3
• 𝑝1 - pré-carga de gás (menor ou igual a pressão
mínima do sistema 𝑝3 );
• 𝑝2 - pressão máxima do sistema;
• 𝑉1 - volume do acumulador;
• 𝑉2 - Volume comprimido de gás a pressão
máxima do sistema 𝑝2 ;
• 𝑉𝑥 - Volume de fluido descarregado (volume útil
do acumulador);

Aula 4 Acumuladores de Energia 18


Acumuladores de Energia
Acumulador como amortecedor de pulsação de bomba

3 cilindros
• 𝑉1 - volume do acumulador;
• 𝑉𝑏 - Volume deslocado por pistão da bomba;
• 𝑝2 - pressão de operação do sistema (valor
médio absoluto); 4 cilindros
• 𝑝3 - pressão mínima do sistema (e também
valor da pré carga de gás);
• 𝑝4 - pressão máxima de operação do sistema

Aula 4 Acumuladores de Energia 19


Acumuladores de Energia
Acumulador utilizado como amortecedor de choque hidráulico

Enegia potencial
Energia cinética armazenada no
do fluído acumulador, a partir da
integraçao do trabalho
de expansão
volumétrica do gás
2
− 1 𝑝𝑑𝑉 ;
1

• 𝐿 – comprimento da canalização;
• 𝐴 - área da canalização;
• 𝑣 - velocidade inicial do fluido;
• 𝑝1 - pressão inicial, que é de pre-carga do gás
• 𝑝2 - pressão máxima admissível de choque
Para uma velocidade de 5m/s, teoricamente a diferença de pressão pode chegar a 50 bar

Aula 4 Acumuladores de Energia 20


Acumuladores de Energia
Acumulador utilizado como compensador de expansão térmica

A variação térmica do fluido incorre em variação volumétrica


podendo provocar aumento da pressão acima do limite de
segurança.
• 𝑝1 - pressão de pre-carga do gás
• 𝑝2 - pressão do sistema a temperatura 𝑇1
• 𝑝3 - pressão do sistema a temperatura 𝑇2
• 𝑉𝑓 - volume do fluído no trecho fechado
considerado
• 𝑇1 - temperatura inicial do fluido
• 𝑇2 - temperatura final do fluido
• 𝛼 - coeficiente de expansão volumétrica do
fluido
• 𝛾 - coeficiente de dilatação do material do
sistema

Aula 4 Acumuladores de Energia 21