Você está na página 1de 23

INTRODUÇÃO

Porque escrever A FACE OCULTA DO CATOLICISMO ROMANO? Um assunto tão polêmico e até
assustador, mas de vital importância para o atual momento em que estamos vivendo, quando o falso parece
ser verdadeiro e o verdadeiro é visto como o falso.
Mas, é neste momento cruciante em que a hipocrisia predomina; as trevas cobrem o mundo e o
inferno aparece vestido de santidade, com o nome de religião arrastando atrás de si milhares de almas,
sequiosas pela verdade profunda. Morrem avistando águas cristalinas sem poder tocá-las. Descem às
masmorras do inferno n a esperança d e uni lugar intermediário ou de u m retorno à vida.
O fato de sabermos tudo isso e nos omitirmos com o silêncio, faz com que o mal prevaleça, sob
nossos olhares indiferentes, omissos a tudo o que acontece ao nosso redor. O silêncio traduz o que não
gostaríamos de ouvir, mas estamos concordando com o atual sistema que envolve a história. Não sei se por
covardia, medo, repressão, privilégios ou mesmo comprometidos com os erros que já citamos neste
comentário, mas estamos envolvidos, perplexos e estagnados como se fôssemos máquinas, robôs,
marionetes, manipulados por estes sistemas religiosos, que sorrateiramente penetram no seio da ver dadeira
Igreja, arrastando após si verdadeiros apóstolos que hoje comungam na mesma comunhão, sob o título de
“Ecumenismo”. Enquanto escrevo tenho os meus olhos abertos e ouvidos atentos para ver e ouvir tudo o que
o Espírito Santo me revela.
Estamos no final! É já a última hora. O apagar das luzes. Cristo está retornando. É o final da Igreja na
Terra; o diabo sabe disso muito bem. Ele já preparou mais uma vez o inferno para a grande batalha. Está
decidido a não perder como nas vezes passadas, quando perseguiu a Igreja usando todos os meios, mas foi
derrotado. Colocou a Igreja na cruz, jogou às feras, em óleo fervente, ao fio da espada, fez muitos se
transformarem em apóstatas, usando os mesmos para enganar e corrompera verdadeira Igreja, e em nome
de Deus trouxe o horror, a destruição e a morte, com o título de “Santa Inquisição”. Fez as maiores
atrocidades, torturando, queimando em fogueiras, enforcando, decapitando e confiscando os bens. Chegou
até nossos dias no topo da escada conseguiu seu intento, fez o verdadeiro, aos os olhos do mundo, virar
falso. E o falso verdadeiro.
Infiltrando assim na Igreja (chamada Católica Apostólica Romana), gozam os primeiros lugares,
ostentam o título de santidade, quando na verdade são lobos vestidos de ovelhas. Dominam, sobretudo, com
rosto de piedade, mas são verdadeiras serpentes, prontas para atacar novamente, como já estão fazendo pôr
meio deste movimento chamado “Carismático”.É a nova arma de satanás nessa hora final. Agora ele não irá
agir como antes, torturando, matando em fogueiras, jogando às feras ou em óleo fervente. O momento agora
é de confusão; confundir a mente das pessoas é a tática mais forte que satanás está usando neste momento
da história. Ouçamos o que disse o Senhor Jesus Cristo sobre isto em Mateus 25:1 a 13. Ele disse que o
reino dos céus, será semelhante às dez virgens, que, tomando as suas lâmpadas saíram ao encontro do
esposo:
1. As dez eram virgens.
2. As dez saíram ao encontro do esposo.
3. As dez estavam com lamparinas.
4. As dez adormeceram.
5. As dez ouviram o clamor.
6. As dez preparavam as suas lâmpadas.

Estamos vivendo a maior confusão da história, pois a Bíblia nos diz: “Que o diabo se possível fora,
enganaria até os escolhidos”.
Chegou o momento de mostrarmos ao mundo onde está a verdade; gritarem alto e bom som, que
não estamos conveniados com o inferno,nem acovardados. O mundo saberá onde está o falso e o
verdadeiro! Derrubaremos a máscara do inferno, ainda que para isso seja necessário descermos às
profundezas do inferno o resgataremos para Deus tudo o que o diabo levou escondido atrás d o nome:
“Igreja” e riscaremos, enfim dessa nação, a “falsa igreja”.

1
CONSTANTINO E A IGREJA

Ano 306 A. D.Constantino chega ao poderem Roma e recebe o título de Imperador Romano. Ao subir
ao trono imperial,Constantino colocou fim às perseguições que o povo cristão vinha sofrendo com outros
imperadores que o antecederam trazendo, assim,paz e segurança ao Cristianismo no seu império. Com este
gesto, Constantino se transformou rapidamente em uma pessoa amada e respeitada pelos cristãos, não
faltando entre eles os que se empenhavam em provar que Constantino era o eleito de Deus e que sua obra
era a consumação da história da Igreja.
Para outros, ao ouvirem falar da conversão do Imperador nasceu uma grande preocupação com
relação à igreja. Porque o fato de Constantino se declarar cristão e que seria mais fácil ser crente, não era
uma benção, mas o começo de uma grande apostasia. Estes cristãos não receberam com entusiasmo a
aproximação entre a lgreja e o Estado, temendo um mal maior, romperam a comunhão com os demais
cristãos.
Todavia esse grupo de dissidentes, não reagiu à nova situação nem com aceitação total, nem com
rejeição absoluta.
Para a maior parte da liderança da Igreja daqueles dias os novos acontecimentos chegavam,trazendo
perigo. Muitos cristãos olhavam com reservas a lealdade que alguns dedicavam ao Imperador Constantino. A
maioria dos cristãos, insistia que sua lealdade final pertencia somente a Deus. Esta foi à atitude dos santos
da Igreja como Atanázio, Ambrósio,Jerônimo, Agostinho e outros. Com o aumento do relacionamento
Igreja-Estado, aconteceram muitas mudanças no seio da Igreja, com relação ao culto cristão.
Antes da conversão de Constantino, os cultos eram de uma simplicidade peculiar, Os irmãos se
reuniam em casas particulares, também em cemitérios como as Catacumbas Romanas, para adorar o Senhor
Jesus Cristo, mas agora vivendo sob essa nova influência, o culto cristão começou a dobrar -se perante o
protocolo imperial; por exemplo: o incenso que até então era usado para o culto do imperador, começou a
aparecer nas igrejas cristãs.
Os ministros que outrora se vestiam modestamente para os cultos, começaram a aparecer com
vestimentas ricamente ornamentadas. Logo a seguir, veio o costume de iniciar cada culto com uma procissão.
Logo após alguém sugeriu comemorar o aniversário da morte de um mártir, celebrando a ceia no lugar onde o
mesmo havia sido enterrado.
Começaram a construir igrejas em muitos desses lugares, achando que o culto teria um significado
especial, se celebrado em uma dessas igrejas, por causa da presença das relíquias dos mártires. Em muitas
igrejas começaram a desenterrar os corpos dos mártires para colocar seus corpos ou parte deles sobre o
altar. Logo os boatos começaram acorrer, entre eles, que essas relíquias eram milagrosas, então surgiu a
veneração, vindo depois a adoração.
Os Templos começaram a surgir, em todo o Império Romano, pois o próprio Constantino mandou
construir em Constantinopla a Igreja de Santa Irene em honra à paz, e sua mãe Helena construiu na Terra
Santa, a Igreja da Natividade e a do Monte das Oliveiras.
Tais mudanças trouxeram muitas tristezas para muitos cristãos, porque nem todos receberam da
mesma forma estas mudanças. Muitos receberam posições e privilégios e competiam entre eles pelas
posições de mais prestígio. Então os ricos e os poderosos dominavam sobre a vida da Igreja. O joio cresceu
junto com o trigo e ameaçava sufocá-lo.

Como ser cristão nessas circunstâncias?


Quando a igreja se une abertamente ao mundo carnal, quando o lucro e a ostentação passam a
dominar o altar cristão, quando tudo e todos dão a entender que o caminho estreito se transformou em uma
longa avenida? Como passar por cima de tantas ofertas e tentações que nos cercam neste mundo dominador
com suas paixões e pecados? Só olhando para o nosso Cristo, que viveu aqui como nós, e não teve nem um
teto para morar e repousar a cabeça, quando a igreja de nossos dias, vive na mais alta mordomia com suas
mansões luxuosas, vivendo uma vida de conforto quando o sangrento testemunho do martírio já não é
possível. Como rejeitar tamanhas honrarias, que a sociedade e o mundo nos oferecem hoje? Só vivendo ao
pé da cruz e não perdendo a nossa identidade espiritual como muitos, que deixaram, permitindo assim a
infiltração de satanás em seus corações, trazendo com eles dogmas e doutrinas segundo os seus próprios
corações.
2
Arruinando a vida da Igreja até os nossos dias, dos quais falaremos a partir de agora.
Como vimos, todo este declínio da Igreja foi acentuado após a conversão de Constantino. Mesmo
durante toda a sua vida, nunca se submeteu, em nenhum aspecto, à autoridade da Igreja. Ele contava com o
conselho cristão, como o erudito Lactâncio e o bispo Ósio de Córdoba, pois sempre reservou os direitos de
determinar, ele mesmo, suas atitudes religiosas pois se considerava “Bispo dos Bispos”. Por isso mesmo
depois de sua conversão participou de rituais pagãos, os quais eram proibidos aos cristãos comuns, os
bispos não levantaram a voz de protesto de condenação como teriam feito se fosse com outros irmãos.
A partir do ano 310 AD, o catolicismo começou a inventar dogmas, costumes com o único objetivo:
enriquecer seus cofres.
A partir de agora mencionaremos algumas datas, a partir do ano 310 A.D. até o ano 1950, sobre os
desvios da Igreja e a queda do Catolicismo Romano.

CATOLICISMO ROMANO E A SEPARAÇÃO DE CRISTO


 Ano 310 -Reza pelos defuntos.
 Ano 320 - Uso de velas.
 Ano 3 75 - Culto dos Santos.
 Ano 394 -Instituição da Missa.
 Ano 431 - Culto à virgem Maria.
 Ano 503 - Doutrinado Purgatório.
 Ano 606 - Bonifácio Ill se declara Bispo Universal - “Papa”.
 Ano 709 - Obrigatoriedade de beijar os pés do Bispo Universal ou Papa.
 Ano 754 - Doutrina do poder Temporal da Igreja.
 Ano 783 - Adoração das imagens e relíquias.
 Ano 850 - Uso da água benta.
 Ano 890 - Culto a São José (Protodolia).
 Ano 993 - Canonização dos Santos.
 Ano 1003 - Instituição das festas dos Fiéis Defuntos ““.
 Ano 1074 - Celibato Sacerdotal.
 Ano 1076 - Dogma da Infalibilidade da Igreja.
 Ano 1090 - Invenção do Rosário.
 Ano 1184 - Instituição da Santa Inquisição.
 Ano 1200 - O pão na comunhão foi substituído pela hóstia.
 Ano 1215 - Criou-se a confissão auricular.
 Ano 1215 - Dogma da Transubstanciação.
 Ano 1220 - Adoração da hóstia.
 Ano 12 29 - Proibição da leitura da Bíblia.
 Ano 1245 - Uso das campainhas na missa.
 Ano 1316 - Instituição da reza da “Ave Maria”.
 Ano 1415 - Eliminação do vinho na comunhão.
 31/10/1517 - A Reforma
 Ano 1546 - Doutrina que equipara a tradição com a Bíblia.
 Ano 1546 - Introdução dos livros Apócrifos.
 Ano 1600 - Invenção do escapulário - Bentinhos.
 Ano 1854 - Dogma da Imaculada Concepção de Maria.
 Ano 1864 - Condenação da separação da Igreja do Estado.
 Ano 1870 - Dogma da Infalibilidade Papal.
 Ano 1908 - Pio X anula qualquer matrimônio efetuado sem sacerdote romano.
 Ano 1950 - Dogma da “Presença Real de Maria no céu” (Ascensão de Maria).

3
ANO 503 - DOUTRINA DO PURGATORIO

A idéia do purgatório tem raízes no budismo e em outros sistemas religiosos da Antigüidade, bem
antes da existência da Igreja Católica Romana.
As evidências do seu surgimento no pensamento cristão, são encontradas em alguns escritos dos
pais da Igreja Primitiva, durante os séculos III e IV da era Cristã. Até a época de Gregório, porém, o purgatório
não tinha ido reconhecido. Este papa adicionou o conceito de fogo purificador à crença, dizendo haver u m
lugar entre o céu e o inferno, para onde eram enviadas as almas daqueles que não eram tão maus. Somente
em 1439 é que a doutrina foi estabelecida como artigo de fé, em “A Base da Doutrina Católica”, que era u m
sistema de perguntas e respostas feitas n a profissão de fé, e publicada por Pio IV.
Uma das perguntas e respostas era as seguintes:
P: Que espécie de gente vai para o purgatório?
R: As que morrem culpadas de pecados menores (veniais). As que, tendo sido finalmente culpadas
de pecados maiores, não deram plena satisfação deles a justiça Divina.
O purgatório, segundo ensina a igreja romana, não é apenas um lugar de purificação, é também o
lugar em que a alma cumpre pena.
O fogo do purgatório, segundo ensina a igreja romana deve ser grandemente temido.
“O fogo do purgatório será mais terrível do que todo o sofrimento corporal reunido. Um único dia
neste lugar de expiação, poderá ser comparado milhares de dias de sofrimento terreno.“ (Spiritual Bouquet
offered to Souls in Purgatori).
A igreja católica dá o método d e como tirar as almas do purgatório segundo os seus ensinamentos:

1º.) Fazendo orações pelos mortos antes de dormir


Pensemos n o sofrimento das almas n o purgatório. Devemos rezar por elas, fazendo o uso do
rosário, cantando o Pai Nosso e a Ave Maria repetidos ou em favor de si mesmas, ou em intenção de outros,
com o propósito de assegurar-lhes auxílio de remissão das penas. O uso de contas n o rosário, diz-se que foi
dado e ensinado à Santa Dominique pela Virgem Maria e o seu uso, quando as contas são devidamente
benzidas, é eficaz para assegurar muitas indulgências.

2 °) Missas
Segundo a fé católica, constitui nos principais recursos em favor daqueles que estão no purgatório. A
Igreja Romana diz que as missas beneficiam, não somente aqueles em favor de quem são ditas, mas
também aqueles que mandam, acumulando-lhes méritos.

3-°) As Esmolas
A igreja afirma que dar esmolas na intenção das almas que estão no purgatório, é jogar água nas
chamas que as devoram. Ela diz que, assim como água apaga o fogo mais violento, a esmola lava o pecado.

A crença no purgatório, segundo a lgreja Romana, é um absurdo. Conforme seus ensinamentos,


quando a alma vai para o purgatório, ela fica ali, até que seus pecados sejam purgados.
Após este processo, a alma é tirada desta, pela virgem da Conceição ou por um anjo.
Isto não é verdade. Vejamos o que aconteceu no Rio de Janeiro com uma fiel católica, que perdeu o
marido vítima de uma enfermidade. De acordo com a fé católica, ela procedeu assim:

Procurou o padre e solicitou a missa de sétimo dia em favor da alma de seu marido, que estava no
purgatório. Após trinta dias voltou e, por orientação do padre, mandou realizar outras missas. E assim,durante
dois anos, sempre orientada pelo padre, mandou rezar muitas e muitas missas, na intenção de tirar o marido
do purgatório, gastando assim, muito dinheiro. Um belo dia, aquela mulher cansada de tanto gastar dinheiro e
rezar missas, sem com isso conseguir seu intento (que era o de tirar o marido do purgatório), pois o padre
não confirmou isto, resolveu perguntar-Ihe onde estava o seu marido. Sentindo-se pressionado, sem saber o
que responder, fechou os olhos, como em transe, e disse:
 Estou tendo uma visão extraordinária! Vejo um anjo muito forte, descendo ao purgatório
elevando seu marido pelos cabelos para o paraíso.
4
A mulher, decepcionada e em lágrimas disse ao padre vigarista:
 Seu padre, isto é impossível, pois meu marido era careca!

Fico horrorizado em ver milhares de vidas escravizadas por organizações sem nenhum pudor ou
respeito pelo sentimento dos outros. Brincam com a alma dos homens como se elas fossem bonecas ou
máquinas, pois a alma é o bem maior que reside no homem,é ela quem vai com parecer perante Deus, para
prestar contas de tudo o que fez nesta vil a. A Bíblia diz que o nosso espírito é de Deus e tornará para Deus;
nosso corpo é pó e ao pó voltará, porém é a alma que tem necessidades, que ama, sorri, chora. Esta alma
prestará contas u m dia a Deus.
Em nenhum lugar da Bíblia encontramos capítulos nem versículos, mostrando um lugar intermediário,
ou seja, o purgatório. Quando Jesus Cristo estava pendurado no madeiro, morrendo em favor da raça
humana, ao seu lado estavam dois ladrões que eram bandidos, homicidas. Eles zombavam de Cristo,
provocando Jesus, desafiando-o a salvar-se e salvá-los também. Mas um deles, num ato d e reflexão disse:
“Este homem é inocente, não há nele crime algum, e nós estamos aqui porque somos abomináveis, e
olhando para Jesus pediu: Mestre lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino”. Segundo a igreja
romana este homem estava condenado ao purgatório, (segundo eles este é o lugar dos bandidos, assas-
sinos, adúlteros, fornicários, etc). Porém Jesus olhando para aquele miserável e vendo o seu arrependimento
disse-lhe: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso!”.
Confirmando assim a farsa do purgatório. Desfazendo todo o dogma, pois ele não precisava ir ao
purgatório para alcançara graça de Deus. Não precisamos do purgatório, para expiação, a graça o amor e
perdão nos são dado, na hora do reconhecimento do pecado e aceitação de Cristo.
O dogma do purgatório anula o sacrifício de Jesus no Calvário. Se o homem pudesse pagar seus
pecados, através do purgatório, não seria em vão tal sacrifico? A Bíblia diz que sem derramamento de sangue
não h á remissão de pecados. Portanto, não é o purgatório que nos garante a salvação, mas o preciso
sangue de Jesus, “... pois o sangue de Jesus nos purifica de todo 0 pecado”.(Jo 1:9).
Descobrimos e conferimos então que o purgatório é invenção do inferno, divulgado por homens
corruptos, lobos vestidos de ovelhas. O escritor Cézare Cantu registra que este dogma é “A galinha dos ovos
de ouro” da igreja católica, o ex-Padre Dr. Humberto Holnem, confirma que estes e outros expedientes da
igreja católica, recolhe por dia em todo mundo, quinhentos milhões de dólares. Tanto dinheiro que poderia ser
aplicado em obras sociais, sendo aplicado para mandar milhares de pessoas para o inferno.
O Concílio de Trento (tipo de convenção da Igreja Católica), ordena a todos os bispos que
diligentemente se esforcem para que esta doutrina maldita, seja transmitida, ensinada e sustentada por todos
os fiéis em Cristo.
Vejamos alguns versículos que contrariam essa falsa doutrina romana: Lucas 23:43 (Hoje estarás
comigo no paraíso); Hebreus 9:11-72 (Sumo Sacerdote – Jesus dos bens realizados); Hebreus 10:14-19, 22
(Ele é a única oferta); João 19:30 (Está consumado); ll Timóteo 4:6,8 (O tempo da partida é chegado);
Colossenses 3:3,4 (A nossa vida está oculta juntamente com Cristo); Apocalipse 14:13 (Bem aventurados os
mortos que desde agora morrem no Senhor); ll Coríntios 5:8; Filipenses 1:21-23.

5
ANO 1229 - PROIBIÇÃO DA LEITURA DA BIBLIA

O Concílio da Igreja reunido n o ano 12 2 9,inclui a Bíblia n o índice dos livros proibidos. Milhares de
exemplares da Santa Escritura foram incinerados em todo o mundo pela igreja romana. Ainda hoje, onde o
catolicismo romano domina ocorre isto.
A destruição da Bíblia incentivada pelo Papa Leão XII, que em sua carta encíclica datada de 3 de
maio de 1824 escreveu dizendo: “Que a certa sociedade chamada bíblica agia com arrogância em todo o
mundo contrariando os bons conhecidos decretos do Concílio de Trento”,trabalhando com todo o seu poder e
por todos os meios para traduzir, ou melhor, perverter a Santa Escritura na língua própria de cada nação.
Os Bispos Irlandeses reforçaram as palavras de Leão XII divulgando que tais livros são e serão
abomináveis e amaldiçoados pela Igreja Católica Romana, ordenando assim que as Bíblias fossem
queimadas.
Amado leitor, para o livro Sagrado chegar até nós, houve munas dificuldades, perseguições e
mártires, inlusive o nosso tradutor da Bíblia para a língua portuguesa, João Ferreira de Almeida, foi um dos
que pagaram alto preço para que a Bíblia chegasse em nossas mãos. Católicos bem intencionados não
entendem porque homens que se diziam cristãos faziam tudo isso, por causa do poder e do dinheiro se
deixavam corromper. Diziam que só o padre poderia ler a Bíblia, pois o mesmo era representante de Deus na
terra, e que se o povo lê-se a Bíblia, ficaria louco. O medo real deles era que, se o povo examinasse a Bíblia
conheceria a verdade e deixaria a igreja como muitos fizeram. Pois está explicitamente escrito na Bíblia:
“Errais por não examinaras escrituras e nem conhecer o poder de Deus”.
Com a manipulação desses bispos conveniados com o inferno, por muitos séculos o povo ficou
escravizado na cegueira das trevas da desinformação, morrendo sem a esperança da vida eterna prometida
por Deus.
Querido amigo, a Bíblia é um livro que deve ser examinado com carinho e amor, pois é o próprio
Jesus em forma de livro. Em João 1:1-2 está escrito: “No princípio era o verbo e o verbo era Deus, e o verbo
se fez carne e habitou entre nós”. Verbo quer dizer “Palavra”. E quem se fez carne e habitou entre nós, a não
ser o Senhor Jesus? Que deixou seu trono de glória, de honra e majestade, e se humilhou, fazendo -se
homem, morrendo numa cruz, a pior das humilhações, por nossa causa, bendito o Senhor. Quem lê a Bíblia
tem conhecimentos profundos de Deus, pois este livro nos leva, às profundezas deste Deus de amor. No livro
de Josué, o Senhor pede àquele servo: “...não se aparte da tua boca o livro desta lei, mas meditarás nele de
dia e de noite para observar e cumprir tudo o que nele está escrito”. Josué 1:7 -8. Veja o prezado leitor, que o
Senhor pede a Josué que medite de dia e de noite e mais ainda, que não se aparte do livro. A Bíblia Católica
das Edições Paulinas, no Salmo 119.9 nos diz: “Como corrigirá o jovem seu proceder? Guardando as tuas
palavras”. O mesmo Salmo ainda nos diz: “Escondi no meu corarão as tuas palavras para não pecar contra ti,
nas tuas ordens meditarei, não me esquecerei das tuas palavras, com teus mandamentos aprendi, por isso
odeio todo o caminho da iniqüidade”, Versículo 10-,>: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para
os meus caminhos”.
Em toda a Bíblia, nós encontramos versículos, falando desta maneira. Deus pedindo para o homem
tomar posse da sua palavra, para poder viver melhor a vida n a terra, sem ódio, sem guerra, sem doenças e
misérias. Mas o homem foi enganado e por isso sofre nas mãos de satanás, carregando dogmas, fazendo
penitência, adorando ídolos, pagando promessas, contrariando terrívelmente a Palavra de Deus.
Enquanto escrevo, faço-o em oração por você que pratica muitas coisas, que entristece a Deus, por
desconhecer estas verdades que está lendo. Mas quero confortar o seu coração com estas palavras que
dizem, que o Senhor nosso Deus não leva em conta o tempo da vossa ignorância espiritual, mas dou graças
ao meu bom Deus por ter aberto os meus olhos para a verdade maravilhosa da palavra e poder partilhar com
você as riquezas deste manancial que jorra águas cristalinas e sacia toda a sede do coração sedento. O
Senhor Jesus Cristo disse: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Senão pela verdade, verdade
esta que quando aplicada, parece machucar e ferir, pois mexe com nossa estrutura espirituaL e nos revela
coisas que não sabíamos e por um momento, ficamos chocados, derrotados, amargurados, querendo não
acreditar no que estamos ouvindo e isto nos faz entrarem um condito interior sem precedentes, choramos,
gritamos e nos perguntamos: será que tudo isso é real, ou fruto de uma procura desesperada? Será que
agindo assim não estou pecando contra essas divindades, ou desobedecendo à minha Igreja? Afirmo-lhes em
nome do Senhor Jesus, mil vezes não pois assim diz Jesus: ‘Aquele que Me achar, achará a vida, e
6
descobrirá a verdade. E o que é a verdade? É Jesus! “Eu SOU o caminho, a verdade e a vida!”. Bendita
verdade, que trouxe luz a milhares de pessoas em todo o mundo, por ela morremos, e com ela venceremos
reinos, e chegaremos ao porto seguro de Canal Quando esta gloriosa Palavra penetrou em nossa querida
nação brasileira, foi perseguida e quem a possuía também. Templos foram queimados, nossos irmãos foram
arrastados, perseguidos e seus bens foram confiscados.
No próximo segmento, falaremos com detalhes sobre isto. A mando dos padres, nossos pregadores
foram apedrejados e surrados, mas a palavra prevaleceu, pois ela é como um leão, não é necessário
ninguém defende-lá ela se defende sozinha. Hoje temos alegria em podermos ver, em quase todos os lares
da nossa Pátria, um exemplar do Livro Santo, trazendo conforto e vida a to dos que com um coração sincero a
examinam e se entregam totalmente aos seus cuidados. Antes de finalizar este assunto quero deixar alguns
versículos para que você conheça com mais profundidade este livro.
Êxodo 34:27; Deut. 31:9-13; Nee. 8:1-8; Nee. 9; Deut. 6:6,9,11, 18-21; Deut. 17:18-19; Salmos 1:1-3;
Salmos 19; Lucas 2:46-47; João 5:39-40; Mateus 22:29; Atos 5:29.

7
IMAGENS

A igreja Católica perdeu o caminho da cruz quando se enveredou atrás dos ídolos e colocou em seus
templos imagens, contrariando assim a ordem de Deus, que proíbe esta prática e sua adoração, fazendo
disto sua principal identificação no mundo, pela dedicação de seus cultos às imagens de Jesus, da Virgem
Maria, dos apóstolos e de muitos outros santos como objetos de adoração.
No princípio não era assim. Esta igreja não aceitava nem pinturas em suas paredes, temendo
aborrecera Deus. Foi a partir do terceiro século que começaram a aparecer as primeiras ornamentações e
pinturas nos lugares de culto. Com o declínio acentuado da vida espiritual, já no século V, elas começaram a
ser usadas como meio de instrução para os ignorantes, pois muitos daqueles que freqüentavam a igreja não
sabiam ler, por isso não possuíam livros. Então, a igreja usando deste subterfúgio, passou a usar imagens,
como meio de instrução e comunicação com estas pessoas, para mostrar lhes alguns episódios bíblicos mais
importantes e, agindo assim, que esta que era pura, bela e sem mancha se aprofundou na idolatria levando
junto milhares de pessoas a venerar e cultuar as figuras como se fossem santas. No Concílio de Nicéia no
ano 787, foi oficializada esta prática, esta Assembléia se reuniu e levou o nome de Sétimo Concílio
Ecumênico.
O Vaticano tenta justificar o culto que se presta às imagens, está apontando para os ídolos das
divindades pagãs, como Baal, Diana, Vênus, Dionísio e tantos outros que existiram no passado, mas o que
entendemos a luz da Palavra de Deus, no livro de Êxodo 20, é o seguinte: Deus dá uma ordem expressa a
Moisés dizendo: “Não terás outros deuses diante de mim”; por onde entendemos que tudo o que ocupa o
lugar de Deus no coração do homem é idolatria e tem que ser banido. Colossenses 3:5. No Cap. 2 0:4-5
de Êxodo, o Senhor continua falando e exigindo do povo que não pratique este tão grande mal, e diz: “Não
fará para ti, imagens de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo da
terra. Não te curvarás a elas, nem as servirás, porque eu, o Senhor teu Deus, Sou Deus zeloso, que vi sita a
maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, Então disse mais o
Senhor a Moisés, assim dirás aos filhos de Israel, vós tendês visto que Eu falei convosco desde os céus”.
“Não fareis outros deuses comigo, deuses de prata e deuses de ouro não fareis para vós”. Analise
querido leitor a exigência do Senhor a estas formas de culto, pois Ele é santo e não permite estes atos entre o
povo que se chama pelo seu nome.
Descobrimos que o Senhor tem ciúmes do seu povo e Ele em hipótese alguma permitirá que aquele
que o serve, renda culto ou adoração, ou qualquer outro tipo de atributos a coisas que estão sobre a terra,
abaixo da terra ou no céu.
Fica claro então que o culto que a igreja romana tributa às imagens é em plena desobediência aos
mandamentos de Deus. A Bíblia Católica das Edições Paulinas, nas sua 40º edição de 1988, no livro de
Sabedoria 14:7, mostra explicitamente a maldição de se adorar imagens (ídolos) obras das mãos humanas.
Este capítulo nos diz o seguinte: “O madeiro do qual se faz bom uso é bendito, mas o ídolo obras das mãos
do homem é maldito, ele e seu autor, este porque de fato o fabricou, e aquele por que sendo uma coisa frágil,
foi chamado de deus”. A partir do versículo 12 deste mesmo capítulo, temos um panorama todo especial
sobre este assunto. Porque a idéia de fazer ídolos foi o princípio da fornicarão e a sua in venção foi a
corrupião da vida, pois eles não existiam no princípio nem duraram para sempre. Foi a vaidade dos homens
que os introduziram no mundo e por isso em ,breve se verá o seu fim. Idolatria maldita que tem arrastado
milhares de almas para o inferno. Minuto após minuto, sem misericórdia, quantas pessoas enganadas,
escravizadas, com os olhos vendados, caminhando para o abismo, guiados por outros cegos, pois foi isso
que disse o Senhor Jesus: ”... se um cego guiar outro cego, ambos cairão no abismo”. É exatamente o que a
falsa igreja está fazendo neste mundo, levando todos os seus seguidores a caminhar por uma estrada sem
retorno, pois Deus não poupará esta organização nem os seus seguidores.
Continuemos com o livro de Sabedoria v.15 do mesmo capítulo: “Penetrado um pai por uma amarga
dor, fez a imagem de seu filho que morreu prematuramente e aquele que tinha falecido como homem,
começou a ser adorado como Deus. Depois, o andar do tempo, firmando-se o mau costume, foi observado
este erro como uma lei e por ordem dos príncipes eram adorados”. A habilidade admirável do artista excitou
este culto no espírito dos próprios ignorantes.
E o vulgo dos homens, seduzidos pela beleza da obra, tomou por um deus aquele que até ali tinha
sido honrado como homem. A Bíblia fala que o uso de imagens idólatras, é a causa de toda a desgraça que
8
acontece entre os homens. Derramamento de sangue, homicídios, furto e engano, corrupção e infidelidade,
turbação e perjúrio, perseguição dos bons, esquecimentos de Deus, contaminação da alma, crimes contra a
natureza, inconstância dos matrimônios, desordens do adultério e da imundícia. Porque o culto dos ídolos
abomináveis é a causa, o princípio e o fim de todo o mal. Como vimos,a razão de todo o mal que cobre a
terra, é proveniente de ídolos e imagens e tudo o que toma o lugar de Deus na vida do homem.
Pobre Brasil, que tem sofrido durante séculos com toda a sorte de idolatria, porque se orienta através
dos seus sacerdotes, buscando conforto e soluções para problemas de todas as ordens espirituais ou
materiais a cada dia, mas mergulham n o caos e desespero sem encontrar a solução tão almejada que tanto
desejam para o seu povo. A resposta está muito patente. Vivemos sob a maldição de Deus, pois fazemos e
realizamos todas as coisas que o Senhor condena,sua vontade é esquecida por este povo, que prefere crer
em misticismo, santo padroeiro, feitiçaria, idolatria, cartomante, necromancia, coisas que aborrecem Seu
santo nome e colocam separação entre a criatura e o Criador. Como pregador do Santo Evangelho, tenho
percorrido toda esta nação e tenho contemplado o sofrimento deste povo que segue, venera e adora tantas
divindades que roubam o lugar de Deus de seu coração, e na cegueira da ignorância, praticam cul tos, cumpre
rituais, faz sacrifícios pagãos e promessas, em louvor a estas coisas que nada podem fazer em seu benefício.
Passando pela região Norte, na cidade de Belém, fiquei impressionado com a grande multidão que cultuam
ao Ciro de Nazaré, idolatria que aquele povo venera e invoca como padroeira de toda aquela região.
Na região Nordeste, a cidade de Juazeiro é o berço do padre Cícero que infesta à mente e alma
daquele povão tão sofrido.
Na Bahia quem “governa” aquela terra é o Senhor do Bonfim.
Na região Centro-Oeste o povo tem como padroeira, a Trindade e a Sra. da Abadia.
No Sul os curitibanos veneram a Sra. de Guadalupe; Paranaguá cultua a Virgem do Rocio.
E m Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, a padroeira é a Sra. dos Navegantes.
N Rio de Janeiro adoram São Sebastião.
Em São Paulo, adoram São Paulo.
A bem da verdade, esta falsa igreja ensinou esta terra que, para cada necessidade e ocasião existe
um santo protetor, como também, um para cada dia da semana. Sendo a Sra. de Aparecida, padroeira de
toda nossa nação, com direito a feriado e tudo.
Segundo o catolicismo romano, se você estiver com problemas de visão, fale com Santa Luzia; se
tiver medo de ir a guerra converse com São Jorge ou Joana D’Arc. Sua necessidade é o casamento, Santo
Antonio é a solução; medo de tempestade invoque a Santa Bárbara; se estiver com problemas na gravidez,
Sra da Conceição é a protetora das gestantes e a Aparecida é Clínica Geral.
Pobre nação, gente sofrida e enganada, caminha como ovelhas desgarradas, e a cada fração de
segundos são devoradas, porque vivem sob o peso da mão do grande Deus do céu, pois Ele não permite que
sua glória seja dada a ninguém e o que mais esta terra tem feito é isto, servem mais a criatura do que o
Criador, que é bendito eternamente. Amém
Clamam por socorro, pedem dias melhores, choram por verem seus filhos morrerem nas ruas, se
desesperam com o aumento da marginalidade e da prostituição, mas o céu parece de bronze, não há
resposta, não há solução. (Segundo dados do DIEESE, 53% das crianças brasileiras são miseráveis e 32
milhões de brasileiros vivem na pobreza absoluta - TV Cultura, 11-09-92).
E então, indagam:
 Somos religiosos, temos fé, nossos deuses são milhares; temos invocado cada dia sua
proteção, por que não somos ouvidos?
Mas, estarrecidos, contemplamos diante de nós tamanhas desgraças n a vida espiritual e material.
Em todo os segmentos da nossa sociedade, encontramos dificuldades, crises e problemas de todas as
ordens. 0 governo e sua política entraram em colapso, todos os seus planos foram frustrados, a economia
despencou, tornando-se objeto de piadas e gozações.
A política social também está no caos; não vemos solução a curto, médio ou longo prazo e nossas
ruas superlotam de famílias que, sem trabalho, vivem uma vida sub -humana de miséria, fome, e a cada dia
nossa sociedade se deteriora trazendo conseqüências desastrosas e tendo que conviver com os mais
terríveis crimes. De quem é a culpa?
Dentro deste assunto tão importante tentei mostralhes quem são os culpados. Os responsáveis
segundo a Palavra de Deus são estes homens, que detêm a verdade em injustiça, com rosto de piedade,
9
sendo chamados de “santo”. jogando a maldição sobre o nosso povo, fazendo com que uma terra fértil como
a nossa, se torne estéril e, o que de melhor produzimos, seja exportado, tornando -nos mais pobres a cada
dia. Somos considerados o “celeiro do mundo", no entanto, não saímos do vergonhoso título de “país do
terceiro mundo". E continuaremos sendo chamados assim, até que tomem consciência de honrar ao Criador
(Deus) e não a criatura (Sra. Aparecida e outros).
Revolta-me saber que estes homens, dizendo-se sábios e querendo ser “representantes de Deus”
aqui na terra, chegam à loucura, trazendo para este povo as piores conseqüências e males de toda ordem. A
prática do homossexualismo e lesbianismo é natural para eles, pois estão cegos para a Bíblia que afirma que,
por causa da idolatria, Deus os abandonaria às Paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o
uso natural no contrário à natureza. E semelhantemente, assim também, os varões, deixando o uso natural
da mulher se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza
e recebendo em si mesmo a recompensa que convinha ao seu erro.
Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja,
homicídio, contenda, engano, malignidade, murmuradores, soberbos, presunçosos, desobedientes aos pais e
às mães, néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia. Sabemos que
o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisam fazem. O que pensar desta grande nação em
que vivemos? Dominada pela idolatria de norte a sul, leste a oeste. Todas essas imagens são uma imundícia,
mas a pior das espúrias da idolatria, nasceu em 1717, no porto de ltaguassú, que hoje conhecemos como a
cidade de Aparecida do Norte. Este nome deu-se devido à aparição no Rio Paraíba.

10
O MONGE BENEDITINO

Estevão Bittencourt, dá-nos um relato a respeito da imagem da Aparecida. Vejamos o que ele nos
disse:
“As autoridades eclesiásticas não se empenham por definira autenticidade da aparição da Senhora
lmaculada, no porto de Raguassú em 1717. A santa Igreja, de modo algum, entende fazer de tais relatos,
matéria de fé (ver: Em Pergunte e Responderemos, pg 71 - ano 1963). A bem da verdade, deve-se notar que
tal atitude favorável e independente de qualquer pronunciamento da autoridade eclesiásticas sobre a
genuinidade dos prodígios que se narram em torno da virgem e do santuário de Aparecida.” (Monge
Bittencourt).
O Dr. Aníbal Pereira Reis, em seu livro - “Este Ex-Padre Escapou das Garras do Papa”, pagina
146,diz:
“Um dia estava rezando, como de costume, aos pés da imagem da Aparecida, pois era seu devoto
número um. Fui informado pelos próprios lábios daqueles padres, sobre a realidade brutal para mim naqueles
tempos. Num gesto de zombada e de escárnio disseram-me que a Senhora Aparecida não possa de um
embuste; é uma” maracutaia “, a maior e mais bem organizada deste pais”.
Um outro padre disse que gostava dela, porque lhe era lucrativa financeiramente.
Querido leitor, por várias vezes dentro deste assunto, tenho feito a seguinte colocação sobre esta
igreja. Tenho denominado-a de “falsa igreja” por todos estes motivos que o leitor está lendo e meditando.
Quando digo que eles brincam com as almas dos homens como se fossem bonecos ou máquinas, talvez
você não compreenda muito bem, mas aí estão os fatos diante de seus próprios olhos e muitos outros que
ainda falaremos.
Analisemos o ocorrido em Aparecida, por ocasião de uma festa em louvor à imagem:
Um fiel foi visitar o santuário para cumprir o seu voto e adoração. Em um breve descuido, tropeçou no
altar e, em fração de segundos, a padroeira feita de barro se espatifou , transformando -se em 175 pedaços
sob os olhares atônitos de seus adoradores, sem nada poderem fazer por sua Padroeira. Pobres adoradores
que contemplaram a desgraça da senhora protetora que não pode protege a si mesma sequer, pois “...tem
olhos mas não vêem, tem ouvidos mas não Ouvem, tem mãos não apalpam, tem pés mas não andam”. A
Bíblia diz que “.., tornaram-se semelhantes a elas todos os que lhe invocam”. Salmo 115:4-8.
Juntaram seus 175 pedaços, mandaram-na para a Itália para ser reconstituída e assim, retornou ao
altar para ser venerada pelo mesmo povo que a viu ser transformada em pedaços. E para maior tristeza e
ruína deste tão sofrido povo, no dia 4 de julho de 1980, o Papa João Paulo II, vindo ao Brasil, foi à Aparecida
e celebrou uma missa. Deu um grande discurso mentiroso, depois tomou em suas mãos a imagem
reconstituída ergueu-a, com ela benzeu a nação e a declarou “Padroeira do Brasil”. A partir deste momento, o
Brasil entrou em descompasso. Uma série de desgraças se abateu sobre nós. O Nordeste conheceu a maior
seca de sua história; nove milhões de pessoas, mais da metade dos nordestinos ficaram sem água. No Sul
dezenas de cidades foram inundadas, com milhares de desabrigados por toda à parte. Acontecem coisas aqui
que são motivo de riso e deboche em todo o mundo. Este tremendo enganador, depois de colocar ó Brasil
debaixo desta terrível maldição, rouba-nos o dia 12 de outubro (dia das crianças) oferecendo-o à Aparecida
para ser o seu dia.
Com dor no coração tenho que dizer que, enquanto perdurar em nossa terra este dia oficializado a
padroeira, o nosso país não sairá do caos que se encontra. Nossa sociedade se corromperá a cada dia; a
desonestidade nas transações comerciais será desavergonhada; a prostituição, as drogas, o alcoolismo, e a
criminalidade infestarão as nossas ruas. E com olhares perplexos contemplaremos nosso povo esmagado
pela fome; milhares desabrigados; o aumento acelerado de crianças nas ruas, frutos de mulheres sem
compromisso conjugal, as chamadas pela sociedade de mães solteiras, culpadas pelos milhões de inocentes
abandonados em nosso país.
Quem poderá resgatar o Brasil deste caos? U m novo sistema de governo será a solução? O
parlamentarismo, ou quem sabe o Monarquismo ou mesmo voltando à Ditadura? Todas estas possibilidades
já foram pensadas e, mais que isto, estão sendo discutidas pelo Congresso.
Não é pessimismo de minha parte, e nem torço pelo fracasso, mas é a realidade que temos de
enfrentar.

11
Não é o poder de um grande exército, nem pela muita força de qualquer presidente ou partido que
conseguiremos a vitória, porque como já vimos, o problema do Brasil é ”pecado” e dos maiores.
Esta nação está vivendo distante de Deus por causa do pecado da idolatria e se não o abandonar, o
caos será pior.
Pobre terra brasileira! Prefere uma senhora imaginária criada de uma estátua, do que a gloriosa
Palavra de Deus e sua bendita promessa que está no Salmo 33 que diz: “Bem aventurada é a nação cujo
Deus é o Senhor!”:
Para encerrarmos este assunto ouviremos o profeta Isaías 2:17-18, que diz “Todos os ídolos
totalmente desaparecerão da terra, quando o Senhor retornar a este mundo, como Ele fará em poder e
grande glória, só o Senhor será exaltado, naquele dia, todos os ídolos pagãos, todas as imagens que estão
nas igrejas em toda à parte aonde forem encontradas. Naquele dia os homens lançarão às toupeiras e aos
morcegos, os seus ídolos e imagens de ouro e os seus ídolos de prata que fizeram para ante eles se
prostrarem e meter-se-ão pelas fendas das rochas e pelas cavernas dos penhascos por causa da presença
espantosa do Senhor”:
Aqui está a nossa alegria. Um dia esta terra, ficará livre destas desgraças e então teremos paz.
Jamais a fome nos atingirá, e o mal será banido para sempre Louvado seja o poderoso nome do Senhor para
sempre Amém.

12
SANTA INQUISIÇÃO

Ou “Supremo Tribunal Eclesiástico que julga e inquire os crimes cometidos contra a fé”
Inquisição - forno incinerador do catolicismo - foi instituída no ano 1184, com o objetivo de fazer calar
as pessoas que não concordavam com a maneira de agir da Igreja Católica Romana. O objetivo deles era
calar os protestantes que não admitiam os desvios desta que fora santa e agora estava prostituída . Foi a
maior preocupação desta ordem, que não poupou ninguém que se colocou em seu caminho, pois os papas
proclamavam que poderiam mudar os preceitos dos cristãos revogando leis, fazendo com que o errado fosse
o certo.
O papado foi poder mundial, dominou reis, possuiu territórios, recolheu impostos, teve exércitos e
destruiu seus opositores. Tornou-se político-religioso, mas com o crescimento das igrejas independentes, o
papado sentiu-se ameaçado e então, instituiu a Inquisição, que mostraremos, a partir de agora, seus horrores
praticados em todo o mundo.
A Reforma era inevitável e necessária. Desde o século X, haviam-se notado alguns instantes de
reforma na igreja. A corrupção era tão avassaladora, que muitas pessoas bradavam ao céu, por uma reforma
nos membros da igreja! Algumas ordens monásticas que apareceram por aqueles tempos, foram uma reação
contra a imoralidade. Houve também alguns grupos como os Cátaros ou Albigenses, no Sul da França, e os
Valdenses que representaram uma oposição forte à igreja os quais foram igualmente perseguidos. A atitude
refratária da igreja a uma verdadeira reforma alcançou seu apogeu no estabelecimento da Inquisição pelo
papa Inocêncio III, no IV Concílio de Latrão, em 1215.
A igreja esmagou todos os movimentos de oposição e rios de sangues e derramaram em holocausto.
Houveram, assim mesmo, alguns concílios como o de Constância e o de Basiléia, pelos quais intentou-se
uma reforma radical da igreja, mas sem conseguí-la, pois eles queriam absoluta autoridade, supremacia,
porém, esta idéia não sobreviveu por muito tempo, nem n a prática, nem na doutrina.
Além de tudo isso, o Concílio de Constância cometeu o horrendo crime de condenar à fogueira um
homem cheio de Espírito Santo - João Huss, da Boêmia que pregou contra o purgatório romano e trouxe a
tona toda à sujeira da igreja católica. Este homem foi para a fogueira por não concordar com o erro e, com
ele, milhares em todo o mundo enfrentaram os horrores da Inquisição, mas protestaram e não recuaram,
mostrando a verdade para o mundo como fazemos hoje através deste livro, fitas e pregações por toda parte.

13
VITIMAS DA INQUISIÇÃO NO MUNDO

A Inquisição matou em todo o mundo vinte e cinco milhões de pessoas. Em 1208 exterminaram os
cristãos Albigenses no Sul da França. O padre Dominicano Espanhol Tomás de Torquemada foi.quem
comandou por oito anos, a morte de 10.200 cristãos não católicos, que incluía intelectuais e maçons. Foram
queimados vivos. Foi horrível! O bispo Hooper, foi sacrificado com pouco fogo e gritava:
 Aumenta o fogo, mais lenha!
Ao seu lado estava o papel do perdão, bastava tira-lo mas não o fez. Preferiu morrer, contrariando a
vontade daquela falsa igreja.
Só na Espanha, 31.912 (trinta e um mil e novecentos e doze) cristãos, além de livres pen sadores
foram mortos pelos papas. 291.450 (duzentos e noventa e um mil e quatrocentos e cinqüenta) pessoas foram
martirizadas, e 2.000.000 (dois milhões) de pessoas foram banidas. A Espanha, que era nação poderosa,
tornou-se pois, sem expressão. De 1500 a 1558, CarIos V exterminou, a mando do papa em exer cício, 50.000
(cinqüenta mil) cristãos.
De 1572 a1585, o Papa Pio V, organizou o extermínio de 100.000 (cem mil) Anabatistas.Esse mesmo
papa, com os jesuítas, insuflou as igrejas a exterminar mais de 70.000 (setenta mil) protestantes na noite de
24 de agosto de 1572, na França. Essa façanha foi tão maravilhosa aos olhos desta besta humana, o Papa
Pio V, que cunhou moedas comemorativas ao massacre. Em 1590 o Vaticano incentivou as igrejas e
eliminaram 200.000 (duzentos mil) Huguenotes.
O monarca alemão, Fernando II, no ano de 1578, instigado pelos padres jesuítas, começou uma
guerra de extermínio contra os protestantes. Essa guerra religiosa terminou em guerra política e tirou a vida
de 15.000.000 (quinze milhões de pessoas) de pessoas, nos anos de 1613 a 1648. Na 2ª. Guerra (1939 a
1945), o Vaticano envolveu-se escandalosamente. A imprensa mostrou o clero abençoando as tropas e arma -
mentos italianos que partiam para massacrar os negros na Etiópia.
Como já vimos, a perseguição católica no mundo foi terrível, pois ela usava toda a sorte de torturas
para fustigar o corpo da vítima. Primeiro o acusado era apresentado ao juiz ordinário da Inquisição; o
interrogado já sabia qual seria o seu destino. Teria os seus bens confiscados, seria torturado e, caso não
denunciasse os parentes, poderia ser queimado vivo. As torturas a que era submetido eram metódicas,
obedeciam a gradações, umas mais cruéis que as outras. O suplício inicial usado em Lisboa, Portugal, era de
lambuzar as plantas dos pés do torturado com banha ou manteiga. Depois de ter amarrado o corpo do infeliz
a um catre, com os pés assim besuntados; era posto sobre um braseiro e depois dessa tortura o coitado não
poderia andar. Resistindo a esse suplício, era amarrado pelos pulsos e pernas numa espécie de cama de
ripas. O inquisidor dava um solavanco, cortando assim as carnes, separando-a dos ossos. Se passasse por
mais esta tortura, a vítima era suspensa por cordas que passavam por uma roldana presa ao teto, de cabeça
para baixo. Os carrascos, inesperadamente soltavam as cordas, e o infeliz despencava com todo o peso do
corpo, sendo detido no ar quando chegava a alguns centímetros do solo. Querido amigo, isso não parece
verdade mas, é a expressão da verdadeira realidade histórica que nos foi ocultada durante séculos.
O objetivo da Inquisição, de fazer calar os protestantes, (conforme revelam os documentos da
história), é que quando um destes homens ou mulheres chamados por eles de hereges, eram presos, seus
bens eram confiscados tornando-se, assim, propriedades da igreja.
O Rei Fernando e a Rainha Izabel, da Espanha que assumiram o trono em 1474, tomam posse dessa
poderosa arma chamada Inquisição e a intensificam fazendo uma verdadeira cruzada contra os ricos, a fim de
levantar dinheiro para custear exércitos de conquistas, subornos para poderosos papas ou compra de armas.
Fizeram da Inquisição uma poderosa fonte de renda para o tesouro real e para o Vaticano, como veremos a
seguir.

14
A INQUISIÇÃO NO BRASIL

Levantamento feito pela historiadora, Dra. Anita Novinski (Dia 20 de maio de 1987, foi realizado o Pri -
meiro Congresso Internacional sobre a Inquisição - USP).
A Dra. Anita Novinski, interessou-se pela inquisição e pelos cristãos brasileiros, estimulada por dois
professores da USP, João Cruz Costa e Lourival Gomes Machado, os quais insistiam que, enquanto não se
conhecesse a história daqueles cristãos e da Inquisição, ninguém poderia escrever corretamente a história do
Brasil, pecando por omissão, engano ou falta de conhecimento.
Analisem bem o que aconteceu ontem no Brasil. Foi terrível como se verifica nos documentos que a
Dra. Anita possui.
Brasileiros que foram condenados pelo “Santo Ofício” foram presos; suas famílias postas na rua; suas
casas trancadas; embarcados para Portugal, para os cárceres da inquisição e julgados sem direito à defesa e
alguns condenados à fogueira. A lista que ainda está sendo levantada pela historiadora é enorme: cerca de
500 brasileiros, a maioria de crentes, passou por este calvário. Eis uma abordagem da Dra. Anita Novinski no
Congresso, numa matéria editada no Caderno Dois do jornal “O Estado de São Paulo”:
“Os inquisidores, crentes que o corpo humano era residência do mal, desenvolveram todo o tipo de
artifício criativo para chicoteá-lo, despedaçá-lo, esquarteja-lo, para esmagar os dedos e estourar os ventres
dos fiéis. Instaurado no Brasil logo depois da invasão holandesa na Bahia, que a igreja julgou trazer o seu
rebanho na América, desvios da fé, dado ao protestantismo dos invasores, que chegavam da Holanda,
fugindo da perseguição católica naquele país. O Santo Tribunal fez mais de 500 vítimas em apenas 20 anos
no Brasil. Há registros de 21 pessoas queimadas em praça pública, meia centena que viveu grande parte de
sua vida em calabouços, com seus bens confiscados. Este foi o grande alvo da igreja católica romana. Foram
300 anos de Inquisição”.
A Dra. Anita fez uma relação de alguns cristãos que foram torturados, queimados, seus bens
confiscados em, alguns estados brasileiros que mencionaremos relembrando a coragem, a firmeza, até e a
devoção que deram suas vidas, seus bens, mas honraram o nome do Senhor Jesus Cristo. Parabéns a estas
grandes memórias que são bem-vindas em nossa mente.
 O lavrador carioca Agostinho José de Azevedo, morador em Minas Gerais. Perdeu todas as
suas propriedades, foi torturado e enlouqueceu nas masmorras do “Santo Oficio”.
 Antonio da Fonseca Rego, de Olinda, Pernambuco, preso em suas terras lavradas n a
Paraíba, foi outro condenado ao cárcere até o fim de sua vida.
 Alexandre Soares Pereira, também carioca, senhor de engenho, teve a mesma sorte,
enlouquecendo também ao fim de seu martírio.
 Domingos Rodrigues de Andrade, morador no Rio de janeiro, minerador,perdeu tudo.Sua
condenação atinge seus descendentes até a décima geração e terminou a sua vicia
mendigando em Lisboa.
 Antonio da Silva Pereira, outro carioca, antes mesmo de seu julgamento inquisitorial,já havia
ficado aleijado para sempre.
 Diogo Cardoso Coutinho, médico, carioca ficou aleijado para sempre.
 Outro drama inconcebível, Diogo Correia do Vale, médico de Ouro Preto, Minas Gerais, foi
preso e obrigado a delatar seu filho Luiz Miguel Correia, de 28 anos. Como hereges, ambos
foram torturados até a loucura e queimados vivos n a fogueira.
 Mulheres também tinham a mesma sorte, reservada a seus patrícios brasileiros. Guio mar
Nunes, da Paraíba, proprietária das terras, foi torturada até perder a razão, e queimada viva
em seguida, após julgamento sumaríssimo. Sua conterrânea Tereza Paes de Jesus, acusada
de Judaísmo,também foi supliciada até a loucura e queimada viva.
 Francisco de Siqueira Machado, do Rio de Janeiro, foi outro que enlouqueceu no cárcere
após contínuas torturas,que acabou voltando para a prisão para ser queimado vivo em praça
pública como criminoso reincidente contra a fé.

Grande parte dos condenados pelo Santo Ofício eram do Rio de janeiro, como João Soares de
Mesquita e João Tomás Brun, com toda família levada ao cárcere e à tortura. José Fonseca Sotto -Maior,
igualmente torturado junto à parentes próximos e obrigado à denunciá-lo como hereges. Luiz Mendes de Sá,
15
português que nasceu nas masmorras de Coimbra. Veio para o Rio e por causa das condições de seu
nascimento foi preso e condenado a ser queimado vivo na fogueira. O caso do Capitão-Mor da cidade de
Parati, Miguel Tales da Costa que torturado, morreu louco e apedrejado na rua.
Mas, há registros de condenados de todo o Brasil como Teotônio de Mesquita, Luiz Nunes da
Fonseca, Manuel de Mendonça Valadolide, ou Tomás Pinto Ferreira, negociante de Goiás, todos queimados
na fogueira da Inquisição. Rios de sangue se derramaram em holocausto trazendo muita dor, destruição e um
prejuízo incalculável para graça humana.

16
CONFISCO DE BENS - (ALVO PRINCIPAL DA INQUISIÇÃO)

O confisco de bens dos cristãos brasileiros, referente à primeira metade do século XVIII, cujos
resultados espantam e configuram de modo eloqüente, pois segundo a história, o principal objetivo da
inquisição era acabar com os crentes e tomar-lhes os bens como: terras, casas, lavouras, criações, etc- O
Santo Ofício, após efetuar as prisões, fazia a classificação dos prisioneiros segundo os bens que possuíam.
Para o Santo Ofício eram considerados multimilionários os cristãos n o Brasil que possuíssem bens, como
terras, casas, lavouras e outros no valor de 200 quilos de ouro e a classe média que chegava aos 50 quilos
de ouro. Segundo o levantamento feito pela Dra. Apita, só de confisco de bens de 13 brasileiros, a Inquisição
arrecadou cinco toneladas de ouro.
O cálculo feito pela Dra. Anita, n o início de 1987, computando os juros de 6% ao ano sobre os
confiscos que deveriam reverter aos descendentes dos condena dos ao longo de três séculos, o tesouro
português e do Vaticano deveriam desembolsar 61 milhões de dólares, com juros progressivos de quatro
milhões de vezes aquela quantia, que seriam algumas vezes maior do que a dívida externa brasileira.
Catolicismo Romano e Inquisição - duas forças piores do que Hitler, Stalin, Nero. Bestas humanas
que mancharam aterra com sangue de inocentes como o pastor Jean Jacques Le Vouller, conhecido como
João Bollés, que foi preso em 1559, por ser denunciado como herege, pelo padre Luiz de Grã, ao Governador
Geral. Condenado,passou oito anos na masmorra encarcerado. Logo depois foi condenado à morte pelo
crime de ser evangélico. Mas antes de levá-lo à forca, colocaram o padre José de Anchieta para convencer o
pastor João Bollésa se retratar e converter-se ao catolicismo. Como isso não foi possível, pois João era u m
homem convicto de suas idéias, foi levado para ser executado pelo carrasco. Como este demorasse para
cumprir a ordem, o próprio padre Anchieta se antecipou e executou o ato, enforcando o nosso querido pastor
João Bollés. Um dos primeiros mártires da fé em nossa pátria, enforcado pelo (santo brasileiro) José de
Anchieta. Ao terminar a execução ele olha para o carrasco que não teve coragem de matar um homem
inocente e diz: ”Eis como se mata um homem”.

(Extraído do livro “Anchieta, Santo ou Carrasco?”)

O pastor João Bollés foi o primeiro pastor a celebrar a Santa Ceia no Brasil.

17
A IMORALIDADE DOS PAPAS - SANTOS OU DEMÔNIOS?

A história oculta do catolicismo romano é terrível e nojenta, pois os acontecimentos que a envolvem
tem cheiro de imundícia. Devido ao celibato que adotaram, os escândalos tem acompanhado o sistema
religioso que criaram tão diferente dos evangelhos.
Ainda hoje é uma constante tia imprensa os deslizes morais entre eles. É impossível calcular os
casos que não vieram e não vêem a luz. Deus julgará!
O período mais tenebroso do papado foi entre os anos 904 e 963. Esse período é conhecido como
“Pornocracia” ou “Domínio das Meretrizes” .
Theodora e sua filha Marósia, que eram prostitutas, tinham tanta influência no Vaticano que
colocavam na “cadeira de São Pedro”, amantes e bastardos! O Papa João IX, era filho ilegítimo de Marósia,
amante do Papa Sergio Ill, ano 941. O Papa João XII, 955, violava virgens e viú vas e conviveu com a amante
de seu pai. Esse Papa fez do Palácio Papal um bordel e foi morto pelo marido da mulher que violara.
O Papa João XXlll, ano 1410, foi o pior deles. Como Cardeal e depois como Papa violou mais de
duzentas virgens, mulheres casadas, freiras e conviveu com a mulher do seu irmão. O Papa Pio XII, ano
1458, além de sedutor, foi corrupto. Ensinava os jovens a praticarem atos obscenos. O Papa Paulo ll, ano
1464, encheu a casa de concubinas e o Papa Inocêncio VIII, ano 1484, teve dezesseis filhos, com mulheres
casadas.
Entre todos estes que já mencionamos o mais devasso foi Alexardre Vl, ano 1492 a 1503. Foram
onze anos de patifaria; foi amante de sua própria filha Lucrécia Borgia. O nome verdadeiro deste Papa é
Rodrigo Borgia. Foi eleito Cardeal com a idade de 25 anos, teve uma vida devassa, mundana e corrupta e
numerosos filhos de várias mulheres, tendo reconhecido por “bula papal” aos que nasceram de Vaunozza del
Catanel. Cometeu vários adultérios; o que mais repercutiu na época foi com Fiulia Fornese, mulher de Orsino
Orsini, com a qual teve urna filha chamada Laura. Rodrigo Borgia, foi aclamado Papa em 1492, recebendo
então o nome de Alexandre VI.
No domínio deste Papa acontecia de tudo no Vaticano. Uma das maiores infâmias cometidas por ele,
infâmia esta que foi levantada e divulgada pelo seu genro, Giovanni Sforza, foi a de que ele, o Papa
Alexandre VI, estuprou sua própria filha, uma garota de 11 anos, a famosa Lucrécia Borgia, mulher que teve
sua vida contada por vários romancistas, pois ela foi sempre apontada como uma grande devassa. Aliás, foi
seu pai Alexandre VI que a levou a esse estado de devassidão. Mediante tais acusações com provas,
Giovanni Sforza, conseguiu a anulação do casamento que havia contraído com a menina Lucrécia Borgia.
O Papa Leão X, ano 1513 a 1521, era de família rica. Comprou sua posição na igreja com apenas 8
anos de idade; já era Arcebispo e com 13 foi Cardeal. Esse Papa manteve uma corte silenciosa e com seus
Cardeais, praticava passatempos voluptuosos em deslumbrantes palácios. Foi este Papa que Lutero
enfrentou.
O Bispo de Orleans, referindo-se aos Papas João II, Leão VIII e Bonifácio VII, chamou-os de
“monstros cheirando podre”. O Papa Marcelo II, ano 1555, registrou em sua biografia que dificilmente um
Papa escapará do inferno.
Ulaico, Bispo de Augsburgo contou que o Papa Gregório VIII, ano 1703, ordenou que se esvaziasse
um grande aquário no convento de monjas de Roma e encontraram seis mil esqueletos de recém-nascidos.
Diante desses acontecimentos este Papa aboliu o celibato, mas seus sucessores restabeleceram-no.
Noutro convento em Niuberg, Áustria, desenterraram vinte potes com esqueletos de bebês. O papa
Pio IV redigiu uma bula, pedindo a todas as mulheres violadas pelos padres que apresentassem acusações.
Os casos foram tantos, só em Sevilha na Espanha, que abandonaram os processos.
Petrarca, iniciador da Renascença, anos1304-1374, escreveu na Epístola XII:
“A igreja de Roma, Babilônia infernal, que em pesteia o mundo inteiro; cárcere indecente onde nada é
sagrado; nenhum temor de Deus; habitação de gente de peito de ferro, ânimo de pedra e vísceras de fogo”.
São Bernardo, doutor da Igreja também fustigou dizendo:
“O contágio pútrido havia se estendido pelo corpo da igreja, o mal era interno e não causava cura”.
Mas entre este emaranhado mundo de pecados e misérias, muitas vozes se levantaram condenando
este sistema de vida mundana, trazendo à luz toda a verdade. Homens que pagaram com suas próprias
vidas, com a coragem de apontar erros e provar que a verdadeira fé que Jesus pregou fora deturpada por
homens devassos, corruptos e alienados com inferno.
18
Nos anos 1154-1159, Arnaldo de Bressia, muito contribuiu para o declínio do papado, pois fez vir a
público os latifúndios da Igreja e por isso foi enforcado pelo Papa João VI. Uma outra voz poderosa foi a de
João Huss, reitor da Universidade de Praga-Boêmia, que pregou contra o culto às imagens e mostrou que na
Bíblia não havia purgatório, por isso foi queimado vivo em praça pública.
Um outro orador por nome Savanarolla, por denunciar as imoralidades do Papa Alexandre VI,
1492-1503, foi enforcado por causa deste protesto:
“És pior que uma besta, tu és um monstro abominável. Chegue aqui, igreja infame, escuta o que diz o
Senhor: dei-te estas belas vestes e tu as transformaste em ídolos. Tua luxúria fez de ti uma donzela de júbilo
desfigurada. És pior que uma besta, tu és um monstro abominável. Outrora, pelo menos, coravas ante teus
pecados, hoje não. Não tens nem mesmo este pudor. Outrora, se os padres tinham filhos, chamavam-nos
sobrinhos, só filhos, filhos mesmos. Criaste uma casa de desregramento, tu te transformaste, de alto a baixo,
em casa de infâmia. Que faz ela, a donzela pública? Assentada sobre o trono de Salomão, faz sinais a todos
os passantes que têm dinheiro, entram e podem fazer o que quiserem. Mas quem quer o bem é atirado para
fora. É assim igreja prostituída, que revelaste tua vergonha aos olhos de todo o orbe e teu hálito envenenado
elevou-se até o céu. Por toda parte puseste vista tua impudícia. ( “Interrogatório de Savanarolla”. François
Granet, Museu das Belas Artes, Lyon-França).
Outros tomaram coragem como o poeta Petrarca, um dos iniciadores da Renascença, anos 1304 a
1374. Petrarca chamou o Vaticano de “Cloaca do Inferno”.
Uma força que muito contribuiu para o declínio do papado, foi o reavivamento cultural do século XII
(Renascença). Surgiu a imprensa, a Bíblia foi editada, o povo instruiu-se e a mente humana emancipou-se da
influência clerical. O Vaticano estremeceu! Um prelado discursando na época disse: “Destruamos a imprensa
ou ela nos destruirá” (1492).
Todos estes contribuíram para a queda do catolicismo no mundo, mais ainda não era o suficiente
para a Reforma tão esperada que parecia não chegar. Mas no ano 1517, ao som da trombeta do monge
Martinho Lutero, vários países se ergueram como gigantes. Lutero relacionou a Bíblia com o catolicismo e
ficou perplexo; disse ao Papa: “Raciocinemos sobre isso”. E o Papa respondeu: “Submete-se ou morrerás
queimado”.
Prezado leitor, como já vimos o descontentamento era geral com a corrupção da igreja e do clero.
Os fiéis viviam indignados com as crueldades da Inquisição e as imoralidades dos Papas. A Europa
Ocidental era escravizada pelo sistema eclesiástico (países como a lnglaterra, Escócia e Alemanha). (Quando
o monge Martinho Lutero deu o “grito” de Reforma, estes países, como monstros adormecidos, despertaram
do sono.
Martinho Lutero, monge agostiniano, professor da Universidade de Wittemberg, era um bom religioso
por sua fé e zelo. Levou o mundo a quebrar as correntes desta organização falsa e a buscar a liberdade.
Certo dia em uma profunda meditação a sós com Deus, tomou a Bíblia, começou a ler e seus olhos
pararam n o livro de Romanos 1:17. Naquele instante Uma paz profunda inundou a sua alma e o Espírito
Santo, mostrou-lhe toda a verdade ao ler esta afirmação:”... mas o justo viverá da fé”. Descobriu a sublime
verdade de que a salvação se ganha pela confiança em Deus, mediante Jesus Cristo e não pelos ritos,
sacramentos e penitências da igreja. Bendita descoberta que mudou totalmente sua vida e todo o curso da
história.
O que mais indignou este servo de Deus, foi a venda de indulgências, que se alastrava por toda a
parte. Prometiam, com tais indulgências, o direito de pecar ao cidadão que a possuísse. Podia cometer
qualquer tipo de pecado, pois de posse da indulgência, ele estaria livre de toda a condenação e com este
expediente os cofres do Vaticano ficaram recheados.
Mas no dia 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero não agüentou mais e afixou na entrada da porta
principal da igreja de Wittembergn a Alemanha, as ”95 Teses” contra os abusos e práticas da igreja. Enfrentou
dura luta com o clero, onde este e o Estado tentaram em vão silencia-lo. Por um ano ficou exilado no Castelo
de Wartburg, escondido da perseguição do Papa.
Foram dias de grande júbilo, pois ali traduziu a Bíblia para o alemão e escreveu muitas obras. Seu
desejo não era fundar igreja, mas sim uma reforma no seio da própria igreja. Porém isso não foi possível
porque houve cisão na igreja, ficando de um lado o protestantismo e de outro o catolicismo.
Martinho Lutero foi realmente o homem escolhido por Deus para vibrar o golpe decisivo e trazer a
Reforma tão almejada por todos. Graças ao bom Deus e a este homem, o movimento da Reforma explodiu
19
em diversos lugares ao mesmo tempo. Na Suíça, Deus levantou Zwinglio, Calvino, M elancton, um homem
forte que trabalhou ativamente, pois criou o sistema de educação protestante.
Assim a grande obra estava realizada e progrediu rapidamente, atingindo os países baixos como a
Dinamarca, Suécia, Noruega, Inglaterra, Polônia, Boêmia e Áustria, abalando também a Espanha e Portugal.
Grande foi a perseguição católica como já falamos. Queimaram muitos crentes; sufocaram o
movimento na Espanha a ferro e fogo e, em outros países. Massacraram milhares de vidas na França, na
noite de São Bartolomeu. Foi a maior carnificina: mais de 70 mil foram mortos, mas não conseguiram barrar a
Reforma, porque estava no centro da vontade de Deus. Era a hora do juízo para a grande meretriz. Nos
países em que a Reforma foi aceita, houve a volta do verdadeiro e puro ensino da Palavra de Deus e o
progresso desses países é o “Atestado” do poder maravilhoso do Evangelho.

20
ORIGEM DAS RENDAS - (DO VATICANO E DA IGREJA)

Como o leitor já viu, esta falsa organização usou de todos os meios para conseguir dinheiro para
gastar em seus caprichos e deleites, não importando se para isso fosse necessário praticarem as piores
atrocidades com seus opositores. Agindo deste jeito, conseguiram formar um grande império em todo o
mundo. Todo esse dinheiro, a preço de sangue de homens, mulheres e crianças, que mesmo perdendo todos
os seus bens, também deram suas vidas em holocausto.
A maioria do povo desconhece estas verdades que durante séculos ficaram ocultas, pois ninguém se
arriscava a condenar publicamente estes crimes contra os direitos humanos. Hoje, eles pregam com tamanha
intensidade direitos humanos para o campo, dizendo: “Terra de Deus, terra dos irmãos.
Como o caro leitor pode notar, em toda a história desta organização, eles foram os que mais violaram
os direitos humanos. E como defensores de terras para o povo, não poderiam nem abrir a boca, porque são
os maiores latifundiários desta nação e nunca repartiram um metro de terra para ninguém, terra que não lhes
pertence, porque segundo o que sabemos e, de que o querido amigo acaba de tomar conhecimento, estas
terras, foram confiscadas do próprio povo (nos melhores pontos das cidades, chamadas de principais
praças”).
Esta igreja não tem moral para defender os direitos humanos e nem terra para ninguém. Teria sim
que devolver todos os bens que ela roubou deste povo tão sofrido e explorado sem direito de se defender,
porque ninguém parece se interessar por eles e pelos seus problemas.
Você vai ver um pouco mais do perfil desta prostituta que tem o nome de igreja e é uma verdadeira
vergonha para o cristão autêntico que vive o real cristianismo e pode ser chamado de Igreja pura imaculada e
gloriosa do Senhor Jesus Cristo.
Sem sustento legítimo, por estarem desacreditados, os Papas e a igreja sancionaram o blefe,
canalizando para seus cofres quantias fabulosas, negociando cardinalatos e cargos eclesiásticos, posições
que valiam fortunas! Cobravam para canonizar um “santo” naqueles dias, 23 mil Ducados; hoje esse ato custa
milhões. Vendiam relíquias e pedacinhos da cruz de Cristo, negociando o perdão de pecados mediante
indulgências que criaram, prometendo com missas pagas aliviar esta situação! Desconhecendo a Palavra de
Deus, milhões de pessoas acabaram aceitando esses expedientes matreiros do catolicismo romano. O papa
João XXIII, ano 1410, cobrava impostos dos prostíbulos contabilizando-os no orçamento do Vaticano. Não é
um absurdo dos mais imorais?
O padre João Tetzel tornou-se famoso, vendendo documentos de indulgências da ”igreja”, negociava
uma que dava direito antecipado de pecar. Esse padre vendia uma outra por alto preço, que garantia ainda
que tivesse violado Maria, mãe de Deus, desceria para casa perdoado e certo do paraíso. Os papas
assinavam esses documentos valorizando-os.
O papa Leão X, no ano 1518,continuou com o blefe. Necessitando restaurar a igreja de São Pedro
que estava rachando, usou cofres com os dizeres absurdos tais como: “Ao som de cada moeda que cai neste
cofre, uma alma desprega do purgatório e voa para o paraíso”. O Vaticano é a corte mais suntuosa da
Europa. Já não se preocupa com as migalhas, aplicam proventos desses comércio espiritual de tal forma que
possuem terras, fazendas, bancos próprios e edifícios em todo o planeta. N dia 28/06/85, o jornal ”O Estado
de São Paulo” trouxe uma reportagem sobre este assunto dizendo que os católicos americanos estão
exigindo do Vaticano relatórios e balancetes financeiros.

21
A BENÇÃO PAPAL - BÊNÇÃO OU MALDIÇÃO?

As bênçãos divinas trazem êxito, solução, concedem vida, pois em João 10:10 está escrito: “... Eu
vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”. Mas as bênçãos dos papas são suspeitas, como
veremos nestes fatos que a história registrou. Coincidência? Não! Maldição mesmo, pois estes papas
passaram pela história, todos tiveram as mãos manchadas de sangue. E a Santa Palavra nos diz, que aquele
que matou ou consente é homicida. Por isso, não ternos dúvidas em afirmar que as bênçãos ministradas por
eles transformaram-se em maldições. O documentário “O Estado do Vaticano”, vasculhando intensamente
sobre este assunto, fez um levantamento surpreendente com relação a todas as pessoas que buscaram a
bênção do Papa tiveram fins trágicos, tanto pessoas como nações.

Veja alguns registros:


 O Papa Pio IX, em 1870 abençoou Carlota de Bourbon. Quando voltou a Roma antes dela
sair do Vaticano enlouqueceu sem causa aparente.
 O arcebispo do Peru, morreu 43 dias depois da bênção do Papa, deram-lhe um cálice
envenenado em Vierns Sanctus.
 O Imperador Maximiliano, do México foi abençoado pelo Papa, mas em Querentenário foi
preso e fuzilado pelos revolucionários.
 A Imperatriz quebrou a perna logo depois da bênção papal. O exército francês foi
completamente derrotado em 1870 depois de uma bênção solene do Papa Pio IX.
 O Papa Bento XV, em solene cerimônia, abençoou o Duque Francisco Fernando da Áustria.
Começaram, então, suas desgraças como nunca houve na Europa. Soberano infeliz, perdeu
o trono e foi um dos causadores de grande guerra.
 Os navios Santa Maria e o América receberam as bênçãos do Papa em 24/12/1971. Neste
dia ambos naufragaram. A bordo do Santa Maria Haviam onze freiras
 Depois que o Papa proferiu a famosa bênção “Urb et Orbi°, o papado perdeu o domínio
sobre a cidade de Roma. Foi a maior perda que o catolicismo já sofreu.

Veja agora o que as bênçãos dos papas fizeram com a nossa Pátria.
 O Brasil, no nosso 4º. Centenário, recebeu a bênção do Papa. Então, vários bancos do Rio
faliram e houve desemprego e suicídios.
 *Em 1905, volta o Papa a abençoara nossa terra.Tivemos então, a praga dos gafanhotos e a
catástrofe do Aquidabã. Campos Sales e sua família receberam uma bênção especial que
valiam por três gerações. Em poucos dias seu irmão foi assassinado.
 O saudoso Presidente do Brasil Afonso Pena, também buscou a bênção do Papa, mas logo
depois morreu.
 O Dr. Tan credo Neves, eleito Presidente do Brasil, foi a Roma receber a bênção do Papa
João Paulo li. Saindo de um templo católico em Minas disse: ”Recebi a bênção de Nossa
Senhora, agora posso governar o Brasil.“ A bênção do Papa não surtiu efeito, a imagem da
Santa não ajudou e Tancredo não subiu a rampa do palácio em Brasília.

É preciso que as autoridades de nosso país dirijam suas preces ao Deus vivo, esquecendo a Idolatria
do Catolicismo, pois as bênçãos dependem do céu e só devem ser ministradas quando há autenticidade
espiritual e isso não se consegue por governar uma grande região ou por direitos canônicos.

O Papa João Paulo ll, esteve no Brasil, beijou o nosso solo, conseguiu um feriado para a Padroeira e
impetrou sua bênção para o Brasil. Então começaram nossas desgraças que ainda perduram. A bênção nada
valeu;

 A imagem da padroeira cega, surda e muda não ajudou e o F.M.I. caiu sobre nós; a inflação
galopou, a política entrou em colapso e nos maiores escalões do governo enfermidades e
enfartes atingiram vários ministros, incluindo o próprio Presidente.

22
 No Nordeste aterra tremeu mais de 1.000 vezes; no Amazonas houve um naufrágio com mais
de1.000 mortos. Secas nunca vistas em todo o Nordeste e n o Sul, enchentes cobriram as
cidades.
 Desde 1980,quando o Papa João Paulo II “abençou” o Brasil, esta terra tem vivido as piores
catástrofes já registradas. Nosso povo só conhecia terremotos de ouvir falar de catástrofes
em outros países.
 Estamos convivendo com a fome em vários lugares. As pestes matando o povo, a
criminalidade aumentando assustadoramente. Famílias sem teto para viver, desemprego em
massa, hospitais falindo sem condições de atender a população. O Rio com seu “Cristo
Redentor”, símbolo do estado e do país em todo o mundo, com seus braços estendidos mas
sem nada poder fazer, porque é um ídolo inútil construído pelo homem.

Assisti horrorizado a tragédia de seus habitantes que vivem como se estivessem presos, pois existem
grades por toda a parte de suas residências. No comércio na baixada fluminense, muitos moradores atendem
seus clientes através de grades. A razão agora você já sabe.Vivemos em um país que sofre, sob a maldição
de Deus. Enquanto isso não mudar sofreremos todos estes danos. Até parece que não há solução, pois como
tantos problemas, não enxergamos saídas, pois nos sentimos cercados por todos os lados. Mas, solução há!

Temos de lutar com todas as forças para mudar esta terrível situação acabando com a idolatria, a
feitiçaria, abolindo o feriado da Padroeira, que é a maior causadora dos males, conveniada com o Papa e o
Vaticano. Quando isto acontecer, então devolveremos a Deus este país e todo esse povo poderá dizer como
disse o Salmista:

“FELIZ É A NAÇÃO CUJO DEUS É OSENHOR!”

Rui Barbosa, grande tribuno brasileiro prefaciando seu livro “O Papa e o Concílio”, escreveu:
“O Romanismo não é uma religião, mas sim uma política, a mais viciosa, a mais sem escrúpulo e a
mais funesta de todas as políticas. O Romanismo tornou-se um elemento deletério cuja fermentação
decompõe a sociedade. Olhai a América Latina, estudai o Brasil, por toda parte só há fanatismo, beataria e
farizanismo religioso. Uma religião de fábulas senis”.
Getúlio Vargas, ex-Presidentes do Brasil, também enxergava, eis o que dizia:
“A alta sociedade adora um catolicismo elegante e cético, enquanto a grande massa vive na fase
fetichista, adorando santos de barro com várias especialidades milagreiras”. (O País, Rio 29/08/25).

FONTES CONSULTADAS:
 “A Bíblia e o Catolicismo Romano” (Autores : Dreyer e Weler)
 “Documentário: O Estado do Vaticano”. ”Revista Manchete” (Reportagem Durval Ferreira)
 Revista Realidade” (extinta) - “Este Padre Escapou das Garras do Papa” (Autor: Dr. aníbal
Pereira Reis)
 “Aparecida” (Dr. aníbal Pereira Reis)

23