Você está na página 1de 10

PREFÁCIO

Como já falamos anteriormente, uma revisão na instalação elétrica deve ser


efetuada a cada cinco anos.
Visualmente é possível detectar se existem falhas na instalação elétrica. Fios
desencapados, tomadas chamuscadas, faíscas ao ligar um equipamento são apenas
alguns exemplos de que sua instalação elétrica precisa de reparos.
Neste caso, solicite a presença de um profissional qualificado que possa efetuar um
check-list completo das instalações elétricas, desta forma, você conseguirá evitar
problemas futuros e gastos extras.

1

#e-book 5
4 DICAS SOBRE INSTALAÇÃO
ELÉTRICA SEGURA
Faça um check-list de segurança em sua instalação elétrica

2

Sumário

Itens que poderão ser verificados visualmente.................................................................4


110V ou 220V, o que é melhor para a minha instalação?.................................................5
Principais componentes de uma instalação elétrica........................................................7
Faça sempre a manutenção das instalações elétricas....................................................9

3

Dica#1 - Itens que poderão ser verificados visualmente

É possível verificar sua instalação elétrica somente analisando alguns itens chave
como:
• Quadro de distribuição (quadro de luz) – Os cabos elétricos contidos
no quadro de luz não deverão ter nenhum sinal de aquecimento, pois caso
existam é sinal de sobrecarga na instalação e risco de incêndio;
• Disjuntores – Verifique se existe um disjuntor geral e outros disjuntores
divididos por cômodos. Se houver um número razoável de disjuntores
significa que a instalação elétrica foi bem projetada, caso contrário é
necessário ajustar a instalação o quanto antes para que o número de
disjuntores corresponda ao número de cômodos existentes.
Outra verificação a ser efetuada é desligar os disjuntores e observar se o
medidor está registrando algum tipo de consumo. Caso esteja registrando
significa que está havendo fuga de energia e somente um profissional
qualificado poderá solucionar o problema.
*É importante ressaltar que a função do disjuntor é proteger a alimentação
geral da instalação elétrica contra sobrecargas ou curtos-circuitos. Se o
disjuntor está desligando é sinal que o circuito está com algum tipo de
anormalidade. Por esse motivo é muito importante efetuar sua verificação o
quanto antes.
• Tomadas – Verifique se a quantidade de tomadas existentes em sua
residência está de acordo com a quantidade de equipamentos que deverão
ser ligados. Caso seja de uma quantidade insuficiente, é necessária a criação
de novos pontos, evitando assim a utilização de T’s e extensões a fim de não
sobrecarregar a instalação elétrica.

4

Dica#2 - 110V ou 220V, o que é melhor para a minha instalação

Em algumas regiões do Brasil, os eletrodomésticos possuem duas opções de


instalação elétrica. Eles representam o mesmo desempenho, mesmo consumo
energético e similar grau de periculosidade. Então qual a diferença entre as duas
tensões? Bem, a diferença está no dimensionamento dos componentes da
instalação elétrica.
Vamos explicar. Antes de tudo, é preciso determinar dois itens importantes: a bitola
dos fios e o consumo de energia elétrica dos equipamentos eletroeletrônicos para
cada uma dessas tensões.
Temos como exemplo um chuveiro elétrico de 6.000W: em 220V será utilizado um fio
de 4mm² e em 110V será utilizado um fio de 10 mm².

Como o fio de 10mm² é mais caro que o fio de 4mm², podemos concluir que, neste
caso, a instalação elétrica em 220V é mais barata.
O cálculo acima deverá ser repetido para cada tipo de eletroeletrônico, pois pode
haver casos em que a bitola dos fios será igual tanto em 110V quanto em 220V.
Porém, é preciso determinar o consumo de energia dos equipamentos para cada
uma dessas tensões em uma determinada quantidade de tempo. Por exemplo:

5

Ou seja, o gasto de energia é o mesmo em 110V e 220V.

6

Dica#3 - Principais componentes de uma instalação elétrica

Uma instalação elétrica é composta de inúmeras peças. Desta forma, o projeto


elétrico é o grande responsável por indicar quais as peças certas e seus devidos
lugares, para que formem uma instalação elétrica segura e eficiente.
Sendo assim, os principais componentes que compõem uma instalação elétrica são:
1. Quadro de distribuição – Este pode ser chamado de “coração” da
instalação elétrica, pois abriga todos os dispositivos de proteção contra
sobrecargas, curtos-circuitos, choques elétricos e sobretensões. É
exatamente do quadro de distribuição que partem todos os fios/cabos que
ligam os pontos de iluminação, tomadas, chuveiros, entre outros.
IMPORTANTE – é de suma importância que o quadro elétrico fique em um
local de fácil acesso, longe de gás, água e deve sempre estar em perfeitas
condições de limpeza.
2. Condutores elétricos – Estes são os responsáveis por conduzir a
energia em uma instalação elétrica e devem, obrigatoriamente, ser
fabricados de acordo com as normas técnicas. Atualmente, os tipos mais
comuns de fios/cabos utilizam material isolante em PVC, com
características de anti-chama, sendo um item de extrema importância para
a segurança em casos de incêndio. Porém, devido às evoluções
tecnológicas existentes, foi criado um novo tipo de material chamado de
“não halogenado”. Este material, além de ser anti-chama, também possui a
característica de emitir baixa quantidade de fumaça, gases tóxicos e
corrosivos durante sua queima, representando assim ainda mais
segurança para as pessoas e para o patrimônio.
3. Disjuntores – Devem permitir que todos os eletroeletrônicos funcionem
sem nenhum tipo de problema. Porém pode ocorrer situação de sobrecarga
devido a equipamentos com defeito ou equipamentos que possuem grande
potência não prevista no projeto original; ou ainda quando mais de um
aparelho é ligado ao mesmo tempo sem que a rede elétrica tenha sido
projetada para essa situação. Em qualquer um desses casos, se a
sobrecarga não for interrompida a tempo, ela poderá resultar sérios danos
tanto aos componentes da instalação quanto aos eletroeletrônicos. Para
evitar que as sobrecargas danifiquem as instalações elétricas, elas devem
possuir disjuntores instalados no interior dos quadros elétricos. Desta
maneira, os circuitos são desligados automaticamente em caso de
sobrecargas, devendo somente ser religados após o conserto.
4. Fio Terra – Sua função é conduzir total ou parcialmente a fuga de corrente
elétrica, fazendo com que ela se desvie do corpo humano evitando assim
um choque de maior intensidade. Por esse motivo, as instalações elétricas
devem obrigatoriamente possuir o “fio terra” instalado em todas as
tomadas, pontos de luz, e todos os locais onde serão instalados
equipamentos eletroeletrônicos.
5. Dispositivo DR – Dispositivo Diferencial Residual mais conhecido como
DR. Este componente tem como função garantir a proteção contra os efeitos

7

dos choques elétricos desligando automaticamente a energia elétrica caso
ocorra uma elevação da corrente de fuga da instalação elétrica. Quando não
existe o DR, mesmo com a presença do Fio Terra, uma longa duração do
choque elétrico pode ser fatal.
6. Benjamins e extensões – Apresar de serem facilmente encontrados no
mercado, sua utilização deve ser feita com muita cautela, a fim de evitar
desperdício de energia e situações que possam colocar a instalação elétrica
sob o risco de incêndio. Em qualquer um dos casos, a capacidade máxima
do produto em relação à soma das potencias dos equipamentos deve ser
respeitada. Nunca utilize benjamins ou extensões como soluções
permanentes para a falta de tomadas.
7. Dispositivo Protetor de Surto (DPS) – São componentes
desenvolvidos com o objetivo de detectar as sobretensões transitórias na
rede elétrica e desviar as correntes de surto para o sistema de aterramento
antes que atinjam os equipamentos eletroeletrônicos. Os principais danos
causados pelos surtos elétricos são a degradação de componentes, a
diminuição de vida útil de equipamentos eletroeletrônicos e até a sua
queima instantânea.

8

Dica#4 - Faça sempre a manutenção das instalações elétricas

As instalações elétricas também necessitam de manutenções regulares a fim de


garantir seu funcionamento adequando e evitar possíveis danos.
Assim como tudo que há no mundo, os componentes das instalações elétricas
também envelhecem e sofrem desgastes pela utilização, reduzindo assim sua
segurança e eficiência.
Não existe um prazo exato para que as manutenções sejam feitas, porém é
recomendado que a cada 10 anos elas sejam verificadas, ou sempre que um
problema for notado.
Lembre-se que as manutenções, instalações e reparos devem ser efetuados
somente por profissionais qualificados.
Realizar a manutenção das instalações é mais barato do que lidar com os danos que
uma instalação desatualizada ou com problemas pode causar.
Programa Casa Segura ajudando você a investir em sua segurança e de seu
patrimônio.

Em breve, mais um e-book para você.