Você está na página 1de 8

MEC-SETEC

INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS


CÂMPUS AVANÇADO PIUMHI
Bacharelado em Engenharia Civil

RELATÓRIO DE FÍSICA EXPERIMENTAL


Gases Ideais

DANIELA BIAGGI
GABRIEL SOARES
GABRIELA FERNANDES
HENRIQUE MARTINS
HIGOR COSTA

Piumhi
2018
DANIELA BIAGGI
GABRIEL SOARES
GABRIELA FERNANDES
HENRIQUE MARTINS
HIGOR COSTA

RELATÓRIO DE FÍSICA EXPERIMENTAL


Gases Ideais

Trabalho apresentado ao curso de Engenharia


Civil do Instituto Federal Minas Gerais –
Câmpus Avançado Piumhi, como requisito
para aprovação na Disciplina Física
Experimental II. Professor: Gustavo Luz.

Piumhi
2018
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO
01
2 OBJETIVO
02
2.1 Objetivo Geral
02
2.2 Objetivo Específico
02
3 MÉTODOS
02
3.1 Materiais
03
3.2 Procedimentos
03
4 RESULTADO
04
5 DISCUSSÕES
04
6 CONCLUSÕES
07
7 REFERÊNCIAS
08
1 INTRODUÇÃO

Os gases ideias estão presentes em muitos aspectos. Está presente na


atmosfera, possibilitando a vida humana e de todos os animais, sem eles seria
impossível a existência de seres vivos.
As variáveis de temperatura, pressão e volume são relacionadas nos
gases pela lei dos gases ideias. Estes têm como principal característica ocupar
totalmente o volume do recipiente que o hospeda, independente de sua
quantidade, isso acontece porque os gases não se comportam de forma
ordenada por eles terem um alto grau de liberdade.

2 OBJETIVO
2.1 Objetivo Geral

Objetivou-se com o presente experimento, a prática laboratorial dos


conhecimentos adquiridos na disciplina de Física II pelos discentes do curso de
Bacharelado em Engenharia Civil, dos tópicos de termodinâmica, que estuda o
comportamento dos gases.

2.2 Objetivos Específicos

Com os dados obtidos após a realização do experimento pode-se


encontrar o volume da caixa, assim possibilitando encontrar a área lateral onde
as partículas de gás foram liberadas.

3 MÉTODOS

3.1 MATERIAIS

 Software PHET Colorado

3.2 PROCEDIMENTOS

O experimento foi feito através de um computador pelo software PHET


Colorado, onde foi adicionado 150 moléculas de um determinado gás, com o
volume constante, a gravidade zero e as moléculas sem colisão.
Inicialmente a temperatura estava a 50 K e após 30 segundos de
observação colheu-se as pressões obtidas e fez-se uma média da maior com a
menor para encontrar a pressão média do gás na temperatura escolhida.
Após esse primeiro experimento foi repetido outras várias vezes
variando a temperatura de 50 em 50 K e com o mesmo procedimento anotando
as pressões obtidas.
Colhido todos os dados, pode-se encontrar o volume da caixa pela
formula:
𝑃. 𝑉 = 𝑁. 𝐾𝑏. 𝑇

𝑁. 𝐾𝑏
𝑉= .𝑇
𝑃

E em seguida encontrou-se a área da base da caixa pela fórmula, sendo h, já


pré-estipulado e fixo na execução do experimento.

𝑉 = 𝐴𝑏. ℎ

Também foi possível traçar o gráfico de P x T e achar a reta média e


inclinação.

4 RESULTADOS E DISCUSSÃO

No primeiro passo foi coletado as pressões em atm de cada temperatura


correspondente.
T (K) P (atm)
50 0,145
100 0,285
150 0,435
200 0,575
250 0,72
300 0,865
350 1,005
400 1,15
450 1,295
500 1,44
550 1,585
600 1,725
650 1,865
700 2,015

A partir de então foi possível obter o volume da caixa estudada, pela lei
dos gases ideais.

P= N.Kb.T/ V

0,145.101325=150.1,38.10-23/V

V=7,04.10-22

Então pode-se obter a área da base da caixa em questão, adotando-se


previamente a altura sendo 6nm (6.10-9 m)

V= Ab. H

7,04.10-22=Ab.6.10-9

Ab= 1,17.10-13

É possível determinar a área da base da caixa também pelo metodo da


reta média, pela seguinte formula

Ab=N.Kb/m.h

Ab= 150.1,38.10-23/0,00288.6.10-9

Ab= 1,19.10-13

A partir desses dados finais, é possível traçar o gráfico T x P e encontrar


a reta média e sua inclinação.
5 CONCLUSÃO

Esse experimento permitiu através da análise do movimento de dois pêndulos


compostos um por um fio e um cilindro de alumínio e o outro por um fio e um cilindro de
ferro (ambos de mesmo volume), medir o tempo gasto para desenvolver dez oscilações,
e determinar o período médio em entre elas, e mostrar ainda que, apesar de a massa
dos dois corpos serem diferentes, elas não influenciam no período, quando a variação
do ângulo de oscilação é pequeno. Também observou-se, que a cada diminuição de 20
centímetros do comprimento do fio houve uma redução praticamente linear do tempo
gasto para a realização das dez oscilações nos dois pêndulos.

Você também pode gostar