Você está na página 1de 32

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Instituto de Ciências Exatas


Depto. de Química

Química Analítica Ambiental

Aula 5 – Química da Atmosfera – Parte II

Profa. Lilian Silva

Juiz de For a, 2012


Chuva Ácida
Refere-se a acidez acentuada produzida na água da chuva pela
poluição atmosférica.

Usado pela primeira vez por Robert Angus Smith (químico e


climatologista inglês no século XVIII.

Usou a expressão para descrever a precipitação ácida que


ocorreu sobre a cidade de Manchester no início da Revolução
industrial.

Naturalmente, a chuva é ácida devido à presença de dióxido de


carbono na atmosfera:

CO2 + H20  H2CO3  2H+ + CO32-


Chuva Ácida
Como o ácido carbônico é um ácido fraco, essa reação não causa uma
redução brusca no pH da chuva, sendo este pH de aproximadamente
5,5.

Com este pH, a chuva comum não traz nenhum prejuízo ao homem ou
à natureza.

O problema, é que a poluição atmosférica faz com que o pH da chuva


caia para algo entre 5 e 2,2 e se torne extremamente nociva ao homem
e à natureza.

Diferentemente do CO2 os óxidos de enxofre (SO2 e SO3) e de


nitrogênio (N2O, NO e NO2 ) presentes na atmosfera formam ácidos
fortes, aumentando a acidez da água da chuva.
Chuva Ácida
• Matéria  C, H, O, S, N (combustão)
• Reações do nitrogênio
– Dia:
.
• NO2 + HO → HNO3
– Noite:
.
• NO2 + O3 → NO3 + O2
.
• NO2 + NO3 → N2O5
• N2O5 + H2O → 2HNO3
• Reações do enxofre
.
• SO2 + HO → HSO3
• HSO3 + O2 → HO2 + SO3
• SO3 + H2O → H2SO4
• SO2(g) + H2O(aq) → HSO3(aq)
• 2HSO3 + H2O2 → 2H2SO4(aq) + 2H2O
Chuva Ácida
Chuva Ácida

Diagrama mostrando a tolerância à acidez de algumas espécies


Chuva Ácida

Efeito da precipitação ácida numa estátua em calcário


Chuva Ácida

Efeito da precipitação ácida sobre uma floresta (Alemanha, 1970 - 1983)


Efeito Estufa
Balanço Térmico (Efeito Estufa)
1) A TRANSPARÊNCIA DA ATMOSFERA
• A atmosfera é transparente aos comprimentos da luz visível. A camada de ozônio
(O3) na atmosfera superior absorve muito da luz ultra-violeta.

2) O EFEITO ESTUFA
• Na atmosfera inferior, o CO2 e a H2O fazem com que a atmosfera seja opaca aos
raios infra-vermelhos, e a radiação tem dificuldade em voltar ao espaço.

3) A TROCA DE CALOR NA SUPERFÍCIE TERRESTRE


• Nos trópicos, devido às altas temperaturas, existe mais vapor de água na
atmosfera, portanto o principal mecanismo de remoção de calor da superfície
nessas regiões é a evaporação sobre os oceanos. Em altas latitudes, existem
temperaturas menores, menos evaporação e menos umidade no ar. A superfície
fria emite menos infra-vermelho, porém a perda de calor é feita diretamente pela
liberação de calor na superfície.

4) O TRANSPORTE DE CALOR PARA OS PÓLOS


• Próximo ao Equador, a Terra recebe mais calor do que perde. A maior parte do
transporte de calor para os pólos é feita em forma de calor latente, transportado
pela atmosfera dos trópicos até os pólos.
Gases Estufa
• Gases do efeito estufa e o Protocolo de Kyoto
– CO2 – Dióxido de Carbono
– N2O – Óxido nitroso
– CH4 – Metano
– CFCs – Clorofluorcarbonetos
– HFCs – Hidrofluorcarbonetos
– PFCs – Perfluorcarbonetos
– SF6 – Hexafluoreto de enxofre
Gases Estufa
Gases Estufa
Gases Estufa

Relatório sobre Mudança Climática da ONU


Gases Estufa

Relatório sobre Mudança Climática da ONU


Gases Estufa

Relatório sobre Mudança Climática da ONU


Gases Estufa

Degelo na Groelândia
Gases Estufa
Ozônio

Dr. Paul Crutzen, em 1970,


Instituto Max Planck,
mostrou que os óxidos de
nitrogênio têm
um papel importante no Dr. Sherwood Rowland,
controle do equilíbrio Professor Emérito,
natural do ozônio. Dr. Mario Molina, MIT, publicou Departamento de Química,
em 1974 com Universidade da Califórnia,
Dr. Sherwood Rowland um Irvine, cujo artigo com Dr.
artigo muito comentado em Mario Molina detonou
Nature sobre a ameaça dos intensa pesquisa sobre o
clorofluorcarbonos (CFCs) à ozônio.
Camada de Ozônio.
Ozônio Troposférico(smog fotoquímico)
Ozônio (Troposférico)
• Smog fotoquímico é a poluição do ar, sobretudo em áreas urbanas, por
ozônio e outros compostos originados por reações fotoquímicas, reações
químicas causadas pela luz solar. O efeito visível disto é uma camada roxa
acinzentada na atmosfera.

• Descobriu-se esse tipo de smog pela primeira vez em Los Angeles, na


década de 1940, e costuma-se acontecer em cidades com uma grande
movimentação de veículos, que causam grande acumulação de óxido
nítrico (NO) e compostos orgânicos voláteis (COVs).

• A mistura de poluentes no ar, no Smog fotoquímico, pode conter:


• Óxidos de nitrogênio, como o dióxido de nitrogênio
• Ozônio troposférico
• Composto orgânico volátil Compostos orgânicos voláteis (VOCs)
• Nitrato de peroxilacetila (PAN)
• Aldeídos
Ozônio (Troposférico)
• Reações:
– NO2 + h → NO + O

– O + O2 → O3

– NO + O3 → NO2 + O2

– NO + RO2. → NO2 + RO.

– COV(hidrocarbonetos, aldeídos, cetonas) + Oxidante (O2,


HO., PAN, H2O2, O, etc.)
Camada de Ozônio
Camada de Ozônio
Camada de Ozônio
• Reações :
– O2 + h → 2O
– O + O 2 → O3
– O3 + h → O + O2
– O + O3 → 2O2

• Decomposição:
– X + O3 → XO + 2O
– XO + O → X + O2
– O + O3 → 2O2
– X = OH, NO, Cl e Br

• CFC (clorofluorcarbonetos)
– Ex: CF2Cl2 + h → CF2Cl2 + Cl.
– Cl. + O3 → ClO + O2
Camada de Ozônio

• Taxas de incidência de câncer de pele sem melanoma entre


pessoas brancas na idade de 40 anos. A probabilidade de
desenvolvimento de câncer aumenta com a exposição ao sol e
com a tonalidade mais clara da pele.
Camada de Ozônio

• Euglena gracilis são organismos


verdes flagelados têm forma de fuso • Melanona maligno do dedo do Pé
e nadam na sua forma alongada. (campanha australiana contra o
Abaixo: após a irradiação de UV as câncer)
células giram e se dobram e então se
tornam redondas, sem poder nadar
Poluentes atmosféricos e saúde
Poluentes atmosféricos e saúde
Legislação
• A Resolução CONAMA 003 de 28 de junho de 1990 (IBAMA)  estabeleceu os
padrões nacionais de qualidade do ar, ampliando o número de parâmetros
anteriormente regulamentados através da Portaria GM n. 0231 de 27 de abril de
1976.

• Resolução CONAMA n. 18 de 6 de maio de 1986 (PROCONVE - Programa de


Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores)  estabelece os limites
máximos de emissão para motores e veículos novos, bem como as regras e
exigências para o licenciamento para fabricação de uma configuração de veículo
ou motor e para a verificação da conformidade da produção.

• Fabricantes  vêm cumprindo de forma satisfatória as exigências legais, o que


permitiu a redução média da ordem de 80% na emissão de poluentes nos
veículos.

• I/M – Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos e Motores  fiscalizará a


frota circulante nas grandes cidades, emitindo pareceres que liberem ou reprovem
os veículos que estão em circulação, dependendo das condições dos mesmos
Legislação
• Google
Referências
• Wikipedia
• Rocha, J. C; Rosa, A. H. e Cardoso, A. A, Introdução à Química Ambiental, Porto Alegre
Bookman, 2004.
• Baird, C. Química Ambiental; Tradução Maria Angeles Lobo Recio e Liz Carlos M. Carrera, 2
ed, Porto Alegre, Bookman, 2002.
• Maioli, O.L.G., Nascimento, G.N. Composição da Atmosfera, Ciclos Globais e Tempo de Vida.
Notas de aula. UFES
• Maioli, O.L.G., Nascimento, G.N. Composição da Atmosfera, Ciclos Globais e Tempo de Vida.
Monografia. UFES
• Mozeto, A. Química Atmosférica: A química sobre nossas cabeças. Cadernos Temáticos de
Química Nova na Escola. 2001
• Freire, P.S.R. A Atmosfera e sua Dinâmica – O Tempo e o Clima. Notas de Aula.
• Atmosferas Planetárias. Observatório Nacional (google)
• Nunes, L.H. lima e Poluição Atmosférica. Notas de Aula. 2002
• Damineli, A. Habitabilidade. Notas de Aula. IAGUSP
• Tolentino, M., Filho, R.C. . A Química no efeito estufa. Cadernos Temáticos de Química Nova
na Escola. 1998.
• Andrade, M.F. poluição atmosférica. Artigo