Você está na página 1de 3

Cópia não autorizada

JAN 1999 NBR 5683


Tubos de PVC - Verificação da
resistência à pressão hidrostática
ABNT-Associação
Brasileira de
interna
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Fax: (021) 220-1762/220-6436
Endereço Telegráfico:
NORMATÉCNICA

Origem: Projeto NBR 5683:1997


CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
CE-02:111.45 - Comissão de Estudo de Métodos de Ensaio para Tubos de
PVC
NBR 5683 - Poly (vinyl chloride) (PVC) plastic pipes - Verification of short term
hydrostatic internal pressure strenght
Descriptor: Poly (vinyl chloride) (PVC) plastic pipe
Copyright © 1999, Esta Norma substitui a NBR 5683:1977
ABNT–Associação Brasileira de
Normas Técnicas Válida a partir de 01.03.1999
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavra-chave: Tubo de PVC 3 páginas
Todos os direitos reservados

Sumário 2 Aparelhagem
Prefácio
1 Objetivo A aparelhagem necessária à execução do ensaio é a
2 Aparelhagem seguinte:
3 Preparação dos corpos-de-prova
4 Procedimento a) banho de água termoestabilizado capaz de conter
5 Expressão dos resultados todos os corpos-de-prova e mantê-los na temperatura
6 Relatório de ensaio especificada durante todo o ensaio;

Prefácio b) equipamento de pressurização e respectivo re-


gulador de pressão, capaz de elevar, gradativamente
e sem golpe, em um tempo máximo de 30 s, a pressão
A ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - é
requerida e de mantê-la durante todo o ensaio com
o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasi-
tolerância de 2%;
leiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês
Brasileiros (CB) e dos Organismos de Normalização
Setorial (ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo c) reservatório de água pressurizada capaz de suprir
(CE), formadas por representantes dos setores envol- os corpos-de-prova durante sua dilatação;
vidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e
neutros (universidades, laboratórios e outros). d) manômetro capaz de medir a pressão hidrostática
de ensaio, com exatidão de ± 2%;

Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito


e) caps de fechamento e peças de conexão para
dos CB e ONS, circulam para Votação Nacional entre os
montagem e acoplamento do corpo-de-prova ao
associados da ABNT e demais interessados.
equipamento de pressurização.

1 Objetivo NOTAS

Esta Norma prescreve o método para a verificação da 1 As peças de conexão e de montagem devem assegurar uma
resistência dos tubos de PVC à pressão hidrostática perfeita estanqueidade do conjunto: corpos-de-prova e equi-
interna. pamento de pressurização.
Cópia não autorizada

2 NBR 5683:1999

2 O sistema de acoplamento deve permitir a livre variação longi- 5 Expressão dos resultados
tudinal e radial do corpo-de-prova durante todo o ensaio.
5.1 Calcular a pressão hidrostática de ensaio a ser apli-
3 A figura 1 indica alguns sistemas de montagem adequados. cada no corpo-de-prova, correspondente à tensão circun-
ferencial exigida, empregando-se as dimensões do
3 Preparação dos corpos-de-prova diâmetro externo médio e da espessura mínima de parede
constantes na especificação do tubo, através da seguinte
Os corpos-de-prova devem ser segmentos de tubos, com
equação:
comprimento livre de ensaio (L), entre os caps de fecha-
mento de pelo menos três vezes o diâmetro externo médio
2σe
do tubo (3 x dem), com o mínimo de 250 mm. P=
dem - e
4 Procedimento
onde:
4.1 Eliminar do corpo-de-prova toda a sujeira, óleos,
restos de graxa, etc. P é a pressão hidrostática de ensaio, em mega-
pascals;
4.2 Fechar as extremidades do corpo-de-prova com os
caps (conforme 2e)) e enchê-lo com água na temperatura σ é a tensão circunferencial, em megapascals;
de ensaio.
dem é o diâmetro externo médio, em milímetros;
4.3 Conectar o corpo-de-prova ao equipamento de pres-
e é a espessura mínima de parede, em milímetros.
surização e purgar todo o ar do interior do sistema.
6 Relatório de ensaio
4.4 Condicionar o corpo-de-prova, totalmente submerso
no banho termoestabilizado à temperatura especificada O relatório deve conter as seguintes informações:
por no mínimo 1 h.
a) especificação do tubo;
4.5 Aplicar a pressão hidrostática de ensaio, calculada
conforme seção 5, com tolerância de ± 2%, elevando-se b) identificação completa da amostra;
gradativamente e sem golpe, em um tempo máximo de c) exigências do ensaio (pressão, tempo e tempe-
30 s. ratura);
4.6 Computar o tempo de ensaio a partir do instante em d) no caso de ruptura do corpo-de-prova, em que
que a pressão se estabilizar no corpo-de-prova. condições ocorreu;
4.7 Se ocorrer ruptura em um corpo-de-prova a uma e) data do ensaio;
distância menor que 0,1 L de uma das extremidades, o
resultado deve ser desprezado e o ensaio repetido em f) referência a esta Norma e à especificação cor-
outro corpo-de-prova. respondente da amostra ensaiada.
Cópia não autorizada

NBR 5683:1999 3

Figura 1 - Sistema de montagem de corpos-de-prova