Você está na página 1de 5

CONCRETO – MASSA ESPEDÍFICA E TEOR DE AR PELO MÉTODO

GRAVIMÉTRICO
DOCUMENTOS BÁSICOS: - NBR 9833

MATERIAL BÁSICO

- Concreto fresco elaborado de acordo com a instrução de trabalho


CTEC.720.044.

EQUIPAMENTOS

- Balança.
- Haste de socamento (16 mm de diâmetro e 600 mm de
comprimento).
- Vibrador interno WEG agulha de 25 mm.
- Régua acrílica.
- Concha.
- Recipiente metálico volumétrico do aparelho de ar incorporado.

ENSAIOS

-Caso o adensamento seja manual, aplicar os golpes uniformemente em 3


camadas de 30 golpes por camada, tal que a haste penetre na camada
anteriormente adensada.

-No adensamento mecânico o concreto deve ser adensado em 2 camadas, sendo


que o vibrador deve ser inserido até que o mesmo penetre 25 mm, sem
deixá-lo encostar no fundo e nas laterais do molde, devendo ser retirado
lentamente assim que o concreto estiver com a superfície lisa e brilhante.

- Após o adensamento, manual ou mecânico, bater levemente na face externa do


recipiente até o fechamento de eventuais vazios.

- Efetuar o rasamento com o auxílio da régua acrílica, fazendo movimentos de vai


e vem até a retirada do excesso do concreto, sem deixar vazios entre o
recipiente e a superfície do concreto.

- Após realizado o rasamento, limpar as superfícies externas e pesar, registrando


a massa m.

CÁLCULOS

Calcular a massa específica real do concreto fresco com aproximação


de 0,001 kg/dm3.

onde
cf = massa específica do concreto fresco, em Kg/dm³;
m = massa do recipiente com o concreto, em Kg;
mr = massa do recipiente vazio, em Kg;
vr = volume do recipiente, em dm³.

Calcular o teor de ar aprisionado , com aproximação de 0,1%.

onde

ca = massa específica teórica do concreto fresco, em Kg/dm³, sem


considerar o volume de ar incorporado, calculada pela expressão:

onde

MC = massa de cimento, em Kg;


Mm = massa de agregado miúdo seco, em Kg;
Mg = massa de agregado graúdo seco, em Kg;
Ma = massa da água, em Kg;
C = massa específica do cimento;
m = massa específica do agregado miúdo;
g = massa específica do agregado graúdo.

CUIDADOS NO ENSAIO

O volume do recipiente tem que ser previamente determinado


(verificado) pelo processo da massa de água.

CONCRETO – TEOR DE AR PELO MÉTODO PRESSOMÉTRICO


CONCRETO – TEOR DE AR PELO MÉTODO PRESSOMÉTRICO
- DOCUMENTOS BÁSICOS: - NM 47
- MATERIAL BÁSICO: - Concreto fresco
- EQUIPAMENTOS
- Molde cilíndrico.
- Haste de socamento com extremidade esférica (16 mm de diâmetro e 600
mm de comprimento).
- Régua metálica ou acrílica.
- Concha.
- Vibrador.
- Aparelho medidor de ar incorporado ao concreto.

- Peneira de malha 37,5 mm.


ENSAIOS
- Colocar o concreto no recipiente, em três camadas de alturas aproximadamente
iguais se o processo de adensamento for manual, e, em duas se o
processo for vibratório.
- No adensamento manual, aplicar 30 golpes por camada distribuídos
uniformemente. Bater levemente na face externa do molde, para
eliminar eventuais vazios.
- No adensamento vibratório, inserir o vibrador até que o mesmo penetre 25mm,
sem deixá-lo encostar no fundo e nas laterais do molde, devendo
ser retirado lentamente.
OBS: Somente retirar o vibrador quando a superfície do concreto apresentar-se
lisa e brilhante.
- Efetuar o rasamento com o auxílio da régua metálica ou acrílica na posição
horizontal em movimentos de vai e vem, feito isto, executa-se os mesmos
movimentos em posição vertical.
- Terminado o rasamento, limpar bem a borda do molde para que seja feito o
acoplamento da tampa.
- Limpar bem e umedecer a tampa, colocá-la sobre o molde e fazer movimentos
curtos para um bom assentamento.
- Abrir os dois registros, introduzir água em um deles, com o auxílio de uma
seringa, para que o ar existente entre a tampa e a superfície do concreto seja
totalmente eliminado.
- Fechar um dos registros e a válvula de alívio de pressão, aplicando 0,1 MPa de
pressão inicial, verificando para que não ocorra vazamento de ar pelo outro registro
que está aberto.
- Fechar o outro registro, abrir a válvula de transmissão de pressão e fazer a leitura.

- Os resultados devem ser expressos em porcentagens com aproximação de 0,1


para teores até 2%, de 0,2 para teores entre 2% e 8% e de 0,5 para
teores maiores que 8%.
- ENSAIOS PARA CONCRETO CUJO AGREGADO GRAÚDO POSSUA
DIMENSÃO MÁXIMA CARACTERÍSTICA MAIOR QUE 37,5 mm.
- Peneirar o concreto, manual ou mecanicamente numa peneira quadrada
com 37,5 mm de abertura, até que fique o mínimo possível de
argamassa aderida aos grãos maiores que 37,5 mm.
- Misturar numa bandeja, com o auxílio da colher de pedreiro, a argamassa retida
na tela e no caixilho e prosseguir o ensaio conforme item 5.0.
- Obter a massa específica na condição saturado com superfície seca da porção
de agregado retido na peneira 37,5 mm.
- Colocar o teor de ar e expressá-lo em porcentagem de acordo com o item 5.5,
pela seguinte fórmula:

onde,

As = teor de ar da amostra ensaiada, em porcentagem;


Vc = volume absoluto dos componentes do traço de concreto que
passam pela peneira 37,5 mm, livres de ar, determinado segundo
as massas originais de dosagem, em m³;
Vt = volume absoluto de todos os componentes do traço de
concreto, livres de ar, em m³;
Va = volume absoluto do agregado de dimensões superiores
a 37,5 mm, presente no traço de concreto, determinado segundo
as massas originais de dosagem, em m³;
- O resultado deve ser expresso com aproximação de 0,1%.

- CUIDADOS NO ENSAIO- Ao introduzir água no aparelho (item 5.4), inclinar


levemente o aparelho de um lado para o outro, a fim de retirar todo o
ar aprisionado sob a tampa do aparelho.

CONCRETO – CONSISTÊNCIA PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE


- DOCUMENTOS BÁSICOS: NM 67
- MATERIAL BÁSICO: - Concreto fresco
- EQUIPAMENTOS
- Molde troncocônico para "slump”.
- Haste de socamento (16 mm de diâmetro e 600 mm de comprimento).-
Placa metálica de base com 500 mm de lado e 3 mm de espessura.
- Régua metálica de 300 mm, graduada.
- Concha metálica.
- Complemento troncocônico metálico de enchimento, adaptável à base superior
do molde (colarinho).

- ENSAIO
- Limpar e umedecer o molde, colocá-lo sobre a placa metálica, igualmente limpa
e umedecida.

- Com o molde fixo pelos pés do operador, preenchê-lo com três camadas de
concreto em volumes iguais, com o auxílio do complemento
troncocônico, sendo que a última deve preenchê-lo totalmente.
- Cada camada deve ser adensada com 25 golpes da haste de socamento,
distribuídos uniformemente.
- Após o adensamento, retira-se o complemento troncocônico, remove-se o
excesso de concreto com o auxílio da colher de pedreiro, limpando-se
após isto, a placa metálica em torno do molde.
- Eleva-se o molde pelas alças, levantando-o pela posição vertical, com velocidade
constante, num tempo de (8 + 2) s.
- O abatimento do tronco de cone é a distância da base superior do molde ao
centro da base da amostra, medida através da régua metálica, (ver
figura 1).

- CÁLCULOS
- O resultado deve ser expresso em mm, com aproximação de 5mm.

- CUIDADOS A SEREM TOMADOS6 - Executar o ensaio


ininterruptamente, no tempo máximo de 2,5 minutos.
CONCRETO – PREPARAÇÃO DE CONCRETO EM LABORATÓRIO
- DOCUMENTOS BÁSICOS: - NM 79
- MATERIAL BÁSICO
- Cimento.
- Agregados.
- Aditivos e adições minerais (se for predeterminada sua utilização).
- Água.

- EQUIPAMENTOS:
- Misturador mecânico com eixo de rotação horizontal (betoneira) ou vertical
(misturador).
- Balança.
- Provetas.
- MISTURA DE CONCRETO NA BETONEIRA
- Após pesar o material a ser utilizado em traço predeterminado, seguir a
seguinte seqüência:
- Umedecer previamente a betoneira ou misturador.
- Colocar toda a quantidade de agregados graúdos.
- Adicionar aproximadamente ¼ da água e ligar a betoneira, misturando por 5
a 10 segundos. Desligar a betoneira ou misturador.
- Quando forem utilizados aditivos solúveis em água ou aditivos líquidos para
concreto, misturá-lo no restante da água.
- As adições essencialmente insolúveis usadas em quantidade superior a 10%
sobre a massa de cimento devem ser adicionadas à mistura da mesma forma
que o cimento.
- Colocar o cimento na betoneira ou misturador e aproximadamente mais ¼ da
água, misturando por mais 10 a 20 segundos. Desligar a betoneira ou
misturador.
- Adicionar o agregado miúdo, o restante da água, ligar a betoneira ou misturador
e deixar misturar até que se torne bem homogêneo.
- Podem ser utilizados outros procedimentos de mistura quando se deseja simular
condições práticas especiais.

- É importante não variar a seqüência de mistura e o procedimento para cada


betonada, a menos que estejam em estudo os efeitos de tais variações.