Você está na página 1de 31

Nº 156

ano 13
set/out 2016

20
PÓS-OBRA COMPETITIVIDADE GESTÃO
TECNOLOGIA CTQ PROTAGONISMO
BIM MANUAIS NORMAS SUSTENTABILIDADE
TÉCNICAS MANUAIS CTQ

MANUAIS
BIM CTQ

QUALIDADE NORMAS
BIM

NORMAS CTQ
MISSÕES
BIM
MANUAIS
BIM
SEMINÁRIO
COMPETITIVIDADE
SEGURANÇA
INOVAÇÃO
INOVAÇÃO CTQ
NORMAS

BIM TÉCNICAS TECNOLOGIA MANUAIS


CTQ
BIM
MISSÕES
TÉCNICAS
CAPACITAÇÃO
INTERNACIONAIS INTERNACIONAIS DE ESTRUTURAS ESTRUTURAS

CTQ
CTQ
WORKSHOPS
SEGURANÇA
INOVAÇÃO
BIM
BIM ESTRUTURAS

BIM PREDIAIS
CTQ
PRODUTIVIDADE BIM
TECNOLOGIA

SEMINÁRIO
DESENVOLVIMENTO MANUAIS
EXCELÊNCIA DE SISTEMAS
MANUAIS BIM NORMAS SUSTENTABILIDADE

SEMINÁRIO INOVAÇÃO CTQ COMPETÊNCIA


SEGURANÇA

DE SISTEMAS BIM
CTQ
EFICIÊNCIA NORMAS
TÉCNICAS
SUSTENTABILIDADE
CAPACITAÇÃO
PREDIAIS CTQ
ESTRUTURAS
NORMAS
TÉCNICAS QUALIDADE BIM
MANUAIS
CTQ
CTQ
COMPETITIVIDADE MISSÕES TÉCNICAS INTERNACIONAIS

ANOS DE CTQ
Edição especial celebra duas décadas de relevantes contribuições do Comitê de Tecnologia e
Qualidade do SindusCon-SP (CTQ) para o desenvolvimento da construção civil brasileira

DESTAQUE INOVAÇÃO
Seminário Tecnologia de Estruturas Parceria entre Conx e Votorantim
discute ação do vento sobre os é case de sucesso para o
edifícios e concreto autoadensável desenvolvimento de produtos w w w. s i n d u s c o n s p . c o m . b r
Parabéns ao Comitê de Tecnologia e Qualidade
do SindusCon-SP pelos seus 20 anos de valiosas
contribuições para a melhoria da qualidade,
produtividade, gestão e competitividade do
setor da construção civil brasileira.

A Saint-Gobain orgulha-se de ser parceira de


seus projetos inovadores, que modernizam e
fortalecem o nosso mercado.

Saiba mais em
www.saint-gobain.com.br
SUMÁRIO // SET/OUT 2016

08
PRESIDENTE
CAPA
José Romeu Ferraz Neto ESPECIAL CTQ 20 ANOS
VICE-PRESIDENTES
Eduardo May Zaidan, Francisco Antunes de Vasconcellos Neto,
Haruo Ishikawa, Jorge Batlouni, José Edgard Camolese, Luiz Antônio

06 EDITORIAL
Messias, Luiz Claudio Minnitti Amoroso, Maristela Alves Lima Honda,
Maurício Linn Bianchi, Odair Garcia Senra, Paulo Rogério Luongo
Sanchez, Ricardo Beschizza, Ronaldo Cury de Capua
DIRETORES DAS REGIONAIS

32 FOTO DO MÊS
Elias Stefan Júnior (Sorocaba), Germano Hernandes Filho (São José do
Rio Preto), José Batista Ferreira (Ribeirão Preto), Marcio Benvenutti
(Campinas), Mario Cézar de Barros (São José dos Campos), Mauro
Rossi (Mogi das Cruzes), Osmar Luiz Quaggio Gomes (Santos), Paulo
Edmundo Perego (Presidente Prudente), Ricardo Aragão Rocha Faria EDIFÍCIO E-TOWER
(Bauru) e Rosana Zilda Carnervalli Herrera (Santo André)

34 DESTAQUE
REPRESENTANTES JUNTO À FIESP
Eduardo Ribeiro Capobianco, Sérgio Porto, Cristiano Goldstein,
João Cláudio Robusti
ASSESSORIA DE IMPRENSA
Enzo Bertolini (11) 3334.5659, Andrea Ramos Bueno (11) 3334.5701
18º SEMINÁRIO TECNOLOGIA DE ESTRUTURAS

38 NOTÍCIAS
ENTREGA DO PRÊMIO
CONSELHO EDITORIAL MASTER IMOBILIÁRIO 2016
Delfino Teixeira de Freitas, Eduardo May Zaidan,
José Romeu Ferraz Neto, Maurício Linn Biachi, Francisco Antunes

40 VÃO LIVRE
de Vasconcellos Neto, Odair Senra, Salvador Benevides, Foto meramente ilustrativa
Sergio Porto, Ana Eliza Gaido e Rafael Marko.
DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO
Néctar Comunicação Corporativa (11) 5053.5110 BATE-PAPO COM ANTONIO CARLOS ZORZI
EDITOR RESPONSÁVEL
Paulo Silveira Lima (MTb 2.365-DF) paulo.lima@nectarc.com.br
REDAÇÃO
Renata Justi (editora assistente), Bruno Loturco, Andrea Ramos
Bueno, Enzo Bertolini e Rafael Marko, com colaboração das Regionais:
42 ARTIGO JURÍDICO
Bruna Dias (Bauru); Ester Mendonça (São José do Rio Preto); Geraldo RODRIGO ANTONIO DIAS ANALISA A

Nós temos a energia


Gomes e Maycon Morano (Presidente Prudente); Tatiane Vitorelli (São
José dos Campos e Mogi das Cruzes); Marcio Javaroni (Ribeirão Preto); DESVINCULAÇÃO ISS–HABITE-SE
Carla Acquaviva e Sandra Vergili (Sorocaba); e Nikolas Capp e Isabela
Rodrigues (Campinas)
ARTE E DIAGRAMAÇÃO
44 SINDUSCON-SP EM AÇÃO
do tamanho de São Paulo.
Edison Diniz / Néctar Comunicação Corporativa
REVISÃO

50 REGIONAL
Littera Scripta
PUBLICIDADE
Comercial SindusCon-SP: Marcio C. Pieralini (11) 3334-5889
Efficax Consultoria: Anderson Tobias (11) 99512-2708
andersontobias@gmail.com
ENDEREÇO 52 DESTAQUE
6,9 milhões
Rua Dona Veridiana, 55, CEP 01238-010, São Paulo-SP
CENTRAL DE RELACIONAMENTO SINDUSCON-SP ESPECIAL CONCRETO A AES Eletropaulo é uma das 5 empresas da AES no Brasil,
(11) 3334.5600
de unidades consumidoras uma das maiores distribuidoras do país, responsável pela
60 AGENDA
IMPRESSÃO: Centrográfica Editora & Gráfica

20,1 milhões
TIRAGEM DESTA EDIÇÃO: 3.000 exemplares
AUDITORIA DE TIRAGEM: Parker Randall
energia de 24 municípios, incluindo São Paulo, a sexta cidade
de clientes atendidos mais populosa do mundo. É por isso que investimos
Opiniões dos colaboradores não refletem necessariamente

4.526 m
posições do SindusCon-SP
noticias@sindusconsp.com.br 2 constantemente em tecnologia e inovação, para oferecer
www.sindusconsp.com.br
facebook.com/sindusconsp de área de concessão mais e melhores serviços aos nossos clientes.
twitter.com/sindusconsp
youtube.com/sindusconspmkt
ERRATA
Devido a um erro na montagem das páginas, o artigo técnico
Disponível na App Store e no Google Play
“Contrapiso autonivelante” [NC ed. 155, págs. 40 e 41] foi
publicado com um parágrafo inexistente no texto original e foto Agência Virtual:
APP AES ELETROPAULO
do autor errada. O artigo corrigido está disponível na edição WWW.AESELETROPAULO.COM.BR
digital da revista, em www.sinduscosp.com.br.
FSC Facebook:
/AESELETROPAULO
Twitter:
/AESELETROPAULO
Youtube:
/AESELETROPAULO

“O papel desta revista foi feito com madeira de florestas


certificadas FSC e de outras fontes controladas.”
EDITORIAL

Para construir seus projetos mais importantes,


CTQ: 20 ANOS BENEFICIANDO conte com a força do vergalhão Gerdau GG 50.
A força da transformação.
A CONSTRUÇÃO E O BRASIL

JOSÉ ROMEU FERRAZ NETO


Presidente do SindusCon-SP

U
m dos valores mais impor- zações. A desejada eficiência na
tantes do associativismo é AS REALIZAÇÕES DO articulação entre Secretaria Exe-
a união dos esforços dos cutiva do PPI, Ministérios, órgãos
indivíduos que dedicam CTQ MELHORARAM A de controle e agentes financeiros
voluntariamente seu tempo em fa- QUALIDADE, PRODUTIVIDADE públicos será colocada à prova.
vor do desenvolvimento coletivo. No O restabelecimento da confian-
SindusCon-SP, temos a felicidade E COMPETITIVIDADE DA ça dos agentes privados ainda de-
de contar com um grupo abnegado pende de outros fatores. Potenciais
CONSTRUÇÃO
que, ao trabalhar pela indústria da investidores aguardam a concreti-
construção, também contribui indis- zação de medidas para o reequilí-
cutivelmente para melhorar o País. e do aço, e no aperfeiçoamento de brio fiscal, como a reforma da Pre-
Trata-se do Comitê de Tecno- materiais como concreto, soldas vidência e a fixação de um teto
logia e Qualidade, que, em come- de tubos de cobre, argamassas in- para os gastos públicos, testes pa-
moração ao seu 20º aniversário dustrializadas e revestimentos. ra a articulação política do governo.
de atividades, mereceu a reporta- Na outra direção, figuram as Como as concessões de in-
gem de capa desta edição. inúmeras ações adotadas pelo CTQ fraestrutura acontecerão em 2017
A importância do CTQ se dá em na edição da Norma de Desempe- e 2018, com reflexos econômicos
duas direções. De um lado, suas nho e de outras normas técnicas, apenas nos anos subsequentes, me-
realizações melhoraram e dissemi- bem como na atualização das exis- didas urgentes se impõem para re-
naram consideravelmente a qualida- tentes. Menos conhecida, mas não verter a recessão e o desemprego.
de, a produtividade e a competitivi- menos relevante, é a atuação incan- Será preciso substituir concessio-
dade da construção. São inúmeras sável e vigilante que evitou prejuízos nárias inadimplentes, incrementar
ações, tais como os manuais do desnecessários ao nosso setor, vin- investimentos de governo e finan-
Proprietário, das Áreas Comuns e dos de tentativas de normatizações ciamentos de bancos públicos em
de Boas Práticas para Entrega de e legislações que visavam exclusiva- habitação e infraestrutura, e traçar
Empreendimentos; a dissemina- mente a interesses estranhos ao de- trajetória descendente para os juros.
ção do BIM no País; os seminários senvolvimento da construção. Espera-se um esforço adicio-
anuais de Tecnologia de Estruturas nal do governo para estancar o
e de Sistemas Prediais; as missões * * * * * desemprego crescente em seto-
técnicas ao exterior e a resolução de res tão relevantes para a retoma- O aço da Gerdau tem a força da transformação.
problemas junto a órgãos públicos e Iniciado o Programa de Parce- da do crescimento do PIB, como a A qualidade da sua obra começa pela estrutura. Por isso, conte com
concessionárias de serviços. rias e Investimentos (PPI), aguar- indústria da construção. Nos últi- a força do vergalhão Gerdau GG 50. Com ele, você tem a resistência
O Comitê também tem sido ex- dam-se os editais e contratos que mos 12 meses encerrados em ju- que sua construção precisa, além de toda a confiança de uma marca
tremamente atuante junto aos for- conjuguem atratividade, acesso a lho, o setor já havia fechado 468 que você já conhece. Vergalhão é Gerdau GG 50. www.gerdau.com/br
necedores, na defesa da concor- financiamentos e segurança jurídi- mil empregos, sem perspectiva
rência, como nos casos do cimento ca para as concessões e privati- imediata de recuperação.

6 notícias da construção // set/out 2016 /gerdau /gerdausa


ESPECIAL CTQ 20 ANOS

DUAS DÉCADAS DE APOIO


Segmento Imobiliário

Votorantim
AO DESENVOLVIMENTO Cimentos.
Soluções do
DA CONSTRUÇÃO CIVIL projeto ao
acabamento.
Confira, nas próximas páginas, o material especial que demonstra a
influência do Comitê de Tecnologia e Qualidade do SindusCon-SP (CTQ)
no desenvolvimento tecnológico e qualitativo do setor

10
Entrevista // Yorki Estefan e Renato Genoli
Nesta entrevista, o atual coordenador do CTQ, Yorki Estefan, e o coordenador
adjunto, Renato Genioli, falam sobre as ações do CTQ desde sua criação e indicam
quais serão os próximos passos desse grupo estratégico e altamente qualificado

16 Linha do tempo
A evolução do Comitê de Tecnologia e Qualidade do SindusCon-SP ao longo
dos últimos 20 anos, com fatos relevantes de 1996 até os dias de hoje

20
Conheça a linha completa de concreto
Tecnologia e qualidade acima de tudo Engemix, argamassas básicas Matrix,
Desde aspectos técnicos até normalização e questões legais, atuação do CTQ argamassas colantes Votomassa, cimentos
extrapola canteiros de obras na luta pela excelência da construção civil brasileira Votoran e agregados. Um portfólio completo

26
para construir parcerias e novos negócios.

Duas décadas de palavras e ações Votorantim Cimentos, soluções


Empresários que fazem parte da história do CTQ dão seu testemunho sobre os construtivas inteligentes para sua obra.
resultados práticos do trabalho do Comitê, que permeia toda a cadeia produtiva

8 notícias da construção // set/out 2016 votorantimcimentos.com.br/mapadaobra


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // ENTREVISTA Os coordenadores
do CTQ, Renato
YORKI ESTEFAN E RENATO GENIOLI
Genioli e Yorki
Estefan

VINTE ANOS DE DIÁLOGO


SETORIAL E DIFUSÃO
DE CONHECIMENTO

FOTOS: JORGE ROSENBERG


O
Comitê de Tecnologia e Qua- NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO // Como o CTQ NC // As ações do Comitê têm impacto em Secovi-SP e a CBIC. Vale para qual- RG // São naturais e trabalhamos
lidade do SindusCon-SP tem contribuído para o desenvolvimen- obras fora do Estado de São Paulo. Como quer empresa no território nacional. sempre para chegar na melhor so-
(CTQ) completa 20 anos to tecnológico e da qualidade setorial da isso acontece?
HÁ 20 ANOS, lução para todos. Nosso papel é de-
com foco na melhoria con- construção civil nos últimos 20 anos? YE // Sem dúvida. As iniciativas têm NC // Como se dá o relacionamento do Co- ESTAMOS NA senvolver o setor de forma segura,
tínua da qualidade, produtividade YORKI ESTEFAN // O CTQ tem sido pro- alcance nacional porque as empre- mitê com associações e players da indús- sustentável, dentro das leis e nor-
e competitividade da indústria da tagonista. Desde o início das ativida- sas do CTQ têm conhecimento téc- tria de materiais de construção?
VANGUARDA DAS mas vigentes no País, com o objeti-
construção. Para isso, tem se em- des do Comitê, trabalhamos pela in- nico suficiente para influenciar o YE // De forma franca e transparente, DISCUSSÕES SOBRE vo de atender às demandas de um
penhado em promover a integração
entre os diversos elos da cadeia pro-
trodução de técnicas e de sistemas
construtivos inovadores, pela sus-
mercado e propor soluções e alter-
nativas que são válidas para todo o
sempre na busca de avanços para o
setor. O Comitê se relaciona com as-
OS PRINCIPAIS TEMAS mercado cada vez mais exigente.
Procuramos continuamente nos ali-
dutiva e a valorização da normaliza- tentabilidade dos empreendimen- País. Veja, por exemplo, o caso do sociações de diferentes elos da ca- DA CONSTRUÇÃO nhar e buscar a convergência com
ção técnica. Assuntos como funda- tos e pela evolução das relações en- BIM ou o recente debate setorial so- deia produtiva porque acreditamos os diversos segmentos que com-
ções, estruturas, sistemas prediais, tre capital e trabalho, com melhores bre os desplacamentos cerâmicos que a evolução só é possível se o es- põem a indústria da construção.
vedações, acabamentos, coorde- condições de saúde e segurança internos. São questões pertinentes forço for conjunto. Construtoras, tra-
nação modular, gestão de proje- nas obras e por avanços na indus- às construtoras de todo o Brasil. E o balhadores, indústria de materiais e, RG // São muitos exemplos. Com a NC // O SindusCon-SP tem participado
tos, pós-obra e assistência técnica trialização. Há 20 anos, estamos na CTQ tem produzido muito conteúdo em alguns casos, o poder público, Associação Brasileira das Empre- como protagonista do processo de evolu-
fazem parte do dia a dia do Comi- vanguarda das discussões sobre os a respeito. Algo que, depois, é com- devem estar unidos para caminhar sas de Serviços de Concretagem ção do BIM na indústria da construção ci-
tê e do intenso diálogo com a ca- principais temas da construção. partilhado com Sinduscons de diver- em uma mesma direção. Nos últi- (Abesc), estamos tratando de um vil nacional. Como começou esse proces-
deia produtiva. A atuação do CTQ sos Estados e pela Câmara Brasileira mos dois anos, junto com o Seco- programa setorial de certificação das so e como o CTQ tem atuado?
passa por aspectos técnicos, insti- RENATO GENIOLI // Temos contribuído, da Indústria da Construção (CBIC). vi-SP, Abrainc e AsBEA, estivemos usinas de concreto, a partir da rea- YE // O Comitê, de fato, é um dos
tucionais e de legislação, visando dentro de um aspecto macro, para o envolvidos no encaminhamento das lização de ensaios interlaboratoriais, precursores da divulgação do BIM
sempre ao fortalecimento da in- aumento da competitividade setorial. RG // Nossa atuação é local, mas aca- necessidades do setor para a elabo- com laboratórios independentes e como metodologia para a melhoria
dústria da construção no contex- Identificamos e trabalhamos todos os ba ganhando repercussão no Bra- ração do novo Plano Diretor e do Có- certificados. Isso sem falar nos gru- da gestão de projetos e o aumen-
to brasileiro e mundial. temas relevantes para a construção ci- sil todo pela importância dos temas digo de Obras e Edificações de São pos de trabalho com concessionárias to da produtividade na construção.
Nesta entrevista, o atual coor- vil, seja em segmentos específicos de abordados. Vale lembrar também que Paulo. Em conjunto com a Associa- e órgãos públicos, tais como o Cor- Em 2010, realizamos uma missão
denador do CTQ, Yorki Estefan, materiais e tecnologias de construção, temos, no grupo, várias empresas de ção Brasileira de Argamassas Indus- po de Bombeiros, AES Eletropaulo, técnica aos Estados Unidos, onde
e o coordenador adjunto, Rena- seja em ações de alcance mais global atuação nacional. Veja o caso, por trializadas (Abai), formamos um gru- Delegacia Ambiental, Comgás etc. tivemos a oportunidade de visitar
to Genioli, falam sobre as ações como, por exemplo, a Norma de De- exemplo, do guia Boas Práticas para po de trabalho sobre revestimentos São ações que trazem grandes be- a Carnegie Mellon University, em
do Comitê desde a sua criação e sempenho. E surgem novas deman- Entrega do Empreendimento – Desde de argamassa. Com o Sinaprocim e nefícios às empresas de São Paulo. Pittsburgh, instituição referência no
indicam quais serão os próximos das a todo instante, para as quais pro- a sua Concepção, que foi desenvolvi- a Anfacer, estamos debatendo alter- desenvolvimento de sistemas BIM.
passos desse grupo estratégico e curamos identificar a melhor forma de do recentemente pelo SindusCon-SP, nativas para tratar da patologia de NC // Como são tratadas eventuais dis- No mesmo ano trouxemos a ideia
altamente qualificado. atuar e trazer ganhos para o setor. por meio do CTQ, em parceria com o desplacamento cerâmico interno. cordâncias? para o Brasil e organizamos o 1º

10 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 11


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // ENTREVISTA
Schüco e SindusCon-SP:
YORKI ESTEFAN E RENATO GENIOLI Quem conhece, confia.
Seminário Internacional BIM, que
se mostrou um sucesso. Ano após
ano, os seminários servem de refe-
rência sobre o que há de mais avan-
çado no exterior e ajudam a difundir
o conhecimento para empresas em
diferentes estágios de implementa-
ção do BIM no Brasil.

RG // Também criamos a Acade-


mia BIM, visando à oferta de cur-
sos, workshops e palestras por todo
o País. Lançamos o Prêmio de Exce-
lência BIM SindusCon-SP, para in-
centivar ainda mais a indústria, os
profissionais e as empresas, a par-
tir do reconhecimento das melhores Yorki Estefan: CTQ teve participação ativa na criação da Norma de Desempenho
iniciativas, projetos e empreendi-
mentos que utilizaram a metodolo- C

gia da modelagem da informação na de aplicação imediata, mas foram


O CTQ É
M

construção. O CTQ tem trabalhado identificados como potenciais de-


firmemente para a disseminação mandas de mercado no futuro. De-
Y

desse conhecimento, com o propó- PROTAGONISTA NA tectar tais tendências também é CM

sito de colocar o Brasil e a indústria CONSCIENTIZAÇÃO muito importante para o Comitê. MY

da construção em um novo patamar.


SOBRE A IMPORTÂNCIA NC // Os critérios são os mesmos em rela-
CY

DAS NORMAS
CMY

NC // Como os problemas dos canteiros ção à escolha dos temas a serem aborda- K

chegam ao CTQ? dos nos seminários promovidos pelo grupo?


YE // Apesar de concorrentes no mer-
TÉCNICAS YE // Em boa parte, sim. Os temas,
cado, as empresas que formam o em geral, são técnicos e têm como
CTQ trabalham voluntariamente em foco o planejamento e a implementa-
busca da melhoria setorial. As de- NC // Ocorrências do gênero estimulam ção de medidas práticas que ajudem
mandas trazidas são compartilhadas a criação de grupos de trabalho no CTQ? a tornar as empresas mais eficientes.
e o grupo busca soluções que, no fi- YE // Os GTs costumam surgir a par- Os responsáveis pela elaboração dos
nal, vão atender a todo o mercado. tir das necessidades e demandas seminários debatem com os mem-
Um exemplo prático foi com a AES das construtoras. Em alguns ca- bros do Comitê com o intuito de es-
Eletropaulo. Muitas empresas esta- sos, trata-se do estudo e desenvol- tabelecer os assuntos prioritários.
vam investindo tempo e recursos para vimento de uma tecnologia ou sis-
solucionar questões burocráticas que tema construtivo. Em outros, uma NC // O CTQ atua de forma proativa no que
travavam o andamento de algumas necessidade setorial de evoluir ou diz respeito ao desenvolvimento e atuali- É com orgulho que parabenizamos o Comitê de Tecnologia e Qualidade
obras. Convidamos representantes resolver algum problema identifica- zação das normas técnicas? do SindusCon-SP pelos seus 20 anos de engajamento e sucesso.
da empresa para vir até o CTQ, ouvir do na cadeia produtiva. YE // É parte central do nosso trabalho. Há 15 anos no Brasil, a Schüco desenvolve soluções para fachadas e
as dificuldades das empresas e indi- O CTQ é protagonista na conscientiza- esquadrias em alumínio e traz constante inovação tecnológica para o
car caminhos. Um GT foi formado e, RG // Os grupos de trabalho criados ção sobre a importância das normas mercado da construção civil. www.schueco.com.br.
em pouco tempo, a empresa simplifi- dentro do CTQ são aprovados pelo técnicas na regulação de todas as ati-
cou processos, permitindo ganhos de Conselho, composto pelos atuais vidades relativas à indústria da cons-
produtividade para as empresas, sem e ex-coordenadores do grupo. Al- trução. Por isso, trabalhamos hoje de Janelas. Portas. Fachadas.
qualquer redução de segurança nas gumas vezes também são desen- forma sistemática para a identifica-
verificações necessárias. volvidos temas que ainda não são ção das normas ultrapassadas ou ina-

12 notícias da construção // set/out 2016


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // ENTREVISTA
YORKI ESTEFAN E RENATO GENIOLI

YE // O Guia de Boas Práticas é uma


importante iniciativa setorial do Sin-
dusCon-SP em conjunto com o Se-
covi-SP e a CBIC. Servirá como um
referencial para o mercado. Um dos
grupos de trabalho mais antigos e ati-
vos do CTQ trata exatamente de ques-
tões relativas ao pós-obra, em busca
do aprimoramento das relações en-
tre as empresas e os consumidores.
Ele trabalhou muito nessa publicação,
que traz uma orientação detalhada so-
bre todas as etapas que compõem
um empreendimento imobiliário. Tudo
dentro do maior rigor legal e técni-
co. O manual orienta desde a compra
Renato Genioli: o CTQ é protagonista na disseminação do conhecimento sobre o BIM do terreno até a entrega da obra para
uso, operação e manutenção.
C

dequadas e na atualização dos textos RG // O pós-obra deve ser tratado com M

junto às comissões na ABNT.


O PÓS-OBRA DEVE SER muito cuidado pelas empresas, para

impulsionar um país inteiro


Y
que o setor seja cada vez mais bem-
RG // Recentemente, tivemos atua- TRATADO COM MUITO visto pela sociedade. Há, porém, em CM

ção relevante nas discussões para CUIDADO, PARA QUE O alguns casos, certo abuso por par-

para um futuro melhor.


MY

as revisões e melhorias das Normas te dos clientes. Vejo que uma forma
SETOR SEJA CADA VEZ
CY

de Água Quente e Água Fria, de de amenizar isso é o setor orientar CMY

Ventos, de Piscinas, de Agregados MAIS BEM-VISTO os compradores, criando programas


de Resíduos Sólidos, de Reservató-
PELA SOCIEDADE
para que eles tenham consciência
K

isso é fornecer energia.


rios, da NR-18, entre muitas outras. de suas responsabilidades e, princi-
palmente, de suas obrigações quan-
NC // Esse trabalho de acompanhamen- to às manutenções preventivas cons-
to das normas exige tempo e recursos. de Desempenho. Contribuímos com tantes do manual do proprietário.
Como viabilizar isso? sugestões, análises, ensaios e de-
RG // Só vejo um caminho: o setor tomar poimentos durante todo o processo. NC // Vocês mencionaram o Conselho do
consciência da importância do tema e Acreditamos que a ampla efetivação CTQ. Qual é a sua finalidade? Para nós, energia é muito mais do que
as entidades se unirem, de forma coor- do cumprimento da NBR 15575 YE // O Conselho é formado por todos Que tal deixar nossa energia
fornecer gás natural. Ela precisa evoluir
denada, para buscar os recursos ne- trará ganhos tanto para as boas em- os ex-coordenadores do CTQ – Fran-
cessários e alocar os esforços de forma presas e bons profissionais quan- cisco Antunes de Vasconcellos Neto,
todos os dias. Por isso nosso compromisso impulsionar sua vida também?
inteligente e profissionalizada. Deve- to para os consumidores. A norma Maurício Bianchi, Paulo Sanchez e é levar soluções inteligentes à sociedade.
mos estar sempre bem representados provocou uma grande mobilização Jorge Batlouni Neto –, que contri-
por profissionais que conhecem com de todos os elos da cadeia produ- buem com as suas experiências para Sempre inquietos, à procura da próxima
profundidade cada tema, evitando so- tiva, que precisa evoluir para atingir a atuação da coordenação. Sua fun- descoberta, impecáveis na execução de
breposições de atuação e desperdício todas as metas estabelecidas. ção principal é estabelecer e validar, cada detalhe e interessados em realizar
de tempo e recursos financeiros. em conjunto com a coordenação, o os sonhos de nossos clientes.
NC // Vocês mencionaram anteriormente plano estratégico de ações do CTQ.
NC // E em relação à Norma de Desempenho? o guia Boas Práticas para Entrega do Em- Além disso, tem a atribuição de ava-
Do banho quentinho que chega em sua
YE // O CTQ participou ativamente preendimento – Desde a sua Concepção. liar a composição do quadro de em-
casa à energia para a indústria.
de todo o longo debate para a cria- Como o CTQ se relaciona com as ques- presas que compõem o Comitê e pro-
ção e o desenvolvimento da Norma tões que dizem respeito ao pós-obra? por alterações, quando necessário.
Vamos juntos dar este próximo passo.

14 notícias da construção // set/out 2016


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // LINHA DO TEMPO

1996-2006
•ReuniãocomAssociação •VisitadedelegaçãochilenaaoSindusCon-SP, doSindusCon-SPcomaAssociaçãoBrasileiradas
BrasileiradeCimento compostaporempresáriosepelaCâmaraChilena EmpresasdeServiçosdeConcretagem(Abesc)
Portland(ABCP)eAssociação daConstrução •Workshop:ProjetoNormadeDesempenho
BrasileiradeArgamassas •ApresentaçãodosprojetosPesquisadeConsumo
Industrializadas(Abai) •CursoABCP:RevestimentosdeArgamassa
deMateriaisnosCanteirosdeObra,noâmbito
•ReuniãocomAssociação doProgramadeGestãodeConsumodeMateriais •SemináriodeNormasTécnicas:Competitividade
NacionaldeFabricantes (Gesconmat),edoConsórcioSetorialpara noSetordaConstruçãoCivil
deEsquadriasdeAlumínio InovaçãoemTecnologiadeRevestimentosde •RevisãodoRegimentoInternodoComitê,com
(Afeal)sobreModulaçãode Argamassa(Consitra),daFinep criaçãodeoitonovascomissõesdetrabalho
VãoseEsquadrias •Termodecompromissodecondutaentre •CerimôniadeassinaturadoConsitra
•ReuniãocomInstituto concreteiraseconstrutorasassinadoemparceria
BrasileirodoCobre
(Procobre)sobre
•Apresentaçãodosrelatórios tubulaçõesdecobre
“AvaliaçãoPós-Ocupação”
e“SatisfaçãodoCliente–
GessoAcartonado”
•Workshop:Desenvolvimento
daCadeiaProdutivada
IndústriadaConstruçãoCivil
•Seminário:Tecnologia
•TurmadoProgramadeImplantaçãodeGestãodaQualidade
deVedações
ISO9000
•Desenvolvimentodeprogramasdecapacitaçãoemgestão
datecnologiaeemgestãodaqualidadenodesenvolvimento MISSÃO TÉCNICA AO CHILE – GESTÃO DA QUALIDADE
doprojeto E PRODUTIVIDADE E HABITAÇÃO POPULAR
•CriaçãodoComitêdeMeioAmbiente(Comasp)
Participantes:25
•Realizaçãodo1ºSeminárioTecnologiadeEstruturas
EssaprimeiramissãovisouestreitarrelaçõescomaCâmaraChilenadaConstruçãojáqueosetor
•RelatóriodaMcKinseymostraqueaprodutividadedo habitacionaldoChileviviaumexcelentemomento,comfocoemapartamentosecondomíniospara
Brasilemconstruçãoresidencialequivaleaapenas famíliasdebaixarenda.Foramvisitadasobrasdebairrosplanejadosqueusavamsistemasconstrutivos
35%danorte-americana aindapoucocomunsnoBrasil.

1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006

•Palestra:DesenvolvimentoRecentee •Lançamento: •IFórumdeDesenvolvimentoSustentávelnaConstrução •Palestra:TenhaOrgulhodaEngenhariaCivil


AplicaçõesdaTecnologiadaInformação Manual Técnico •CTQsereúnecomadvogadosparadebater •ApresentaçãodosprimeirosresultadosdoConsitraaoCTQ
paraModelosdeDecisãoeDistribuição de Modulação recuperaçãodecréditosdeIPInaconstruçãocivil
doConhecimentoentreosAgentesda de Vãos e •CTQrecebeaempresaGailArquitetura,oCentroCerâmicodoBrasil(CCB)
ConstruçãoCivilnosEstadosUnidos Esquadrias •Gesconmat:Conclusãodapesquisasobreconsumode econsultoresparatratardosdesplacamentosdecerâmicosporEPU
materiaisnoscanteirosdeobra •Lançamentodosmanuaisdeescopoparacontrataçãonasáreasde
•Seminário:TecnologiadeSistemasPrediais •Lançamento:
Manual Caixa •ReuniõessobreaNormadeDesempenho arquitetura,estrutura,instalaçõeselétricas,instalaçõeshidráulicas,
•Workshop:NecessidadesdasEmpresas coordenaçãodeprojetoseventilação/arcondicionado
ConstrutorasquantoaosSistemasPrediais: Paredes •Apresentaçãodovice-presidentedeEconomia,Eduardo
ProjetoeTecnologia de Gesso Zaidan,eAnaCastelo(FGV),sobrecálculodoCUB
Acartonado •Debatessobreusodetirantesemterrenosvizinhos
•Seminário:TecnologiadeFachadas
•CriaçãodoCTQ,emagostode1996,compostoporcincoempresas: •Semináriointernacional:Reabilitação •InstitutodePesquisasTecnológicas(IPT)eCTQtratam
•SindusCon-SPassumeamissãodeatuar deEdifíciosparausoHabitacional–
BKO,DPEngenharia,Mencasa,PintodeAlmeidaeSincoEngenharia deproblemadecorrosãoemtubulaçõesdecobre
fortementeedifundiranormalizaçãodo TecnologiadaReforma
•Participaçãonacoordenação setornoBrasil,comomantenedordoCB-02 •CTQeRobertoBauercomeçamatratarde
nacionaldeprojetoseobras •Desenvolvimentodeprogramade •Iníciodostrabalhosdeelaboração problemasdecorrentesdeexpansãoporumidade
doProgramaBrasileiroda capacitaçãoemISO9000ecertificação dosmanuaisdeescopopara (EPU)emcerâmica
QualidadeeProdutividadedo doProgramadaQualidadedaConstrução contrataçãonasáreasde
arquitetura,estrutura,instalações •SolicitadarevisãodaNBR13.818–Placascerâmicas
Habitat(PBQP-H) HabitacionaldoEstadodeSãoPaulo
elétricas,instalaçõeshidráulicas, pararevestimento
•RepresentaçãonaComissãode (Qualihab)paraconstrutoras
eempresasdeprojeto coordenaçãodeprojetose •11ºPrêmioPINI–HomenagemaoCTQ,escolhidocomo
MateriaiseTecnologia(Comat)
ventilação/arcondicionado aIniciativaSetorialdeDestaque2005
eComissãodeQualidadee •Participaçãoementidadescertificadoras,
Produtividade(CQP),daCBIC comooCentroCerâmicodoBrasil(CCB), •CB-02eSindusCon-SPpassama MISSÃO TÉCNICA AOS EMIRADOS
aUniãoCertificadoradaIndústria participar,de2001até2009,de ÁRABES – TECNOLOGIA DE PONTA
•LivroQualidade na Aquisição de
Eletroeletrônica(UCIEE),oInstituto todososEncontrosNacionalisda E GRANDES CONSTRUÇÕES
Materiais e Execução de Obras,
BrasileirodeTecnologiaeQualidadeda IndústriadaConstrução(Enic),
publicadoem1996pelaEditora Participantes:19
Construção(ITQC)eaFundaçãoVanzolini comoobjetivodedisseminara
PINI,resultadodotrabalho
importânciadetodaacadeia ComvisitasamegaempreendimentosemAbuDhabieDubai,ogrupo
realizadopeloSindusCon-SPentrejulhoedezembrode1995,em •ParceriascomoComitêBrasileiro produtivaseguirasnormas, testemunhaumdosmaioresprojetosdedesenvolvimentoimobiliáriodo
parceriacomoSenai-SP,comaparticipaçãoativade15construtoras daConstruçãoCivil(CB-02)eComitê repetindosempreque“Norma mundo,comtransformaçãototaldaregiãoepráticasconstrutivasdealta
associadas,sobaorientaçãotécnicadoCTE.Entreasempresas doCimento,ConcretoeAgregados Técnicaélei”.Posteriormente, tecnologia.DestaqueparaaidaaoBurjDubai(rebatizadoBurjKhalifa),
participantes,constavamtrêsdascincofundadorasdoCTQ:BKO, (CB-018),daAssociaçãoBrasileira prevaleceuainterpretaçãodeque maiorarranha-céudomundo,com828mdealturae160andares,
DPEngenhariaePintodeAlmeida deNormasTécnicas(ABNT) asnormaspossuemforçadelei construídoentresetembrode2004ejaneirode2010.

16 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 17


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // LINHA DO TEMPO

2007-2016
•Seminário:NormadeDesempenho–2013a2015–
AvançoseNecessidadesparaImplantaçãoPlena,
com315participantes
•EncontroEmpresarialFiabci-BrasileSindusCon-SP
sobredistratos
MISSÃO TÉCNICA AO JAPÃO –
•SindusCon-SPparticipadarevisãodanovanormadepiscinas
SUSTENTABILIDADE, MEIO AMBIENTE
E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA •SindusCon-SPdiscutecomCorpodeBombeirosaperfeiçoamentodeinstruçõestécnicas
eprocedimentosdeaprovaçãodeprojetoevistoriadeempreendimentos
Participantes:28
•AnálisedepropostadaZonadeMáximaRestriçãoà •ImplantaçãodasegundafasedoPIT,com •LançamentodoManual de Gestão Ambiental de Gestão de Resíduos da Construção Civil – Avanços
Circulação(ZMRC)paraapresentaçãoàCompanhiade criaçãodecronogramasdeatividadese Destaqueparaorigortécnicojaponêsemplanejamentoeexecução
Institucionais e Melhorias Técnicas
EngenhariadeTráfego(CET) desenvolvimentodeprojetos industrializada,limpa,produtiva,excelenteemacabamentoecommão
deobraextremamentequalificada.Pautadaspordemandasantissísmicas •SindusCon-SPdiscutecomPrefeituradeSãoPauloonovoCódigodeObraseEdificações
•EventosobreCoordenaçãoModular MISSÃO TÉCNICA À ÁFRICA DO SUL – esustentabilidadeambiental,asconstrutorasjaponesassedestacaram •1ªRodadadeInovaçãodaConstrução,emSãoPaulo
•Negociaçãocomindústriademateriaisdeconstruçãosobre COPA DO MUNDO E HABITAÇÃO POPULAR devidoàsbaixasemissõesdeCO2.EmvisitasàShimizueàToda,amissão
faltadeinsumosparaabastecimentodasobras Participantes:22 presencioupalestrassobreBIM,demoliçãoecológicaeeficiênciaenergética. MISSÃO AOS
•AnálisedasInstruçõesTécnicasdoCorpodeBombeiros
OgrupoconheceuoprocessoconstrutivodaSkytree,dentreastorresmais EMIRADOS ÁRABES
OCTQfoia1ªdelegaçãodeempresáriosestrangeirosavisitaroEstádioSoccerCity.FoitambémaoGreenPoint altasdomundo.Posteriormente,aTodaparticipoudeeventotécnicodoCTQ. E SINGAPURA
•OSeminárioTecnologiadeEstruturaschegaà10ªediçãocomuma Stadium,umdestaquequantoàqualidadedoacabamento.Oroteiroincluiuvisitasaobrasdeinfraestruturae – INOVAÇÕES
históriadegrandesucessodepúblicoe,sobretudo,deconteúdo. habitação,incluindoadogrupoPower,quefazsobradosemalvenariaestruturalcomaté40m²,telhadodezinco TECNOLÓGICAS,
RealizadanoHotelGrandHyattSãoPaulo,fazumbalançodo eforrodemadeira.Chamouaatençãoametadaempresadeconstruirmilcasaspormêsparazerarodéficit •VisitaaoCentrodeInovação,EmpreendedorismoeTecnologia(Cietec), SUSTENTABILIDADE
quefoidiscutidodesde1999edestacaobrasnacionais,comoo habitacionalsul-africanodemaisdedoismilhõesdeunidades. naUniversidadedeSãoPaulo(USP) E BIM
empreendimentoCidadeJardim,emSãoPaulo,einternacionais, MISSÃO TÉCNICA AOS ESTADOS •WorkshopConsitra
comooEdifícioTitaniumLaPortada,emSantiago,noChile Participantes:24
UNIDOS – SUSTENTABILIDADE, •EventosobreNormadeDesempenho,realizadoemconjunto
MEIO AMBIENTE E BIM Paraobservarinovaçõesem
comoSecovi-SP industrialização,sustentabilidade
Participantes:30 •EventosobreProdutividadenaConstruçãoCivil,realizadoemparceria eplanejamentourbano,foram
ComvisitaàHearstTower,umadasmaiorestorressustentáveis comaFederaçãoInternacionaldasProfissõesImobiliárias(Fiabci-Brasil) visitadosoBurjKhalifaeacidadede
domundo,ogrupodeuespecialatençãoaobrasqueusaram •Lançamentoda3ªediçãodoManual do Proprietárioeda2ªedição Masdar,baseadaemconceitosdesustentabilidadeetecnologiaaplicadaàconstrução.Ogrupofoi
oBuildingInformationModeling(BIM).OCTQépioneiro doManual de Áreas Comuns recebidopelaUrbanRedevelopmentAuthority(URA),responsávelpeloplanejamentodeSingapura,
nofomentoaoBIMnoBrasil,tendoparticipadodegruposdetrabalhosobredisseminaçãoeimplantaçãoda epelaBuildingConstructionAuthority(BCA),queregulamentaalegislaçãolocaleprevêaprovação
plataformanoPaís.OComitêcoordenouodesenvolvimentodaABNT/CEE134,primeiranormasobreclassificação •GrupodeTrabalhodoCTQconsegueabrircanalparaatendimento deprojetosematécincodias.Comoresultado,SonnyAndalis,especialistaemBIMdaBCA,veio
deinformação.Nesteano,oCTQrealizouo1º Seminário Internacional BIMeimplantouaAcademiaBIMcomcursos exclusivodasconstrutorasnaAESEletropaulo ao6ºSeminárioInternacionalBIMeaoencontrodoSindusCon-SPcomaSecretariaMunicipalde
decapacitação.Atualmente,oSindusCon-SPpromovearealizaçãodo1ºPrêmiodeExcelênciaBIMSindusCon-SP. •ConsitraganhaPrêmioPINInacategoriaIniciativaSetorialdeDestaque LicenciamentodeSPeoutrasentidadesparaapresentaraçõesdogovernosobreusodoBIM.

2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016

•RevisãodoregimentointernodoCTQelançamentodonovologotipo •ConclusãodaprimeirafasedoProgramadeInovaçãoTecnológica(PIT),comcriaçãodoCTQ •Semináriodeestruturasdiscutesoluçõespara •Realizaçãodo1ºEncontroEmpresarial


•AdesãoaoGesconmat NacionalevisitaaosSindusconsdeoutrosEstados garantirvidaútildosedifícios Fiabci-BrasileSindusCon-SP.Oevento
•DossiêsobreroubosemobrasencaminhadoaosecretáriodeSegurançadoEstadodeSãoPaulo •SindusCon-SPdiscutelacunasnoCódigoFlorestal discutiuprodutividadeecontoucom100
•Lançamentodosmanuaisdeescopodeautomaçãoesegurança, participantes
arquiteturadeinfraestruturaesportivaepaisagismo •CriaçãodoSistemaNacionaldeAvaliaçãoTécnicadeProdutosInovadores(Sinat),comapoiodo queafetamempreendimentos
SindusCon-SP •SindusCon-SPdebatedificuldadespara •SeminárioImpactosdaNormade
•DesenvolvimentodoprojetodeInovaçãoTecnológicajuntoàCBIC Desempenho,realizadoemparceriacomIPT
disseminarusodeaquecimentosolar
•CriaçãodoGTMéxico,apósmissãotécnicarealizadaemmarço MISSÃO TÉCNICA AO PANAMÁ – CANAL DO PANAMÁ, eCBIC
HABITAÇÃO POPULAR E MÉTODOS CONSTRUTIVOS •SindusCon-SPparticipaeapoiaseminário:
MISSÃO TÉCNICA ComoAumentaraProdutividadenosCanteiros •ReuniãoPlenáriadoCTQérealizadaem15desetembro
MISSÃO TÉCNICA À CHINA – IMPORTAÇÃO Participantes:19
À ALEMANHA
DE MATERIAIS, MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS deObras,realizadopelaEditoraPINI •CriaçãodoconselhodoCTQ,formadoporex-coordenadorespara
Visitaàsobrasdecidadeplanejadaque,concluídaem2025,abrigará150milpessoasem20milresidências – NOVAS
Participantes:16 eteráunidadescomerciais,industriaisdealtatecnologia,escolaseáreasdelazer.Osparticipantes TECNOLOGIAS E •MóduloConstruçãoCivildoSistemade direcionamentoestratégicodoComitê
observaramregulamentaçõesdesegurançadotrabalho,itensdeprojetoeacabamentoevisitaramoedifício SUSTENTABILIDADE GerenciamentodeResíduosSólidos(Sigor)é •RevisãodoestatutodoCTQ,cujoprincipalobjetivoé“promover
AviagemàChinaincluiuvisitaaoShangaiWordFinancialCenterearesidências oficializadopelaSecretariadeMeioAmbiente
construídashámaisde500anos.OroteiroincluiuidaàCantorFair,emGuangzhou, Sky,de56andares,comdestaqueparaasestruturasdeconcretoarmadoelajesprotendidas. abuscaconstantedasmelhoriasemqualidade,produtividadee
Participantes:27 doEstadodeSãoPaulo
umadasmaioresfeirasdenegóciosdomundo. competitividadenosetordaconstruçãocivilbrasileira”
Ogrupoconheceuapolítica •1ºConstruBR–Paineldiscutedesafiosde
MISSÃO TÉCNICA AO MÉXICO – energéticadoMinistériodoMeio •Criaçãodegrupodetrabalhosobredesplacamentode
•Conclusãoda1ªfasedoConsitra planejamentoegestãodaprodutividade revestimentoscerâmicoserealizaçãodeworkshopsobreotemano
HABITAÇÃO POPULAR Ambiente,ProteçãodaNatureza
•MissãocomercialdoSindusCon-SPedaAssociaçãodeComprasdaConstruçãoCivilnoEstadode eSegurançaNuclearalemão, dia28/7,commaisde300participantespresenciaiseonline
Participantes:27
SãoPaulo(Compracon-SP)àFeiraConstrumat,emBarcelona,naEspanha observouamecanizaçãodoscanteirosemBerlim •NoâmbitodaComat/CBIC,apresentaçãodaFerramentaBIMpara
Ointercâmbiodeinformaçõessobreosmodelosmexicanosdepolíticahabitacional eFrankfurt,acompanhoupalestrasemempresas implementaçãonascontrataçõesdeprojetosdoGovernoFederal
efinanciamentoàconstruçãocontribuiucomacriaçãodoprogramaMinhaCasa, MISSÃO TÉCNICA comoaHochtief,queapresentouprojetoscom
MinhaVida,lançadoem2009.Foramvisitadasinstituiçõesfinanceirasindependentes, À INGLATERRA – •CriaçãodoPrêmiodeExcelênciaBIMSindusCon-SP
focoemplanejamento,BIM,eficiênciaenergética
construtorasespecializadasemmoradiasocialeaInfonavit,umdosprincipaisagentes SUSTENTABILIDADE, econfortotérmico.Visitasaprédiosaltosde •VisitatécnicaàCidadeOlímpica,noRiodeJaneiro
financiadoresmexicanos. BIM, OLIMPÍADAS E Frankfurtrevelaramsoluçõesemsustentabilidade •CriaçãooureativaçãodosseguintesGTs:NormasTécnicas,Gestão
MEIO AMBIENTE emanutençãopredial.Paraconheceravanços eProdutividade,ApólicesdeSegurosdeRiscosdeEngenharia/
Participantes:24 tecnológicosdaengenhariaalemã,ogrupofoi Secovi,DesplacamentosCerâmicos,QualidadedoConcreto,
Ogruposereuniucomentidadesdosetor aolaboratóriodetestesdoInstitutodaConstrução Elevadores,ContrapisoAutonivelante,PinturaTexturizadade
construtivoeescritóriosdeengenhariae daUniversidadeTécnicadeBerlim. Fachada,DelegaciaAmbiental,ArgamassaProjetada
arquitetura,alémdetervisitadoobrasolímpicas.OsparticipantestambémforamàfeiraEcobuildmapear •PublicaçãodoguiaBoas Práticas para a Entrega dos Empreendimentos
inovaçõestecnológicasnosemináriodoUKTrade&Investmentsobreatransformaçãodainfraestruturado desde a sua Concepção erealizaçãodeworkshopsobreotemanodia
Brasilcomvistasaosgrandeseventosesportivos.Aexpertisebritânicaemretrofitfoifocodeinteresse. 14/9,commaisde200participantespresenciaiseonline

18 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 19


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // HISTÓRIA

TECNOLOGIA
E QUALIDADE
ACIMA DE TUDO
Desde aspectos técnicos até normalização e questões legais, atuação do CTQ
extrapola canteiros de obras na luta pela excelência da construção nacional

Aplicativo de Obra Atlas Schindler.


Inovação e mobilidade, este é o nosso negócio.
POR BRUNO LOTURCO

O
Comitê de Tecnologia e pos permitiam visitas mútuas aos nais participantes. A possibilidade Nosso desejo é estar a seu lado, garantindo segurança e excelência em todas as etapas do seu
Qualidade do Sindus- canteiros de obras, abriam conhe- de importação de equipamentos, projeto. O novo Aplicativo de Obra Atlas Schindler nasce com esse objetivo.
Con-SP (CTQ) nasceu a cimentos sobre técnicas e pro- no início dos anos 1990, e a esta-
Uma solução inovadora que traz orientações e procedimentos essenciais desde a elaboração de
partir da união de duas cessos construtivos e discutiam bilização da economia, com o Pla-
seus projetos até a execução da obra, para que os equipamentos possam ser instalados de maneira
iniciativas independentes de com- abertamente sobre problemas e no Real, em 1994, eram fenôme-
partilhamento de informações e eventuais patologias, na busca por nos recentes.
correta e segura, atendendo a todos os requisitos exigidos pelas normas e legislações vigentes.
processos relacionados à indústria soluções capazes de atender a to- Nessa época, a publicação de
da construção: a Cooperativa de dos. Procedimentos de execução, dois livros traduziu esse espíri- Para baixar o aplicativo, acesse as lojas virtuais e digite: Atlas Schindler.
Empresas Construtoras (Coemco) equipamentos e maquinário, pro- to associativo e de compartilha-
– formada pelas empresas Pinto dutividade, gestão da qualidade, mento das informações: Sistema
de Almeida, DP Engenharia, Men- segurança do trabalho e dados téc- de Gestão da Qualidade para Em-
casa, BKO e RFM – e o G5, com- nicos, entre outras informações, presas Construtoras (CTE, 1994)
posto pelas construtoras Barbara, eram compartilhados e debatidos. e Qualidade na Aquisição de Ma-
Concima, Sinco, Barros Pimentel Outro fator importante foram teriais e Execução de Obras (PINI,
e Simão Engenharia. as visitas às feiras e obras no exte- 1996). Ambos foram iniciativas
Em uma época na qual as rior que, além de permitir acesso do SindusCon-SP e do Sebrae-SP
construtoras trocavam poucas in- a materiais e técnicas ainda pouco com base em trabalhos e progra-
formações e, em geral, se viam empregadas no Brasil, promoviam mas setoriais coordenados pelo
como concorrentes, os dois gru- maior interação entre os profissio- Centro de Tecnologia de Edifica-

www.atlas.schindler.com • 0800 055 1918


20 notícias da construção // set/out 2016
ESPECIAL CTQ 20 ANOS // HISTÓRIA

Realizado desde 2010, Seminário Internacional BIM se estabelece como referência principal para empresas e entidades do setor

Fac-simile do manual O CTQ, recorda Maria Angelica, como, por exemplo, o diálogo com vo para atendimento de construto-
Sistema de Gestão da deflagrou a preocupação com ges- fornecedores e concessionárias de ras junto à AES Eletropaulo, dentre
Qualidade para Empresas tão da qualidade. “Não só a cons- serviços públicos. É mérito do CTQ, inúmeras outras intervenções.
Construtoras, que traz trutora, mas projetistas, fornece- com envolvimento de fornecedores “Graças ao Comitê, chega-
página de agradecimento dores e prestadores de serviços e entidades de representação, a as- mos ao concreto de alto desempe-
às empresas que fizeram precisavam implantar medidas de sinatura de termo de compromis- nho com preços competitivos, pu-
parte do programa setorial gestão”, diz. Tal diagnóstico veio so com fornecedoras de concreto, demos trabalhar em conjunto com
acompanhado do fato de que não a definição de normas para uso de a indústria do cobre para resolver
havia cultura de troca de experiên- tirantes em terrenos vizinhos, a tra- problemas de corrosão e foi cria-
cias entre empresas ou de desen- tativa de problemas decorrentes de do o Consitra, para desenvolvi-
volvimento tecnológico cooperativo. expansão por umidade em cerâmi- mento de argamassas”, enume-
ções (CTE), com a ativa participa- infraestrutura, força e represen- Vasconcellos Neto, da DP Enge- O segundo passo foi buscar re- cas, a abertura de canal exclusi- ra Luiz Henrique Ceotto, diretor
ção de várias construtoras na pro- tatividade no mercado e na socie- nharia, Mauricio Linn Bianchi, da ferências, indica Salvador Benevi-
dução do conteúdo. dade. “A associação potencializou BKO Engenharia e Comércio, Pau- des, atual gestor do ABNT CB-002. Fac-simile do livro Qualidade na Aquisição
Quase naturalmente, os dois a ação do CTQ”, destaca Francisco lo Sanchez, da Sinco Engenharia, e “Passamos a pensar em viagens in- de Materiais e Execução de Obras, com
grupos, G5 e Coemco, começaram Antunes de Vasconcellos Neto, vi- Salvador Benevides, da Pinto de Al- ternacionais, normalização, gestão página de agradecimento às empresas
a interagir e surgiu a ideia, inicial- ce-presidente do SindusCon-SP e meida, com a coordenação de Ma- da qualidade, NR-18, Código de
mente não aceita, de fundi-los. Foi diretor da DOX Planejamento, Ges- ria Angelica Covelo Silva, do CTE. Defesa do Consumidor, meio am-
aí que o SindusCon-SP os convi- tão e Desenvolvimento Imobiliário. biente, novas tecnologias, eventos
dou para trabalharem no âmbito Em contrapartida, o Comitê contri- FORÇA SETORIAL técnicos, legislação, industrializa-
do Sindicato, com apoio jurídico e buiu com o viés técnico. “O CTQ Vice-presidente de Tecnologia e ção”, conta. As ações começaram
uma estrutura operacional. As em- passou a ser o braço técnico do Qualidade do SindusCon-SP e di- a desenvolver o setor e, confor-
presas que viriam a ser fundado- SindusCon-SP para dialogar com retor técnico da Sinco Engenha- me afirma Maria Angelica, “foram
ras do CTQ aceitaram a proposta o mercado”, pontua Jorge Batlou- ria, Paulo Sanchez lembra que há de grande importância para equa-
e a consultora Maria Angelica Co- ni, vice-presidente de Tecnologia e 20 anos eram raros os canteiros cionar os processos de produção a
velo Silva, sócia-fundadora da NGI Qualidade do SindusCon-SP e di- que respeitavam normas. “Nes- partir de diálogo e capacitação, di-
Consultoria e Desenvolvimento, foi retor da Tecnum Construtora. se momento, a gestão da quali- fusão de melhores práticas, desen-
contratada para fazer a coordena- Assim, o CTQ foi fundado em dade não estava implantada nas volvimento em grupo de empresas,
ção técnica do grupo. 1º de agosto de 1996, em reunião empresas. Reunimos vários ato- interlocução com agentes do poder
O então vice-presidente do Sin- com a presença dos seguintes pro- res da cadeia produtiva para con- público, concessionárias de servi-
dusCon-SP, João Coelho, propôs o fissionais, representando as res- versar, pois o problema não era ços, universidades e instituições de
nome Comitê de Tecnologia e Qua- pectivas empresas: Aloysio Cyrino, só da construtora, envolvia o for- pesquisa e outros agentes”.
lidade (CTQ). O Sindicato tinha da Mencasa, Francisco Antunes de necedor, o fabricante”, conta. O Comitê obteve muito ganhos

22 notícias da construção // set/out 2016


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // HISTÓRIA

bana ou de Corpo de Bombeiros de e da produtividade, os esforços Bianchi afirma que, no caso


fazia com que muitas questões irão se voltar à busca de inovação do engenheiro de obra, primei-
fossem tratadas sem o devido res- e industrialização, aposta Batlou- ro, não é viável esse profissional
paldo técnico, gerando inseguran- ni. “O aumento da produtividade acumular funções que caberiam
ças e passivos jurídicos devido ao por meio da inovação e industria- a administradores e economistas.
não cumprimento de diretrizes”, lização é o foco do CTQ para os Depois, a responsabilidade pelo
afirma Villas Bôas. Por acreditar na próximos anos”, diz. andamento e pelas decisões finais
importância da normalização, des- O caminho até lá passa pela do canteiro demanda senioridade.
de o ano 2000, o SindusCon-SP é consolidação de processos e, “O engenheiro em começo da car-
mantenedor do CB-002, da Asso- principalmente, pela conscienti- reira não tem formação nem ex-
ciação Brasileira de Normas Técni- zação das entregas em cada eta- periência profissional para fazer
cas (ABNT). Assim, o CTQ acom- pa, o que Bianchi chama de “ter- a gestão do empreendimento dar
panha de perto elaborações e minalidade”. Isso depende de certo”, afirma. É a disseminação
revisões de normas que dizem res- projeto, logística e formação de dessa nova forma de pensar que
peito à atividade de construção. “É capital intelectual. Para Batlouni, configura, na visão dele, o desafio
uma atuação extremamente impor- é chegado o momento de investir imediato do CTQ. “Essa mudança
tante e definitiva”, salienta. no desenvolvimento de processos vai consolidar o trabalho do CTQ.
e na redefinição do papel de en- Vai juntar o que foi desenvolvido
FUTURO PROMISSOR genheiro e mestre de obras para sobre como construir, não apenas
Empresários debatem temas relevantes para o desenvolvimento da construção em reunião plenária do CTQ realizada em setembro último Com um mercado consciente atuação estratégica em gestão de tecnicamente, mas considerando
quanto à importância da qualida- pessoas e processos. lucro e gestão.”

da Tishman Speyer. “São traba- Como exemplo, a viagem técnica nacional de BIM e alguns países
lhos que fazem a cadeia conversar a Paris, em 1995, motivou a cria- vizinhos usam nosso guia como
para entender problemas e resol- ção do Programa da Qualidade da passo inicial”, diz Sanchez, res-
ver”, completa. O resultado pode Construção Habitacional do Esta- saltando que a ferramenta é fun-
ser observado na prática. “Hoje, do de São Paulo (Qualihab, ins- damental para governos, pois
os problemas são tratados de for- tituído em novembro de 1996), proporciona transparência nas li-
ma conjunta e transparente com as inspirado pelo programa francês citações e nas obras.
entidades que representam as em- Qualibat de qualidade e certifica- Muito importantes também fo-
presas do setor”, diz Vasconcellos. ção de construtoras. ram as contribuições em tecnologia
Da experiência com habita- aplicada no canteiro. “Trouxemos
AMADURECIMENTO CONJUNTO ção para baixa renda do México, muita coisa de fora”, revela Vascon-
O principal norteador das evo- visitado pelo CTQ em 2007, sur- cellos. Foram nessas reuniões que
luções foi o entendimento sobre giu o embrião do programa Mi- se iniciaram as conversas sobre
qualidade. “Qualidade não pode nha Casa Minha Vida. Da missão drywall como sistema construtivo.
ser empregada como adjetivo por aos Estados Unidos, em 2010, o Com o tempo, entretanto, a dispa-
ser conceito binário. Ou tem ou grupo trouxe inovações relaciona- ridade entre canteiros brasileiros e
não tem”, salienta Mauricio Bian- das ao BIM que, posteriormente, de países desenvolvidos começou
chi, vice-presidente de Relações seriam a base de diversos semi- a ceder. “No começo, a diferença
Institucionais do SindusCon-SP e nários, cursos, publicações etc., para obras no exterior era enorme.
diretor do Group Allard. tornando o SindusCon-SP refe- Cinco anos depois, não devíamos
Nesse sentido, a busca por re- rência obrigatória quando se dis- mais nada a elas. Hoje, em muitos
ferenciais foi fundamental, pon- cute a modelagem de informação casos, fazemos até melhor”, co-
tua Fabio Villas Bôas, coordena- na construção nacional. memora o vice-presidente.
dor do Comitê de Meio Ambiente O Brasil é visto como referên- Paralelamente, o CTQ ampliou
do SindusCon-SP (Comasp) e di- cia regional para a América Latina participação em questões legais.
retor da Tecnisa. “As missões pro- quanto à utilização do BIM. “Es- “A omissão em relação à norma-
porcionaram inovações”, lembra. tamos no sétimo Seminário Inter- lização e à própria legislação ur-

24 notícias da construção // set/out 2016


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // DEPOIMENTOS
nacional em tecnologia e qualidade

DUAS DÉCADAS DE
na construção. Em meio aos graves
problemas de abastecimento e mão de
obra ocasionados pelo impressionante
crescimento daqueles anos, o Comitê
trabalhou arduamente para atender
ao aumento da demanda, com o costu-
meiro e elevado patamar de qualidade”

PALAVRAS E AÇÕES
João Claudio Robusti //
Presidente do SindusCon-SP de
p “O CTQ sempre se diferenciou por 2004 a 2008
ser constituído de empresários e exe-
cutivos que compartilham associati-
vismo, rigor técnico, disciplina, dedica-
ção e persistência. A relevante atuação p “O CTQ consolidou uma posi- p “O CTQ foi uma iniciativa pionei-
desse grupo especial da indústria da ção de destaque e respeito na área ra entre as entidades de classe, ao
construção contribui para que o setor de tecnologia e qualidade. Tem sido estabelecer uma instância formal de
tenha o respeito que merece como pro- referência nas ações que desenvol- ação integrada com a cadeia produ-
A produção de conhecimento técnico e o diálogo setorial em prol da qualidade e tagonista do desenvolvimento do País” ve e nos temas abordados e é mui- tiva e entre construtoras, compreen-
José Romeu Ferraz Neto // to respeitado pelo mercado por ser dendo que uma empresa sozinha
da produtividade marcam a intensa atuação do CTQ na indústria da construção. Presidente do SindusCon-SP composto de um grupo de empresas não consegue fazer mudanças es-
Os resultados práticos desse trabalho permeiam toda a cadeia produtiva, passando desde 2014
p “Tive a satisfação de presidir o Sin-
de vários portes, desde as maiores
até empresas pequenas. Isso o tor-
truturais. Foi uma liderança na ela-
boração e na revisão da Norma de
por todos os elos que compõem o setor. Confira os depoimentos de alguns dusCon-SP desde os primeiros dias da na completo no segmento de edifi- Desempenho e teve forte papel na
existência do CTQ e ver como aque- cações e lhe permite atuar de forma disseminação do BIM no Brasil, que
profissionais que fazem parte da história do Comitê le animado grupo de jovens empresá- eficiente e contundente. A atuação são grandes desafios de mudança
rios se organizou com o ideal de elevar muito correta do CTQ lhe abriu espa- cultural no setor”
a qualidade e a produtividade nas nos- ços, o que se deve muito à seriedade Maria Angélica Covelo
sas empresas. Recordo que uma das e à postura ética dos seus membros” Silva // Sócia-fundadora da NGI
suas maiores realizações foi o estrei- Jorge Batlouni Neto // Consultoria e Desenvolvimento e
seja formado por empresas, valoriza- copiado. No início, viajamos atrás de tamento do diálogo com as entidades e Diretor da Tecnum Construtora e primeira coordenadora do CTQ
mos as pessoas. Tanto que acaba- novidades que tentávamos replicar empresas dos principais fornecedores vice-presidente de Tecnologia e
mos nos tornando amigos. É o repre- em nossos empreendimentos. Daí, da construção, aproximando-os da mo- Qualidade do SindusCon-SP
sentante de cada empresa que começamos a desenvolver progra- dernização dos processos construtivos
contribui. A nossa força vem dessa mas de gestão da qualidade de pro- p “Na presidência do Sindicato, tive que começava a ocorrer no mercado”
colaboração. Em grupo, ganhamos jeto, de processos construtivos, o a felicidade de testemunhar grandes Sergio Porto // Presidente do
força perante o mercado, nos dando que contaminou o mercado, com um feitos do CTQ, como a mudança de SindusCon-SP de 1996 a 2000
poder para questionar e propor cami- crescente número de empresas bus- paradigma da qualidade na cons-
p “Quando iniciamos o CTQ, tínha- nhos e soluções. Tal postura ajudou a cando se qualificar” trução com a criação da Norma de
mos algumas ideias e queríamos fortalecer o Sindicato como referên- Mauricio Linn Bianchi // Desempenho e a implementação do
mexer com o mercado, mas não sa- cia em tecnologia, qualidade, segu- Diretor do Group Allard e BIM. Essas realizações beneficiaram
bíamos qual seria a dimensão des- rança do trabalho e meio ambiente” vice-presidente de Relações extraordinariamente a construção bra-
sa iniciativa. O CTQ cresceu com a Francisco Antunes de Institucionais do SindusCon-SP sileira, junto com a disseminação, pelo
inclusão de empresas de ponta e se Vasconcellos Neto // Diretor CTQ, de outros avanços em estruturas,
tornou uma referência com grande executivo da DOX Planejamento p “A vontade inicial do grupo era sistemas prediais e dezenas de nor-
visibilidade no mercado. Hoje o CTQ e Gestão e vice-presidente do mudar a postura do setor da cons- mas técnicas, bem como com o estrei-
trata com entidades de classe, for- SindusCon-SP trução civil. Isso passava por me- tamento do diálogo com fornecedores,
necedores de serviços públicos e to- lhorar a relação com fornecedores órgãos públicos e concessionárias”
dos os agentes da cadeia produtiva” e prestadores de serviços e desen- Sergio Watanabe // Presidente p “Quem apostou no trabalho do
Aloysio Cyrino // Diretor volver novas metodologias cons- do SindusCon-SP de 2008 a 2014 CTQ está colhendo frutos, pois o p “As grandes inovações dos últi- p “Ao celebrar seus 20 anos, o CTQ
de Construção da Conx trutivas. A troca de experiências, que aconteceu nos últimos anos no mos 20 anos, de uma forma ou ou- consagra, mais uma vez, essa ini-
Empreendimentos Imobiliários tanto positivas quando negativas, País mostrou que, para a compe- tra, passaram pelo Comitê. Isso por- ciativa de grande importância e ex-
pode ser considerada pioneira. Eram titividade, não há caminhos além que ele é composto por empresas de celentes resultados para a constru-
discutidos assuntos como produtivi- da qualidade e da produtividade. ponta, reconhecidas pelo setor. Essa ção civil. O Comitê vem oferecendo
p “O mercado conseguiu enxergar dade, segurança do trabalho, gestão Os seminários anuais, como os de dinâmica positiva se deve muito à grande contribuição no debate de te-
no CTQ um elo de comunicação para da qualidade, redução de desperdí- Estruturas, Sistemas Prediais e BIM, atitude de seus membros, que cons- mas da agenda do setor e na formu-
resolver problemas e melhorar o ní- cio e industrialização, entre outros. foram significativos não apenas truíram um fórum baseado em con- lação de soluções técnicas e políti-
vel setorial. Vejo o CTQ como um O trabalho voluntário de todos que para nossas empresas, como para o fiança e transparência, no qual to- cas públicas. O CTQ tem ajudado a
grande indutor de mudanças e um compõem o CTQ e o esforço pessoal desenvolvimento da construção. Sua dos compartilham experiências de construir avanços no campo tecno-
p “Quando começamos, enxerga- divisor de águas entre o que se fala- de cada componente constituem o produção constante de conhecimen- peito aberto. Essa postura resul- lógico e liderar debates importantes,
mos que, unidos nas decisões técni- va de qualidade no setor há 20 anos grande diferencial do nosso grupo to disseminou inovações e avanços ta em bons frutos e contribui com a tornando-se referência e parte es-
cas, éramos mais fortes. Um dos e o que estamos vendo hoje” na luta pela modernização do setor. tecnológicos no setor, contribuindo melhoria do setor” tratégica da excelência conquista-
motivos para o sucesso foi a humil- Paulo Sanchez // Diretor Muito me orgulha fazer parte do gru- p “Foi uma grande satisfação con- para o avanço da produtividade” Fabio Villas Bôas // Diretor da pela construção civil brasileira”
p “Muito mais que ter sido coorde- dade com a qual abrimos as portas técnico da Sinco Engenharia e po que fundou o CTQ.” tar com o ativismo do CTQ em nossa Eduardo Capobianco // da Tecnisa e coordenador do José Carlos Martins //
nador, me orgulha muito participar dos nossos canteiros, evidenciando vice-presidente de Tecnologia e Salvador Benevides // Gestor gestão, contribuindo para colocar Presidente do SindusCon-SP de Comitê de Meio Ambiente do Presidente da Câmara Brasileira da
há 20 anos do CTQ. Embora o Comitê o que havia para ser melhorado ou Qualidade do SindusCon-SP do ABNT CB-002 o SindusCon-SP como referência 1992 a 1996 SindusCon-SP (Comasp) Indústria da Construção (CBIC)

26 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 27


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // DEPOIMENTOS

integração entre agentes, difusão do “O CTQ estimulou a implantação


conhecimento e combate ao conser- de programas de gestão da quali-
vadorismo. Minhas interações com dade nas empresas, o que automa-
os membros foram prioritariamente ticamente motivou avanços tecno-
nelas focadas, e conto ampliá-las lógicos e ganhos de produtividade.
nos próximos anos” Ainda temos muito a fazer, mas a
Francisco Ferreira Cardoso // produtividade evoluiu muito e as
Chefe do Departamento de empresas do CTQ deram o exemplo
Engenharia de Construção para o resto do País. Ao implantar
p “É muito bom ter o CTQ, pois os Civil da Poli-USP modelos de qualidade, não há como
aspectos importantes em um proje- deixar de medir o ganho de produti-
to são qualidade, segurança e dura- vidade, pois buscamos produtos me-
bilidade. Se um desses três falhar, lhores e com menor custo”
significa que a obra não vai ser per- p “O CTQ reconhece a importân- João Coelho // Diretor da Unitec
feita. Muitas obras são feitas com cia dos sistemas de revestimentos, Sociedade e Construção p “O CTQ nasceu da união de pro-
baixa qualidade e, se houvesse ins- apoiando e participando ativamente fissionais que tinham enorme dese-
peção da qualidade na aprovação da das atividades do Consórcio Setorial jo de desenvolver técnicas e ferra-
estrutura, defeitos seriam evitados” para Inovação em Tecnologia de mentas para disseminar melhorias
Augusto Carlos Vasconcelos // Revestimentos de Argamassa, o no processo construtivo. Era carac-
Projetista estrutural com atuação no Consitra, em sua segunda fase” terística marcante do grupo a for- p “Como fundadora e participante p “A participação do CTQ no Consi- p “As normas técnicas são instru-
IPT, na Poli-USP, na Universidade Fabio Câmpora // Associação te atuação técnica nas obras e a do CTQ desde seu princípio, a RFM tra, o Consórcio Setorial para Inovação mentos indispensáveis para o de-
Mackenzie e na Protendit Brasileira de Argamassas grande abertura para implantar no- Construtora cresceu com o extraor- em Tecnologia de Revestimentos de Ar- senvolvimento sustentável, aliado
Industrializadas (Abai) vos modelos de gestão. Com isso, dinário intercâmbio de experiên- gamassa, propiciou divulgar boas prá- à busca permanente por qualidade,
o Comitê cresceu e se tornou uma cias e das iniciativas enriquecedo- ticas de produção. Pudemos diagnosti- produtividade e difusão tecnológica.
p “A contribuição do CTQ se deu no alavanca fundamental de desen- ras adotadas pelo Comitê nestes 20 car situações em canteiro e identificar A abordagem proativa do CTQ nes-
apoio ao desenvolvimento de técnicas, volvimento técnico, de interação e anos. Sempre produzindo conteúdo melhorias. As reuniões com os associa- tes 20 anos de sua existência tornou
mesmo com o custo do aprendizado ini- inovação na busca por melhores re- inovador em tecnologia e qualidade dos levam o meio técnico a refletir so- possível a intensificação dos es-
cial. Há um claro entendimento da im- sultados para o setor e para todo o e promovendo troca de experiências bre necessidades de melhoria na ges- forços de normalização no setor da
portância que o conhecimento gera mercado consumidor” com as demais construtoras e a ca- tão da produção do revestimento” construção civil, uma tendência irre-
para a sociedade em geral e como in- José Roberto Ary // Diretor da deia de fornecedores, o CTQ teve e Mércia Bottura de Barros // versível no Brasil de hoje. Felicito o
vestimento para futuras obras” PKT Engenharia e Construções continua tendo um papel estratégico Professora doutora do Departamento CTQ por este marco em sua existên-
Frederico Falconi // para as empresas do SindusCon-SP de Engenharia de Construção Civil cia. Sem dúvida alguma, um exem-
Sócio-diretor da ZF Solos & se atualizarem e se posicionarem da Poli-USP plo notável a ser seguido”
p “A participação do CTQ na evolução Engenheiros Associados continuamente em um alto nível de Paulo Eduardo Fonseca de
da construção civil se dá pelo incentivo e p “Parabenizo o Comitê de Tecno- excelência em termos de qualidade” Campos // Professor Associado da
participação em normas e pela parceria logia e Qualidade do SindusCon-SP Marcio Botana Moraes // FAUUSP e Superintendente do ABNT/
com entidades como a Associação Bra- por esses 20 anos de conquistas e Diretor da RFM Construtora CB-02 entre 2012 e 2015
sileira de Engenharia e Consultoria Es- pela grande contribuição dada à
trutural (Abece), além da organização de p “A busca pela otimização estru- indústria da construção civil bra-
visitas técnicas, missões e seminários, tural com responsabilidade técnica sileira, por meio de ações setoriais
como o de Tecnologia de Estruturas” sempre norteou o CTQ, que contribui ligadas à tecnologia e qualidade.
Augusto Pedreira de Freitas para o segmento por se propor a par- Todo o sucesso do Comitê é fruto
// Diretor da Pedreira de Freitas e ticipar, orientar e ouvir para catalisar de muita dedicação e trabalho das
presidente da Abece o desenvolvimento tecnológico” empresas construtoras participan-
Francisco Graziano // Pasqua & tes, que se engajaram na melhoria
Graziano Associados dos processos e no desenvolvimen-
to tecnológico”
José Carlos de Arruda
Sampaio // Consultor, diretor p “Toda contribuição de entidades
p “O CTQ é um fórum de discus- da JDL Qualidade, Segurança do engajadas em processos de melhoria
são das melhores práticas caracte- Trabalho e Meio Ambiente da qualidade e desenvolvimento tec- p “O CTQ é um hub importante de
rizado pelo elevado nível técnico e p “O principal papel do CTQ não é nológico só têm a colaborar para o informações para o desenvolvimento
competência de seus participantes. divulgar tecnologias, mas fazer com bom desenvolvimento de um projeto setorial. Para a PINI, muitas vezes, é o
A Abesc parabeniza o CTQ por con- “O CTQ desenvolve atividades que que os elos da cadeia conversem en- completo, de uma obra bem orçada, ponto de partida para entendermos as
tribuir para o engrandecimento da buscam a melhoria da engenha- tre si. É essa atuação que faz dife- feita dentro das normas e entregue questões que mais afligem os cons-
p “O CTQ tem atuação propositiva, engenharia nacional. Como repre- ria civil como um todo. Participou rença para o setor. Afinal, quando fidelizando o cliente. Esse é o caso trutores. Tive a honra de participar da
incentivando a inovação de produtos sentantes do setor de concretagem, da revisão da NBR 6122, além de os elos não conversam, não há va- do CTQ, que se dedica a ações de missão que foi ao México, em 2007,
e processos. Funciona como indu- discutimos temas relevantes em re- ter realizado seminários e cursos lor na cadeia produtiva. Só se gera implementação da qualidade, elabo- conhecer os modelos que viriam a ser
tor da modernização e tem papel uniões pautadas pela busca por pro- de fundações abertos a engenhei- valor quando um sabe o problema do ração de normas, acompanhando e utilizados no programa Minha Casa
preponderante no desenvolvimento, dutividade, melhoria das práticas ros e profissionais interessados em outro, tenta resolver e tenta agregar p “O CTQ sempre foi muito ativo, des- participando de comitês, interagin- Minha Vida. O CTQ empunhou bandei-
aperfeiçoamento, atualização e di- p “Destaco a contribuição do CTQ construtivas e implementação de adquirir conhecimentos, buscando valor. Esse tem sido o principal pa- de a discussão sobre sistemas constru- do com os players da cadeia produ- ras como a Norma de Desempenho, o
fusão da normalização técnica” para a eliminação de entraves ao novas tecnologias” crescimento profissional” pel desse grupo” tivos e tecnologias passando pela vali- tiva e buscando inovação” uso do BIM e a melhoria da qualidade
Ércio Thomaz // Pesquisador processo de busca por inovação, Jairo Abud // Presidente da José Luiz de Paula Eduardo Luiz Henrique Ceotto // dação e a divulgação para todo o setor” Miriam Addor // Presidente da das estruturas e instalações”
do Instituto de Pesquisas com atuações impactantes na apro- Associação Brasileira das Empresas // Diretor da Apoio Assessoria e Diretor de Projeto & Construção da Marco Addor // Diretor da Addor Associação Brasileira dos Escritórios Paulo Kiss // Diretor de redação
Tecnológicas (IPT) ximação entre academia e mercado, de Serviços de Concretagem (Abesc) Projeto de Fundações Tishman Speyer & Associados de Arquitetura (AsBEA) da Editora PINI

28 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 29


ESPECIAL CTQ 20 ANOS // DEPOIMENTOS
Pensando em Construir ou Reformar?
“A contribuição do CTQ se dá na for-
ça de sua atuação, gerando convi-
tes das indústrias estrangeiras para
visitas aos seus parques fabris e
obras que empregam tecnologias
avançadas. Com isso, estreitaram
de questões técnicas e de novas tec-
nologias, como no caso do seminário
de Tecnologia de Estruturas”
Ricardo Leopoldo e
Silva França // Diretor
da França e Associados
porciona um aprendizado constante.
A dedicação voluntária dos membros
é fundamental para o sucesso das
iniciativas do Comitê e fonte de ins-
piração para nós da estrutura do Sin-
dusCon-SP. É muito gratificante fazer
constituiu o CTQ para consolidar e
aprofundar o tema. Isso possibilitou
às empresas manterem-se atuali-
zadas e competitivas. Tive a honra
de participar dos primeiros encon-
tros e sou testemunha de sua im-
ViapolResolve
bastante as relações” parte dessa história” portância para o desenvolvimento
Paulo Rewald // Diretor executivo Roseane Petronilo // da construção no País”
da Rewald Engenharia Coordenadora da área de Tecnologia Vahan Agopyan // Professor da
e Qualidade do SindusCon-SP Poli-USP e vice-reitor da USP

p “Tive o enorme prazer de coor-


denar o processo de formação do
p “É importante dispor de gaba- CTQ, em 1996, quando cinco em-
ritados profissionais que se debru- presas, que trabalharam com o CTE
cem na busca de avanços para que na estruturação da metodologia de p “O CTQ é referência nacional e
a construção resulte racional, pro- Gestão da Qualidade para constru- internacional sobre como o setor p “O CTQ tem exercido liderança
dutiva e acima de tudo competiti- toras, resolveram formar um gru- pode contribuir para aperfeiçoar a na indução de inovação tecnológi-
va. O CTQ tem desempenhado com po cooperativo para compartilhar construção, com ganhos para pro- ca, na evolução da normalização
maestria esse papel, organizando os boas práticas de gestão e tecnolo- dutores, clientes e contratantes. técnica e na divulgação de conhe-
prestigiados Seminários de Tecnolo- gia. Nestes 20 anos, o CTQ se con- A competência dos envolvidos e a cimento, particularmente nos se-
gias das Estruturas. Nós da ABCP solidou como importante referên- pluralidade das representações ga- minários sobre Tecnologia de Sis-
temos tido o privilégio de ser de- cia para pensar estrategicamente rantem resultados fantásticos. En- temas Prediais”
mandados pelo CTQ, contribuindo a construção, difundir diretrizes e quanto professor e empresário nas Vera Fernandes Hachich //
e somando esforços para que solu- boas práticas para toda a cadeia áreas de Gestão e Produtividade, te- Gerente técnica na Tesis Tecnologia
ções e técnicas construtivas agre- produtiva, contribuindo com a pro- nho tido a honra e o prazer de con- de Sistemas em Engenharia
guem cada vez mais qualidade e de- fissionalização do setor e o aumen- tribuir para este grande e duradou-
sempenho. Parabéns ao Comitê e, to de sua competitividade” ro trabalho”
em especial ao SindusCon-SP, por Roberto de Souza // Presidente Ubiraci Espinelli Lemes de
essa visão empreendedora em prol do Centro de Tecnologia de Souza // Professor livre docente da

a mais completa linha de produtos químicos


da qualidade construtiva” Edificações (CTE) Poli-USP e diretor da Produtime e da
Renato José Giusti // Indicon Gestão e Tecnologia
Presidente da Associação Brasileira
de Cimento Portland (ABCP)

para construção da América Latina.


p “O CTQ é muito importante para o
desenvolvimento da engenharia na-
cional. Meu contato com o Comitê se
deu há 13 anos, quando participei
da minha primeira missão técnica.
/Viapol /Viapol_Social /ViapolSocial
Como projetista estrutural, foi extre-
mamente importante ter contato com
conceitos estrangeiros e adaptá-los
p “Tem sido um privilégio acompa- p “Na década de 1990, o Sindus- às condições econômicas e executi-
nhar e colaborar com todos os traba- Con-SP, com determinação e per- vas brasileiras, sobretudo a indus-
p “O CTQ teve um papel central no lhos desenvolvidos pelo CTQ. Trata-se sistência, tomou a iniciativa de trialização e a plataforma BIM”
movimento de qualificação da ISO e de um grupo de excelência, com dis- compreender e discutir o conceito Virgilio Ramos // Diretor técnico
é muito importante na disseminação cussões de alto nível, o que nos pro- da qualidade com a comunidade e da Cia. de Engenharia Civil (CEC)

30 notícias da construção // set/out 2016 www.viapol.com.br


/Viapol /Viapol_Social /ViapolSocial
FOTO DO MÊS // SETEMBRO / OUTUBRO 2016

FOTOS: JORGE ROSENBERG


e-Tower
Situado na Vila Olímpia, em São Paulo, o e-Tower foi edificado pela Tecnum
Construtora a partir de projeto do escritório Aflalo & Gasperini. O edifício foi projeta-
do para o concreto de resistência fck = 80 MPa, para que os pilares dos quatro níveis
do subsolo [veja o destaque] pudessem ter dimensões reduzidas sem perder resis-
tência. A redução da seção dos pilares permitiu aumentar a quantidade de vagas
do estacionamento. Com a cooperação da Engemix, da Escola Politécnica da USP
e da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), atingiu-se a resistência à
compressão de fck = 125 MPa no canteiro da obra. O valor é considerado um recorde
mundial em resistência de concreto colorido. O e-Tower também é o primeiro edi-
fício a ter pilares gêmeos testados em temperaturas elevadas para avaliar as influ-
ências do tamanho do corpo de prova, da armadura real distribuída em duas cama-
das e das misturas de concreto, que empregam materiais tipicamente brasileiros.

32 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 33


DESTAQUE

JORGE ROSENBERG
CARACTERÍSTICAS
PROJETO E PRODUÇÃO COM DO PROCESSO
CONSTRUTIVO*

FOCO NA RACIONALIZAÇÃO Contenção em parede diafragma


feita com hidrofresa e tirantes

E NA QUALIDADE
Fundações em sapatas
apoiadas na rocha

Estrutura dos subsolos e térreo


em concreto armado e protendido

Empreendimento AQWA, no Rio de Janeiro, Núcleo (elevadores e escadas)


em paredes de concreto feitas
é destaque do Seminário Tecnologia de com formas trepantes com
Estruturas ao demonstrar sistema construtivo elevação hidráulica
Ceotto: “Não conseguiríamos executar essa obra se não existisse o BIM”
moderno na execução de projeto desafiador Pavimentos tipos (em torno
do núcleo) em estrutura mista
(aço e concreto)

A
s vantagens de se utili- Suely Bacchereti Bueno, Ceotto
Colunas em tubos de aço com
zar sistemas construtivos apresentou as inovações de pro- concreto armado em seu núcleo
modernos e precisos fi- jeto e de controle da execução
caram em evidência no de estrutura do empreendimento Lajes em vigas de aço
Seminário Tecnologia de Estrutu- AQWA, no Rio de Janeiro. e steel-deck e concreto
ras – Projeto e Produção com Foco Nesse caso, as especificida- Fachada em painéis pré-moldados
na Racionalização e Qualidade. O des do local – o empreendimento de alumínio e vidro
evento, já tradicional na agenda do foi erigido numa área de 23,8 mil
* Do AQWA-RJ, segundo informações de Luiz Henrique Ceotto
Comitê de Tecnologia e Qualidade metros quadrados na região por-
do SindusCon-SP (CTQ), em sua tuária, próxima à Baia de Guana-
18ª edição, que este ano foi rea- bara – e do tipo de edificação de- de até 21 metros em relação à ba-
lizado paralelamente ao Concrete terminaram e escolha pelo proces- se foram alguns dos pontos desta-
Show [veja matéria à pág. 48], so construtivo em estrutura mista cados sobre o projeto. “A precisão
reuniu especialistas que apresen- – concreto armado e aço, com ba- requerida para manutenção dos
Perspectiva artística taram exemplos de inovação e se e núcleo em concreto. O edifí- vértices seria impossível de se ob-
do AQWA-RJ, que questões que estão sendo estu- cio tem 140 mil metros quadrados ter em concreto armado”, desta-
teve suas estruturas e dadas para dar maior eficiência e de escritórios, vagas para 1,9 mil cou Ceotto. Por isso, foi adotada a
fachadas projetadas segurança às edificações. automóveis e um espaço multiúso solução mista em concreto e aço.
em BIM “Os profissionais brasileiros de 40 mil metros quadrados, con- As peculiaridades do proje-
 
 
muitas vezes resistem à utilização tendo hotel, residencial e comér- to arquitetônico exigiram que tan-
de processos inovadores. Precisa- cio. Está preparado para receber a to a estrutura como a fachada do
mos vencer essa barreira para ter- certificação LEED Gold. AQWA fossem projetadas em BIM.
mos edifícios mais eficazes, sus- As diferenças entre os pavi- “Nós não conseguiríamos executar
tentáveis e cada vez mais próxi- mentos sucessivos; pavimentos essa obra se não existisse o BIM”,
mos da construção industriali- que chegam a ter 3,8 mil metros afirmou Ceotto. “Foi um grande
ILUSTRAÇÕES: DIVULGAÇÃO

zada”, afirmou Luiz Henrique quadrados de área com pilares desafio realizar as estruturas de
Ceotto, diretor de Design & Cons- apenas na periferia e no core; a forma que a fachada ficasse incli-
truction da Tishman Speyer Pro- concepção baseada em linhas de nada”, ressaltou Suely Bueno.
perties. Ao lado da sócia-diretora vértices que se encontram de for- A Tishman adotou a providên-
 
do escritório técnico Julio Kassoy ma muito precisa e a inclinação cia pioneira do controle dimensio-
e Mário Franco Engenheiros Civis, da estrutura que provoca balanços nal da estrutura por laser scanner

34 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 35


DESTAQUE
O concreto
reduz o tempo de concretagem; reduz o contingen-
te de mão de obra no canteiro, tornando o local de
– equipamento que realiza a leitura de milhões de trabalho mais seguro; proporciona facilidade de lan-
pontos e monta uma imagem 3D da superfície anali-
sada numa escala de 0,1 milímetro. Isso foi feito pa-
ra que a construtora pudesse se certificar que a exe-
em debate çamento em locais de difícil acesso ou densamente
armados; melhora o acabamento final da estrutura; e
reduz o barulho e a vibração.
cução da obra estava 100% de acordo com o que fo- Realizado paralelamente ao Concrete Show, o Segundo Denise, a falta de conhecimento por
ra projetado. “O scanner dá ao BIM uma dimensão Seminário Tecnologia de Estrutura não poderia parte do setor produtivo ainda impede a larga utiliza-
fantástica”, avaliou Ceotto. deixar de abordar as questões relativas ao con- ção desse tipo de concreto. “Com a alta do custo da
O Empreendimento AQWA prova, dessa forma, creto. As discussões sobre os aspectos técnicos mão de obra, a tendência é de que o autoadensável
que a construção brasileira está capacitada a execu- da classificação de consistência desse material, tenha seu uso ampliado, não só na indústria de pré-
tar os projetos mais desafiadores e inovadores. Para sua temperatura nos blocos de fundação e as moldados”, afirmou.
isso, é preciso adotar a tecnologia apropriada e, co- possibilidades de utilização do concreto auto- O CAA é constituído por cimento Portland, agre-
mo propôs o Seminário, manter o foco na racionali- adensável tiveram espaço privilegiado no evento. gado graúdo, agregado miúdo, água com aditivos su-
zação dos recursos e na qualidade. perplastificantes e aditivo modificador de viscosida-
de. É normatizado pela ABNT NBR 15823.

PREOCUPAÇÃO EÓLICA

TEMPERATURA DO CONCRETO
EM BLOCOS DE FUNDAÇÃO
O diretor da Desek Consultoria em Engenharia,
Selmo Kuperman, alertou para os cuidados com a
temperatura do concreto em blocos de fundação. Em
sua apresentação, ele apontou os erros mais comuns
no cálculo de temperaturas e tensões. “Muitas vezes o
estudo térmico não é realizado porque custa caro, é de-
morado e não muito específico”, observou Kuperman.
Entre os erros apontados está o ato de fixar tem-
As alterações climáticas, que hoje são uma realidade peraturas arbitrariamente, usando dados do último
incontestável, provocam uma mudança na intensidade dos USO DE CONCRETO AUTOADENSÁVEL projeto. “Cada projeto é único e deveria ser conside-
ventos em todas as partes do planeta. O fenômeno impacta A fluidez, a capacidade de passar por obs- ASPECTOS TÉCNICOS DA CLASSIFICAÇÃO rado independentemente”, defendeu. Um outro equí-
diretamente nas estruturas das edificações, o que leva à ne- táculos diversos e a resistência à segregação DE CONSISTÊNCIA DO CONCRETO voco recorrente está na escolha do tipo de cálculo,
cessidade de revisão da norma ABNT NBR 6123, publicada são as principais características do concreto au- Em sua palestra sobre “Aspectos Técnicos da Clas- que leva em consideração informações insuficientes.
originalmente em 1988. Esse foi o mote da palestra do enge- toadensável (CAA), segundo expôs Denise Dal sificação de Consistência do Concreto Segundo a NBR Segundo Kuperman, é preciso definir corretamente
nheiro Acir Mércio Loredo-Souza, coordenador do Laboratório Molin, professora e pesquisadora do Departa- 8953- Concreto para Fins Estruturais”, a gerente técni- altura e intervalo de lançamento entre camadas; o
de Aerodinâmica das Construções da Universidade Federal mento de Engenharia Civil da Universidade Fe- ca da Votorantim Cimentos, Luana Scheifer, disse que, tempo de desforma; a temperatura de lançamento do
do Rio Grande do Sul (UFRGS). deral do Rio Grande do Sul (UFRGS). Durante em média, 95% dos traços de concreto ainda são defi- concreto; a metodologia de resfriamento; e o espaça-
Souza, que coordena o comitê de trabalho de revisão sua palestra, intitulada “Características e Possi- nidos de acordo com as classes da antiga NBR 7212. mento das juntas de concreto.
da norma, lembrou que existem muitas divergências sobre bilidades de Intensificação do Uso do Concreto As vantagens para o construtor da utilização da O engenheiro também fez um alerta sobre a for-
o tema, visto que os impactos se dão não somente sobre a Autoadensável”, Denise deu exemplos da uti- nova NBR 8953 são a obtenção do concreto mais mação de etringita tardia [DEF, na sigla em inglês] nos
segurança da edificação, mas também sobre os custos da lização desse tipo de concreto, que vai desde fluido do início ao fim da obra, aumentando a qua- blocos, patologia que pode surgir quando a temperatura
estrutura. E alerta também para a dificuldade de se ter um as construções pré-moldadas simples, como lidade de aplicação com facilidade ao espalhar e de lançamento do concreto é superior a 65 oC, causan-
FOTOS: JORGE ROSENBERG

consenso nos levantamentos dos dados meteorológicos. “Há dormitórios de alojamentos, às fachadas mais melhor adensamento; menor quantidade de traços do fissuras nas peças estruturais. A DEF pode ser pre-
muitas críticas sem embasamento. Nosso objetivo é difundir elaboradas, como a do Museu Iberê Camargo, em uma mesma obra, o que simplifica a aquisição do venida com: a refrigeração do concreto no processo de
a necessidade de se fazer o cálculo correto da ação do vento em Porto Alegre. concreto; e o controle de recebimento. Para as con- aplicação; a diminuição do consumo de cimento, com
no projeto de estruturas”, afirmou. “A norma brasileira já é A pesquisadora elencou uma série de van- creteiras, o menor número de traços permite também o uso de aditivos; e a limitação do contato com a água
uma das melhores do mundo”, defendeu. tagens que o CAA oferece em sua utilização: maior assertividade na consistência do concreto. – a impermeabilização deve ser refeita periodicamente.

36 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 37


NOTÍCIAS

Prêmio Master a premiação foi criada em 1994 e desde então aponta


tendências de mercado. “É a noite do empreendedor,
Imobiliário 2016 premiado por grandes trabalhos. Apesar das dificulda-

consagra 18 trabalhos
des, vemos cases maravilhosos”, afirmou o presidente
da Fiabci-Brasil, Rodrigo Luna, na cerimônia de entrega.
Dos 18 trabalhos premiados, 14 foram desenvolvi-

A
22ª edição do Prêmio Master Imobiliário teve dos no Estado de São Paulo – um deles no município
sua noite de premiação no último dia 31 de de Piracicaba e os demais na capital. O presidente do
agosto, no Clube Atlético Monte Líbano, em SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, integrou a co-
São Paulo. Promovido pela seção brasileira missão julgadora do Master Imobiliário – que neste ano
da Federação Internacional das Profissões Imobiliá- teve como presidente de honra Miguel Sérgio Mauad,
rias (Fiabci-Brasil) e pelo Secovi-SP, o evento reuniu diretor-presidente da SMDI, e contou com a partici-
empresários do mercado imobiliário e líderes de en- pação de outras entidades representativas do setor.
tidades do setor. Em 2016, foram premiados 18 tra- Romeu Ferraz foi incumbido de entregar o prêmio
balhos, entre projetos, empreendimentos e iniciativas da categoria Profissional – Soluções Arquitetônicas à
de empresas e profissionais de diferentes segmentos Gamaro Desenvolvimento Imobiliário e à Roncotec.
imobiliários de todo o Brasil. Confira, no quadro, a lista completa de vencedo-
Conhecida como o “Oscar do Mercado Imobiliário”, res por categoria.

PRÊMIO MASTER IMOBILIÁRIO 2016 // CATEGORIA PROFISSIONAL


Prêmios Cases Empresas Cidade
Oportunidade Estratégica Sinergia Conx & Votorantim – Uma parceria na busca da Conx Construtora e Incorporadora / São Paulo-SP
produtividade setorial Votorantim Cimentos

Retrofit Brazilian Financial Center – Retrofit que resgata um Fundo Imobiliário BC Fund (BTG Pactual) São Paulo-SP
empreendimento para uma nova geração na Avenida Paulista / Five Steel Engenharia

Comercialização In Parque Belém Atua Construtora e Incorporadora São Paulo-SP

Comercialização Residencial Dez Zona Norte Cury Construtora & Incorporadora Rio de Janeiro-RJ

Soluções Arquitetônicas Seed Gamaro – O verde venceu Gamaro Desenvolvimento Imobiliário / São Paulo-SP
Roncotec

Relacionamento com Club Prime BKO BKO Incorporadora São Paulo-SP


Clientes

Visão e Ousadia na Centro Metropolitano Carvalho Hosken S.A. Engenharia e Rio de Janeiro-RJ
Viabilização do Centro Construções
Metropolitano

Literatura Hotelaria e Desenvolvimento Urbano de São Paulo – 150 Anos Caio Sergio Calfat Jacob São Paulo-SP
de História

Trabalho Acadêmico Livro: Direito na Construção Civil Carlos Pinto del Mar São Paulo-SP

Publicidade Campanha “Imóvel é no Estadão” Publicidade Archote São Paulo-SP

PRÊMIO MASTER IMOBILIÁRIO 2016 // CATEGORIA EMPREENDIMENTO


Prêmios Cases Empresas Cidade
Comercial EZ Towers Eztec S/A São Paulo-SP

Comercial PO 700 PaulOOctavio Brasília-DF

Comercial Worldwide Offices – Um novo patamar de empreendimento no Brookfield Incorporações Rio de Janeiro-RJ
centro metropolitano da Barra

Residencial e Comercial The Point – O novo marco de Santana Sabel Incorporadora / Labat Construtora São Paulo-SP

Residencial Lindenberg Timboril – Criando novas tendências de luxo no Construtora Adolpho Lindenberg / Piracicaba-SP
interior Frias Neto Consultoria de Imóveis

Habitação Econômica Paranoá Parque Direcional Engenharia Brasília-DF

Retrofit Studio Avanhandava Zogbi Engenharia e Construções São Paulo-SP

Indução à Renovação New Way – O residencial que iniciou a transformação do Glicério Brookfield Incorporações São Paulo-SP
Urbana

38 notícias da construção // set/out 2016


VÃO LIVRE // CONVERSA COM ANTONIO CARLOS ZORZI

A IMPORTÂNCIA DOS
SISTEMAS DE FÔRMAS
O livro Sistemas de Fôrmas para Edifícios – Re-
comendações para a Melhoria da Qualidade e da
Produtividade com Redução de Custos, de auto-
ria do engenheiro Antonio Carlos Zorzi, é tido, no
segmento de estruturas, como bibliografia obriga-
tória para engenheiros civis, projetistas, constru-
tores e profissionais gerenciadores de qualidade.
Nesta entrevista, Zorzi advoga que os sistemas

CAIO GUIMARÃES
de fôrmas devem receber maior atenção da En-
genharia, do projeto à execução da estrutura.

Notícias da Construção // O livro foi editado originalmente NC // Quais os principais equívocos que se pode cometer com
em 2014. O que motivou esta segunda edição? O que ela traz relação a esses sistemas?
de novidade? ACZ // Como o sistema de fôrmas não é um tema
Antonio Carlos Zorzi // A edição de 2014 foi uma usualmente estudado nas escolas de Engenharia do
homenagem dos meus companheiros da engenharia Brasil, é comum que os engenheiros tenham maior
da Cyrela. Sem eu saber, eles fizeram da primeira dificuldade para discutir tecnicamente o assunto.
edição uma cópia exata da minha dissertação de Muitas vezes o sistema de fôrmas é deixado aos
mestrado. O professor doutor Paulo Helene teve cuidados do mestre de obras e/ou da empresa
acesso a essa primeira edição, me procurou e fez contratada para executar os serviços de estrutura.
a proposta de uma segunda edição, dessa vez pelo Com frequência, os resultados não são os ideais. H Á 1 1 0 A N O S N O B R A S I L , M O V E N D O P E S S O A S
Instituto Brasileiro do Concreto (Ibracon). Para a É fundamental que as empresas incorporadoras e
segunda edição, eu revisitei e atualizei o texto, além construtoras invistam no projeto estrutural, no projeto
de incluir dois novos capítulos que não constavam da
dissertação original.
de fôrmas de madeira, nos materiais e na confecção
destas fôrmas, na seleção do sistema de cimbramen-
É com muito orgulho que O primeiro elevador da Otis foi instalado no Brasil em 1906,
no Palácio das Laranjeiras, atual residência oficial do
to, na gestão e nos processos construtivos, como a Elevadores Otis está Governador do Estado do Rio de Janeiro. Ele encontra-se
até hoje em pleno funcionamento e com suas características
comemorando 110 anos
NC // Resumidamente, que influência os sistemas de fôrmas também na seleção e no treinamento da mão de obra.
estéticas originais.
podem ter sobre o andamento da obra de um edifício e sua
produtividade? NC // Quais os cuidados que devem ser adotados em relação de presença no mercado Há mais de um século empregamos em nossos produtos o
ACZ // Muitas vezes o sistema de fôrmas, um dos três à mão de obra envolvida na execução dos serviços? que há de mais avançado em tecnologia de transporte
principais componentes da estrutura juntamente com ACZ // A mão de obra é um dos fatores de maior influência brasileiro. vertical no Brasil e no mundo. Desde 1867, há mais de 160
o concreto e a armadura, por ser um item temporário no resultado da estrutura de concreto armado. A não qua- anos, quando o Sr. Elisha Otis inventou, nos Estados
do processo construtivo, fica relegado a um segundo lificação desses profissionais na execução do sistema de Unidos, o elevador de segurança, o mundo nunca mais foi o
mesmo. O pioneirismo da Otis e de seu fundador contribuiu
plano quando comparado à atenção dispensada aos fôrmas fatalmente resultará na má qualidade do produto
diretamente para o desenvolvimento e crescimento das
outros dois – que são materiais permanentes e que final – lembrando que esse sistema é o grande respon- nossas cidades.
ficam agregados à estrutura. sável pela geometria obtida para a estrutura.
Acontece que o sistema de fôrmas tem É fundamental que toda a mão de obra envolvida Tecnologias avançadas, aplicadas à produtos que
influência significativa no prazo, no custo da obra, direta ou indiretamente na produção conheça o consomem cada vez menos energia, com menor impacto
na qualidade final e no desempenho do empreen- processo e esteja totalmente comprometida com o no meio ambiente que contribuem para um mundo mais
dimento após a entrega. Por isso mesmo, é um resultado. O querer da empresa em fazer bem-feito, sustentável. Nos orgulhamos desta rica história de sucesso,
que se confunde com a própria trajetória de
sistema que requer muita atenção da Engenharia – associado ao contínuo treinamento dessas equipes
desenvolvimento do país, nos últimos 110 anos.
na minha opinião, uma atenção muito maior do que (de gerenciamento e de produção), é essencial para
a que hoje lhe é dada. atingir os resultados esperados.
E l e v a d o r e s E s c a d a s E s t e i r a s R o l a n t e s
40 notícias da construção // set/out 2016
www.otis.com
ARTIGO JURÍDICO

ISS–Habite-se: é preciso evoluir HOJE É UM BOM DIA PARA


OTIMIZAR OS RESULTADOS
M
uitas prefeituras, para do ISS, o que se coaduna com o nima, há necessidade de uma re-
efeito da expedição do
Certificado de Conclu-
entendimento do Supremo Tribu-
nal Federal. Contudo, a legislação
forma ampla, em especial para res-
tabelecer o que determina o Código DOS SEUS PROJETOS.
são de Obra (Habite-se), desses municípios ainda mantém a Tributário Nacional no que se refere
ainda exigem o recolhimento prévio apuração do ISS com base em pau- à possibilidade de arbitramento do
do Imposto sobre Serviços de Qual- ta fiscal mínima. imposto em pauta mínima. Ou se-
quer Natureza (ISS), arbitrado so- Ante a todos os debates e deci- ja, somente em casos em que não
bre preços mínimos. sões proferidas em favor dos con- é possível determinar o real valor do
Mesmo após amplos debates tribuintes, resta inegável a neces- ISS devido na operação é que se-
realizados com as prefeituras, bem sidade de evolução das legislações ria possível a aplicação de um arbi-
como inúmeras decisões proferi- municipais, no sentido de desvin- tramento com base em pauta míni-
das pelo Tribunal de Justiça de São cular a expedição do Habite-se do ma. Vale ressaltar que as empresas
Paulo (TJSP) determinando a des- recolhimento do ISS, como tam- com contabilidade regular não es-
vinculação do ISS para a emissão bém em relação à apuração do ISS tariam sujeitas a esse arbitramento.
do Habite-se, inclusive uma obtida com base em pauta fiscal mínima. Uma nova legislação, a exem-
pelo SindusCon-SP em face do mu- plo do que já recomendava o lau-
nicípio de São Paulo, as prefeituras do do Instituto de Pesquisas Tec-
permanecem adotando a prática nológicas (IPT), elaborado em fe-
RESTA A NECESSIDADE
inconstitucional e ilegal de: (i) con- vereiro de 1983, deve criar meca-
dicionar a expedição do Habite-se DE EVOLUÇÃO nismos que permitam um melhor
à comprovação de quitação integral DAS LEGISLAÇÕES enquadramento dos empreendi-
do ISS; e (ii) a apuração desse ISS MUNICIPAIS PARA mentos em relação a técnicas de
com base em pauta fiscal mínima. construção, absorção de mão de
O TJSP já manifestou o seu po- DESVINCULAR O obra, bem como uma aproxima-
sicionamento no sentido de afastar HABITE-SE DO ISS ção com entidades do setor, tudo
a vinculação do Habite-se ao pa- para que a tributação seja basea-
gamento do ISS e, em muitos ca- da em critérios técnicos e econô-
sos, rechaçou também a cobrança Tal medida é fundamental para micos atualizados, proporcionan-
do ISS com base em pauta fiscal evitar que as empresas do setor fi- do um tratamento tributário iso-
mínima. Em relação à pauta fiscal, quem reféns do subjetivismo e de nômico entre os contribuintes.
o principal fundamento das deci- prazos incompatíveis com a reali- É fundamental que uma refor-
sões do Tribunal é o desvirtuamen- dade de mercado, que norteia as ma legislativa nesse sentido tra-
to do fato gerador do imposto, haja atividades do setor. Vale reafirmar ga uma sistemática de apuração
vista não incidir efetivamente so- que a jurisprudência dos tribunais mais transparente, contribuin- NOSSAS SOLUÇÕES EM SOFTWARE DE GESTÃO, PRODUTIVIDADE
bre a prestação de serviço realiza- superiores é pacífica no sentido de do para a formação de um siste-
E COLABORAÇÃO PODEM TRANSFORMAR O SEU NEGÓCIO HOJE.
do, o que, por si só, torna incons- impedir a cobrança de tributos vin- ma de arrecadação mais célere e
titucional a exação em referência. culada ao regular desempenho das mais eficiente, o que trará benefí-
É verdade que, em alguns muni- atividades das empresas. cios tanto para a máquina arreca- A sua empresa pode ser mais eficiente, rentável e competitiva. Nossas soluções
cípios, a expedição do Habite-se não Em relação ao lançamento do datória dos municípios, como pa- em tecnologia colocam você no controle de seus projetos e empreendimentos,
está condicionada ao pagamento ISS com base em pauta fiscal mí- ra os próprios contribuintes. proporcionando orçamentos mais assertivos, precisão na gestão de custos, facilidade
na gestão de contratos e tornando seu dia a dia mais simples e conectado.
Deixe a TOTVS pensar o seu negócio junto com você.
DIVULGAÇÃO

RODRIGO ANTONIO DIAS


Advogado do escritório Tubino Veloso, Bicalho e Dias Advogados, pós-graduado
em Direito Tributário pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais, com MBA
pelo Insper, membro do Conselho Jurídico do SindusCon-SP COMPETITIVE-SE COM TOTVS. Pensando juntos, fazemos melhor.

0800 70 98 100 www.totvs.com


42 notícias da construção // set/out 2016 THINK TOGETHER
SINDUSCON-SP EM AÇÃO
Haddad, coordenadora de Assistên- de garantia. Integrado a um aplicativo Dados coletados no pós-obra

BOAS PRÁTICAS cia Técnica da empresa, informou


que até o momento não houve re-
chamado Projeto Mobilidade, o siste-
ma da Tecnisa controla chamados e
permitiram à Eztec Empreendi-
mentos e Participações perceber

PARA A ENTREGA DE torno negativo, pelo contrário, alguns


clientes entendem que o processo é
respectivos prazos em obras de todo
o País. Pelo aplicativo também é pos-
que devido ao custo de operação,
alguns sistemas são desativados

EMPREENDIMENTOS
mais ágil, eliminando o tempo com sível acompanhar a equipe e melhor pelos proprietários. É o caso de
a realização da vistoria no local. E o distribuir os serviços. “As informações um espelho d’água que, para eco-

JORGE ROSENBERG
fato de ter um laudo de um perito trás coletadas no pós-obra retroalimentam nomia de energia, teve as bombas
segurança ao cliente. Como parte do a base de dados da construtora, pro- desligadas e a água esgotada.
CTQ apresenta guia com a finalidade de auxiliar Oliveira: crescem os chamados
processo, antes da vistoria do perito, porcionando feedback para os depar- “Quando o equipamento for ligado,
nos departamentos de pós-obra
construtoras a alcançarem a excelência a obra “entrega” as unidades para a tamentos de incorporação, de projeto pode não funcionar por falta de
área de Assistência Técnica e somen- e execução”, explica Débora. uso. E o condomínio vai questio-

A
presentado pelo Comitê de nos últimos anos”, afirma Alexandre comuns trazendo informações preci- te depois de solucionados os even- A Tecnum Construtora expe- nar as garantias. Além disto, neste
Tecnologia e Qualidade do Oliveira, coordenador da Comissão sas, e a entrega do modelo do Progra- tuais pontos indicados é acionado o rimentou uma mudança cultural. empreendimento específico, fica
SindusCon-SP (CTQ), no de Trabalho Pós-Obra do CTQ. ma de Manutenção contemplando as perito. Da mesma forma se este iden- “A empresa deixou de considerar claro que o cliente não valoriza
último 14 de setembro, o especificidades do empreendimento. tificar correções estas são efetuadas assistência técnica como custo e, este tipo de equipamento”, des-
guia Boas Práticas para a Entrega do MUDANÇA DE OLHAR Aírton Maffei, gerente de Assis- antes do envio do laudo ao cliente. após a implantação do Sistema de taca Reginaldo Silva, coordenador
Empreendimento desde a sua Con- Construído em conjunto pelo Sin- tência Técnica da Queiroz Galvão A Tecnisa, por sua vez, conta com Gestão da Qualidade, passou a en- de Assistência Técnica da Eztec.
cepção reúne procedimentos bem- dusCon-SP, Secovi-SP e Câmara Desenvolvimento Imobiliário, afirma um sistema integrado de atendimento tender que as questões de pós-obra Os debates foram coordenados
sucedidos adotados por empresas Brasileira da Indústria da Constu- que o construtor deve ficar atento a clientes que traz todo seu histórico. devem ser avaliadas em todos os por Claudio Goldstein, membro do
de todo o País. De acordo com Paulo ção (CBIC), com apoio do Senai-SP à preservação das funcionalidades “Ajuda porque são pelo menos cinco processos”, explica Claudia Kano, CTQ, e contaram com a participação
Sanchez, vice-presidente de Tecno- e de Sinduscons de outros Estados, das unidades ainda não comerciali- anos de relacionamento da assistên- coordenadora do Serviço de Assis- do perito Tomás Gouveia. O evento
logia e Qualidade do SindusCon-SP, o guia conta com orientações de zadas. “Estoque é uma realidade de cia técnica com todas as unidades”, tência Técnica. “Agora, temos equi- contou com a participação presen-
o documento visa fornecer ao cons- como incorporar as lições aprendi- mercado. Temos que gerenciar para afirma Débora von Maschell, coor- pes estruturadas para atendimento cial de 132 profissionais e 80 online.
trutor informações essenciais para das aos novos empreendimentos e manter a qualidade dos empreendi- denadora de Assistência Técnica da de pós-obra que estão incluídas no O guia está disponível para download
que considere, desde a concepção aos processos organizacionais das mentos”, lembra. Para ele, não faz companhia, em referência aos prazos organograma das empresas”, diz. em www.sindusconsp.com.br.
do empreendimento, a mitigação de empresas envolvidas. sentido cobrar manutenção preventi-
riscos relacionados à entrega, uso, "O guia, como outras publica- va dos proprietários se a construtora
operação e manutenção dos mes- ções que orientam a elaboração de não segue as próprias orientações.
mos. “Todas as fases do empreendi- manuais de uso, operação e manu- “O investimento em manutenção
mento têm vistas ao desenvolvimen- tenção, devem ser customizados de estoques valoriza e mantém a
to de um bom produto imobiliário. para cada empreendimento”, enfa- beleza e a funcionalidade da unida-
Então, temos de tomar providências tiza a consultora técnica da Comis- de”, pontua. Tal investimento auxilia
para reduzir riscos. Esses cuidados são de Trabalho Pós-Obra do CTQ, até mesmo na resolução de uma
são ainda mais desafiantes no cená- Lilian Sarrouf. “É preciso entender questão controversa – a da garantia
rio econômico atual”, analisa. que o sucesso no momento da en- de unidades em estoque.
Os cuidados propostos pelo guia trega está atrelado a um bom plane-
são úteis para os construtores, mas jamento e inclui aspectos técnicos, CASES DE SUCESSO
também para os clientes que rece- legais, financeiros, comerciais, or- No caso da Lucio Engenharia, a
bem a obra, conforme lembra Yorki ganizacionais e de treinamento para empresa adotou uma nova maneira
Estefan, coordenador do CTQ, que capacitação das diferentes equipes de entregar os empreendimentos,
na ocasião destacou o guia como envolvidas, além da forma correta substituindo a vistoria com os clien-
um “brilhante trabalho de padro- de comunicação com o cliente”. tes por realizar uma vistoria com
nização de atividades de entrega, Focando na finalização do em- um perito, elaborar o laudo acaute-
ocupação e manutenção”. preendimento, Oliveira apresentou latório e encaminhar ao cliente.
“A publicação chega num mo- algumas providências que devem ser O cliente é informado que, surgin-
mento em que o mercado tem regis- tomadas, tais como a realização do do qualquer discordância, pode con-
trado crescimento na quantidade de comissionamento dos sistemas pre- tatar a Assistência Técnica – que irá
chamados nos departamentos de pós diais e da entrega técnica ao clien- verificar a solicitação e, sendo perti-
-obra das construtoras em função da te/condomínio, a elaboração dos nente, irá atender. Questionada sobre
quantidade de unidades entregues manuais do proprietário e das áreas a receptividade dos clientes, Karina

44 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 45


SINDUSCON-SP EM AÇÃO

Solução
sem litígio
Centro de Mediação do

JORGE ROSENBERG
SindusCon-SP propõe conciliar
partes envolvidas sem apelar à
Justiça, reduzindo custos e prazos Straube: problemas de construção são celeiro de disputas

DIVULGAÇÃO
ançado em maio de 2016, o Centro de Media- Apesar disso, é possível que apenas uma das partes ca-
ção do SindusCon-SP (CMS-SP) já se tornou dastre o caso e solicite ao CMS convocar a outra parte
um importante instrumento para resolução para uma reunião de mediação. Totalmente voluntária,
de conflitos de maneira extrajudicial, afirma a mediação pode ser convocada ou interrompida a qual- Trabalhadores assistem a aula do Programa de Elevação da Escolaridade em canteiro de obras da Hochtief do Brasil
seu diretor, Frederico José Straube. Segundo ele, o quer momento, inclusive pelo mediador, caso observe

PROGRAMA DE ELEVAÇÃO DA
Conselho Jurídico do SindusCon-SP teve visão de fu- que o formato não é adequado para resolver o conflito.
turo ao montar o CMS-SP rapidamente após a re- O CMS apresenta-se como uma alternativa mais rá-
gulamentação da Lei de Mediação, a 13.140/2015, pida e mais barata do que o sistema judiciário, com cus-

ESCOLARIDADE É RENOVADO
que coloca a mediação como etapa obrigatória para tos geralmente divididos igualmente entre os envolvidos.
a resolução e conflitos. No site do CMS [www.sindusconsp.com.br/cms-sp], é
A função do Centro é colocar frente a frente, com possível ter acesso à tabela de preços e às etapas neces-
a presença de um mediador profissional devidamen- sárias para dar início a um procedimento de mediação.
te capacitado e qualificado, empresas e profissionais Straube revela que há a intenção de promover um

R
envolvidos em conflitos. A ideia é buscar uma solu- evento, entre o fim deste ano e o começo do próxi- ealizado pelo SindusCon-SP em parceria instruí-los para que, em uma segunda etapa, possam
ção consensual para divergências em relações comer- mo, para divulgar as atividades do Centro para os as- com o Serviço Social da Indústria do Estado dar continuidade à sua escolarização ou em cursos pro-
ciais, evitando ações judiciais morosas e onerosas. sociados do SindusCon-SP. de São Paulo (Sesi-SP) desde 2014, o Pro- fissionalizantes. O espaço é cedido pelas construtoras
Para Straube, essa é uma tendência irreversível, pois grama de Elevação da Escolaridade foi reno- e as aulas são ministradas por monitores do Sesi-SP.
o Judiciário ainda tem tolerado ações que não passa- vado, em agosto, para um período adicional de 36 O fato de ter sido renovado mesmo em um momento
ram por mediação, mas os juízes se tornaram mais ri- ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS meses. A iniciativa tem como finalidade combater um adverso para o setor é, para Ishikawa, motivo de come-
gorosos quanto à obrigatoriedade. dos grandes problemas enfrentados dentro de cantei- moração. “Com a crise, diminuiu a adesão, mas mesmo
O QUE É MEDIAÇÃO? Forma consensual de resolução de
O CMS é regido por um regulamento, um regimento e conflitos entre parceiros comerciais. Com a mediação, as partes evitam ro de obras: a baixa escolaridade dos trabalhadores. assim mantivemos a iniciativa”, salienta o empresário.
um código de ética próprios. Conforme ressaltou Straube os processos judiciais, que geralmente são mais caros e demorados. “O setor da construção civil é muito carente na O Programa de Elevação da Escolaridade é ofere-
quando do lançamento, o CMS juntamente com a Lei de questão da educação”, avalia Haruo Ishikawa, vi- cido em São Paulo e nas nove Regionais do Sindus-
QUAIS AS VANTAGENS DA MEDIAÇÃO? Os principais
Mediação constituem um “turning point na mediação no ganhos estão relacionados à desjudicialização da causa. Além ce-presidente de Relações Capital-Trabalho e Res- Con-SP – em Bauru, Campinas, Presidente Prudente,
Brasil”. Hoje existem cerca de 100 milhões de ações em disso, como a mediação desenvolve soluções consensuais entre ponsabilidade Social do SindusCon-SP. Para ele, é Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São José do Rio
andamento no País, sobrecarregando o Judiciário. as partes, possibilita a continuidade da relação comercial. imprescindível que o setor invista na elevação da es- Preto, São José dos Campos e Sorocaba, além da Dele-
No caso da construção civil, ele acredita que a cria- QUAIS CASOS PODEM SER RESOLVIDOS? Não
colaridade do trabalhador, para que seja possível ga- gacia de Mogi das Cruzes. Para aderir, a empresa asso-
ção do Centro é uma iniciativa emblemática. “Os proble- há limitação. Quem decide quando iniciar ou interromper um rantir níveis mínimos de segurança e produtividade ciada deve ter no mínimo dez trabalhadores inscritos.
mas de construção civil são celeiro de muitas disputas. procedimento de mediação são as partes. Caso conclua que nos canteiros de obras. “A falta de alfabetização é
Quanto mais complexa a obra, mais partes estão intera- um caso não está sendo bem-sucedido por meio da mediação, uma barreira ao entendimento, por parte do trabalha-
gindo, mais tipos de empresas. A criação de litígios em
o mediador pode sugerir às partes procurar a Justiça.
dor, sobre o seu próprio trabalho e sobre as orienta- SAIBA MAIS
função de divergências entre as atividades das empresas QUEM PODE SER MEDIADOR DE CONFLITOS? ções relacionadas à segurança”, afirma.
é grande e pode gerar processos judiciais”, diz. Segun- Desde que as partes concordem, qualquer pessoa. Mas há Desde o seu início, o Programa atendeu 748 tra- Para outras informações sobre a adesão, os interessados
profissionais qualificados e com experiência comprovada para
do ele, a mediação é a melhor alternativa para reduzir a atuar nesse tipo de situação. balhadores em 105 turmas, em todo o Estado. A ini- devem entrar em contato com o setor de Responsabilidade
quantidade de conflitos que chegam aos tribunais. ciativa é voltada a trabalhadores sem alfabetização, Social do SindusCon-SP, pelos e-mails respsocial@
Para que o procedimento de mediação resulte na A MEDIAÇÃO TEM VALIDADE LEGAL? A partir do momento ou com Ensino Fundamental incompleto, que têm sindusconsp.com.br e mbarbosa@sindusconsp.com.br, ou
em que as partes chegam a consenso, é gerado um Termo de Acordo
criação de um Termo de Acordo com valor judicial, é que, assinado pelas partes e testemunhas, passa a ter validade legal. aulas de Português e Matemática nos canteiros, an- pelos telefones (11) 3334-5630 e 3334-5638.
imprescindível que as partes estejam em pleno acordo. tes ou depois da jornada de trabalho. O objetivo é

46 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 47


SINDUSCON-SP EM AÇÃO

Trabalhadores participam
de atividade da Estação 2, tância deles para o setor e a responsabilidade de cada
no Senai Tatuapé um sobre a segurança no trabalho,” afirma.
A MegaSipat, que teve seu formato alterado no
ano passado, está agora mais dinâmica, com a divi-
são dos trabalhadores em grupos que percorrem um
circuito de cinco estações (Segurança do Trabalho,
Meio Ambiente, Desafios dos Sentidos, Saúde e Nu-
trição). Cada uma delas visa à conscientização do
trabalhador sobre os temas apresentados.
No início da manhã, os trabalhadores realizam exames
de sangue, de visão e recebem orientações médicas. Um
café da manhã reforçado é servido na sequência, antes
do início do trekking. Os participantes são divididos em
seis grupos. Cada equipe recebe um cronômetro para o
cálculo do tempo do percurso, tendo que obedecer aos
intervalos predefinidos. De posse de mapas, os partici-
pantes devem localizar as estações de atividades, aten-
tando para o percurso proposto [veja a arte nesta página].
Depois de percorrer todas as estações, as ativi-
dades são encerradas com oficina de artesanato e

ROSEANE PETRONILLO
espaço zen. Na ocasião, os técnicos responsáveis
pelas estações do circuito chamam os participantes à
reflexão, ressaltando os pontos conceituais do evento,
como integração e responsabilidade social. Para ter-
minar, os trabalhadores almoçam no local.

FOI DADA A
ESTAÇÃO 1 ESTAÇÃO 2 ESTAÇÃO 4
Tem como tema “Segurança e Saúde no Denominada “Resíduo no Lugar Certo”, busca promo- Tendo como tema a Saúde, é promovi-
Trabalho” e o objetivo de conscientizar ver a reflexão sobre o descarte correto de resíduos, do um quiz com perguntas sobre assun-
para o alto índice de acidentes de traba- mostrando que todos são responsáveis pela limpeza e tos diversos, como dengue, zika vírus e fe-

LARGADA PARA A
lho e para a importância do cumprimen- conservação do meio ambiente. A ideia mostra o pa- bre chikungunya, vírus H1N1, dependência
to das Normas Regulamentadoras e do pel de cada um no correto descarte de resíduos sóli- química, doenças sexualmente transmis-
uso dos Equipamentos de Proteção Indi- dos na comunidade e também no ambiente de traba- síveis (DST), saúde da mulher, saúde do
vidual (EPIs). lho. Os participantes são alertados para o fato de que homem e saúde mental.

MEGASIPAT 2016
resíduos da construção civil deixados em locais in-
corretos podem causar enchentes, doenças, obstru-
ções de vias públicas, acidentes de trabalho nos can-
teiros de obras, entre outros. ESTAÇÃO 5
Denominada "Oficina Nu-

M
tritiva", tem o objetivo de
despertar os participan-
aior evento anual de Saúde e Segurança do vida do trabalhador. O objetivo é auxiliar as empresas tes para as possibilida-
Trabalho da construção civil paulista, a Me- do setor da construção civil de todo o Estado de São des de utilização inte-
gral dos alimentos, além
gaSipat 2016 teve início no dia 31 de agosto, Paulo na realização de sua Semana Interna de Preven- de reforçar a importância
na escola da construção civil do Senai-SP Or- ção de Acidentes de Trabalho (Sipat). Com o evento, de escolhas mais saudá-
veis no dia a dia.
lando Laviero Ferraiuolo, no bairro do Tatuapé, na capi- o sindicato busca desenvolver uma cultura preventiva,
tal. Nesta 17ª edição (é realizado desde 2000), o evento despertando o interesse dos trabalhadores em evitar
irá percorrer, até o fim de novembro, os municípios de acidentes de trabalho e cuidar da saúde.
ESTAÇÃO 3
Bauru, Campinas, Franca, Mogi das Cruzes, Presiden- Na avaliação do vice-presidente de Relações Capital- O “Desafio dos Sentidos” mostra as barreiras e os desa-
te Prudente, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Trabalho e Responsabilidade Social do SindusCon-SP, fios encontrados no cotidiano pelas pessoas com deficiência
(PCDs), por meio de uma experiência vivencial e sensorial. Os
José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba. Haruo Ishikawa, a MegaSipat é mais que um dia voltado trabalhadores assistem a um vídeo sobre as dificuldades en-
Essa ação do SindusCon-SP, realizada em parceria à prevenção de acidentes. “Todas as atividades realiza- frentadas pelos deficientes visuais e depois têm os olhos ven-
dados para, utilizando somente o tato, tentarem descobrir que
com o Sesi-SP, o Senai-SP e o Seconci-SP, tem caráter das, o tempo dedicado à atenção à saúde, as dinâmicas objeto ou alimento está exposto na estação.
coletivo e de promoção da melhoria da qualidade de e a interação entre os trabalhadores mostram a impor-

48 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 49


REGIONAL

Aplicativo
faz consultas
a restrições

DIVULGAÇÃO
aeroportuárias
em Campinas Imagem da região de Viracopos, no monitor do Controle do Espaço Aéreo

D
urante workshop promo- A expectativa é de que, com a coordenador de Produção e Mer-
vido pela Regional Cam- nova plataforma, arquitetos e enge- cado do SindusCon-SP, Elcio
pinas do SindusCon-SP, nheiros obtenham ganhos de tem- Sigolo, ressaltou a importância da
a prefeitura do município po significativos. “Nós somos muito participação da Aeronáutica nes-
lançou um aplicativo que permi- consultados para saber se podemos se processo de esclaredimento ao
te consultar em poucos minutos, fazer ou não edificações e empreen- mercado – eventos como o realiza-
com base em geoprocessamen- dimentos nessas áreas. Agora tudo do em Campinas acontecerão em
to, se há restrições aeroportuárias ficará muito mais simples e rápi- todas as regionais do SindusCon-
em qualquer ponto do município. do”, testemunha Fábio Bernils, pre- -SP. “O momento é bem oportu-
Com um simples clique no mapa, sidente do Conselho Municipal de no, pois hoje existe uma deman-
abre-se uma janela com todas as Desenvolvimento Urbano (CMDU). da por projetos no entorno de Vira-
informações sobre aquela locali- copos”, avaliou o diretor da Regio-
zação, tanto em termos das zonas O WORKSHOP nal Campinas, Márcio Benvenutti.
de restrições aeroportuárias como Realizado na última semana de Segundo ele, o impacto da porta-
sobre emissões de ruído. agosto pelo SindusCon-SP, o wor- ria é observado também em outros
“Em Campinas, temos 12 heli- kshop “Novas Regras para a Apro- municípios da Região Metropolita-
pontos homologados, dois aero- vação de Projetos Imobiliários no na de Campinas, como America-
portos e mais outros em estu- Entorno dos Aeródromos” reuniu na, Indaiatuba, Paulínia e Sumaré.
do”, enumera a diretora de Pla- representantes do setor imobiliá- O tenente-especialista Luís
nejamento da prefeitura, Caroli- rio e da construção civil da região Carlos Pereira de Sousa, do Servi-
ne Baracat. “Esse aplicativo será para divulgar todas as informa- ço Regional de Proteção ao Voo de
muito útil para todas as empresas ções necessárias para que proje- São Paulo (SRPV-SP), foi incum-
do setor, para ganhar mais produ- tos nos entornos dos aeroportos, bido de orientar e esclarecer as
tividade e tempo, durante estudos helipontos e equipamentos aéreos dúvidas do público presente em
de viabilidade de seus projetos”, sejam adaptados à aplicação da relação à aplicação da Portaria no
afirma. Ao consultar a localização Portaria no 957/GC3 do Comando 957/GC3. Sousa detalhou os pla-
do empreendimento no aplicati- da Aeronáutica (Comaer). nos de Zona de Proteção aprova-
vo, o incorporador fica ciente das Em vigor desde o final do ano dos pelo Decea; os critérios de
restrições de altura, por exem- passado, a portaria redefiniu áreas autorização para Objetos Projeta-
plo. Com isso, pode providenciar de proteção e alturas máximas de dos no Espaço Aéreo (Opea); os
as adaptações necessárias para edificações no entorno de aero- documentos necessários para o
não ter problemas de aprovação portos em todo o País – entre eles desenvolvimento dos projetos; os
no órgão regional do Departamen- o Aeroporto Internacional de Vira- procedimentos de como ingressar
to de Controle do Espaço Aéreo copos, um dos mais importantes com um processo junto aos órgãos
(Decea). Além disso, fica saben- centros de tráfego aéreo no Brasil competentes; e os critérios técni-
do se é necessário fazer o regis- e, por superfície, o maior centro cos que os projetos devem obser-
tro do empreendimento na plata- de carga aérea na América do Sul. var (plano de sombra e grau e
forma online do órgão. Na abertura do workshop, o recurso por interesse público).

50 notícias da construção // set/out 2016


ESPECIAL CONCRETO

JORGE ROSENBERG
LANÇAMENTOS FÁBRICAS ADAPTÁVEIS A CADA CANTEIRO COMUNICAÇÃO EFICIENTE trepante, além de fôr-
PARA AUMENTAR A A Weiler-C.Holzberger (WCH), produtora de máquinas
para a indústria de pré-fabricados, desenvolveu uma
DO PROJETO AO CANTEIRO
A Trimble, especialista em soluções de tecnologia de
mas especiais feitas sob
encomenda. Segundo a
COMPETITIVIDADE solução inovadora para canteiros de obra: a Fábrica
Itinerante. A ideia é montar uma fábrica no terreno da
posicionamento, lançou o Trimble Connect, uma pla-
taforma de colaboração baseada na nuvem que pro-
empresa, as fôrmas de
alumínio são ideais para
Por reunir a cadeia produtiva do setor da cons- obra que está sendo construída, opção que combina as move a integração das equipes envolvidas, da con- uma construção mais
trução civil e do concreto, o Concrete Show é o vantagens e tecnologias da pré-fabricação com as fa- cepção do projeto à execução de uma obra. Trata-se dinâmica e sustentável,
momento escolhido por várias empresas para cilidades e benefícios da construção in loco. A Fábrica de uma solução que permite o compartilhamento de pois esse sistema dimi-
apresentar suas novidades na busca por con- Itinerante permite executar uma obra distante da ma- arquivos 3D dos diversos softwares do mercado, nui o tempo da construção e reduz a necessidade
quista de fatias de mercado. Veja a seguir algu- triz, com redução de custos, e pode ser deslocada vá- sem a necessidade de que o usuário tenha o progra- de mão de obra, contribuindo para racionalizar
mas das novidades expostas durante o evento. rias vezes para outras obras. Segundo a empresa, ou- ma instalado. Com isso, afirma a empresa, mesmo os custos. Adicionalmente, oferecem um aspecto
tros benefícios imediatos são a economia de impostos usando ferramentas diferentes, todos os profissio- sustentável, pois produzem cerca de 70% menos
APLICAÇÃO INOVADORA ao evitar o transporte de pré-fabricados e a rapidez em nais envolvidos na construção de um edifício podem entulho, além do fato de o alumínio ser reciclável. 
Fabricantes de máquinas e de insumos para a construção exibiram produtos DE AÇO INOXIDÁVEL atender imprevistos no desenrolar da obra. acessar, analisar, gerenciar e compartilhar dados do
projeto de qualquer lugar a qualquer momento. SOLUÇÃO REDUZ CONSUMO

Concrete Show reforça LINHA DE SELANTES E


ADESIVOS PROFISSIONAIS
A Veeda Indústria e Comércio (Evosel) lan-
ALTA PERFORMANCE E
BAIXO CUSTO OPERACIONAL
DE ENERGIA ELÉTRICA

seu papel estratégico


çou durante o evento uma linha de selantes A alemã Liebherr apresentou a autobomba de con-
e adesivos de alto desempenho e qualidade. creto THP 70 D-C, produzida em Guaratinguetá (SP).
Entre os produtos apresentados, destacam- A máquina foi projetada para causar menores níveis
se o Evosel 95 SM – um selante de silico- de depósito de concreto, além de oferecer maior

L
ne que não mancha mármores, granitos e facilidade de acesso para limpeza e manutenção. O
íderes empresariais que par- a crescer”, declarou Renato Giusti, A Aperam South America apresentou uma nova pedras – e o Evosel 91, uma opção para junta de equipamento é o menor do portfólio de bombas que A Cinexpan deu destaque à sua argila expandi-
solução para o setor da construção civil: a apli- dilatação com 50% de movimentação. a empresa produz hoje no Brasil e conta com recur- da. O produto é um agregado leve que se apre-
ticiparam da 10ª edição do presidente da Associação Brasilei-
cação de aço inoxidável em caminhão betoneira, sos tecnológicos de simples utilização. Segundo a senta em forma de esferas de cerâmica, com
Concrete Show South Ame- ra de Cimento Portland (ABCP), usado para o transporte e mistura de concreto SISTEMA PROMETE REDUÇÃO Liebherr, o usuário pode conduzir o bombeamento uma estrutura interna formada por uma espuma
rica, realizada no São Paulo durante a cerimônia de abertura. e cargas metálicas. Segundo a empresa, o aço DE 30% DO CUSTO DE MORADIAS de forma automática quando a máquina está em cerâmica com microporos e uma casca rígida e
Expo no final de agosto, enaltece- “A ABCP comemora, nesta edição, inox 410D, usado no balão e nas lâminas in- pleno funcionamento. Em caso de paralisação dos resistente. Segundo a empresa, o produto ajuda
ternas do veículo, permite conformações com sensores, o bombeamento pode ser feito de forma a diminuir a temperatura do ambiente interno,
ram o papel estratégico da feira 80 anos dedicados ao crescimento menores espessuras em comparação ao aço semiautomática e, em último caso, a bomba pode o que consequentemente impacta na economia
para o segmento da construção e e desenvolvimento da construção carbono, garantindo resistência estrutural e ser descarregada completamente, de forma manual, de energia. A argila expandida pode ser utilizada
para a cadeia produtiva do concre- civil. Temos que celebrar o pas- maior capacidade em volume de carga, além de impedindo que o concreto se acumule e seque dentro sobre a laje de cobertura de residências, co-
ter mais durabilidade e resistência a abrasivos. do equipamento, evitando a perda total do material. mércios e indústrias, após a impermeabilização
to. “O evento reforça a sua impor- sado e pensar o futuro”, disse o Com o objetivo de evidenciar a economia que os e aplicação da camada de proteção mecânica.
tância por apresentar inovação e presidente da entidade, uma das blocos de concreto podem trazer à construção, a SISTEMA DE PROTEÇÃO DO CONCRETO Além disso, o produto também pode ser adotado
oportunidades de negócios”, des- promotoras da feira. Associação Brasileira da Indústria de Blocos de em projetos de paisagismo, coberturas verdes,
Concreto (Bloco Brasil) construiu no pavilhão de expo- áreas drenantes e retenção de águas pluviais.
tacou Francisco Antunes de Vas- Em três dias de feira, foi re-
sições dois apartamentos de cerca de 50 m², nos mol-
concellos Neto, vice-presidente do gistrada a presença de 22.220 des das moradias da CDHU. O sistema construtivo em MANTA DE CONCRETO
SindusCon-SP. “Estamos unindo profissionais, que buscaram con- alvenaria estrutural com blocos de concreto dispensa 100% IMPERMEÁVEL
forças para promover o crescimen- ferir lançamentos e adquirir mais a construção de vigas e pilares, uma vez que a pró-
pria parede erguida já é utilizada como estrutura do
to do País. Esperamos incrementar conhecimento por meio dos cur- apartamento. Segundo a entidade, o sistema chega A Penetron Brasil apresentou os produtos que com-
a atividade da construção para au- sos e seminários organizados pe- a ser até 30% mais econômico do que a construção põem o sistema White Tank, que alia a tecnologia
xiliar na retomada do crescimento las principais associações e enti- CAMINHÃO DE 32 TONELADAS convencional em edificações de até dez pavimentos de cristalização integral do concreto e veda jun-
Novo modelo do segmento off-road, o VM 32 por oferecer uma construção rápida e industrializada. tas especiais. Entre eles, o Penetron Admix – um
e geração de empregos”, afirmou. dades do setor. Evento paralelo, toneladas, da Volvo, é destinado a trabalhos de aditivo redutor de permeabilidade por cristaliza-
Este ano, o sindicato promoveu o o Concrete Congress reuniu 34 terraplenagem, mineração leve e construção. SOLUÇÕES PARA APLICAÇÕES DIVERSAS ção integral do concreto, capaz de resistir a altas A Concrete Canvas Brasil lançou o CC Hydro, ma-
Seminário Tecnologia de Estrutu- seminários e cursos direcionados Oferece 5,3 toneladas a mais de capacidade de O estande da Basf colocou em destaque as soluções pressões hidrostáticas e de impedir a penetração terial que combina a praticidade da manta de con-
carga que a versão anterior e uma capacidade da empresa para o segmento de pré-moldados de de agentes agressivos ao concreto armado – e o creto com a impermeabilização de um revestimento
ras paralelamente à feira [leia ma- para engenheiros, arquitetos e
de carga 20% superior. O eixo dianteiro, que concreto, com a linha de aditivos MasterGlenium Penebar SW – um veda-juntas ou fita hidroexpan- de contenção. A empresa explica que o CC Hydro é
téria à pág. 26]. outros profissionais da constru- suportava 6,7 toneladas, agora está preparado ACE e MasterFinish. Apresentou também o Master- siva, composto de selante que se expande de ma- uma manta de concreto desenvolvida com uma im-
“O Concrete Show é sempre ção civil. O SindusCon-SP esteve para 8 toneladas, e tem molas parabólicas de Flow 350, um graute pré-dosado à base de cimento neira controlada quando exposto a umidade, tor- permeabilização 100% estanque e camada de PVC
um encontro otimista e estimula a presente, oferecendo os cursos alta capacidade, amortecedores de dupla ação Portland, com agregados minerais e aditivos espe- nando-se material de selamento para aplicações de 1,4 mm com lâminas de 10 cm sobressalentes
e barra estabilizadora. Já os eixos traseiros, que ciais para operações de grauteamento e ancoragem, em juntas de concreto e tubulações. nas laterais para termofusão do PVC. “O CC Hydro
proatividade para que novos negó- “Gestão de Obra com Lean Cons- eram projetados para 20 toneladas, no veículo além da MasterTop 2250, uma pintura epóxi de alta é 100% impermeável contra infiltrações. O novo
cios aconteçam. Exerce um papel truction” e “Gestão Sunstentável novo suportam 24 toneladas, têm redução nos espessura e bicomponente, indicada para laborató- FÔRMAS DE ALUMÍNIO PARA CONCRETAGEM produto é direcionado para bacias de contenção,
fundamental por mostrar que o se- na Construção Civil”, além de três cubos e vêm de fábrica com bloqueio de diferen- rios, shopping centers, supermercados, concessio- A S-Form Brasil apresentou a sua linha de sistemas valas de drenagem, áreas de saneamento, áreas de
cial entre rodas e entre eixo. Segundo a empre- nárias, estacionamentos cobertos, hospitais, indús- construtivos residenciais e industriais, constituí- agronegócio, sendo o melhor revestimento para o
tor tem capacidade e potencial de palestras gratuitas que tiveram a sa, isso torna o conjunto mais robusto e durável. trias, galpões, lojas e escritórios. da por fôrmas de alumínio, fôrmas gang e sistema setor de açúcar, cana e álcool”, defende a empresa.
cumprir a missão de ajudar o país sustentabilidade como foco.

52 notícias da construção // set/out 2016 www.sindusconsp.com.br 53


ESPECIAL CONCRETO

PONTOS ABORDADOS
te esse padrão de confiança, mas

RELACIONAMENTO
depende de empresas que tenham
a mesma linha ética”, salienta.
Por apostar na integração entre
os elos da cadeia produtiva, Este-
NO PROJETO SINERGIA
fan acredita que esse é o modelo

TRANSPARENTE
PROCESSOS Comerciais Melhoria 1: Contrato padrão
definitivo para ganhos ainda maio- Conx-Votorantim
res de produtividade. “Enquanto Técnicos Melhoria 1: Processo de projeto
indústria e construtora estiverem
Melhoria 2: Processo de orçamentação
voltadas apenas para seus próprios
processos, não conseguiremos a Melhoria 3: Controle tecnológico
evolução que obtivemos juntos”, Melhoria 4: Estudo de traços
afirma. Exemplo disso é o fato
de, após a premiação, a Conx ter Logísticos Melhoria 1: Programação de
fornecimento de concreto
cializado de áreas específicas das sido procurada por outras grandes
Iniciativa da Conx em parceria com a Votorantim Melhoria 2: Logística de
empresas. O intuito era desenvol- indústrias para o desenvolvimento
resultou case de sucesso para o desenvolvimento ver, para cada um dos pontos de de parcerias semelhantes. abastecimento no canteiro de obras

de produtos e processos e um programa de interação entre as empresas, uma Como exemplo das conquistas, PRODUTOS Concretos Melhoria 1: Módulo de elasticidade
forma de trabalho perene. Estefan cita o caso do desenvolvi-
qualificação de pessoas que visa ao aumento da Para qualquer que fosse o caso, mento de um concreto específico
Melhoria 2: Concreto para terrenos
contaminados
produtividade em canteiro de obras o problema seria atacado a partir para terrenos contaminados. Para
Melhoria 3: Concreto para paredes
de três frentes: processos, produ- casos como esses, a Companhia
tos e pessoas [veja quadro]. Como Ambiental do Estado de São Pau-

N
Argamassas Melhoria 1: Sistema de revestimento
o último dia 31 de agosto, planejamento por parte das empre- resultado, atualmente, antes mes- lo (Cetesb) exige uma camada de argamassado para fachada
o case “Sinergia Conx & sas; o não cumprimento, por parte mo do início da obra, as empresas concreto que varia de 200 mm a Melhoria 2: Sistema de revestimento
Votorantim – Uma Parce- da indústria, dos prazos estipulados se reúnem para verificar como é 300 mm de espessura para que a argamassado para fachada com
ria na Busca da Produtivi- em suas programações de entrega; possível obter a melhor relação água contaminada não se infiltre revestimento em porcelanato de
dade Profissional” venceu o prêmio e a ineficiência dos processos de custo-benefício em cada processo, lentamente no piso. grandes formatos
Master Imobiliário 2016, na catego- fornecimento e utilização dos mate- além de definir conjuntamente o Ao ser informada dessa de- Melhoria 3: Sistema de argamassa
ria Profissional–Oportunidade Es- riais, que geram grandes perdas de estudo logístico do canteiro. E os manda, a Votorantim foi capaz de básica industrializada – Sistema Matrix
tratégica. A iniciativa teve como produtividade para ambos os lados. novos procedimentos não benefi- desenvolver um concreto imper- Melhoria 4: Argamassa de
motivação a busca por melhores ín- Foi por isso que a Conx Cons- ciam apenas a Conx. “No canteiro meável que proporciona o mesmo assentamento
dices de produtividade por meio da trutora e a Votorantim Cimentos se controlamos muito o tempo que isolamento com uma espessura
PESSOAS Lean Melhoria 1: Implantação das
otimização de processos. A propos- reuniram para estudar, de forma o caminhão fica parado em obra 2,3 vezes menor, de 130 mm. Construction metodologias Lean Construction
ta tinha como base o fato de que, minuciosa, todos os processos e para que eles sejam o mais produ- “Esse é um ganho técnico que, e Kaizen
de acordo com a Pesquisa Anual identificar oportunidades de alcan- tivo possível”, afirma Estefan. para obtermos, precisamos da in-
Treinamentos Workshops
da Indústria da Construção (Paic) çar ganhos conjuntos. “O objetivo dústria”, diz Estefan.
de 2013, realizada pelo Instituto final era obter um contrato padro- NOVO MODELO DE NEGÓCIOS
Brasileiro de Geografia e Estatística nizado com tempo longo de dura- Para chegar aos ganhos de produ-
(IBGE), o fornecimento de concreto ção e que a Votorantim pudesse tividade obtidos, foi preciso que
é um dos principais fatores para a participar de todos os nossos pro- ambas as empresas rompessem
baixa a produtividade da constru- cessos, diminuindo etapas, inclu- com alguns paradigmas, conforme
ção civil brasileira. sive do departamento financeiro”, pontua o diretor da Conx. De acor-
De acordo com o documento de revela Yorki Estefan, diretor de En- do com ele, as empresas têm um
apresentação do case, o forneci- genharia da Conx e coordenador do longo histórico de parcerias, mas
mento e a utilização desse material Comitê de Tecnologia e Qualidade levou algum tempo até que am-
tem, historicamente, representado do Sinduscon-SP (CTQ). bas desenvolvessem a percepção
um desafio para a indústria e as Inicialmente, as reuniões eram de que havia interesse em tornar
construtoras, tendo em vista prin- semanais, conforme lembra Es- os processos mais transparentes.
cipalmente três aspectos: a falta de tefan, e envolviam pessoal espe- “É preciso construir conjuntamen-

54 notícias da construção // set/out 2016


CLASSIFICADOS

WhatsApp: (11) 95300 0999


www.keenlab.com.br Rua Galeno de Almeida, 188 l +55 11 3081 7779 l São Paulo
www.facebook.com/keenlabbrasil Rua Viscondessa do Livramento, 113 l Recife
Rua João Carvalho, 800, sala 1302 - Aldeota l Fortaleza
instagram.com/keenlabbrasil Av. Abelardo Bueno, 01 cj 903 l Rio de Janeiro
CLASSIFICADOS
Não adianta o imóvel
Não adianta o imóvel
ser bem localizado
320 mil exemplares fazem da Folha o
jornal de maior circulação no Brasil.
anúncio não for.
se o 2

ser bem localizado se o


Anuncie na Folha. Nossos leitores
querem adquirir imóveis.
Líder na internet entre os sites de jornais
Anunciar na Folha é garantia de bom investimento, porque você se comunica

anúncio não for.


com quem realmente está procurando um novo lugar para morar. Precisa
com 31,6 milhões de visitantes mensais
divulgar um imóvel ou empreendimento? Anuncie no maior jornal do país.

únicos e 301 milhões de páginas vistas.3

68 mil leitores pretendem trocar de casa/

Anuncie na Folha. Nossos leitores


apartamento nos próximos 12 meses.¹

-- final -- Anúncios CENTRO de MEDIAÇÃO ( 95x80mm ).pdf 3 21/09/2016 18:10:18


querem adquirir imóveis. 30 mil leitores querem trocar
de imóvel no momento.1*

Anunciar na Folha é garantia de bom investimento, porque você se comunica


2 milhões de leitores de jornal
com quem realmente está procurando um novo lugar para morar. Precisa
impresso em todo o país. 1

Resolução extrajudicial
PARA ANUNCIAR,
divulgar um imóvel ouACESSE
empreendimento? Anuncie no maior jornal do país.
de conflitos de
maneira rápida e
WWW.PUBLICIDADE.FOLHA.COM.BR
320 mil exemplares fazem da Folha o
jornal de maior circulação no Brasil. 2

gastando menos.
OU LIGUE (11)Líder
3224-3129
na internet entre os sites de jornais
• Procedimento rápido, flexível e simples, com sigilo garantido
com 31,6 milhões de visitantes mensais
• Preserva e pacifica as relações únicos e 301 milhões de páginas vistas.3

Tudo isso no Centro de Mediação do SindusCon-SP (CMS-SP)

Saiba mais e agende sua mediação em


www.sindusconsp.com.br/cms-sp

Siga quem dá mais68 mil leitores pretendem trocar de casa/


visibilidade paraapartamento
PARA ANUNCIAR,
suasACESSE
ofertas.nos próximos 12 meses.¹
WWW.PUBLICIDADE.FOLHA.COM.BR
OU LIGUE (11) 3224-3129
BETONEIRAS VIBRADORES
A BOMBA QUE A SUA OBRA PRECISA ESTÁ AQUI COMPACTADORES ANDAIMES
SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES
EM OBRAS Siga quem dá mais
visibilidade para suas ofertas.
Fonte: (1) Ipsos Connect: EGM Multimidia, Jan a Dez 2014, 19M, ambos sexos 10 e + anos leitura líquida todos os dias Folha de SP(universo 2.197,000,
amostra 1387). (*)amostra30abaixomil
de 30leitores
casos. (2) IVCquerem trocar– total circulação paga impressa + digital – Folha de S.Paulo: 320.254.
– outubro/2015
(11) 3732-3232 (3) Adobe
Fonte: (1) Ipsos
deMultimidia,
Analytics/Omniture
Connect: EGM –
imóvel no momento.1* sexos 10 e + anos leitura líquida todos os dias Folha de SP(universo 2.197,000,
novembro/2015.
Jan a Dez 2014, 19M, ambos
amostra 1387). (*)amostra abaixo de 30 casos. (2) IVC – outubro/2015 – total circulação paga impressa + digital – Folha de S.Paulo: 320.254.

WWW.FORMEQ.COM.BR (3) Adobe Analytics/Omniture – novembro/2015.


EVENTOS
AGENDA

OUTUBRO NOVEMBRO
• 7º SEMINÁRIO INTERNACIONAL BIM • FÓRUM INTERNACIONAL DE
Dia 26, em São Paulo SEGURANÇA E SAÚDE DO
• PRÊMIO DE EXCELÊNCIA TRABALHO NA CONSTRUÇÃO
BIM SINDUSCON-SP Dia 24, em São Paulo
Dia 26, em São Paulo • RODADA DE INOVAÇÃO
• ENCONTRO EMPRESARIAL FIABCI-BRASIL DA CONSTRUÇÃO
– SINDUSCON-SP Dia 28, na sede do SindusCon-SP,
Dia 31, em São Paulo em São Paulo

CURSOS
OUTUBRO NOVEMBRO

• PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NO SETOR • ISS COM FOCO NA CONSTRUÇÃO CIVIL


IMOBILIÁRIO E CONSTRUÇÃO CIVIL Dia 10, presencial em São Paulo e transmissão
Dia 10, na sede do SindusCon-SP, em São Paulo online.
• E-SOCIAL – COMO GERENCIAR A SAÚDE E • INCORPORAÇÃO DE EDIFÍCIOS
SEGURANÇA DO TRABALHO De 17 a 20, na Regional Campinas
Dia 17, na Regional São José do Rio Preto De 22 a 25, 28 a 30 e 1/12, na sede do
• FORMAÇÕES DO CUSTO E DO PREÇO DE SindusCon-SP, em São Paulo
VENDA NA CONSTRUÇÃO CIVIL • TÉCNICAS DE CONTROLE DE PROJETOS:
Dia 20, na Delegacia Mogi das Cruzes VALOR AGREGADO, PRAZO AGREGADO E
• HOMOLOGNET X RESCISÃO DE CONTRATO DURAÇÃO AGREGADA E SUA APLICAÇÃO
DE TRABALHO À CONSTRUÇÃO CIVIL
Dia 24, na sede do SindusCon-SP, em São Paulo Dias 23 e 24, na sede do SindusCon-SP, em São Paulo

Informações: www.sindusconsp.com.br
Inscrições: cursos@sindusconsp.com.br ou (11) 3334-5600