Você está na página 1de 12

I.

Sintaxe Básica da Oração e do Período;


1º Bloco II. Termos Essenciais da Oração.

2º Bloco I. Continuação de Termos Essenciais da Oração.

3º Bloco I. Continuação de Termos Essenciais da Oração.

4º Bloco I. Termos Integrantes da Oração.

5º Bloco I. Exercícios Relativos ao Encontro.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
I. SINTAXE BÁSICA DA ORAÇÃO E DO PERÍODO
FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO
A frase é definida como qualquer sentença dotada de sentido.
 Pode ser formada de uma só palavra:
 Fogo! Socorro!
 De várias palavras, dentre as quais se pode, ou não incluir um verbo:
 A excursão durou cerca de meia hora
 Que dia de inverno! Que frio! Que frio!
 A frase pode conter uma ou mais orações. Contém apenas uma oração quando se verifica uma só forma verbal:
 Hoje é segunda-feira!
Logo, conceituaremos oração como sentença que se organiza em torno de uma forma verbal.
 O período é a frase organizada em uma oração ou em várias orações.
TERMOS DA ORAÇÃO

SUJEITO
 Essenciais: 
 PREDICADO

 ADJUNTO ADNOMINAL
 ADJUNTO ADVERBIAL

 Acessórios: 
 APOSTO
VOCATIVO

OBJETO DIRETO 
  COMPLEMENTOS VERBAIS
OBJETO INDIRETO 

 Integrantes:  AGENTE DA PASSIVA
COMPLEMENTO NOMINAL

 PREDICATIVO DO SUJEITO

GRUPOS DE PALAVRAS
 Nominal: (nomes)

 Verbal:

 Relacional:

Exemplos:
 O meu aluno esperto terá, rapidamente, um cargo público.
 A avó de Pedro correu pelada na feira.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
II. TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO
 SUJEITO
Sujeito é o termo sintático que conjuga o verbo (núcleo do predicado), portanto ao analisarmos o sujeito, temos de
levar em conta tanto o campo mórfico quanto o campo sintático.
Tipos de sujeito:
 Simples;
 Composto;
 Oculto;
 Indeterminado;
 Inexistente.
Exemplos:
 O aluno estuda sintaxe.
 Os professores ministram as aulas.
 Os alunos e os professores estão preparados.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
I. CONTINUAÇÃO DE TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO
Sujeito simples: aquele que possui apenas um núcleo.
 O aluno será aprovado.
 Os professores ministram as aulas.
 Meu belo carro amarelo quebrou.
Sujeito composto: é aquele que possui mais de um núcleo.
 O aluno e a aluna serão aprovados.
 Os professores e as professoras ministram as aulas.
IMPORTANTE: prestar atenção ao sujeito e seus núcleos. Geralmente, o núcleo de um sujeito é um substantivo.
 Cruz e Souza escrevia belos poemas.
 Os compadres de Ademar são esforçados.
Sujeito oculto: Ocorre quando não se observa a presença do núcleo do sujeito na frase.
 Acordo, sempre, antes do sol.
 Valdir foi ao curso e estudou muito.
OBS: perceba que o sujeito não está grafado na sentença, mas é facilmente recuperável por meio da terminação do
verbo.
Sujeito indeterminado: Ocorre quando o verbo não se refere a uma pessoa determinada, podendo ocorrer em:
a) terceira pessoa do plural:
 Roubaram minha carteira.
 Disseram que você é um mentiroso.
b) terceira pessoa do singular (VI / VTI / VL), com o pronome se:
 Vive-se bem aqui.
 Precisa-se de operários.
 É-se feliz no campo.
Sujeito inexistente: Ocorre com verbos impessoais ou com verbos que indiquem fenômenos naturais.
a) “Haver” no sentido de “existir”:
 Havia problemas com a sintaxe.
b) “Haver”, “fazer” e “ir” no sentido de tempo transcorrido:
 Faz cinco anos que não a vejo.
c) Verbos que denotam fenômeno natural:
 Choveu em Olinda.
 Geou em Minas.
Quanto à atitude o sujeito pode ser de:
Voz ativa: sujeito agente.
 O vendaval descabelou o palhaço.
Voz passiva: sujeito paciente.
 O palhaço foi descabelado pelo vendaval.
Voz reflexiva: sujeito é agente e paciente da ação.
 O palhaço descabelou-se.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
I. CONTINUAÇÃO DE TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO
 PREDICADO
É o termo que designa a ação ou um estado do sujeito. Mais precisamente, é aquilo que é expresso pelo verbo.
Pode ser de natureza:
Tipos de Predicado:
 Nominal;
 Verbal;
 Verbo-nominal.
Predicado Nominal: O predicado nominal é formado por um verbo de ligação + predicativo.
Os principais verbos de ligação são: ser, estar, permanecer, continuar, ficar, parecer, andar e tornar-se.
 Você é uma bichona!
 Os alunos parecem capacitados.
É importante considerar que os verbos de ligação podem, em algumas situações, comportarem-se como verbos
significativos (nocionais). Exemplos:
 Andei duas léguas (ação de andar)
 Fiquei em casa (ação de ficar)
 Permanece no cargo (ação de permanecer)
Você deve perceber que, nos casos de predicação nominal, o verbo relaciona um sujeito com uma característica
que lhe é própria.
Predicado Verbal: O predicado verbal tem como núcleo um verbo significativo (nocional).
Verbos significativos são aqueles que trazem uma ideia nova ao sujeito. Podem ser transitivos e intransitivos
(apenas relembrando).
a) Verbos Intransitivos: quando a ação não vai além do verbo. Sendo assim, não precisam de complemento.
 Dionísio chegou.
 O professor comprou um carro.
VAMOS REVISAR UM POUQUINHO DO ASSUNTO RELACIONADO À TRANSITIVIDADE VERBAL:
Verbos Transitivos: aqueles em que o processo verbal não está integralmente concluído. Sendo assim necessitam
de complemento. Os verbos transitivos podem ser diretos, indiretos, ou diretos e indiretos.
 Verbos transitivos diretos: são aqueles que a ação expressa transmite-se a outros elementos diretamente, não
necessitando de preposição. O termo que lhes integra o sentido recebe o nome de Objeto Direto.
 Ela invejava os homens. (quem inveja, inveja algo ou alguém...)
 Verbos transitivos indiretos: são aqueles que a ação expressa transmite-se a outros elementos indiretamente,
necessitando de preposição. O termo que lhes integra o sentido recebe o nome de Objeto Indireto.
 Ele gostava das mulheres. (quem gosta, gosta de algo ou de alguém)
 Verbos transitivos diretos e indiretos: são aqueles que a ação expressa transmite-se a outros elementos direta
e indiretamente. Sendo assim, esses verbos requerem Objeto Direto e Objeto Indireto, simultaneamente.
 Adalberto pagou a conta ao mecânico. (quem paga, paga algo a alguém)
OBS.:
 José andou três léguas.
 O prefeito permaneceu no cargo.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
Predicado Verbo-nominal: ocorre quando há um verbo significativo (nocional) + um predicativo do sujeito.
 O professor chegou atrasado.
“atrasado” é uma qualidade do sujeito que aparece após o verbo, portanto, é um predicativo do sujeito.
 O aluno partiu satisfeito.
“satisfeito” é uma qualidade do sujeito que aparece após o verbo, portanto, é um predicativo do sujeito.
 O professor comprou um carro satisfeito.
Predicativo: Pode ser representado:
Por um substantivo ou expressão substantivada:
 A mãe é a flor, os filhos são o fruto.
 Eu sou um não ser assim.
Por adjetivo ou locução adjetiva:
 Era ruim, ingrata, sem préstimo.
Por nome ou pronome:
 Tudo isto é nada.
 O jardineiro é Jesus e as árvores somos nós.
Por numeral:
 Todos eram um.
Por oração subordinada substantiva predicativa:
 O difícil era manter a calma naquela situação.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
I. TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO
 Objeto Direto;
 Objeto Indireto;
 Agente da Passiva;
 Complemento Nominal.
Objeto Direto: é o complemento dos VTD.
 Os bons cidadãos cumprem as leis.
 O aluno aprende sintaxe.
Objeto Indireto: é o complemento dos VTI.
 Os bons cidadãos obedecem às leis.
 Amarildo gosta de Português.
Observe que o O.I. SEMPRE possui uma preposição.
Tipos de objeto direto:
a) Objeto Direto preposicionado:
 Ele ama a todos.
 Ela comeu do pão.
 Ela adorava a mim.
 Ao pai ama o filho.
 Venerava a Deus.
 Eis a mulher a quem amei.
b) Objeto Direto Pleonástico:
 As mulheres, eu as vi.
c) Objeto Direto Cognato:
 “Morrerás morte gloriosa”
 “Sorriu um sorriso pontual”
TOPICALIZAÇÃO DO OBJETO
Utilizado para enfatizar o termo:
 Da Fernanda, eu gostei!
 A lábia, eu tive!
Perceba que há uma vírgula entre verbo e objeto. Na topicalização, isso é possível.
OBS.:
 Comprei um presente.
 Comprei-o / Não o comprei.
Papéis temáticos do objeto:
Alvo:
 Ela gosta muito de mim.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
Afetado:
 O governo aumentou os impostos.
Destinatário:
 O pai pediu dinheiro ao filho.
Apagamento do objeto:
Ou também chamado de Objeto Elíptico:
 Senhores eleitores, eu prometo que vou investir! (está apagado o objeto: investir em que?)
Agente da Passiva: é o complemento que, na voz passiva, designa o ser praticante da ação sofrida ou recebida pelo
sujeito.
 O gol foi marcado pelo jogador.
 A prova foi feita pelo aluno.
Complemento Nominal: é o complemento, sempre preposicionado, de adjetivos, advérbios e substantivos que,
em determinadas circunstâncias, pedem complemento assim como os verbos transitivos indiretos.
 O filme era impróprio para crianças.
 Finalizou-se a construção do prédio.
 Agiu favoravelmente ao réu.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
I. EXERCÍCIOS RELATIVOS AO ENCONTRO
(L.1) O governo garante que não faltarão recursos para as obras de infraestrutura. As favelas ocupadas
dispunham de cerca de 827 milhões de reais do Programa de Aceleração do (L.4) Crescimento para obras de
saneamento e outras intervenções urbanas. Também foram anunciados a construção de 19 escolas, obras de
contenção de encostas e um programa (L.7) habitacional orçado em 144 milhões de reais, entre outras medidas.
A retomada de uma área tão populosa, que até pouco tempo era dominada por criminosos que andavam
livremente (L.10) pelas ruas com fuzis e metralhadoras, animou até mesmo quem faz oposição ao governo. "Não há
como não reconhecer que a retomada do controle da Vila Cruzeiro e do Complexo do (L.13) Alemão foi um marco na
história do Rio, porque finalmente libertou uma população acuada pelo tráfico", afirma o presidente da Comissão de
Direitos Humanos da Assembleia (L.16) Legislativa; contudo, continua: "precisamos deixar o ufanismo de lado e
colocar o pé no chão. O tráfico não acabou. A policia não prendeu nenhum grande traficante, apenas algumas (L.19)
lideranças que aluavam no varejo. Ninguém sabe quem são os atacadistas. Não houve sinalização de plano de
combate ao tráfico de armas, ponto central nessa discussão. Não se (L.22) consome mais droga no Rio que em São
Paulo. A diferença é que aqui o tráfico controla territórios com armamento de guerra. Por isso, aqui o tráfico é mais
violento que em qualquer (L.25) outra capital."
Carta Capital, 8/12/2010, p. 28 (com adaptações)

Julgue o item seguinte, referente ao sentido e a aspectos linguísticos do texto acima.


1. O complemento verbal "por criminosos que andavam livremente pelas ruas com fuzis e metralhadoras" (L.9-10)
designa o ser que pratica a ação verbal.
(L.1) Floresta nacional, floresta estadual e municipal: é uma área com uma cobertura florestal de espécies
predominantemente nativas e tem como objetivo básico o (L.4) uso múltiplo sustentável dos recursos florestais de
florestas nativas. É de posse e domínio públicos.
Glossário. Secretaria de biodiversidade e florestas. Portal áreas protegidas. Ministério do meio
ambiente. Internet: <www.mma.gov.br> (com adaptações)

Com base no texto acima, julgue o item a seguir.


2. O sujeito da frase "É de posse e domínio públicos" (L.5) é o vocábulo "área" (L.2).
(L.1) Os sistemas de inteligência são uma realidade concreta na máquina governamental contemporânea,
necessários para a manutenção do poder e da capacidade (L.4) estatal. Entretanto, representam também uma fonte
permanente de risco. Se, por um lado, são úteis para que o Estado compreenda seu ambiente e seja capaz de
avaliar atuais ou (L.7) potenciais adversários, podem, por outro, tomar-se ameaçadores e perigosos para os próprios
cidadãos se forem pouco regulados e controlados.
(L.10) Assim, os dilemas inerentes à convivência entre democracias e serviços de inteligência exigem a criação de
mecanismos eficientes de vigilância e de avaliação desse tipo (L.13) de atividade pelos cidadãos e(ou) seus
representantes. Tais dilemas decorrem, por exemplo, da tensão entre a necessidade de segredo governamental e o
principio do acesso público à (L.16) informação ou, ainda, do fato de não se poder reduzir a segurança estatal à
segurança individual, e vice-versa. Vale lembrar que esses dilemas se manifestam, com intensidades (L.19) variadas,
também nos países mais ricos e democráticos do mundo.
Marco Cepik e Christiano Ambros. Os serviços de inteligência no Brasil. In: Ciência Hoje, vol. 45, nº 265,
nov/2009. Internet: <cienciahoje.uol.com.br> (com adaptações).

Com relação à estrutura coesiva, gramatical e vocabular do texto, julgue o item seguinte.
3. A retirada da preposição de em "do fato" (L.16) - que passaria a o fato - implicaria prejuízo à estrutura sintática
do texto.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
(L.1) A pobreza é um dos fatores mais comumente responsáveis pelo baixo nível de desenvolvimento humano e
pela origem de uma série de mazelas, algumas das quais proibidas por lei ou (L.4) consideradas crimes. É o caso do
trabalho infantil. A chaga encontra terreno fértil nas sociedades subdesenvolvidas, mas também viceja onde o
capitalismo, em seu ambiente mais (L.7) selvagem, obriga crianças e adolescentes a participarem do processo de
produção. Foi assim na Revolução Industrial de ontem e nas economias ditas avançadas. E ainda é, nos dias de
(L.10) hoje, nas manufaturas da Ásia ou em diversas regiões do Brasil. Enquanto, entre as nações ricas, o trabalho
infantil foi minimizado, já que nunca se pode dizer erradicado, ele contínua (L.13) sendo grave problema nos países
mais pobres.
Jornal do Brasil, Editorial, 1/7/2010 (com adaptações).

Com relação aos sentidos e estruturas linguísticas do texto, julgue o item subsequente.
4. A palavra "chaga" (L.4), empregada com o sentido de ferida social, refere-se, na estrutura sintática do parágrafo,
a "pobreza" (L.1).
(L.1) Com um alto grau de urbanização, o Brasil já apresenta cerca de 80% da população nas cidades, mas, como
advertem estudiosos do assunto, o país ainda tem (L.4) muito a aprender sobre crescimento e planejamento urbanos.
Os problemas decorrentes dessa falta de experiência estão cada vez mais presentes, e a maioria deles é facilmente
(L.7) detectável, do trânsito caótico à poluição sonora ou do ar. A propósito da poluição do ar, sabendo-se que ela
afeta não apenas quem o respira, não chegam a surpreender (L.10) descobertas e constatações recentes.
A poluição do ar aumenta em 50% o risco de morte de recém-nascidos em cidades como São Paulo,
conforme (L.13) análise dos dados de 214 mil crianças nascidas na capital paulista.
A exposição das gestantes à poluição, em especial (L.16) nos três primeiros meses de gestação, leva à
diminuição do peso dos bebês ao nascer, um dos principais determinantes da saúde infantil. As consequências mais
imediatas — e (L.19) moderadas — de encher os pulmões todos os dias com o ar das metrópoles são logo sentidas:
entupimento das vias aéreas, mal-estar, crises de asma, irritação dos olhos. Há, (L.22) porém, outras mais graves,
que se instalam lentamente no organismo, como o aumento da pressão arterial e a ocorrência de paradas cardíacas.
Estas podem passar (L.25) despercebidas, já que nem sempre apresentam uma relação tão clara e direta com o fator
ambiental. De imediato, existe o alerta: onde morar em metrópoles? É melhor optar por una (L.28) casa ou um
apartamento o mais distante possível — a dois quarteirões, no mínimo — das ruas e avenidas mais movimentadas.
Os poluentes emitidos pelo motor de (L.31) automóveis, ônibus e caminhões geralmente se espalham por um raio de
até 150 metros a partir do ponto em que são lançados e transformam as grandes avenidas em imensas (L.34)
chaminés que despejam sobre a cidade toneladas de partículas e gases tóxicos. O poluente associado à maior
probabilidade de morte dos fetos é o monóxido de carbono (L.37) (CO), um gás sem cor nem cheiro que resulta da
queima incompleta dos combustíveis. Como se vê, a qualidade do ar é questão que merece atenção urgente dos
administradores (L.40) públicos.
Gazeta do Povo (PR), 8/1/2009 (com adaptações)

Com base no texto apresentado, julgue os itens.


5. O trecho "um gás sem cor nem cheiro que resulta da queima incompleta dos combustíveis" (L.37-38) exerce a
função de aposto.
6. A oração "que despejam sobre a cidade toneladas de partículas e gases tóxicos" (L.34-35) restringe o sentido da
palavra "chaminés" (L.34).
(L.1) Os decepcionantes resultados das reuniões preparatórias para a Conferência do Clima, em Copenhague,
deixaram no ar uma enorme preocupação quanto à capacidade (L.4) dos líderes mundiais de responderem aos
desafios inéditos que o aquecimento global e as mudanças climáticas são para o futuro da humanidade.
(L.7) Tal preocupação nos leva à angústia diante da torrente de informações sobre o que já está acontecendo com
o planeta: o desaparecimento de florestas, a constatação de que a (L.10) expressão gelo eterno não tem mais razão
de ser, o aumento da temperatura global e os inexplicáveis fenômenos climáticos, que podem por em risco regiões e
cidades costeiras e países que (L.13) são ilhas — estes, os mais ameaçados, e que acabam de fazer pungente apelo
por um acordo consistente em Copenhague.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.
O que se deve lembrar, sempre e cada vez mais, é que (L.16) não há antagonismo entre proteger o meio
ambiente e promover o crescimento econômico. Abrem-se oportunidades de investimento e empregos no
desenvolvimento de energias (L.19) renováveis, na pesquisa tecnológica, na fabricação de novos equipamentos, na
melhoria de processos produtivos, nos transportes não (ou menos) poluentes, na agricultura sustentável (L.22) e em
obras de infraestrutura.
O Globo. Editorial, 13/11/2009 (com adaptações)

Em relação às ideias, às estruturas linguísticas e à tipologia do texto acima, julgue o item que se segue.
7. O segmento "que são ilhas" (L.12-13) é uma oração de valor restritivo.
8. Os trechos abaixo constituem parte de um texto adaptado de O Estado de S. Paulo de 16/3/2008. Assinale a
opção em que há erro de sintaxe.
a) O último balanço do desempenho dos tribunais superiores mostram a urgente necessidade de medidas
processuais destinadas a descongestionar o Poder Judiciário.
b) No STJ, desde o ano passado, estão sendo protocolados, diariamente, cerca de 1,5 mil processos, em média.
c) E, no STF, verificou-se mais um recorde. Só em janeiro último, ele recebeu cerca de 18 mil novos recursos.
d) Esse é o mesmo número de ações que a Corte protocolou durante todo o ano de 1988, quando foi promulgada a
Constituição em vigor. Em 20 anos, o volume de processos no STF cresceu 500%.
e) No ano passado, o STF julgou mais de 159 mil ações e recebeu cerca de 120 mil novos processos. Em média,
cada ministro tem de relatar 10 mil ações por ano. A estimativa é de que esse número continue a crescer.
(L.1) A melhor notícia dos últimos tempos para o álcool decana veio da Califórnia: o combustível brasileiro emergiu
como uma estrela dos estudos realizados para a elaboração (L.4) da nova regulamentação ambiental desse estado
americano, tradicionalmente na vanguarda ambiental dos EUA. Para o Conselho de Recursos Aéreos da Califórnia,
encarregado de (L.7) propor a nova regra, o álcool combustível produzido a partir da cana-de-açúcar diminui em 72%
as emissões de gases que agravam o efeito estufa.
(L.10) Ao queimar combustíveis fósseis como a gasolina, os automóveis produzem gases — por exemplo, dióxido
de carbono (CO 2 ) — que retêm radiação de origem solar na (L.13) atmosfera, esquentando-a. Para combater o
aquecimento global, a Califórnia adotou a meta ambiciosa de reduzir 80% de suas emissões de carbono até o ano
2050. (L.16) A regulamentação em preparo visa garantir a meta intermediária de cortar 10% das emissões de
carbono até 2020.
(L.19) O álcool obtido da cana se sai bem nesse quesito por ser combustível renovável. Sua queima também
produz CO 2 , mas boa parte desse carbono é recapturada pelos (L.22) canaviais em crescimento no ano seguinte. Já
o ciclo de produção e queima de derivados de petróleo não propicia nenhuma reabsorção do carbono liberado.
Folha de S. Paulo Editorial, 13/4/2009 (com adaptações)

Considerando as ideias e os aspectos linguísticos do texto acima, julgue o item a seguir.


9. O segmento "que agravam o efeito estufa" (L.8-9) constitui oração subordinada adjetiva restritiva.
GABARITO
1 - CORRETO
2 - ERRADO
3 - CORRETO
4 - ERRADO
5 - CORRETO
6 - CORRETO
7 - CORRETO
8-A
9 - CORRETO

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins
comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do Alfa Concursos Públicos Online.