Você está na página 1de 6

ESTADO, POLÍTICAS PÚBLICAS E DEMOCRACIA

ESTADO: FORMAS DE GOVERNO E DE PARTICIPAÇÃO

O QUE É DEMOCRACIA?

1) Definindo termos: CIDADANIA E DEMOCRACIA.

______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

VÍDEO 1: Tão Perto, Tão longe - Discussão – Quais questões emergem destas
histórias?

1
SIEBIGER, R.H. (2012). Políticas Públicas na Educação. Material do autor.
Forme grupos de 03. Escolha um dos relatos e identifique os principais problemas
ou direitos violados nas histórias descritas. Compartilhe com a turma.

Fonte: UNICEF/BRZ/Mila Petrillo.

POLÍTICAS PÚBLICAS NO BRASIL

As sociedades modernas têm, como principal característica, a diferenciação social.


Isto significa que seus membros não apenas possuem atributos diferenciados (idade, sexo,
religião, estado civil, escolaridade, renda, setor de atuação profissional, etc), como também
possuem ideias, valores, interesses e aspirações diferentes e desempenham papéis
diferentes no decorrer da sua existência.
Tudo isso faz com que a vida em sociedade seja complexa e frequentemente
envolva conflito: de opinião, de interesses, de valores, etc. Entretanto, para que a
sociedade possa sobreviver e progredir, o conflito deve ser mantido dentro de limites
administráveis. Para isto, existem apenas dois meios: a coerção pura e simples e a política.
O problema com o uso da coerção é que, quanto mais é utilizada, mais reduzido se torna o
seu impacto e mais elevado se torna o seu custo.
Resta, então, a política. Esta envolve coerção - principalmente como possibilidade -
mas que não se limita a ela. Cabe indagar, então, o que é a política. Uma definição bastante
simples é oferecida por Schmitter: política é a resolução pacífica de conflitos. Entretanto,
este conceito é demasiado amplo, restringe pouco.
É possível delimitar um pouco mais e estabelecer que a política consiste no conjunto
de procedimentos formais e informais que expressam relações de poder e que se destinam
à resolução pacífica dos conflitos quanto a bens públicos.
As políticas públicas (policies), por sua vez, são outputs (produtos), resultantes da
atividades política (politics) : compreendem o conjunto das decisões e ações relativas à
alocação imperativa de valores. Nesse sentido é necessário distinguir entre política pública
e decisão política. Uma política pública geralmente envolve mais do que uma decisão e
requer diversas ações estrategicamente selecionadas para implementar as decisões
tomadas. Já uma decisão política corresponde a uma escolha dentre um leque de
alternativas, conforme a hierarquia das preferências dos atores envolvidos, expressando -
em maior ou menor grau - certa adequação entre os fins pretendidos e os meios
disponíveis.
Assim, embora uma política pública implique decisão política, nem toda decisão
política chega a constituir uma política pública. Um exemplo encontra-se na emenda
constitucional para reeleição presidencial. Trata-se de uma decisão, mas não de uma política
pública. Já a privatização de estatais ou a reforma agrária são políticas públicas.
Além disso, por mais óbvio que possa parecer, as políticas públicas são ‘públicas '- e
não privadas ou apenas coletivas. A sua dimensão 'pública' é dada não pelo tamanho do
agregado social sobre o qual incidem, mas pelo seu caráter "imperativo” . Isto significa
que uma das suas características centrais é o fato de que são decisões e ações revestidas da
autoridade soberana do poder público.2

O que são Políticas Públicas?3

Políticas públicas são conjuntos de programas, ações e atividades desenvolvidas


pelo Estado diretamente ou indiretamente, com a participação de entes públicos ou
privados, que visam assegurar determinado direito de cidadania, de forma difusa ou para
determinado segmento social, cultural, étnico ou econômico. As políticas públicas
correspondem a direitos assegurados constitucionalmente ou que se afirmam graças ao
reconhecimento por parte da sociedade e/ou pelos poderes públicos enquanto novos
direitos das pessoas, comunidades, coisas ou
outros bens materiais ou imateriais. Exemplos
de Políticas Públicas: A educação e a saúde no
Brasil são direitos universais de todos os
brasileiros. Assim, para assegurá-los e promovê-
los estão instituídas pela própria Constituição
Federal as políticas públicas de educação e
saúde.

Como são formuladas as Políticas Públicas?

As políticas públicas podem ser formuladas principalmente por iniciativa dos


poderes executivo, ou legislativo, separada ou conjuntamente, a partir de demandas e
propostas da sociedade, em seus diversos segmentos. A participação da sociedade na
formulação, acompanhamento e avaliação das políticas públicas em alguns casos é
assegurada na própria lei que as institui.
Assim, no caso da Educação e da Saúde, a sociedade participa ativamente mediante
os Conselhos em nível municipal, estadual e nacional. Audiências públicas, encontros e
conferências setoriais são também instrumentos que vem se afirmando nos últimos anos
como forma de envolver os diversos segmentos da sociedade em processo de participação
e controle social.
A Lei Complementa n.º 131 (Lei da Transparência), de 27 de maio de 2009, quanto à
participação da sociedade, assim determina: “I – incentivo à participação popular e
2
Análise de Políticas Públicas: Conceitos Básicos. Maria das Graças Rua.

3
CERQUEIRA, OLIVEIRA, PINHEIRO (2014). POLÍTICAS PÚBLICAS DESTINADAS AO
DESENVOLVIMENTO DO TURISMO NA BAHIA. Disponível em:
http://www.uesc.br/eventos/ivsemeconomista/anais/gt7-7.pdf
realização de audiências públicas, durante os processos de elaboração e discussão dos
planos, lei de diretrizes orçamentárias e orçamentos;” “II – liberação ao pleno
conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações
pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de
acesso público;” Assim, de acordo com esta Lei, todos os poderes públicos em todas as
esferas e níveis da administração pública, estão obrigados a assegurar a participação
popular. Esta, portanto, não é mais uma preferência política do gestor, mas uma obrigação
do Estado e um direito da população.

A CONCEPÇÃO DO “CICLO DE POLÍTICAS” (POLICY CYCLE)4

As políticas públicas (policies) ocorrem em um ambiente tenso e de alta densidade


política (politics), marcado por relações de poder, extremamente problemáticas, entre
atores do Estado e da sociedade, entre agências intersetoriais, entre os poderes do Estado,
entre o nível nacional e níveis subnacionais, entre comunidade política e burocracia.

Nesse caso, as etapas são compreendidas não como um processo linear, mas como
uma unidade contraditória, em que o ponto de partida não está claramente definido e as
atividades de etapas distintas podem ocorrer simultaneamente ou as próprias etapas
podem apresentar-se parcialmente superpostas.
A correta compreensão do ciclo das políticas pode ser de grande valia para o gestor,
favorecendo seu entendimento correto do processo das políticas públicas e auxiliando-o a
refletir com clareza sobre como e mediante que instrumentos as políticas poderão ser
aperfeiçoadas.
4
Adaptado: Rua, Maria das Graças Políticas públicas / Maria das Graças Rua. – 2. ed. reimp. –
Florianópolis : Departamento de Ciências da Administração / UFSC, 2012.
Na concepção do ciclo de políticas, a política pública é considerada a resultante de
uma série de atividades políticas que, agrupadas, formam o processo político. Essa visão
conduz os estudiosos a examinar como as decisões são ou poderiam ser tomadas e permite
identificar e analisar os processos político administrativos, os mecanismos e estratégias
definidas para a realização da política, e o comportamento dos diferentes atores envolvidos
em cada etapa do processo de produção de políticas.
O ciclo de políticas é uma abordagem para o estudo das políticas públicas que
identifica fases sequenciais e interativas no processo de produção de uma política.

Essas fases são:

 formação da agenda, que ocorre quando uma situação qualquer é reconhecida como
um problema político e a sua discussão passa a integrar as atividades de um grupo de
autoridades dentro e fora do governo;
 formação das alternativas e tomada de decisão: ocorre quando, após a inclusão do
problema na agenda e alguma análise deste, os atores começam a apresentar
propostas para sua resolução. Essas propostas expressam interesses diversos, os quais
devem ser combinados, de tal maneira que se chegue a uma solução aceitável para o
maior número de partes envolvidas. Ocorre, então, a tomada de decisão;
 a tomada de decisão não significa que todas as decisões relativas a uma política pública
foram tomadas, mas, sim, que foi possível chegar a uma decisão sobre o núcleo da
política que está sendo formulada. Quando a política é pouco conflituosa e agrega
bastante consenso, esse núcleo pode ser bastante abrangente, reunindo decisões
sobre diversos aspectos. Quando, ao contrário, são muitos os conflitos, as questões
são demasiado complexas ou a decisão requer grande profundidade de
conhecimentos, a decisão tende a cobrir um pequeno número de aspectos, já que
muitos deles têm as decisões adiadas para o momento da implementação;
 a implementação consiste em um conjunto de decisões a respeito da operação das
rotinas executivas das diversas organizações envolvidas em uma política, de tal
maneira que as decisões inicialmente tomadas deixam de ser apenas intenções e
passam a ser intervenção na realidade. Normalmente, a implementação se faz
acompanhar do monitoramento: um conjunto de procedimentos de apreciação dos
processos adotados, dos resultados preliminares e intermediários obtidos e do
comportamento do ambiente da política. O monitoramento é um instrumento de
gestão das políticas públicas e o seu objetivo é facilitar a consecução dos objetivos
pretendidos com a política; e
 a avaliação é um conjunto de procedimentos de julgamento dos resultados de uma
política, segundo critérios que expressam valores. Juntamente com o monitoramento,
destina-se a subsidiar as decisões dos gestores da política quanto aos ajustes
necessários para que os resultados esperados sejam obtidos.

QUAIS OS INSTRUMENTOS QUE COMPÕEM AS POLÍTICAS PÚBLICAS?

As políticas públicas normalmente estão constituídas por instrumentos de


planejamento, execução, monitoramento e avaliação, encadeados de forma integrada e
lógica, da seguinte forma:
1. Planos

2. Programas

3. Ações

4. Atividades

Os planos estabelecem diretrizes, prioridades e objetivos gerais a serem alcançados


em períodos relativamente longos. Por exemplo, os planos decenais de educação tem o
sentido de estabelecer objetivos e metas estratégicas a serem alcançados pelos governos e
pela sociedade ao longo de dez anos. Os programas estabelecem, por sua vez, objetivos
gerais e específicos focados em determinado tema, público, conjunto institucional ou área
geográfica. O Programa Nacional de Capacitação de Gestores Ambientais (PNC) é um
exemplo temático e de público. Ações visam o alcance de determinado objetivo
estabelecido pelo Programa, e a atividade, por sua vez, visa dar concretude à ação.

PARA REFLETIR...

a) A situação de vulnerabilidade das crianças


e adolescentes decorre de quais fatores?

b) Na atualidade, de quais modos a criança e


o adolescente são vistos?