Você está na página 1de 5

Doenças Associadas ao Qigong e ao Tai Ji Chuan

Por: Anderson Rosa

O termo Qigong é relativamente novo, mas suas práticas remontam desde antes
500 a.C., como práticas relativas a saúde. Já as práticas de cunho marcial, vem do
período do Bodhidharma e da fundação do mosteiro Shaolin. Na China atual, desde
o período da Revolução Cultural, pessoas foram presas por ensinar ou praticar o
qigong. Embora atualmente haja uma restrição menor, ainda é um tanto temerário
afirmar publicamente que se é praticante ou mestre no qigong.

O Qigong é conhecido popularmente como Yoga Chinesa, e no Ocidente ainda não


possui uma popularidade tão grande quanto o Tai Ji Chuan ou a Yoga, mas a cada
dia que passa, sua divulgação vem crescendo. No Brasil, o Qigong foi divulgado
abertamente a partir de 2000, embora existam registros de práticas anteriores em
algumas academias de kung fu.

Embora a prática desses exercícios sejam benéficos a saúde, em hospitais chineses


é possível encontrar pessoas diagnosticadas com "infecção de qigong" ou "doença
do taiji", ou simplesmente "zouhuo rumo" (zou=escapar, correr; huo=fogo;
ru=entrada; mo=mal, gênio mal, portanto, doença do fogo que corre ou que
escapa, e entrada do mal, obsessão). Alguns dos sintomas mais facilmente
observáveis dessas doenças são os reflexos no âmbito psicológico, outros,
dependendo do caso, são mais visíveis em manifestações fisiológicas como
mudança de apetite, cor da pele, língua, etc, como veremos mais adiante.

Estes malefícios são na grande maioria das vezes oriundos da prática errada, que
quase sempre é orientada por falsos 'mestres' de Qigong ou Artes Marciais. É de
conhecimento geral que muitos estrangeiros ao irem estudar na China, se
matriculam em cursos que lhes dá ao final de certo tempo, o título de Mestre
Internacional de Tai Ji Chuan e Qigong, mas que na verdade, tal título não possui
valor algum do ponto de vista da prática real, pois os verdadeiros mestres de Artes
Marciais tem por regra primeiro estabelecer um vínculo de convivência por longo
tempo antes de revelar as técnicas realmente importantes de conduzir a energia
pelo corpo. Um desses mestres que tive o prazer de conhecer chamava essa
exigência de convívio de copyright chinês, em que as informações muitas vezes são
trocadas no intuito de separar o joio do trigo, pois normalmente pressa e dedicação
são duas palavras que não combinam. Logo, o prêmio só é dado pela dedicação, e
não pela chuva de perguntas incessantes.

O intuito deste texto é justamente esclarecer os praticantes sobre os riscos


inerentes a essas práticas e como evitá-los.

Os Tipos de Qigong

Qigong acaba sendo um termo genérico que pode ser traduzido como 'trabalho de
energia', mas que nos dias de hoje acaba por definir todos os tipos de meditação
Chan (Zen), técnicas de respiração, auto-massagens e técnicas de alongamento
interno. Portanto, há inúmeros tipos de Qigong e nem todos tem os mesmos efeitos
para o corpo humano.

Ainda dentro dessa classificação, podemos dividir o Qigong como técnicas de Qi


'duro', utilizado nas artes marciais em técnicas como 'camisa de ferro' ou 'sino de
ouro', e 'palma de ferro', dos quais derivam as exibições ao grande público onde
aparecem atletas com níveis absurdos de força física e resistência, capazes de
quebrar mais de 15 tijolos de concreto num único golpe, ou suportar o impacto de
um tronco de árvore no abdômen sem se abalar. E as técnicas de Qi 'macio' ou
'suave', que incluem a meditação e tem como objetivo principal a preservação da
saúde, a longevidade indo ao terreno do desenvolvimento espiritual, e da alquimia
taoísta.

Algumas dessas técnicas podem trazer danos à saúde se não forem praticadas
corretamente, ou se forem praticadas de forma desigual durante muito tempo, ou
em condições inadequadas. Portanto, torna-se muito importante o
acompanhemento de um médico especializado em Medicina Tradicional Chinesa,
que saiba diagnosticar e corrigir possíveis desvios do Qi pelo corpo, antes deles se
tornarem danos permanentes à saúde do praticante.

Alguns pontos a serem observados:


1) Escolha o tipo de Qigong que atende a seus objetivos;
2) Verifique se este Qigong é o mais adequado para sua idade, sexo, tipo físico,
etc.;
3) Busque a orientação de um acupunturista ou especialista em Medicina
Tradicional Chinesa, para avaliação do seu quadro geral de saúde.
4) Busque a orientação de um Profissional da área de Qigong para receber
orientação competente.

Infecções do Qi -

De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, Mente, Corpo e Espírito formam um


todo indissociável. Apesar de aparentemente separadas, elas são aspectos de uma
única realidade. Livros como o Nei Jing (Clássico Interno) e o Nan Jing (Clássico das
Dificuldades), descrevem como o Qi se movimenta pelo corpo de acordo com a
respiração. É a respiração dos pulmões que difunde e espalha o Qi ancestral ou
toráxico para o restante do corpo. Além disso, a consciência na Medicina Tradicional
Chinesa é chamada de Brilho do Espírito, e o Espírito não difere em nada da
acumulação de Qi no coração.
Muitas escolas asiáticas dizem que os pensamentos são regidos ou orientados pela
respiração. Logo, alterações da respiração afetam os pensamentos e vice-versa. Há
também uma relação do corpo com a mente (onde a mente vai, o qi vai), e a
circulação do qi e o movimento do corpo.

A maior parte das técnicas de qigong trabalha com posturas específicas (fixas ou
com movimento), combinadas com algum tipo de respiração e às vezes com
visualização. Logo, podemos dizer que a prática do Qigong afeta o fluxo de Qi no
corpo, produzindo estados mentais e emocionais específicos, correspondendo a
direções dadas ao Qi durante os exercícios. Desta forma fica fácil de compreender
como uma prática errada de Qigong pode causar um fluxo anormal de Qi que pode
causar desde um leve incômodo, até uma condição patológica.

Por exemplo, se uma pessoa perturba o fluxo livre do Qi, absorvendo mais do que o
corpo pode conter e difundir livremente, acumulando e concentrando o qi em
determinada área do corpo, isto pode facilmente levar a uma estagnação de Qi. Se
esta estagnação prosseguir, a depressão pode transformar o fogo, e o fogo arde
para cima, molestando o espírito do coração. O calor deprimente também pode
danificar e consumir os fluídos Yin, dando origem assim a hiperatividade
ascendente de Yang, calor da vacuidade, e movimento interno de vento.

Num outro nível, se a pessoa for fisicamente muito ativa, a atividade, que é Yang,
também pode danificar e consumir fluídos Yin que conduzem a hiperatividade Yang
e o calor perverso. Quando há muita inatividade, como em meditação Chan (Zen),
que é Yin, pode agravar uma depressão, e causar ou agravar umidade de muco e
estagnação de sangue. Isto se torna ainda mais provável se tal meditação for
acompanhada de um esvaziamento dos desejos, como a busca de um estado
Búdico, ou Imortal, ou se há preocupações excessivas e ansiedades. Especialmente
se a pessoa conduz o Qi para cima no corpo ou concentra a mente num ponto
superior do corpo, ela pode conduzir o Fogo Ministerial para cima em um contra-
fluxo. Quando este mecanismo de doença causar sintomas de calor que molestam
acima, é às vezes chamado de "fogo que queima o mosteiro Shaolin. (O mosteiro
Shaolin, é a casa tradicional de Chan ou Zen Budismo, enquanto o Lin de Shao
significa 'pequena floresta' literalmente).

Sintomas das doenças associadas ao Qigong -

1. Estagnação de Qi e padrão de estagnação de Sangue:


Os principais sintomas associados a este padrão, são a instabilidade emocional,
chorando e rindo sem constância, paranóia, tensão, alucinações visuais,
pensamentos alucinatórios, pressão no peito e tórax, sentimento de opressão, dor
de cabeça, dor generalizada pelo corpo, face escurecida de aparência estagnada,
língua vermelha escurecida, possíveis manchas ou máculas na língua, veias
sublinguais inchadas, pulso agitado, como a corda esticada de um arco.
Impetuosidade emocional, dificuldade em permanecer quieto ou imóvel,
instabilidade emocional, chorando ou rindo sem constância, etc. são todos sintomas
que indicam que o mecanismo do Qi está transtornado e caótico, perdendo seu
controle. O Qi é o chefe do sangue, enquanto o sangue é a mãe do Qi. Quando o Qi
se move, os movimetnos do sangue se movem junto. Da mesma forma, se o Qi
ficar caótico, o sangue também ficará. Consequentemente, o Qi e o sangue perdem
o controle e não podem mais controlar a si mesmos. (i.e., a pessoa não pode
controlar a si mesma).

O Qi e a estagnação de sangue podem obstruir os orifícios do coração, resultando


assim em moléstia do espírito do coração. O sangue obstruído e estagnado pode
causar opressão no peito e dor nas costelas laterais. A estagnação de Qi é resultado
da estagnação do sangue nos canais e vasos que não consegue correr livremente.
Consequentemente, há dor de cabeça, dor generalizada pelo corpo, etc., como
descrito anteriormente.

2. Padrão de Excesso de Calor:

Os sintomas principais deste padrão de doença são tensão emocional e agitação,


movimentos impulsivos quebrando coisas, mania, dificuldade em controlar a si
mesmo, muco profuso, opressão de torax, gosto amargo na boca e respiração
ruim; dores de cabeça, olhos avermelhados, urina avermelhada, lingua grossa
avermelhada, pele amarelada, com pulso rápido e escorregadio.

Se há excesso de Yang corporal normal, como o existente nos jovens do sexo


masculino, ou hábito de fumar e/ou ingerir álcool, ou excesso de comida gordurosa,
ou excessivamente temperada, a umidade da fleuma pode congestionar e ficar em
excesso. Neste caso, quando a pessoa praticar Qigong, a pessoa pode não obter
quietude, mas o mecanismo do Qi é perturbado e torna-se caótico. Então são
misturados fleuma e fogo e internamente molestam o espírito do coração. Isto
causa tensão emocional e agitação, movimentos impulsivos, comportamento
maníaco, etc.
Se o Qi não se recolhe aos canais, torna-se difícil de controlar. Isso produz
sensações expontâneas de descarga de Qi ao redor do corpo e a incapacidade de
controlar a si mesmo. A turvação da fleuma obstruí interiormente com
enfraquecimento do Yang do torax tornando-se a fleuma profusa e oprimindo o
tórax, enquando o fogo da fleuma ascende dando gosto amargo na boca, deixando
urina avermelhada, pele amarelada e grossa, com pulso escorregadio e rápido, etc.,
formando o quadro do fogo de fleuma, e calor congestionado.

3. Deficiência de Yin com excesso de calor:

Os sintomas principais deste padrão de doença do Qigong são depressão


emocional, dificuldade de concentração, memória fraca, resmungar ou falar consigo
mesmo, palpitações de medo, medo generalizado, ilusões auditivas e visuais, calor
inquietante nos 5 corações (significando o coração e os centros de mãos e pés),
boca e garganta secas, insônia, suores noturno, língua vermelha e pela fina, pulso
como uma correnteza rápida.

Se a pessoa já é normalmente desprovida ou com deficiência de Yin do Rim (como


muitas mulheres, pessoas magras e idosos), fazendo muito Qigong ou de forma
errada, podem causar uma tensão psico-emocional excessiva. Além disso, ter
pensamentos compulsivos ou obsessivos em emitir Qi ou possuir tais habilidade de
Qigong de forma supranormal, fazendo com que a pessoa 'esvazie' a si mesma.
Isto consome e esvazia a Essência e o Sangue.

Se a Essência e o Sangue são insuficientes, então faltará nutrição para o Mar da


Medula. Isso conduz a dificuldade de pensar, entorpecimento, e perda de memória.
Depleção e vacuidade do Sangue e da Essência conduzem à falta de nutrição do
espírito do coração. Consequentemente, há depressão emocional, resmungando e
falando consigo mesmo, palpitações de medo, etc.
Vacuidade de Yin do fogo que arde para cima. A pessoa sente um calor inquietante
nos 5 corações, boca e garganta secas, pele fina e brilhante, pulso como uma
correnteza rápida, dando sinais de calor interno.

O que fazer em casos de doenças do Qigong:

Ao primeiro sinal dos sintomas relacionados a uma das três doenças descritas
acima, o praticante deveria ser monitorado e avaliado, e caso os sintomas
persistam, ele deve buscar um acupunturista ou médico especializado em Medicina
Tradicional Chinesa, para reequilibrar o Qi no organismo. Caso essas doenças
existam em período anterior às práticas, convém que primeiro se faça um
tratamento adequado utilizando técnicas da Medicina Tradicional Chinesa, e
somente então se procedam as práticas relativas ao Qigong, para adquirir e
preservar a saúde.

Recomendações Gerais a Respeito da Prática do Qigong:

As recomendações gerais para a prática do Qigong podem ser organizadas da


seguinte forma:
1. As recomendações para a fase anterior à prática (FASE 1);
2. As recomendações para o momento da execução dos exercícios e (FASE 2);
3. As recomendações para a fase posterior à prática (FASE 3).

FASE 1:
A preparação para a prática de Qigong envolve os seguintes pontos:
· Vestuário: o vestuário deve ser composto de roupas adequadas à estação do ano
e confortáveis ao ponto de não impedir a movimentação do corpo. O calçado deve
ser constituído de tênis ou sapatilhas de solado baixo e flexível;
· Alimentação: deve-se evitar a prática em jejum ou logo após ter sido feita uma
refeição. O ideal é que se respeite o espaço mínimo de 30 min após a ingestão de
alimentos leves e de 1h nos casos onde a refeição tenha sido completa( almoço ou
jantar) antes que se iniciem os exercícios respiratórios;
· Local: o mais indicado é o local amplo, limpo, organizado e arejado. Sendo
escolhido o ambiente ao ar livre, devem-se preferir os espaços retirados e
silenciosos longe de locais onde haja águas estagnadas e depósitos de entulhos e
detritos. Deve-se evitar a exposição direta a ventos frios e ao orvalho;
· Horário: embora não haja nenhum inconveniente maior em se praticar em outros
horários, os mais indicados são aqueles próximos ao nascer e ao pôr do Sol;

FASE 2:
Após terem sido respeitadas as recomendações gerais para a fase preparatória,
seguem-se as destinadas à prática propriamente dita:
· Aquecimento: deve-se dar atenção especial ao aquecimento das articulações
("Desbloqueio das oito articulações"). Se possível, realizar exercícios de
alongamento. Tal procedimento previne o surgimento de lesões articulares em caso
de se cometer excessos;
· Respiração: durante a realização dos exercícios, deve-se manter a respiração
profunda e suave, o que significa dizer que se deve evitar forçar o ritmo
respiratório para além do confortável. A atenção para a respiração abdominal é
fundamental;
· Movimentação: os movimentos devem ser realizados de maneira uniforme e
contínua e sempre obedecendo ao ritmo respiratório. O corpo deve estar relaxado e
bem alinhado. Todos os exercícios serão praticados de maneira suave e
descontraída;
· Atitude mental: a mente deve estar calma e concentrada na respiração.

FASE 3:
· Exposição do corpo: Deve-se tomar cuidado e evitar a exposição do corpo ao
vento e ao orvalho logo após a prática dos exercícios. Sempre que possível, deve-
se procurar proteger as áreas corporais mais sensíveis (região abdominal,
garganta, peito e as costas) com agasalhos adequados às condições climáticas
reinantes;
· Alimentação:O ideal é que se respeite o espaço mínimo de 30 min antes de se
ingerir alimentos leves e de 1h nos casos onde a refeição vier a ser completa
(almoço ou jantar) após a realização dos exercícios respiratórios;
· Higiene pessoal : Recomenda-se que se evite o banho em água fria logo após a
realização dos exercícios respiratórios. Um intervalo mínimo de 30 min é o indicado
antes do banho.

Interesses relacionados