Você está na página 1de 4

A Contemporaneidade

FAZER O ALUNO COMPREENDER OS RUMOS QUE TOMARAM A NARRATIVA DE FICÇÃO

CONTEMPORÂNEA E QUEM FORAM ALGUNS DE SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES

O século XX assistiu a uma verdadeira revolução artística e literária. A arte já nas primeiras décadas do
século passado afastou-se da tradição. A narrativa ficcional se voltará para os “problemas sociais do mundo
moderno”, outras estarão preocupadas com o “mundo subjetivo do protagonista” e outras ainda
“experimentarão novos padrões lingüísticos”.

De qualquer maneira é D’Onofrio mais uma vez que vem em nosso auxílio. Sua explicação sobre as novas
espécies do gênero romance esclarecerão didaticamente como se comportou esse gênero no século passado.
Teremos então o romance do Realismo socialista, "Por esta corrente estética, em direta conexão com os
princípios da doutrina político-social do Marxismo, o gênero narrativo, como a arte em geral, é considerado
uma superestrutura social que deve contribuir para a formação de uma consciência ideológica.” (p. 430)
Máximo Gorki (1868-1936), romancista e escritor russo foi considerado o pai dessa vertente.
Já no romance de Realismo crítico os escritores se preocupam em representar artisticamente os problemas
sociais sem nenhum compromisso ideológico.(p.433) Um de se mais importantes representantes e que
dividiu sua vida entre o jornalismo e a literatura, foi Ernest Hemingway ( 1898-1961). Uma das temáticas de
seus romances foi falar sobre os horrores da Primeira Guerra Mundial.
O romance de Realismo fantástico põe em relevo o que há de absurdo e desumano na realidade individual e
social... O principal romancista dessa modalidade estética é sem dúvida, Franz Kafka. (p.435) Kafka (1888-
1924) nasceu em Praga e sua obras mais conhecidas são A Metamorfose e O Processo.

Também não podemos deixar de citar o prêmio Nobel de Literatura de 1982, o colombiano, Gabriel García
Márquez que nasceu em 1928 e faleceu em 2014. Em seu mais famoso romance, Cem anos de solidão, o
autor descreve a fundação e a destruição da cidade de Macondo
Para D’Onofrio,

01 / 03

TÉCNICAS DE ANOTA…
Enquanto a narrativa das várias tendências “realistas” está preocupada
predominantemente com os problemas do viver social do homem, o romance de fluxo da
consciência tem por intuito a exploração da alma humana, tentando desvendar os
mistérios da presentificação da memória, do subconsciente e do inconsciente.
P. 437

Essa vertente é do romance de instrospecção psicológica.


Virginia Woolf é uma das mais importantes representantes. Segundo D’Onofrio ela "abriu sua residência

num bairro nobre de Londres aos escritores e artistas, discutindo as teorias freudianas, as ideias
socialistas...e as mudanças de costumes após o fim da moral vitoriana." (p.438)
Por fim, Salvatore nos fala sobre a vertente do romance de experimentalismo formal. "Nessa vertente da
narrativa modernista, a linguagem não é mais considerada apenas um meio para a representação do real,
mas é criadora de novas realidades, pois utiliza signos sem referentes extratextuais." "(...)O romance não
tem mais por objeto de representação uma história linear, com começo, meio e fim, mas é a transfiguração
artística das associações de idéias e de sentimentos que invadem o espírito dos personagens." (p.439)
Para D’Onofrio o pai dessa vertente é James Joyce (1882-1941). Nascido em Dublin tem em sua obra mais
famosa, "Ulisses, a epopéia do homem moderno, colocando perante nossos olhos todas as áreas do
conhecimento humano: reflexos filosóficas, perplexidades religiosas oscilantes(...), consciência moral,
ciências naturais e médicas, psicologia do subconsciente, política, sociologia, economia, jornalismo,
publicidade, literatura e artes plásticas." (p.440)
Ficou curioso? Caso você ainda não consiga ler ela no original em inglês, sugiro a brilhante tradução do
Caetano W. Galindo, pela editora Penguin-Companhia das Letras de 2012. São 1.106 páginas que o
renomado tradutor levou 10 anos para traduzir. Fantástico não?

02 / 03

TÉCNICAS DE ANOTA…
Objeto disponível na plataforma
Informação:

JAMES JOYCE
E o Brasil? Como se comportou nossa literatura diante desse universo complexo, diverso e revolucionário?
Aqui apelaremos para Cademartori. Segundo a autora No Brasil, por volta dos anos 30, Carlos Drummond de
Andrade, Murilo Mendes e Jorge de Lima superam as inovações técnicas do Modernismo. A ficção renova-
se com o surto regionalista das obras José Lins do Rego de Graciliano Ramos e Guimarães Rosa. A obra de
cada um deles apresenta dicção própria.
(...)
Na diversidade da manifestação literária contemporânea,particularizam-se discursos como o de Autran
Dourado, Lygia Fagundes Telles, Nélida Piñon,na narrativa; Ferreira Gullar e Afonso Romano de Sant’Anna na
poesia. (ps.73-74)

ATIVIDADE FINAL

Qual o romance que põe em relevo o que há de absurdo e desumano na

realidade individual e social...?

A. Romance de Realismo socialista. 


B. Romance de Realismo fantástico. 
C. Romance de Realismo crítico.

D. Romance de introspecção psicológica. 

REFERÊNCIA
CADEMARTORI, Ligia. Períodos Literários. São Paulo: Ática, 2000.
D'ONOFRIO, Salvatore. Literatura Ocidental: autores e obras fundamentais. São Paulo: Ática, 1991.

03 / 03

TÉCNICAS DE ANOTA…
TÉCNICAS DE ANOTA…