Você está na página 1de 9

www.cers.com.

br 1
Segundo exercício de reclamação trabalhista

(Exame de Ordem – XXII – Adaptado)


Marina Ribeiro, brasileira, casada, desempregada, filha de Laura Santos, portadora da identidade nº 855, CPF:
909, residente e domiciliada na Rua Coronel Saturnino, casa 28 – São Paulo-SP – CEP: 4444, trabalhou para a so-
ciedade empresária Malharia Fina Ltda., localizada na capital paulista, como auxiliar de produção, de 20/09/2014 a
30/12/2016, quando foi dispensada sem justa causa, recebendo as verbas da ruptura contratual.
Atualmente, Marina está desempregada, mas, na época em que atuava na Malharia Fina, ganhava 1 salário mí-
nimo mensal.
Marina é presidente do seu sindicato de classe, ao qual está filiada desde a admissão, tendo sido eleita e em-
possada no dia 20/06/2015 para um mandato de 2 anos, bem como cientificada a empregadora do fato por e-mail,
exibido ao advogado.
Marina recebeu uniforme e EPI da empresa, jamais sofrendo descontos no seu salário em razão disso.
Recebia, também, R$ 500,00 de alimentação e trabalhava de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 22h30, com
intervalo de 1 hora, e, aos sábados, das 8h às 12h, sem intervalo.
Após o horário informado, de segunda a sexta-feira, gastava 20 minutos para trocar o uniforme, pois era obriga-
da a fazê-lo na empresa, por imposição de regulamento interno.
Marina recebeu a participação proporcional nos lucros de 2014 e integral em 2015 e 2016.
Marina tem três filhos saudáveis, com idades de 12, 10 e 8 anos, conforme certidões de nascimento que apre-
sentou.
Ela, no ano de 2015, comprovadamente, doou sangue em duas ocasiões, faltou ao emprego e, em ambas, e foi
descontada a título de falta.
Já em 2016, ela foi descontada em três dias, quando se ausentou para viajar para o Nordeste e comparecer ao
enterro de um primo, que falecera em acidente de trânsito.
Hugo, o superior imediato de Marina, era chefe do setor de produção. Duas vezes na semana, no mínimo, dizia
que ela tinha um belo sorriso. Por educação, Marina agradecia o elogio.
Em 2016, em razão de doença, Hugo ficou afastado do serviço por 90 dias e ela o substituiu até o seu retorno.
Por ocasião do exame demissional, o setor médico da empresa informou que Marina estava apta para a dispen-
sa.
Nos seus contracheques, em todos os meses desde a admissão, havia o lançamento de crédito de um salário
mínimo e de duas cotas de salário-família, além de descontos de INSS e do vale-transporte.
Marina ainda informou que tinha ajuizado uma ação anteriormente e que, como perdera a confiança no antigo
advogado, não compareceu à audiência para a qual fora intimada. Essa ação havia sido distribuída à 250ª Vara do
Trabalho de São Paulo e, em consulta pela Internet, foi verificado o seu arquivamento.
Com base nos dados apresentados, formule a peça (rito ordinário) de defesa dos interesses de Marina em juízo.
(Valor: 5,00)
Obs.: A peça deve abranger todos os fundamentos de Direito que possam ser utilizados para dar respaldo à
pretensão. A simples menção ou transcrição do dispositivo legal não confere pontuação.

EXAME DE ORDEM XXII – RESOLUÇÃO

AO DOUTO JUÍZO DA 250ª VARA DO TRABALHO DE SÃO PAULO/SP

Distribuição por dependência à 250ª Vara do Trabalho – juízo prevento

Autos no

MARINA RIBEIRO, brasileira, casada, desempregada, filha de Laura Santos, portadora


da identidade nº 855, CPF: 909, residente e domiciliada na Rua Coronel Saturnino, casa 28 –
São Paulo-SP – CEP: 4444, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência, por intermé-
dio de seu advogado adiante assinado (procuração em anexo), com escritório profissional no
endereço completo, onde recebe intimações ou notificações, com fulcro no arts. 840 e 679, X,
da CLT e art. 300 do CPC, PROPOR:

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA, com pedido de tutela antecipada, pelo rito ordiná-


rio

em face de MALHARIA FINA LTDA., qualificação e endereço completos, pelas razões

www.cers.com.br 2
de fato e de direito a seguir expostas.

I – MÉRITO
1. Reintegração

Marina é presidente do seu sindicato de classe, ao qual está filiada desde a admissão, tendo
sido eleita e empossada no dia 20/06/2015 para um mandato de 2 anos, sendo dispensada sem
justa causa em 30/12/2016, ou seja, no curso do mandato.

Nos termos do art. 8o, inciso VIII, da CF/88 e do art. 543, § 3o, da CLT, a empregada tem
estabilidade provisória no emprego desde o registro da candidatura até 2 anos após o térmi-
no do mandato.

Diante do exposto, requer a nulidade da dispensa e a reintegração da empregada.

2. Tutela antecipada

Conforme referido, a reclamante foi dispensada sem justa causa no curso da estabilidade
provisória no emprego, sendo, portanto, devida a sua reintegração.

Encontram-se presentes os requisitos autorizadores da concessão de tutela antecipada,


previstos nos arts. 300 do CPC e 659, X, da CLT, que compreendem: a probabilidade do
direito e o risco de dano. Verifique:

Evidencia-se a probabilidade do direito na medida em que a empregada foi dispensada


no curso da estabilidade provisória no emprego por ser dirigente sindical, consoante proíbem
os arts. 8o, VIII, da CF e 543, § 3o, da CLT.

Já o risco de dano está presente, visto que a reclamante está desempregada, dependen-
do, portanto, do trabalho para sua subsistência e, também, porque sem a sua imediata rein-
tegração, uma vez que é presidente do sindicato, a defesa dos trabalhadores fica comprome-
tida.

Diante do exposto, requer a concessão da liminar para a imediata reintegração da em-


pregada ao trabalho.

3. Salário in natura

A reclamante recebia R$ 500,00 de alimentação do empregador.

Nos termos do art. 457, § 2º, da CLT, a alimentação paga em dinheiro, como no presente
caso, caracteriza-se salário.

Diante do exposto, requer a integração do valor da alimentação ao salário da reclamante


para gerar reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

4. Horas extras

A reclamante trabalhava de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 22h30, com intervalo de


1 hora, e, aos sábados, das 8h às 12h, sem intervalo. Após o horário informado, de segunda
a sexta-feira, gastava 20 minutos para trocar o uniforme, pois era obrigada a fazê-lo na em-
presa, por imposição de regulamento interno.

Nos termos do art. 4º, § 2º, VIII, da CLT, é considerado tempo à disposição do emprega-
dor o destinado a troca de roupa ou uniforme, quando há obrigatoriedade de realizar a troca
na empresa.

www.cers.com.br 3
Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento dos 20 minutos ex-
tras diários, acrescidos do adicional de 50% (arts. 7º, XVI, da CF e 59, § 1º, da CLT), bem
como de seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

5. Adicional noturno

A reclamante trabalhava de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 22h30, e ficava mais 20


minutos à disposição do empregador.

Nos termos do art. 73, caput e § 2o, da CLT, as horas trabalhadas das 22h às 5h devem
ser remuneradas com o acréscimo de 20%.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento do adicional notur-


no, no importe de 20% do valor da hora diurna, quanto às horas que a reclamante ficava à
disposição do empregador após as 22h, bem como de seus reflexos em verbas contratuais e
resilitórias.

6. Intervalo interjornadas

A reclamante terminava o labor na sexta-feira, às 22h30, permanecia à disposição do


empregador por mais 20 minutos trocando o uniforme, e iniciava o trabalho aos sábados, às
8h, ou seja, entre uma jornada de trabalho e outra decorriam apenas nove horas e 10 minu-
tos de intervalo.

Nos termos do art. 66 da CLT e da OJ 355 do TST, entre 2 jornadas de trabalho haverá
um período mínimo de 11 horas consecutivas para descanso, sendo devidas as horas subtra-
ídas do intervalo, acrescidas do adicional de 50%.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento das horas que fal-
taram para completar o intervalo mínimo interjornadas de 11 horas, acrescida do adicional de
50%.

7. Salário-família

A reclamante tem três filhos saudáveis, com idades de 12, 10 e 8 anos, conforme certi-
dões de nascimento que apresentou; entretanto, recebia apenas duas cotas do salário-
família.

Nos termos dos arts. 2o da Lei nº 4.266/63, 66 da Lei nº 8.213/91 e 83 do Decreto nº


3.048/69, o salário-família é devido ao trabalhador de baixa renda salarial por filho com idade
de até 14 anos.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento de uma cota do


salário-família.

8. Devolução do desconto – doação de sangue

No ano de 2015, a reclamante comprovadamente doou sangue em duas ocasiões, nas


quais faltou ao emprego e, em ambas, foi descontada a título de falta.

Nos termos do art. 473, IV, da CLT, o empregado poderá deixar de comparecer ao servi-
ço sem prejuízo do salário por um dia, em cada 12 meses de trabalho, em caso de doação
voluntária de sangue devidamente comprovada.

Diante do exposto, requer a devolução de um dia de trabalho que foi descontado do salá-
rio da reclamante pelo motivo em questão.

www.cers.com.br 4
9. Diferenças salariais

Hugo, o superior imediato de Marina, era chefe do setor de produção. Em 2016, em razão
de doença, ele ficou afastado do serviço por 90 dias e a reclamante o substituiu até o seu
retorno.

Nos termos da Súmula 159, I, do TST, enquanto perdurar a substituição que não tenha
caráter meramente eventual, inclusive nas férias, o empregado substituto fará jus ao salário
contratual do substituído.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento das diferenças sa-


lariais, bem como de seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

10. Justiça gratuita

A reclamante encontra-se desempregada, de modo que, nos termos do art. 790, § 3o, da
CLT, faz jus aos benefícios da gratuidade da justiça, previstos no art. 98, § 1o, do CPC.

11. Honorários advocatícios

Requer a condenação do reclamado ao pagamento de honorários advocatícios, no impor-


te de 15% do valor que resultar da liquidação, à luz do art. 791-A da CLT.

II – PEDIDOS

Diante do exposto, requer:

a) a nulidade da dispensa e a reintegração da empregada......................R$


b) a concessão da liminar para a imediata reintegração da empregada ao traba-
lho........................................................................................R$
c) a integração do valor da alimentação ao salário da reclamante para gerar reflexos
em verbas contratuais e resilitórias............................R$
d) a condenação da reclamada no pagamento dos 20 minutos extras diários, acresci-
dos do adicional de 50% (arts. 7º, XVI, da CF e 59, § 1º, da CLT), bem como de
seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias
.........................................................................................R$
e) a condenação da reclamada ao pagamento do adicional noturno, no importe de
20% do valor da hora diurna, quanto às horas que a reclamante ficava à disposição
do empregador após as 22h, bem como de seus reflexos em verbas contratuais e
resilitórias..............R$
f) a condenação da reclamada ao pagamento das horas que faltaram para completar
o intervalo mínimo interjornadas de 11 horas, acrescida do adicional de 50%, bem
como reflexos em verbas contratuais e resilitó-
rias.....................................................................R$
g) a condenação da reclamada ao pagamento de uma cota do salário-
família................................................................................................R$
h) requer a devolução de um dia de trabalho que foi descontado do salário da recla-
mante pelo motivo em questão.................................R$
i) a condenação da reclamada ao pagamento das diferenças salariais, bem como de
seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias......R$
j) os benefícios da gratuidade da justiça; e
k) honorários advocatícios, no importe de 15%, sobre o valor líquido da condena-
ção.......................................................................................R$

www.cers.com.br 5
III – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer:

a) a distribuição por dependência à 250ª Vara do Trabalho de São Paulo, nos termos
do art. 286, II, do CPC, em razão da prevenção daquele juízo, uma vez que reclamação idên-
tica foi extinta sem resolução do mérito nessa vara do trabalho;

b) a concessão da liminar determinando a imediata reintegração da reclamada.

b) a notificação da Reclamada para oferecer resposta à Reclamação trabalhista, sob


pena de revelia e confissão quanto à matéria de fato;

c) a produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a prova


documental, o depoimento pessoal e a oitiva de testemunhas;

d) por fim, a procedência dos pedidos com a condenação da reclamada ao pagamento


das verbas pleiteadas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se à causa o valor de R$ ..., correspondente à somatória dos pedidos.

Nestes termos,

Pede deferimento.

Local e data.

Advogado.

OAB no

EXAME DE ORDEM XXII – ESPELHO DE CORREÇÃO – ADAPTADO

DIREITO DO TRABALHO – PEÇA

ATENDIMENTO
QUESITO AVALIADO FAIXA DE VALORES
AO QUESITO

ENDEREÇAMENTO
Petição inicial com endereçamento ao
0,00 / 0,10
juízo da 250 Vara do Trabalho de São
Paulo (0,10)

PARTES
Nome e qualificação da reclamante 0,00 / 0,10 / 0,20
(0,10) e do reclamado (0,10)

PREVENÇÃO
Distribuição por dependência OU pre- 0,00/0,20/0,30
venção à 250a VT/SP (0,20). Indicação
Art. 286, II, CPC (0,10)

JUSTIÇA GRATUITA
0,00/0,20
Requerimento de assistência judiciária
gratuita (0,20)

www.cers.com.br 6
DIREITO DO TRABALHO – PEÇA

ATENDIMENTO
QUESITO AVALIADO FAIXA DE VALORES
AO QUESITO

ESTABILIDADE
Reintegração porque a autora é dirigen-
te sindical, tendo estabilidade no em- 0,00/0,50/0,60
prego OU sendo vedada sua dispensa
(0,50). Indicação do Art. 8o, VIII, da
CF/88 OU Art. 543, § 3o, CLT (0,10)

TUTELA DE URGÊNCIA
Pedido de tutela de urgência ou medida
0,00/0,20/0,30
liminar ou antecipação de tutela para
imediato retorno (0,20). Indicação Art.
300 CPC OU Art. 659, X, CLT (0,10)

SALÁRIO UTILIDADE
Integração da alimentação ao salário 0,00/0,30/0,40
(0,30). Indicação Art. 457, § 2º, CLT
(0,10)

HORA EXTRA
É considerado tempo à disposição do
empregador o destinado a troca de rou-
0,00/0,30/0,40
pa ou uniforme, quando há obrigatorie-
/0,50
dade de realizar a troca na empresa
(0,30). Pedir 20 minutos diários com o
adicional de 50% (0,10). Indicação do
art. 4º, § 2º, VIII, da CLT (0,10)

INTERVALO ENTRE JORNADAS


Horas extras pela inobservância do in-
0,00/0,10/0,20
tervalo mínimo entre a jornada de sexta-
feira e sábado (0,10). Indicação Art. 66
CLT OU OJ 355 TST (0,10)

ADICIONAL NOTURNO
Adicional noturno sobre a jornada reali- 0,00/0,50/0,60
zada após 22:00h (0,50). Indicação Art.
73 OU Art. 73, § 2º, da CLT (0,10)

SALÁRIO FAMÍLIA (COTA FALTAN-


TE)
1 (uma) cota de salário-família faltante
0,00/0,40/0,50
(0,40). Indicação Art. 66 da Lei 8213/91
OU Art. 83 Decreto nº 3.048/99 OU Art.
7º, XII, CF/88 OU Art. 2º Lei 4266/63 OU
Art. 4º Decreto 53.153/63 (0,10)

DEVOLUÇÃO DESCONTO
Devolução de 1 (um) dia de doação de
0,00/0,30/0,40
sangue em que a falta é justificada
(0,30). Indicação do art. 473, IV, CLT
(0,10)

SUBSTITUIÇÃO 0,00/0,30/0,40

www.cers.com.br 7
DIREITO DO TRABALHO – PEÇA

ATENDIMENTO
QUESITO AVALIADO FAIXA DE VALORES
AO QUESITO

Diferença salarial em razão da substi-


tuição do chefe do setor (0,30). In-
dicação Súmula 159, I, TST (0,10)

Procedência dos pedidos (0,20) 0,00/0,20

Fechamento:
Data, local, advogado(a), OAB 0,00/0,10
...no...(0,10)

Parabéns pela dedicação. Depois de assistir a aula de correção desse exercício certamente você está bem mais
perto da aprovação.
Bom descanso!
Até a próxima aula! Nela, resolveremos mais dois exercícios de reclamação trabalhista. Espeto você!

www.cers.com.br 8
www.cers.com.br 9

Você também pode gostar