Você está na página 1de 4

3 MATERIAIS E MÉTODOS

O projeto destacado é dividido em duas parte onde ambas consiste no estudo de


manômetros com o intuito de observar a calibragem do mesmo.

3.1 PARTE I

A primeira parte do projeto refere-se aos procedimentos básicos para o ajuste e comparação
de medições de pressão entre dois manômetros, o primeiro tem sua resolução máxima de
10 kgf/cm² e o outro de 20 kgf/cm², sendo o de 10 kgf/cm² usado como referência. Para tal
foi utilizado a bomba de calibração Zurich 800-D, como pode ser observada na figura
abaixo. De acordo com os valores medidos no manômetro de referência foram obtidas as
pressões no manômetro a ser calibrado.

Figura - bomba de calibração Zurich 800-D

Para a utilização da bomba é necessário a utilização de um líquido de baixa


compressibilidade, no caso deste experimento foi utilizado a água, antes de inserir o mesmo
foi necessário abrir as duas válvulas do tipo rosca presente na parte frontal e superior da
bomba, e então o líquido foi inserido no copo central, foi posto os manômetros e em seguida
a válvula tipo agulha foi fechada, para manter a pressão do líquido.
Foi feito a variação da válvulas do tipo rosca e de acordo com a indicação do manômetro de
referência realizou-se as medições no sentido crescente e depois no sentido decrescente da
pressão para que se pudesse verificar os efeitos de histerese, observar a linearidade do
manômetro ajustado e também analisar os erros ao qual o equipamento está sujeito.

3.2 PARTE II

A segunda parte do projeto refere-se a medição de sinal de corrente referente a um valor de


pressão utilizando-se de um circuito com transmissor de pressão a 2 fios que possui
variação de 4 a 20mA. Para isto foram utilizados, a bomba de calibração Zurich 800-D, um
manômetro analógico padrão, transmissor de pressão Zurich PSI-420, calibrador de corrente
e uma fonte DC.
Fez-se a ligação a 2 fios com o transmissor, onde a fonte DC fica em série com o
transmissor e o manômetro.

Ajustou-se a fonte DC para 12V, e variou-se a pressão, de acordo com a indicação do


manômetro. Ao variar a pressão na bomba de calibragem, como foi feito na parte I, era
identificado uma variação na corrente, observa-se pelo multímetro. Realizou-se as medições
no sentido crescente e depois no sentido decrescente da pressão para que se pudesse
verificar o efeito de histerese.

4 RESULTADOS E DISCUSSÕES

4.1PARTE I

Os valores lidos no manômetro de ajuste para cada valor presente do manômetro de


referência, tanto na aferição crescente quanto na decrescente, estão dispostos na Tabela
abaixo e a partir destes valores construiu-se o gráfico para a visualização da histerese.

Tabela - Comparação de subida e descida

Manômetro de Manômetro de ajuste


Referência Ida Volta

0,5 0,1 0,1

1,2 0,8 0,9

2,2 1,9 2

3,4 3,1 3,1

4,5 4,2 4,2

5 4,7 4,7

6,8 6,6 6,6

7,9 7,8 7,8

8,8 8,8 8,6


9,5 9,4 9,4
Gráfico - Histerese do manômetro de ajuste

Encontrou-se a linearização de ida y=1,04x-0,438 e volta y=1,02x-0,361.

4.1.1 Erro relativo percentual

4.1.2.Desvio padrão

4.1.3 Histerese

4.2 PARTE II
Os valores lidos no manômetro de referência e no multímetro em visualização da corrente,
tanto na aferição crescente quanto na decrescente, estão dispostos na Tabela abaixo e a
partir destes valores construiu-se o gráfico para a visualização da histerese.
Encontrou-se a linearidade de ida y=1,61x +4,17 e de volta y=1,58x + 4,03.

4.2.1 Histerese