Você está na página 1de 52

Construsul A PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REGIÃO SUL

ANO XI | JANEIRO E FEVEREIRO | 2018 71

ESPECIAL

TINTAS E VERNIZES:
INSPIRAÇÃO EM NOVAS
TENDÊNCIAS, INOVAÇÃO,
DESEMPENHO E PRATICIDADE

ATUALIDADES TECNOLOGIA
O ano de 2018 inicia com Setor de porcelanatos
otimismo para o varejo de lança tendências,
materiais de construção. apresentando novos designs.
O mercado começa a A permanente pesquisa
demonstrar reação, com ressalta a combinação
previsão crescimento de 8,5% de qualidade, funcionalidade
sobre 2017, superando o ano e estética como ponto
anterior com folga de 1,5%. alto dos produtos.
EDITORIAL

Por Daniela Manfron


Gerente de Comunicação e Marketing
Sul Eventos

HORA DE INVESTIR
O ano inicia cheio de expectativas de reverter o quadro da economia e política que
tanto afetou todos os segmentos, em especial a construção civil. As entidades e
empresas representantes do varejo de material de construção acreditam que em
2018 os consumidores voltarão a investir em novas obras e nas reformas de suas
residências. As lojas de material de construção começaram a realizar mais estudos e
elaborar planos estratégicos que atendam não só às necessidades dos consumidores,
como também, fortaleçam parcerias entre varejo e indústria.

Segundo dados da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção


(Anamaco), no final de 2016 e durante o ano de 2017, houve um aumento consistente
no volume de vendas no setor, o que fechou o ano com um crescimento de 6%
sobre 2016 e um faturamento de R$ 114,5 bilhões. A perspectiva para 2018 é de
crescimento de 8,5% sobre 2017, superando o ano anterior com uma folga de 1,5%,
influenciados pela redução das taxas de juros, da inflação e pelo aumento do emprego.

Nesta primeira edição de 2018, a Revista Construsul aborda um panorama do mercado


de tintas e vernizes. Com foco no bem-estar do consumidor, a indústria de tintas
imobiliárias avança em sustentabilidade, multifuncionalidade, alta performance e
relação custo/benefífico, confiante na movimentação do mercado e melhora gradativa
durante o ano.

Na seção Tecnologia, apresentamos alguns dados do segmento de porcelanatos, onde


a indústria investe em permanente pesquisa de novas tendências abrangendo áreas
além da funcionalidade e ressaltando a combinação de qualidade, inovação e estética
como ponto alto dos produtos.

Um ótimo ano a todos. Muita confiança, saúde e sucesso!


Boa leitura.

4 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
ÍNDICE
ÍNDICE

Foto: Shutterstock

Foto: Grupo Elevato/Sérgio Ordobás


A Starrett apresenta o medidor a
laser KLMS30. O produto, diferente
dos demais da categoria, não
faz apenas medição simples.
Faz medição de área, volume,
medição contínua e possui duas
referências de medida (frente e
base), com precisão de ±2mm.
Pode ser configurado em metros,
polegadas e pés, além de ter
proteção IP54 contra pó e poeira.

Segundo dados divulgados em O ano de 2018 iniciou otimista


janeiro pela Abramat, o último para o varejo de materiais
trimestre de 2017 indicou de construção. Apesar de
MOVIMENTO

ATUALIDADES
sinais de recuperação do setor. dificuldades como a instabilidade
A expectativa é que 2018 seja econômica e política, o mercado
um ano de crescimento do começa a demonstrar reação.
comércio e início de recuperação Segundo o presidente da
do mercado de edificações e de Anamaco, Claudio Conz, no
infraestrutura. Entretanto, apesar final de 2016 e durante o ano
das expectativas positivas, o índice de 2017, houve um aumento
Foto: divulgação Starrett

da Abramat na edição dezembro consistente no volume de vendas


apresentou queda de 2,2% no do setor, o que fez fechar 2017
faturamento deflacionado das com um crescimento de 6%
indústrias do setor comparado a sobre 2016 e um faturamento
dezembro de 2016. de R$ 114,5 bilhões.

26
Com foco no bem-estar do consumidor,
Foto: divulgação Iquine

a indústria de tintas imobiliárias


avança em sustentabilidade,
multifuncionalidade, alta performance
e relação custo/benefício, confiante
na movimentação do mercado e
melhora gradativa durante o ano.
No início de 2018, a indústria de tintas
imobiliárias e vernizes demonstra-se
otimista para uma melhora gradativa
durante o ano. Segundo dados da
Associação Brasileira dos Fabricantes
de Tintas (Abrafati), no ano de 2016,
o setor obteve um faturamento de
R$ 11,8 bilhões sendo 69% referente
às tintas imobiliárias. Já o volume de
produção foi de 1,5 bilhão de litros,
representando 84,7% do total.
EXPEDIENTE
Fotos: divulgação Grupo Fragnani

Foto: Shutterstock
A REVISTA CONSTRUSUL É UMA
PUBLICAÇÃO DA SUL EVENTOS

Direção
Wilson Richter
Ricardo Richter

Gerência de Comunicação e

38 46
Marketing e Editora Responsável
A permanente pesquisa de novas O Sinduscon-RS divulgou no dia Daniela Manfron
tendências abrange áreas além 1º de fevereiro, o Custo Unitário (Mtb/RS 8.889)
da funcionalidade e ressalta Básico por metro quadrado de
assistente de jornalismo
INDICADORES
ECONÔMICOS
TECNOLOGIA

a combinação de qualidade, construção (CUB/m²) do mês de Aniele Cerutti


inovação e estética como ponto janeiro de 2018, com base na
alto dos produtos. Segundo NBR 12.721/2006. Os materiais Departamento ComerCial
dados da Anfacer, o porcelanato é de construção que mais subiram Regina Manfron
Silveira Brasil Eventos
um revestimento cerâmico de alta no mês foram: fio de cobre
qualidade e grande desempenho. anti-chama, isolamento 750V, PARA ANUNCIAR
Desenvolvido sob rigorosos #2,5mm², emulsão asfáltica comercialrevista@suleventos.com.br
padrões técnicos, apresenta impermeabilizante, locação de
Fechamento dessa edição
níveis baixíssimos de absorção de betoneira, brita nº 02, chapa
01/02/2018
água, alta resistência mecânica compensado plastificado 18mm e
além de um dimensional preciso, bancada de pia de mármore branco correspondÊncIa
entre outras qualidades. 2,00x0,60m. Sul Eventos
Rua Miguel Tostes, 823,
Bairro Rio Branco,
Porto Alegre, RS, CEP 90430-061
Foto: divulgação Case

Foto: divulgação Abramat

Fone: 55 51 3225.0011
www.suleventos.com.br

As opiniões, entrevistas, artigos e


colunas assinadas são de inteira
responsabilidade de seus autores.

PROJETO GRÁFICO E diagramação


Pubblicato Editora Ltda.
andrea@pubblicato.com.br
Fone: 55 51 3013.1330
Diagramação e produção:
Vitor Mesquita e Andrea Costa

48 50
As pás-carregadeiras da Série G, O presidente da Abramat, Foto de Capa
da Case Construction Equipment Walter Cover, destaca o cenário Kaprik, Shutterstock
foram as vencedoras do Prêmio da indústria de materiais de
IMPRESSÃO
MÁQUINAS E
EQUIPAMENTOS

ARTIGO

Good Design de 2017. O projeto construção no Brasil. Segundo Gráfica Odisséia


foi desenvolvido pelo Centro de Cover, 2017 foi o último ano do
Design da CNH Industrial em ciclo recessivo. Ele destaca uma participe da próxima edição
Para participar da próxima edição
conjunto com as equipes de pequena melhora em 2018, além
da Revista Construsul com
Inovação e Engenharia dedicada de crescimento de 3% nas vendas sugestões, dúvidas e críticas
aos diferentes segmentos da para o comércio e da manutenção mande seu email para:
empresa. das vendas às construtoras. jornalismo@suleventos.com.br
ABDI e MDIC lançam Coletânea Guias BIM
MOVIMENTO

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) dos. A coletânea contempla os fundamentos, conceitos,
e o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços normalização e classificação de componentes, orçamen-
(MDIC) lançaram, no final de novembro de 2017, a Cole- tação e quantificação, entre outros.
tânea Guias BIM ABDI-MDIC. A cerimônia foi realizada no
auditório do Ministério e contou com a presença do presi- O BIM é a tecnologia de modelagem virtual parametriza-
dente da ABDI, Guto Ferreira, do secretário de Desenvol- da dos componentes e sistemas aplicados numa edifica-
vimento e Competitividade Industrial do MDIC, Igor Cal- ção. Segundo o presidente da ABDI, Guto Ferreira, com
vet, e do representante da consultoria contratada para a o uso das técnicas previstas em BIM, o projeto alcança
elaboração dos Guias, além de coordenadores, especia- maior precisão, além de otimizar o prazo e reduzir cus-
listas e técnicos do setor. tos, já que podem ser feitas correções prévias à edifica-
ção. “A modelagem virtual da construção promove maior
Com uma linguagem técnica, objetiva e até didática, a transparência e controle de toda informação física, fi-
coleção de seis volumes consolida as boas práticas para nanceira e de desempenho do empreendimento em todo
os processos de projetos em Building Information Mode- o seu ciclo de vida. É uma tecnologia essencial para ele-
ling (BIM) e visa orientar os diversos agentes envolvidos var a produtividade do setor da construção civil”, frisa o
da cadeia produtiva da construção civil, públicos e priva- presidente.

CAU/RS elege novo presidente


A 81ª Sessão Plenária do Conselho de Arquitetura e Urbanismo mas por arquitetos e urbanistas responsáveis por representar os
do Rio Grande do Sul (CAU/RS) ocorreu no dia 3 de janeiro. A re- anseios dos profissionais por todo o Estado.
união foi marcada pela eleição dos novos presidente e vice-presi-
dente e estruturação das Comissões de Ensino e Formação (CEF), O presidente atentou para o histórico de lutas dos arquitetos Car-
Ética e Disciplina (CED), Exercício Profissional (CEP), Organização los Maximiliano Fayet e José Albano Volkmer pela fundação do
e Administração (COA), Planejamento e Finanças (CPFI) e Política CAU e relembrou a importância de Roberto Py, e a continuação de
Urbana e Ambiental (CPUA). seu mandato com Joaquim Haas, pela condução do processo de
formação do CAU/RS e seu rápido desenvolvimento.
Tiago Holzmann da Silva foi eleito Presidente e Rui Mineiro foi
eleito Vice-Presidente. As Comissões serão compostas por qua- “Nós temos pela frente uma gestão de realização, em busca de
tro conselheiros titulares. A exceção é a CPUA, Comissão Espe- autonomia e pela defesa da não fragmentação da Arquitetura e
cial, com cinco membros. O presidente eleito destacou que, nes- Urbanismo, como vemos ocorrer com outras profissões. Quem faz
te momento, o Plenário do CAU/RS não é composto por chapas, arquitetura é arquiteto e urbanista”, argumentou. Foto: divulgação

8 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
Indústria de materiais de construção

MOVIMENTO
projeta crescimento para 2018
Em janeiro, a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Entretanto, apesar das expectativas para 2018, o índice da Abra-
Construção (Abramat) divulgou os índices do setor, referentes a mat na edição dezembro apresentou queda 2,2% no faturamen-
dezembro de 2017. Segundo dados da entidade, os estudos rea- to deflacionado das indústrias do setor comparado a dezembro de
lizados no último trimestre de 2017 indicaram sinais de recupera- 2016. Com isso a indústria de materiais acusa uma retração de
ção. “Com a inflação do ano fechada em 2,95%, juros baixos, me- 4% em 2017 em relação ao ano anterior.
lhoria gradual do emprego, e a necessidade crescente por novas
obras de infraestrutura fazem com que o empresariado fique mais Responsável por empregar grande contingente de trabalhadores e
confiante e possa ter mais estabilidade para planejar suas ações”, fortemente dependente de investimentos públicos, o setor da cons-
salienta o presidente da Abramat, Walter Cover. trução teve resultado coerente com o momento político e econômi-
co do país. A alta taxa de desemprego, crédito dificultado, instabi-
Para Cover, a expectativa é de um ano de crescimento do comér- lidade política, corte de gastos do setor público e as paralisações
cio e início de recuperação do mercado de edificações e de in- das contratações do programa Minha Casa, Minha Vida culmina-
fraestrutura, prevendo que em 2018, após quatro anos, o setor ram no desempenho negativo, que já havia sido previsto pela Abra-
volte a crescer. “Trabalhamos com a expectativa de crescimento mat no início do ano. Além da queda nas vendas, tal cenário levou
na ordem de 1 a 2% e esperamos que o Governo Federal, Estados a redução de -5,7% do total de funcionários empregados pelas
e Municípios se conscientizem do papel fundamental da constru- empresas associadas da entidade. “Observamos em mais um ano,
ção na economia do país, permitindo que em 2018 se inicie um que a cadeia da construção é um termômetro da situação econô-
novo ciclo de crescimento do setor após a forte queda vivida nos mica do país. Desde 2011 não houve crescimento expressivo do
últimos três anos”, destaca Cover. PIB (acima de 1%) com a construção em baixa”, observa Cover.

Foto: Shutterstock

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 9
MOVIMENTO

Energia solar
fotovoltaica atinge
marca histórica
de microgeração
e minigeração
distribuída no Brasil
O Brasil atingiu a marca histórica de 150MW de potência ins-
talada acumulada em sistemas de microgeração e minigeração
distribuída solar fotovoltaica instalados em residências, comér-
cios, indústrias, edifícios públicos e na zona rural. A energia so-
lar fotovoltaica representa 75,5% do total da potência instalada
da microgeração e minigeração distribuída, que em dezembro
de 2017 chegou a 200MW. Segundo mapeamento da Associa-
ção Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), a fon-
te solar fotovoltaica, baseada na conversão direta da radiação
solar em energia elétrica de forma renovável, limpa e sustentá-
vel, lidera com folga o segmento de microgeração e minigera-
ção distribuída, com 99% das instalações do país.

De acordo com a entidade, o Brasil possui atualmente 18.214


sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, trazendo
economia e engajamento ambiental a 20.518 unidades consu-
midoras, somando mais de R$ 1,33 bilhões em investimentos
acumulados desde 2012, distribuídos ao redor de todas as re-
giões do país. Atualmente, consumidores residenciais lideram
o uso da energia solar fotovoltaica, representando 42% da po-
tência instalada no país, seguidos por empresas dos setores de
comércio e serviços (39%), indústrias (9%), sistemas localiza-
dos na zona rural (5%), edificações e serviços do poder públi-
co (5%).

Foto: Shutterstock

10 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
MOVIMENTO
Lançamentos e vendas
de imóveis novos
mantiveram trajetória
de alta em 2017
De acordo com informações de empresas ligadas à Associa-
ção Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), os lan-
çamentos de imóveis novos totalizaram 58.971 unidades entre
janeiro e outubro de 2017, alta de 18,0% em relação ao regis-
trado no mesmo período do ano anterior. Na mesma base de
comparação, as vendas de imóveis novos totalizaram 87.618
unidades, volume 5,3% superior comercializado no mesmo in-
tervalo em 2016. Os resultados apresentados reforçam a tra-
jetória positiva observada nos últimos 12 meses, período em
que tanto os lançamentos (78,8 mil unidades) quanto às ven-
das (107,5 mil unidades) de imóveis novos cresceram, respec-
tivamente 15,8% e 5,1% em relação ao registrado no período
imediatamente anterior.

Segundo a Abrainc, pela ótica por segmento, contudo, ainda é


possível identificar diferenças no desempenho dos empreen-
dimentos residenciais de médio e alto padrão (MAP) e dos em-
preendimentos residenciais vinculados ao programa Minha
Casa Minha Vida (MCMV). De um lado, os lançamentos resi-
denciais de médio e alto padrão recuaram 9,7% nos últimos
12 meses, enquanto as vendas do segmento ainda acumulam
queda de 13,6% frente ao período precedente. Por outro lado,
o número de lançamentos residenciais do programa MCMV
aumentou 25,5% nos últimos 12 meses em relação ao perío-
do anterior, tendência positiva acompanhada pelo aumento ex-
pressivo no volume de vendas (+29,7%), na mesma base de
comparação.

Foto: Shutterstock

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 11
BRUMENT
empresas e produtos

APOSTA NO DESIGN LEVE E CURVILÍNEO


PARA PUXADORES DE PORTA DE ENTRADA
A Brument destaca o puxador de barra chata 2400 e o puxador de tubo 2200. Os produtos apresentam uma
suave curvatura de estilo contemporâneo. São feitos de aço inox 304 e indicados para portas metálicas, de
madeira e vidro, sejam comerciais ou residenciais. Também podem ter uso interno e externo, pois têm boa
durabilidade e resistência às intempéries.

O modelo 2400 possui um ângulo similar de um arco e flecha, já o 2200 é arredondado nas pontas. Am-
bos os puxadores podem ser aplicados de forma simples (individuais) ou em duplas. As linhas curvas ex-
pressam ideias de flexibilidade, suavidade e graciosidade e tendem a transmitir essas qualidades a qual-
quer composição em que apareçam.

Foto: d
ivulgaç
ão

Carborundum
AMPLIA LINHA DE FITAS ADESIVAS
A Carborundum amplia a sua linha com mais duas solu-
ções em fitas adesivas: fita de demarcação de solo e fita
de empacotamento. Ideais para demarcação de pisos em
lojas, prédios, quadras esportivas e indústrias, as fitas de
demarcação de solo Carborundum se destacam pela ex-
celente adesão aos pisos em que são aplicadas e pela re-
sistência ao fluxo de pessoas que sobre elas transitam.

Outra característica das novas fitas de demarcação Car-


borundum é a variedade de cores em que estão dispo-
níveis: branca, vermelha, verde, azul e amarela. São co-
res vibrantes, que foram especialmente desenhadas para
chamar a atenção das pessoas que transitam em áreas
que precisam ser delimitadas.

Para empacotamentos, a Carborundum desenvolveu uma


fita adesiva que está sendo lançada nas versões transpa-
Foto: divulgação

rente e marrom. Indicadas para o fechamento de pacotes,


caixas, envelopes e embalagens em geral, as novas fitas
da Carborundum não descolam prematuramente.

12 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
CORTAG

empresas e produtos
APRESENTA CORTADORES MANUAIS
A Cortag apresenta no mercado os cortadores manuais para corte de pisos, revestimentos cerâmicos e porcela-
natos de até 15mm de espessura. O produto proporciona cortes em peças de até 1,50 metros, com precisão em
cortes retos e em ângulos. Além de prático e moderno, o cortador manual garante a durabilidade e resistência em
todos os componentes do equipamento. Entre as principais vantagens do produto estão: a rapidez, qualidade e se-
gurança, além de, não consumir energia elétrica, não produzir barulho e não necessitar de água.

Foto: div
ulgação

Dewalt
lança esmerilhadeira
sem fio da linha FlexVolt
A Dewalt lança mais um item da linha FlexVolt: a esmerilhadeira DCG414. O equipamento conta com 1.700W de
potência e pode ser manuseado sem fio, o que proporciona ao usuário mais segurança e produtividade no corte e no
desbaste de metais. O modelo executa 9.000 rotações por minuto e vem acompanhado de sete itens: um carregador,
duas baterias de 60V, duas guardas de proteção de 4-½” e 5”, empunhadura lateral, um disco abrasivo e manual.

Para garantir alta performance e entregar o melhor rendimento mesmo nos trabalhos mais exigentes, a Esmerilha-
deira DCG414 possui motor brushless (sem escova de carvão), que mantém velocidade constante e facilita os cor-
tes. Esse tipo de motor reduz a quantidade de manutenções e aumenta a durabilidade do produto. A segurança do
usuário é reforçada através de três componentes: o interruptor de dois passos, que previne arranques acidentais;
a embreagem eletrônica, que interrompe a ação do motor assim que se detecta travamento do disco ou sobrecarga
da ferramenta; e o freio elétrico, que para em menos de dois segundos após o desligamento da esmerilhadeira.

Foto: divulgação

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 13
empresas e produtos

FABRIBAM
DESTACA MODELO CLASS
A Fabribam destaca o modelo Class, da Linha Sublime Collec-
tion. Produzido em MDF com detalhes usinados em baixo rele-

Foto: divulgação
vo, pintura UV em cores sólidas foscas que proporcionam efei-
tos de acabamentos diferenciados e sofisticados. Além disso, o
produto possui amplo espaço interno com a opção de incluir o
módulo gaveteiro com pés e armário lateral, que o tornam ainda
mais robusto. Disponível nas medidas de 60cm e 80cm é uma
ótima escolha para quem busca espaço com bom gosto.

Fabrimar
amplia linha de
metais para banheiro
A Fabrimar, empresa do Grupo Tigre, lança duas linhas
completas de torneiras, misturadores, acabamentos e
duchas higiênicas para banheiros. A linha Ella tem como
ponto principal o design, que combina com todos os es-
tilos de banheiro. Já a linha Exacta se destaca pela prati-
cidade, sem abrir mão da beleza, característica dos me-
tais Fabrimar. “Design moderno, jato suave e qualida-
de são as principais características de ambas as linhas.
Elas possuem todos os atributos para serem campeãs de
Foto: divulgação

vendas”, aposta o diretor Comercial, Marketing e Desen-


volvimento de Produtos da Fabrimar, Roney Rotenberg.

Ella e Exacta possuem acabamentos de zamac e tubos


de aço inox 304 cromado, garantindo qualidade e dura-
bilidade. A torneira de lavatório traz uma nova tecnologia
de fabricação, que utiliza uma alma de plástico especial
de engenharia revestida por capa de zamac.

14 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
empresas e produtos
Franke
tem novo misturador
monocomando para cozinha
A marca suíça Franke lança no mercado brasileiro o misturador monocomando Pescara XL
premiado com o Reddot Design Award Winner na categoria melhor design.

Um dos diferenciais do modelo Pescara XL é a possibilidade de se trocar com apenas um cli-


que o tipo de jato de água que se quer usar na higienização, ou seja, o tipo arejador para la-
vagem da louça ou com mais pressão para lavar verduras, legumes e os cantos das panelas.
Outra novidade do modelo é o encaixe magnético permitindo a acomodação da bica na man-
gueira de forma prática e segura. A mangueira com acabamento metálico tem maior durabi-
lidade e giro de 360 graus, facilitando na limpeza das cubas e bancadas.
Foto: divulgação

O design do misturador monocomando Pescara XL, que lhe conferiu a premiação, possui dois
acabamentos: alto brilho e aço escovado. O novo modelo faz parte da linha de produtos gour-
met da Franke.

HUSQVARNA
DIFERENCIA NOVO PODADOR DE CERCA-VIVA
O Podador 122HD60 da Husqvarna chega para auxiliar nos cuidados com as cercas-vivas. Silencioso e fácil de usar, o modelo
possui motor de baixo ruído, design ergonômico e é ideal para a manutenção de cercas-vivas em condomínios, empresas e es-
paços públicos. Entre os diferenciais do equipamento, estão as exclusivas tecnologias LowVib®, com amortecedores antivibração
que evitam o desgaste dos braços e das mãos dos usuários, e Smart Start®, responsável por diminuir a resistência da corda em
40% e garantir um arranque mais rápido com o mínimo de esforço. Além disso, o novo podador conta com interruptor de parada,
que facilita o arranque e volta automaticamente para a posição “ligar”, e com alça traseira ajustável, para tornar mais eficiente o
corte nas laterais e no topo das cercas-vivas.

Foto: divulgação

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 15
Hydra Ledvance
empresas e produtos

une durabilidade amplia linha


e design em novas econômica de luminárias
linhas de torneiras de LED de embutir
Foto: divulgação

Foto: divulgação
A Hydra anuncia a chegada das torneiras Hydramax e Hydra-
plus ao mercado. As novas torneiras plásticas foram desenvolvi- A Ledvance amplia a linha de luminárias residenciais de
das especialmente para quem quer contar com um produto de LED de embutir com a Ledvance Insert. Os novos produ-
alta resistência sem abrir mão do design exclusivo. Com diver- tos são próprios para embutir no teto de quartos e salas e
sas opções de modelos para cada ambiente da casa, Hydramax oferecem até 40% mais economia que as luminárias tradi-
e Hydraplus contam com mecanismo cerâmico com ¼ de vol- cionais equipadas com lâmpadas fluorescentes compactas.
ta exclusivo. A alta durabilidade é uma das principais caracte-
rísticas das torneiras que resistem a até 200 mil acionamentos. As luminárias de LED Insert estão disponíveis agora em
quatro potências: 12W, 18W, 24W e 30W, com fluxos lu-
As novas linhas possuem opções de torneiras para banheiro, co- minosos de 950, 1.500, 2.200 e 2.650 lúmens, respec-
zinha, no modelo bancada e parede, uso geral e máquina de la- tivamente. Possuem design ainda mais compacto e, gra-
var. Estes produtos contam com a facilidade da bica móvel e o ças ao sistema plug and use, proporcionam instalação rá-
conforto de uma torneira que não goteja. Na linha Hydramax, ain- pida e prática. Possuem vida útil de 30 mil horas e até três
da há a opção de torneira com bica longa para uso geral. Dispo- anos de garantia. Além disso, os modelos são comercializa-
nível nas cores branco, cromado e preto, as torneiras Hydramax dos nas versões quadrada (22cm ou 40cm de comprimen-
e Hydraplus conferem personalidade única ao ambiente. Uma to) e redonda (17cm ou 30cm de diâmetro) e oferecem luz
camada de proteção UV garante que o produto não descasque, em três tonalidades: amarela (3.000K), branca (4.000K) e
mantendo o aspecto impecável mesmo com o passar dos anos. branca fria (6.500K).

Pincéis Atlas
conta com diversos novos produtos
Os lançamentos a Pincéis Atlas englobam a preparação de superfície com o espa-
çador para cerâmica de 1mm; novo sistema para nivelamento de piso com alicate;
cunha plástica e niveladores em seis tamanhos; desempenadeiras em PU com três
tamanhos e duas versões, lisa e estriada; rolo de textura rústica de 5cm; rolo anti
marcas poliéster 23cm; caçamba de 12 litros e lixa em rolo com seis grãos e 25m. Na Fot
o: d
linha de limpeza, a empresa destaca quatro modelos de lixeiras, rodo em EVA duplo, ivul
gaç
ão
mop e refil, balde de 9 litros com escorredor e cabo extensor de aço com 1,6m.

16 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
Isdralit

empresas e produtos
qualifica os pisos laminados Isdrafloor
A Isdralit destaca dos pisos laminados, Isdrafloor. O produto é fa-
bricado com chapas de HDP, que são formadas a partir das par-
tículas de pínus, eucalipto e resina prensadas em alta densidade.
O piso Isdrafloor oferece resistência e durabilidade, além de pos-
suir proteção antibacteriana (Bioclean). Outro diferencial é a pos-
sibilidade do produto ser instalado diretamente sobre outras su-
perfícies, como concreto, pisos vinílicos, cerâmicas e granitos.
Para isso, devem estar nivelados e sem problema de fixação.
Além disso, os pisos Isdrafloor são divididos nas linhas Home e
Select. A primeira é formada por oito padrões e são feitos espe-

Foto: divulgação
cialmente para os ambientes da casa. Já a segunda é compos-
ta por seis modelos de pisos, que são perfeitos para escritórios e
áreas que demandam maior fluxo de pessoas.

Irwin
APRESENTA disco abrasivo com borda em diamante
A Irwin apresenta a nova geração de discos abrasivos MetalMax,
ideais para trabalhos com os mais variados tipos de metais. Os
produtos são desenvolvidos com tecnologia exclusiva, que con-
centra uma alta quantidade de diamantes na banda de corte e,
assim, permite que um único disco realize mais de mil cortes em
determinadas aplicações. O disco pode ser utilizado em diversos
metais, como aço inoxidável, tubos estruturais, chapas metálicas,
sólidos, vergalhões, peças fundidas, placas de aço e metais não
ferrosos. Por ser diamantada, a banda de corte praticamente não
se desgasta e mantém o diâmetro original do disco, fato que dimi-
Foto: divulgação

nui a emissão de resíduos durante o uso. Além disso, a nova linha


é produzida em aço de alta resistência, material responsável por
reduzir o risco de quebra e garantir mais segurança ao usuário.

Perflex Metais
INVESTE EM duchas e chuveiros
A Perflex Metais possui uma linha completa de duchas e chuvei-
Foto: divulgação

ros resistente às intempéries. A coleção Big de chuveiros é ideal


para o uso em áreas externas como piscinas, decks, varandas
e jardins. O produto destaca-se pela resistência e seu tamanho
grande (30x30cm) permite que mais de uma pessoa se refresque.
Com dois modelos a Titânio e Quadra a coleção Big possui braço
reforçado com suporte de fixação apropriado para aguentar esfor-
ço mecânico, tanto o braço como o corpo do chuveiro tem alta re-
sistência à oxidação.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 17
empresas e produtos

Stam
destaca a linha Classic 4000
A Stam destaca a linha Classic 4.000, ideal para ambientes de tráfego in-
tenso. A fechadura foi projetada com matéria prima de alta qualidade, com-
posta por uma testa de 3mm de espessura, trinco em latão niquelado, lin-
gueta robusta e cilindro monobloco fabricado em latão maciço. Com uma
caixa blindada e broca de 55mm, o produto é garantia de alto desempenho Foto: divulg
ação
mesmo em regiões com constantes intempéries. Possuindo um design in-
teligente e grau de segurança elevado, a Classic 4.000 possui máximo de
performance.

Stanley
lança trenas com
design ergonômico
A Stanley apresenta ao mercado as novas versões de suas trenas de 3
Foto: divulgação

metros, 5 e 8 metros. Ideais para o dia a dia de diversos profissionais,


elas contam com caixa reforçada e novo design ergonômico, além
de serem esteticamente mais bonitas que os modelos anteriores. O
grande diferencial desta versão é o intuitivo freio manual, garantindo
mais agilidade na aferição das medidas, além do botão de bloqueio
extra grande, com bom mecanismo de deslizamento. A fita revestida
com polímero de longa duração, proporciona mais resistência. Todas
as ferramentas contam com presilha para cinto, o que facilita o trans-
porte e evita perdas.

Plasbil
desenvolve revestimento
vinílico decorado
A Plasbil apresenta o revestimento vinílico decorado, o Revid.
Desenvolvido a partir da combinação de termoplásticos e im-
pressão de alta definição, o revestimento vinílico decorado re-
produz a aparência de diversos materiais com a durabilidade do
vinil, representando a evolução dos revestimentos feitos com
policloreto de vinila.

A diversidade de estilos de vida, as alterações demográficas e


o uso mais consciente do ambiente exigem novas soluções em
revestimentos, visando isso, a Plasbil investiu no produto feito
no Brasil, com padrão de qualidade europeu, inspirado nos con-
ceitos contemporâneos da arquitetura.

18 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
empresas e produtos
Schneider Electric
passa a ter fábrica global de religadores automáticos
A Schneider Electric investe em sua subsidiária brasilei-
ra e designa a unidade de Curitiba, PR, como fornece-
dora global de seus religadores automáticos. Após seis
meses de ajustes estruturais, a planta viu sua capaci-
dade produtiva triplicar para atender aos mercados in-
terno e externo.

Os religadores automáticos são muito usados em redes


de distribuição elétrica aérea em grandes centros urba-
nos, com alta concentração de usuários, e tem a função
de reestabelecer mais rapidamente a energia, em caso
de queda na maior parte das vezes associada a tem-
pestades ou problemas técnicos. A tecnologia permite

Foto: divulgação
às concessionárias prestar um serviço de melhor quali-
dade à população (evitando longos períodos sem ener-
gia elétrica), além de otimizar seus próprios custos.

Starrett
apresenta medidor
a laser KLMS30
A Starrett apresenta o medidor a laser KLMS30.
O produto, diferente dos demais da categoria,
não faz apenas medição simples, possui medição
de área, volume e medição contínua. Possui duas
referências de medida (frente e base), com preci-
são de ±2mm. Pode ser configurado em metros,
polegadas e pés, além de ter proteção IP54 con-
Foto: divulgação

tra pó e poeira.

Ideal para o planejamento da obra, orçamentos


de pintura, revestimento e instalações em ge-
ral, é um produto compacto e de fácil manuseio.
Opera todas as suas funções em apenas dois
botões e também soma e subtrai das medidas.
O instrumento tem ainda as versões KLMX-50 e
KLMXP-100, que completam a linha.

Fo
to:
div
ulg

ão

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 19
empresas e produtos

Foto: divulgação
Foto: divulgação
Texius
evidência pressurizador Udinese
com Inversor de Frequência
tem linha de braços para
A Texius apresenta o novo pressurizador com inversor de fre-
quência TPI-TBHLI-TAN2-1,0CV. A empresa visa atender resi-
esquadrias de alumínio
dências de pequeno e médio porte, desenvolvendo um produto A Udinese Assa Abloy está ampliando o seu portfólio de pro-
de baixo custo com todas as vantagens que o inversor de fre- dutos com o lançamento dos braços deslizantes da linha
quência proporciona. O modelo garante o uso simultâneo de UDMAX para esquadrias de alumínio com carga de até 74Kg.
quatro chuveiros com vazão de 25 l/min (cada) e pressão cons- Dois novos modelos estão chegando ao mercado: o UDMAX CX
tante de 15 MCA. 15 e o UDMAX CX 17. Com estrutura em alumínio, os novos
braços UDMAX da Udinese têm seus perfis reforçados o que
Entre os benefícios de inversor de freqüência estão a economia deixa os produtos robustos e bem mais resistentes. Sua forma
de energia elétrica, pressão constante devido a possibilidade geométrica (comprimento mais longo do que a largura) é tam-
de regular a rotação do motor, partidas e paradas suaves, indi- bém uma facilitadora no momento da instalação e da regula-
cação da pressão e dos diferentes estados de funcionamento gem.Os braços UDMAX CX 15 e CX 17 têm freio com ajuste
no display e retomada automática em caso de parada por fun- e parada regulável. Estão disponíveis nos tamanhos 350, 600,
cionamento a seco. 950 e 1.200mm e nos acabamentos: branco, prata e preto.

Steck
lança linha de Contatores Challenger® SK1
A Steck apresenta a nova linha de contatores, a Challenger®
SK1. Em uma versão mais completa e moderna, o lançamen-
to traz um design diferenciado e ainda tem a opção de adqui-
rir um acessório extra, uma tampa transparente para prote-
ção contra poeira. Sua principal característica fica por conta
da melhor performance na categoria de utilização AC-1, AC-3
e AC-4.Os contatores Challenger® SK1 permitem um alto nú-
mero de manobras mecânicas e elétricas, garantindo uma du-
rabilidade ainda maior. Além disso, podem ser utilizados em
Foto: divulgação diversos segmentos, como indústria e construção civil.

20 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
empresas e produtos
Vedacit
indica novas opções de mantas asfálticas
Desenvolvida especialmente para impermeabilizar locais submersos com grande quantidade de
água, a manta asfáltica Vedamax Piscinas é indicada para construções de concreto e alvenaria ele-
vadas, mas também pode ser aplicada em caixas d’água, reservatórios, tanques e espelhos d’água.

Já o diferencial da Vedamax Jardim é o inibidor de raiz presente em sua formulação, para evitar que
as raízes das vegetações provoquem perfurações indesejadas. Assim, além dos quintais verdes e
das floreiras, os projetos mais elaborados com jardins de inverno, lajes de cobertura verde ou ajar-
dinadas podem ser feitos tranquilamente.
Foto: divulgação

As mantas Vedamax tem proteção máxima contra umidade, vazamentos e infiltração, além de evi-
tar mofo e bolor. A linha completa inclui alumínio, ardósia (disponível nas cores verde, cinza e ver-
melho), lajes baixa circulação, lajes médias circulação e lajes alta circulação.

Vonder
apresenta Inversor
Digital para Solda RIV 167
O Inversor Digital para Solda RIV 167 da Vonder é ideal para
serviços de solda em montagens e reparos de estruturas
metálicas em geral. Um equipamento leve, com menos de
quatro quilos, é portátil e com baixo consumo de energia,
além de oferecer melhor desempenho devido ao seu exce-
lente fator de trabalho: 160 A – 60% e 125 A – 100%. Pos-
sui sensor de sobreaquecimento, além do visor digital com
Foto: divulgação

indicador de corrente, que garante regulagens mais preci-


sas durante os processos de solda.

É indicado para soldagens com eletrodos rutílicos (AWS


E6013), básicos (AWS E7018), ferro fundido, aço inox, en-
tre outros de até 4mm. Possui ajuste de corrente de 20A
a 160A e está disponível na tensão 220V~. Acompanha o
produto: 1 conjunto de garra obra (cabo com conector rápi-
do de 9mm e garra obra) e 1 conjunto porta-eletrodo (cabo
com conector rápido de 9mm e porta-eletrodo).

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 21
OTIMISMO E EXPECTATIVAS DE
atualidades

RETOMADA SÃO AS MOTIVAÇÕES


DO VAREJO DE MATERIAIS
DE CONSTRUÇÃO PARA 2018
O ano de 2018 iniciou com otimismo para Os motivos apontados pelo presidente da dos e elaborar um plano estratégico que
o varejo de materiais de construção. Ape- Anamaco foram: redução da inflação, da atendesse não só às necessidades dos
sar das dificuldades nos últimos anos, taxa de juros, o aumento no índice de em- consumidores, como também, fortalecer
como a instabilidade econômica e políti- prego e a retomada do espírito de con- parcerias entre varejo e indústria”, sa-
ca, o mercado começa a demonstrar rea- fiança presente no consumidor brasileiro. lienta Conz.
ção. Segundo o presidente da Associação “Além disso, as lojas de material de cons-
Nacional dos Comerciantes de Material de trução começaram a realizar mais estu- De acordo com dados do Instituto Bra-
Construção (Anamaco), Claudio Conz, no fi- sileiro de Geografia e Estatística (IBGE),
nal de 2016 e durante o ano de 2017, hou- o Índice Nacional de Preços ao Consu-
ve um aumento consistente no volume de
“As lojas de material midor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação
vendas no setor, o que fechou o ano com de construção de 0,39% em janeiro e ficou acima da
um crescimento de 6% sobre 2016 e um começaram a taxa de 0,35% de dezembro em 0,04p.p.
faturamento de R$ 114,5 bilhões. (ponto percentual). Depois da variação de
realizar mais
estudos e

Foto: divulgação Grupo Elevato/Sérgio Ordobrás


elaborar um plano
estratégico que
atendesse não só às
necessidades dos
consumidores, como
também, fortalecer
parcerias entre
varejo e indústria.”
Claudio Conz
Presidente da Associação Nacional
dos Comerciantes de Material de
Construção (Anamaco)

22 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
0,31% de janeiro de 2017, esta é a menor “Com a recuperação

Foto: divulgação Redemac

atualidades
taxa para um mês de janeiro desde 1994,
no nível de emprego
quando foi criado o Plano Real. No acumu-
lado dos últimos doze meses, o índice re- há uma expectativa
gistrou 3,02%, ficando acima dos 2,94% que 2018 seja um
registrados nos 12 meses imediatamente ano de retomada, em
anteriores.
que consumidor e
Segundo informações do site Agência Bra- lojista invistam com
sil, o mercado financeiro manteve a proje- maior confiança.”
ção para o Índice Nacional de Preços ao
Eduardo Quissini
Consumidor Amplo (IPCA) em 3,95% para Ex-presidente da Associação
dos Comerciantes de Materiais
este ano. A projeção consta do boletim Fo- de Construção de Caxias do Sul
cus, publicação divulgada no final de janei- (Acomac Caxias do Sul)
ro no site do Banco Central (BC) com pro-
jeções para os principais indicadores eco-
nômicos.

A estimativa para o crescimento do Produ-


to Interno Bruto (PIB), a soma de todos os
bens e serviços produzidos no país, tam-
bém foi mantida para 2018 em 2,7%. No
final de dezembro, o índice era inferior,
2,68%. Para 2019, no entanto, houve um
aumento na projeção do PIB, que passou
Redemac pretende seguir projeto de expansão em todo Rio Grande do Sul
de 2,8%, para 2,99%. A estimativa para a
inflação foi mantida em 4,25%. Segundo Conz, o novo modelo deve dar âni- FORTALECIMENTO DE
mo e competitividade às empresas, o que LAÇOS COM A INDÚSTRIA
A perspectiva para 2018 apontada pelo provavelmente, reduzirá a renúncia fiscal
presidente da Anamaco com base nos re- e diminuirá os contenciosos administrati- O ano de 2017 foi para muitos lojistas um
sultados dos últimos 12 meses é que o ano vos e acabará com a guerra fiscal entre os período de perseverança e busca por es-
seja de retomada. Estados que possuem alíquotas diferencia- tabilidade. De acordo com o ex-presiden-
das de Imposto sobre circulação de mer- te da Associação dos Comerciantes de
“Estamos prevendo um crescimento de cadorias e serviços (ICMS). “Além disso, o Materiais de Construção de Caxias do Sul
8,5% sobre 2017, superando o ano ante- Cartão Reforma, programa que tem como (Acomac Caxias do Sul), Eduardo Quissini,
rior com uma folga de 1,5%, influenciados objetivo reduzir o déficit habitacional qua- os números do termômetro de vendas da
pela redução das taxas de juros, da infla- litativo com a liberação de recursos para CDL Caxias do Sul para o setor de mate-
ção e pelo aumento do emprego (até no- compra de material de construção deve in- riais de construção se mantiveram negati-
vembro 300 mil novos postos de trabalho jetar R$ 1 bilhão no varejo, atingindo 94 vos, porém para a maioria dos comercian-
já haviam sido abertos)”, afirma Conz. municípios em 12 Estados”, declara Conz. tes foi um ano em que as quedas nas ven-
das se estancaram, apesar de não haver
A principal pauta para Anamaco em 2018 Outro recurso que promete movimentar a crescimento. “Com a recuperação no nível
é a aprovação da reforma tributária. “Nós economia do varejo de materiais de cons- de emprego há uma expectativa que 2018
acreditamos que a medida beneficiará e trução é o Construcard, linha de crédito para seja um ano de retomada, em que consu-
muito o nosso setor, que depende de as- compra de material de construção em lojas midor e lojista invistam com maior confian-
sessoria contábil, jurídica e fiscal de inú- credenciadas pela Caixa Econômica Federal. ça”, salienta Quissini.
meros especialistas para conseguir man- “O Construcard deve dar novo fôlego ao se-
ter-se atualizado em relação às suas obri- tor, possibilitando que o consumidor volte a Ações como visitas a feiras e treinamentos
gações tributárias”, ressalta o presidente procurar as lojas de material de construção técnicos foram estratégias encontradas pela
da Anamaco. para obras de longo prazo”, pondera Conz. Acomac Caxias do Sul de aprimoramento

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 23
dos lojistas e qualificações de equipes. monstração de que um aumento na mo-
atualidades

“Em 2017, a Acomac seguiu agindo com vimentação das vendas”, ressalta.
o intuito de fortalecer os laços das indús-
trias com os comerciantes. Proporciona- Segundo ele, existe também uma inten-
mos a ida dos associados à Construsul e ção do lojista de investir no seu negó-
promovemos em nossa Sede Social trei- cio, seja através do aumento do quadro
namentos técnicos que aprimoram o dia de funcionários ou melhoria na infraes-
a dia da loja e possibilitam que as equi- trutura de sua loja. “Nossa visão para
pes sejam qualificadas e aumentem as 2018 é otimista, o ano será melhor, de
possibilidades de fechamento de venda’, crescimento e desenvolvimento para
ressalta Quissini. toda a nossa cadeia produtiva”, finaliza.

O atual presidente da Acomac Caxias CONFIANÇA E REAÇÃO


do Sul, Itamar Maino, afirma que neste CAÇULA
ano, a Acomac pretende continuar com Para o diretor administrativo financeiro O ano de 2017 foi razoável.
a mesma visão, voltada para melhoria e sócio do Grupo Elevato, Arcione Piva, A perspectiva para 2018 é
e qualificação em beneficio aos asso- o ano de 2017 foi bastante desafiador. aumentar o faturamento
ciados e colaboradores através de co- “Os percalços da economia e da políti-
em cerca de 5%.
nhecimento em novos produtos e técni- ca como os parcelamentos dos salários
cas de venda. “Para tanto, pretendemos no Estado e na prefeitura de Porto Ale-
seguir proporcionando cursos e pales- gre dificultaram ainda mais o ano. Mas
tras, incentivando a participação e visi- a Elevato não ficou parada, continuamos
ta às feiras que englobam o segmento”, a realizar reformas nas lojas como a da
declara Maino. nossa sede”, ressalta Piva.

Para o presidente da Associação dos O Grupo Elevato é especialista em aca-


Comerciantes de Materiais de Cons- bamentos, a sua marca premium é a
trução da Região Sul de Santa Catarina Stilo Elevato. Além disso, há uma va-
(Acomac Sul), Rudi Soares, o ano come- riedade de mais de 150 marcas, cer-
çou com perspectivas positivas para o ca de 2.000 modelos de porcelana-
setor, devido ao movimento mais acen- tos e revestimentos. Atualmente conta
tuado nas lojas em relação ao mês de com nove lojas no Rio Grande do Sul,
novembro. “Neste mês de janeiro deve- sendo quatro delas em Porto Alegre e ELEVATO
mos ter vendas bem mais altas em com- as demais em Camaquã, São Louren- Intenção é realizar ações
parativo com o mesmo mês do ano pas- ço do Sul, Cachoeira do Sul e Pelotas. que aproximem as unidades
sado. As estimativas de crescimento de Uma das novidades é a abertura de da comunidade, além de
vendas estão entre 4 a 5% para janeiro uma nova filial em Xangri-lá. “Estamos
inaugurar nova filial.
e sem dúvida que melhorarão ao longo com pensamento positivo para este ano
de todo o ano de 2018”, afirma Soares. e esperamos um resultado melhor que
2017”, afirma otimista Piva.
Na visão do presidente, os consumi-
dores estão comprando mais para fa- Conforme o dirigente, o objetivo da Ele-
zer reformas e construtoras contratando vato para este ano é atingir um cres-
profissionais. “Já se percebe a escassez cimento efetivo de 15% no faturamen-
de mão de obra para o setor, pois a uma to. “Percebemos um cenário positivo
movimentação mais acentuada na pro- em conversar com outros lojistas e en-
cura de profissionais para a construção tidades”, salienta. O Grupo visa realizar
ou reforma. Também constatamos que ações que aproximem as unidades da
novos loteamentos e construções nos comunidade local em 2018, além de di-
bairros estão em crescimento, clara de- vulgação da marca e abertura de uma

24 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
ENOMAK nova filial na Grande Porto Alegre, ain- sobre 2016. “Os segmentos mais ven-

atualidades
da este ano. didos foram os de acabamentos cerâ-
Expectativa de melhores
micos e porcelanatos, tintas, cimento e
vendas durante este ano, Para o representante da Caçula Center- argamassas, além de material hidráuli-
além de investimentos em mat, Porto Alegre, RS, Erminio Vivian, o co”, afirma o presidente da Redemac,
novas ações e marketing ano de 2017 foi razoável. “Houve cres- Edson Berbigier.
e divulgação da empresa. cimento de apenas 2% nas vendas”,
afirma. A perspectiva para este ano é Nesse ano, a Rede pretende seguir com
um aumento de 5% no faturamento. o projeto de expansão buscando a pre-
sença em todo o Estado do Rio Grande
Já o sócio-administrador da Nardell Ma- do Sul com uma meta mínima de 80 lo-
teriais de Construção, Joinville, SC, Ivonei jas associadas até o final de 2018. “Para
Arnaut, avalia o ano de 2017, como pro- isso, a Redemac pretende levar condi-
missor. “As vendas alavancaram e come- ções comerciais muito mais competiti-
çamos a perceber uma melhora grada- vas para seus associados”, ressalta Ber-
tiva”, ressalta. Segundo Arnaut, um dos bigier. A associação possui, atualmente,
produtos mais vendidos pela empresa, duas formas de parceira. O associado li-
no ano passado, foram os materiais bru- cenciado, ou seja, pleno e com a mar-
tos, com cerca de 50% do faturamento, ca Redemac que recebe todas as faci-
mas um crescimento gradativo em pro- lidades disponibilizadas, além da con-
dutos internos da loja, seja em acaba- dição comercial e negociação por com-
NARDELL mentos, tintas, mas em variedades que é pras conjuntas, participação de ações de
Vendas alavancaram e um ponto forte da loja. “A economia co- marketing e capacitação. Já o associado
meça a apresentar uma reação. Muitas Comprador, não ostenta a marca Rede-
há percepção de melhora
pessoas estão voltando a comprar, de- mac, mas recebe todas as condições co-
gradativa. No ano pois de terem sanado as divididas no pe- merciais e as linhas de crédito, estabe-
passado, o maior volume ríodo de crise”, afirma Arnaut. lecendo o relacionamento com a Rede e
de vendas se concentrou evoluindo para ser um associado com a
em materiais brutos. A gerente administrativa da Enomak Ma- bandeira. “Este modelo vem mostrando
teriais de Construção, localizada na cida- sua eficiência, aproximando vários lojis-
de de Caxias do Sul, RS, Greice Onzi, sa- tas para experimentar a força da união
lienta que 2017 foi um ano de teste para da marca Redemac”, esclarece Berbigier.
os lojistas. Apesar da empresa conseguir
uma estabilidade nas vendas, não houve A empresa planeja adotar algumas
um aumento no faturamento em relação ações para contribuir com o crescimen-
a 2016. Entretanto, a expectativa é que to da rede, como a ampliação do Centro
2018 seja um ano promissor e de cresci- de Distribuição em Alvorada, RS, uma
mento econômico motivando o segmen- melhora significativa no mix de produ-
to do varejo. “Esperamos que as ven- tos e nas importações. “A meta é se-
das melhorem este ano, contudo janeiro guir com presença forte nas mídias,
manteve-se igual ao ano passado. Con- com ênfase nas redes sociais e campa-
tratamos uma consultoria para nos auxi- nhas institucionais, aumentando mais
liar na vendas, além de iniciarmos novas a lembrança de marca na cabeça dos
REDEMAC ações de marketing e de divulgação da gaúchos”, ressalta. Segundo Berbigier,
empresa”, conclui Greice. a Redemac também está investindo em
A entrada de 15 novos
ciclos de capacitação via EAD, com a
associados contribuiu para que Para a Redemac, o projeto de expan- plataforma própria, desenvolvida para
2017 fechasse com crescimento são e a entrada de 15 novos associa- levar o conhecimento e treinamentos,
de 16,34% no faturamento, dos ajudaram a fechar 2017 com cres- tanto pelo computador, como mobile a
comparado a 2016. cimento no faturamento de 16,34% todos seus parceiros.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 25
especial

indústria DE
TINTAS E VERNIZES
PRONTA PARA IMPULSIONAR
O CRESCIMENTO DO SETOR

26 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
ESPECIAL
Foto: divulgação Tintas Sherwin-Williams

Com foco no bem-estar do consumidor, a indústria


de tintas imobiliárias avança em sustentabilidade,
multifuncionalidade, alta performance e relação
custo/benefício, confiante na movimentação do
mercado e melhora gradativa durante o ano.
REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 27
No início de 2018, a indústria de tintas
ESPECIAL

imobiliárias e vernizes demonstra-se con-


fiante para uma melhora gradativa durante
o ano. Segundo dados da Associação Bra-
sileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati),
no ano de 2016, o setor obteve um fatura-
mento de R$ 11,8 bilhões sendo 69% re-
ferente às tintas imobiliárias, já o volume
de produção de 1,5 bilhão de litros repre-
sentou 84,7% do total.

De acordo com o presidente da Abrafati, An-


tonio Carlos de Oliveira, mesmo com as ex-
pectativas favoráveis para este ano, é difícil
prever um percentual de crescimento em
função do cenário ainda instável no país.

“A Abrafati acredita que a situação atual de


incertezas é transitória e que as perspecti-
vas para o médio e longo prazo são favorá-
veis, pois o mercado é amplo e apresenta
inúmeras oportunidades”, salienta.

Entre 2014 e 2016, o segmento apresen-


tou uma demanda reprimida tendo uma
pequena recuperação este ano. “As ven-
das do primeiro semestre de 2017 se
mantiveram estáveis em relação ao mes-
mo período do ano passado. No segundo
semestre, como é tradicional no setor, os Conforme o presidente da Tintas Sherwin- ções de vida. “Esses projetos exigem a uti-
negócios foram mais fortes, o que fez com Williams, Freddy Carrillo, o Brasil é um dos lização de tintas, o que estimulará o nos-
que o resultado do ano fosse pouco me- seis maiores mercados mundiais para tin- so setor”. Oliveira lembra que pelo menos
lhor que o de 2016”, explica Oliveira. Se- tas, e, embora os últimos resultados do se- mais de 60 milhões de domicílios existen-
gundo informações da Abrafati, o percen- tor, de forma ampla, tenham sido negativos, tes no Brasil precisam ser repintados pe-
tual de crescimento no segmento de tintas acredita no período de recuperação. “Há 25 riodicamente. “Em muitos casos, receber
imobiliárias em 2017 foi de 0,2%, apesar anos não tínhamos um resultado tão ruim, sua primeira pintura, pois ainda têm blo-
de ainda ser um número pouco relevan- registrando uma queda de 5,4%. Mas ago- cos e reboco aparentes”, reforça.
te demonstra uma mudança de ritmo nas ra, com certeza, estamos retomando com
vendas, devido ao período de três anos os programas governamentais como: Mi- O diretor-presidente da Anjo Tintas, Filipe
consecutivos de queda. nha Casa, Minha Vida, Cheque-reforma e Colombo percebe uma melhora no humor
um grande investimento da indústria para do mercado. “Está cada vez mais claro que
A Associação Nacional dos Comercian- a valorização das linhas color, bem como bancos de investimentos e fundos vêem
tes de Material de Construção (Anamaco) a retomada de lançamentos com foco um cenário positivo mesmo com as elei-
prevê crescimento no varejo de 8,5% em em inovação de produto”, afirma Carrillo. ções de 2018 se aproximando, pois está
2018 sobre ano passado, o que pode ala- muito forte a oferta de crédito neste mo-
vancar as vendas do segmento. Confor- Para o presidente da Abrafati, Carlos de mento”, afirma Colombo.
me dados da Pesquisa Tracking mensal Oliveira, o país precisa investir pesado em
da Anamaco em dezembro, a categoria de infraestrutura e em habitação nos próxi- O diretor comercial da New Tintas, Fa-
tintas apontou um crescimento de 8% em mos anos, para atender às necessidades bian Knop, também aposta no ano eleito-
relação a novembro de 2017. de crescimento e de melhoria das condi- ral. “Estamos planejando um ano de cres-

28 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
ca, Rafael Ferreira, acredita que na primeira

ESPECIAL
metade de 2018 haja uma retomada ainda
lenta do crescimento, mas pode-se prever
um fechamento positivo ao final do ano.
Já para a supervisora de marketing da Tin-
tas Killing, Roberta Diehl, o período mos-
tra-se promissor. “Estamos bastante ani-
mados para o próximo semestre. O merca-
do já vem mostrando sinais de mudança e
acreditamos que teremos um primeiro se-
mestre de boas vendas”, afirma Roberta.

A TECNOLOGIA DA COR

O segmento de tintas evolui a cada ano e


surgem novos produtos com característi-
cas diferenciadas. A indústria do segmen-
to visa o bem-estar de quem frequentará
o ambiente durante o processo de pintura
e logo após, além da durabilidade estendi-
da. “Pode-se dizer que a evolução das tin-
tas está concentrada em quatro grandes
aspectos: sustentabilidade, multifunciona-
lidade, alta performance e ótima relação
custo/benefício”, completa o presidente
da Abrafati, Antonio Carlos de Oliveira.

Foto: divulgação Tintas Suvinil A busca de soluções mais sustentáveis é


um dos direcionadores de pesquisas tec-
cimento, pois temos ano de eleições e isto As perspectivas também são positivas nológicas da indústria de tintas. “Como
serve como esperança de aquecimento da para o gerente de produto da Tintas Euca- resultado, as propriedades das tintas, de
economia”, declara. tex, Gregório Bastos Alencar, que atribui à maneira geral, são cada vez mais am-
melhoria da renda, diminuição do desem- bientalmente amigáveis”, afirma Oliveira.
Para a coordenadora de Produtos da Tin- prego, redução da taxa de juros e inflação Segundo ele, hoje quase 90% das tintas
tas Renner, Michele Schaeffer, a defini- controlada o favorecimento econômico dos imobiliárias são à base de água. Além de
ção de candidatos à presidência da repú- próximos meses. Segundo ele, a Abrafati muitas delas possuírem secagem rápida e
blica pode mudar completamente o cená- prevê um crescimento do mercado de tin- apresentarem baixo odor.
rio econômico, tanto positivamente quan- tas imobiliárias entre 2% a 3% em 2018.
to negativamente. “Mesmo num cenário Para Oliveira, outra tendência crescen-
mais negativo, não vemos um cenário pior A melhora nos números do setor estimula te é a multifuncionalidade nas tintas, isto
que 2016/2017”, expõe Michele. as empresas a vislumbrar um potencial de é, tintas que incorporam novos recursos e
mercado. “Acreditamos que alguns indica- desempenhem funções adicionais às de
Já o diretor de marketing e vendas da Iqui- dores macro econômicos começam a dar proteção das superfícies e de decoração.
ne, Alan Souza, acredita que as incertezas sinais positivos e isto nos leva a acreditar “É o caso, por exemplo, das tintas anti-
do ano de 2017 causaram ajustes internos que haverá uma melhoria moderada nes- bactérias, tintas com fragrância, tintas que
e externos na empresa, mas há uma per- te primeiro semestre de 2018”, ressalta a conferem o ‘efeito lousa’ as paredes e di-
cepção dos sinais de recuperação da eco- gerente de marketing da Sayerlack, Sibé- versas outras”, ressalta. Da mesma forma,
nomia. “Estamos otimistas, acreditamos lia Vito Moreno. ao longo dos últimos anos foram desen-
que para 2018 voltaremos a ter uma eco- volvidos produtos para ambientes e utiliza-
nomia em crescimento”, salienta Souza. O gerente de comercial da Montana Quími- ções específicas, como as tintas para te-

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 29
lhas, azulejos, pisos, gesso, tetos, decks como melhorias em processos, a sistema- tes e laboratórios modernos para realizar
ESPECIAL

de piscinas e hospitais. tização de técnicas e avanços que facili- pesquisa, desenvolvimento e inovação em
tam a obediência às exigências da legisla- tintas e resinas, mantendo parceria com
Segundo o presidente da Abrafati, a tec- ção e de normas ambientais, além da re- fornecedores globais de matérias-primas
nologia está cada vez mais avançada na dução de custos (especialmente de ener- de qualidade”, ressalta o gerente comer-
indústria de tintas, o que inclui também gia e na menor geração de resíduos) e de cial da Montana Química, Rafael Ferrei-
o uso da nanotecnologia. Essa tecnologia riscos”, salienta o presidente da Abrafati, ra. A empresa também participa de asso-
permite conferir propriedades adicionais Antonio Carlos de Oliveira. ciações de classe e sindicatos setoriais e
às tintas ou incrementar os seus atribu- contribui regularmente em processos de
tos. “Um dos destaques são as chamadas O programa é composto por quatro códi- elaborações normativas e adequação dos
tintas inteligentes (smart coatings), que gos: Gestão de Produto; Gestão da Pro- produtos às normas vigentes no país.
reagem a diferentes situações e estímu- dução; Transporte e Distribuição e Res-
los, contribuindo, por exemplo, para a ade- ponsabilidade Comunitária. Cada um de- A New Tintas elabora os produtos de acor-
quação da luminosidade ou da temperatu- les com várias práticas gerenciais (que do com as normas vigentes da ABNT e de-
ra do ambiente”, completa Oliveira. Outro são os procedimentos e soluções integra- mais normas do setor tintas. “Para isto,
destaque são os investimentos no desem- das mencionados acima). “A realização possuímos dois laboratórios internos e
penho das tintas, durabilidade e facilidade de avaliações constantes permite moni- analisamos diariamente todos os lotes
de aplicação. torar e comparar a situação da empresa produzidos, portanto temos rastreabilida-
em relação a indicadores como consumo de dos nossos lotes, e, em parcerias com
Para chegar a tais resultados, são realiza- de água e de energia, disposição de resí- vários fornecedores, fizemos testes em la-
dos estudos em laboratório de pesquisa e duos e ocorrência de acidentes do traba- boratórios terceirizados certificando assim
programas de controle, como o Programa lho”, completa Oliveira. nosso sistema de qualidade”, afirma o di-
Setorial de Qualidade – Tintas Imobiliárias retor comercial da empresa, Fabian Knop.
e o Programa Coatings Care de atuação O diretor-presidente da Anjo Tintas, Filipe
responsável em tintas, os dois coordena- Colombo ressalta a constante avaliação A Tintas Sherwin-Williams também faz in-
dos pela Abrafati. dos produtos para que sejam atuais e mo- vestimentos seguindo as normativas vigen-
dernos proporcionando durabilidade e ve- tes no Brasil. “Tudo o que fazemos e in-
O programa Setorial da Qualidade – Tintas locidade de desempenho para os consu- vestimos está de acordo com as neces-
Imobiliárias, implementado em 2002, inte- midores. “Além dos nossos quatro labora- sidades, normatizações e regulamenta-
gra o Programa Brasileiro da Qualidade e tórios de Pesquisa e Inovação, temos uma ções exigidas pelo mercado de tintas”, res-
Produtividade do Habitat (PBQP-H), do Mi- parceria com a Universidade Federal de salta o presidente da Tintas Sherwin-Wil-
nistério das Cidades. Ao longo dos últimos Santa Catarina (UFSC), na qual doutores liams, Freddy Carrillo, que é também presi-
anos, foram criadas normas técnicas que trabalham em tempo integral para a Anjo dente do conselho diretivo da Abrafati. “Mi-
funcionam como parâmetros claros e con- em busca de inovações”, afirma Colombo. nha função é justamente apresentar solu-
cretos de avaliação das tintas. Devido ao ções que possam impulsionar ainda mais
projeto, hoje, cerca de 90% do volume de Processos de gestão de qualidade rigoro- o crescimento do setor e estimular a evo-
tintas imobiliárias vendidas hoje no Brasil sos e adequação às normas também são lução natural de toda a cadeia”, declara.
atende aos requisitos mínimos de qualida- prioridades nas empresas. “Há um labo-
de, de acordo com dados da Abrafati. ratório climatizado dedicado às análises Já a Tintas Renner, marca licenciada para
que atendam os padrões ABNT e interna- a PPG Industrial, tem como prática de ro-
O Programa Coatings Care, realizado em cionais, além de participação do Programa tina a sinergia entre os diversos Centros
países das Américas, Europa, Ásia e Ocea- Setorial de Qualidade que visa melhorar a de Pesquisa e Desenvolvimento espalha-
nia, oferece aos fabricantes de tintas um qualidade e modernizar os produtos”, des- dos pelo mundo. “Discutimos novas ideias
conjunto de procedimentos e soluções in- taca o gerente de produto das Tintas Eu- e projetos em longo prazo, respeitamos as
tegradas para administrar os aspectos de catex, Gregorio Bastos Alencar. normativas da Abrafati, além de buscar-
suas atividades relacionadas com o meio mos atender às necessidades dos consu-
ambiente, a segurança e a saúde ocupa- Estudos e profissionais capacitados auxi- midores brasileiros com as características
cional. “Todos os fabricantes de tintas as- liam a Montana Química em novas apli- da nossa região”, aponta a coordenado-
sociados à Abrafati devem aderir a esse cações e melhorias constantes nos produ- ra de Produtos da Tintas Renner, Miche-
programa, que traz significativos ganhos, tos. “Contamos com técnicos competen- le Schaeffer.

30 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
ESPECIAL
Foto: divulgação Tintas Suvinil

A Sayerlack conta com laboratórios e fá- cultivar relacionamentos e parcerias, além reira, a empresa mantém uma estratégia
bricas no Brasil, Itália, Estados Unidos e de saírem da tendência de comoditização dinâmica de cooperação com os lojistas.
Chile. A empresa busca estar em cons- dos produtos. “Só em 2017, treinamos aproximadamen-
tante intercâmbio de tecnologia no que há te 25 mil profissionais nos pontos de ven-
de avançado na produção e no desenvol- A Eucatex adota a estratégia coordena- das, entre balconistas e pintores. Fizemos
vimento de tintas e vernizes para madei- da de pulverização e concentração dos in- diversas ações para ajudar o consumidor
ra. “Todas as plantas seguem as normas vestimentos na positivação dos pontos de na racionalização da sua decisão de com-
referentes ao país sendo que a nossa, no vendas através de trade marketing, mer- pra”, afirma Ferreira.
Brasil é certificada ISO 9001 desde 1995 chandising e campanhas de incentivos,
e participa do Programa Coatings Care”, além de aproximação com os grupos de O investimento em pessoas, melhoria na
afirma a gerente de marketing da Sayer- interesses da empresa, balconistas, pinto- qualidade de vida dos colaboradores e dos
lack, Sibélia Vito Moreno. res, arquitetos e especificadores em geral públicos-alvos são adotados pela Iquine.
e reforço da marca nas mídias sociais fo- “Estudo do comportamento do consumi-
REVENDAS SÃO cadas no consumidor final. “É um trabalho dor, visão de fora (mercado) para dentro
FUNDAMENTAIS NAS complexo das áreas de marketing e de- (empresa) são pilares da Iquine”, salienta
ESTRATÉGIAS DE VENDA senvolvimento, transformando as caracte- o diretor de marketing e vendas, Alan Sou-
rísticas dos produtos, em benefícios cla- za. Já a Sayerlack foca sua atuação na es-
O segmento procura inovar e investir cada ros, que atendam às necessidades dos pecialização, através de pesquisas e, as-
vez mais em estratégias para os pontos de consumidores”, completa o gerente de sim, desenvolver produtos que atendam e
venda. “Acreditamos que nosso relaciona- produto da Tintas Eucatex, Gregório Bas- solucionem as necessidades dos consu-
mento com nossos clientes são o princi- tos Alencar. midores. “No nosso segmento de tintas e
pal diferencial. Nossos produtos são ino- vernizes para madeira, a inovação está no
vadores e temos um bom serviço”, salien- Para a Montana Química, a preocupação desenvolvimento de produtos com maior
ta o diretor-presidente da Anjo Tintas, Fili- constante é o giro dos produtos nas reven- durabilidade e performance sobre esta su-
pe Colombo. Segundo ele, o que diferen- das do país. De acordo com o gerente co- perfície”, explica a gerente de marketing
cia a Anjo Tintas é o gostar de pessoas e mercial da Montana Química, Rafael Fer- da Sayerlack, Sibélia Vito Moreno.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 31
ESPECIAL

O estratagema da Suvinil é estar atenta às deman-


das e necessidades de seus consumidores e dar
uma resposta rápida a elas. “Para a pré-pintura e
inspiração do consumidor, a marca oferece aplica-
tivos para que ele possa analisar as cores, simular
as diferentes opções na superfície que será trans-
formada e escolher o produto para sua necessida-
de: Cores Suvinil, Simulador Suvinil e Guia Suvi-
nil, respectivamente”, destaca o vice-presidente de
Tintas Imobiliárias da BASF para a América do Sul,
Marcos Allemann. Além disso, a Suvinil oferece o
Kit Teste Sua Cor para todo o Brasil, no qual o con-
sumidor pode entre o kit com duas ou quatro cores
entre as opções da marca e checar como ficará a
tonalidade na superfície que será pintada, de acor-
do com a luminosidade do local.

A New Tintas iniciou 2018 com projeto de lançar


aproximadamente 15 novos produtos e ao mesmo
tempo modificar sua área comercial. “A entrada de
novos representantes e uma nova coordenação co-
mercial 100% voltada para cliente e nossa equipe de
vendas”, descreve o diretor comercial, Fabian Knop.

A Tintas Killing vive um momento de expansão,


tanto em novos mercados como na ampliação do
portfólio. “Em 2017, lançamos cinco produtos, que
trouxeram ao mercado tecnologias inovadoras. Isso
vem contribuindo para nosso crescimento e expan-
são em mercados importantes”, ressalta a supervi-
sora de marketing da Tintas Killing, Roberta Diehl.

Já a estratégia da Tintas Renner está pautada no


fortalecimento de parcerias de negócios que fo-
ram construídas em tempos de crise. Para a coor-
denadora de Produtos da Tintas Renner, Michele
Schaeffer, os fabricantes tem um papel fundamen-
tal na parceria com os lojistas e construtoras, que
também tiveram suas dificuldades em 2017. “Com
uma política de ganha-ganha, juntos somos mais
fortes e estaremos prontos para atender toda esta
demanda represada quando a economia se forta-
lecer. Além disso, aproveitamos para fazer investi-
mentos no processo produtivo, tornando o nosso
processo mais econômico e com menor tempo de
entrega em atendimento”, conclui Michele. Foto: Kaprik, Shutterstock

32 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
Confira as novidades do segmento:

ESPECIAL
ANJO TINTAS
REDUÇÃO TÉRMICA E ACÚSTICA
PARA O AMBIENTE
Um dos destaques da Anjo Tintas é a Tinta Emborracha. Indicada
para pintura de paredes externas e internas e telhados com ade-

Foto: divulgação
rência direta em fibrocimento, barro, concreto, zinco, alumínio,
galvanizado. O produto é um revestimento elástico, com proprie-
dades de redução térmica e acústica do ambiente que está sob
sua cobertura.Características como aderência, resistência à alca-
linidade, à ação da maresia, às intempéries e sua composição an-

Fotos: divulgação
timofo lhe confere superior durabilidade. A película elástica per-
mite acompanhar a dilatação e retração conforme a variação da
temperatura. Além de ser uma tinta isolante térmica e acústica,
a Tinta Emborrachada Anjo também pode evitar pequenas fissu-
ras nas paredes por ser uma tinta elástica impermeável. Se apli- o maior rendimento para a obra. Tem peso menor e capacida-
cada no telhado, a Tinta Emborrachada Anjo reduz a temperatura de maior de volume, vantagem que facilita o trabalho do aplica-
em até 3°C, mantendo o ambiente agradável e servindo como tin- dor, evitando desgaste em lidar com uma massa muito pesada na
ta isolante térmica para telhados. Também em telhados a pintu- hora de aplicar ou lixar.
ra com a tinta emborrachada garante a redução de ruídos em até
cinco decibéis, útil como isolante acústico para tornar ambientes A Anjo também trouxe para o mercado a Anjo UP Tinta Acrílica
mais agradáveis e silenciosos. Standard. Uma lata deste produto rende até 500m²/demão e sua
diluição é de 80%. Entre seus atributos estão a boa cobertura
Já a Massa Corrida Super Leve é indicada para uso interno, de úmida e seca, baixo respingo, ótima transferência, boa secagem,
grande poder de enchimento, para nivelar e corrigir imperfeições boa resistência a lavabilidade, ecoeeficiente, baixo odor e boa co-
rasas de superfícies e internas de reboco, concreto aparente, ges- bertura. Indicada para proteção e decoração de superfícies exter-
so, fibrocimento, e paredes pintadas com látex, proporcionando nas e internas de reboco, concreto, gesso, massa acrílica, massa
um acabamento liso. É um produto com a menor densidade e corrida, texturas e fibrocimento.

IQUINE
ÚNICA DEMÃO SEM
PRECISAR DE DILUIÇÃO
A Iquine destaca seus produtos desenvolvidos com características diferencia-
das como antibactéria, alto rendimento e antimofo. O lançamento da empre-
sa é a tinta “Uma demão”. O produto foi criado após pesquisa junto ao público
-alvo da Iquine, como pintores, consumidores, vendedores e arquitetos. A tinta
acrílica de uso interior e exterior possui fórmula desenvolvida para alcançar o
Foto: divulgação

desempenho final com uma única demão sem precisar de diluição. Proporcio-
na boa resistência, rendimento, ótimo alastramento e cobertura.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 33
MONTANA QUÍMICA
ESPECIAL

PROTEÇÃO CONTRA RAIOS ULTRAVIOLETA


A Montana Química destaca a Osmotol Deck e Osmotol Plus, produtos lança-
dos na 20ª Feira Construsul, realizada em agosto de 2017. Ambos introduzem
um novo conceito em proteção e acabamento de superfície. Com proprieda-
des e desempenho avançados, proporcionam um revestimento transparente,
que permite enxergar com excelente definição os veios naturais da madeira.

Com alta durabilidade, os produtos de “alta performance” requerem manu-


tenção a cada seis anos. Formam um filme ultraflexível, que acompanha os
movimentos naturais da madeira. Também têm resina hidrorrepelente e alta
quantidade de filtro solar, que garante durabilidade nas exposições mais in-
tensas à intempérie.

Com filtros solares especiais, oferece ultraproteção contra raios ultravioleta.


Os produtos “alta performance” da Montana são recomendados para aplica-
ções externas, em três demãos, para exposição à intempérie. O Super Pre-
mium Osmotol Plus está disponível nas versões Brilhante e Acetinado, nas co-
res: canela, imbuia e mogno. O produto é comercializado em embalagens de
¼ e 3,6 litros (galão). Indicado para aplicações em superfícies verticais de
madeira, tais como: portas, janelas, lambris, beirais, pergolados e chalés, en-
tre outras.

Já o Super Premium Osmotol Deck é disponibilizado na versão Semibrilhante


Foto: divulgação

e coloração Natural, em embalagens de ¼ e 3,6 litros (galão). Indicado para


aplicações em superfícies horizontais de madeira, tais como: decks de pisci-
nas ou suspensos e varandas, entre outras. O revestimento é resistente ao
tráfego de pessoas.

NEW TINTAS
ELASTICIDADE E SELANTE
O mais novo lançamento da New Tintas é a Acrílico Super Premium 6x1.
O produto se destaca pela ótima cobertura, elasticidade, redução termo
acústica, selante, além de eliminar trincas. A tinta é produzida na cor branca
e bases no sistema tintomêtrico New Color.

A New Tintas nos seus 16 anos de existência tem como foco o varejo, as lojas
Foto: divulgação

de tintas, as ferragens e os materiais de construção. A empresa busca se po-


sicionar conforme as exigências de mercado, reformulando todas as embala-
gens. Investe no lançamento de cinco novos produtos em 2018.

34 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
SAYERLACK LUKSCOLOR

ESPECIAL
ALTA DURABILIDADE TENDÊNCIAS E SIMPLICIDADE
A Sayerlack, após vários anos de pesquisa e testes em
madeiras e em diferentes regiões e climas, lança um
novo produto para decks com excelente desempenho e
diferenciais exclusivos, o Polisten Deck, produto conso-
lidado no mercado por sua qualidade, durabilidade e di-
versas opções de cores.

A empresa realiza testes de intemperismo natural e in-


temperismo acelerado, em equipamentos que reprodu-
zem a ação da luz solar (raios UV), da chuva e da umi-
dade de forma cíclica e intensa. Foi constatado que com
três demãos do Polisten, os decks podem ter durabi-

Foto: divulgação
lidade de até quatro anos. “Todos os testes foram so-
bre decks de Ipê, que possui alta concentração de re-
sinas, para assegurar a durabilidade pretendida”, expli-
ca o gerente nacional de vendas do segmento, Marce- Inspirada nas principais tendências mundiais de moda, arte e
lo Alvarenga décor e em sintonia com as preferências do brasileiro, a Lu-
kscolor divulga a cor eleita para 2018: LKS 2295 Reflection,
O Polisten tem a característica de durabilidade de quatro um tom de azul suave, com nuance acinzentada. A partir de
anos. Além disso, o produto possui secagem rápida, de estudos sobre o comportamento humano e fatores externos
duas a quatro horas entre demãos, hidrorrepelente e não que impactam a direção das cores, a marca faz da permanen-
possui cheiro e também dispensa a aplicação de isolante te imersão nesse universo o start para eleger tonalidades que
em madeiras resinosas. traduzem o momento que vivemos.

Reflection faz parte do Catálogo de Tendências 2018/2019,


que tem como ponto de partida os novos padrões de com-
portamento do consumidor. A valorização de um estilo de vida
mais simples e a defesa de posicionamentos engajados pe-
dem maior liberdade de escolha.

A cor do ano da Lukscolor traz uma leveza de tons que é ten-


dência e conduziu toda a pesquisa da marca para o catálogo.
“Com uma nuance ligeiramente cinza, o azul se faz protago-
nista. Sua delicadeza abre possibilidades e permite infinitas
combinações. Esta sutileza presente no azul também pode
ser notada nos rosas, amarelos e marrons da coleção”, des-
taca a estilista de cores da marca, Deise Melo.

Reflection retrata a mudança da família de cores dos azuis.


Em tons que transmitem serenidade aos ambientes, criam es-
paços aconchegantes ou conferem um toque de suavidade
em composição com cores marcantes. Destaca-se em com-
binações com tons de azul marinho, off-whites e rosa claro,
Foto: divulgação

deixando os espaços mais joviais. Dentro da família desta cor,


estão presente as tonalidades LKS 2294 Atmosphere e LKS
2296 New Style.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 35
ESPECIAL

TINTAS KILLING
FACILIDADE NO MANUSEIO
E NA APLICAÇÃO
O destaque da Tintas Killing é o Esmalte Equilibrium.
O produto resultado de anos de estudo do departamento
de Pesquisa & Desenvolvimento da Killing, possui desem-
SUVINIL penho, brilho e cobertura do Esmalte Solvente com a se-
cagem rápida e o baixo odor do Esmalte Base Água. “É o
FÁCIL REMOÇÃO DE SUJEIRA equilíbrio total entre tecnologia e ecologia”, salienta o di-
SEM DEIXAR MANCHAS retor da empresa, Paulo Moreira.

Uma das preocupações na hora de pintar a casa, Outro diferencial do novo produto é a facilidade no ma-
principalmente para quem tem filhos e pets, é nuseio e na aplicação, já que não respinga e não escorre,
optar por um produto que permita a fácil remo- fazendo com que o uso seja muito mais simples. O Equi-
ção da sujeira sem deixar manchas. A tinta Su- librium evita o lixamento profundo, o que facilita a repin-
vinil Limpeza Total permite a limpeza de sujeiras tura, além de eliminar um dos incômodos apresentado na
tanto nas áreas externas como internas da casa. pintura com Esmalte Base Água, o pega ou tack. O pro-
Além da praticidade e limpeza da superfície, o duto também apresenta menor amarelamento que o Es-
lançamento oferece alta durabilidade e cobertu- malte Base Solvente.
ra e possui aditivo antirrespingo, que proporciona
menos sujeira durante a aplicação, facilitando a O Equilibrium utiliza matérias primas de fontes renová-
pintura e deixando a casa mais limpa. veis em sua composição e possui baixa emissão de Com-
postos Orgânicos Voláteis (VOC), já que não emite solven-
te no meio ambiente. O produto pode ser encontrado em
latas de 900ml e 3,6 litros, nos acabamentos brilhante,
acetinado e fosco. Ele está disponível nas mais de três mil
cores do Colorline e em 11 cores prontas: café, tabaco,
conhaque, marrom, vermelho, vinho, preto, branco, cinza
escuro, azul del rey e verde folha.
Foto: divulgação
Foto: divulgação

36 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
TINTAS

ESPECIAL
SHERWIN-WILLIAMS
lavável e sem cheiro
A Tintas Sherwin-Willians destaca no segmento de Super Pre-
mium, a tinta SuperPaint. O produto atende às necessidades dos
que buscam por alto desempenho e é voltado para as áreas in-
ternas e externas. O SuperPaint seca muito rápido, sem cheiro, o
que permite que na hora da aplicação, as pessoas não precisem
Foto: divulgação desocupar o ambiente. Já na hora da limpeza, as manchas nas
superfícies causadas por alimentos, bebidas e marcas de dedos,
podem ser tranquilamente removidas, sem perder a proteção. Se-
guindo os parâmetros do Programa Setorial da Qualidade (PSQ),
um produto premium precisa atingir no mínimo 100 ciclos de la-
vabilidade com abrasivo. Neste caso, o SuperPaint atinge 250 ci-
TINTAS RENNER clos para o acabamento fosco e 400 para o acetinado, ou seja,
ele é mais lavável. Desenvolvido nos acabamentos fosco, aceti-
ANTI-BACTERIANA E SEM CHEIRO nado e semibrilho, por meio da aplicação do produto, evita-se o
aparecimento de mofo nas áreas mais críticas.
A Tintas Renner apresenta a tinta RekolorPró Ecológica, a
primeira tinta Zero VOC (Compostos Orgânicos Voláteis) no Já o Aquacryl Acrílico, é o produto de alta performance, 50% mais
Brasil. O produto é ideal para pintura de quartos de bebês, lavável e tem 15% a mais de rendimento, é voltado para ambien-
restaurantes, salas de espera, hospitais, centros cirúrgi- tes internos e externos. Vendido no acabamento Fosco e Semibri-
cos, clínicas, farmácias e muitos outros, pois a Rekolor Pró lho, o Aquacryl possui rendimento 15% acima das tintas relacio-
Ecológica é sem cheiro durante e após a aplicação, per- nadas à categoria premium. Sua fórmula oferece maior cobertura
mitindo que o ambiente seja ocupado logo após a pintura. úmida e seca, o que resulta em um melhor desempenho e rendi-
mento. Em pinturas de áreas externas, o produto promove a pre-
A RekolorPró alia a sustentabilidade e proteção ao meio-­ venção da proliferação de fungos e mofo, sendo indicado para di-
ambiente com proteção à família, num produto completo, versas superfícies da construção civil. Além disso, tem maior re-
com anti-bactéria (elimina 99,9% das bactérias – certifi- sistência ao desbotamento, possui alta cobertura, alta durabilida-
cado pela Anvisa). Além de todos os atributos de proteção de e rápida secagem.
e sustentabilidade, a tecnologia desta formulação oferecer
ótima cobertura, superior resistência à abrasão, altíssima
lavabilidade e alto rendimento. A PPG também apoia edi-
ficações sustentáveis e é membro do Green Building Cou-
ncil Brasil, instituto responsável pela certificação LEED em
todo o território nacional. O LEED é utilizado para a orien-
tação e certificação ambiental de edificações em mais de
140 países, nas chamadas “Obras Verdes”.
Foto: divulgação

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 37
TECNOLOGIA

Porcelanato Portinari
Foto: divulgação

38 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
TECNOLOGIA
Porcelanato:
referência em padrão
de qualidade e beleza
A tecnologia revolucionou o segmento de porcelanatos
nos últimos anos. A permanente pesquisa de novas
tendências abrange áreas além da funcionalidade
e ressalta a combinação de qualidade, inovação e
estética como ponto alto dos produtos.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 39
Segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Ce- los de rotocolor proporcionou milhares de novas opções em de-
TECNOLOGIA

râmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (An- sign. Hoje, temos produtos que eram impossíveis desenvolver há
facer), o porcelanato é um revestimento cerâmico de alta quali- 15 ou 20 anos”, afirma.
dade e grande desempenho. Desenvolvido sob rigorosos padrões
técnicos, apresenta níveis baixíssimos de absorção de água, alta Investimentos tecnológicos e testes em laboratórios são proce-
resistência mecânica além de um dimensional preciso, entre ou- dimentos adotados por indústrias para atender as necessidades
tras qualidades. dos consumidores finais. “No processo produtivo são realizados
ensaios laboratoriais no produto conforme normas técnicas es-
Em 2007, a Anfacer criou a Norma Técnica ABNT NBR 15463, pecíficas de placas cerâmicas. E, ao longo das etapas do proces-
primeira norma no mundo para porcelanato. A norma tem como so produtivo, são realizados controles operacionais, bem como
objetivo orientar clientes e consumidores sobre as características está implantada a ferramenta de Controle Estatístico do Proces-
do revestimento e diferenciar produtos certificados do que ainda so (CEP), contribuindo com a correção, prevenção e melhoria dos
não atendem os requisitos solicitados pela regra. A Anfacer de- processos”, declara a responsável pelo departamento de marke-
senvolveu também o Selo da Qualidade para Porcelanato que é ting e design do Grupo Fragnani, Bianca Fragnani.
baseado na certificação de produtos e inserido no Programa de
Qualidade para Porcelanato. Processo que estabelece um con- Além da busca por novas tecnologias, a inovação e aprimoramen-
junto de ações integradas orientadas a conformidade do porce- to da produção são pilares que regem o mercado na indústria de
lanato, tais como: estímulos à certificação; avaliação permanen- revestimentos. “Temos uma fábrica altamente tecnológica. Mes-
te da conformidade técnica dos porcelanatos comercializados no mo com o processo produtivo de cerâmica não tendo mudado ra-
Brasil; cumprimento às normas técnicas vigentes; e ao Progra- dicalmente nos últimos anos, com as linhas de produção que te-
ma Setorial de Qualidade. Conforme informações da entidade, o mos o aprendizado é constante e sempre evoluímos no sentido
porcelanato brasileiro é uma referência internacional em padrão da otimização da produção, diminuir espessura, ampliar formatos,
de qualidade. melhor a aplicação de esmalte, polimento. Tudo isso é evolução,
tecnológica ou não, que impacta nos produtos”, ressalta o coor-
De acordo com o gerente da parte técnica da Portobello, Luiz Ma- denador de marketing da Elizabeth Sul, Carlos Gaspar.
netti, o Brasil é o segundo maior produtor mundial de cerâmica e
também um dos maiores exportadores. “Para que todo esse volu- Segundo Gaspar, anualmente a empresa é auditada externamen-
me possa ser comercializado com fluidez pelo mundo, o país ado- te e internamente por no mínimo três auditorias e possui testes
ta o sistema de controle de qualidade internacional ISO 10.545”, regulares nos produtos em laboratórios externos para observar
afirma Manetti. se apresentam os requisitos normativos para serem enviados ao
mercado. Os produtos da Elizabeth Sul são certificados pelo Cen-
Os padrões de qualidade adotados pelas fábricas certificadas pelo tro Cerâmico do Brasil (CCB), que realiza as auditorias externas da
Inmetro no Brasil são os mesmos de países desenvolvidos como: fábrica. Além dessa certificação, os produtos recebem o selo de
Austrália, Áustria, França, Alemanha, Itália, Japão, Nova Zelândia, porcelanato certificado da Anfacer.
Noruega, Espanha, Suíça, Suécia, Inglaterra e Estados Unidos. “A
certificação Inmetro é opcional e os revestimentos cerâmicos fa- “A tecnologia trabalha em nosso favor nesse sentido. Como te-
bricados na unidade da Portobello em Tijucas e da Pointer, mar- mos uma fábrica, onde praticamente o produto não passa pelas
ca da Portobello, em Alagoas, são certificados”, salienta Manetti. mãos humanas durante o processo até chegar ao consumidor, te-
mos em todas as linhas scanners que verificam se o produto está
A indústria desenvolve a cada dia novos modelos que represen- de acordo com a norma. Mesmo assim, a última linha de defesa
tam diferentes tipos de pedras, cerâmica e até mesmo madeiras. ainda é humana, temos um departamento de controle de qualida-
“Hoje se você tem um mármore feito em porcelanato e um már- de que verifica periodicamente amostras de nossa produção para
more natural, ambos assentados fica difícil identificar qual é qual, fiscalizar o trabalho da tecnologia”, afirma Gaspar.
isso vale para madeira, pedra, produtos naturais que a indústria
cerâmica tradicionalmente interpreta”, ressalta o coordenador de A participação em feiras e cursos auxiliam as empresas no im-
Marketing da Elizabeth Sul, Carlos Gaspar. plemento de novas tecnologias. Segundo o gerente de tecnologia
da Portinari, Antonio Sérgio Nunes Rosa, a pesquisa das tendên-
De acordo com Gaspar, nos últimos 10 anos a indústria cerâmica cias mantém a e equipe atualizada. “Temos ainda um sistema de
como um todo teve uma revolução em termos de design. “A intro- qualidade que garante a adequação às normativas e manutenção
dução da tecnologia digital de impressão, em substituição aos ro- da tecnologia (processo)”, ressalta Rosa. Para Gaspar, o suporte

40 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
que a tecnologia digital proporciona aumenta a responsabilidade TENDÊNCIAS E ESTUDO

TECNOLOGIA
em pesquisas de tendências na arquitetura e design para inter- DE COMPORTAMENTO
pretar os desejos dos consumidores. “Temos que fazer produtos
que sejam tendência e que os arquitetos e consumidores estejam Além de características funcionais, o revestimento porcelana-
desejando. Por esse motivo, realizamos pesquisas de tendências to deve ter relevância estética e inovadora. “Temos consciência
todo ano, buscamos conhecer esses desejos, que são interpreta-
de que estamos num mercado de moda, por isso tratamos esse
dos pela nossa equipe e transformados em produto”, esclarece.
tema como ‘ciência’ internamente, de forma muito eficaz”, afir-
ma, Luiz Manetti.
MERCADO E EXPECTATIVAS
Um dos objetivos da Portobello é proporcionar a experiência e
O ano de 2017 foi desafiador para todos os segmentos da cons-
emoção ao consumidor, pensando nisso a empresa lança entre
trução civil. “Os últimos dois anos tem sido difíceis para a indús-
200 e 300 novos produtos todo ano, o que permite à empresa en-
tria cerâmica o que faz com que tenhamos cautela quando fala-
mos em perspectivas”, ressalta Gaspar. tregar soluções em porcelanateria, como: móveis em porcelana-
to, conteúdo digital (realidade virtual, projetos 3D e banco de ima-
Entretanto, o coordenador de marketing projeta uma melhora na gens de arquitetura), conteúdo técnico (especificador virtual, ma-
economia brasileira para 2018 e 2019. Apesar de algumas variá- nuais e vídeos de instalação), fachadas ventiladas e complemen-
veis, acredita que se depender do setor produtivo, a crise será su- tos (niveladores de instalação, protetores de pisos e frisos de aca-
perada. “Acreditamos em uma recuperação, ainda que lenta, pois bamento). “Justamente pelo ‘conjunto da obra’, a Portobello con-
o mercado da construção civil é em geral, o último a embarcar nas quistou em 2017, o prêmio máximo de Inovação em Marketing no
crises e também o último a sair”, afirma. Brasil, promovido pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI)
em parceria com o governo federal”, comemora Manetti
Para 2018, o gerente da parte técnica da Portobello, Luiz Manet-
ti mantém-se positivo. “Acreditamos que nossa estratégia de ino- A Officina Portobello é uma novidade da empresa, que combina
vação e design, com distribuição multicanal, está vinculada a uma elementos de inovação, qualidade e estética. O projeto proporcio-
visão de longo prazo que nos faz manter o ritmo positivo da com- na que o arquiteto além de criar projetos para cada um de seus
panhia”, ressalta Manetti. clientes, apresenta mobiliários e objetos de decoração. Ferramen-
tas disponibilizadas pela Portobello em apoio ao projetista desde
O Grupo Fragnani também exalta animação quanto ao futuro do realidade virtual até um aplicativo de atendimento às normas téc-
mercado. “Estamos com uma expectativa bastante positiva, de- nicas de projeto. “Investimos, também, no atendimento profissio-
vido aos investimentos que estamos fazendo nas unidades Ince- nal diferenciado em nossas lojas”, destaca Manetti.
fra e Tecnogres, ambos para os porcelanatos”, declara a gerente
de marketing e design do Grupo, Bianca Fragnani. Segundo ela, a
A Portinari aposta no processo de design com estudo de compor-
empresa obteve um crescimento satisfatório em 2017, devido al-
tamento, que busca conhecer e ter percepções de movimentos
gumas mudanças internas. “Entre elas a reestruturação da ges-
sociais para atrair consumidores finais e especificadores (enge-
tão, com a terceira geração da família Fragnani assumindo a di-
nheiro, arquiteto, designer de interiores). “Com as necessidades
reção com um apoio profissionalizante, renovação da equipe co-
e problemas dos nossos consumidores, nós apresentamos solu-
mercial, o que foi bastante desafiador, entre outros”, completa.
ções transformadas em produto. Quando aliamos tudo isso, en-
tregamos produtos de qualidade, com alinhamento de tendência
O vice-presidente comercial da Portinari, Paulo Benetton, ressal-
ta que o mercado em 2018 deve apresentar uma performance no momento certo para entrar no mercado”, ressalta o gerente de
superior a 2017, devido a tendência de melhora apresentada no desenvolvimento de produtos, Paulo Gava.
ano passado em relação a 2016, o que deverá confirmar uma
curva de suave ascendência. “Nos preparamos em várias frentes A Portinari também possui um programa de relacionamento com
para atender plenamente nosso público, com pretensão de avan- o especificador, o Expressão Portinari, que tem o objetivo de com-
çar mais que a média de crescimento de mercado. Esperamos partilhar com os especificadores informações e ferramentas para
que o ambiente político não interfira de forma negativa na econo- facilitar o dia a dia do profissional.
mia, pois o mercado da construção civil brasileira tem um exce-
lente potencial para apresentar crescimentos sustentáveis para os CONFIRA NAS PÁGINAS A SEGUIR
próximos anos”, afirma Benetton. OS DESTAQUES DO SEGMENTO.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 41
BIANCOGRES
TECNOLOGIA

RESISTÊNCIA E BELEZA
Escolher os revestimentos que devem ser usados na varanda ou
na área externa não é tão simples. Além da estética e do con-
ceito do projeto, é preciso levar em consideração questões mais
técnicas, como saber se o piso é escorregadio ou se vai resis-
tir bem aos fatores climáticos. Os revestimentos da Biancogres
reproduzem o mesmo visual de decks de madeira, pedras, már-
mores rústicos e ladrilhos hidráulicos, mas com a resistência do
porcelanato.

Os porcelanatos que imitam decks de madeira possuem vanta-


gens como durabilidade e fácil instalação, além de serem acom-
panhados pelo fator sustentabilidade, pois previnem o uso incons-
ciente da madeira. O design de cada modelo dessa linha partiu de
estudos das madeiras de demolição para que o produto final exi-
bisse traços marcantes, semelhantes aos desgastes que o mate-
rial sofre naturalmente quando exposto à ação do tempo. Em ver-
sões quadradas de diferentes medidas, os porcelanatos permitem
várias possibilidades de paginação.
BIANCOGRES
Já os porcelanatos que imitam pedras em mosaico reproduzem Foto: divulgação
com precisão a textura desse tipo de piso. O produto possui maior
aderência e resistência à água, as placas poupam o morador dos
problemas que as pedras naturais costumam apresentar sem ELIZABETH
comprometer a estética do projeto. Misturando tonalidades e di-
ferentes formatos, os modelos Blocchi Chiara e Multi Pietra são
TECNOLOGIA HD E
capazes de valorizar qualquer área externa. ACABAMENTO AGRADÁVEL
Os porcelanatos Cristallo da Elizabeth interpretam em sua superfí-
Os ladrilhos hidráulicos, apesar de serem resistentes e duráveis,
cie o que a ação do tempo faz em pedras encontradas na nature-
normalmente possuem um custo elevado por conta de sua fa-
za e no concreto. Um leve polimento em seu acabamento superfi-
bricação artesanal e exigem mão de obra especializada na apli-
cial confere brilho a somente partes do porcelanato, característica
cação, o que acaba encarecendo ainda mais a obra. Entretanto,
que encanta pelo reflexo difuso.
os porcelanatos que imitam ladrilhos hidráulicos, com qualidade
igual ou superior têm como vantagem: um preço atraente e ins-
Os produtos dessa tipologia são ideais para ambientes de alto trá-
talação mais rápida e simples. Com variadas estampas em tons
fego, para pisos residenciais e comerciais. Alguns destes porce-
neutros, o Porcelanato Esmaltado Bosco Hidráulico simula o des- lanatos, por possuírem elevada beleza estética, fruto da tecnolo-
gaste natural desse tipo de peça, porém a Biancogres possui ou- gia de decoração HD, aliada ao acabamento agradável ao toque e
tras opções. podem ser utilizados em paredes, formando painéis decorativos.

No portfólio da Biancogres, existem também os modelos que imi- Entre os diferenciais do porcelanato Cristallo HD estão: a alta re-
tam pedras brutas em grandes placas, como o Porcelanato Eve- sistência à abrasão e a riscos; a facilidade na limpeza diária e ma-
rest Chiara. Com visual mais rústico, esses produtos ficam lindos nutenção; a indicação para ambientes de alto tráfego; e o diferen-
quando combinados a uma arquitetura de linhas simples ou pro- cial estético com o uso da tecnologia de decoração HD. O Porcela-
jetos mais clássicos. O relevo e a textura suave das peças garan- nato Cristallo HD Absolute Black e White 84x84cm traz o concre-
tem mais segurança para as áreas molhadas, como o entorno de to com sua atmosfera urbana sempre foi um protagonista da ar-
piscinas ou um terraço com chuveirão. quitetura moderna. A linha de porcelanatos Absolute renova essa

42 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
TECNOLOGIA
ELIZABETH
Foto: divulgação

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 43
tendência ampliando as opções de decoração com uma cartela de
PORTINARI
TECNOLOGIA

cores neutras que permitem ilimitadas combinações.


DURABILIDADE E DESIGN
GRUPO FRAGNANI A Portinari apresenta o porcelanato translúcido, em uma úni-
RESISTÊNCIA E MENOR ca peça. Denominado de “BackstageLuminous”, como o próprio
ABSORÇÃO DE ÁGUA nome diz é no bastidor, onde tudo acontece, onde todos os deta-
lhes foram cuidadosamente criados, pensados e desenvolvidos.
A marca In Out foi relançada pelo Grupo Fragnani com a preocu- O produto ganha qualidade técnica que alia durabilidade e de-
pação de oferecer produtos mais sustentáveis. Os revestimentos sign diferenciado. Na técnica, é produzido com massa de porcela-
são fabricados através do processo de via seca que, comparado na homogênea, sem o aplique do esmalte, por isso ele é resisten-
ao de via úmida, consome 65% menos água, 30% menos gás na- te, altamente durável e não se desgasta com o tempo. Na prática,
tural e emite 30% menos CO2. As opções da In Out Porcelanatos ganha luminosidade por meio de iluminação no verso, que ultra-
têm também como vantagens: resistência ao impacto e menor passa a peça. Como opção, sem a luz, ele possui a característica
absorção de água. Elas são versáteis, trazem estampas inspiradas de um sofisticado porcelanato branco.
em plantas e pedras, reproduzidas com máquinas de impressão
digital HD (alta definição). São produtos indicados para ambientes A peça permite a passagem de luz, ideal para ser explorada em
residenciais internos e externos e comerciais internos. ambientes que mereçam destaques como paredes internas, ban-
cadas, painéis, paredes, molduras e é bem recebido também em
Entre os destaques da marca estão: Antúrio com acabamento ambientes corporativos. “A nossa proposta de produto não existe
acetinado; Rapolano Romano, indicado para ambientes internos na natureza e nunca foi comercializado, é de alta resistência e toda
com baixo-médio tráfego (residenciais e comerciais) e Arenito, in- ‘grafia’ só é vista com a passagem da luz. Quanto maior a intensi-
dicado para ambientes externos cobertos com médio-alto tráfego dade, mais detalhes podem ser vistos”, explica o gerente de desen-
e ambientes externos com médio-alto tráfego. volvimento de produtos da Portinari, Paulo Roberto Gava Niehues.

GRUPO FRAGNANI
Foto: divulgação

44 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
TECNOLOGIA
PORTOBELLO
Fotos: divulgação

O produto apresenta também um visual de ranhuras aleató-


rias, num relevo leve que valoriza ainda mais a peça. O “Ba-
csktageLuminous” foi criado na medida 60x120cm.

PORTOBELLO
PEQUENOS FORMATOS
PARA FACHADAS
A Portobello lançou em 2014, o Sistema de Fachada Venti-
lada em parceria com a multinacional espanhola Favenk, as
placas reproduzem madeiras em porcelanato. A dificuldade
de instalação de placas grandes (60x60 ou maiores) em fa-
chadas é algo que preocupa clientes. Pensando nisso, a Por-
tobello trouxe ao mercado, pequenos formatos para fachadas
como a linha Basalto.

As placas são entregues e instaladas para o cliente, ou seja,


é fornecido além das peças, todos os projetos, equipamentos,
insumos e mão de obra com garantia de 10 anos a um cus-
to pelo menos 25% menor que o da concorrente pele de vi-
dro. A transposição desta barreira técnica e financeira abriu
portas para a criação e o design com o emprego de porcela-
natos representando novos materiais como as madeiras, ci-
mentos e rochas.

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 45
PREÇOS E CUSTOS DA CONSTRUÇÃO
INDICADORES ECONÔMICOS

CUB/RS do mês de JANEIRO/2018 - NBR 12.721- Versão 2006


Padrão de Custo Variação %
PROJETOS Código
acabamento R$/m2 Mensal Anual 12 meses
RESIDENCIAIS
Baixo R 1-B 1.393,55 -0,09 -0,09 3,83
R-1 (Residência Unifamiliar) Normal R 1-N 1.749,07 -0,20 -0,20 3,57
Alto R 1-A 2.184,36 -0,18 -0,18 3,67
Baixo PP 4-B 1.261,64 -0,12 -0,12 4,04
PP (Prédio Popular)
Normal PP 4-N 1.673,42 -0,16 -0,16 3,88
Baixo R 8-B 1.199,35 -0,15 -0,15 4,27
R-8 (Residência Multifamiliar) Normal R 8-N 1.440,95 -0,17 -0,17 3,99
Alto R 8-A 1.772,01 -0,18 -0,18 4,08
Normal R 16-N 1.401,41 -0,16 -0,16 4,20
R-16 (Residência Multifamiliar)
Alto R 16-A 1.805,57 -0,13 -0,13 3,86
PIS (Projeto de Interesse Social) PIS 979,45 -0,05 -0,05 4,18
RPQ1 (Residência Popular) RP1Q 1.452,23 -0,21 -0,21 3,94
COMERCIAIS
Normal CAL 8-N 1.701,47 -0,08 -0,08 3,94
CAL-8 (Comercial Andar Livres)
Alto CAL 8-A 1.872,27 -0,09 -0,09 3,61
Normal CSL 8-N 1.424,79 -0,15 -0,15 4,23
CSL-8 (Comercial Salas e Lojas)
Alto CSL 8-A 1.638,30 -0,14 -0,14 4,01
Normal CSL 16-N 1.901,60 -0,14 -0,14 4,14
CSL-16 (Comercial Salas e Lojas)
Alto CSL 16-A 2.182,35 -0,13 -0,13 3,94
GI (Galpão Industrial) GI 755,13 -0,23 -0,23 4,05
Fonte: DEE – Sinduscon-RS

Tendo em vista a publicação da NBR 12.721/2006, os Custos Unitários Básicos por m2 de construção passaram, a partir de fevereiro/2007, a ser calculados de acordo, com os
novos projetos-padrão e, em conseqüência, de novos lotes de insumos. Essa atualização invalida, portanto, a comparação direta dos Custos Unitários obtidos a partir da NBR
12.721/2006 com aqueles obtidos com base na NBR vigente até janeiro/2007 (NBR12.721/1999).
“Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido
no projeto e especificações correspondentes a cada caso particular: fundações, submuramentos, paredesdiafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevador(es); equipamentos e instalações, tais como: fogões,
aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground (quando não classificado como área construída); obras e serviços complementares; urbanização,
recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no Anexo A – quadro III); impostos, taxas e emolumentos cartoriais,
projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais; remuneração do construtor; remuneração do incorporador.”

Indicadores Econômicos
IGP-M INCC-M IGP-DI (Col. 2) INCC (Col. 35)

Variação % Variação % Variação % Variação %


Mês
Nº 12 Nº 12 Nº 12 Nº 12
Índice Mês Ano meses Índice Mês Ano meses Índice Mês Ano meses Índice Mês Ano meses

FEV/17 666,099 0,08 0,73 5,38 694,258 0,53 0,82 6,32 657,191 0,06 0,50 5,26 696,314 0,65 1,06 6,26

MAR/17 666,197 0,01 0,74 4,86 696,782 0,36 1,19 5,87 654,709 -0,38 0,12 4,41 697,410 0,16 1,22 5,76

ABR/17 658,898 -1,10 -0,36 3,37 696,216 -0,08 1,10 5,35 646,573 -1,24 -1,13 2,74 697,244 -0,02 1,20 5,16

MAI/17 652,758 -0,93 -1,29 1,57 697,117 0,13 1,24 5,29 643,260 -0,51 -1,63 1,07 701,664 0,63 1,84 1,07

JUN/17 648,409 -0,67 -1,95 -0,78 706,596 1,36 2,61 5,12 637,079 -0,96 -2,58 -1,51 708,197 0,93 2,79 4,70

JUL/17 643,766 -0,72 -2,65 -1,66 708,135 0,22 2,84 4,22 635,198 -0,30 -2,87 -1,42 710,355 0,30 3,10 4,50

AGO/17 644,383 0,10 -2,56 -1,71 710,954 0,40 3,24 4,36 636,714 0,24 -2,64 -1,61 712,884 0,36 3,47 4,57

set/17 647,400 0,47 -2,10 -1,45 711,971 0,14 3,39 4,13 640,654 0,62 -2,03 -1,04 713,330 0,06 3,53 4,28

OUT/17 648,672 0,20 -1,91 -1,41 713,354 0,19 3,59 4,15 641,279 0,10 -1,94 -1,07 715,527 0,31 3,85 4,38

NOV/17 652,073 0,52 -1,40 -0,86 715,318 0,28 3,88 4,26 646,422 0,80 -1,15 -0,33 717,751 0,31 4,18 4,54

DEZ/17 657,859 0,89 -0,52 -0,52 716,287 0,14 4,02 4,02 651,214 0,74 -0,42 -0,42 718,276 0,07 4,25 4,25

JAN/18 662,826 0,76 0,76 -0,41 718,303 0,28 0,28 4,01

Fonte: FGV – Fundação Getúlio Vargas

46 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
Salários médios – JANEIRO/2018

INDICADORES ECONÔMICOS
Salário Médio* Variação %
CATEGORIAS
R$/h Mês Ano 12 meses
MESTRE DE OBRAS
Até 25 subordinados 19,06 -0,05 -0,05 -3,35
Acima de 25 subordinados 24,10 0,00 0,00 -10,91
Média 20,82 9,69 9,69 -3,30
PEDREIRO 6,93 0,00 0,00 4,84
SERVENTE 5,53 -0,72 -0,72 7,38
CARPINTEIRO 7,11 -0,42 -0,42 3,19
FERREIRO (ARMADOR) 7,19 -0,14 -0,14 0,00
PINTOR 6,92 0,00 0,00 4,85
APONTADOR 12,68 0,88 0,88 -3,35
ELETRICISTAS
Oficial 7,42 0,27 0,27 3,63
Meio Oficial 6,14 0,00 0,00 3,54
Ajudante 5,48 0,18 0,18 6,20
INSTALADORES HIDRÁULICOS
Oficial 7,47 0,13 0,13 2,8
Meio Oficial 6,05 0,83 0,83 1,85
Ajudante 5,47 0,00 0,00 6,42
ENGENHEIRO 46,86 0,41 0,41 -0,28
Fonte: DEE – Sinduscon-RS *Não estão incluídos os encargos sociais, bonificações e outras despesas.
Preços médios dos materiais de construção – JANEIRO/2018
Variação %
Insumos Básicos UNIDADE PREÇO
Mês Ano 12 Meses
Fio de cobre anti-chama, Isolamento 750V, #2,5 mm2 m 1,19 1,71 1,71 0,00
Emulsão asfáltica impermeabilizante
Kg 17,00 1,43 1,43 13,03
Locação de Betoneira dia 32,65 0,99 0,99 0,99
Brita nº 02 m3 59,29 0,68 0,68 -6,75 4,39
Chapa compensado plastificado 18mm m2 34,05 0,32 0,32 7,82
Bancada de pia de mármore branco 2,00x0,60m unid 1.111,46 0,29 0,29 3,01
Concreto fck=25 Mpe m3 310,73 0,22 0,22 0,61
Bacia sanitária branca com caixa acoplada unid 321,23 0,22 0,22 21,67
Tubo de PVC-R rígido reforçado para esgoto Ø 150 mm m 28,55 0,18 0,18 -1,28
Tinta látex PVA l 19,88 0,15 0,15 0,30
Registro de pressão cromado Ø 1/2" unid 45,30 0,09 0,09 2,40
Areia Lavada m3 64,75 0,00 0,00 -2,19
Bloco de concreto sem função estrutural 19x19x39cm unid 3,24 0,00 0,00 0,00
Cimento CP-32 II Kg 0,53 0,00 0,00 -5,36
Janela de correr tamanho 1,20x1,20m em ferro m2 168,87 0,00 0,00 2,36
Placa de gesso m2 10,77 0,00 0,00 10,35
Tijolo 9x19x19cm unid 0,58 0,00 0,00 -3,33
Tubo de ferro galvanizado com costura Ø 2 1/2" m 49,75 0,00 0,00 -3,90
Vidro liso transparente 4mm m2 59,33 0,00 0,00 3,49
Telha fibrocimento ondulada 6mm m2 22,24 -0,04 -0,04 1,18
Esquadria de correr tamanho 2,00x1 ,40m, em alumínio m 2
623,99 -0,08 -0,08 -4,39
Porta lisa p/pintura unid 124,70 -0,55 -0,55 4,43
Aço CA-50 Ø10 mm Kg 4,51 -0,66 -0,66 10,81
Fechadura para porta Interna, em ferro, acabamento cromado unid 34,84 -0,68 -0,68 7,43
Disjuntor tripolar 70 A unid 110,20 -1,45 -1,45 9,63
Placa cerâmica (azulejo) 3Ox4Ocm, PB II m2 22,20 -2,72 -2,72 -2,72
Fonte: Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 47
CASE Séries G ganha prêmio
MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Good Design 2017


As pás-carregadeiras da Série G, da Case Construction Equip- O design também garante a melhor visibilidade da categoria: na
ment, foram uma das premiadas no Good Design de 2017, a mais frente, o amplo para-brisa oferece uma visão panorâmica, sem
antiga e prestigiada premiação global do gênero. O projeto foi de- obstáculos; na traseira, a ótima visibilidade é garantida por vários
senvolvido pelo Centro de Design da CNH Industrial em conjunto espelhos convexos, por um display de apoio na cabine e pelo capô
com as equipes de Inovação e Engenharia dedicada aos diferen- fino do motor. Além disso, os pacotes de iluminação LED propor-
tes segmentos da empresa. cionam excelente visibilidade em aplicações de pouca luz.

Foto: divulgação
A Case Construction Equipment, marca de equipamentos de
construção da CNH Industrial, apresentou as novas pás-carrega-
deiras da Série G em novembro de 2016. Seus padrões de con-
forto operacional, interface e segurança fazem dessa uma das li-
nhas mais intuitivas e fáceis de operar já produzidas pela CASE.
A marca completa 60 anos de produção de pás-carregadeiras
este ano. Essa série de produtos abrange modelos escalados para
o trabalho em depósitos de abastecimento, construção de edifí-
cios e agricultura, além de pedreiras e escavações.

Cada elemento da cabine dessa geração foi projetado para pro-


porcionar uma sensação automotiva com desempenho industrial
graças ao seu estilo aprimorado, conforto superior, ergonomia,
inovação prática e tecnologia instintiva.

JCB anuncia o diretor de Pós-Vendas


Brasil e América Latina
Alinhada à estratégia global da marca em posicionar o cliente e
suas necessidades no centro de toda a operação, oferecendo ex-
celência no atendimento e pós-vendas, a JCB do Brasil anuncia a
contratação de Cleber Carvalho como diretor de Pós-Vendas Bra-
sil e América Latina.

Responsável pela gestão nacional e latino-americana, Carvalho


tem como principal missão fortalecer o dia a dia na rede de Distri-
buidores JCB, garantindo o atendimento de primeira linha e exce-
lentes índices de suporte e tempo de resposta aos clientes.

Com grande vivência no setor de automóveis e bens de capital,


principalmente em máquinas de construção, o executivo é forma-
do pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) em Engenharia
Mecânica e mestre em Estratégia de Negócios pela Universidade
Foto: divulgação

Positivo, Carvalho já esteve à frente de projetos, áreas e divisões


ligados ao desenvolvimento de estratégias, soluções de “custo-
mer experience” e atuou em empresas como Volvo e Fiat.

48 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018 49
Foto: divulgação
ARTIGO

Por Walter Cover


Presidente da Abramat

2017: O último ano do


ciclo recessivo que
minou a construção civil
O mercado das indústrias de materiais de construção fechou o ano de 2017 com
uma queda de 4% no faturamento descontada a inflação. É importante ressaltar a
peculiaridade de 2017, ano no qual deve ser encerrado um ciclo de 3 anos consecutivos
de redução nas vendas, que comprometeu o mercado conquistado há 10 anos.

Projetamos uma pequena melhora em 2018, de 1,5%. Será o resultado de um


crescimento de 3% nas vendas para o comércio – as lojas de materiais de construção
– e da manutenção das vendas às construtoras, se comparadas a 2016. O varejo
continuará com resultado positivo em função da continuidade das reformas nas
moradias, uma vez que as famílias ainda não se animam a investir em casa própria. A
parcimoniosa melhora no emprego, na renda e baixa inflação reforçam essa avaliação.

Já o mercado das construtoras, que em 2017 caiu 15%, deve iniciar uma recuperação
principalmente a partir do segundo semestre. Isso se dará em função das obras de
infraestrutura referentes ás licitações realizadas recentemente, das obras iniciadas em
função das eleições e de uma performance mais positiva do Programa Minha Casa
Minha Vida.

Desde a sua fundação, em abril de 2004, a Abramat acompanha e contribui para o


crescimento da Construção Civil no país, atuando como interlocutora do setor junto
ao Governo e aos demais agentes da cadeia produtiva da construção civil. A entidade
conta atualmente com 50 empresas filiadas, que são as líderes na fabricação de
materiais de construção dos diversos segmentos. Entre os temas que representam
os focos de atuação da entidade estão: a competitividade da indústria, a desoneração
fiscal de materiais para construção, a conformidade técnica e fiscal na produção e
comercialização dos materiais, a profissionalização da mão-de-obra da construção e a
responsabilidade socioambiental dos agentes do setor.

50 REVISTA CONSTRUSUL
JANEIRO/FEVEREIRO 2018
Seja assinante
e receba a publicação
oficial da Região Sul
na sua casa ou escritório.

25
*Publicação bimestral. Assinatura anual
compreende no recebimento de um ciclo de
seis edições a partir da próxima edição após
confirmação de pagamento

Acesse
*Promoção por tempo limitado.
Possibilidade de alteração sem aviso prévio. revistaconstrusul.com.br
e seja um assinante
Mais informações: assinaturarevista@suleventos.com.br
NOVO LOCAL

01 a 04 FIERGS PORTO ALEGRE RS


AGOSTO 2018 Quarta a sexta: 14h às 21h Sábado: 11h às 18h

Realize bons negócios


Lance tendências
Faça sua empresa crescer
Novo local, novos clientes

APOIADORES CONSTRUSUL 2017