Você está na página 1de 7

Gêneros Literários - Parte I

FAZER O ALUNO COMPREENDER AS CLASSIFICAÇÕES DAS INUMERÁVEIS OBRAS LITERÁRIAS.

É muito importante sabermos que não existe povo sem literatura. Atente para o que afirma D’Onofrio:
 

“...a atividade literária, oral ou escrita, primitiva ou evoluída, é consubstancial à


sociedade humana, não existindo povo sem literatura. No que diz respeito à nossa

cultura, suas raízes remontam à Grécia Antiga, ao oitavo século antes de Cristo. A
Literatura ocidental engloba os milhares de textos produzidos ao longo de vinte e oito
séculos...” (p.10).

Para o estudo de tantas épocas e gêneros literários diferentes foi preciso que se estabelecesse uma
classificação.
Cito novamente o filósofo grego, sim os gregos sabiam de tudo. E se você arriscou a pensar em Aristóteles
acertou em cheio. Ele foi um gênio. E foi o primeiro estudioso da literatura. Já no século III a. C. apresentou
a primeira classificação das obras literárias:
Aristóteles cria então a Teoria do Gêneros. Como para o filósofo a concepção de arte estava ligada à
“imitação da realidade” ou mimese como ele preferia ele fez a seguinte tripartição:

01 / 06
ÉPICO: Imitava o mundo exterior ao poeta, o mundo das grandes ações , dos atos heróicos e gloriosos. Você
pode conferir esse gênero lendo as obras atribuídas ao poeta grego citado no tópico 01. Homero, esse
mesmo. As obras que educaram todo o povo grego dessa época foram A ilíada e A odisséia. Como elas
imitavam? Através da epopéia ou seja da palavra narrada. O poeta contava as histórias heróicas de Ulisses,
rei de Ítaca. A ilíada é sobre a epopéia da guerra e A odisséia é sobre a epopéia do mar. São uns 20 anos de
aventuras e desventuras do famoso herói grego. Que reação provoca no leitor: Admiração. Quem conhece
essas obras passa a admirá-las e isso leva você a se expandir, quere desbravar o conhecimento.
LÍRICO: Já esse gênero imitava o mundo interior, o sentimento do poeta diante dos mistérios da vida. Não
confunda: o sentimento do poeta, não da pessoa. O que vem à tona é o eu-poético diante da vida.Como era
imitado o gênero lírico: Versos pentâmetros ou elegíacos, sáficos, etc.

Que reação provoca no leitor? Emoção, identificação dos sentimentos. O poeta é nosso porta voz, escreve
aquilo que sentimos mas não conseguimos nomear. Exemplo de poeta: Poeta não, mas exemplo de uma
poetisa da mais alta estirpe: SAFO - Nascida entre 630 – 612 a.C.
Por conta de sua poesia erótica sofreu censura na Idade Média por parte dos monges copistas e o que resta
de sua obra são escassos fragmentos. Mas vale a pena ir atrás desses fragmentos. 

02 / 06
Legenda: "PARECE-ME SER IGUAL AOS DEUSES ESSE HOMEM QUE, SENTADO NA TUA FRENTE, TE OUVE
DE PERTO FALAR DOCEMENTE E RIR DE MANEIRA ENCANTADORA, O QUE ME FAZ SALTAR O CORAçãO
NO PEITO."

03 / 06
DRAMÁTICO: Para falar desse gênero pedirei ajuda da estudiosa e crítica literária já citada no tópico 01,
Nelly Novaes Coelho:
Nelly define esse gênero em dois – Dramático Tragédia Dramático Comédia. Para ela a Tragédia imita O
mundo das grandes ações em conflito. Homens superiores vencidos pela fatalidade ou vencedores. (p. 51).
Como a Tragédia era imitada? Dialogada e representada. Qual a reação do espectador da época e do leitor
de agora? Espanto, dor, comoção que leva o ser a se comungar com o sofrimento do “outro”. (p.51).
Exemplos: Édipo Rei, de Sófocles só para começar...Essa peça fala da tragédia que se abate sobre a família
de Édipo. Outro dramaturgo importante da Era Antiga foi Eurípides, assista ou leia Medeia, a vingança de
uma mulher rejeitada. Ou para terminar de citar os maiores dramaturgos gregos dessa Era, Ésquilo. Qual
peça? Pode ser Agamenon, que fala sobre o assassinato do herói grego pela esposa e pelo amante desta.
São tragédias que tinham um objetivo muito importante. Fazer as pessoas a aceitarem o Destino. Que
Destino? A Morte.
Sabiam de tudo esses gregos da Era Antiga.
Bem você deve estar se perguntando, mas e a Comédia? Também era dialogada e representada. O que era
imitado? Segundo Coelho, O mundo das ações mesquinhas, torpes e do feio das relações humanas
comuns. (p.50) Qual a reação do público? Riso e galhofa. (p.50).
O maior dramaturgo da comédia foi Aristófanes. Vale a pena conferir no site
http://www.oficinadeteatro.com (http://www.oficinadeteatro.com) sua peça Lisístrata.
Bem, mas ninguém se rebelou contra concepção aristotélica dos gêneros? Não foi exatamente alguém, mas
um movimento literário revolucionário se rebelou sim, se revoltou até contra essa concepção.
Foi o Romantismo. O Romantismo, didaticamente falando, surgiu entre a segunda metade do século XVIII e
a primeira metade do século XIX.

"Segundo D’Onofrio, em defesa da liberdade de sentir, de viver e de expressar, apregoando


a derrocada de qualquer forma de absolutismo: político, contra o imperialismo e a favor
dos regimes constitucionais; religioso, contra o dogmatismo e a favor de uma religião
mais sentida e mais natural; social, contra a prepotência das classes dominantes e a favor
das aspirações da nascente burguesia; estético, contra as regras do Classicismo e a favor
de uma total liberdade de expressão artística." (p. 327)

04 / 06
É um movimento de ruptura contra o passado. Evoluindo como a própria vida que sofre contínua mutação.
Para mostrar essa TRANSFORMAÇÃO que sofreram os Gêneros Literários atentemos para o que diz Coelho:

"Os gêneros continuam a ser poesia, prosa e teatro, porque são expressões das
experiências humanas básicas.
(...)
A esses três, o nosso tempo tende a acrescentar mais um: Crítica Estética, expressão da
vivência eu/texto, dinamizada pela inteligência analítica e crítica."(ps.49 e 50)

Lembrando que dentro da prosa temos os gêneros conto, romance, novela e crônica.
Por mais que o Romantismo tenha se rebelado contra a estética do passado e a concepção aristotélica dos
gêneros, o que se percebe é que essa concepção se transformou, não foi abolida, a base da Teoria do
Gêneros é a do filósofo grego.
E em pleno século XXI assistimos ao surgimento e a misturas de formas literárias onde o limite entre os
gêneros é menor que um fio de cabelo.
 

05 / 06
 

ATIVIDADE FINAL

O que são os Gêneros Literários?

A. São regras pelas quais o escritor escolhe sua maneira de escrever. 


B. São leis que regem escrever corretamente.
C. São classificações em gêneros e épocas. 
D. São fórmulas que dividem os momentos literários.

REFERÊNCIA
COELHO, Nelly Novaes. Literatura e Linguagem: a obra literária e a expressão lingüística. Petrópolis, Rio de
Janeiro: Vozes, 1993.;
D¿ONOFRIO, Salvatore. Literatura Ocidental: autores e obra fundamentais. São Paulo: Ática, 1991.

06 / 06