Você está na página 1de 21

CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE JI-PARANÁ ULBRA

ARQUITETURA E URBANISMO

ROMARIO VIDOTTO

DIFERENÇAS DOS ESTILOS ARQUITETÔNICOS: BARROCO,


BOUHOUSE E NIEMEYER.

JI-PARANÁ
OUTUBRO-2012
ROMARIO VIDOTTO

DIFERENÇAS DOS ESTILOS ARQUITETÔNICOS: BARROCO,


BOUHOUSE E NIEMEYER.

Trabalho apresentado ao professor: Alexandre


Wottrich, Da disciplina: Historia da arte e estética;
Aluno: Romario Vidotto; turno: noturno; do curso:
Arquitetura e Urbanismo.

Ulbra/Ji-paraná
Outubro-2012
INTRODUÇÃO

São três maneiras de se fazer o “mesmo”: cada um em determinados períodos da


história. Estilos peculiares um mais “a ver com o outro” digamos assim, como é o caso de a
arquitetura de Niemeyer e Bauhause. Niemeyer com seus pilotis, concreto armado em curvas,
inspirado na geografia brasileiras, no caso os morros e nas belas e exuberantes curvas
femininas. E a Bauhouse, com suas formas geométricas, retângulos, pilotis, janelas em fita,
janelas de canto com formas rígidas no ângulo reto. A mais ornamentada entre os “etilos”
anteriores é o estilo Barroco, com sua monumentalidade e formas opulentas e excesso nas
ornamentações, e uma evidente representação teatral em suas formas, esculturas, pinturas,
adornos, etc. Cada estilo tenta passar uma maneira de enxergar a vida, ou novos ideais, novas
necessidades ou simplesmente trazer uma espiritualidade maior em quem observa.
BAUHAUSE “[”

Bauhaus foi uma escola de design, artes plásticas e arquitetura que funcionou entre
1919 e 1933 na Alemanha. Uma das maiores e mais importantes expressões do que é
chamado Modernismo no design e na arquitetura, sendo a primeira escola de design do
mundo. A escola foi fundada por Walter Gropius em 25 de abril de 1919, a partir da reunião
da Escola do Grão-Duque para Artes Plásticas. A maior parte dos trabalhos feitos pelos alunos
nas aulas-oficina foi vendida durante a Segunda Guerra Mundial.
Gropius pressentiu que começava um novo período da história com o fim da Primeira
Guerra Mundial e decidiu que a partir daí deveria criar um novo estilo arquitetônico que
refletisse essa nova época. O seu estilo tanto na arquitetura quanto na criação de bens de
consumo visava funcionalidade, custo reduzido e orientação para a produção em massa, sem
jamais limitar-se apenas a esses objetivos.
Gropius queria unir novamente os campos da arte e artesanato, criando produtos
altamente funcionais e com atributos artísticos. Ficando de fora a ornamentação exagerada,
objetos com novas formas, mais limpas e funcionais.
A escola publicava uma revista chamada Bauhaus e uma série de livros chamados
Bauhausbücher. O diretor de publicações e design era Herbert Bayer. Bauhaus é um dos
principais endereços para pesquisadores interessados em investigar a trajetória da mais
influente escola de arquitetura, design e arte do século 20.
Arquivo Bauhaus, existente há 30 anos em Berlim, é certamente discreto demais.
Reinaugurado após período de reformas e reparos técnicos, o museu renova sua exposição
permanente.

Arquivo Bauhaus é uma das mais discretas atrações de Berlim


WALTER GROPIUS E OUTROS MESTRES DA BAUHAUS:

Bauhaus

A Staatliches-Bauhaus, casa estatal da construção, mais conhecida simplesmente


por (Bauhaus) foi uma escola de design, artes plásticas e arquitetura de vanguarda que
funcionou entre 1919 e 1933 na Alemanha.
Perseguida pelo regime nazista, que não concordava com a proposta da escola de arte
e arquitetura, tendo que ser transferida para Dessau, uma cidade independente da Alemanha,
onde foi construída a nova sede da escola.

Edifício da Bauhaus. Dessau, 1925-6. Walter Gropius.

A Bauhause, com uma arquitetura, mais racionalista, e radicalmente contrária ao


academicismo vigente – principalmente o do século XIX, expresso no Ecletismo. Outras
edificações de influência, ou de membros da Bauhause:

Sede do Jornal Pravda Leningrado. 1924. Irmãos Vesnin.


Bairro Weissenhof. Stuttgart, 1927. Edifícios de Hans Scharoun (E), J. J. P. Oud (C) e Mies van der Rohe (D).

Fábrica Fagus, Alfeld. 1911-13. W. Gropius e A. Meyer.

Esta foi um pequeno resumo do que foi a Bauhsuse, e seu estilo predominante como
nova forma de ver e adaptar as necessidades da vida moderna, etc... Este “estilo” diferente e
inovador, com fachadas enxugadas, quase sem ornamentação, com concreto aparente, uso de
muito vidro, formas geométricas.
BARROCO “{”

Barroco é o período da arte que vai de 1600 a 1780 e se caracteriza pela


monumentalidade das dimensões, opulência das formas e excesso de ornamentação. É o estilo
da “grandiloquência” (s. f. Qualidade do estilo elevado, grandioso, muito eloquente. Dic.
Michaelis, UOL) e do exagero. Essas características todas podem ser explicadas pelo fato de o
barroco ter sido um tipo de expressão propagandista.
O absolutismo monárquico e a Igreja da Contrarreforma utilizaram o barroco como
manifestação de grandeza. Nascido em Roma a partir das formas do cinquecento
renascentista, logo se diversificou em vários estilos paralelos, à medida que cada país europeu
o adotava e o adaptava à sua própria realidade. Nações protestantes como a Inglaterra, por
exemplo, criaram uma versão mais moderada do estilo, com edifícios de fachadas bem menos
carregadas que as italianas.

Fachada da Igreja de San Borromeo,


em Noto, Sicilia.

O barroco é libertação espacial, é libertação mental das regras dos tratadistas, das
convenções, da geometria elementar. É libertação da simetria e da antítese entre espaço
interior e exterior.

Por essa ser à vontade, de libertação, o barroco assume um significado do estado


psicológico de liberdade e de uma atitude criativa liberta de preconceitos intelectuais e
formais.
É a separação da realidade artística do maneirismo. A arquitetura barroca ocorreu em
vários países cristãos da Europa como Itália, Áustria, Espanha e Portugal. Países protestantes
como a Inglaterra não apresentam a arquitetura barroca.

Exemplo de edificação barroca-

Fachada do Palácio de Dos Águas


Valência

Igreja de Il Gesú - Vignola y Giacomo della Porta


Roma - século XVI

A ESCULTURA BARROCA-

Suas características são: o predomino das linhas curvas, dos drapeados das vestes e do uso
do dourado; e os gestos e os rostos das personagens revelam emoções violentas e atingem
uma dramaticidade desconhecida no Renascimento.
Barroco: termo de origem espanhola ‘Barrueco’, aplicado para designar pérolas de
foerma irxregular.

Na Escultura, a aura barroca teve um importante papel no complemento da


arquitetura, tanto na decoração interior como exterior, reforçando a emotividade e a
grandiosidade das igrejas.

Destacam-se principalmente as obras de Bernini, arquiteto e escultor que dedicou sua


obra exclusivamente a projeção da Igreja Católica, na Itália. A principal característica de suas
obras é o realismo, tendo-se a impressão de que estão vivas e que poderiam se movimentar.

As esculturas em mármore procuraram destacar as expressões faciais e as


características individuais, cabelos, músculos, lábios, enfim as características específicas
destoam nestas obras que procuram glorificar a religiosidade.
Multiplicavam-se anjos e arcanjos, santos e virgens, deuses pagãos e heróis míticos,
agitando-se nas águas das fontes e surgindo de seus nichos nas fachadas, quando não
sustentavam uma viga ou faziam parte dos altares.
OSCAR NIEMEYER “(”

Arquiteto brasileiro com maior visibilidade no Brasil e mundo a fora. Niemeyer acha
que só usa arquitetura quem tem dinheiro. Morou em Laranjeiras, teve infância tranquila. Na
mocidade veio à euforia, depois se casou e vieram os compromissos. Considerava que a vida
não tinha nada de especial, e que era um ser humano insignificante e que a “vida é como um
sopro”.
De família católica, avô ministro do supremo, quando morreu deixou a casa. Seu
primeiro projeto ainda na faculdade para um parente médico. Preferiu trabalhar de graça para
Lúcio Costa, dizia que queria fazer uma boa arquitetura. Considera a política importante na
arquitetura e na vida como um todo. Odeia o capitalismo, e odeia o ângulo reto. Disse:
“Bauhause, foi o paraíso da mediocridade”.
Gosta de chamar artistas para expor suas criações na arquitetura, como foi na grande
obra de arquitetura modernista no Brasil o ministério da educação. Conquistou a amizade e
simpatia de J.K em um dos seus primeiros projetos, o complexo da Pampulha na capital
mineira. Daí já fora escolhido para ser o arquiteto responsável de projetar os prédios de
Brasília. “Valorizava” curvas femininas tão evidentes em sua arquitetura, que quando
perguntado o que dava prazer á ele hoje: “O importante é mulher, o resto é besteira”.
Foi pioneiro na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto
armado.

Capela da Pampulha; Belo Horizonte: MG.

Seus trabalhos mais conhecidos são os edifícios públicos que desenhou para a cidade
de Brasília.
Membro da equipe de Lucio Costa e Le Corbusier na elaboração do Palácio Gustavo
Capanema (Rio, 1936-42), primeiro a adotar pilotis e abolir ornamentos, Niemeyer mergulhou
naquele espírito e começou a fundamentar seu estilo na estrutura singela e marcante do
barroco mineiro. Embora goste de dizer que optou pelas curvas inspirando-se nas montanhas
do Rio – como o livro reproduz já na abertura – e no corpo feminino, a origem é aquela. Isto é
comprovado pelos trabalhos feitos não por acaso na Pampulha, em Belo Horizonte, a convite
do então prefeito Juscelino Kubitschek, no início dos anos 40; lá está a Igreja de São
Francisco de Assis, que remete à de Aleijadinho em Ouro Preto.

Algumas criações de Niemeyer:


Casa das Canoas:

“Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo
homem. O que me atrai é acurva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu
país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De
curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein.” - OSCAR NIEMEYER.
AS DIFERENÇAS ENTRE OS ESTILOS: BAUHAUSE, BARROCO E
NIEMEYER. “[{(’’

As principais diferenças entre um estilo e outro é a proposta a finalidade, ou visão


poética, religiosa, entre os três estilos. Um estilo começa em 1600 a 1780, e tem em suas
formas côncavas, convexas, curvas, em forma de onda, com interior inteiramente decorado
com pinturas folheados, esculturas, com várias cores, algo bem chamativo, esse o exuberante
barroco que surgido na Itália. Enquanto que nos “estilos” Niemayer e Bauhouse, houve uma
limpeza nas ornamentações, também por fazerem parte de uma nova visão e entendimento de
arte e arquitetura no mundo. Bauhouse uma escola de belas artes e arquitetura, criou no
mundo um novo estilo arquitetônico que refletisse essa nova época. O seu estilo tanto na
arquitetura quanto na criação de bens de consumo visava funcionalidade, custo reduzido e
orientação para a produção em massa, sem jamais limitar-se apenas a objetivos. Esta era a
visão de Walter Gropius, criador da Bauhause. Já Oscar Niemeye, arquiteto modernista, não
se encantava com a pura e simples linha reta, amante das paisagens e curvas brasileiras,
inserindo nas suas criações estas curvas que tanto gosta isto é evidente ao obsevar suas obras
no Brasil e mundo a fora.

O barroco e Bauhouse e Niemayer:

Características do barroco: Apelo sentimental, no campo das emoções, estilo


arquitetônico mais usado em edificações religiosas, igrejas, etc... Nas capelas e igrejas o teto
sempre muito bem ornamentado com pinturas, foliados, adornos, esculturas...
Exemplos:
Igreja de Santo André de Qurinale,
projetada por Gian Lorenzo Bernini. ( estilo barroco)

Edifício da Bauhaus, em Dessau, de 1925 a 1926


(estilo Baauhaus)

Casa das Canoas


(estilo Niemeyer)
Clique para Ampliar.
Fachada da Igreja de San Borromeo,
em Noto, Sicilia.
(estilo barroco)

As diferenças são enormes, enquanto que em uma é toda trabalhada, em adornos,


colunas, capteis decorados, formas extravagantes e bastante trabalhada, isso já não ocorre no
estilo da escola de arte e arquitetura Bauhause, em seus prédios, casas, monumentos, não
existe ornamento, é uma arquitetura limpa de formas reta sem curvas ou adornos, deixando o
concreto aparente muitas vezes. No estilo de Oscar Niemeyer, assim como a “Bauhouse” são
estilos modernistas, mais adaptado ao novo estilo de vida do homem do século XX ou XXI,
em sua arquitetura utiliza tanto as formas retas, quanto a curva inspirada na mulher brasileira
e na geografia do rio de Janeiro e Minas.
Oscar Niemeyer e o Barroco:

As curvas do barroco e as curvas de Niemeyer: No barroco, em suas fachadas e


interior as curvas que existiam (existe) eram ornamentadas, e talvez a intenção era de dar
maior profundidade e nuanças as fachadas e interior. Oscar Niemeyer procurava algo mais
fácil de ver, quebrando com suas curvas no concreto armado a rigidez e monotonia do ângulo
reto.
Exemplo: Oscar Niemeyer-
Barroco-
CONCLUSÃO

Três estilos peculiares, três manifestação da vontade do homem na forma, di acordo


com suas ideias. A forma peculiar nasce de uma nova visão, uma maneira “nova’’ de enxergar
as mesmas coisas, de formas diferentes, colocando ou retirando itens. Bauhause, Niemeyer e o
Barroco, formas distintas, e semelhantes ao mesmo tempo. Épocas diferentes, focos
diferentes, mas todos os três estilos sempre passando uma mensagem, seja ela de maior ou
menor significado.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LE CORBUSIER. Por uma Arquitetura. São Paulo. Perspectiva, 1989, p. 85.

VAN DOESBURG Theo. “Dezessete pontos de uma arquitetura Neoplástica”. Apud

FUSCO, Renato de. La Idea de Arquitectura. Barcelona, Gustavo Gili, 1976, p.123.

STAM, Mart. “Kollektive Gestaltung’. Apud FRAMPTON, Kenneth. Historia Crítica de la

Moisei Guinzburg. Apud KOPP, Anatole. Quando o moderno não era um estilo e sim uma

causa. São Paulo: Nobel / Edusp, 1990, p. 79-80.

LE CORBUSIER. Apud Banham, op. cit., p. 356.

Piet Mondrian. Apud FUSCO, Renato de. La Idea de Arquitectura. Barcelona, Gustavo Gili,

1976, p.124-125.

Publicações e design era Herbert

Bayer<http://arquiteturabauhauschicao.blogspot.com.br/2010/09/bauhaus-

arquitetura_26.html>

<http://www.arquitetura.com.br/noticias/noticia.php?idNot=951>

<http://emdiv.com.br/pt/arte/enciclopediadaarte/581-o-barroco-arquitetura.html>

<http://www.pegue.com/artes/arquitetura_barroca.htm>

<http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/barroco/arte-barroca-12.php>

<http://www.aluzdaluz.com.br/barroco.htm>

<http://educacao.uol.com.br/disciplinas/artes/barroco-1-igreja-impulsiona-arte-sacra.htm>