Você está na página 1de 24

1

1 ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA ROSA ESPORTE E DESEMPENHO ESCOLAR Londrina/PR 2018
1 ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA ROSA ESPORTE E DESEMPENHO ESCOLAR Londrina/PR 2018

ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA ROSA

ESPORTE E DESEMPENHO ESCOLAR

Londrina/PR

2018

2

ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA ROSA

ESPORTE E DESEMPENHO ESCOLAR

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à

Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), como

requisito parcial para a obtenção do título de

Graduação em Educação Física Licenciatura

Orientadora: Renata Leila Albino

3

ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA ROSA

ESPORTE E DESEMPENHO ESCOLAR

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), como requisito parcial para a obtenção do título de Graduação em Educação Física Licenciatura

BANCA EXAMINADORA

Prof(ª)

Prof(ª)

Prof(ª)

Londrina,

de dezembro de 2018.

4

Aos meus pais Lucenir de Oliveira e Francisco Rosa, que são minha inspiração.

9

AGRADECIMENTOS

Ao Senhor Deus; pela saúde, coragem, saber e proteção, sem os quais nada é possível. Por ter colocado pessoas maravilhosas na minha vida e por me agraciar com a oportunidade de participar desse curso.

À minha família pela paciência e compreensão. Em especial, aos meus pais, que sempre me apoiaram, incentivaram e passaram que uma pessoa deve ser dotada com os valores da honestidade, paciência, perseverança e fé.

Aos meus Professores meu agradecimento pelo incentivo e apoio, sem os quais a realização deste trabalho não teria sido possível, pois eles me deram forças e não me deixaram desistir.

10

ROSA, ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA, Esporte e Desempenho Escolar, 2018, 31 folhas, Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física Licenciatura) Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), Londrina, 2018.

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi fazer um estudo sobre o como é o desempenho do esporte no meio escolar do pré escolar até o ensino médio, pois a prática de esporte ajuda no desenvolvimento social e físico dos alunos. Com baseamento nesse assunto nasceu o pensamento de como usar o esporte nas escolas para o desenvolvimento dos alunos. O seu objetivo foi demonstrar o potencialidade do esporte quando usado nas escolas, princípios básicos da educação física, exibindo a importância básica na educação física, as práticas esportivas para o desenvolvimento do trabalho em grupo e a importância do esporte nom meio escolar. Para isso foi usado como metodologia pesquisa artigos publicados em periódicos nacionais que estão disponíveis para consulta em base de dados, tais como: Google Acadêmico, em livro na biblioteca da faculdade, e em livros on line. Como considerações finais pode se dizer que o tema nos ajudou a ver que o esporte auxilia a estimular desenvolvimento psicológico, afetivo e motor dos alunos na fase escolares, nas aulas de educação física podemos ver a sua importância, de modo, que contribui e muito no desenvolver-se físico desses alunos, e é por meio do professor de Educação Física, que os alunos são orientados, nas atividades físicas ele pode guiar os alunos a interagir melhor com seus colegas e ajuda-los a ver que o esporte pode ajuda-los no seu desenvolvimento de uma forma geral.

11

ROSA, ABNER GUSTAVO DE OLIVEIRA, Sport and School Performance, 2018, 31 leaves, Course Completion Work (Undergraduate Degree in Physical Education - Licenciatura) University of North Paraná (UNOPAR), Londrina, 2018.

ABSTRACT

The aim of this study was to study the performance of sports in the school environment from pre-school to high school, since sports practice helps students' social and physical development. Based on this subject was born the thought of how to use sport in schools for student development. Its purpose was to demonstrate the potentiality of sport when used in schools, basic principles of physical education, exhibiting the basic importance in physical education, sports practices for the development of group work and the importance of sports in the middle school. For this, it was used as research methodology articles published in national journals that are available for consultation in database, such as: Google Scholar, in book in the library of the faculty, and in books on line. As final considerations it can be said that the theme helped us to see that the sport helps to stimulate the psychological, affective and motor development of the students in the school stage, in the physical education classes we can see its importance, so that it contributes and much in the physical development of these students, and it is through the Physical Education teacher, that the students are guided in the physical activities he can guide the students to interact better with their colleagues and helps them see that the sport can help them in its development in general.

12

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

13

1.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA

15

2. PRÁTICAS ESPORTIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO

TRABALHO EM GRUPO

19

3.

A IMPORTÂNCIA DO ESPORTE NO MEIO ESCOLAR

22

CONSIDERAÇÕES FINAIS

25

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

27

13

INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como finalidade apresentar algumas vantagens na prática esportiva no período escolar e na adolescência, assim incentivar as escolas, alunos e professores a valorizarem as atividades físicas no ambiente escolar, mostrando que a prática regular de esportes leva os alunos a obterem melhores resultados nos estudos, ajudando a aumentar a atenção, a concentração e, consequentemente, os resultados nas prova. Podemos perceber que muitos alunos cada vez mais estão se distanciando da aprendizagem prática nas aulas de educação física, e da prática de esportes fora do contexto escolar, por meio de novas tecnologias como celulares, notebooks, vídeo game, contendo vários tipos de jogos e fontes de entretenimento que não precisam sequer levantar do lugar. Temos que chamar a atenção para a gravidade do problema em questão, já que a educação física é a principal matéria responsável pelo desenvolvimento motor, cognitivo, afetivo e social da criança. Este trabalho tem como objetivo demonstrar o potencial do esporte em trabalhar princípios básicos de disciplina, de respeito, de dedicação, persistência e a aceitação social, apresentando a importância das práticas esportivas para o desenvolvimento do trabalho em grupo e a diferença no desempenho daqueles que praticam ou não esportes e também expondo a relevância do esporte como meio de estimular a ampliação das perspectivas de vida individuais e coletivas por meio de metas e objetivos na vida dos alunos. Sendo assim, a Educação Física, vem se transformando ao longo dos anos, tem se obtido um grande nível, pois sabemos que é notável essa grande transformação, os alunos olham para disciplina com uma oportunidade para o futuro. Diante disso, como podemos fazer para que o esporte e o desempenho escolar caminhem juntos para melhorar o rendimento do aluno? Podemos dizer que as Crianças e pré-adolescentes que participam de projetos ou escolinhas de esportes tendem a apresentar um desempenho escolar ainda melhor: os treinamentos fazem com que a criança adquira uma rotina escolar para que ela consiga estudar e praticar a atividade física escolhida sem perda de rendimento em nenhum dos dois. Um bom motivo para as escolas incentivarem as práticas esportivas com

14

seriedade é quanto ao problema de peso que jovens e crianças têm apresentado. Os esportes podem ser os mais conhecidos, como vôlei, basquete, handebol, futsal, natação, judô ou karatê, ginástica rítmica, dança, ginástica olímpica, etc., dependendo do gosto e do interesse dos alunos. Para o desenvolvimento do mesmo, foram divididas as atividades em quatro etapas, sendo eles o tema, a revisão bibliográfica, a análise do problema e os resultados. Os dados coletados foram feitos a partir uma série documental por livros, teses e monografias, de dados coletados na internet e também em materiais presentes na biblioteca universitária e virtual.

15

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA

A escola deve ajudar os alunos a ter conhecimento do seu corpo, visando

sempre melhorar o desenvolvimento das habilidades da criança ainda na fase inicial. Apesar dos diversos cenários que a prática esportiva mantém relação e que essa é mais intima, é a escola. Santos e Simões (2007) nos mostram que um dos primeiros lugares que permitem o contato do indivíduo com o esporte é a escola, pois não são todos os lugares que possuem espaços adequados para uma prática esportiva de qualidade.

O papel da escola deve ser também de uma preparação para a vida, os métodos pedagógicos por consequência, tendem a ajudar o aluno a desenvolver da

melhor maneira possível, e a tirar o melhor proveito de todos os seus recursos, preparando-se para a vida social.

A escola é importante, pois ela contribui no aperfeiçoamento de seus alunos,

e é na escola que ele aprende a adquirir conhecimentos sobre seu corpo, visando

seu crescimento interpessoal.

A Educação Física como componente curricular da Educação dos alunos

desde o ensino infantil até o ensino fundamental e médio na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) nos mostra que a prática tem como função essencial proporcionar uma aprendizagem que apresente aspectos afetivos, sociais e éticos, além de estimular hábitos saudáveis de higiene e alimentação, ter espírito crítico e conhecer as

diversas manifestações da cultura corporal.

Como bem atesta Karine Silvério (2010, p.11).

“Procurar aperfeiçoar as habilidades de movimento, enfrentar as dificuldades que ocorrem nos jogos, propor-se a correr o risco de ganhar ou de perder são as exigências necessárias que fazem um jogo mais hábil a cada dia e transformam o ser humano em alguém mais capaz. Lembrando que a Educação Física escolar não tem o objetivo de formar atletas, mas objetiva propiciar a diversidade de experiências.

Devendo ser considerada como uma educação de base na escola primária. Ela condiciona todos os aprendizados pré-escolares e escolares; leva a criança a tomar consciência de seu corpo, da lateralidade, a situar-se no espaço, a dominar o tempo, a adquirir habilmente a coordenação de seus gestos e movimentos, ao

16

mesmo tempo em que desenvolve a inteligência. Deve ser praticada desde a mais tenra idade, conduzida com perseverança, permite prevenir inadaptações, difíceis de corrigir quando já estruturada. (LE BOULCH,1988) Nos séculos XIX e XX, de acordo com os estudos de Wajskop (2001), passou-se a pensar na educação das crianças e a inserir as brincadeiras como recurso de aprendizagem, fazendo uso de materiais pedagógicos com a função de desenvolver habilidades que propiciaria o desenvolvimento integral da criança. Portanto começou-se a utilizar objetos que fazem parte da sua realidade, uma cadeira pode-se explorar forma, tamanho, cor, mostrando que é um material concreto que faz parte de todo um contexto.

A metodologia de ensino e aprendizagem em Educação Física, não se

restringe a execução de certas habilidades e desenvolturas, mas sim de capacitar o aluno a refletir sobre suas limitações corporais e, com autonomia, executa-las de

maneira social e cultural significativamente adequada. Para Scarpato (2007) a educação física deve assumir também a responsabilidade que lhe é devida no processo educacional, contribuindo para com as finalidades educacionais indicadas na lei para a educação básica no seu Art. 22 afirma que “a educação básica tem por finalidade desenvolver o educando, assegurar-lhe formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.” Mais do que estimular a prática de um esporte, a educação física tem a função de permitir que os alunos vivenciem outras culturas. É preciso entendê-la como uma manifestação de cultura, onde o estudante além de saber praticar os movimentos corporais corretamente deve também entender a importância da cultura notória.

Ao praticar atividades físicas os alunos têm a vantagem de melhorar a saúde e diminuir riscos de doenças como a obesidade, hipertensão arterial, colesterol alto e doenças respiratórias. Além disso, contribui para desenvolver habilidades nos esportes. É na escola que os alunos aprendem a importância de ter um estilo de vida mais saudável e equilibrado. O professor representa um papel importante para promover uma vida saudável e ativa aos seus alunos.

O professor tem a função de ensinar ao aluno o que é certo e o que é

errado. Isso faz com que sua função seja importante na formação do aluno para a

17

sociedade, ainda que não seja valorizado como se deve. Por isso, é muito importante fazer com que o aluno tenha consciência de cuidar da saúde, e ter hábitos saudáveis. A educação física veio para somar e contribuir com a educação intelectual e moral nas escolas, uma das responsabilidades dessa disciplina é de instruir e

instigar o aluno a opinar e se posicionar criticamente em relação às atuais linhas de cultura corporal de movimento.

A Educação Física é uma disciplina muito significativa, porém, por diversas

vezes, pouco valorizada na grade curricular. Ela insere, adapta e incorpora o aluno

no saber corporal de movimento, sua função é formar o cidadão que segundo Betti (1992) irá produzi-la, reproduzi-la e transformá-la, qualificando-o para desfrutar os jogos, os esportes, as danças, as lutas, as ginásticas e práticas de aptidão física, em proveito do exercício crítico dos direitos e deveres do cidadão para a benfeitoria da qualidade de vida humana.

A Educação Física é a aula mais esperada da semana, embora no ensino

médio, os jovens já não tenham mais a mesma empolgação de quando eram crianças, principalmente o público feminino. É também, uma das matérias que mais apresenta aspecto preventivo, sobretudo em relação à saúde e bem-estar. No entanto, a educação física muitas vezes é mal-empregada nas escolas brasileiras, principalmente a respeito do ensino tático e teórico. Será que as escolas e os professores estão tendo dificuldades de alcançar os objetivos propostos pelo ensino da mesma? De fato, há uma lacuna que provoca muitas vezes o desinteresse de muitos alunos por essa disciplina notável. Espera-se que ao final do ensino fundamental os alunos sejam capazes de:

• participar de atividades corporais, estabelecendo relações equilibradas e construtivas com os outros, reconhecendo e respeitando características físicas e de desempenho de si próprio e dos outros, sem discriminar por características pessoais, físicas, sexuais ou sociais; • adotar atitudes de respeito mútuo, dignidade e solidariedade em situações lúdicas e esportivas, repudiando qualquer espécie de violência;

18

• conhecer, valorizar, respeitar e desfrutar da pluralidade de manifestações de cultura corporal do Brasil e do mundo, percebendo-as como recurso valioso para a integração entre pessoas e entre diferentes grupos sociais;

• reconhecer-se como elemento integrante do ambiente,

adotando hábitos saudáveis de higiene, alimentação e atividades corporais, relacionando-os com os efeitos sobre a própria saúde e de recuperação, manutenção e melhoria da saúde coletiva;

• solucionar problemas de ordem corporal em diferentes

contextos, regulando e dosando o esforço em um nível compatível com as possibilidades, considerando que o aperfeiçoamento e o desenvolvimento das competências corporais decorrem de perseverança e regularidade e devem ocorrer de modo saudável e equilibrado; • reconhecer condições de trabalho que comprometam os

processos de crescimento e desenvolvimento, não as aceitando para si nem para os outros, reivindicando condições de vida dignas;

• conhecer a diversidade de padrões de saúde, beleza e

estética corporal que existem nos diferentes grupos sociais,

compreendendo sua inserção dentro da cultura em que são produzidos, analisando criticamente os padrões divulgados pela mídia e evitando o consumismo e o preconceito;

• conhecer, organizar e interferir no espaço de forma

autônoma, bem como reivindicar locais adequados para promover atividades corporais de lazer, reconhecendo-as como uma necessidade básica do ser humano e um direito do cidadão. (parâmetros curriculares nacionais)

19

2. PRÁTICAS ESPORTIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO EM GRUPO

Claro que o ensino dos esportes tem a sua importância, mas não na fase pré-escolar e nas séries iniciais. Como escreve o professor João Batista Freire (2003, p. 35) “já manifestamos nossa discordância quanto ao consenso que aponta como conteúdos básicos da educação física o jogo, o esporte, a dança a luta e a ginástica”. Nessa fase o aluno deve adquirir noções de espaço, limites, lateralidade, sociabilidade, percepção para depois aprender algum esporte. Precisamos resgatar a Educação Física nas suas raízes e verificar que ela tem uma importância muito maior. É nosso dever mostrar os benefícios que a Educação Física pode efetuar em todos os aspectos como ensinar a viver em sociedade, pensando como sociedade e agindo como sociedade; ensinar o aluno a ser um cidadão, onde o coletivo não deve ser sobrepujado pelo individual (FREIRE, 2003). Sem um bom desenvolvimento 8 integral, o aluno terá grande dificuldade em ter um bom desenvolvimento na escrita, no papel social, no relacionamento, na sociabilidade. De modo que é na interação que se promove a construção de conhecimentos. De acordo com Libâneo (2011, p. 96),

o aluno aprende na escola quando os outros, inclusive a professora e o

próprio contexto institucional e sociocultural, ajudam a desenvolver suas capacidades metais, com base nos conhecimentos, habilidades, modos de viver já existentes na ciência e na cultura historicamente acumulada. Isso não é de forma alguma espontâneo, nem depende somente do ritmo de aprendizagem de cada aluno. Depende de uma estrutura organizacional forte, de atuação da escola e dos professores como adultos que realizam a mediação cultural; dependem de que suscitem nos alunos o desejo de aprender, de serem melhores pessoas, de compreender melhor as coisas” (Libâneo, 2011, p. 96).

“[

]

A educação física escolar promove muitos benefícios, começando pelo incentivo da pratica de esportes e atividades físicas, como por exemplo:

Favorece o desenvolvimento motor;

Contribui para a integração social da criança e do adolescente;

Colabora para que os alunos adquiram autoconfiança;

Melhora a autoestima;

Contribui para que o aluno se expresse melhor;

20

Favorece as questões e vivencias sobre o mundo que convivem;

Ajuda o aluno a conhecer e a compreender as mudanças e o limite do próprio corpo;

Reduz o estresse e as pressões do dia a dia;

Coopera para um estilo de vida melhor;

(a importância da educação física escolar na formação do individuo)

É interessante criar campeonatos na escola, pois contribuem para os alunos aprenderem análises táticas, desenvolver trabalho em equipe e respeito aos

adversários, mas é de suma importância que todos participem. Destaca-se também

a importância da formação das equipes que devem ser misturadas tanto em

gêneros, portes físicos e também os mais e os menos habilidosos. Porém, como descreve Falkenbach (2002), é na escola o lugar de desenvolver a educação física que provoca as trocas e as aprendizagens entre as pessoas. Ela é responsável pelo aprendizado das relações entre as pessoas por via

corporal. Portanto temos as expectativas que a educação física escolar exercerá o papel de fazer e compreender que a criança como sujeito dentro do espaço lúdico- educativo, irá aprender e se desenvolver ao se expressar. Portanto entende-se que é na escola que a criança deve desenvolver os aspectos de socialização com próximo, e também vivenciar a aprendizagem através

de experiências trocadas com os colegas de classe. Dar oportunidade as crianças na elaboração das leis. [

têm

possibilidade de questionar os valores morais. Os jogos em grupo dão inúmeras chances para se elaborarem regras, ver seus efeitos, modificando-os e comparando para ver o que acontece. (FRIEDMANN, 1996, p. 74).

Os jogos e as brincadeiras são excelentes recursos didáticos propiciadores do desenvolvimento integral da criança. Sob esta perspectiva alguns autores, como; Friedmann (1996), Huizinga (1938, apud FRIEDMANN) e Santos (2000) conceitua-

mas uma

atividade real para aquele que brinca”. (FRIEDMANN, 1996, p. 20). Segundo a autora, para a criança que brinca o jogo não é apenas uma brincadeira, e sim uma ação verdadeira, por isso, o jogo é visto como uma forma de desenvolvimento e socialização. Dessa forma, ao se identificar com a brincadeira envolvendo o jogo, a criança não percebe ou tem consciência do seu real significado.

os de forma diferente, visto que “O jogo é, pois, um “quebra-cabeça” [

],

elas

]

21

A Educação Física escolar nos mostra a liberdade cognitiva e emocional dos

estudantes para a aprendizagem. Isso é um ponto importante para um ambiente de convívio onde o respeito e tolerância devem ser trabalhados. Saber como se relacionar em grupo desperta um controle evolutivo de comportamentos, valores, normas e atitudes. Na escola, o aluno tem a chance de se socializar com outras crianças através da recreação, jogos e brincadeiras dirigidas. Portanto a educação física tem o dever de contribuir para que a criança ou adolescente desenvolva a autoconfiança interagindo com o grupo e também desenvolver habilidades motoras.

É nas aulas de educação física que muitas vezes lidamos com o diferente,

com as limitações físicas e psíquicas nossa e dos outros. Por isso, a importância do docente despertar essa percepção no aluno, para que ele leve para a vida o saber conviver e o saber respeitar a diversidade que faz parte da sociedade. No âmbito das práticas coletivas da cultura corporal com fins de expressão de emoções, sentimentos e sensações, as relações de afetividade se configuram, em muitos casos, a partir de regras e valores peculiares a determinado contexto estabelecido pelo grupo de participantes. Assim, é a partir do fato de uma atividade se revestir de um caráter competitivo ou recreativo, se a eficiência ou a plasticidade estética serão valorizadas, ou se as regras serão mais ou menos flexíveis, que serão determinadas as relações de inclusão e exclusão do indivíduo no grupo. Na escola, portanto, quem deve determinar o caráter de cada dinâmica coletiva é o professor, a fim de viabilizar a inclusão de todos os alunos. Esse é um dos aspectos que diferencia a prática corporal dentro e fora da escola.

22

3. A IMPORTÂNCIA DO ESPORTE NO MEIO ESCOLAR

É visível que a educação física é de suma importância no ambiente escolar, pois os alunos que praticam esportes na escola, tem um melhor desempenho nas outras disciplinas. Para que haja um melhor desenvolvimento cognitivo e motor, não é necessário usar atividades especificas, sabemos que qualquer tipo de atividade física sendo ela direcionada a um resultado esperado ou não, traz benefícios para as pessoas. Tanto para crianças jovens, adolescentes, adultos e idosos, a atividade física praticada de maneira correta é extremamente importante para a qualidade de vida.

Para Ribeiro (2001), p. 56, quando alguém muda o corpo, muda também sua cabeça e suas emoções. Assim podemos dizer que o jovem mais ativo, tem mais disposição para realização de suas tarefas diárias, consequentemente apresentam melhor saúde em relação aos sedentários.

Segundo Barros (1993, apud VIEIRA; PRIORE; FISBERG, 2002, p. 2)

A atividade física é um importante auxiliar para o aprimoramento e desenvolvimento do adolescente, nos seus aspectos morfofisiopsicológicos, podendo aperfeiçoar o potencial físico determinado pela herança e adestrar o indivíduo para um aproveitamento melhor de suas possibilidades. Paralelamente à boa nutrição, a adequada atividade física deve ser reconhecida como elemento de grande importância para o crescimento e desenvolvimento normal durante a adolescência, bem como para diminuição dos riscos de futuras doenças.

O desempenho escolar de um aluno depende de vários fatores, ou seja, família, amigos, sociedade, e quando se trata de adolescência é um pouco mais difícil, pois é uma fase onde há diversas mudanças. Marchesi e Gil (2004 apud PESERICO, 2009, p. 25), afirmam que a disposição do aluno para aprender, como também a motivação ou interesse pelos estudos, não dependerá somente dele, mas sim dos contextos social, familiar e cultural no qual vive, além do funcionamento da escola e do tratamento pelos professores. Além do desempenho escolar existe outro fator importante na vida de qualquer pessoa, que é a saúde, é estar de bem com a vida, é ter alegria e disposição, e o esporte nos trás todas essas sensações, por esse motivo a atividade física deve ser indispensável na vida de qualquer pessoa seja qual idade tiver, não

23

esquecendo que muitas vezes os esportes são praticados de forma incorreta, que acabam trazendo riscos para a saúde. Professores de educação física sabem aplicar os exercícios para seus alunos evitando o estresse e as lesões, por isso sempre é necessário um profissional competente. Um bom motivo para as escolas incentivarem as práticas esportivas com seriedade é quanto ao problema de peso que jovens e crianças têm apresentado. Os esportes podem ser os mais conhecidos, como vôlei, basquete, handebol, futsal, natação, judô ou karatê, ginástica rítmica, dança, ginástica olímpica, etc., dependendo do gosto e do interesse dos alunos. A criança que prática atividade física regular obtém:

- satisfação nas atividades do dia-a-dia;

- melhoria em suas habilidades motoras;

- redução de lesões;

- redução de doenças crônicas ligadas ao sedentarismo;

- melhoria em sua auto-estima;

- melhoria em sua responsabilidade e senso social;

- melhoria em sua expressão pessoal e liberdade;

- desempenho escolar acima da média.

“Há diversas opiniões em relação às práticas desportivas extracurriculares nas escolas. Muitas pessoas como, professores, diretores e até mesmo pais de alunos, apóiam o esporte na escola, mas muitos são totalmente contra desejando até a extinção desta pratica”. (VIACELLI, 2002).

Devemos ter a conscientização de que a Educação Física é muito mais abrangente e de extrema importância para o desenvolvimento da criança na fase pré-escolar e nas séries iniciais e, esquecer um pouco a Educação Física voltada para o ensino do esporte, percebendo que isto não corresponde às necessidades do aluno nessa faixa etária. No âmbito educacional, o esporte capacita o educador para desenvolver inúmeras habilidades cognitivas, motoras e comunicativas. Dessa forma, segue alguns conceitos:

“A escola, muitas vezes, é o local onde a criança tem o primeiro contato com o esporte, por isso devemos atentar para que as aulas de Educação Física tenham o maior proveito possível do esporte e trazer todos os benefícios que este pode representar para a formação física, mental e do caráter do cidadão. Em geral se consideram esportes as atividades de recreio ou competitivas que exigem certa dose de esforço físico ou de habilidade. Podem ser individuais ou coletivos” (Eidelwein & Nunes, 2010,

24

p.1).

As crianças ficam mais motivadas a usar a inteligência, pois querem jogar bem; sendo assim, esforçam-se para superar obstáculos, tanto cognitivos quanto emocionais. Estando mais motivadas durante o jogo, ficam também mais ativas mentalmente. (KISHIMOTO,2003, p.96).

As aulas de educação física são importantes porque além de promover o desenvolvimento integral do aluno, também ajuda a ter uma vida saudável, ajuda na socialização, no espírito de equipe e na prática do desporto. Os alunos participam das mais variadas experiências corporais para as quais são desafiados.

Acreditar que a atividade física passa a fazer parte do comportamento pessoal durante toda a vida, significa entender que isso só é possível mediante experiências satisfatórias com os exercícios físicos e os jogos. Os alunos devem ser desafiados e exercitados a entenderem que somente podem vencer quando estiverem se divertindo. A vitória não pode ser a condição para o divertimento. Caso o for, as atividades não são lúdicas. O divertimento deve estar presente no jogo e não no seu final (FALKENBACH,

2002).

São importantes também as aulas teóricas, passar para os alunos o conhecimento histórico e cultural dos esportes. Por isso, é importante que o professor esteja se atualizando e muitos por ter uma carga-horária extensa são impedidos de preparar aulas com qualidades. A prática da Educação Física na escola poderá favorecer a autonomia dos alunos para monitorar as próprias atividades, regulando o esforço, traçando metas, conhecendo as potencialidades e limitações e sabendo distinguir situações de trabalho corporal que podem ser prejudiciais. Por desconhecimento, receio ou mesmo preconceito, a maioria dos portadores de deficiências físicas foram (e são) excluídos das aulas de Educação Física. A participação nessa aula pode trazer muitos benefícios a essas crianças, particularmente no que diz respeito ao desenvolvimento das capacidades afetivas, de integração e inserção social. Portanto vemos que é de suma importância a pratica do esporte no ambiente escolar, tanto para desenvolvimento motor, cognitivo, social, quanto para ajudar no desenvolvimento do aluno na sua trajetória de vida.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

25

Durante a realização desse trabalho, percebeu-se o quanto a pratica do esporte influencia no aprendizado da criança dentro da sala de aula.

Pela análise dos conteúdos expostos neste trabalho, evidencia-se como o esporte é relevante e indispensável para o desenvolvimento da criança em uma escola. Vários autores ressaltam a importância das aulas de Educação Física para a relação da criança como o mundo em que ela se relaciona, visto que é através dessa pratica que a criança desenvolve a maioria das suas habilidades motoras e cognitivas. O presente trabalho foi capaz de demonstrar a relação direta entre Esporte e o desempenho escolar.

Os objetivos básicos da educação física assim como qualquer outra atividade física é trabalhar de forma harmônica o corpo e a mente. A prática do esporte na escola tem como função essencial proporcionar uma aprendizagem que apresente aspectos afetivos, sociais e éticos, além de estimular hábitos saudáveis de higiene e alimentação. A escola deve ajudar os alunos a ter conhecimento do seu corpo, visando sempre melhorar o desenvolvimento das habilidades da criança ainda na fase inicial. O papel da escola deve ser também de uma preparação para a vida.

Temos que ressaltar também a importância da educação física no desenvolvimento da socialização do aluno com os colegas de classe no início da infância. Nessa fase o aluno deve adquirir noções de espaço, limites, lateralidade, sociabilidade, percepção para depois aprender algum esporte. É nosso dever mostrar os benefícios que a Educação Física pode efetuar em todos os aspectos como ensinar a viver em sociedade, pensando como sociedade e agindo como sociedade. É na escola o lugar de desenvolver a educação física que provoca as trocas e as aprendizagens entre as pessoas.

O esporte é muito importante no ambiente escolar, pois é através de sua prática que a criança desenvolve suas principais habilidades motoras. Também reduz lesões, reduz doenças crônicas ligadas ao sedentarismo, melhora sua autoestima, melhora sua responsabilidade e senso social, melhora sua expressão pessoal e liberdade, e tem um desempenho escolar acima da média, comparado aos

26

que não praticam esportes. Dessa forma, os objetivos da pesquisa foram alcançados satisfatoriamente, visto que os alunos que praticam atividades físicas regulamente foram os mesmos que mostram um melhor desempenho motor e também um melhor rendimento escolar.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

27

ALMEIDA, A. M. O. O lúdico e a construção do conhecimento: uma proposta pedagógica construtivista. Prefeitura Municipal de Monte Mor, Departamento de Educação, 1992.

BARROS, José D’Assunção. Projeto de Pesquisa suas funções e partes constitutivas. 4.ed- Petrópolis: Vozes.

BARROS, R. Coates V. Françoso, L, A. Beznos, G, W. Os adolescentes e o tempo livre: lazer atividade física. Medicina do adolescente. São Paulo: Sarvier, 1993.

BETTI, M. Ensino de primeiro e segundo graus: Educação Física para quê? Revista do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte, 1992.

BUENO, Elizangela. Jogos e Brincadeiras na educação infantil: ensinando de forma lúdica. Londrina PR, 2010.

BROUGÉRE, G. Jogo e educação. Trad. Patrícia C. Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

EIDELWEIN, B.; NUNES, M. S. Esporte na educação física escolar e sua importância na sociabilização. EFD eportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, nº 147, 2010. http://www.efdeportes.com/efd147/esporte-na-educacao-fisica- escolar.htm

FALKENBACH, A. P. A Educação Física na escola: uma experiência como professor, Lageado: Univates, 2002.

FREIRE, João Batista. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione,

2003.

FREIRE, Paulo e SHOR, Ira. Medo e ousadia o cotidiano do professor. 4 ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992

FRIEDMANN, Adriana. Brincar: Crescer e aprender o resgate do jogo infantil. São Paulo: Moderna, 1996

GALLAHUE, D.L.; OZMUN, J. C. Compreendendo o desenvolvimento motor:

bebes, crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte, 1989.

LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia. 5. ed. - São Paulo : Atlas

2003.

LE BOULCH, J. O corpo na escola no século XXI: práticas corporais. São Paulo:

Phorte, 2007.

28

Libâneo, J. C. (2011). Didática. 28. Ed. São Paulo: Cortez.

MATTOS, Mauro Gomes de. Educação física infantil: construindo o movimento na escola. Guarulhos, SP: Phorte, Editora, 1999.

MARCHESI, Álvaro; GIL, Carlos. Fracasso escolar: uma perspectiva multicultura. Porto Alegre: Artmed, 2004.

RIEIRO, Vera Masagão. A produção do alfabetismo em programas de educação de jovens e adultos. IN: Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras.

VIACELLI, S. Desporto e Rendimento Escolar. EFDeportes.com, Revista Digital.

Dezembro de 2002.

Buenos Aires

ANO

8

55

Vera Masagão Ribeiro (org.) Mercado de letras. Ação Educativa, Campinas SP,

2001.

SCARPATO, Marta. (Org.). Educação física: como planejar as aulas na educação básica. 1. ed. São Paulo: Avercamp, 2007.

Silvério, Karine Medeiros da Silva. (2010). Educação Física escolar: o esporte como conteúdo pedagógico do ensino fundamental. Retirado: agosto, 17, 2017, de http://www.bib.unesc.net/biblioteca/sumario/000042/00004237.pdf.

WAJSKOP, G. Brincar na Pré-escola. São Paulo: Cortez, 2001.