Você está na página 1de 3

Resistência CTI Mini Posto de Saúde do Tinguazinho (sede)

Arquivo64-16 (2017)

Em 2013 passamos a ocupar o espaço do


Posto de Saúde do Tinguazinho, e
A Resistência CTI é uma cia teatral preparamos a montagem da adaptação do
que se formou a partir do processo poema de Bertolt Brecht “Marrie Farra”.
sociopedagógico implementado nas escolas Paralelamente os monitores guiavam os
públicas situadas no município de Nova estudos para o descortinamento da realidade
Iguaçu, no ano 2007. Esse processo foi (codificação). Adotamos Paulo Freire e
fomentado pela ONG Somos 1. Boal como pilares essenciais do projeto, e
Em julho de 2009, fomos selecionados no junto com os educandos, percebemos o
edital da Casa da Moeda do Brasil, com o sistema de manutenção de privilégios que
projeto PAPEC (programa de Acesso Pleno havia se estabelecido nas escolas e nos
a Educação Cidadã) e CTI (Centro de meandros políticos de Austin. Montamos a
Teatro Integrado) que ofereciam oficinas oficina de “Função Social do Ator” e
na área de cenografia com materiais expandimos nosso alcance ate o CRASS do
recicláveis, música e teatro, além de Valverde, em parceira com o grupo
fomentar rodas de leitura e contação, CIZANE. No CRAS nossa turma contava
debates sociais e rodas de passinho. O com 80 alunos simultâneos fixos, mas
PAPEC garantia a todos os participantes chegou a ter 120 participantes numa mesma
acompanhamento com a assistente social e aula. Os participantes eram jovens de 14 a
fonoaudióloga. Foram 146 participantes 21 anos, estudantes de escola pública e
atendidos pelo programa. Quando o beneficiários do “Bolsa Família”.
fomento chegou ao fim, as diretoras Em 2014 preparamos a montagem
mantiveram nossas atividades como parte do mito grego de Orfeu,
da escola através do programa Horário
Integral; Realizávamos ao fim de cada ano Ensaio, Orfeu de Barro 2014.
um festival estudantil.

Último Festival Estudantil- “Abordando o tema Identidade, 2012.

livremente adaptada e intitulada “Orfeu de


Barro”, esse espetáculo foi apresentado na Libertare, Opressões Musicadas 2015.
Sala de Espetáculos Amir Haddad
(FAMA), no colégio municipal José de
Anchieta e no polo teatral da FAETEC de
Quintino. Aumentando o alcance das
parcerias do grupo. Essa característica se
tornou o ponto central do fazer teatral da
nossa turma: “ a arte para ser
transformadora, tem que ser
compartilhada”.
Em 2015 os alunos em conjunto
com os monitores transformaram os
depoimentos trabalhados na pesquisa de
Boal em musicas, dando vida ao espetáculo
“Libertare- opressões musicadas”. A
convite da professora Marina Henriques,
coordenadora do curso em licenciatura em
teatro da UNIRIO, o mesmo foi
apresentado dentro da instituição a fim de
mostrar aos alunos as possibilidades de
estudar teatro numa universidade pública. A
convite da mesma professora, apresentamos
nosso trabalho na Arena Dicró, junto com
as turmas da Maré, E esse encontro
possibilitou o contato com a Cia Marginal
que nos convidou a participar das trocas
marginais. Este trabalho também foi
realizado na Mostra de Cenas Autorais em
Santa Tereza e em 2016 fez parte da
ocupação cultural das bibliotecas Parque da
Arquivo64-16, 2017
Rocinha e do Centro do Rio de Janeiro.
Atualmente quatro membros do grupo estão
matriculados na Universidade Federal do
Rio de Janeiro.

Prosseguindo o trabalho, em 2017 a


Resistência CTI, levou para a Sala Paschoal
Carlos Magno, o Espetáculo “Arquivo64-
16” Que abordava de maneira histórica e
visceral a opressão da ditadura militar ao
mesmo tempo que criticava a atual
conjuntura político-social brasileira.
Atualmente a Cia Resistência CTI é
fomentada por 16 membros, aonde o
propósito do grupo é a pesquisa teatral,
geralmente dentro de aspectos políticos que
surgem como fio condutor e partir de uma
ótica horizontal tais temas geradores são
discutidos em cena, através de soluções
estéticas mas que não deixam de ser
discutidos através de inúmeras assembleias.
Como “ágoras” gregas.

LINHA PEDAGÓGICA:
Relação de itens pesquisados:
O grupo em si desde seu fomento tem
pesquisado 6 teóricos do teatro, que são o SISTEMA STANNISLAVSKY
norte de pesquisa dos iniciados na Cia, a
partir da construção das formas divergentes TEATRO ÉPICO BERTOLD
de entendimento do teatro, partimos para o BRECHT
nosso próprio “fazer” teatral, habilitando os TEATRO DA ANTONIN
CRUELDADE ARTEAUD
atores a não apenas atuar, e sim pensar a
estética teatral e resignificá-la. TEATRO DA TADEUSZ
MORTE KANTOR
Este processo aberto a replanejamentos, já
insere atualmente aprendizados TEATRO POBRE JERZY
compreendidos dentro da instituição GROTOWSKI
universitária, trazendo teóricos como Viola TEATRO DO AUGUSTO
Spolin, Peter Slade e Jean Pierre Ryngaert. OPRIMIDO BOAL
PSICODRAMA
Porém não se atendo à um eixo TEATRO PÓS- *Pesquisa à parte do
verticalizante, o grupo entende que o o DRAMÁTICO OU grupo enquanto o
grande processo de crescimento se faz na PERFORMATIVO pensamento da
troca mutualística entre outros grupos de estética através de
um teatro periférico-
teatro, barganhando os saberes empíricos de
político.
cada um, e permitindo, experimentar o que COMÉDIA
o fazer teatral de outros grupos tem a nos DELL’ART
ensinar. DRAMATURGIA