Você está na página 1de 7

The Fifth Generation of Mobile Communication and

Its Applications on The Internet of Things (IoT)


Antônio Marcos M. Medeiros Cleidimar Garcia Pereira João Victor Ramos de Castilho Marcos Antonio de Souza
Escola de Engenharia Escola de Engenharia Escola de Engenharia Escola de Engenharia
Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica
de Goiás de Goiás de Goiás de Goiás
Goiânia-Goiás, Brasil Goiânia-Goiás, Brasil Goiânia-Goiás, Brasil Goiânia-Goiás, Brasil
amarcosmedeiros@gmail.com engenheirodim@hotmail.com joni.victorrc@gmail.com mas@pucgoias.edu.br

Murilo Lívio de Oliveira Jose Artur C. de O. Junior Pedro H. P. Lima


Escola de Engenharia Escola de Engenharia Escola de Engenharia
Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica
de Goiás de Goiás de Goiás
Goiânia-Goiás, Brasil Goiânia-Goiás, Brasil Goiânia-Goiás, Brasil
murilo.livio@gmail.com joszeartur@hotmail.com pedro.robotic@gmail.com

Abstract -This study aims to understand how the fifth As atividades cotidianas do homem estão cada vez mais
generation of cellular telephony will function, characterizing automatizadas, como por exemplo, informações são
its strands and the necessary modifications in technology and disponibilizadas na tela do nosso smartphone sem que solicitemos
the world scenario for its application. It will also address the (temperatura, cotação da bolsa de valores, horário do por sol,
importance of 5G to consolidate the concept of Internet of condições de transito, etc.).
Things (IOT), for this we will do a study of real and Um novo nicho tecnológico vem para alterar a forma de
hypothetical scenarios where data traffic measures will be interação que a internet fornece.
carried out that will serve as a subsidy Along with theoretical
data to give us a dimension of how electronic equipment and II. ESTRUTURA DA TELEFONIA CELULAR
how society will behave.
Antes de evoluirmos o assunto precisamos entender como
Keywords -5G, fifth generation, internet of things, mobile funciona o sistema de telefonia celular atual. Como mostra a Fig. 1
internet, internet of things. o sistema funciona basicamente com três elementos: ERB (Estação
Rádio base), CCC (Central de Controle e Comutação) e EM
I. INTRODUÇÃO (Estação Móvel). A seguir vamos detalhar quais são as tarefas de
cada elemento no sistema para posteriormente descrevermos o
Desde 1897, quando Guglielmo Marconi demonstrou que era funcionamento geral.
possível estabelecer comunicação remotamente entre um barco e o
continente usando ondas de rádio, a comunicação móvel
deslanchou [1]. O mundo globalizado em que vivemos hoje se
deve em grande parte à essa evolução e com isso a telefonia móvel
adquiriu novas funções. Tais funções só se tornaram possíveis
devido a um processo evolutivo destas tecnologias móveis.
Na primeira geração era possível apenas transmitir sinais de
áudio pelo canal de comunicação, na segunda geração já era
possível mandar mensagens de texto, serviço já encontrados em
bips e que foi incorporado a telefonia celular. O grande salto, ou,
simplesmente o passo mais importante destas evoluções na
telefonia móvel foi encontrado na terceira geração móvel, onde se
tornou possível a utilização da internet móvel de forma mais Fig. 1. Demonstrativo dos Elementos do Sistema de Telefonia Celular.
consolidada. A quarta geração veio para afirmar e demonstrar o Fonte: www.teleco.com.br (adp)
grande potencial da internet móvel, foi nesta geração que a 3GPP
ThirdGenerationPartnership Project em tradução livre Projeto de
Parceria da Terceira Geração, conseguiu implementar normativas • ERB: Fisicamente é uma estação que possui
para padronizar os protocolos de comunicação da internet móvel, transmissores e receptores. Ela estabelece a conexão
isto significa que os equipamentos celulares podem se comunicar e entre a CCC e as diversas EMs. A ERB é responsável
funcionarem com qualidade em qualquer lugar do mundo.

978-1-5386-3123-2/17/$31.00 ©2017 IEEE


por controlar e monitorar as chamadas das EMs até as desenvolvido pelos laboratórios Bell no Estados Unidos em 1979.
CCCs. Ele utilizava múltiplo acesso por divisão de frequência (FDMA -
• CCC: É o cérebro do sistema de comunicação móvel Frequency Division Multiple Access) e sua banda era dividida em
celular e administra toda a utilização, alocação de canais de RF (Rádio Frequência), onde cada canal consiste de um
canais, encaminhamento de tráfegos, comutação, par de frequências (Transmissão e Recepção) com 30 kHz de
supervisão de ERBs, procedimento de handoff, banda cada, como podemos ver na tabela I [1], [3], [4].
registro de roaming para EMs visitantes,
procedimento de registro de EMs locais, bilhetagem e TABLE I. DADOS SOBRE 1G
tarifação do sistema. Além disso faz a interface de
Geração
comunicação com a rede de telefonia fixa. Parâmentros
do Sistema AMPS NTT
• EM: É o terminal móvel que o usuário ou (EUA/BrasilL) (Japão)
equipamento utiliza para acessar e/ou trafegar suas Frequencia de
informações e dados. 870-890 870-885
Transmissão (MHz)
Base Móvel 825-845 925-940
A telefonia celular tem esse nome porque funciona em células,
Espaçamento Entre
que são áreas geográficas, com geometria hexagonal setorizada ou Bandas de Transmissão 45 55
não, atendidas por uma ERB dentro da qual a recepção do sinal e Recepção (MHz)
atende especificações do sistema. Um conjunto de células é
Largura de Canal (kHz) 30 25
chamado de cluster e contém todas as frequências do sistema
celular. Essa forma é usada para que os transmissores possam ter Numero de Canais 666 600
baixa potência e para que se possa ter um uso eficiente do espectro. Modulação- Sinal de
Utilizando-se clusters pode-se operar com a mesma frequência em FM FM
Aúdio
diferentes partes geográficas, desde que não estejam próximas, a Modulação- Sinal de
FSK FSK
isso se dá o nome de reuso de frequências. Controle
Quando a EM está em movimento e passa de uma célula para Taxa de Dados de
10 0,3
outra a CCC realiza a mudança de controle da ligação da EM para Transmissão (kbps)
outra ERB, isso significa que as informações contidas na antiga
ERB serão transferidas para a nova célula, à isso se dá o nome de Vale ressaltar que vários sistemas de telefonia baseados nos
handoff. A atividade de roaming é uma função semelhante ao AMPS foram desenvolvidos na época, como: TACS (Reino
handoff, porém a mudança ocorre de uma CCC domiciliar para Unido), NMT (Escandinávia), C450 (Alemanha Ocidental) e NTT
uma outra. Neste caso vale ressaltar que a tarifação e a bilhetagem (Japão), todos trabalhando em modulação FM.
terão outras proporções financeiras [1], [2].Sendo abordados tais Devido a primeira geração ter sido a pioneira na comunicação
conceitos sobre a estrutura da telefonia móvel, pode se introduzir móvel, ela apresentou alguns problemas, como por exemplo:
os conceitos e características das telefonias móveis. A primeira • Limitação de capacidade relacionada a quantidade de
geração da telefonia móvel se baseia no sistema analógico AMPS usuários;
(Advanced Mobile Phone System), que foi desenvolvido pelos • Incompatibilidade entre sistemas;
laboratórios Bell no Estados Unidos em 1979. Ele utilizava • Interfaces com falta de padronização;
múltiplo acesso por divisão de frequência (FDMA - Frequency • Baixa qualidade nas ligações com uma grande
Division Multiple Access) e sua banda era dividida em canais de quantidade de ruídos;
RF (Rádio Frequência), onde cada canal consiste de um par de • Deficiência na segurança das ligações, onde era
frequências (Transmissão e Recepção) com 30 kHz de banda cada. possível “grampear” ligações apenas sintonizando-se
Como em muitos países não houve uma migração imediata para a frequência de utilização.
a Terceira Geração (3G), foi necessário oferecer tecnologias
intermediárias aos usuários do sistema de telefonia móvel desses B. Segunda Geração: 2G
países. Desse modo, foram disponibilizadas tecnologias
denominadas Geração 2.5G (GPRS) e Geração 2.75G (EDGE).
Nesta geração houve a padronização dos sistemas de telefonia
O GPRS (General Packet Radio System) é, na verdade, uma
celular no continente europeu, onde havia uma crescente demanda
extensão do padrão GSM, permitindo, teoricamente, velocidades
pelo serviço de comunicação móvel. A partir deste momento os
de transferência de dados de até 171,2 Kbps. Por ser considerado
sistemas começaram a trabalhar com transmissão digital de sinais,
uma evolução do padrão GSM de segunda geração, o GPRS foi
onde eles tinham a capacidade de carregar informações de voz e de
chamado de Geração 2.5G.
texto devido ao desenvolvimento dos circuitos eletrônicos.
Por outro lado, o padrão EDGE (Enhanced Data Rates for GSM
Podemos verificar na primeira coluna da tabela II as velocidades
Evolution) permitiu alcançar velocidades de transferência teóricas
de download e upload, tempo de latência e canalização, no tráfego
de aproximadamente 384 Kbps, viabilizando a utilização de
de dados, estabelecidos pela segunda geração.
aplicações multimídias mais simples. O padrão EDGE ficou
Os sistemas então possuíam uma maior capacidade e
conhecido como um padrão 2.75G.
demonstraram algumas vantagens sobre os dispositivos analógicos,
como citado abaixo:
III. EVOLUÇÃO DA TELEFONIA MÓVEL • Técnicas de codificação digital de voz mais eficazes;
• Maior eficiência espectral;
A. Primera Geração: 1G
• Melhor qualidade nas ligações;
• Tráfego de dados na rede;
A primeira geração da telefonia móvel se baseia no sistema
• Criptografia da informação transmitida.
analógico \AMPS (Advanced Mobile Phone System), que foi
compatibilidade desses serviços de terceira geração com os
sistemas de segunda geração.
TABLE II. CARACTERISTICAS 2G, 2,5GE 2,75G O UMTS (Universal Mobile Telecommunications System) foi
considerado o principal padrão 3G. Este padrão utiliza uma banda
Parâmentros Geração de frequência de 5 MHz, o que permite alcançar velocidades
do Sistema 2G 2,5G 2,75G mostradas na tabela III . O padrão UMTS emprega a codificação
Tecnologia GSM GSM EDGE W-CDMA (WidebandCode Division Multiple Access).
Em seguida, foi disponibilizada a tecnologia HSDPA (High-
Taxa de Dados Máx. 14,4 171,2 473,6
Teórica (Downlink) kbps kbps kbps
SpeedDownlinkPacket Access). Esta, por ser uma evolução do
Taxa de Dados Máx. 473,6 padrão 3G, é considerada um padrão superior, conhecido também
- - por 3.5G. O HSDPA permite taxas de transferência entre 8 e 10
Teórica (Uplink)l kbps
Taxa de Dados Media 10-40 40-50 100-130 Mbps.
Teórica kbps kbps kbps
Canalização (MHz) 0,2 0,2 0,2 E. Quarta Geração 4G
Tempo de Latência (ms) 500 500 500
As redes de telefonia móvel de quarta geração (4G) estão
Modulação – Sinal de baseadas em duas tecnologias/padrões principais: o LTE (Long-
FM FM FM
Aúdio TermEvolution) e o Wi-Max (WorldwideInteroperability for
Modulação - Sinal de
Controle
QPSK QPSK QPSK Microwave Access, também conhecido como IEEE 802.16).
Com certeza o aumento da velocidade de transmissão é a
C. Gerações Intermediárias: 2,5G e 2,75G principal evolução dos padrões de quarta geração em relação aos
padrões anteriores em teoriaa 4G permiti que downloads sejam
Como em muitos países não houve uma migração imediata para realizados com 100 Mbps enquanto os uploads podem alcançar a
a Terceira Geração (3G), foi necessário oferecer tecnologias taxa de 50 Mbps como podemos ver na tabela IV. Isto representa
intermediárias aos usuários do sistema de telefonia móvel desses um avanço considerável na velocidade de transferência de dados se
países. Desse modo, foram disponibilizadas tecnologias comparado ao padrão 3G original.
denominadas Geração 2.5G (GPRS) e Geração 2.75G (EDGE),
TABLE IV. CARACTERISTICAS 4G E 4,5G
onde possuíam velocidades de 171,2 Kbps w 384 Kbps
respectivamente. Parâmentros Geração
do Sistema 4G e 4,5G
D. Terceira Geração: 3G LTE~ LTE~
Tecnologia LET**
Adv. Adv.
A Terceira Geração da Telefonia Móvel (3G) trouxe Taxa de Dados Máx. 100 1,0 3,0
contribuições importantes tanto às operadoras de telefonia móvel Teórica (Downlink) Mbps Gbps Gbps
quanto aos usuários desses serviços. No início da década de 2000, Taxa de Dados Máx. 50 0,5 1,5
Teórica (Uplink)l Mbps Gbps Gbps
o IMT-2000 (International Mobile Telecommunications for theyear
Taxa de Dados Media
2000) da União Internacional das Comunicações (UIT) definiu e Teórica
- - -
publicou o padrão 3G em substituição às tecnologias anteriores de
Canalização (MHz) 20 100 640
Segunda Geração.
Tempo de Latência (ms) ~10 ~10 <2
TABLE III. CARACTERISTICAS 3G
Modulação – Sinal de
OFDM OFDM OFDM
Geração Aúdio
Parâmentros
Modulação - Sinal de
do Sistema 3G GPSK GPSK GPSK
Controle
WCDMA HPSAE
Tecnologia HSPA
(UMTS) DGE
Taxa de Dados Máx. 2,0 7,2-14,4 21-42
O padrão predominante de 4G no Brasil é o LTE, que está sendo
Teórica (Downlink) Mbps Mbps Mbps utilizado em todas as empresas de telefonia. Foi realizada em 2012
Taxa de Dados Máx. 474 5,76 7,2-11,5 uma licitação pela Anatel onde limitava as frequências de 2500
Teórica (Uplink)l kbps Mbps Mbps MHz para serem utilizadas pelas redes 4G de banda larga móvel e
Taxa de Dados Media 128-384 1-10 banda larga fixa, já em 2014 foi leiloada a faixa de frequência de
-
Teórica kbps Mbps 700 MHz que pertencia a televisão analógica.
Canalização (MHz) 5 5 5
IV. QUINTA GERAÇÃO 5G
Tempo de Latência (ms) 250 ~70 ~30
Modulação – Sinal de
FM FM FM Devido ao aumento das demandas por maiores capacidades de
Aúdio redes de dados houve uma motivação para o desenvolvimento do
Modulação - Sinal de 3G e do 4G e hoje não é diferente para a quinta geração.
GPSK GPSK GPSK
Controle
Embora essa tecnologia ainda não esteja concretizada, ao se falar
dela já temos algumas informações do que deve ser uma das
As principais características da Terceira Geração de telefonia grandes novidades dos dispositivos móveis para daqui a alguns
móvel (3G) foram a possibilidade de transmissão de dados em altas anos. Os Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul estão se
taxas em comparação com a geração anterior, a compatibilidade preparando para a aplicação da 5G, realizando estudos sobre faixa
mundial entre dispositivos e sistemas de telefonia 3G e ainda a
de frequência de operação e sobre necessidade de alterações de haja alguma interferência, isto significa que ao mudar
hardware e software[5]. Estão realizando testes que mostram que a de célula o aparelho ou o equipamento do usuário não
tecnologia 5G possui um aumento em torno de 500 vezes com perderá informações trafegadas e utilizadas na célula
relação a tecnologia 4G, passando de uma velocidade de download anterior. E o outro ponto importante é que no brasil a
de 0.02 gigabytes para 1 gigabyte, isto significa que para baixar um internet móvel não terá simetria na taxa de download
filme em resolução 4K (3840x2160 pixels) e tamanho de 8 e de upload como foi apresentado na V.
gigabyte por exemplo demoraria cerca de oito segundos para ser
baixado [8]. Outro ponto importante a ser exemplificado é o fato B. Características Técnicas
de um usuário pode acessar a internet em altas velocidades, como
por exemplo dentro de um avião. Na tabela V podemos ver A quinta geração necessita de soluções para tornar a
algumas características gerais. transmissão de dados mais eficiente, tendo em vista que o
volume desse tráfego se encontra em ascensão, o padrão LTE
TABLE V. CARACTERISTICAS 5G (LongTerm Evolution) que foi proposto como a tecnologia da 4ª
Parâmentros Geração Geração (4G) será a responsável por tornar possível a Quinta
do Sistema Geração de acordo com a 3GPP tendo o papel de tentar cumprir
5G
a promessa. Seu desenvolvimento do LTE para LTE
Tecnologia LET Advantaced e consequentemente para LTE Advantaced Pro visa
Taxa de Dados Máx. Teórica (Download) 20 Gbps
fornecer melhorias de desempenho e reduzir o custo por bit, o
que possibilita uma maior disseminação de serviços móveis.
Taxa de Dados Máx. Teórica (Upload)l 10 Gbps Sua padronização como mencionado anteriormente está a cargo
do 3GPP [6].
Frequência no Brasil 700 MHz
O sistema LTE Advanced adota a tendência para redes
Tempo de Latência 1 ms móveis de se basear no padrão IP, o protocolo principal da
Internet. Com isso, o tráfego de voz é suportadoprincipalmente
através da tecnologia VoIP (Voice over Internet Protocol),
A. Características Gerais possibilitando melhores integrações com serviços de
multimídia. A tecnologia LTE Advanced já se coloca em meio à
A tecnologia 5G possui algumas características que justificam o transição do uso da comutação de circuito para a comutação de
seu grande potencial. [5]. pacotes no tráfego de voz.
• Escalabilidade e Flexibilidade: As novas estruturas e Ter compatibilidade com os demais sistemas anteriores é uma
organizações desta nova tecnologia deverá funcionar das exigências para uma tecnologia em termos de telefonia.
para redes heterogênicas e atender diversos serviços Devido está exigência, o LTE Advanced Pro é compatível com
ao mesmo tempo, isso para uma demanda escalável as redes padronizadas pelo 3GPP como as demais, isso é de
para os novos usuários, ou seja, esta nova tecnologia grande importância para a globalização e padronização da
deverá atender diversas redescom características telefonia móvel [5], [7].
diferentes e deverá também conseguir suprir a Outro aspecto importante desta tecnologia é em relação a
demanda crescente de novos usuários adeptos a esta quantidade de canais para transmissão de dados e voz. O LTE
tecnologia. possui a capacidade enviar informações através de diferentes
• Proteção contra interferência: Como a necessidade de canais de comunicação, cujos sinais ocupam a mesma banda de
diversos aparelhos eletrônicos, haverá algumas frequência de rádio simultaneamente, levando a altas taxas de
interferências entre estações rádio base e a grande transferência, a tecnologia LTE faz uso da técnica de
quantidade de aparelhos e de interferências entre os multiplexação MIMO (Multiple-Input Multiple-Output). As
próprios dispositivos. Com isso a tecnologia 5G antenas com características de multiplexação MIMO carrega
promete realizar um gerenciamento de interferência consigo uma confiabilidade e melhor capacidade para os
de forma confiável e eficiente. serviços de banda larga móvel. Essa técnica é eficiente para
• Latência: Uma das características mais importantes solucionar os limites existentes na Lei de Shannon referente a
desta nova geração está relacionado a sua latência, ou quantidade de trafego por um canal de comunicação. Isto é
simplesmente o tempo de resposta referente a uma possível porque o MIMO tem a capacidade de utilizar mais de
ligação telefônica, ou, de uma pesquisa no Google. um canal de comunicação para trafegar informações, com isso
Um conceito novo e que se encaixa perfeitamente a consegue dividir a quantidade de informações nos canais para
esta característica é o da internet das coisas. Neste que diminua as perdas conseguindo melhorar a sua eficiência e
contexto os objetos que trocam informações entrem si então ultrapassar os limites impostos pela Lei de Shannon.
necessitam de uma reação praticamente instantânea As características citadas anteriormente das tecnologias LTE
para se comunicarem perfeitamente e terem ações e LTE Advanced, estão relacionadas respectivamente com as
eficientes. Como por exemplo um carro autônomo ele gerações de telefonia móvel 4G e 4,5G, sendo elas as
necessita de um tempo de latência entre o sensor e a responsáveis por servirem como base para idealização da
central quase que instantâneo para realizar suas ações tecnologia LTE Advanced Pro, onde esta última tecnologia
e a 5G promete um tempo de latência de 1 seria o aprimoramento da geração 4,5G que serviria como
milissegundo. bagagem de informações para tornar possível a quinta geração
• Auto mobilidade de Handoff: Outro ponto importante dos aparelhos celulares. O LTE Advanced Pro foi adotado como
a ser mencionado sobre está tecnologia é sobre a sua o novo padrão LTE de acordo com a 3GPP. Esta estrutura
auto mobilidade de handoff, onde ela tem como o tecnológica tem como taxas máximas de upload e download
objetivo em que a EM possa alterar de célula sem que maiores que 1,5 Gbps, 3 Gbps, respectivamente, além de
possuir um tempo de latência cinco vezes menor do que seu robusto e menos vulnerável a ruídos, por trabalhar com uma
antecessor e uma canalização de 640 kHz. menor frequência.
Outras técnicas de modulação, como GFDM(Multiplexação de
C. Multiplexação MIMO e Utilização da Técnica de Divisão de Frequência Generalizada),UFMC (Filtro Universal
Modulação OFDM. de Multi-Portadoras), BFDM (Multiplexação de Divisão de
Frequência Bi-ortogonal) já estão sendo estudadas para agregar
e alavancar a 5G e tem como característica melhorar o
MIMO (Multiple-Input Multiple-Output) é uma tecnologia de
aproveitamento da largura de banda realizando ações em suas
telefonia móvel, ou seja, é uma tecnologia sem fio que utiliza
subportadoras, com o intuito de melhorar a recepção do sinal
múltiplos transmissores e receptores para transferir uma maior
evitando as perdas que as mesmas sofrem ao trafegarem no
quantidade de dados ao mesmo tempo. Devido utilizar
meio [10].
múltiplos transmissores e receptores, o MIMO consegue utilizar
um fenômeno natural de ondas de rádio denominado como
multi-caminhos [8]. D. Desafios de Implementação no Brasil.
Com vários caminhos para se transmitir, o sinal atinge a
antena receptora múltiplas vezes em diferentes ângulos e em Há problemas claros no Brasil e em grande parte do mundo
intervalos de tempos relativamente pequenos. Esta tecnologia relacionados a implantações de mais estações rádio base em
ainda tem como característica a potencialização do sinal de uma determinada área geográfica e de necessidade de novas
captura do receptor, com isso as antenas conseguem combinar faixas de frequências. A implementação da internet móvel 5G
fluxos de dados que chegam de diferentes caminhos e em no Brasil vem caminhando de forma positiva. Em brasilia a
intervalos diferentes como citado anteriormente. Outro ponto 4.5G já está consolidada que utiliza a tecnologia LTE na faixa
importante é que esta tecnologia utiliza conceitos de diversidade de 700 MHz (Tv anlógica).
espacial que coloca algumas antenas excedentes em bom
funcionamento. V. INTERNET DAS COISAS
Então no MIMO quando se utiliza mais antenas, se tem uma
maior velocidade de dados onde por exemplo, um sistema de A. Inicio
antenas sem fio com três antenas pode ter uma velocidade de
600 Mbps, já um adaptador com duas antenas possui uma Nos anos 80, quando começou a se pensar em máquinas
velocidade de 300 Mbps [9]. conectadas, Mark Weiser iniciou suas pesquisas e publicou
A técnica de transmissão OFDM (Multiplexação por Divisão um artigo chamado de “The Computer for the 21st
de Frequência Ortogonal) consiste na divisão do canal em Century”(A computação do século 21).Nessa publicação
diversas subportadoras, essas subportadoras são transmitidas Weiser já discorre sobre os computadores começarem a
paralelas umas com as outras, onde cada subportadora é habitar os objetos do nosso dia-a-dia coordenando,
independente e leva consigo uma fração da informação monitorando e trocando informações. Àesse fenômeno ele dá
transmitida. A grande evolução entre a OFDM e a FDMA o nome de computação ubíqua [11]. Juntamente com outros
(Múltiplo Acesso por Divisão de Frequência) é que o termos, como computação pervasiva (meios de computação
espaçamento entre as portadoras na OFDM é reduzido, devido distribuídos no ambiente de trabalho dos usuários de forma
ao fato das portadoras serem ortogonais entre si. Os sinais perceptível ou imperceptível) e computação móvel, Weiser
OFDM têm largura de banda de cada portadora no entorno de começou a delinear os conceitos abordados atualmente e
1kHz, entretanto no FDMA eles atingem 3kHz. Assim, a grande publicados pela imprensa de grande porte internacional e
vantagem do sistema OFDM é o fato das portadoras serem nacional, Fig. 3.
ortogonais entre si, podendo então ser transmitido uma
quantidade maior de informação em uma mesma largura de
banda, ou seja, há um maior aproveitamento do espectro, Fig. 2.

Fig. 3. Número de Publicações Sobre IoT na Imprensa de Grande Porte.


Fonte:http://www.simsocial2012.ufba.br/modulos/submissao/Upload/44965
Fig. 2. Espectro de Frequência do FDM Tradicional e do OFDM. Fonte: .pdf.
AL-SHAHRANI e AL-OLYANI, 2009.

Como todo sistema apresentam algumas fragilidades, no caso B. Computação Ubíqua


da OFDM ele possui uma maior sensibilidade quando se tem
um desvio de frequência ou na presença de ruídos, possui Quando falamos, pesquisamos e escrevemos sobre IoT o
também a dificuldade de sincronismo das portadoras. Estes termo Computação Ubíqua é recorrente. Desde a primeira vez
problemas conseguem ser contornados pela presença da em que foi citado por Mark Weiser o termo passou a ser cada
tecnologia MIMO que por sua característica utiliza várias vez mais pesquisado e aprofundado. Podemos dizer hoje que a
antenas para transmissão e recepção deixando o sistema mais
IoT é uma evolução da computação ubíqua. Mas o que produtos como nossos celulares, carros, geladeiras e diversos
realmente é? equipamentos eletrônicos estarão massivamente interligados.
Antes de definirmos claramente o que é, devemos falar
sobre o conceito de \textit{Computação Pervasiva}. Em seu A. Dispositivos Conectados à Rede
artigo sobre computação ubíqua Regina Borges de Araújo nos
fala que o conceito de computação pervasiva implica que o Quando falamos em dispositivos,temos que considerar os
computador está embarcado no ambiente de forma invisível dispositivos fixos e moveis relacionados na internet móvel,
para o usuário. Nesta concepção, o computador tem a estamos detalhando eletroeletrônicos que estarão em movimento
capacidade de obter informação do ambiente no qual ele está ou não e que podem trocar dados com dispositivos conectados pela
embarcado e utilizá-la para dinamicamente construir modelos rede GSM . A tecnologia da internet das coisas em pouco tempo
computacionais, ou seja, controlar, configurar e ajustar a estará muito mais presente de maneira eficiente em diversos
aplicação para melhor atender as necessidades do dispositivo aparelhos que não estão completamente imersos à realidade do Iot.
ou usuário" [12]. Robôs, drones, produtos com transmissores RFID, celulares,
De forma bem clara, a computação ubíqua é uma união da \textit{smartwatchs}, carros e outros equipamentos trocarão
computação pervasiva com a computação móvel em conceito informações entre si e com a internet, sendo responsável por isso
a computação ubíqua associada com a internet e outros meios algumas empresas de renome como por exemplo a Google. Para
de comunicação proporciona a capacidade de os elementos esses dispositivos móveis a internet 5G irá revolucionar a interação
físicos terem acesso a dados de outros objetos, trocar e elevar o nível da Internet das Coisas a um patamar de filmes
informações e assim responder de forma direta a decisões pré- futurísticos. A troca dados destes equipamentos pela rede GSM,
determinadas. Isso quer dizer que as "coisas" estão presentes pode ocorrer de duas formas:
(e estarão cada vez mais) em nosso cotidiano de forma
invisível e se movendo conosco. Integrando a mobilidade com • Direta: através de módulos de conexão, como em
as funcionalidades da computação [11], [12]. computadores conectados com modens GSM;
• Indireta: através da estrutura da rede fixa, onde os
C. Conexões e Elementos. eletroeletrônicos estarão conectados à ela pela Wi-Fi
local ou via cabo, tendo acesso à internet.
O princípio da conexão entre dispositivos que a IoT requer é a
M2M (Machine-to-Machine), que é um termo amplo que Para estimar o que ocorrerá no futuro precisamos saber o que
inclui todas as tecnologias que permitem que os dispositivos temos na nossa atual realidade. Para isso foi feito uma pesquisa,
em rede compartilhem informações e executem ações sem via formulário preenchido pelos moradores, em uma edificação
intervenção humana. constituída por uma torre com 15 andares, sendo cada andar
Exemplos de comunicação M2M: composto por 4 apartamentos, assim totalizando 60 apartamentos,
• Transmissão de dados via SMS (Short Message onde cada residência apresentou uma quantidade e tipo de
Service), ou Serviço de Mensagens Curtas, eletrodomésticos semelhantes. Para tornar a pesquisa mais
GPRS(General Packet Radio Services) que são os consistente também foi consultado os dados do Plano Nacional por
Serviços Gerais de Pacote por Rádio Amostra de Domicílios (PNAD-2015) do Instituto Brasileiro de
ouUMTS(Universal Mobile Geografia e Estatística (IBGE) com objetivo de analisar
TelecommunicationsSystem) em tradução livre quais equipamentos os cidadãos possuem. Os dados da
Sistema Universal de Telecomunicações Móveis; pesquisa estão na tabela VI. No momento da pesquisa foram
• Transmissão de rádio dos dados de consumo; preenchidos apenas 40 formulários, pois os moradores não se
• Terminais de pagamento móvel; encontravam.
• Monitoramento remoto, controle remoto, controle
remoto de máquinas, plantas e sistemas (telemetria); TABLE VI. TOTAL DE ELETRODOMÉSTICOS NO PRÉDIO
• LoRa e Sigfox (Transmissões de rádio com pouco
uso de banda e longo alcance de cobertura). Prédio
Eletrodomésticos
Estes elementos e conexões citados anteriormente podem Quantidade
ser encontrados em automação residencial e industrial, Geladeira 50
Smartcity, Industria 4.0 e veículos autônomos por
exemplo. Televisão 81

Computador/Notbook l 78

VI. DO PRESENTE PARA O FUTURO Fogão 46

Ar Condicionado 34

Pensando nas possibilidades que o futuro da internet móvel Microondas 32


tem para o Brasil, tendo em vista a grande complexidade de
Celular 152
implementação da internet 5G e a evolução para a IoT, realizamos
um estudo de duas visões, uma voltada para a evolução dos Video Game 20
dispositivos fixos e outro para a evolução dos dispositivos móveis.
Nesta parte buscamos descrever como é a relação dos diversos
dispositivos com a internet móvel na atualidade e também realizar Após o levantamento da quantidade de equipamentos
um estudo de como serão essas relações no futuro, onde os elétricos e eletrônicos, foi medido as taxas de dados
trafegados na internet pelos serviços normais do nosso dia-
a-dia. Para essa etapa utilizamos um aplicativo no celular uso da internet residencial somente pela 5G, sem a necessidade de
que pode medir o tráfego de dados utilizados e fizemos a conexões via cabo. Pelas pesquisas realizadas deduzimos que a IoT
média para cada serviço, estes dados estão na tabela VII. já faz parte do nosso cotidiano e que não devemos ter a ilusão de
Além disso pesquisamos qual o pacote de internet que é algo futurista. Em países mais evoluídos já existem diversas
aplicações usuais e estabelecidas, porém ainda não como a 5G
contratado pelos condôminos. Após o recolhimento dos permitirá.
dados, a média aproximada de internet fixa por apartamento,
foi de 15Mbps e o somatório dos pacotes foi de 618Mbps. VIII. REFERÊNCIAS

TABLE VII. VELOCIDADE DE SERVIÇO [1] M. S. de Alencar, Telefonia Celular Digital, 3rd ed. S˜ao Paulo: Erica,
2013.
Velocidade
Serviços [2] L. G. de R. Guedes, Conceito e Dimensionamento de Sistemas de
Usual (Mbps) Comunicac¸˜ao M´ovel, 1st ed. Goiˆania: London7, 2014.
Netflix 1,5 (Recomendado pelo Service) [3] T. S. Rappaport, Comunicac¸˜ao sem fio: pr´ıncipios e pr´aticas, 2nd
ed. S˜ao Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.
Youtube 1 (para 480p) [4] E. Tude, “Tutoriais telefonia celular,”
WahatsApp 0,032 (Velocidade Para Mensagem) http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialtdma/Default.asp, 2003,
acesso em: out. de 2016.
Facebook 0,082 [5] “Educac¸˜ao tecnologica: 5g,”
http://www.4gamericas.org/ptbr/resources/technology-education/5g/,
Instagram 0,073 (Velocidade de Navegação) 2015, acesso em: nov. de 2016.
Spotfy 0,11 (Para uma Música) [6] “The mobile broadband standard,” http://www.3gpp.org, 2017, acesso
em: mar. de 2017.
[7] P. Henrique Sales Dias, “Redes 5g i: A nova gerac¸˜ao da rede
O consumo destes 618Mbps pelos equipamentos conectados à celular,”
rede são provenientes de serviços usuais. Foram medidos as http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialredes5g/default.asp, 2016,
velocidades destes serviços com intuito de detalhar o valor acesso em: mar. de 2017.
encontrado no consumo total, as velocidades constam na tabela [8] P. Henrique Sales Dias, “Redes 5g i: A nova gerac¸˜ao da rede
VII, porém esta medida pode variar, pois os serviços variam o celular,”
tamanho de seus pacotes de dados de acordo com a disponibilidade http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialredes5g/default.asp, 2016,
da internet do usuário. Por exemplo, de acordo com o site do acesso em: mar. de 2017.
Netflix para se ver um filme em resolução HD (High Definition - [9] F. Xavier Maia Brito Filho, “Redes wi-fi ii: Tecnologias rf para
720p) é necessário no mínimo uma conexão de 5 Mbps, assim se o 802.11,”
http://http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwifimanaus2/pagina3.
usuário não possui essa conexão, o site reduz a qualidade dos asp, 2014, acesso em: mar. de 2017.
vídeos para garantir a continuidade da transmissão streaming [13].
[10] P. H. S. Dias, “Redes 5g ii: A nova gerac¸˜ao da rede celular,”
O que ocorre na maioria dos casos é que nós utilizamos toda a http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialredes5g2/default.asp, 2016,
quantidade de banda liberada. Os serviços se adaptam a quantidade acesso em : maio de 2017.
que temos. Então consideramos que a utilização geral seria o [11] M. Weiser, “The computer for the 21st century,” Scientific american,
somatório de toda a internet contratada (618Mbps), pode-se vol. 265, no. 3, pp. 94–104, 1991.
concluir que a velocidade do pacote de dados de internet fixa nas [12] R. B. de Araujo, “Computac¸˜ao ub´ıqua: Princ´ıpios, tecnologias e
residências, colhido na pesquisa, é pequena, tendo em vista que em desafios,” in XXI Simp´osio Brasileiro de Redes de Computadores,
países como o Japão, a internet residencial pode chegar facilmente vol. 8, 2003, pp. 11–13.
a velocidade de 100Mbps. Segundo a ANATEL 42 milhões de [13] Netflix, “Recomendac¸˜oes de velocidade,”
conexões entre máquinas existirão até 2020[14]. https://help.netflix.com/pt/node/306, 2017, acesso em: maio de 2017.
[14] GovernoBrasileiro, “Conex˜oes inteligentes no brasil,”
www.brasil.gov.br/ciencia-e-tecnologia/2017/02/brasil-ja-tem-
VII. CONCLUSÕES 20milhoes-de-conexoes-inteligentes-entre-maquinas, 2017, acesso em
: maio de 2017.
[15] F. F. Freund, F. A. Steenbock, G. A. C. Marangoni, J. D. Vieira, S. L.
de Deus, and R. M. Angonese, “Novos neg´ocios baseados em
A evolução da internet móvel e suas aplicações no futuro da internet das coisas,” Revista da FAE, vol. 1, pp. 7–25, 2016.
tecnologia demonstradas nesse artigo, nos fez compreender que
possuímos diversos desafios para implementação funcional dela,
mas como mostra o artigo "Novos negócios baseados em internet
das coisas", a quantidade de oportunidades de negócios e novos
mercados fará com que esses obstáculos sejam ultrapassados
facilmente [15]. Percebemos que a internet móvel 5G no Brasil, de
acordo com os dados teóricos encontrados na tabela V, será mais
do que suficiente para serviços normais, mesmo em horário de pico
do uso da internet (entre 19h e 22h), tendo capacidade de suprir o
aumento de equipamentos conectados à internet. Analisando a
pesquisa feita no conjunto habitacional e as taxas de tráfego de
dados esperadas pela 5G, percebemos o quão grande é o potencial
dessa nova geração. Deduzimos que seria possível alimentar todo o