Você está na página 1de 2

26/1/2014 Qualicorp - Bem-Estar

O tabagismo e a saúde vascular

Publicado em: 19/10/2011 15:13


Dentro da tendência da medicina moderna, de enxergar o paciente como
um todo, o cigarro é de fato um vilão inigualável, pela extensão de males
que é capaz de causar. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o
consumo de tabaco é um dos principais causadores de mortes, o que
responde diretamente por quase 5 milhões de mortes ao ano no mundo.
Este número deve chegar a 10 milhões em 2020 se o padrão de fumo
continuar como está hoje.

Na área vascular, o fumo interfere principalmente na circulação sanguínea,


já que os glóbulos vermelhos têm mais afinidade pelo monóxido de carbono do que pelo oxigênio. É por isso que,
durante o tratamento de problemas vasculares, também se segue a tendência multidisciplinar, combinando
reeducação alimentar, prática de esportes e, claro, incentivo ao abandono do cigarro.

E hoje, os portadores de doenças vasculares causadas por tabagismo são a terceira causa de procura por um
angiologista. Entre as doenças vasculares mais populares causadas pelo consumo de cigarro está a impotência
sexual masculina, dores agudas nas pernas e gangrenas.

Links

Fumo x Saúde Vascular


Estilo de vida preventivo
Tratamentos
O efeito destruidor do cigarro
AVC e Hipertensão arterial

Fumo x Saúde Vascular

"O fumo, que contém mais de 4 mil moléculas nocivas à saúde, prejudica de forma direta tanto o fumante ativo
como o passivo em ação direta nas artérias, nas veias e nos tecidos", explica José C arlos Silva, professor do
Departamento de C irurgia da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP).

O tabaco também é responsável por envelhecimento precoce, infarto cerebral, infarto do miocárdio, aterosclerose
precoce, tromboses, doenças pulmonares, câncer - boca ou pulmonar -, abortos, doenças fetais, entre outras. Já
as doenças exclusivamente vasculares têm participação hereditária, hábitos pessoais, alimentação, meio
ambiente e envelhecimento.

No passado, conta o médico, o fumo tinha exposição mais nos homens, e atualmente ainda existem mais
fumantes masculinos, mas proporção está numa tendência de equilíbrio. As mulheres iniciam no vício antes que
os homens.
A nicotina, sozinha, já é uma predisposição para a ocorrência de um AVC (Acidente Vascular C erebral) e é o fator
causal do acidente e de muitas outras doenças. "É, sem dúvida, o seu aliado, o sedentarismo também é
prejudicial à saúde", diz José.

Segundo o especialista, o cálculo é simples: quanto mais longa for a exposição às moléculas nocivas do fumo,
maior será a prevalência de doenças vasculares.

Estilo de vida preventivo

Para o especialista da UNIFESP, não existe estilo de vida que previne as doenças devido ao efeito destruidor do
fumo.

O principal, de acordo com Marcelo Araújo, secretário geral da Sociedade Brasileira de Angiologia e de C irurgia
Vascular (SBAC V), é não chegar nem perto do cigarro. "Não há um estilo de vida saudável com o vício do
http://www.qualicorp.com.br/qualicorp/ecp/comunidade.do?app=portalsaude&idNoticia=22970&view=interna 1/2
26/1/2014 Qualicorp - Bem-Estar

tabagismo e também não podemos deixar de considerar os outros problemas de saúde causados pelo fumo", diz.

Para ele, exercícios e a alimentação adequada são recomendáveis a todos, mas não são antagonistas para o
fumo. Em relação à alimentação, os cuidados são os mesmos para todos: alimentação equilibrada, com baixo teor
de gorduras, com pouco sal, hidratação, adequada e o constante consumo de frutas.

Tratamentos

De acordo com José, 25% das mortes causadas pelo uso do cigarro provocam doenças coronarianas.

Quando o fumante percebe as melhoras na qualidade de vida depois de deixar o vício, fica mais fácil evitar
recaídas. E há também o efeito multiplicador, ao se evitar que o portador se torne um mau exemplo para jovens,
por exemplo, que, na fase da experimentação, não sabem os problemas que o cigarro causa.

O tratamento, na maioria das vezes, é realizado com a limpeza da artéria, a chamada endarteréctomia, ou ainda
pontes de safena ou próteses. "Muitas vezes o resultado pode não ser tão bom pela extensão das lesões e suas
localizações e, por este motivo, é muito comum a gangrena e as amputações em tabagistas de longa data",
explica Marcelo.

Em outros casos, continua o médico, o processo de cura das lesões que ficam no local ou a extração das placas
de gordura, presas nas paredes das artérias, podem ser realizados por meio de cirurgia, cateterismo, angioplastia
a laser, medicamentos específicos e atividade física.

O efeito destruidor do cigarro

O cigarro provoca a contração das artérias - vasoespasmo -, reduzindo o fluxo sanguíneo para o local diminuindo
a irrigação. "Além disto, o oxigênio tem mais dificuldade de ser liberado pela hemoglobina - a substância que
transporta o oxigênio. Isso resulta na piora do quadro", conta o secretário geral da SBAC V.

Para ele, o tecido mal oxigenado é mais suscetível às lesões vasculares e há ainda a intensificação do processo
de aterosclerose, que causa a obstrução crônica das artérias, impedindo a circulação normal do sangue. Os vasos
sanguíneos dessas pessoas com dificuldades vasculares tendem a responder mal às mudanças no fluxo de
sangue. As principais doenças vasculares são relacionadas à obstrução das artérias pela aterosclerose.

Dependendo de qual parte do corpo é afetada, a manifestação poderá ser infarto do miocárdio, acidente vascular
encefálico, oclusão arterial por trombose, entre outros. Marcelo lembra ainda a existência de uma inflamação
arterial conhecida como tromboangeíte obliterante (TAO), que pode ocorrer, em especial em pacientes adultos
jovens, com ocorrência exclusiva em fumantes.
A manifestação inicial pode ser drástica, muitas vezes com gangrena de vários dedos ou até em membros que
podem ser amputados. Outras doenças como fenômeno de Raynaud e acrocianose podem também ser
agravados.

AVC e Hipertensão arterial

A hipertensão arterial e a aterosclerose costumam estar associados com o pior prognóstico nos fumantes. No
caso da TAO os homens são os mais afetados.

"A doença arterial obstrutiva periférica (DAOP), provocada pela aterosclerose, tem distribuição semelhante entre
os sexos. Mas a gravidade da doença é de duas a quatro vezes maior entre os tabagistas", diz José.

O fumo, sozinho, já é uma predisposição para a ocorrência de um AVC (Acidente Vascular C erebral). "Esse hábito
perigoso é um fator de risco para várias doenças, incluindo a hipertensão arterial que, por sua vez, pode facilitar
a ocorrência do AVC e de infarto agudo do miocárdio", resume Marcelo. O cigarro acelera o processo de
aterosclerose porque diminui a oxigenação do sangue.

O diabetes provoca piora do quadro vascular pela obstrução de pequenos vasos que costuma vir associado ao
DAOP, o que agrava a situação.

http://www.qualicorp.com.br/qualicorp/ecp/comunidade.do?app=portalsaude&idNoticia=22970&view=interna 2/2