Você está na página 1de 7

Resposta às contestações de Pneumologia

De seguida são dadas respostas, por ordem, às alegações do teste


branco, com base nos conteúdos da 18ª Edição do livro recomendado.
Uma vez que as alegações do teste azul e amarelo são sobreponíveis, os
raciocínios aqui apresentados devem ser extrapolados, para as
respectivas alíneas dos testes azul e amarelo.

Pergunta 41 (teste branco) /21 teste azul / 61 teste amarelo


Analisadas as contestações, o Júri manteve como chave a alínea 1, já que
no capítulo 258, na página 2144 do livro de texto Harrison 18 Ed. se pode ler:
”Diagnostic criteria for true clinical infection with NTM should be considered in
patients with symptoms and radiographic findings of lung disease who have at
least two sputum samples positive on culture; at least one BAL fluid sample
positive on culture; a biopsy sample displaying histopathologic features of NTM
infection along with one positive sputum culture; or a pleural fluid sample (or a
sample from another sterile extrapulmonary site) positive on culture.
Nas contestações foi alegada veracidade para a alínea 4, contudo, o júri não
aceita tal alegação uma vez que como se pode ler atrás são necessárias pelo
menos duas culturas de expectoração positivas e não apenas uma.
Justificação: 1. 2144 E 1; 2. 2142 D 1; 3. 2144 E 1 4; 2144 E 1; 5. 2144 E 1

Pergunta 42 (teste branco) 22 teste azul / 62 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 2, já que
no capítulo 260, na página 2156, se pode ler: “ An elevated hematocrit
suggests the presence of chronic hypoxemia, as does the presence of signs of
right ventricular hypertrophy”.
Nas contestações foi alegada veracidade também para a alínea 3, contudo, o
júri não aceita tal alegação, já que na mesma página se pode ler: “Some
patients with advanced disease have paradoxical inward movement of the rib
cage with inspiration (Hoover’s sign)”, pelo que este sinal corresponde ao
movimento paradoxal para dentro da grelha costal na inspiração e não à
rectificação do diafragma.
Justificação: 1. 2156 D 3; 2. 2156 D 5; 3. 2156 E 5;
 4. 2151 E 4/D 1; 5. 2156 D 4
Pergunta 44 (teste branco) 24 teste azul / 64 teste amarelo
O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 5, já que
no capítulo 262, na página 2170, se pode ler “The two most common autosomal
dominant genetic mutations are factor V Leide, which causes resistance to
activated protein C, and the prothrombin gene mutation”.
Nas contestações foi alegada que a alínea 1 também fosse considerada
verdadeira, no entanto o júri não aceita tal alegação, uma vez que no livro de
texto recomendado para estudo, na mesma página se lê: “ Lowering the
homocystein level with folate, vitamin B6 or vitamin B12 does not reduce the
incidence of VTE (venous thromboembolism)”.
Justificação: 1. 2170 D 3; 2. 2170 D 2; 3. 2170 D 3; 4. 2170 D 3; 5. 2170 D 3

Pergunta 45 (teste branco) 25 teste azul / 65 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 3, já que
no capítulo 262, na página 2174, se pode ler: “The presence of hemodynamic
instability, RV dysfunction, RV enlargement, or elevation of the troponin level
due to microinfarction can identify high-risk patients”.
Nas contestações foi alegado que todas as afirmações deveriam ser
consideradas verdadeiras, contudo, o júri não aceita tal alegação, uma vez que
a taquicárdia sinusal não se enquadra nem está subjacente a nenhuma das
entidades que são referidas como factores de alto risco.
Justificação: 1. 2174 E 10; 2. 2174 E 10; 3. 2174 E 10; 4. 2174 E 10; 5. 2174 E 10

Pergunta 46 (teste branco) 26 teste azul / 66 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 1, já que
no capítulo 263, na página 2181, se pode ler “In the posterior mediastinum,
neurogenic tumors, meningoceles, meningomyeloceles, gastroenteric cysts,
and esophageal diverticula are commonly found”.
Nas contestações foi alegado que a alínea 2 deveria ser também considerada
falsa, uma vez que no capítulo 253, na página 2099 é referido:
“Mediastinoscopy has been considered the gold standard for mediastinal
staging”. Contudo, o júri não aceita tal alegação, já que na página 2181 se
pode ler: “CT scanning is the most valuable imaging technique for evaluating
mediastinal masses and is the only imaging technique that should be done in
most instances”. Desta forma, a TC é de facto o exame mais útil na avaliação
de massas mediastínicas. Como é referido no capítulo 253, a mediastinoscopia
não é utilizada para avaliação das massas mediastínicas, mas sim para
estadiamento das mesmas, já depois de terem sido avaliadas por TC.
Justificação: 1. 2181 D 4; 2. 2181 D 5; 3. 2181 D 4; 4. 2181 D 6; 5. 2182 D 1

Pergunta 47 (teste branco) 27 teste azul / 67 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 4, uma vez
que no capítulo 265, na página 2188, se pode ler: “There is evidence from
robust RCTs that treatment improves symptoms, sleepiness,, driving, cognition,
mood, quality of life, and blood pressure in patients who have an epworth score
> 11, troublesome sleepiness while driving or working and > 15 apneas +
hypopneas per hour of sleep. For those with similar degrees of sleepiness and
5-15 events per hour of sleep, RCTs indicate improvements in symptoms,
including subjective sleepiness. There is no evidence of blood pressure
improvements in this group”.
Nas contestações foi alegado que a alínea 3 deveria ser também considerada
falsa, contudo o júri discorda desta alegação pois na mesma página pode ler-
se: “There is no robust evidence that treating nonsleepy subjects improves their
symptoms, function or blood pressure and so treatment cannot be advocated
for this large group, although this may change with further RCTs”. Assim,
tendo em conta que as indicações terapêuticas da síndrome de apneia do sono
são baseadas em evidência científica, até existirem outros resultados de RCTs,
não está indicado no momento actual o tratamento de doentes sem sonolência
diurna, pelo que a alínea 3 é verdadeira.
Justificação: 1. 2188 D 3; 2. 2188 D 5; 3. 2188 E 3; 4. 2188 E 3; 5. 2188 E 4

Pergunta 48 (teste branco) 28 teste azul / 68 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 3, já que
no capítulo 266, na página 2191, se pode ler “Beyond the first year, chronic
rejection and non-CMV infections cause the majority of deaths”.
Nas contestações foi alegado que a alínea 4 deveria ser também considerada
falsa, referindo que no livro recomendado está mencionado “aproximadamente
25 a 40%” e na alínea 4 está referido “entre 25 a 40%”, contudo o júri discorda
desta alegação, já que os dois termos utilizados são sinónimos, tendo
exactamente o mesmo significado. Na página 2192 pode ler-se: “≈ 25-40% of
recipients have acute rejection in first year”, sendo por isso a alínea 4
verdadeira.
Justificação: 1. 2192 T 266-3; 2. 2191 E 1;
 3. 2191 D 1;
 4. 2192 D 4; 5. 2191 E 3

Pergunta 49 (teste branco) 29 teste azul / 69 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 2, já que
no capítulo 33, na página 281, na tabela 33-3 se pode constatar que estão
assinalados todas as situações referidas na pergunta, à excepção da onda de
calor.
Nas contestações foi alegado que a alínea 4 deveria ser também considerada,
uma vez que não está referido “múltiplas transfusões” e apenas “transfusões”,
alegando que poderia ser apenas uma transfusão, contudo o júri discorda desta
alegação, uma vez que transfusões referem-se exactamente a mais do que
uma transfusão.
Justificação: 1. 281 T 33-3; 2. 281 T 33-3; 3. 281 T 33-3; 4. 281 T 33-3; 5. 281 T 33-3.

Pergunta 50 (teste branco) 30 teste azul / 70 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 5, já que
no capítulo 34, na página 282, na tabela 34-1 se pode constatar que estão
assinalados todas as situações referidas na pergunta, à excepção da asma.
Justificação: 1. 282 T 34-1; 2. 282 T 34-1; 3. 282 T 34-1; 4. 282 T 34-1; 5. 282 T 34-1

Pergunta 51 (teste branco) 31 teste azul / 71 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 4, já que
no capítulo 251, na página 2086 se pode ler: “Additional testing, such as
maximal expiratory pressure and maximal inspiratory pressure can help
diagnose neuromuscular weakness”.
Nas contestações foi proposta que a alínea 5 também fosse considerada
verdadeira, sendo referido que apesar da esclerose múltipla não estar
mencionada no capítulo 251, página 2084, na tabela 251-1, existir uma
referência no capítulo 380, página 3407 a uma variante clínica de esclerose
múltipla, designada por neuromielite ótica ou syndrome de Devic’s que se
acompanhou de insuficiência respiratória em 1/3 dos doentes. São também
apresentadas diversas publicações em que a esclerose múltipla é referida
como causa de doença respiratória restritiva, alegando que apesar do Harrison
ser o livro recomendado, não é exclusivo, de acordo com o DR, 2ª série; Nº 168
– 2 setembro 2013.
No entanto refira-se que a possibilidade da esclerose múltipla dar doença
respiratória restritiva é ocasional, surge em alguns casos (é referida uma
variante clínica) e não na sua forma mais comum, e, nestas circunstâncias,
apesar de ocasionalmente poder dar, não é uma patologia exemplificativa da
doença pulmonar restritiva, pelo que a resposta é considerada errada, e a
chave do teste correta.
Justificação: 1. 2086 E 8;
 2. 2086 E 8;
 3. 2086 E 8/2086 D 1; 4. 2086 D 1;
 5.
2084 T 251-1

Pergunta 52 (teste branco) 32 teste azul / 72 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 3, já que
no capítulo 254, na página 2102 se pode ler ”Atopy is the major risk factor for
asthma”.
Nas contestações foi alegado que a alínea 1 deveria ser também verdadeira,
alegando que a obstrução das vias aéreas é sempre reversível, contudo o júri
discorda desta alegação, já que na mesma página se pode ler: “Narrowing of
the airways is usually reversible, but in some patients with chronic asthma there
may be an element of irreversible airflow obstruction”, pelo que a alínea 1 é
falsa.
Justificação: 1. 2102 E 1; 2. 2102 E 2; 3. 2102 D 4; 4. 2102 E 3; 5. 2102 E 1

Pergunta 54 (teste branco) 34 teste azul / 74 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 4, já que
no capítulo 254, na página 2109 pode ler-se: “Reversibility is demonstrated by a
> 12% and 200 mL increase in FEV1 15 minutes after an inhaled short-acting
β2-agonist or in some patients by a 2 to 4 week trial of oral corticosteroids”.
Nas contestações foi alegado que a alínea não deveria ser considerada
correcta, por apenas estar referida parte da afirmação contida no livro
recomendado, não estando especificada a resposta ao broncodilatador de
acção rápida. Contudo, o júri discorda desta alegação, já que a resposta
positiva aos corticosteróides orais também é considerada critério de
reversibilidade e o facto de não estarem mencionados os 2 critérios na alínea
não permite considerá-la como falsa. Por outro lado, nenhuma das outras
alíneas é verdadeira.
Justificação: 1. 2109 E 5; 2. 2109 E 5; 3. 2109 E 5; 4. 2109 E 5; 5. 2109 E 5

Pergunta 58 (teste branco) 38 teste azul / 78 teste amarelo


Analisadas as contestações, o Júri admite que a alínea 2 da questão nº 58
do exame A1 deverá também ser considerada verdadeira, uma vez que não
estando especificado o contexto da pneumonia adquirida na comunidade,
qualquer esquema de antibioterapia referido nas várias alíneas poderá ser
utilizado, de acordo com o contexto (tratamento em ambulatório, enfermaria ou
UCI), como se pode constatar no capítulo 257, página 2135, tabela 257-4.
Nestas circunstâncias propomos a anulação da pergunta.
Justificação: 1. 2135 T 257-4; 2. 2135 T 257-4; 3. 2135 T 257-4; 4. 2135 T 257-4; 5. 2135 T
257-4

Pergunta 59 (teste branco) 39 teste azul / 79 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 1, já que
no capítulo 257 do livro indicado para esta prova, na página 2134 se lê: “CA-
MRSA isolates tend to be less resistant than the older hospital-acquired strains
and are often susceptible to trimethoprim-sulfamethoxazole”.
Nas contestações foi alegado que a alínea 1 não deveria ser considerada falsa,
por não ser feita referência à estirpe ser da comunidade ou hospitalar, contudo
o júri discorda desta alegação, já que na alínea 1 está mencionado: “o agente
Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) que causa pneumonia
na comunidade”, pelo que se depreende que é a estirpe adquirida na
comunidade e não a adquirida no hospital. Desta forma, a alínea 1 é falsa.
Justificação: 1. 2134 D 6; 2. 2134 D 6; 3. 2134 D 7; 4. 2134 D 4; 5. 2134 D 7

Pergunta 60 (teste branco) 40 teste azul / 80 teste amarelo


O júri analisou as contestações e mantém como chave a alínea 4, já que
no capítulo 257 do livro indicado na página 2132, tabela 257-3, a DPOC está
referida como factor de risco para Pseudomonas aeruginosa. Foi alegado que
apenas os doentes com DPOC mais grave é que estariam em maior risco, pelo
que a alínea não deveria ser considerada correcta. No entanto, o júri discorda
desta alegação, uma vez que a referência na alínea a DPOC é suficientemente
lata, para englobar todo o espectro de gravidade da doença.
Nas contestações foi também alegado que a alínea 1 deveria também ser
considerada verdadeira, contudo o júri discorda desta alegação, já que na
página 2130, tabela 257-1, se pode constatar que uma história de
antibioterapia nos três meses precedentes associa-se a pneumonias
associadas a cuidados de saúde por Pseudomonas aeruginosa e MDR
Enterobacteriaceae e não a MRSA, pelo que a alínea 1 é falsa.
Justificação: 1. 2130 T 257-1; 2. 2133 E 5;
 3. 2134 E 6;
 4. 2132 T 257-3; 5. 2139 T 257-8