Você está na página 1de 69

No Som da Sanfona

Ouvi o toque da sanfona


me chamar
Ouvi o toque da sanfona
me chamar

Um sanfoneiro bem
maneiro
Puxa o fole
Folia a noite inteira
Até o dia clarear
O cabra vem se
aconchegando
Forró do Xenhenhém
Morena forrozeira do cangote suado
Tô ficando arriado com você, meu bem
Com esse rebolado teu corpinho fica mole
E nesse bole-bole, nesse vai-e-vem

O coração da gente chega a latejar


A gente só deseja passar bem
Com você meu bem
No xenhenhém, no xenhenhém, no
xenhenhém
Com você meu bem
No xenhenhém, no xenhenhém, no
xenhenhém
Quem foi esse inteligente que inventou o
forró
Fez a morena levantar pó
Ele é um artista, trabalhou bem
E a morena forrozeira é de quem
Estiver disposto pra ganhar no xenhenhém

Xenhenhém, xenhenhém, xenhenhém


Xenhenhém, xenhenhém, xenhenhém
Xenhenhém, xenhenhém, xenhenhém
Vou fazer tudo pra ganhar no xenhenhém
Banho de Cheiro
Eu quero um banho de cheiro
Eu quero um banho de lua
Eu quero navegar
Eu quero uma menina
Que me ensine noite e dia
O valor do bê-a-bá

O bê-a-bá dos seus olhos


Morena bonita da boca do rio
O bê-a-bá das narinas do rei

O bê-a-bá da bahia
Dançando alegria
Magia, magia, nos filhos de Gandhi

No bê-a-bá dos baianos


Que charme bonito, foi o santo que deu
No bê-a-bá do Senhor do Bonfim

No bê-a-bá do sertão
Sem chover, sem colher
Sem comer, sem lazer,
O beabá do Brasil
Frevo Mulher
Quantos aqui ouvem
Os olhos eram de fé
Quantos elementos
Amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno
Outros verão
Outonos caindo secos
No solo da minha mão

Gemeram entre cabeças


A ponta do esporão
A folha do não-me-toque
O medo da solidão
Veneno meu companheiro
Desata no cantador
E desemboca no primeiro
Açude do meu amor

É quando o vento sacode a cabeleira


A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
É quando o vento sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
Festa do Interior
Fagulhas, pontas de agulhas
Brilham estrelas de São João
Babados, xotes e xaxados
Segura às pontas meu coração
Bombas na guerra-magia
Ninguém matava, ninguém
morria
Nas trincheiras da alegria
O que explodia era o amor
Nas trincheiras da alegria
O que explodia era o amor (Bis)

E ardia aquela fogueira


Que me esquenta a vida inteira
Eterna noite sempre a primeira
Festa do Interior (Bis)
Pagode Russo
Ontem eu sonhei que estava em
Moscou
Dançando pagode russo na boate
Cossacou
Ontem eu sonhei que estava em
Moscou
Dançando pagode russo na boate
Cossacou
Parecia até um frevo naquele cai e não
cai
Parecia até um frevo naquele vai e não
vai

Vem cá cossaco, cossaco dança agora


Na dança do cossaco, não fica cossaco
fora
Vem cá cossaco, cossaco dança agora
Na dança do cossaco, não fica cossaco
fora
Envi ar Traduç ãoAdici onar à playlis tTamanhoAACifr aImpri mirCorrigir
Qui Nem Jiló - Luiz Gonzaga e Elba
Ramalho
Se a gente lembra só por lembrar
Do amor que a gente um dia perdeu
Saudade inté que assim é bom
Pro cabra se convencer

Que é feliz sem saber


Pois não sofreu
Porém, se a gente vive a sonhar
Com alguém que se deseja rever
Saudade intonce aí é ruim
Eu tiro isso por mim
Que vivo doido a sofrer

Ai, quem me dera voltar


Pros braços do meu xodó
Saudade assim faz doer
Amarga que nem jiló

Mas ninguém pode dizer


Que vivo triste a chorar

Saudade, meu remédio é cantar


Saudade, meu remédio é cantar
Baião
Eu vou mostrar pra vocês como se dança o
baião
E quem quiser aprender é favor prestar
atenção
Morena chegue pra cá /Bem junto ao meu
coração
Agora é só me seguir/ Pois eu vou dançar
o baião

Eu já dancei balancê
Xamego, samba e xerém
Mas o baião tem um quê
Que as outras danças não têm

Quem quiser é só dizer /Pois eu com


satisfação
Vou dançar cantando o baião

Eu já cantei no Pará/
Toquei sanfona em Belém
Cantei lá no Ceará
E sei o que me convém

Por isso eu quero afirmar


Com toda convicção
Que sou doido pelo baião
Eu Só Quero Um Xodó

Que falta eu sinto de um


bem
Que falta me faz um xodó
Mas como eu não tenho
ninguém
Eu levo a vida assim tão

Eu só quero um amor
Que acabe o meu sofrer
Um xodó pra mim do
meu jeito assim
Que alegre o meu viver
Feira de Mangaio
Fumo de rolo, arreio de cangalha
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho, broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pé de moleque, alecrim, canela
Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira dos pássaros
E foi pássaro voando pra todo lugar

Tinha uma vendinha no canto da rua, onde o


mangaieiro ia se animar/ Tomar uma bicada
com lambú assado, e olhar pra Maria do Joá
(BIS)

Cabresto de cavalo e rabichola


Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Farinha, rapadura e graviola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pavio de candeeiro, panela de barro
Menino vou me embora, tenho que voltar
Xaxar o meu roçado que nem boi de carro
Alpargata de arrasto não quer me levar

Porque tem um Sanfoneiro no canto da rua,


fazendo floreio pra gente dançar/ Tem Zefa
de Purcina fazendo renda, e o ronco do fole
sem parar (BIS)
A Vida do Viajante
Minha vida é andar por esse país
Pra ver se um dia descanso feliz
Guardando as recordações
Das terras onde passei
Andando pelos sertões
E dos amigos que lá deixei
Chuva e sol/ Poeira e carvão
Longe de casa/ Sigo o roteiro
Mais uma estação
E alegria no coração
Minha vida é andar por esse país
Pra ver se um dia descanso feliz
Guardando as recordações
Das terras onde passei
Andando pelos sertões
E dos amigos que lá deixei
Mar e terra/ Inverno e verão
Mostro um sorriso/ Mostro a alegria
Mas, eu mesmo, não
E a saudade no coração
Xote das Meninas
Mandacaru quando fulora na seca/ É o
sinal que a chuva chega
no sertão/ Toda menina que enjôa da
boneca/ É sinal que o amor
Já chegou no coração/ Meia comprida
não quer mais sapato baixo/ Vestido
bem cintado/ Não quer mais vestir
timão
Ela só quer/ Só pensa em namorar
Ela só quer/ Só pensa em namorar
De manhã cedo já tá pintada/ Só vive
suspirando/ Sonhando acordada/ O pai
leva ao doutor/ A filha adoentada/ Não
come, nem estuda/ Não dorme, não
quer nada.
Mas o doutor nem examina/ Chamando
o pai do lado/ Lhe diz logo em surdina/
Que o mal é da idade/ Que pra tal
menina/ Não há um só remédio/ Em
toda medicina.
Gostoso Demais
Tô com saudade de tu, meu
desejo
Tô com saudade do beijo e do
mel
Do teu olhar carinhoso
Do teu abraço gostoso
De passear no teu céu

É tão difícil ficar sem você


O teu amor é gostoso demais
Teu cheiro me dá prazer
Quando estou com você
Estou nos braços da paz
Pensamento viaja
E vai buscar meu bem-querer
Não dá pra ser feliz assim
Tem dó de mim
O que eu posso fazer
Numa Sala De Reboco
Todo tempo quanto houver pra mim é
pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala
de reboco
Todo tempo quanto houver pra mim é
pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala
de reboco

Enquanto o fole tá tocando tá gemendo


Vou dançando e vou dizendo meu sofrer
pra ela só
E ninguém nota que eu estou lhe
conversando
E nosso amor vai aumentando pra coisa
mais melhor

Só fico triste quando o dia amanhece


Ai, meu Deus se eu pudesse acabar a
separação
Pra nós viver igualado a sanguessuga
E nosso amor pede mais fuga do que essa
que nos dão
Anjo Querubim
Fiz você pra mim, meu brinquedo meu anjo
querubim
Meu segredo guardado só pra mim, meu
amor mais louco
Até de tanto amar, fiz também algo pra
gente ninar
Uma criança pra gente adorar, tudo num
sufoco

E você não gosta mais de mim


Vem dizer que eu não soube dar amor
E achar que a vida é mesmo assim
Cada um leva um barco sofredor
Meu baião, coração,
Arranca essa dor do meu peito, pra eu não
chorar
Meu baião, coração,
Arranca essa dor do meu peito, pra eu não
chorar
Comprei surruru, camarão, fiz batida de
cajú
Dancei rumba e até maracatu, pra te fazer
feliz
Fui até natal, salvador, paraíba, bacabau
Em Belém você quase passou mal
E eu te fiz feliz
Sabiá
A todo mundo eu dou psiu (Psiu, Psiu,
Psiu)
Perguntando por meu bem (Psiu, Psiu,
Psiu)
Tendo um coração vazio
Vivo assim a dar psiu
Sabiá, vem cá também (Psiu, Psiu, Psiu)

A todo mundo eu dou psiu (Psiu, Psiu,


Psiu)
Perguntando por meu bem (Psiu, Psiu,
Psiu)
Tendo um coração vazio/ Vivo assim a dar
psiu/ Sabiá, vem cá também (Psiu, Psiu,
Psiu)

Tu que anda pelo mundo (Sabiá)


Tu que tanto já voou (Sabiá)
Tu que fala aos passarinhos (Sabiá)
Alivia minha dor (Sabiá)
Tem pena d'eu (Sabiá)
Diz por favor (Sabiá)
Tu que tanto anda no mundo (Sabiá)
Onde anda o meu amor
Sábia
Ai Que Saudade D'ocê
Não se admire se um dia
Um beija flor invadir a porta da tua casa
Te der um beijo e partir
Foi eu que mandei um beijo
Que é pra matar meu desejo
Faz tempo que não te vejo

Ai que saudade d'ocê


Se um dia ocê se lembrar
Escreva uma carta pra mim
Bote logo no correio com a frase dizendo assim
Faz tempo que não te vejo
Quero matar o meu desejo
Te mando um monte de beijo
Ai que saudade sem fim

E se quiser recordar
Aquele nosso namoro
Quando eu ia viajar você caía no choro
E eu chorando pela estrada, mas o que que eu
posso fazer?
Trabalhar é minha sina
Eu gosto mesmo é d'ocê

Não se admire se um dia


Um beija flor invadir a porta da tua casa
Te der um beijo e partir
Foi eu que mandei um beijo
Que é pra matar meu desejo
Faz tempo que não te vejo
Ai que saudade d'ocê
O Xote Das Meninas

Mandacaru quando fulôra na seca


É o sinal que a chuva chega no sertão
Toda menina que enjoa da boneca
É sinal que o amor já chegou no coração
Meia comprida, não quer mais sapato baixo
Vestido bem cintado não quer mais vestir timão
Ela só quer só pensa em namorar
Ela só quer só pensa em namorar
Ela só quer só pensa em namorar
Ela só quer só pensa em namorar

De manhã cedo, já tá pintada


Só vive suspirando, sonhando acordada
O pai leva ao doutô
A filha adoentada
Não come, não estuda, não dorme, não quer
nada

Mas o doutô nem examina


Chamando o pai de lado

Lhe diz logo em surdina:


O mal é da idade
E que pra tal menina
Não há um só remédio em toda a medicina
Bate Coração
Bate, bate, bate coração
Dentro desse velho peito
Você já está acostumado
A ser maltratado, a não ter direitos
Bate, bate, bate coração
Não ligue, deixe quem quiser falar
Porque o que se leva dessa vida, coração
É o amor que a gente tem pra dar

Oi, tum, tum, bate coração


Oi, tum, coração pode bater
Oi, tum, tum, tum, bate coração
Que eu morro de amor com muito prazer

As águas só desaguam para o mar


Meus olhos vivem cheios d'água
Chorando, molhando meu rosto
De tanto desgosto me causando mágoas
Mas meu coração só tem amor, amor
Era mesmo pra valer
Por isso a gente pena sofre e chora coração
E morre todo dia sem saber

Oi, tum, tum, bate coração


Oi, tum, coração pode bater
Oi, tum, tum, tum, bate coração
Que eu morro de amor com muito prazer
Quem Me Levará Sou Eu
Amigos a gente encontra
O mundo não é só aqui
Repare naquela estrada
Que distância nos levará
As coisas que eu tenho aqui
Na certa terei por lá

Segredos de um caminhão
Fronteiras por desvendar
Não diga que eu me perdi
Não mande me procurar
Cidades que eu nunca vi
São casas e braços a me agasalhar
Passar como passam os dias
Se o calendário acabar
Eu faço voltar o tempo outra vez, sim
Tudo outra vez a passar
Não diga que eu fiquei sozinho
Não mande alguém me acompanhar
Repare, a multidão precisa
De alguém mais alto a lhe guiar
Quem me levará sou eu
Quem regressará sou eu
Não diga que eu não levo a guia
De quem souber me amar
La Belle De Jour
Ah hei! Ah hei! Ah hei!
Ah! La Belle de Jour!
Ah hei! Ah hei! Ah hei!

Eu lembro da moça bonita


Da praia de Boa Viagem
E a moça no meio da tarde
De um domingo azul
Azul era Belle de Jour
Era a bela da tarde
Seus olhos azuis como a tarde
Na tarde de um domingo azul
La Belle de Jour!

La Belle de Jour!
Belle de Jour!
Oh! Oh!
Belle de Jour!

La Belle de Jour
Era a moça mais linda
De toda a cidade
E foi justamente pra ela
Que eu escrevi o meu primeiro blues
Mas Belle de Jour
No azul viajava
Seus olhos azuis como a tarde
Na tarde de um domingo azul
La Belle de Jour!

Ah hei! Ah hei! Ah hei!


Ah hei! Ah hei! Ah hei!
Girassol
Mar e Sol
Gira, gira, gira
Gira, gira, gira, gira, girassol
Um girassol nos teus cabelos
Batom vermelho, girassol
Morena flor do desejo
Ah, teu cheiro em meu lençol!!!
Desço pra rua, sinto saudade
Gata selvagem, sou caçador
Morena flor do desejo
Ah, teu cheiro matador!!!
Mar e Sol
Gira, gira, gira
Gira, gira, gira, gira, girassol
Mar e Sol
Gira, gira, gira
Gira, gira, gira, gira, girassol
Imbalança
Óia a palha do coqueiro quando o vento dá
Olha o tombo da jangada nas ondas do mar

Pra você aguentar meu rojão


É preciso saber requebrar
Ter molejo nos pés e nas mãos
Ter no corpo o balanço do mar
Ser que nem carrapeta no chão
E virar folha seca no ar
Que é pra quando escutar meu baião
Imbalança, imbalança, imbalançar 3X

Você tem que viver no sertão


Pra na rede aprender embalar
Aprender a bater no pilão
Na peneira aprender peneirar
Ver relampo no meio do truvão
Fazer cobra de fogo no ar
Que é pra quando escutar meu baião
Imbalança, imbalança, imbalançar 3X

Iaiá, ô Iaiá
Minha preta não sabe o que eu sei
O que eu vi nos lugares onde andei
Quando eu contar, Iaiá
Você vai se pasmar
Vem Morena
Vem, morena, pros meus braços
Vem, morena, vem dançar
Quero ver tu requebrando
Quero ver tu requebrar
Quero ver tu remexendo
Resfulego da sanfona
Inté que o sol raiar 2X
Esse teu fungado quente
Bem no pé do meu pescoço
Arrepia o corpo da gente
Faz o véio ficar moço
E o coração de repente
Bota o sangue em arvoroço

Vem, morena, pros meus braços


Vem, morena, vem dançar
Quero ver tu requebrando
Quero ver tu requebrar
Quero ver tu remechendo
Resfulego da sanfona
Inté que o sol raiar
Esse teu suor sargado
É gostoso e tem sabor
Pois o teu corpo suado
Com esse cheiro de fulô
Tem um gosto temperado
Dos tempero do amor
Vem, morena, pros meus braços...
Óia Eu Aqui de Novo
Óia eu aqui de novo, xaxando
Óia eu aqui de novo, para xaxar
Vou mostrar pr'esses cabras
Que eu ainda dô no couro
Isso é um desaforo
Que eu não posso levá
Óia eu aqui de novo, cantando
Óia eu aqui de novo, xaxando
Óia eu aqui de novo, mostrando
Como se deve xaxar

Vem cá morena bela, vestida de


chita
Você é a mais bonita desse meu
lugá
Vai chamá Maria, chamá Luzia
Vai chamá Zabé, chamá Requé
Diz que tô aqui com alegria
Seja noite ou seja dia
Eu tô aqui pra ensiná: Xaxado 5X
Adici onar à playlist TamanhoAACifraImpri mirCorrigir
Sanfoninha Choradeira
Chora sanfoninha chora chora/
Chora sanfoninha a minha dor
Minha sanfoninha amiga certa/
Que chorando tu desperta
O coração do meu amor

E ela me vendo, tá
fingindo que não tá
Tá me querendo, tá fingindo
que não tá
Coração batendo, tá fingindo
que não tá
Tá batendo, tá morrendo, mas
não quer se declarar
Anunciação
Na bruma leve das paixões que vêm de
dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu
quintal
No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento
E o Sol quarando nossas roupas no varal

Na bruma leve das paixões que vêm de


dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu
quintal
No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento
E o Sol quarando nossas roupas no varal

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais 2X

A voz do anjo sussurrou no meu ouvido


Eu não duvido, já escuto os teus sinais
Que tu virias numa manhã de domingo
Eu te anuncio nos sinos das catedrais

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais 2X
Adici onar à playlist TamanhoAACifraImpri mirCorrigir
Xote Ecológico
Não posso respirar, não posso
mais nadar
A terra está morrendo, não dá
mais pra plantar
E se plantar não nasce, se nascer
não dá
Até pinga da boa é difícil de
encontrar (BIS)
Cadê a flor que estava aqui?
Poluição comeu
E o peixe que é do mar?
Poluição comeu
E o verde onde é que está?
Poluição comeu
Nem o Chico Mendes
sobreviveu
Rindo à Toa Falamansa Tom ----------------C
Tô numa boa, tô aqui de novo
Daqui não saio, daqui não me movo
Tenho certeza, esse é o meu lugar
Aha, aha
Tô numa boa, tô ficando esperto
Já não pergunto se isso tudo é certo
Uso esse tempo pra recomeçar
Aah Aha
Doeu, doeu, agora não dói
Não dói, não dói
Chorei, chorei
Agora não choro mais

Toda mágoa que passei


É motivo pra comemorar
Pois se não sofresse assim
Não tinha razões pra cantar

Ha ha ha ha ha
Mas eu tô rindo à toa
Não que a vida esteja assim tão boa
Mas um sorriso ajuda a melhorar
Aha, aha

E cantando assim parece que o tempo voa


Quanto mais triste mais bonito soa
Eu agradeço por poder cantar
Lalaiá laiá laiá Iê
Xote dos Milagres Falamansa Tom-------C
Escrevi seu nome na areia
O sangue que corre em mim sai da tua veia
Veja só, você é a única que não me dá valor
Então por que será que este valor é o que eu
ainda quero ter
Tenho tudo nas mãos, mas não tenho nada
Então melhor ter nada e lutar pelo que eu
quiser
Ê, mas pera aê/ Ouça o forró tocando e muita
gente aê/ Não é hora pra chorar
Porém não é pecado se eu falar de amor
Se eu canto sentimento seja ele qual for

Me leva onde eu quero ir


Se quiser também pode vir
Escuta o meu coração
Que bate no compasso da zabumba de paixão

Ê pra surdo ouvir, pra cego ver


Que este xote faz milagre acontecer
Ê pra surdo ouvir, pra cego ver
Que este xote faz milagre acontecer
Ê pra surdo ouvir, pra cego ver
Que este xote faz milagre acontecer
Ê pra surdo ouvir, pra cego ver
Falamansa faz milagre acontecer
Qui Nem Jiló Gilberto Gil Tom---------- G
Se a gente lembrar só por
Lembrar
O amor que um dia a gente
Perdeu
Saudade inté que assim é bom
Pro cabra se convencer
Que é feliz sem saber
Pois não sofreu

Porém se a gente vive a sonhar


Com alguém que se deseja
Rever
Saudade intonce aí é ruim
Eu tiro isso por mim
Que vivo doido a sofrer

Ai quem me dera voltar


Pros braços do meu xodó
Saudade assim faz roer
E amarga que nem jiló
Mas ninguém pode dizer
Que me viu triste a chorar
Saudade, o meu remédio é
Cantar
Saudade, o meu remédio é
Cantar
Confidência Tom ----------------C
Eu tenho um segredo menina cá dentro
do peito/ Que a noite passada quase
que sem jeito bem na madrugada ia
revelar
Foi quando um amor diferente tava nos
meus braços/ Olhei pro espaço e vi lá
no céu uma estrela cadente se mudar
Eu lembrei das palavras doces que um
dia falei pra alguém
Que tanto tanto me amou me beijou
como ninguém
Que flutuou nos meus braços mudou
os meus planos
E nossos segredos confidenciamos/
Sem hesitar
laiá laiá/ laiá laiá/ laiá laiá Lá 2X

Mas é que eu tenho um segredo


menina...
Anjo Querubim Tom --------------C
Fiz você pra mim, meu brinquedo meu anjo
querubim
Meu segredo guardado só pra mim, meu
amor mais louco
Até de tanto amar, fiz também algo pra
gente ninar
Uma criança pra gente adorar, tudo num
sufoco

E você não gosta mais de mim


Vem dizer que eu não soube dar amor
E achar que a vida é mesmo assim
Cada um leva um barco sofredor

Meu baião, coração,


Arranca essa dor do meu peito, pra eu
não chorar 2X

Comprei sururu, camarão, fiz batida de


caju
Dancei rumba e até maracatu, pra te fazer
feliz
Fui até Natal, Salvador, Paraíba, Bacabal
Em Belém você quase passou mal
E eu te fiz feliz
Meu Vaqueiro, Meu Peão Tom ---------------Bm

Já vem montado em seu alazão


Chapéu de couro, laço na mão
Seu belo charme me faz cantar
No rosto um grande lutador
Que trabalha com calor
Com toda dedicação

Oh! Meu vaqueiro, meu peão


Conquistou meu coração
Na pista da paixão
E valeu o boi.

Eu estou sempre onde ele está


Forró, vaquejada qualquer lugar
Eu vou seguindo o meu peão
Seus braços fortes, sua cor
Vaqueiro eu quero o teu calor
Em teus braços quero estar...

Oh! Meu vaqueiro meu peão


Conquistou meu coração
Na pista da paixão
E valeu o boi

Teu amor valeu o boi!


Teu calor valeu o boi!
Ter você valeu o boi!
Meu vaqueiro
Verdadeiro Amor
Banda Magníficos Tom-------Dm
Sem você eu não teria
Motivo algum para viver feliz

Quantas vezes te falei


Seu amor pra mim se fez
Dentro do meu coração

Pois eu te amo demais


Teu amor pra mim se faz
E não pode acabar jamais

Vem que eu te quero amor,


Eu sempre fui e sou
O seu verdadeiro amor, amor

Não deixe tudo pra depois


O que houve entre nos dois
Só o tempo poderá dizer
Tatuagem
Mastruz com LeiteTom-------G
Pode milhões e milhões de quilômetros
nos separar
Sei que ele acaba voltando vem logo
me procurar
Mesmo que fique com outras tentando
me esquecer
Sei que ele acaba voltando, ligando
querendo me ver
O nosso amor é como tatuagem
Está em nós grudado e colado
E bem mais forte está no coração
(Bis)

Não adianta tentar fugir melhor admitir/


É a mim que você ama
Não adianta me esquecer pois eu nasci
pra você
E é a mim que teu coração chama
Olhinhos de Fogueira
Mastruz com Leite Tom------A
Explodiu meu coração
Feito bomba no São João
Quando deslizei as mãos
Pelas suas costas nuas
Vi estrela no salão
Luar cheio de balão
Seus olhinhos de fogueira
Me queimando de paixão
Chão batido de chuvinha
Só pra ver suas perninhas
Suas perninhas grossas
Dançar São João na roça
Roça de milho, roça meu filho
Roça assim teu corpo em mim
Roça mulata, roça a batata
Roça assim teu corpo em mim
Me usa Magnificus Tom-A
Momentos de amor, quero com você
Momentos eternos pra nunca
esquecer
Se você me ama, me leva pra cama
Acende essa chama de amor e querer
Só nós dois em nosso ninho
Testemunhas para quê?
Nossos corpos coladinhos
Suadinhos de prazer
Amor, me leva faz de mim o que
quiser
Me usa, me abusa, pois o meu maior
prazer
É ser tua mulher
Amor, me leva faz de mim o que
quiser
Me usa, me abusa, pois o meu maior
prazer
É ser tua mulher
Isso Aqui Tá Bom Demais Dominguinhos
Olha, isso aqui tá muito bom
Isso aqui tá bom demais
Olha, quem ta fora quer entrar
Mas quem tá dentro não sai

Olha, isso aqui tá muito bom


Isso aqui tá bom demais

Olha, quem ta fora quer entrar


Mas quem tá dentro não sai
Vou me perder, me afogar no teu amor
Vou desfrutar, me lambuzar deste calor
Te agarrar pra descontar minha paixão
Aproveitar o gosto dessa animação

Olha, isso aqui tá muito bom


Isso aqui tá bom demais
Olha, quem ta fora quer entrar
Mas quem tá dentro não sai

Olha, isso aqui tá muito bom


Isso aqui tá bom demais
Olha, quem ta fora quer entrar
Mas quem tá dentro não sai

Vou me perder, me afogar no teu amor


Vou desfrutar, me lambuzar deste calor
Te agarrar pra descontar minha paixão
Aproveitar o gosto dessa animação
Cenário de Amor Mastruz com Leite
Nos braços de uma morena quase morro
um belo dia,
Inda me lembro meu cenário de amor,
Um lampião aceso o guarda roupa
escancarado, vestidinho amassado
debaixo de um batom,
Um copo de cerveja, uma viola na parede,
e uma rede convidando a balançar,
No cantinho da cama um rádio a meio
volume, o cheiro de amor e de perfume
pelo ar,
Numa esteira o meu sapato pisando o
sapato dela,
Em cima da cadeira, aquela minha bela
cela ao lado do meu velho alforge de
caçador,
Que tentação, minha morena me beijando
feito abelha,
A lua malandrinha pela brechinha da telha,
fotografando o meu cenário de amor
Asa Branca
Luiz Gonzaga

Quando "oiei" a terra ardendo


Qual fogueira de São João
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação?
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação?

Que braseiro, que "fornaia"


Nem um pé de "prantação"

Por falta d'água perdi meu gado


Morreu de sede meu alazão
Por falta d'água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão
"Inté" mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
"Entonce" eu disse adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração
"Entonce" eu disse adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração

Hoje longe muitas léguas,


Numa triste solidão,
Espero a chuva cair de novo
Pra mim "vortá" pro meu sertão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim "vortá" pro meu sertão

Quando o verde dos teus "zóio"


Se "espaiá" na "prantação"
Eu te asseguro, não chore não, viu
Que eu "vortarei", viu, meu coração
Eu te asseguro, não chore não, viu
Que eu "vortarei", viu, meu coração
Na emenda Trio Nordestino
Na emenda
Amarre a corda direito
Na emenda
Pra corda não rebentar
Na emenda
Mas dê um nó de respeito
Quero o povo satisfeito
Bincando de emendar
Atenção, Pessoal

Esse ano vamos brincar de roda


Todo mundo emendando
E vamos emendar

Na emenda
Tem moça que quebra jura
Na emenda
Depois não pode emendar
Na emenda
Mas cantador de viola
Arruma a rima na hora
E não deixa rima quebrar

Na emenda
Eu vou fazer um engenho
Na emenda
De corda de Caruá
Na emenda
É um trabalho bonito
Mulher torcendo o cambito
Fazendo a corda acochar

Na emenda
Os velhos tavam brincando
Na emenda
Depois deram pra brigar
Na emenda
A tristeza criou dó
Vovô enganou vovó
Na hora de emendar
Forró Melhor Zabumbêa
O forró daqui é melhor que o seu
O Sanfoneiro é muito melhor
As menininhas a noite inteira
Na brincadeira levanta o pó

É animado, ninguém cochila


Chega faz fila pra dançar
E na entrada estava escrito
É proibido cocilhar

É proibido cochilar
Cochilhar, cochilar

A poeira sobe e o suor desce


E a gente vê o sol raiar
O Sanfoneiro padece
Mas não pode reclamar
Pois se está ganhando dinheiro
E é bom dinheiro ganhar
Ele leu na entrada
Que é proibido cochilar

É proibido cochilar
Cochilhar, cochilar

Adici onar à playlist TamanhoAACifraImpri mirCorrigir


Tareco e Mariola Flávio José
Eu não preciso de você
O mundo é grande e o destino me espera
Não é você quem vai me dar na primavera
As flores lindas que eu sonhei no meu verão
Eu não preciso de você
Já fiz de tudo pra mudar meu endereço
Já revirei a minha vida pelo avesso
Juro por Deus, não encontrei você mais não
Cartas na mesa
O jogador conhece o jogo pela regra
Não sabes tu que eu já tirei leite de pedra
Só pra te ver sorrir pra mim não chorar
Você foi longe
Me machucando provocou a minha ira
Só que eu nasci entre o velame e a macambira
Quem é você pra derramar meu mungunzá

Eu me criei
Ouvindo o toque do martelo na poeira
Ninguém melhor que mestre Osvaldo na
madeira
Com sua arte criou muito mais de dez

Eu me criei
Matando a fome com tareco e mariola
Fazendo versos dedilhados na viola
Por entre os becos do meu velho Vassoural
Lembrança de um Beijo Fagner
Quando a saudade invade o coração
da gente
Pega a veia onde corria um grande
amor
Não tem conversa, nem cachaça que
dê jeito
Nem um amigo do peito que segure o
chororô
Que segure o chororô
Que segure o chororô
Saudade já tem nome de mulher
Só pra fazer do homem o que bem
quer
Saudade já tem nome de mulher
Só pra fazer do homem o que bem
quer
O cabra pode ser valente e chora
Ter mei mundo de dinheiro e chora
Ser forte que nem sertanejo e chora
Só na lembrança de um beijo chora
Neném mulher Trio Nordestino
Neném, neném, neném
O que aconteceu
Tão todos te querendo
Tu vem fica mais eu, oh!
Neném, neném, mulher
Me dá teu coração
Que eu caso com você
Nesta noite de são João
Basta ver como estou
Enjeitado sem amor
Vem depressa me
abraçar
E por toda vida
Nunca mais nos
separar.
Nem Olhou Pra Mim Alcymar
Monteiro
Ela nem olhou pra mim, ela nem olhou
pra mim
Passei horas no espelho me
arrumando o dia inteiro
E ela nem olhou pra mim
Como quem guarda lembrança agarrei
a esperança
Confiei num grande amor
Esperei o dia inteiro tomei até banho de
cheiro
Parecendo um sonhador
Quando a minha euforia coração de
alegria
Gritou mais que bandolim
Chegou feito uma princesa coroada de
beleza
E nem sequer olhou pra mim
De Mala e Cuia Flávio José
Na minha casa tá sobrando espaço
Guardei de mim um pedaço e reservei
só pra você
Na minha casa tá sobrando rede
Sobra torno na parede, amor pra dar e
vender
Na minha casa toda hora é hora
A gente ri, a gente chora, a gente se
diverte
E nesse flerte você botando as unhas
de fora
Nosso amor não demora e logo
acontece
REFRÃO:
Pode vir de mala e cuia, amor
Que eu não vou tá nem aí pro povo
Nosso amor tá cobiçado
E não vai ser maltratado
Por ninguém de novo
Esperando na janela

Ainda me lembro do seu caminhar


Seu jeito de olhar eu me lembro bem
Fiquei querendo sentir o seu cheiro
E da daquele jeito que ela tem
O tempo todo eu fico feito tonto
Sempre procurando mais ela não vem
E esse aperto no fundo do peito
Desses que o sujeito não pode aguentar
Esse aperto aumenta o meu desejo
E eu não vejo a hora de poder lhe falar
Por isso eu vou na casa dela ai
Falar do meu amor pra ela vai
'Tá me esperando na janela ai ai
Não sei se vou me segurar
Por isso eu vou na casa dela ai
Falar do meu amor pra ela vai
'Tá me esperando na janela ai ai
Não sei se vou me segurar
Ainda me lembro do seu caminhar
Seu jeito de olhar eu me lembro bem
Fiquei querendo sentir o seu cheiro
E da daquele jeito que ela tem
O tempo todo eu fico feito tonto
Sempre…
Sabiá Luiz Gonzaga
A todo mundo eu dou psiu (Psiu, Psiu,
Psiu)
Perguntando por meu bem (Psiu, Psiu,
Psiu)
Tendo um coração vazio
Vivo assim a dar psiu
Sabiá, vem cá também (Psiu, Psiu, Psiu)

A todo mundo eu dou psiu (Psiu, Psiu,


Psiu)
Perguntando por meu bem (Psiu, Psiu,
Psiu)
Tendo um coração vazio
Vivo assim a dar psiu
Sabiá, vem cá também (Psiu, Psiu, Psiu)

Tu que anda pelo mundo (Sabiá)


Tu que tanto já voou (Sabiá)
Tu que fala aos passarinhos (Sabiá)
Alivia minha dor (Sabiá)
Tem pena d'eu (Sabiá)
Diz por favor (Sabiá)
Tu que tanto anda no mundo (Sabiá)
Onde anda o meu amor
Sábia
Espumas Ao Vento Fagner
Sei que aí dentro ainda mora um pedacinho de mim
Um grande amor não se acaba assim
Feito espumas ao vento
Não é coisa de momento, raiva passageira
Mania que dá e passa, feito brincadeira
O amor deixa marcas que não dá pra apagar

Sei que errei, tô aqui pra te pedir perdão


Cabeça doida, coração na mão
Desejo pegando fogo
E sem saber direito a hora e o que fazer
Eu não encontro uma palavra só pra te dizer
Ai, se eu fosse você eu voltava pra mim de novo

E de uma coisa fique certa, amor


A porta vai estar sempre aberta, amor
O meu olhar vai dar uma festa, amor
Na hora que você chegar
E de uma coisa fique certa, amor
A porta vai estar sempre aberta, amor
O meu olhar vai dar uma festa, amor
Na hora que você chegar

Sei que errei, tô aqui pra te pedir perdão


Cabeça doida, coração na mão
Desejo pegando fogo
E sem saber direito a hora e o que fazer
Eu não encontro uma palavra só pra te dizer
Ah! se eu fosse você eu voltava pra mim de novo
Ponta de Lápis Eliezer Setton
Ponta de lápis, escrevo amor à vista
Viajei de mar acima
Te encontrei em Maceió
Minha Sereia, Ponta Verde, Pajuçara...
Os teus braços me embalam
Saudade de Maceió
"M" de mar
"A" de amor
"C" de carinho, sol e mar de Maceió
"E" de eterno
"I" de ilusão
"Ó", Maceió, você robou meu
coração!
Ai, que saudades do céu, do sal, do sol
de Maceió
Ai, que saudades do céu, do sal, do sol
de Maceió
Ai, que saudades do céu, do sal, do sol
de Maceió
Ai, que saudades do céu, do sal, do sol
de Maceió...
De Volta Pro Aconchego Elba Ramalho
Estou de volta pro meu aconchego
Trazendo na mala bastante saudade
Querendo
Um sorriso sincero, um abraço,
Para aliviar meu cansaço
E toda essa minha vontade
Que bom,
Poder tá contigo de novo,
Roçando o teu corpo e beijando você,
Prá mim tu és a estrela mais linda
Seus olhos me prendem, fascinam,
A paz que eu gosto de ter.
É duro, ficar sem você
Vez em quando
Parece que falta um pedaço de mim
Me alegro na hora de regressar
Parece que eu vou mergulhar
Na felicidade sem fim.
Olha Pro Céu Luiz Gonzaga
Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo

Olha pro céu, meu amor


Vê como ele está lindo

Olha praquele balão multicor


Como no céu vai sumindo
Foi numa noite igual a esta
Que tu me deste o coração
O céu estava assim em festa
Pois era noite de São João

Havia balões no ar
Xote, baião no salão
E no terreiro o teu olhar
Que incendiou meu coração

Olha pro céu, meu amor


Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo

Olha pro céu, meu amor


Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo
São João Na Roça
Luiz Gonzaga
A fogueira ta queimando
Em homenagem a São João
O forró já começou
Vamos gente, rapa-pé nesse
salão
Dança Joaquim com Zabé
Luiz com Yaiá
Dança Janjão com Raque
E eu com Sinhá
Traz a cachaça Mane!
Que eu quero ver
Quero ver paia avuar
Riacho do Navio Luiz Gonzaga
Riacho do Navio
Corre pro Pajeú
O rio Pajeú vai despejar
No São Francisco
O rio São Francisco
Vai bater no mei do mar
O rio São Francisco
Vai bater no mei do mar

Ah! se eu fosse um peixe


Ao contrário do rio
Nadava contra as águas
E nesse desafio
Saía lá do mar pro Riacho do Navio
Eu ia direitinho pro Riacho do Navio

Pra ver o meu brejinho


Fazer umas caçada
Ver as pegá de boi
Andar nas vaquejada
Dormir ao som do chocalho
E acordar com a passarada
Sem rádio e sem notícia
Das terra civilizada
Sem rádio e sem notícia
Das Terra civilizada
Forró no Escuro Luiz Gonzaga
O candeeiro se apagou
O sanfoneiro cochilou
A sanfona não parou
E o forró continuou
Meu amor não vá simbora
Não vá simbora
Fique mais um bucadinho
Um bucadinho
Se você for seu nego chora
Seu nego chora
Vamos dançar mais um tiquinho
Mais um tiquinho
Quando eu entro numa farra
Num quero sair mais não
Vou inté quebrar a barra
E pegar o sol com a mão
Xote da Alegria Falamansa
Se um dia alguém mandou
Ser o que sou e o que gostar
Não sei quem sou e vou mudar
Pra ser aquilo que eu sempre quis
E se acaso você diz

Que sonha um dia em ser feliz


Vê se fala sério
Pra que chorar sua mágoa
Se afogando em agonia
Contra tempestade em copo d'água
Dance o xote da alegria

Se um dia alguém mandou


Ser o que sou e o que gostar
Não sei quem sou e vou mudar
Pra ser aquilo que eu sempre quis
E se acaso você diz
Que sonha um dia em ser feliz
Vê se fala sério

Pra que chorar sua mágoa


Se afogando em agonia
Contra tempestade em copo d'água
Dance o xote da alegria
Gostoso Demais Dominguinhos
Tô com saudade de tu, meu
desejo
Tô com saudade do beijo e do
mel
Do teu olhar carinhoso
Do teu abraço gostoso
De passear no teu céu
É tão difícil ficar sem você
O teu amor é gostoso demais
Teu cheiro me dá prazer
Quando estou com você
Estou nos braços da paz
Pensamento viaja
E vai buscar meu bem-querer
Não dá pra ser feliz assim
Tem dó de mim
O que eu posso fazer
Brincadeira Na Fogueira Trio Nordestino
Tem tanta fogueira
Tem tanto balão
Tem tanta brincadeira
Todo mundo no terreiro faz adivinhação
Meu são João, eu Não.
Meu são João, eu Não.
Eu não tenho alegria
Só porque não vem
Só porque não vem
Quem tanto eu queria
Danei a faca no tronco da bananeira
Não gostei da brincadeira, Santo
Antonio me enganou.
Sai correndo lá pra beira da fogueira
Vê meu rosto na bacia a água se
derramou
Um Amor Numa Fogueira
Assisão
E a fogueira queima, queima
Queimou
Haja amor e haja fogo
Haja fogo e haja amor
E a sanfona quando chora pirim pirim
pirim
É o forro que ta na tora pirim pirim pirim
É tão gostoso, um forro bem animado
Se ouve o sapateado
Das morenas no salão
Pede a São Pedro, santinho padroeiro
Que auxilie o matrimonio a Santo
Antonio casamenteiro
Você gosta de mim, o neguinha
Eu também de você, o neguinha
Vou pedir a seu pai, o neguinha
Pra me casar com você
Brilho da Lua Eliane
O brilho da lua
Sobre o mar
A brisa tão fria
Vem de lá
Me lembra teu rosto
Teu jeito e teu olhar (teu olhar)

Quanto estou em teu braços/ Teu calor


Me aquece, me envolve/ Teu amor
Me faz ver o mundo diferente/ Ao meu redor

Preciso de você/ Pra esta canção


Preciso de você/ Pro meu coração
Me sinto feliz quando estou ao teu lado (ao teu
lado)

Só você me transmite
Amor e paz
Segurança, amizade
E muito mais
Descobri um amor
Que não encontrei jamais

Não, não encontrei,


Não encontrei, jamais
Não, não encontrei,
Não encontrei, jamais.
Juazeiro, Petrolina
Na margem do São Francisco, nasceu
a beleza/ E a natureza ela conservou
Jesus abençoou com sua mão divina
Pra não morrer de saudade
Vou voltar pra Petrolina

Do outro lado do rio tem uma cidade


Que na minha mocidade eu visitava
todo dia/ atravessava a ponte ai que
alegria/ Chegava em Juazeiro, Juazeiro
da Bahia

Hoje eu me lembro que no tempo de


criança/ Esquisito era a carranca e o
apito do trem/ Mas achava lindo
quando a ponte levantava/ E o vapor
passava num gostoso vai e vem.

Petrolina, Juazeiro/ Juazeiro,


Petrolina
Todas duas eu acho uma coisa linda
Eu gosto de Juazeiro e adoro
Petrolina
Numa Sala De Reboco Luiz Gonzaga
Todo tempo quanto houver pra mim é
pouco
Pra dançar com meu benzinho numa
sala de reboco
Todo tempo quanto houver pra mim é
pouco
Pra dançar com meu benzinho numa
sala de reboco

Enquanto o fole tá fungando, tá gemendo


Vou dançando e vou dizendo meu sofrer
pra ela só/ E ninguém nota que eu estou
lhe conversando/ E nosso amor vai
aumentando/ Pra que coisa mais melhor?

Só fico triste quando o dia amanhece


Ai, meu Deus, se eu pudesse acabar a
separação/ Pra nós viver igual a dois a
sanguessugas/ E nosso amor pede mais
fuga do que essa que nos dão.
A Vida do Viajante Luiz Gonzaga
Minha vida é andar por este país
Pra ver se um dia descanso feliz
Guardando as recordações
Das terras onde passei
Andando pelos sertões
E dos amigos que lá deixei

Chuva e sol
Poeira e carvão
Longe de casa
Sigo o roteiro
Mais uma estação
E a alegria no coração

Minha vida é andar por esse país


Pra ver se um dia descanso feliz
Guardando as recordações
Das terras onde passei
Andando pelos sertões
E dos amigos que lá deixei

Mar e terra
Inverno e verão
Mostro o sorriso
Mostro a alegria
Mas eu mesmo não
E a saudade no coração
Vamos Pra Fogueira Mastruz com
Leite
Me dê a sua mão
Vamos pra fogueira
E nessa brincadeira
Acender a chama
Da nossa paixão
Vai ser alegria
Até amanhecer o dia
Chuvinha e balão
Ganhar seu coração
E só o que eu queria

Taquei a faca no tronco da bananeira


Pra ter você eu pulei tanta fogueira
Bacia d'água eu gostei da brincadeira
Meu amor, meu amor
Taquei a faca no tronco da bananeira
Pra ter você eu pulei tanta fogueira
Bacia d'água eu gostei da brincadeira
Meu amor, meu amor
Fogaréu Chiclete Com
Banana
Olha o fogo
Olha o fogaréu
Queimando as pontas da palha
do meu chapéu (bis)
Cadê Ritinha que não vê Cecéu
Tá de capim na boca, cismada,
olhando o céu
E de mansinho a sanfona ele
pegou
Cantando me ninou
No São João do Carneirinho, meu
amor
No Lume da Fogueira Chiclete Com Banana
No lume da fogueira
De uma noite de forró
Pé e chão, chão e pó
Se amam como as estrelas

No azul do arrebol paixão


Acesa como a luz do sol
Ting, ling, ling, ling
Toca o triângulo a noite inteira
Amor batendo no meu coração
Ting, ling, ling, ling
Bate saudade derradeira
Calor que vai ao céu em um balão

Voa meu balão, na solidão desse luar

Hoje é são João, nossa alegria é ver você


voar
Ô...ô...ô...chega meu povo
Que o forró já começou
Ô...ô...ô...chega meu povo
Que o forró já começou.
Balão Dourado Chiclete Com Banana
Sonhei que eu era um balão dourado
E debruçado no manto
Estrelado do céu
Eu via
Povo
Cantando embalado
Como na ginga
De um carrossel
No sonho eu via a sanfona
E a zabumba
Batendo tão forte
Parecendo um coração
No ting-ling do triângulo
A poeira que sai do chão
Mais um licor
Pra embebedar o coração
Pois nesse passo
Ao som do arrasta-pé
Até o amanhecer seja lá o que Deus quiser

Voei... Voei...
Para o meu amor encontrar
E quando beijei o teu rosto
A lua veio nos admirar
É que era São João
E mais ardente o amor se dá
Junto à chama da fogueira
Novos sonhos vão rolar.

Você também pode gostar