Você está na página 1de 2

1.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

FICHA DE LEITURA

NOME: Vagner T. Aires DATA:05/06 2018 Nº da ficha: 01

DADOS BIBLIOGRÁFICOS DO TEXTO:


HOBSBAWM, Eric J. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia
das Letras, 1995. Cap. 08: A Guerra Fria

CINCO PALAVRAS-CHAVE QUE SINTETIZAM A OBRA:


URSS, Socialismo, Capitalismo, Superpotências, democracia

IDEIA NORTEADORA DO TEXTO:


O texto tem como base deixar claro o período da Guerra Fria, visto que a época foi marcada
por suposições e incertezas globais

QUESTÃO QUE A LEITURA DESPERTOU PARA A DISCUSSÃO EM SALA DE AULA.


Porque aceitar a hegemonia do EUA?

SÍNTESE E CONCLUSÃO DO TEXTO:


Após a Segunda Guerra Mundial duas superpotências surgiram, os EUA e a URSS,
começaram um confronto politico e tecnológico baseado na ameaça nuclear período que
ficou conhecido como Guerra Fria. As nações lidam com pânico da ameaça de uma
destruição em massa por parte das superpotências, que possuíam material bélico avançado
e as bombas nucleares, em torno disso os países se organizam para evitar esse confronto, os
EUA se aproveitam da fragilidade mundial para impor seu sistema de produção capitalista e
sua politica democrática, criando na URSS um inimigo a ser vencido, os EUA vê em seu
modelo de vida como o padrão a ser seguido pelas outras nações, a URSS faz de tudo para
conseguir acompanhar a produção de armas para defender suas fronteiras isso da ainda
mais força ao ideal dos EUA, que lutam em nome da “liberdade”. A URSS acaba colapsando
por ter investido muito do seu meios de produção em armamentos, ficando assim com os
outros setores em declínio, eu EUA já tinha aprendendo com a Segunda Guerra investia
parte de seus lucros na manutenção de seus exercidos, assim como tinham meio de renda
em seus países aliados e devedores, os EUA acaba levando o credito por acabar com seu
inimigo.

destruição mutua
exercito vermelho podia derrota a Alemanha
divisão da Alemanha segundo as linhas forças de ocupação orientais e ocidentais e a
retirada de todos os ex-beligerantes da Áustria
duas superpotências continuaram a competir por apoio e influência
o conflito armado era mais provável e onde de fato irrompeu
a maioria dos estados pôs revoluções não era a favor do EUA mas era anticomunista e “não
alinhada” (fora do campo soviético)
estável depois da guerra 1970
guerra da coreia 1950-3 EUA se envolve e os russos não
crise dos misseis cubanos 1962
década de 70 guerra fria como paz fria
Doutrina Truman, em março de 1947 Creio que a politica dos estados unidos deve ser a de
apoiar os povos livres que resistem a tentativas de subjugação por minorias armadas ou por
pressões de fora
holocausto nuclear
Coreia 1951
Vietnã 1954
crise dos misseis cubanos de 1962
uma gerra mundial podia explodir
Guerra Fria uma crença ocidental de que a catástrofe da segunda guerra não chegara ao fim
EUA queria impedir uma nova depressão do que evitar outra guerra
1945-7 URSS não era expansionista
URSS não apresentava perigo imediato a quem estivesse fora do alcance
Stalin precisava de toda a ajuda que conseguisse obter, não tinha interesse de antagonizar a
única potencia que podia fazê-lo
conquista do mundo tese de que a única potencia q poderia rivalizar e conter a Rússia era o
EUA
os americanos tinham o poder até certo ponto
potencias representando ideologias (americanos acreditavam que eram o modelo para o
mundo)
EUA governo precisava ganhar votos era uma democracia, URSS não
a histeria publica tornava fácil para os presidentes obter cidadães famosos
potencial politico da denuncia em massa do inimigo interno
tom apocalíptico originou-se nos EUA
presidente Kennedy eleito em 1960 para combater o comunismo