Você está na página 1de 38
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho

HigieneHigieneHigiene dododo TrabalhoTrabalhoTrabalho

HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho
HigieneHigiene Higiene dodo do TrabalhoTrabalho Trabalho

José Carlos Marques Centro de Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira

Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira Uma 2004 marques@uma.pt http://www.uma.pt/jcmarques
Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira Uma 2004 marques@uma.pt http://www.uma.pt/jcmarques

Uma 2004

Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira Uma 2004 marques@uma.pt http://www.uma.pt/jcmarques
Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira Uma 2004 marques@uma.pt http://www.uma.pt/jcmarques

marques@uma.pt

http://www.uma.pt/jcmarques

Princípios

PlanoPlano

Princípios Plano Plano Plano / bibliograf ia / avaliação Noções de base / Prin cípios e

Plano / bibliografia / avaliação

Noções de base / Princípios e domínios de intervenção / Evolução histórica / Importância

de intervenção / Evolução histórica / Importância Toxicologia Perigos químicos Perigos físicos
de intervenção / Evolução histórica / Importância Toxicologia Perigos químicos Perigos físicos

Toxicologia Perigos químicos Perigos físicos Perigos biológicos Exposição combinada Instrumentos de medida Ventilação e ar condicionado Outros aspectos Apresentações

de medida Ventilação e ar condicionado Outros aspectos Apresentações 2 http://www.uma.pt/jcmarques

AvaliaçãoAvaliação

Avaliação Avaliação Trabalho de grupo (de 3 elementos) 3 níveis /15 - 20 páginas) Levantamento de

Trabalho de grupo (de 3 elementos)

3 níveis /15 - 20 páginas)

Levantamento de sites na net com interesse para a higiene do trabalho (perigos químicos, físicos e biológicos)

Levantamento dos perigos químicos, físicos e biológicos de uma área de actividade

Cada grupo deve definir uma área de actividade

Plano de prevenção (base nos conhecimentos do módulo)

Incluir fichas de segurança dos eventuais riscos químicos

Fichas ocasionais sobre aspectos particulares da higiene

Fichas ocasionais sobre aspectos particulares da higiene Apresentação e discussão 15 minutos por grupo Avaliação
Fichas ocasionais sobre aspectos particulares da higiene Apresentação e discussão 15 minutos por grupo Avaliação

Apresentação e discussão

15 minutos por grupo

Avaliação composta por trabalho + apresentação + fichas + hetero-avaliação (50:20:20:10)

A participação activa no trabalho e apresentação são imprescindíveis para a passagem no módulo

activa no trabalho e apresentação são imprescindíveis para a passagem no módulo 3 http://www.uma.pt/jcmarques

BibliografiaBibliografia

Bibliografia Bibliografia Manual de Higiene e Segurança do Trabalho Alberto Sérgio Miguel, Porto Editora Manual de

Manual de Higiene e Segurança do Trabalho

Alberto Sérgio Miguel, Porto Editora

Manual de Higiene do Trabalho na Indústria

Ricardo Macedo, Fundação Gulbenkian

Manual de Higiene Industrial

Fundacion MAPFRE

Enciclopédia de saúde e segurança no trabalho

OIT

Manuais de formação sobre substâncias perigosas

e segurança no trabalho OIT Manuais de formação sobre substâncias perigosas OIT 4 http://www.uma.pt/jcmarques
e segurança no trabalho OIT Manuais de formação sobre substâncias perigosas OIT 4 http://www.uma.pt/jcmarques

OIT

e segurança no trabalho OIT Manuais de formação sobre substâncias perigosas OIT 4 http://www.uma.pt/jcmarques

Higiene?Higiene?

Higiene? Higiene? Higiene ou Segurança do trabalho??? 5 http://www.uma.pt/jcmarques

Higiene ou Segurança do trabalho???

Higiene? Higiene? Higiene ou Segurança do trabalho??? 5 http://www.uma.pt/jcmarques
Higiene? Higiene? Higiene ou Segurança do trabalho??? 5 http://www.uma.pt/jcmarques
Higiene? Higiene? Higiene ou Segurança do trabalho??? 5 http://www.uma.pt/jcmarques

HigieneHigiene IndustrialIndustrial

Higiene Higiene Industrial Industrial Os riscos profissionais são inerentes à própria actividade As condições de

Os riscos profissionais são inerentes à própria actividade

As condições de trabalho é que podem afectar negativamente a saúde, a segurança e o bem estar

Riscos de operação

Relativos ao processo

Máquinas desprotegidas, pisos escorregadios …

ao processo Máquinas desprotegidas, pisos escorregadios … Riscos de ambiente Gases tóxicos, ruído, calor … A
ao processo Máquinas desprotegidas, pisos escorregadios … Riscos de ambiente Gases tóxicos, ruído, calor … A

Riscos de ambiente

Gases tóxicos, ruído, calor …

AA segurançasegurança dodo trabalhotrabalho lidalida comcom aa prevençãoprevenção ee controlocontrolo dosdos riscriscosos dede operaçãooperação aa higienehigiene dodo trabalhotrabalho lidalida comcom osos riscosriscos dede ambienteambiente (que(que podempodem originaroriginar doençasdoenças profissionais)profissionais)

(que podem podem originar originar doenças doenças profissionais) profissionais) 6 http://www.uma.pt/jcmarques

A Higiene Industrial envolve:

HigieneHigiene IndustrialIndustrial

In dustrial envolve: Higiene Higiene Industrial Industrial contaminantes (poluentes) do ambiente de trabalho

contaminantes (poluentes) do ambiente de trabalho Objectivo: prevenir as doenças profissionais

engenharia / medicina / epidemiologia / toxicologia

química / bioestatística

4 tipos de agentes:

Químicos

Poeiras / fumos / neblinas / aerossóis / gases / vapores

Físicos

Ruído /vibrações / ambiente térmico / radiações / pressão

Biológicos

Vírus / bactérias / fungos / alimentos /contactos com fluidos corporais

/ fungos / alimentos /contactos com fluidos corporais Ergonómicos Relacionados com factores fisiológicos e
/ fungos / alimentos /contactos com fluidos corporais Ergonómicos Relacionados com factores fisiológicos e

Ergonómicos

Relacionados com factores fisiológicos e psicológicos

Envolve a interacção homem / trabalho, incluindo no design, controlo, luz, plano do local, ferramentas, organização, …

Adaptar o trabalho à pessoa

luz, plano do local, ferramentas, organização, … Adaptar o trabalho à pessoa 7 http://www.uma.pt/jcmarques

Objectivo:Objectivo: aa saúdesaúde

Objectivo: Objectivo: a a saúde saúde O objectivo final da Higiene do Trabalho é a eliminação,

O objectivo final da Higiene do Trabalho é a eliminação, nos locais de trabalho, de todos os factores de risco ambientais

Eliminar tudo o que pode afectar a saúde

Ter saúde é ter equilíbrio e bem estar físico, mental e social

Saúde física

Funcionamento adequado das diferentes partes do corpo

Órgãos / tecidos / células

Saúde mental

Equilíbrio intelectual e emocional

células Saúde mental Equilíbrio intel ectual e emocional Saúde social Bem estar na relação com os
células Saúde mental Equilíbrio intel ectual e emocional Saúde social Bem estar na relação com os

Saúde social

Bem estar na relação com os outros

Equilíbrio intel ectual e emocional Saúde social Bem estar na relação com os outros 8 http://www.uma.pt/jcmarques

RiscosRiscos profissionaisprofissionais

Riscos Riscos profissionais profissionais Alterações do ambiente de trabalho que afectam negativamente a saúde

Alterações do ambiente de trabalho que afectam negativamente a saúde

Factores mecânicos Agentes físicos Contaminantes químicos Factores biológicos Tensão psicológica e social

Riscos profissionais (patologia do trabalho)

e social Riscos profissionais (patologia do trabalho) Acidentes de trabalho Doenças profissionais Fadiga
e social Riscos profissionais (patologia do trabalho) Acidentes de trabalho Doenças profissionais Fadiga

Acidentes de trabalho Doenças profissionais Fadiga Desgaste e envelhecimento precoce Insatisfação

Doenças profissionais Fadiga Desgaste e envelhe cimento precoce Insatisfação 9 http://www.uma.pt/jcmarques

RamosRamos dada HigieneHigiene IndustrialIndustrial

Higiene teórica Higiene analítica Higiene operativa Higiene de campo

Higiene analítica Higiene operativa Higiene de campo Cada ramo tem o seu âmbito e os seus

Cada ramo tem o seu âmbito e os seus objectivos

Quais?? Qual o mais importante?

Cada ramo tem o seu âmbito e os seus objectivos Quais?? Qual o mais importante? 1
Cada ramo tem o seu âmbito e os seus objectivos Quais?? Qual o mais importante? 1
Cada ramo tem o seu âmbito e os seus objectivos Quais?? Qual o mais importante? 1

HigieneHigiene TeóricaTeórica

Higiene Higiene Teórica Teórica Estudo dos contaminantes e dos efeitos sobre o homem relação dose /

Estudo dos contaminantes e dos efeitos sobre o homem

relação dose / resposta

valores limite de exposição

Qual a exposição sem efeito negativo?

estudos dados experimentais – determinação de valores de referência

Tem por base a experiência industrial e a experimentação humana e animal

Tem por base a exper iência industrial e a experimentação humana e animal 1 1 http://www.uma.pt/jcmarques
Tem por base a exper iência industrial e a experimentação humana e animal 1 1 http://www.uma.pt/jcmarques
Tem por base a exper iência industrial e a experimentação humana e animal 1 1 http://www.uma.pt/jcmarques

Higiene analítica

HigieneHigiene AnalíticaAnalítica

Higiene analítica Higiene Higiene Analítica Analítica Determinação qualitativa e quantitativa dos contaminantes no

Determinação qualitativa e quantitativa dos contaminantes no local de trabalho

Habitualmente há mais que um contaminante

Podem ser de vários tipos (químicos, biológicos e físicos)

Necessidade de implementação de métodos padronizados (laboratórios acreditados)

Os métodos devem dar resultados que reflictam a exposição do trabalhador

dar resu ltados que reflictam a exposição do trabalhador dificuldade da determinação do nível de toxicidade
dar resu ltados que reflictam a exposição do trabalhador dificuldade da determinação do nível de toxicidade

dificuldade da determinação do nível de toxicidade dificuldade de medir a exposição pontual

determinação do nível de toxicidade dificuldade de medir a exposição pontual 1 2 http://www.uma.pt/jcmarques

Higiene operativa

HigieneHigiene OperativaOperativa

Higiene operativa Higiene Higiene Operativa Operativa Métodos de controlo e redução dos níveis de concentração

Métodos de controlo e redução dos níveis de concentração – eliminação do risco

Objectivo: manter os riscos abaixo do limiar em que se tornam prejudiciais para a saúde humana

Boa prática de higiene

Substituição de matérias primas e processos

Isolamento do risco químico, biológico e físico

Captação do contaminante (aspiração)

Ventilação geral

Confinamento do contaminante (ou do trabalhador)

Diminuição dos tempos de exposição

Protecção individual

dos tempos de exposição Protecção individual Complementar com exam es médicos regulares Selecção de
dos tempos de exposição Protecção individual Complementar com exam es médicos regulares Selecção de

Complementar com exames médicos regulares

Selecção de pessoas com deficiências

Complementar com exam es médicos regulares Selecção de pessoas com deficiências 1 3 http://www.uma.pt/jcmarques

Higiene de campo

HigieneHigiene dede CampoCampo

Higiene de campo Higiene Higiene de de Campo Campo Estudo da situação da higiene no local

Estudo da situação da higiene no local de trabalho

Análise do local de trabalho

Detecção de contaminantes

Necessidade de reconhecer os perigos e conhecer metodologias de medição do risco

Ponte entre os quatro ramos da higiene

conhecer metodologias de me dição do risco Ponte entre os quatro ramos da higiene 1 4
conhecer metodologias de me dição do risco Ponte entre os quatro ramos da higiene 1 4
conhecer metodologias de me dição do risco Ponte entre os quatro ramos da higiene 1 4
O O que que está está errado? errado? 1 5 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 5 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 1 5 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 5 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 5 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 6 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 6 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 1 6 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 6 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 6 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 7 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 7 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 1 7 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 7 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 7 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 8 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 8 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 1 8 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 8 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 8 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 9 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 9 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 1 9 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 9 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 1 9 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 0 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 0 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 2 0 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 0 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 0 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 1 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 1 http://www.uma.pt/jcmarques

OO queque estáestá errado?errado?

O O que que está está errado? errado? 2 1 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 1 http://www.uma.pt/jcmarques
O O que que está está errado? errado? 2 1 http://www.uma.pt/jcmarques

Platão e Lucrécio

EvoluçãoEvolução dodo conceitoconceito

e Lucrécio Evolução Evolução do do conceito conceito Descrição de doenças associa das à extracção mineira

Descrição de doenças associadas à extracção mineira

Hipócrates e Galeno

Patologia do chumbo ligada à extracção mineira

Plinio (Sec I)

Descreve doenças ligadas ao trabalho com zinco e enxofre

Avicena (médico árabe)

Estudo de pinturas com chumbo

Agricola (1556) – De Re Metallica

Descreve doenças dos mineiros (silicose) e medidas preventivas Sugere ventilação e protecção individual

Ramazzini (1690) – De Morbis Artificum Diatriba

individual Ramazzini (1690) – De Morbis Artificum Diatriba Criador da medicina do trabalho (as doenças devem
individual Ramazzini (1690) – De Morbis Artificum Diatriba Criador da medicina do trabalho (as doenças devem

Criador da medicina do trabalho (as doenças devem ser estudadas no local de trabalho e não no hospital

Usa o termo higiene

Descreve os riscos associados a 54 profissões

e não no hospital Usa o termo higiene Descreve os riscos associados a 54 profissões 2

Ellenberg (1743)

HigieneHigiene nana eraera industrialindustrial

Higiene Higiene na na era era industrial industrial Escreveu sobre as doenças nas minas de ouro

Escreveu sobre as doenças nas minas de ouro e sobre a toxicidade de vários produtos

Monóxido de carbono/mercúrio/chumbo/ácido nítrico

English factory acts (1833)

Primeira lei efectiva sobre segurança

Estabelece a compensação em vez do controlo das causas

1802 (Inglaterra) - Proibido o trabalho em minas a menores de 9 anos

1873 (Espanha) - proibido a trabalho em minas e fábricas a menores de 10 anos

a trabalh o em minas e fábricas a menore s de 10 anos NFPA (1896) Associação
a trabalh o em minas e fábricas a menore s de 10 anos NFPA (1896) Associação

NFPA (1896)

Associação para a prevenção de fogos – aparecem os primeiros códigos e normas

Associação para a prevenção de fogos – aparecem os primeiros códigos e normas 2 3 http://www.uma.pt/jcmarques

SéculoSéculo XXXX

Século Século XX XX O início do século caracte rizou-se pela ge neralização do conceito da

O início do século caracterizou-se pela generalização do conceito da compensação

1913 (NY) – primeiro programa de higiene industrial

1918 – American Standard Association

1919 – OIT-Organização Internacional do Trabalho

Primeira agência da ONU em 1946 (tratado de versailles)

1948 – Legislação americana adoptada em todos os estados

1948 – Legislação americana adoptada em todos os estados A compensação sobre doenças profissionais aceite apenas
1948 – Legislação americana adoptada em todos os estados A compensação sobre doenças profissionais aceite apenas

A compensação sobre doenças profissionais aceite apenas em alguns estados

1970 OSH – Occupational, Safety and Health Act

aceite apenas em alguns estados 1970 OSH – Occupational, Safety and Health Act 2 4 http://www.uma.pt/jcmarques
E E em em Portugal?? Portugal?? Tal preocupação estava essencialmente voltada para os produtos usados
E E em em Portugal?? Portugal?? Tal preocupação estava essencialmente voltada para os produtos usados
E E em em Portugal?? Portugal?? Tal preocupação estava essencialmente voltada para os produtos usados

EE emem Portugal??Portugal??

E E em em Portugal?? Portugal?? Tal preocupação estava essencialmente voltada para os produtos usados em

Tal

preocupação estava essencialmente voltada para os produtos usados em minas e para a vigilância e sanção.

a

como

era

uso

da

época,

De notar que durante a idade média as corporações assumiam de forma razoável a formação (incluindo a segurança). A situação deteriorou-se após a revolução industrial, ganhando especial destaque na política industrial só na segunda metade do século XX.

es pecial destaque na política industrial só na segunda metade do século XX. 2 5 http://www.uma.pt/jcmarques

HigieneHigiene dodo trabalhotrabalho

Higiene Higiene do do trabalho trabalho Prevenção das doenças profissionais Ciência dedicada ao reconhecimento ,

Prevenção das doenças profissionais

Ciência dedicada ao reconhecimento, avaliação e controlo das condições do ambiente de trabalho passíveis de causar doenças, destruir a saúde e bem estar ou afectar negativamente a relação entre o trabalhador e a sociedade (AIHA)

Reconhecer / avaliar / controlar

Ambiente de trabalho / doenças / Saúde / bem estar / sociedade

avaliar / controlar Ambiente de trabalho / do enças / Saúde / bem estar / sociedade
avaliar / controlar Ambiente de trabalho / do enças / Saúde / bem estar / sociedade
avaliar / controlar Ambiente de trabalho / do enças / Saúde / bem estar / sociedade

OO trabalhotrabalho ee aa segurançasegurança

O O trabalho trabalho e e a a segurança segurança O trabalho é essencial para a

O trabalho é essencial para a vida, o desenvolvimento e a satisfação. Infelizmente, actividades indispensáveis como a produção de alimentos, a extracção de matérias primas, o fabrico de bens, a produção de energia e a prestação de serviços implicam processos, operações e materiais que em maior ou menor medida, criam riscos para a saúde dos trabalhadores, as comunidades locais e o meio ambiente em geral.

trabalhadores, as comunidades locais e o meio ambiente em geral. Enciclopédia da OIT 2 7 http://www.uma.pt/jcmarques
trabalhadores, as comunidades locais e o meio ambiente em geral. Enciclopédia da OIT 2 7 http://www.uma.pt/jcmarques

Enciclopédia da OIT

trabalhadores, as comunidades locais e o meio ambiente em geral. Enciclopédia da OIT 2 7 http://www.uma.pt/jcmarques
2 8 http://www.uma.pt/jcmarques
2 8 http://www.uma.pt/jcmarques
2 8 http://www.uma.pt/jcmarques
2 8 http://www.uma.pt/jcmarques
2 8 http://www.uma.pt/jcmarques

FunçãoFunção HigieneHigiene IndustrialIndustrial

Função Fun ç ão Higiene Higiene Industrial Industrial Antecipar, identificar e avaliar as condições e as

Antecipar, identificar e avaliar as condições e as práticas de trabalho de risco

Desenvolver metodologias, procedimentos e programas de controlo

Implementar, administrar e informar sobre riscos e programas de controlo

Medir, auditar e avaliar a eficácia das medidas tomadas nos programas de controlo

Medir, auditar e avaliar a eficácia das medidas tomadas nos programas de controlo 2 9 http://www.uma.pt/jcmarques
Medir, auditar e avaliar a eficácia das medidas tomadas nos programas de controlo 2 9 http://www.uma.pt/jcmarques
Medir, auditar e avaliar a eficácia das medidas tomadas nos programas de controlo 2 9 http://www.uma.pt/jcmarques

1.1. Antecipar,Antecipar, identificaridentificar ee avaliaravaliar

Antecipar, identificar identificar e e avaliar avaliar 1.Desenvolver metodologias para Antecipar e prever riscos a

1.Desenvolver metodologias para

Antecipar e prever riscos a partir da experiência, dados históricos e outras fontes

Identificar e reconhecer riscos nos sistemas existentes (e futuros), equipamento, produtos, software, instalações, processos, operações …

Avaliar e determinar a probabilidade e severidade dos acidentes (e incidentes) resultantes dos riscos existentes (ou futuros)

2. Aplicar os métodos, analisar e interpretar os resultados

3. Rever sistemas, processos e operações (análise causa-efeito)

sistemas, processos e operações (análise causa-efeito) Falhas dos sistemas ou componentes Erro humano Falhas
sistemas, processos e operações (análise causa-efeito) Falhas dos sistemas ou componentes Erro humano Falhas

Falhas dos sistemas ou componentes Erro humano Falhas de decisão, de análise ou de gestão Fragilidades das medidas propostas, directivas e prática corrente

ou de gestão Fragilidades das medidas propostas, directivas e prática corrente 3 0 http://www.uma.pt/jcmarques

Antecipar,Antecipar, identificaridentificar ee avaliaravaliar ((contcont.).)

identificar e e avaliar avaliar ( ( cont cont .) .) 4.Rever, compilar, analisar os dados

4.Rever, compilar, analisar os dados de acidentes

Identificar causas, tendências e relações Assegurar uma informação completa, rigorosa e válida Avaliar a eficácia dos métodos de recolha de dados Investigar as causas dos acidentes

5.Aconselhar o cumprimento de normas, legislação, directivas, procedimentos … sobre segurança

6.Conduzir estudos sobre riscos potenciais

7.Determinar consulta de especialistas (se nec.)

(médicos, higienistas, bombeiros, eng.de projecto…)

nec.) (médicos, higienistas, bombeiros, eng.de projecto…) 8.Verificar se as capacidades humanas não estão a ser
nec.) (médicos, higienistas, bombeiros, eng.de projecto…) 8.Verificar se as capacidades humanas não estão a ser

8.Verificar se as capacidades humanas não estão a ser excedidas

eng.de projecto…) 8.Verificar se as capacidades humanas não estão a ser excedidas 3 1 http://www.uma.pt/jcmarques

2.2. DesenvolverDesenvolver metodologias,metodologias, procedimentosprocedimentos ee programasprogramas dede controlocontrolo

e e programas programas de de controlo controlo 1. Formular e prescrever controlos técnicos e

1. Formular e prescrever controlos técnicos e administrativos (antes das ocorrências):

Eliminar riscos e causas de exposição e acidentes

Reduzir a probabilidade de danos graves, doenças e dano ambiental (se o problema não pode ser eliminado)

e dano ambiental (se o problema não pode ser eliminado) 2. Desenvolver metodologias de integração da
e dano ambiental (se o problema não pode ser eliminado) 2. Desenvolver metodologias de integração da

2. Desenvolver metodologias de integração da segurança na política da empresa, produtividade, procedimentos e política de gestão

3.Desenvolver políticas e procedimentos de segurança, saúde e ambiente e a sua integração nas condições de operação, instalações, compras e contratações

integração nas condições de operação, instalações, compras e contratações 3 2 http://www.uma.pt/jcmarques

DesenvolverDesenvolver metodologias,metodologias, procedimentosprocedimentos ee programasprogramas dede controlocontrolo ((contcont.).)

programas de de controlo controlo ( ( cont cont .) .) 4.Dinamizar a formação de equipas

4.Dinamizar a formação de equipas de segurança

Envolvimento na planificação, design, desenvolvimento e implementação de programas de segurança

Envolvimento na planificação, design, desenvolvimento, fabrico, controlo e distribuição de produtos e serviços de modo a maximizar a segurança dos produtos

e serviços de modo a maximiza r a segurança dos produtos 5. Aconselhar e assistir os
e serviços de modo a maximiza r a segurança dos produtos 5. Aconselhar e assistir os

5. Aconselhar e assistir os responsáveis de recursos humanos na determinação das capacidades e limitações do pessoal

6. Manter-se actualizado sobre desenvolvimentos técnicos, legislação, normas, produtos, procedimentos e práticas de controlo de riscos

legislação, normas, produtos, procedimentos e práticas de controlo de riscos 3 3 http://www.uma.pt/jcmarques

3.3. Implementar,Implementar, administraradministrar ee informarinformar sobresobre riscosriscos ee programasprogramas dede controlocontrolo

riscos e e programas programas de de controlo controlo 1. Preparar relatórios sobre recomendações de controlo
riscos e e programas programas de de controlo controlo 1. Preparar relatórios sobre recomendações de controlo
riscos e e programas programas de de controlo controlo 1. Preparar relatórios sobre recomendações de controlo

1. Preparar relatórios sobre recomendações de controlo com base na analise e interpretação dos dados de acidentes, exposição, …

2. Usar materiais escritos e gráficos, apresentações e outros meios para alertar todos quantos estão envolvidos em processos de decisão

4. Organizar materiais e cursos de formação, incluindo a divulgação de políticas, procedimentos e programas de controlo de riscos

5. Implementar controlo de riscos e os programas de controlo, dentro das suas competências

controlo de riscos e os programas de controlo, dentro das suas competências 3 4 http://www.uma.pt/jcmarques

4.4. Medir,Medir, auditarauditar ee avaliaravaliar aa eficáciaeficácia dasdas medidasmedidas tomadastomadas nosnos programasprogramas dede controlocontrolo

nos nos programas programas de de controlo controlo 1. Estabelecer e implementar técnicas envolvendo análise

1. Estabelecer e implementar técnicas envolvendo análise de riscos, custos, análise custo- benefício, amostragem, frequência de danos …

Avaliação sistemática de controlo de riscos e eficácia de programas de controlo

2. Desenvolvimento de métodos para avaliar custos e eficácia do controlo de riscos

Conhecer a contribuição dos sistemas, organização, processos e operações

dos sistemas, organização, processos e operações 3. Fornecer à gestão dados da avaliação incluindo as
dos sistemas, organização, processos e operações 3. Fornecer à gestão dados da avaliação incluindo as

3. Fornecer à gestão dados da avaliação incluindo as sugestões de mudança

4. Dirigir o desenvolvimento de sistemas de auditoria e custos relacionados com a eficácia de todo o sistema dentro da organização

e custos relacionados com a eficácia de todo o sistema dentro da organização 3 5 http://www.uma.pt/jcmarques
3 6 http://www.uma.pt/jcmarques
3 6 http://www.uma.pt/jcmarques
3 6 http://www.uma.pt/jcmarques
3 6 http://www.uma.pt/jcmarques
3 6 http://www.uma.pt/jcmarques

AnáliseAnálise dede campocampo

Análise Análise de de campo campo 1. Quais os riscos potenciais? Químicos / Físicos / Biológicos

1. Quais os riscos potenciais?

Químicos

/ Físicos

/

Biológicos / Ergonómicos

2. Qual a prioridade das medidas?

Medidas de engenharia

Substituição / modificação de processos

Confinamento de operações ou operadores

Ventilação

Medidas de gestão

Controlo da rotina de trabalho

Rotação de funções / tempo por tarefa

Medidas de protecção pessoal - última linha de acção

Medidas de protecç ão pessoal - última linha de acção Luvas, óculos, capacete, botas, batas, respiradores
Medidas de protecç ão pessoal - última linha de acção Luvas, óculos, capacete, botas, batas, respiradores

Luvas, óculos, capacete, botas, batas, respiradores

Adaptadas à pessoa, devidamente usados, verificados e substituídos com regularidade

Adaptadas à pessoa, devidamente usados, verificados e substituídos com regularidade 3 7 http://www.uma.pt/jcmarques

SegurançaSegurança // QualidadeQualidade // AmbienteAmbiente

Segurança / / Qualidade Qualidade / / Ambiente Ambiente AMBIENTE SAÚDE QUALIDADE SEGURANÇA 3 8
Segurança / / Qualidade Qualidade / / Ambiente Ambiente AMBIENTE SAÚDE QUALIDADE SEGURANÇA 3 8
Segurança / / Qualidade Qualidade / / Ambiente Ambiente AMBIENTE SAÚDE QUALIDADE SEGURANÇA 3 8
AMBIENTE SAÚDE QUALIDADE
AMBIENTE
SAÚDE
QUALIDADE

SEGURANÇA

/ Qualidade Qualidade / / Ambiente Ambiente AMBIENTE SAÚDE QUALIDADE SEGURANÇA 3 8 http://www.uma.pt/jcmarques