Você está na página 1de 8

Texto III

Chegou a festa junina!


(Fragmentos)
Antes da era cristã, alguns povos antigos - persas,
egípcios, celtas, sírios, bascos,
sardenhos, bretões e sumérios - faziam rituais para
invocar a fertilidade de suas plantações.
Eles acendiam fogueiras para espantar os maus espír
itos e desejavam obter uma boa safra.
Isso acontecia em junho, época em que se inicia o v
erão no hemisfério norte. Esses festejos
se perpetuaram. Mais tarde, passaram a ser seguidos
não só pelos camponeses, mas
também pelos homens da cidade na Europa. No entanto
, os rituais eram considerados
pagãos pela Igreja Católica. Como não era possível
dar fim a uma tradição tão antiga, a
Igreja adaptou essa celebração a seu calendário de
festividades no século 4. Estava iniciada
a Festa Joanina, que recebeu este nome em homenagem
a São João Batista, um dos
santos mais importantes celebrados em junho - os ou
tros são Santo Antônio (no dia 13) e
São Pedro (no dia 29).
(http://www.cienciahoje.uol.com.br
)
QUESTÃO 5
A igreja adaptou os rituais a seu calendário de fes
tividades porque
(A) deveria espantar os bons espíritos.
(B) queria perpetuar os festejos na Europa.
(C) desejava manter os rituais no hemisfério norte.
(D) seria muito difícil romper com as antigas trad
ições.
QUESTÃO 6
Em “Esses festejos
se perpetuaram
.” , o trecho que mantém o sentido da
expressão em destaque é
(A) ... “persas, egípcios, celtas, sírios, bascos,
sardenhos, bretões e sumérios -
faziam rituais para invocar a fertilidade de suas p
lantações.”
(B) “Mais tarde, passaram a ser seguidos não só pe
los camponeses, mas também
pelos homens da cidade na Europa.”
(C) “Isso acontecia em junho, época em que se inic
ia o verão no hemisfério norte.”
(D) “Estava iniciada a Festa Joanina, que recebeu
este nome em homenagem a São
João Batista, ...”

Por que ardem fogueiras nas noites de festas juninas?


1 de 8

 Para aquecer os participantes; junho marca o começo do inverno no hemisfério


sul, e faz frio em todas as cidades brasileiras
 No século 18, quando as festas começaram, não havia luz elétrica; o fogo serve
de iluminação para os festeiros e para as fotografias desde então produzidas
 Segundo a tradição católica, Isabel usou uma fogueira para avisar Maria, mãe de
Jesus, que João Batista (o futuro São João) estava nascendo
 Por conta dos costumes muçulmanos integrados às festas religiosas

Entre os santos das festas juninas (Santo Antônio, São


João e São Pedro), qual deles foi apóstolo de Jesus
Cristo?
3 de 8

 Santo Antônio
 São João
 São Pedro
 Nenhum dos três
Em qual dia de junho Santo Antônio é celebrado? Ele é
considerado um santo _________
4 de 8

 13, data do nascimento dele; casamenteiro


 13, data da morte dele; casamenteiro

Forró, xaxado, quadrilha, pezinho ... cada lugar tem


sua música. De qual cidade brasileira parte em junho o
animado Trem do Forró, há quase duas décadas?
6 de 8

 Recife
 Pirenópolis
 Campina Grande
 Caruaru

Onde nasceu a quadrilha, uma dança das festas


juninas?
7 de 8

 No Brasil, com os indígenas


 Nos Estados Unidos, com os escravos
 Na França
 Na África, com os escravos

A festa junina é conhecida popularmente por seu caráter alegre, com brincadeiras,
comidas típicas, simpatias, etc. Além desses, os santos que são homenageados no mês
de junho também dão significado ao festejo.

São vários os símbolos dessa festa, mas os mais importantes são:

A fogueira – criada desde os tempos mais antigos para agradecer pela fertilização da
terra e pelas fartas colheitas. Além disso, por manifestar tanto o bem quanto o mau; o
bem por representar a criação, a luz, e o mau por ser um elemento destruidor. Cada
santo junino tem um tipo diferente de fogueira, sendo a de santo Antônio quadrada, a de
são João redonda e a de são Pedro triangular.

Os balões foram criados para lembrar as pessoas do início da festa. Porém, essa prática
deu início a grandes incêndios, e passou a ser proibida. Hoje existe uma lei que proíbe o
uso dos mesmos, a fim de evitar maiores acidentes.

As bandeirolas surgiram por causa dos três santos: são João, santo Antônio e são Pedro,
onde estes eram pregados nas bandeiras para serem admirados durante a festa. Assim,
passaram a fazer bandeirinhas pequenas e coloridas para alegrar o ambiente da festa.

As bandeiras dos santos também costumam ser lavadas, mergulhadas em um lago,


riacho ou mesmo numa bacia, para que as pessoas se molhem com essa água, podendo
se purificar.

Os fogos de artifício são usados para espantar os sentimentos ruins, os maus espíritos.

A quadrilha é uma forma de agradecimento pelas boas colheitas, feita aos santos
juninos.

As simpatias são uma forma de trazer maiores crenças, como sorte na vida e no amor.
Santo Antônio é sacrificado, sendo colocado de cabeça para baixo até que a pessoa
arrume um companheiro.

ORIGENS DAS FESTAS JUNINAS

Existem duas explicações para o nome Festa Junina. A primeira diz que
este nome surgiu porque as festividades acontecem durante o mês de
junho.

A outra explicação diz que esta festa tem origem em países católicos da
Europa e, portanto, seria uma homenagem a São João. No princípio, a
festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, essa festividade foi trazida para o Brasil


pelos portugueses, quando o Brasil era governado por Portugal. Mas
outros povos também influenciaram as nossas festas juninas como
os chineses, espanhóis e franceses.

Da França veio a dança marcada que deu origem às danças de quadrilha.

Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, que teria iniciado a


fabricação da pólvora.
De Portugal e da Espanha teria vindo a dança de fitas, muito comum em
festas juninas do Brasil.

Todos esses elementos culturais dos afro-brasileiros e imigrantes vindos


de Portugal , Espanha e França foram, com o passar do tempo,
misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros, dando origem às
festas juninas como elas são hoje em dia.

c) Leitura silenciosa do texto expositivo.

d) Atividade escrita:

Responda as perguntas em seu caderno:

· Quais são as duas explicações para o nome Festa Junina?

· Quem trouxe essa festividade para o Brasil?

Complete com os nomes corretos dos países:

· Introduziu a dança da quadrilha nas nossas festas: ____________

· Trouxe para o Brasil a tradição de soltar fogos: ______________

· Ensinaram aos brasileiros a dança de fitas: _____________________

Enem 2013 Questão 111

Própria dos festejos juninos, a quadrilha nasceu como dança aristocrática. oriunda dos
salões franceses, depois difundida por toda a Europa. No Brasil, foi introduzida como
dança de salão e, por sua vez, apropriada e adaptada pelo gosto popular. Para sua
ocorrência, é importante a presença de um mestre “marcante” ou “marcador”, pois é
quem determina as figurações diversas que os dançadores desenvolvem. Observa-se a
constância das seguintes marcações: “Tour”, “En avant”, “Chez des dames”, “Chez
des cheveliê”, “Cestinha de flor”, “Balancê”, “Caminho da roça”, “Olha a chuva”,
“Garranchê”, “Passeio”, “Coroa de flores”, “Coroa de espinhos” etc.

No Rio de Janeiro, em contexto urbano, apresenta transformações: surgem novas


figurações, o francês aportuguesado inexiste, o uso de gravações substitui a música ao
vivo, além do aspecto de competição, que sustenta os festivais de quadrilha, promovidos
por órgãos de turismo.

CASCUDO. L.C. Dicionário do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Melhoramentos.


1976.
As diversas formas de dança são demonstrações da diversidade cultural do nosso país.
Entre elas, a quadrilha é considerada uma dança folclórica por

1. A

possuir como característica principal os atributos divinos e religiosos e, por isso,


identificar uma nação ou região.

2. B

abordar as tradições e costumes de determinados povo ou regiões distintas de


uma mesma nação.

3. C

apresentar cunho artístico e técnicas apuradas, sendo também, considerada


dança-espetáculo.

4. D

necessitar de vestuário específico para a sua prática, o qual define seu país de
origem.

5. E

acontecer em salões e festas e ser influenciada por diversos gêneros musicais.

Origem da Festa Junina

Existem duas explicações para a origem do termo "festa junina". A primeira explica que
surgiu em função das festividades, principalmente religiosas, que ocorriam, e ainda
ocorrem, durante o mês de junho. Estas festas eram, e ainda são, em homenagem a três
santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Outra versão diz que o nome desta
festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem
apenas a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses,
ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por
Portugal).
Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses,
espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças
nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar
fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora
para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum
em Portugal e na Espanha.

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos
aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas
diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

Festas Juninas no Nordeste

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas
ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos
três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a
seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as
chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento


econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos.
Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora
a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas
europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto
estas festas.

Comidas típicas

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e
salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural de milho
verde, milho cozido, canjica, cuscuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce,
bolo de amendoim, bolo de pinhão, bom-bocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque,
quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.

Principais tradições

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras,
que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem
este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em
função dos riscos de incêndio que representam.

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam
andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores
deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem
degustadas pelos festeiros.

Já na região Sudeste é tradicional a realização de quermesses. Estas festas populares são


realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com
comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre
durante toda a quermesse.

Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para
mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem
o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto
aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem
se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.