Você está na página 1de 4

História da UPH

A organização dos Homens Cristãos é relativamente recente. No entanto os homens tiveram, desde o
inicio da história Bíblica, uma atuação extremamente destacada. Tanto no Velho Testamento como
no Novo Testamento, vemos os varões ocuparem as mais importantes funções da sociedade,
especialmente no âmbito da família, do governo e da religião.

A organização do Trabalho Masculino na IPB começou nos primórdios da organização da nossa


Igreja, têm se noticia de que antes de 1900 já tínhamos os Homens Presbiterianos organizados em
Igrejas locais, com o nome de "ESFORÇO CRISTÃO" que durou até a organização da CNHP. Em
1951 foi eleito o primeiro Secretario Geral do Trabalho Masculino da IPB, que foi o Rev. Dr. Israel
Gueiros, que ficou até 1960. Em 1960 o então Secretario Geral, Presb. José Vieira Simões, convoca
um Congresso dos Presidentes de Sínodos e Secretários Sinodais do Trabalho Masculino. Em 1962
começam a surgir publicações das UPH´s: "UPH - Revista", "UPH – Jornal" e "UPH – Manual". Em
1965 contabiliza-se 445 UPH´s organizadas no Brasil. Em 1966 realiza-se em Campinas – SP, o I
Congresso Nacional dos Homens Presbiterianos de 09 a 13/09/1966. É escolhido o Dia do Homem
Presbiteriano – 02 de Fevereiro. Com o passar dos anos o trabalho vai se firmando, até culminar na
publicação da Revista "Proposta", cujo a N° 1 foi divulgada no 2° Trimestre de 1998, na gestão do
Presb. Adonias Campos, contando com esforços notáveis do Secretario Geral, Presb. Alberto
Rodrigues Roque. Em 2003 contamos com 48 Sinodais organizadas, 200 Federações e mais de 1600
UPH´s em funcionamento. Temos aproximadamente 23.000 Homens Presbiterianos, membros das
UPH's.

Fonte: http://www.uph.org.br/site/sn-nossa-historia.php
UPH Sapé

UPH
União Presbiteriana
De Homens
2006 - 2018

A principal missão da Igreja não é missões, mas adoração. O fim


principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre. A UPH da
IPSapé, nestes dias comemora os seus doze anos de organização. Fundada no
dia 30 de julho de 2006, nas dependências da Igreja Presbiteriana de Sapé, foi
organizada esta UPH, sob a direção do Rev. Antônio Carneiro Filho, na época
organizada com dez sócios ativos. No ato de nascimento desta sociedade o
pastor trouxe uma palavra de incentivo baseada no livro de Tito 1:5-9, bem
como ressaltou a relevância de podermos contribuir e trabalhar no Reino de
Deus como Sociedade Organizada. Enfatizou ainda que o campo de atuação dos
Homens Presbiterianos pode ser amplo dentro e fora da Igreja.

O grande modelo para o homem cristão é JESUS CRISTO, tendo os


homens desde o inicio da história bíblica, uma atuação extremamente
destacada. Tanto no Antigo como no Novo Testamento, vemos os varões
ocuparem as mais importantes funções da Sociedade, especialmente no âmbito
da família, do governo e da religião. Atualmente responde pelo comando
desta UPH, o nobre irmão José Adailton Sampaio. O mesmo vem trabalhando
dentro de suas possibilidades com muito afinco, amor, dedicação, bem como por
uma UPH mais autêntica, mais piedosa, mais fiel a Deus e comprometida com as
verdades da sua palavra. Atualmente a Sociedade registra os seguintes
membros ativos e cooperadores: Presidente: Adailton Sampaio; Vice-
Presidente: José Cordeiro; 1º Secretario: Carlos Luís; 2º Secretario: Tobias
Teodósio e Tesoureiro: João Laurentino. Membros ativos: Severino Freire;
João Gualberto Neto; Carlos Santos; Moises Mozart; Clovis dos Santos; José
Cassimiro; Edvaldo Ismael, José Sivonaldo; José Lucas. Que o Senhor fortaleça
cada homem que faz parte desta estimada sociedade. Nos laços da Cruz,
Adailton Sampaio/Presidente – 2018.
O Brasil Precisa de Nossas Orações

O grande reformador Joao Calvino (1509-1564) certa vez disse: “Quando Deus que punir uma
nação lhes dar governantes ímpios”. Infelizmente o que temos visto em nosso Brasil é fruto da
depravação moral do homem, registrado nas Escrituras. Muitas vezes não é fácil confiarmos em
nossos governantes e políticos. Mesmo quando os eleitos são aqueles em quem votamos,
estamos sujeitos a ser enganados. Promessas falsas, corrupção e até a aprovação de leis que vão
contra o bem estar do povo e da nossa fé acontecem constantemente. Confiar em seres humanos
geralmente pode acabar em frustração.

Entretanto, em Deus nós podemos confiar. Ele nunca falha nem nos decepciona. Quando
oramos por nossos governantes e autoridades o Senhor age através deles para o nosso bem.
Ainda que as autoridades não sejam cristãs, elas estão sob a soberania de Deus. Ele próprio
nos orientou a orar em favor delas para que nossa sociedade seja transformada (1 Tm 2:1-4).

No século XVI na Escócia, o reformador John Knox (1514-1572) era poderoso na oração. A
rainha Maria, da Inglaterra, que era católica, disse certa vez: “Não tenho medo do exército de
toda a Escócia; só temo a oração de John Knox”. Ele orava assim: “Ó Deus, dá-me a Escócia
ou eu morro!”. Ele vivia a realidade de que suas orações eram movidas pelas necessidades do
seu coração, mas seu coração era movido pela vontade de Deus, logo, suas necessidades mais
profundas estavam de acordo com a vontade de Deus!

A pressão da necessidade faz com que o crente realmente se agarre a Deus em oração, ou
simplesmente “deixe pra lá” o que está acontecendo. John Knox entendia a necessidade de banir
a idolatria da Escócia e fazer do Senhor o Único adorado naquela terra. E ele dedicou sua vida a
isso. E, depois de um ano a Escócia não era mais católica, mas sim Protestante.

A oração faz com que o Senhor mova o coração das autoridades para que cumpram a sua
vontade. Não subestime o poder da oração. Acredite: Deus honra a oração dos seus filhos e faz
com que possam viver em tranquilidade e paz, mesmo quando as circunstancias são contrarias.
Confie naquele que é infalível. Ore pelas autoridades e governantes, entregue a sua cidade,
estado e nação nas mãos poderosas e soberanas de nosso Deus, o único que tem poder de
transformar todas as coisas; inclusive o nosso Brasil. Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor.

Nos Laços da Cruz, Rev. Antonio Carneiro Filho.


Dialogando

1. Rev. Antônio Carneiro há quanto tempo o senhor exerce o ministério pastoral e qual
palavra define o seu tempo de pastor?
2. Em qual momento o senhor decidiu por ser pastor?
3. A IPB é uma igreja confessional de doutrina bíblica reformada. Como se manter fiel às
Escrituras diante de tantas distorções teológicas vistas em tantas denominações ditas
evangélicas?
4. O apóstolo Paulo diz em sua carta aos Romanos que o Evangelho é poder de Deus para
a salvação de todo aquele que crê. Porque as pessoas são tão resistentes à mensagem
do evangelho?
5. Como ser cristão neste mundo que é tão avesso ao que o cristianismo crê e defende ?

Você também pode gostar