Você está na página 1de 66

ADAPTAÇÃO DO SISTEMA

RESPIRATÓRIO

Aylton Figueira Júnior


aylton.figueira@imes.edu.br
- LABFEX -
Laboratório de Fisiologia da
Atividade Física e Exercício
UniFMU
Sistema Respiratório-Controle da Ventilação
Pulmonar
Temperatura
Músculos
Receptores pulmonares
ventilatórios
Proprioceptores
articulações e músculos

Estado químico do
líquor no bulbo
Quimiorreceptores
Centro
periféricos
Respiratório
Córtex motor no Bulbo
Regiões
subcorticais
DC & VE & FC – Repouso e Esforço
FC & PA & VE & DC e Esforço
Espectro da Avaliação Funcional

Capacidade Capacidade Estado


Fisiológica Funcional Funcional

+++ ++

Capacidade Aeróbica Velocidade de Marcha Atividade Física


Débito Cardíaco Resistência para Caminhar Atividade Vida Diária
Massa Muscular Subir Escadas Exercícios Resistidos
Força Muscular Levantar da Cadeira Qualidade de Vida
Densidade Óssea Testes de Equilíbrio Auto-eficácia
Velocidade de Condução Nervosa Testes de Aptidão Física Quedas
Atividade
Atividade Física
Física xx Dimensões
Dimensões Saúde
Saúde

Psicológico

Músculo-esquelético
Benefício

Controle
Peso Metabólico

Cardiovascular

Dose
Dose
Adaptação dos Sistemas
Adaptação Cardiorrespiratória

Volume do coração Freqüência cardíaca repouso


Volume de sangue
Freqüência cardíaca esforço
Hemoglobina total
Débito cardíaco e VO2máx Pressão arterial
Volumes pulmonares

Adaptação Muscular
Número e tamanho da mitocôndria Força
Estoques de triglicerídeos HDL
Tamanho das fibras Peso Corporal
Potencial oxidativo LDL / Colesterol
Conceitos & Definições

Limiar Anaeróbico

Histórico : – proposto Wasserman e McIlroy (1964 )


- momento em que o lactato sanguíneo
aumenta rapidamente, indicando
menor suprimento de O2 muscular
- relacionado ao aumento do consumo de
glicose e glicogênio muscular
- ocorre um aumento direto com a
acidose muscular
- forte relação com os valores de VO2máx
Sistema Respiratório-Controle da Ventilação
Pulmonar
Sistema Respiratório-Transporte de
Oxigênio

Fatores que afetam a saturação de Hb:


• pressão parcial do oxigênio(PO2) no sangue
• temperatura do sangue
• pH do sangue(acidez, conteúdo de H+)
• quantidade de CO2
• nível de 2,3 difosfoglicerato(2,3-DPG) nas hemáceas
Sistema Respiratório-Transporte de Gás
Carbônico

• CO2 dissolvido
• 5% - 10%  PCO2 do sangue

• CO2 como bicarbonato


• 65% - 70%
anidrase
•CO2 + H2O H2CO3 H+ + (HCO3)-
carbônica

• CO2 ligado à hemoglobina


• 20%
CO2 + HbNH  HbNHCOOH(carboxihemoglobina)
Sistema Respiratório-Transporte de
Oxigênio
O2 dissolvido
• pouco solúvel nos líquidos
• 0.3ml/100ml de plasma
• 3ml/L x 5L = 15ml de O2 dissolvidos

PO2 do sangue  controle da respiração


 liberação de O2 - pulmão
- tecidos
Sistema Respiratório-Transporte de
Oxigênio
O2 combinado com a Hemoglobina
• aumenta em 65 a 70% carreamento de O2 pelo
sangue
Quanto é transportado?
• homens – 15 a 16g de Hb/100ml de sangue
• mulheres – 13 a 14g de Hb/100ml de sangue
1g de Hb 1,34ml de O2

15g x 1,34 = 20ml de O2/100ml de sangue

Capacidade O2 de Hb = 20ml de O2/100ml de sangue


Sistema Respiratório-Transporte de
Oxigênio

Papel da Mioglobina:
• proteína que contém Fe++
• músculo estriado e cardíaco
• alta concentração nas fibras Tipo I (lentas; aeróbias;
vermelhas)
• oxigênio adicional ao músculo
Mb + O2 MbO2
• disponibilidade de oxigênio no início do exercício
• débito de oxigênio
Conceitos & Termos
Zona Condutora – área pulmonar onde não ocorre a
respiração (troca gasosa)
Zona Respiratória – área pulmonar onde ocorre a
respiração (troca gasosa)
Poros de Kohn – espaços alveolares que permitem
a difusão de fluido e surfactante através das
membranas alveolares
Circulação Pulmonar – o sangue e os vasos que
conectam o coração e os pulmões
Espaço Morto Fisiológico – volume de ar dentro da
zona condutora do pulmão
Respiração – troca gasosa Roberts & Roberts, 2002
Conceitos & Termos
Volume corrente – volume da ar ventilado para
dentro e para fora do pulmão em cada ventilação
Ventilação – volume da ar mobilizado pelos
pulmões, expresso em litros/minuto
Complacência – aumento do volume pulmonar por
unidade de pressão
Ventilação pulmonar – componente da ventilação
que alcança a zona respiratória dos pulmões
Surfactante – molécula de lipoproteína encontrada
nas membranas alveolares que funciona para
reduzir a tensão superficial e melhorar a
complacência Roberts & Roberts, 2002
Conceitos & Termos
Hemoglobina – proteína dentro das células
vermelhas sanguíneas que contém quatro
grupamentos heme contendo ferro. Cada uma
pode ligar-se ao oxigênio
Interface sangue – gás – distância anatômica
através da qual o gás se difunde
Efeito Bohr – redução na afinidade da hemoglobina
pelo oxigênio com um aumento na temperatura,
PCO2, acidose e 2,3-DPG
Anidrase carbônica – enzima que promove a
conversão de CO2 e água em ácido carbônico
Roberts & Roberts, 2002
Conceitos & Termos
Efeito Haldane – redução na afinidade da
hemoglobina pelo dióxido de carbono com um
aumento na pressão parcial de oxigênio
Mioglobina – proteína intramuscular que contém um
grupamento heme, contendo ferro que permite a
ligação ao oxigênio
Limiar anaeróbico – intensidade metabólica
associada com um aumento no equivalente
ventilatório do oxigênio (VE/VO2)
Hipoxemia – disponibilidade de oxigênio menor que
o normal
Hipóxia induzida exercício – redução na saturação
de hemoglobina no exercício Roberts & Roberts, 2002
Conceitos & Termos
Potência Aeróbica – Quantidade de O2 consumido
pelo corpo em trabalho aeróbico. Expresso em
L.min-1 ou mL/Kg.min-1. Primeiro indicador CR
Metabolismo Aeróbico – Trocas químicas que
produz ATP na presença de O2
Energia Aeróbica – Energia resultante da
degradação CHO, CHOO e CHN pelo CK e CTe-
Limiar Aeróbico – Intensidade que o metabolismo
aeróbico é predominante. [La+] = 2.0 mM
Limiar Anaeróbico – Intensidade que produção
remoção de lactato – 50 a 80% do VO2max
Anshel, 1991
Conceitos & Termos
Consumo de O2 – Medida objetiva da CR, mantendo
o fluxo de sangue adequado a necessidade
metabólica. Relacionado a medida:
Fração O2 espirado Fração CO2 espirado
Volume de ar corrente
VO2 L.min-1 =
(1– FeO2 – FeCO2) / 0,7094 x (FiO2 – FeO2) x VE
Ventilação Minuto – Volume de ar movendo nos
pulmões
VE L.mim-1= 863.VCO2
PaCO2 x (1-Vd/Vt)
Costa, 2000 Vd/Vt = relação espaço morto e volume de ar
Conceitos & Termos
Ventilação

(VE) = frequência respiratória x volume corrente


(L/min) = FR x VC

Ventilação Alveolar
Normal
VA = 12 x (1,0 – 0,15 L)
= 12 x 0,85 = 10,5 L/min
Rápida e curta
VA = 60 x (0,2 – 0,15L)
= 60 x 0,05 = 3,0 L/min Roberts & Roberts, 2002
Sistema Respiratório-Controle da Ventilação
Pulmonar

Fatores neurais
• atividade automática dos neurônios inspiratórios
• influência inibitória dos neurônios expiratórios
• influência controladora dos neurônios cerebrais

Fatores humorais
• PO2 plasmática
 quimiorreceptores na crossa da aorta e carótidas

• PCO2 plasmática e íons hidrogênio


 estímulo de áreas inspiratórias no bulbo
Highlights Sistema Respiratório
 Os mecanismos de regulação ventilatória são:

Centro Inspiratório – grupo apnêustica neural


quimiorreceptores periféricos
barorreceptores músculo ativo
músculos intercostais
diafragma
Centro Expiratório – grupo pneumotáxia neural
receptores pulmonares
músculos intercostais
Costill, 1994 músculos abdominais
Highlights Sistema Respiratório
 Função é troca gasosa ambiente e corpo
 Promover a regulação ácido – base no esforço
 Ventilação regulada pressão intrapulmonar
 Expiração é passiva
 Vias aéreas promovem resistência no sistema
 Ventilação é volume de ar em movimento
 Quantidade de gás/min = VC x FR
 Capacidade vital = Volume expirado máximo
 Volume residual = gás interno nos pulmões
 Gás realiza difusão pelo sangue-alvéolo
 Taxa difusão relacionada a Lei de Fick
Highlights Sistema Respiratório
Lei de Fick

- volume de difusão proporcional a área


de difusão (alvéolo) e diferença da
pressão parcial dos gases pela
membrana e inversamente proporcional
a espessura da área da membrana
Sistema Respiratório-Ventilação
pulmonar
Símbolos:

• V - volume

• V – volume por unidade de tempo(minutos)

Ventilação pulmonar-movimento de ar para dentro e para fora


do pulmão por unidade de tempo:


V = VCxFR
Exemplo: homem de 75kg, VC(0.5L)xFR(15)=7,5litros/minuto

V no exercício máximo = 120-175L/min
FR = 40-50
VC = 3-3,5 l
Sistema Respiratório
Volumes e capacidades

Volumes pulmonares Definições

Volume inspirado ou expirado num ciclo


Volume corrente
respiratório

Volume de reserva Volume que pode ser inspirado no final da


inspiratória inspiração

Volume de reserva Volume que pode ser expirado no final da


expiratória expiração
Volume residual Volume remanescente após expiração máxima
Highlights Sistema Respiratório
 Circulação pulmonar é de baixa pressão com taxa
de fluxo sanguíneo igual a circulação sistêmica
 Posição ortostática fluxo sanguíneo está parte
inferior dos pulmões
 Hematose ótima depende da coordenação entre
fluxo sanguíneo e ventilação (ventilação-perfusão)
 Hemoglobina leva 99% do O2
 Aumento da temperatura corporal e redução do pH
leva a menor afinidade do O2 com a hemoglobina
 CO2 é transportado em 3 formas:
- CO2 dissolvido (10%)
- CO2 + hemoglobina (20%)
-
- bicarbonato (HCO3 ) (70%)
Highlights Sistema Respiratório
 Sistema respiratório não é fator limitante em esforço
submáximo
 Pulmões não são limitadores em indivíduos jovens em
alta intensidade.
 Hipóxia em esforço representa incapacidade de
suprimento de O2
 Mudança na ventilação pulmonar está ligada ao
aumento da [ ] de H+ no sangue (LV)
 Ação dos quimiorreceptores periféricos e centrais de
CO2, por da PCO2 e de pH
 Fatores que interferem no VO2 são:
conteúdo do O2 fluxo sanguíneo ambiente
RELAÇÃO ENTRE ATIVIDADE FÍSICA & EPOC

20 min 50 min 80 min dif O2

30% VO2max
1,0 L 1,4 L 1,0 L 0,83 L
EPOC 3,7 % 2,0 % 1,0 %

50% VO2max
3,1 L 5,2 L 6,1 L 1,89 L
EPOC 7% 4,7 % 3,4%

70% VO2max
5,7 L 10,0 L 14,6 L 3,09 L
EPOC 8,9 % 6,4 % 5,9 %
ATIVIDADE FÍSICA AERÓBICA & ANAERÓBICA
& RELAÇÃO COM O EPOC

42 min – 3 séries – 7 exercícios – 10 / 12 repetições


2 minutos repouso – 24 hs de intervalo

60 minutos aeróbico – 70% FCmáx – 24 hs de intervalo


Taxa Metabólica

4,7 %

Tempo repouso
Pressões Parciais dos Gases

Ar atm Ar úmido Ar alvéolo Ar expirado

N2 78,6% 74,0% 74,% 74,5%

O2 20,84% 19,67% 13,% 15,%

CO2 0,04% 0,04% 5,3% 3,6%

H2O 0,50% 6,20% 6,2% 6,20%


Highlights Sistema Respiratório
 As principais alterações no exercício são:
dispnéia
hiperventilação
manobra de valsalva
 A regulação ácido-base ocorre por:
tamponamentos químicos ventilação pulmonar
função renal
BICARBONATO 18,0 buffer extra celular / CO2
HEMOGLOBINA 8,0
PROTEÍNAS 1,7
FOSFATOS 0,3 músculo e rim
mili-equivalentes
Costill, 1994
Sistema Tampão Ácido-Base
Sistema Tampão Constituintes Ações

Bicarbonato Bicarbonato Sódio Ácido forte-fraco


(NaHCO3)
Ácido Carbônico Base forte-fraca
(H2CO3)
Fosfato Fosfato de Sódio Ácido forte-fraco
(Na2HPO4-)
2-3 DPG (difosfatoglicerol) - anaeróbico
Proteínas COO- íons H+
NH3 íons H+
Sistema Tampão Ácido-Base
BICARBONATO

HCl + NaHCO3 NaCl + H2CO3 H+ + HCO3-

ACIDOSE

CO2 + H2O H+ + HCO3-

ALCALOSE

H2O + CO2 H2CO3 H+ + HCO3-


Highlights Sistema Respiratório
 Aumento da ventilação pulmonar produz exalação
adicional de CO2, levando da PCO2 do sangue e
+
[ ] de H ( pH)
 No início do exercício submáximo a ventilação
rapidamente, até valor estável. A PO2 e PCO2 são
mantidas constantes
 Exercício prolongado ambiente quente/úmido a
ventilação aumenta pelo da temperatura corporal
 Exercício progressivo resulta linear da VE até
70% do VO2max.
 VE aumenta exponencialmente, chamado de limiar
ventilatório
Critérios para a Prescrição
Limiar Ventilatórios
Intensidade em que é uma mudança de VE

VT1 – mínimo valor alcançado de VE/VO2


VT2 – Mínimo valor alcançado de VE/VCO2

Platô de VO2
RER >1,15

Bhambhani, 1985
Sistema Respiratório-Controle da Ventilação
Pulmonar

Powers, pg
192
Sistema Respiratório-Controle da Ventilação
Pulmonar

Powers, pg
192
Conceitos & Termos
Quociente Respiratório – Relação entre CO2
produzido e consumo de O2
QR = VCO2 / VO2
QR repouso = 0,75 a 0,85
Pulso de Oxigênio – Índice de quantidade de O2
consumido em cada FC.min-1. Indicador da
eficiência
Rep = 4 a 6 mLO2/bpm Esf = 10 a 20 mLO2/bpm
Equivalente Ventilatório – Demanda ventilatória
para determinado VO2 e CO2 . Índice de eficiência
respiratória
Eq = VE/VO2 Eq = VE/CO2
Costa, 2000
ERRO PADRÃO EM TESTES AERÓBICOS

HIGHLIGTHS
1 – morte em testes é raro – 1/10.000 testes
2 – morte e morbidade – 4/10.000 testes
ERRO PADRÃO
– 10,0% (H) e 14,0% (M) – teste aeróbico Astrand
-12,0% a 15,0% em testes de corrida

TESTES DIRETO VO2max Estimativa Erro Estimativa Erro Estimativa


máximo sub-máximo médio

2 a 3% 5,0% 7,5% 10 - 12,5%


Posição ACSM - Prescrição Treinamento
Aptidão Cardiorespiratória e Composição Corporal

FREQUÊNCIA 3 a 5 dias / semana

INTENSIDADE 55/65% a 90% FCmax ou


40/50% a 80% VO2 max R
DURAÇÃO 20 a 60 minutos contínuo ou
acumulado (mínimo 10min)
TIPO Grandes grupos musculares,
manter ritmo e aeróbica
The Recommended Quatify and Quality Exercise for Developing and Maintining Cardiorespiratory and
Muscular Fitness, and Flexibility in Healthy Adults - Med Sci Sports Exerc. 30(6): 975-9, 1998
Incremento do VO2
VO2 máximo

DC máximo x df a-v O2

Volume ejeção Fluxo sangue Capilar e


muscular mitocôndria

Pré - carga Pós - carga Ativ simpática


Fatores Relacionados VE

Volume de Ejeção Contrabilidade

Volume diastólico final Resistência periférica total


(pré – carga) (pós – carga)

Volume Plasmático

Volume Ventricular
Tempo enchimento e
do retorno venoso
Relação entre FC e %VO2 - Esforço

%VO2 = (FC esforço – FC repouso)


(FC máxima – FC repouso)

Exemplo: FC max = 200 FC rep = 60 FC esforço = 170

% VO2 = 170 – 60
200 - 60 % VO2 = 110
% VO2 =
140
0,78

% VO2 = 78%
Fatores que Contribuem para o EPOC

Ressíntese de ATP e Pcr Atividade hormonal


elevada - catecolaminas

EPOC
Ciclo de Cori
lactato/glicogênio Aumento FC e ventilação

Aumento da temperatura
corporal
Oxidação de lactato

Restauração dos estoques


de O2 nos músculos
Fukubay, Y. e col. Clinical Physiology, 20:165, 2000.
Excesso de consumo de O2
pós-exercício (EPOC)
• Causas:
-ressíntese de ATP e CP
- ressíntese de lactato (Ciclo de Cori)
- restauração de O2
- efeito termogênico:
- elevação temperatura corporal
- hormônios
- alteração função fisiológica:
- cardiovascular
- pulmonar
- muscular
McArdle, Katch & Katch, 1996
Prescrição do Exercício
1- Orientação geral para atividade física
2- Determinar intensidade absoluta
3- Percepção subjetiva de esforço
4- Frequência cardíaca
5- % FC reserva ou FCmáx
6- % VO2máx
7- % lactato ou limiar ventilatório
PRINCÍPIOS DO TREINAMENTO FÍSICO
 Princípio da conscientização

 Princípio da individualidade biológica

 Princípio da adaptação

 Princípio da sobrecarga

 Princípio da especificidade

 Princípio da manutenção

 Princípio da continuidade ou reversibilidade

 Princípio da Transferência

 Princípio da treinabilidade
CARACTERIZAÇÃO DA SOBRECARGA
 Volume (variável quantitativa)
 Quilometragem Percorrida

 Número de Repetições

 Duração do Treino

 Número de Séries

 Número de exercícios

 Intensidade (variável qualitativa)


 Quilagem utilizada

 Velocidade

 Ritmo

 Amplitude dos Movimentos

 Redução dos Intervalos

 Freqüência Cardíaca