Você está na página 1de 6

Universidade Federal de Alagoas

Instituto de Química e Biotecnologia


Segurança em Laboratório – QUIT05
Prof.: Dr. Eid Cavalcante da Silva
Aluno: Marcondes Barbosa dos Santos Data: 01/09/2017
Curso: Química Tecnológica e Industrial

Primeiros Socorros
Acidentes que podem ocorrer no laboratório de química:
1. Queimaduras:
a. Como ocorre?
• Falta de organização do local de trabalho;
• Uso incorreto de equipamentos ou substâncias;
• Desconhecimento ou negligência das técnicas corretas de trabalho;
• Utilização incorreta ou o não uso de equipamentos de proteção coletiva e
individual adequados ao risco;
• Manutenção inexistente ou inadequada do laboratório;
b. Como socorrer?
• Retirar a vítima do contato com o agente causador, neste caso deve-se
ter cuidado em caso de eletricidade com as descargas elétricas, monitorar sinais
vitais;
• No caso de fogo, apagar o fogo com extintor (apropriado), abafando a
vítima com um cobertor ou simplesmente rolando-a no chão;
• A lavagem dos ferimentos com água deverá ser avaliada com cautela,
pois em casos de queimaduras por pós químicos esta não é recomendada;
• Não romper bolhas, nem aplicar pomadas, cremes ou quaisquer outras
substâncias sem indicação médica.
c. Que tipo?
• Agente causador:
Químicos: produtos corrosivos que podem ser bases fortes ou de origem ácida,
como exemplos, temos: álcool, gasolina, bases e ácidos.

Físicos: tem origem no calor ou no frio, através de exposição, condução


ou radiação eletromagnética. Através da temperatura, temos: líquidos e sólidos
ferventes, frio excessivo, chama, vapor, objetos aquecidos, geada, neve, etc.
Com a eletricidade temos: raio, corrente elétrica, etc., e com a radiação temos:
raios solares, aparelhos de raios-X ou ultravioleta, nucleares, etc.
• Grau ou profundidade:
1º grau: atingem as camadas superficiais da pele, causando vermelhidão,
inchaço, dor local, às vezes insuportável, sem formação de bolhas.

2º grau: atingem as camadas mais profundas da pele, ou


seja, derme e epiderme, causando formação de bolhas, pele avermelhada, com
manchas e coloração variável, dor, inchaço, desprendimento de camadas da
pele, e possível estado de choque.

3º grau: são as queimaduras mais profundas que atingem todas as camadas da


pele, podendo chegar aos ossos. Apresentam pouca ou nenhuma dor e a
coloração torna-se branca ou surge a coloração preta, devido à carbonização
dos tecidos.
• Gravidade e extensão:
A consequência mais grave das queimaduras é a porcentagem da área corporal
atingida. A maneira mais simples para esta avaliação, embora imprecisa é
calcular a área queimada através da “ palma da mão do acidentado”, que
corresponde à 1% de sua superfície corpórea. De acordo com esta informação
temos a seguinte classificação:
Portador de queimaduras: o acidentado tem menos de 15% da área corporal
atingida;
Grande queimado: a área corporal atingida, ultrapassa 15% (aproximadamente
15 palmos).
Ao atingir mais de 40% da área corporal, as queimaduras poderão provocar a
morte, e acima de 70% da superfície do corpo atingida as chances de sobreviver
são mínimas
2. Intoxicação:
a. Que tipo?
• Boca: Ingestão de qualquer tipo de substância tóxica (química ou
natural);
• Pele: Contato direto com plantas ou substâncias químicas tóxicas;
• Vias respiratórias: Aspiração de vapores ou gases emanados de
substâncias tóxicas.
b. Como socorrer?
• Nos casos de intoxicação por contato (pele): Lavar abundantemente
o local afetado com água corrente. Se os olhos forem afetados: lavar
com água corrente durante 15 minutos e cobri-los, sem pressão, com
pano limpo ou gaze. Encaminhar ao serviço médico (pronto socorro ou
hospital).
• Nos casos de intoxicação por inalação: Remover a vítima para local
arejado. Encaminhar ao serviço médico (pronto socorro ou hospital).
• Nos casos de intoxicação por ingestão: Não provocar vômito; não
oferecer água, leite ou qualquer outro líquido. Encaminhar, com
urgência, para serviço médico (pronto socorro ou hospital).

3. Cortes ou perfurações:
a. Como socorrer?
Lavar abundantemente o local do ferimento com água. Não retirar fragmentos
fixados no local do corte. Se necessário interrompa a perda de sangue
(hemorragia) por elevação do membro ferido, seguido de pressão próxima do
ferimento. Evite fazer torniquete. Algumas recomendações e orientações gerais
e/ou básicas para prestar primeiros socorros:
• Em presença de qualquer acidente, leve ou grave, NÃO PERDER A CALMA.
Isto influi na maneira de pensar e agir. Demonstrar segurança, tanto no
atendimento ao acidentado como na orientação dos presentes;
• Manter o ferido quieto, agasalhado e em posição confortável; afrouxar as
roupas (colarinho, cinta, etc.);
• Afastar os espectadores, deixando o ambiente livre para a prestação do
socorro e a remoção do acidentado.
• Examinar o acidentado rápida e completamente, tomando providências
como:
➢ Em caso de hemorragia – procurar controlar o sangramento, através de
curativo ou compressão manual;
➢ Manter limpas as vias respiratórias, fazendo a limpeza da boca;
➢ Quando necessário, aplicar a respiração artificial ou massagem cardíaca;
➢ Não administrar líquidos nem medicamentos;
➢ Movimentar o paciente o mínimo possível e, quando necessário, fazê-lo
com cuidado;
➢ Movimentar o fraturado só após a imobilização adequada;
➢ Deixar o paciente com a cabeça voltada para o lado, evitando uma
possível aspiração de vômitos.

4. Choque elétrico:
a. Como socorrer?
• Procurar imediatamente afastar a vítima com a fonte da corrente elétrica,
desligando o interruptor próximo (nota: procure locomover a vítima com um
pedaço de madeira, plástico, pano grosso ou borracha, com exceção de
materiais de metal, pois, já que está energizada, ela poderá transmitir o choque
a você).
• Se a vítima estiver inconsciente, sem pulso ou respiração, aplique as
técnicas de ressuscitação com massagem cardíaca e respiração artificial.
• Se a vítima apresentar inconsciência; porém, estiver respirando e com
pulsação, deve-se colocá-la na PLS (Posição Lateral de Segurança) descrita
anteriormente e aguardar a chegada do socorro especializado.

5. Corrosão:
a. Como socorrer?
Lave imediatamente as partes atingidas com bastante água por 20
minutos. Remova a roupa contaminada e os sapatos. Lave-as antes de reutilizá-
las. No caso do ácido na pele, pode ser neutralizado com uma solução de 2% de
bicarbonato de sódio. Procure ajuda médica.

6. Contaminação biológica;
a. Que tipo?
• A partir de mostras provenientes de seres vivos como plantas, bactérias,
fungos, parasitas, animais e seres humanos (sangue, urina, escarro,
peças cirúrgicas, biópsias, entre outras).
b. Como socorrer?
• Lavar exaustivamente com água e sabão o ferimento ou a pele exposta
ao sangue ou líquido orgânico;
• Lavar as mucosas com soro fisiológico ou água em abundância;
• Não provocar maior sangramento do local ferido e não aumentar a área
lesada, afim de minimizar a exposição ao material infectante;
• O uso de antissépticos tópicos do tipo PVPI ou álcool 70% pode ser
adotado.
7. Asfixia:
a. Como socorrer?
• Lactante:
Verifique se a cavidade oral está obstruída. Sente-se e coloque o lactente
ou a criança de bruços sobre a coxa e faça movimentos com a mão espalmada
na parte posterior do tórax por cinco vezes. Vire a criança de frente e verifique
se a cavidade oral ainda está obstruída. Repita o procedimento, se necessário.
• Adulto:
Se ela estiver inconsciente, coloque-se do lado direito da vítima e chame-a,
tracionando o ombro por três vezes. Verifique a respiração, colocando-se com o
rosto próximo do nariz/boca da vítima, olhando seu tórax expandir (ver, ouvir e
sentir).
Se ela estiver respirando, coloque-a deitada em decúbito lateral esquerdo,
cabeça sobre o braço e perna direita com o joelho meio dobrado sobre a
esquerda, que está estendida.
8. Irritação:
a. Como socorrer?
• Lavar todas as áreas do corpo afetadas por 15 a 20 minutos com água
corrente;
• Não use sabão ou detergente até verificar as normas de risco e
segurança do reagente em questão; Encaminhar a pessoa ao hospital se a
irritação persistir, se houver um dano aparente ou se as normas de segurança
do produto assim exigirem.
9. Fraturas:
a. Como socorrer?
• Os ossos fraturados devem ser mantidos imóveis, assim como as juntas
adjacentes. A hemorragia e o estado de choque devem ser tratados. Quando se
torna absolutamente necessário o transporte da vítima deve ser improvisado
uma tala suporte para impedir que a fratura se agrave durante o trânsito. Deve
ser utilizado material rígido, almofada ou cobertor para apoiar a região e entalar
como estiver.
Referencias:
http://www.infoescola.com/medicina/tipos-de-queimaduras/
http://www.laboratoriocentral.com.br/intoxicacoes-e-envenenamentos/
https://liapromulo.wordpress.com/primeiros-socorros/
http://primeiros-socorros.info/primeiros-socorros-como-agir/choque-
eletrico.html
http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/hidroxido_potassio.html
http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/acido_sulfurico.html
https://www.cpt.com.br/primeiros-socorros/asfixia-em-crianca-ou-adulto-
inconsciente
http://www.ufma.br/portalUFMA/arquivo/3c85c88c4fc6e33.pdf
http://www2.iq.usp.br/cipa/manual/manualinteiro.pdf

Interesses relacionados