Você está na página 1de 19

Poluição do Solos

(Meio Rural)

CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA

Gerenciamento Ambiental

Prof: Thiago Edwiges

Poluição do Solos (Meio Rural) CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Gerenciamento Ambiental Prof: Thiago Edwiges

2

MEIO RURAL

FERTILIZANTES NATURAIS

Revolução Industrial Disponibilidade de fertilizantes produzidos localmente; Características orgânicas; Salitre do Chile (NaNO 3 ); Depósitos de guano.

Imediata biodegradação dos produtos naturais;

Alta incorporação às cadeias alimentares;

Sem ocorrências de desequilíbrios ou danos ambientais.

3

MEIO RURAL

FERTILIZANTES SINTÉTICOS

Macronutrientes (N, P e K) e (Ca, Mg e S);

Micronutrientes (Fe, Mn, Cu e Zn);

Queda da barreira física e econômica limitante;

Riscos de acumulação ambiental;

Aumento de nutrientes e de impurezas no solo;

Aumento de concentrações tóxicas de metais pesados;

4

MEIO RURAL

APLICAÇÃO DE FERTILIZANTES

Eficiência de aplicação;

Modo e local de aplicação;

Momento da aplicação;

Ocorrência de agentes que carregam ou lixiviam.

Criação de excedentes que se incorporam ao solo;

Fixação da fração sólida;

Solubilização da fração líquida;

5

MEIO RURAL

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

FUNGICIDAS

Sais de cobre: Uso mais antigo;

Organomercuriais: Uso restrito às sementes.

HERBICIDAS

Derivados de arsênico: Uso decrescente e limitado;

Derivados de ácido fenoxiacetico: 2,4D; 2,4,5T; Picloram.

6

MEIO RURAL

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

2,4 D (Ácido 2,4 Diclorofenoxiacético)

Primeiro herbicida descoberto.

2,4,5 T (Ácido 2,4,5 Triclorofenoxiacético)

Agente laranja utilizado na Guerra do Vietnã;

Os EUA espalharam maiss de 80 milhões de litros;

Causa malformações congênitas.

7

MEIO RURAL

AGENTE LARANJA

7 MEIO RURAL AGENTE LARANJA

8

MEIO RURAL

INSETICIDAS

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

Organoclorados: DDT, Aldrin, Heptacloro etc.

Extretamente persistentes;

DDT apresenta até 40% de sua concentração após 15 anos;

Heptacloro apresenta 15% de sua concentração após 15 anos;

Produção e consumo proibidos em diversos países.

9

MEIO RURAL

DDT

Surgiu em 1939;

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

Primeiro inseticida organoclorado de elevada resistência;

Preconizou a produção de outros inseticidas;

Atualmente a objetivo é:

Especificidade quanto aos organismos afetados, e

Menor durabilidade no meio ambiente.

10

MEIO RURAL

INSETICIDAS

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

Organofosforados: Parathion, Malathion, Phosdrin etc.

Apresentam uma certa seletividade em sua toxidez para os insetos;

Degradam-se mais rapidamente que os organoclorados.

11

MEIO RURAL

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

INSETICIDAS

Carbamatos ou eratanos

Ésteres do NH 2 COOH;

Extremamente tóxicos;

São específicos em sua toxidez para os insetos

Baixa toxidez para os vertebrados de sangue quente.

12

MEIO RURAL

DEFENSÍVOS AGRÍCOLAS

BIOMAGNIFICAÇÃO OU AMPLIFICAÇÃO BIOLÓGICA: Ocorre quando

substâncias persistentes ou cumulativas (organoclorados)

migram do

mecanismo de alimentação de um organismo para os seguintes da cadeia

alimentar.

BIOACUMULAÇÃO x BIOCONCENTRAÇÃO

13

MEIO RURAL

MANIPULAÇÃO GENÉTICA

Meio alternativo para conseguir plantas mais resistentes;

Melhoramento tradicional: Cruzar uma planta com uma outra qualquer

para obter características desejáveis à nova variedade;

Técnica Modificada: Inserir um

ou

mais

genes

específicos,

cujas

características são conhecidas com antedecência.

14

MEIO RURAL

SALINIZAÇÃO

A franja capilar formada pela ação da tensão superficial, atuando em um

lençol freático, eleva com sais em solução até o nível do terreno.

pela ação da tensão superficial, atuando em um lençol freático, eleva com sais em solução até

15

MEIO RURAL

SALINIZAÇÃO

Salinização primária: Intemperização dos minerais fonte indireta de sais

presentes no solo;

Salinização secundária ou antrópica: Principal meio de aporte de sais no

solo pelas águas de irrigação;

Os sais, que são transportados pelas águas de irrigação e depositados

no solo, acumulam-se neste após se concentrarem, à medida que a água

se evapora ou é consumida pelas plantas.

16

MEIO RURAL

16 MEIO RURAL Salinização por irrigação

Salinização por irrigação

17

MEIO RURAL

17 MEIO RURAL Salinização pela elevação do lençol freático

Salinização pela elevação do lençol freático

18

MEIO RURAL

TOLERÂNCIA À SALINIDADE

ALTA

MÉDIA

BAIXA

Palmeira

Trigo

Ervilha

Cevada

Tomate

Feijão

Beterraba

Aveia

Cana-de-açúcar

Algodão

Cenoura

Pera

Aspargos

Arroz

Maçã

Espinafre

Milho

Laranja

Fonte: FAO, 1985

19

DÚVIDAS?? PERGUNTAS??

19 DÚVIDAS?? PERGUNTAS??