Você está na página 1de 6

Muitos estudantes brasileiros têm uma imagem de como é a vida universitária nos EUA, porém varias vezes, não é

bem como eles imaginam, nem como eles comparam à faculdade no Brasil. Nesse artigo prosseguirei tentar
esclarecer como é a vida universitária nos EUA.

Durante o primeiro ano, você provavelmente viverá em um dormitório no campus. E lembre-se, existem mais de
4600 universidades nos EUA e todas têm algumas semelhanças, porém também varias diferenças. Pequeno
número de universidades estão em grandes cidades, enquanto outras estão em cidades menores que às vezes são
chamadas cidades universitárias porque a local de ensino é o “ meio ” ou o “eixo” da comunidade.

Um dos meus irmãos estudou em uma universidade com uma população estudantil de 3000 alunos, mas a cidade
só tinha 300 habitantes. Já eu frequentei uma universidade com uma população estudantil de 35 mil habitantes e
uma população da cidade de 100 mil. Os dois tivemos experiências excelentes, porém bastante diferentes.

O principal objetivo na universidade é conseguir uma ensino e um diploma. Você vai ter em média entre 12 a 20
horas de aulas por semana, isto é, esse temporada são de aulas dentro da universidade, mas, para qualquer hora
de lição, você terá mas 2-3 horas de afazeres a serem feitos em vivenda. Isso quer dizer que 36 a 80 horas da sua
semana são dedicadas aos estudos.

Existem também varias organizações sociais que você deve optar por se reunir como uma fraternidade ou uma
irmandade, e as universidades incentivam isso, porque a maioria possui atividades sociais fora do campus.

Usualmente, há lugares de reunião – restaurantes e bares – perto do campus. Esses estabelecimentos são pontos
de encontro dos estudantes nos intervalos e ao final das aulas. Dependendo da localização da universidade, a
própria comunidade também tem muito a oferecer, nas grandes cidades existem museus, teatros, atividades
culturais, esportes profissionais, etc. E frequentemente há qualquer classe de atividade em grupo e de simples
entrada, como caminhadas, ciclismo, esqui, golfe, passeios de paquete etc. Será seu trabalho desvendar sobre a
comunidade quando você passará ao menos quatro anos. Porém confie em mim, sempre haverá bastante o que
fazer e seu desafio será equilibrar seu tempo entre a universidade e outras atividades.

Você deve se perguntar como irá desenredar a vida da faculdade e a comunidade que você está consideração
viver e claro, existem vários páginas que você pode ler, porém outra maneira eficiente é fazer uma visita à
faculdade, seria uma visitante organizada para ver a universidade e a área. Usualmente estudantes visitam muitas
escolas que estão argumento entrar em uma viagem universitária. E é aí que a Genium pode ajudá-lo. Nossos
conselheiros podem trabalhar com você e organizar as visitas às faculdades. Eles podem alertar e agendar eventos
com numerosas pessoas na local de ensino. Eles também podem fazer sugestões sobre viagens. A Genium está
aqui para ajudá-lo a navegar por tudo isso.

Seja porque obter o status de bom aprendiz é uma das coisas mais difíceis na vida acadêmica ou simplesmente
porque não há interesse, diversos estudantes aceitam a exigência de lecionando mediano – alguns se contentam
até mesmo com condições como “ perverso pupilo ”.

Mas a sua vida escolar não precisa ser uma repetição de broncas e advertências. Se você decidiu fazer a sua mãe
feliz e não sabe como se tornar um bom aluno, confira 20 dicas úteis que podem converter você no sonho de
consumo de professores, pais e até mesmo alguns colegas de sala:

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 1. SIGA O MAPA DE SALA

Dependendo da série em que você estiver e até mesmo da quantidade de alunos na sala, os professores acham
que a melhor maneira de observar e proporcionar o aprendizagem de a humanidade é mediante um mapa que
sinaliza onde qualquer aluno deve se sentar. Se esse for o seu caso, siga o mapa. Os seus professores têm um
motivo para querer você sentado em determinado lugar e não em outro.
20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 2. MANTENHA UMA AGENDA

Você deve se orgulhar da memória mais eficiente da sala, mas nada obstante não é um computador e deve deixar
alguma coisa passar. Para evitar perder datas de provas ou prazos de entrega de trabalhos, mantenha uma
agenda e anote nela todos os seus compromissos relacionados ao colégio.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 3. TENHA FOCO

Deve parecer óbvio solicitar a um aluno que ele mantenha o foco, porém varias vezes os estudantes simplesmente
não sabem como fazer isso. Para evitar distrações, tente evitar ficar olhando para a janela, para a porta ou mesmo
para o que seus colegas estão fazendo. Concentre-se nas suas tarefas.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 4. SEJA SéRIO

Leve os seus estudos a sério. Tenha em mente que você está na escola por um motivo e que esse motivo é
aprender. Não invente mentiras para faltar ou mesmo para evadir das aulas, tal e como se fingir de doente ou
expor ao professor que precisa urgentemente ir ao banheiro.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 5. QUESTIONE

Nunca vá para casa com uma dúvida. Se você não está entendendo algo relacionado à matéria, pergunte. Nunca
considere uma incerteza como sem importância. Lembre-se de que por mas boba que uma pergunta pareça, ela
pode ser a incerteza de outros colegas de sala.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 6. SEJA RESPEITOSO

Evite interromper os professores ou colegas e quando quiser fazer alguma pergunta ou reparo, levante a mão de
antemão de fazê-lo. é claro que você possui recta de se expressar em sala de aula, porém procure respeitar os
outros estudantes, eles também têm esse direito.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 7. SEJA CONSCIENTE

A sala de lição não foi serviçal com intenção de os estudantes vivam uma sorte de regime militar, quando os
alunos estão proibidos de conversar ou sequer olhar pro lado. No entanto, você também não deve aproveitar a
liberdade que possui e passar a lição inteira rindo, conversando e se virando para trás ou para os lados. Isso
atrapalha a concentração do seu professor e dos seus colegas.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 8. COPIE A MATéRIA

Deve parecer a dica mais óbvia de todos os tempos, mas se o professor está escrevendo a matéria no tela,
possívelmente ela não está presente nos livros de referência que vocês utilizam em sala. Não perca tempo com as
populares duvidas do tipo “é para imitar? ”. Pense que se não houvesse essa urgência o seu mestre não perderia
tempo colocando essas informações no quadro.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 9. PRESTE ATENçãO

Outra dica aparentemente desnecessária, mas que é seguida por pouquíssimos alunos. A explicação do professor
é o instante que você tem para entender melhor os princípios abordados no material de estudo e sanar as suas
dúvidas. Desta maneira, essa não é a melhor hora para riscar, rabiscar o caderno dos amigos ou mandar
bilhetinhos.
20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 10. NãO COLE

Embora aquele velho ditado assegure que “quem não cola não sai da escola ”, procure fazer dissemelhante.
Colando você não absorve o teor e ainda corre o risco de ser voragem e se envolver em situações, no mínimo,
complicadas.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 11. NãO DISCUTA

Você pode ter a certeza absoluta de que o seu mestre está iludido no que está afirmando, mas se você não gozar
argumentos que provem isso, fique quieto. Se não possuir razão, então, faça uso do silêncio. Discutir com o
mestre nunca traz nada de positivo para você.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 12. NãO CONVERSE COM PESSOAS DE FORA DURANTE A AULA

Ninguém diz que precisa fazer amizade unicamente com os colegas da sua sala, ou do seu ano. Você pode ter
amigos em séries diferentes e os horários de vocês provavelmente não vão coincidir. Assim sendo, tente evitar
conversar com esses colegas durante o período de aulas, quando você os encontra no galeria, por exemplo.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 13. FAçA OS SEUS DEVERES

Pode parecer plano e sem utilidade, porém os deveres de vivenda têm como objetivo fixar o teor estudado
durante a aula. Portanto, leve -os de verdade. Fazer as suas tarefas de qualquer jeito não vai ajudar você a
entender a matéria estudada e você pode sentir falta disso na hora da prova.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 14. EVITE SAIR DURANTE A EXPLICAçãO

A não ser que seja um caso muito urgente, como você estar mostrando problema, tente evitar transpor da sala
durante as explicações do mestre. Embora possa parecer bastante entediante escutar o professor de história falar
sobre as inquisições na Idade Média, esse classe de conteúdo será cobrado de você depois, logo é melhor que
você não perca os particularidades sobre este.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 15. NãO FAçA BRINCADEIRAS COM O SEU PROFESSOR

Poucos professores são bastante divertidos e dão muita liberdade aos seus alunos, porém não se aproveite disso
para atrapalhar a lição. Ficar se levantando o tempo todo para fazer brincadeiras ou mesmo indo até a lixeira sem
premência são atitudes que podem deixar o seu mestre irritado e terminar com a liberdade conquistada.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 16. NãO SEJA UM ALUNO APáTICO

Embora os professores não gostem daqueles alunos que conversam demais, atrapalham a lição e a concentração
dos outros estudantes, eles também não esperam alunos silenciosos, que não se expressam e não participam da
aula. Você pode conversar com os seus colegas, desde que seja sobre assuntos relacionados.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 17. ESTUDE EM SALA

Os exercícios pedidos pelos professores em sala de lição devem ser feitos lá. Não fique enrolando e esperando
apenas pela correção, dedique-se, tente resolver os problemas propostos e conte com a ajuda do seu mestre. Da
mesma maneira, leve de verdade a correção.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 18. NãO PERCA A MATéRIA

A constância é importante com o propósito de você passe de ano, mas é lógico que você precisará faltar em
A constância é importante com o propósito de você passe de ano, mas é lógico que você precisará faltar em
alguns dias. Quando isso acontecer, parte a qualquer colega de confiança que passe para você a matéria estudada
naquele dia. Anote os deveres e copie a material, caso seja necessário.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 19. SEJA RESPEITOSO

Você deve detestar o professor de determinada material, mas precisa descobrir que este é a figura de mando
dentro da sala e, então, merece o seu reverência. Não grite ou fale palavrões em sala, isso transforma o
envolvente de forma negativa.

20 DICAS PARA SER UM BOM ALUNO: 20. ESTUDE PARA AS PROVAS

Você pode ser um magnífico pupilo, que concretizas todas as funções e presta atenção em todas as explicações,
porém se não estudar para as provas não terá como empregar os seus conhecimentos. Dedique-se e crie planos
de estudo que ajudem você a somar a matéria imprescindível.

A família como secção integrante do processo de aprendizagem embora seja um consenso entre os profissionais
da Educação ainda é um desafio. Essa asseveração está presente no post publicado ( Periódico Local de ensino
Privado, Ano 20, n°226 de janeiro de 2017) pela pedagoga e normalista universitária Denise Tinoco. Segundo a
estudiosa “embora a família seja uma instituição social milenar, percebê-la como integrante do processo de
aprendizagem escolar das pequenos e jovens é um fenômeno novo, que demanda aprovação, diálogo e bastante
estudo”. Para Denise, a dualismo entre o que as escolas esperam das famílias e o que as mesmas conseguem
realizar é o tema fundamental da questão. “As famílias, por vezes, sobrecarregadas com a rotina, acomodam-se e
se omitem na tarefa de educar, ao lado da local de ensino. As famílias podem ajudar no processo de ensino
escolar percebendo-se como coparticipantes desta jornada”, defende a pedagoga.

As princípios da normalista universitária vão ao encontro de pesquisa realizado pelo Convênio Andrés Bello (
Conciliação Mundial que reúne 12 países das Américas) que estimou que o “efeito família” é encarregado por 70%
do sucesso escolar. Na mesma risco de pensamento o Colégio CB COC preza pela efetiva participação da família
na vida escolar dos alunos e orienta os pais e /ou responsáveis sobre como podem motivar e estarem presentes
no processo de aprendizagem. Entre as primordiais orientações estão: ler para as infantes ou pedir com finalidade
de elas leiam para eles,

conversar continuamente com os filhos sobre assuntos da local de ensino, acompanhar as lições de vivenda e
mostrar interesse pelos conteúdos estudados, examinar se o material escolar está completo e em ordem, zelar
pelo cumprimento das menarquia da local de ensino, participar das reuniões continuamente que convocados e
estar em constante informação com a coordenação pedagógica.

Na outra ponta desse processo, o Escola CB COC procura ferramentas e ações com finalidade de a aproximação
da família com a escola seja contínua. Entre as ações, a realização de eventos pedagógicos que envolvam os
familiares e a busca de ferramentas de notícia que facilitem essa interação necessária para o bom desempenho do
aprendiz no âmbito social e educativo. Como exemplos a implantação do aplicativo de informação ClassApp e
realização da Mostra Cultural e da Festa da Família na Local de ensino.

Realizada em setembro a Mostra Artístico deu visibilidade à produção dos alunos, da Instrução Infantil ao Ensino
Médio. Já no próximo sábado (21), o Escola CB COC vai realizar a sua “ Festa da Família na Local de ensino 2017”
que aproxima ainda mas as famílias da local de ensino. O acontecimento possui como objetivo proporcionar aos
pais e alunos uma manhã divertida e descontraída com jogos interativos envolvendo toda a família. A vice-
diretora pedagógica, Evelyn Gennari, corrobora a importância da presença familiar tanto no processo de ensino
como no ambiente escolar. “A participação da família na escola, melhora as habilidades sociais dos alunos e a
revelação de maneiras cooperativo. Neste processo ganha a garoto, a família e a local de ensino. Neste processo
somos toda gente vencedores e para festejar essa participação dos pais ao longo do ano realizamos a Festa da
Família na Local de ensino, como um momento de interação e participação”, afirmou Evelyn.

Vários alunos recém -formados querem ingressar na faculdade, mas a maior parte deles não chegam reparados
para essa nova período ou não sabem como é método de ensino de um curso superior. Por isso, decidimos listar
9 diferenças entre o ensino Médio e o ensino Superior para os calouros interessados ou com dúvidas de como
será sua vida na universidade.

Tais diferenças baseiam-se nas principais mudanças que ocorrem no dia a dia dos estudantes ao passarem da vida
escolar para a vida acadêmica, como foco no contextura da metodologia de ensino e nas principais alterações
com relação ao cotidiano do aluno ao entrar em uma universidade:

1 – O aumento de alunos por turma

Quando falamos sobre diferenças entre a vida escolar e a universitária temos que ressaltar a questão da
quantidade de alunos por turma em cada uma dessas diferentes etapas da vida. No ensino médio, as classes têm
uma média de 30 a 40 alunos por sala de lição ; no ensino superior, as classes têm no mínimo 50 alunos e podem
chegar a ter até 100, conforme o curso. Desta maneira, é importante que os recém -formados não se assustem
com isso, simultaneamente em que fazem amizades e não se passe como um ignoto em sala de aula, os
professores devem te conhecer um pouco se bem que a turma seja extensa. Apesar disso, fiquem atentos ao
conteúdo das aulas, pois com o aumento da quantidade de alunos é pouco provável que os professores tenham
tempo para explicar a material individualmente ou sanar alguma incerteza.

2 – A relação com os professores

A relação com os professores no ensino superior modifica-se devido ao aumento da quantidade de alunos por
turma, mas também se modifica em relação à afinidade, pois dificilmente um aprendiz de universidade será tão
íntimo de um mestre como no colégio. Vale ressaltar também, singularmente, a questão das cobranças pessoais,
ou seja, no ensino médio, acostumamo-nos com as cobranças dos professores em relação a data de entrega de
afazeres, a fazer as lições que valem pontos, a estudar para as provas, mas os professores dos cursos superior os
considerarão responsáveis e capazes de fazer tudo por si mesma, logo, qualquer um deve reparar -se aos fainas e
as datas de entregas e avaliações.

3 – A relevância do estudo

No ensino superior é extremamente importante que os alunos realmente estudem, não unicamente no horário
das aulas, porém nos tempos vagos também, porque como a agenda da universidade é mas apertada do que de
uma local de ensino geral, os conteúdos são passados e pouco tempo depois deve-se fazer afazeres e avaliações
sobre. Assim como também há uma extensa trouxa de leituras obrigatórias, seja de livros ou de textos, assim
sendo, preparem-se – particularmente aqueles que não eram bastante fãs de interpretação no ensino médio.

muitos -lapis-para- cromatizar

4 – O uso da tecnologia

O uso da ciência no ensino superior é liberado, tanto os aparelhos para auxiliarem nas aulas ou para o uso pessoal
dos alunos (notebooks, tabletes, celulares, projetores etc).. Mas, tais recursos devem ser utilizados com sabedoria,
porque, é naturalmente, não se deve utilizar desses recursos nos momentos das provas ou em momentos
inoportunos. Vale lembrar também que o uso do celular deve ser moderado, para evitar distrações.

5 – Negócios acadêmicos
Uma grande diferença que ocorre nos afazeres escolares do ensino médio e os negócios apresentados no ensino
superior é a forma de apresentação. Na universidade, os professores exigem que os alunos apresentem seus
afazeres para toda a nível e, muitas vezes, a apresentação em si e a forma do pupilo de se comunicar e mostrar
seu conhecimento sobre do objecto, é o que realmente vale nota, bastante mais do que o trabalho escrito. Aliás,
os negócios da faculdade são bastante essenciais no auxílio da nota, desse modo, nunca é recomendável perder
ou deixar de fazer algum.

6 – Provas e avaliações

Cada universidade tem seus métodos de avaliações, entretanto, as provas da faculdade, por mais que sejam mais
difíceis e específicas, na maior número das Tese de Doutorado vezes não são as únicas responsáveis pelas notas.
Os trabalhos e atividades contam muito, por isso ressaltamos a relevância deles na dica anterior. Mas, também
não estamos a manifestar que as avaliações do ensino superior não são essenciais, pelo contrário, são elas que
determinam os conhecimentos dos universitários nos seus campos de estudo específicos.

jovens

7 – Grupos de estudo ou grupos de apoio

No ensino superior existe um recurso chamado grupo de estudo ou grupo de base, onde alunos se reúnem para
estudarem juntos e sanarem as dúvidas um dos outros. Por mas que na estação do ensino médio os estudantes
fujam dos estudos, podem ter a certeza de que na universidade será diferente, o que facilita Dissertação de
Mestrado

a vida acadêmica.

8 – Rotina acadêmica

No ensino médio ficamos muito mais tempo dentro da sala de aula, depois fazemos poucos afazeres em moradia
ou alguma prelecção, porém não criamos uma rotina de estudo em si. No ensino superior, a fardo horária das
aulas é menor, a duração, a quantidade de matérias e aulas são reduzidas e pode haver tempo de forma livre
entre uma aula e outra. Porém, a pressão e quantidade de tempo para o estudo deve ser maior quando se está na
faculdade, deve-se fabricar uma rotina acadêmica. Chamamos de rotina acadêmica não só as aulas da faculdade,
mas, sim, todo o tempo que se deve empregar nos estudos, quer dizer, as aulas assistidas, as leituras obrigatórias,
os grupos de estudos, os momentos de estudo, etc. Os alunos devem estar cientes que precisam disponibilizar e
ter esse tempo no seu quotidiano para que consiga ter um bom desempenho no discurso do curso escolhido.

9 – Liberdade e responsabilidade

A principal diferença entre ensino Médio e ensino Superior resume-se a isso: liberdade e responsabilidade. A
universidade proporciona uma liberdade no sentido de o lecionando tomar suas próprias decisões e optar como
será a sua forma de estudo e tirocínio no decorrer do curso. Apesar disso, a responsabilidade do aprendiz
aumenta, porque este se torna o responsável por quaisquer consequências que venham a ter no seu processo de
aprendizado. Enfim, as diferenças podem alvoroçar de início, porém, com o tempo e o auxílio de nossas dicas,
qualquer calouro se sairá muito e entenderá como é a vida de um jovem universitário.