Você está na página 1de 8

SISTEMAS DE SUPERVISÃO

Nome:

Professor Thiago Filgueiras

1)

Objetivo do trabalho

Este trabalho visa auxiliar no desenvolvimento de projetos de automação utilizando o Arduino UNO juntamente com o Elipse SCADA. Neste projeto serão apresentados alguns conceitos introdutórios para que o aluno entenda a proposta que está sendo feita.

O Elipse SCADA consiste em uma ferramenta voltada para o desenvolvimento de sistemas supervisórios e de controle de processos, visando atender as mais diversas necessidades em virtude de disponibilizar vários recursos para o usuário. Além disso, o Elipse SCADA proporciona um ambiente totalmente configurável, permitindo ao usuário monitorar variáveis em tempo real através de elementos gráficos, bem como realizar acionamentos através do envio de informações aos dispositivos existentes.

2)

Definição do hardware que será utilizado

O

hardware que será utilizado será composto por um Arduino UNO e

três

potenciômetros de 4.7kΩ. De maneira mais direta, o objetivo deste projeto consiste

realizar uma aplicação onde o usuário consiga ler os sinais provenientes da leitura destes componentes e possa reproduzi-los em sua tela.

em

destes componentes e possa reproduzi-los em sua tela. em Figura 1 - Hardware utilizado. 3) Elaboração

Figura 1 - Hardware utilizado.

Num primeiro momento deve-se incluir as bibliotecas necessárias para que o código a ser inserido no Arduino UNO funcione adequadamente. Neste projeto será utilizado somente

a biblioteca desejada para estabelecer a comunicação entre o Arduino UNO e o Elipse SCADA através do protocolo Modbus.

Esta pode ser encontrada no link abaixo:

(baixar o arquivo SimpleModbusSlaveV10.zip).

O código a ser utilizado foi derivado diretamente do exemplo disponível, juntamente com

a biblioteca em questão. Portanto, caso o aluno queira, pode apenas modificar o exemplo citado.

caso o aluno queira, pode apenas modificar o exemplo citado. Posteriormente pode-se observar um bloco chamado

Posteriormente pode-se observar um bloco chamado enum, neste estarão escritos os registradores que conterão as informações utilizadas na leitura ou no acionamento de dispositivos. Estes são denominados Registradores Holding e para declará-los basta escrever seus nomes seguidamente no código. Neste projeto, por exemplo, os Registradores Holding utilizados para conter os valores provenientes dos potenciômetros são chamados VALOR_POT1, VALOR_POT2 e VALOR_POT3. É importante ressaltar que após as declarações dos respectivos Registradores Holding, deve-se escrever HOLDING_REGS_SIZE (informação utilizada pela biblioteca para identificar a quantidade de Registradores Holding que estão sendo utilizados) e em seguida cria-se a variável holdingRegs para a manipulação dos registradores em questão.

para a manipulação dos registradores em questão. Na função setup() utiliza-se primeiramente a função

Na função setup() utiliza-se primeiramente a função modbus_configure() para determinar os parâmetros necessários para estabelecer a conexão via comunicação serial utilizando o protocolo Modbus. Os parâmetros mais importantes para este projeto são o segundo, o terceiro e o quarto que dizem respeito à taxa de transmissão de dados, o formato do pacote utilizado no protocolo Modbus e a identificação do escravo, respectivamente. Note que estes três argumentos citados devem estar em conformidade com as configurações do Elipse SCADA. Em seguida temos a função modbus_update_comms() que também é responsável pela comunicação via Modbus.

O conteúdo da função loop() começa com a função modbus_update() utilizada para a atualização dos

O conteúdo da função loop() começa com a função modbus_update() utilizada para a

atualização dos valores dos registradores citados anteriormente. Em seguida, realiza-se a leitura da tensão aplicada às portas de entrada analógica A0, A1 e A2 e posteriormente os valores encontrados são convertidos em números inteiros contidos no intervalo entre 0 e 1023 utilizando a função analogRead(). Estes são armazenados nos Registrador

Holding identificados como VALOR_POT1, VALOR_POT2 e VALOR_POT3 respectivamente.

VALOR_POT1, VALOR_POT2 e VALOR_POT3 respectivamente. 4) Configuração do driver referente ao protocolo Modbus O

4)

Configuração do driver referente ao protocolo Modbus

O primeiro passo que deve ser realizado para manipular o Elipse SCADA diz respeito à

criação de uma nova aplicação. Este procedimento pode ser realizado através do menu Arquivo, localizado no canto esquerdo da região superior da tela, conforme a figura

3.

no canto esquerdo da região superior da tela, conforme a figura 3. Figura 2 - Criação

Figura 2 - Criação de uma nova aplicação.

Em seguida, o leitor deve clicar no ícone denominado Organizer para adicionar o driver necessário para a utilização do protocolo Modbus.

driver necessário para a utilização do protocolo Modbus. Figura 3 - Acesso ao Organizer. Após o

Figura 3 - Acesso ao Organizer.

Após o procedimento anterior, deve-se selecionar o item Drivers e em seguida clicar na opção novo para então procurar o driver necessário. Neste momento existe um detalhe muito importante que deve ser levado em conta. Os drivers citados encontram-se na pasta Drivers, que por sua vez está localizada na pasta em que o Elipse SCADA foi instalado. No entanto, o driver referente ao protocolo Modbus não é instalado em conjunto com o software, desta forma, deve-se entrar neste link (http://www.elipse.com.br/port/download_drivers.aspx), digitar Modbus no campo de busca, procurar por Driver Modicon Modbus Master (ASC/RTU/TCP) e, por fim, colar o arquivo Modbus.dll (extraído do download realizado) na pasta citada anteriormente.

(extraído do download realizado) na pasta citada anteriormente. Figura 4 - Escolha do driver para comunicação

Figura 4 - Escolha do driver para comunicação Modbus.

Assim que a inserção do driver for realizada deve-se selecionar o mesmo e clicar no botão Configurar e no momento em que a próxima janela for aberta, o leitor precisa acessar o botão Extras para conferir algumas configurações essenciais para o funcionamento do projeto.

O primeiro parâmetro que deve-se ter cuidado é o Modbus Mode, este está localizado na aba Modbus (é imprescindível que o campo esteja com a opção RTU Mode selecionada);

O segundo parâmetro diz respeito à porta utilizada para comunicação, que deve ser preenchido de acordo com a porta que está sendo utilizada (esta opção pode ser encontrada na aba Serial).

(esta opção pode ser encontrada na aba Serial ). Figura 5 - Configurações de conexão do

Figura 5 - Configurações de conexão do driver.

5)

Criação da(s) tag(s) para aquisição de dados

O próximo passo consiste em incluir os Registradores Holding uma vez inseridos no

código, para isso, deve-se novamente clicar no Organizer, porém desta vez o item que deve ser selecionado é o denominado Tags e posteriormente é necessário que o usuário

clique no botão Novo Tag. Neste momento, o leitor deve escolher a opção Tag PLC, além

de dizer a quantidade de tags que deseja criar (no caso em questão, serão 3 tags referentes

aos 3 Registradores Holding).

Figura 6 - Criação das tags. Na figura a seguir, pode-se ver alguns parâmetros de

Figura 6 - Criação das tags.

Na figura a seguir, pode-se ver alguns parâmetros de configuração das tags criadas, primeiramente, é importante que o leitor atribua alguma descrição às tags que estão sendo utilizadas e além disso, outros campos importantes que devem ser preenchidos são:

N1,N2, N3 e N4. Por hora, basta que o leitor preencha os três primeiros campos com os números 1,3,3 respectivamente e o quarto com o número do Registrador Holding conforme a ordem de escrita do código (começando pelo número 1).

Holding conforme a ordem de escrita do código (começando pelo número 1 ). Figura 7 -

Figura 7 - Configuração das tags

6)

Criação dos elementos gráficos

Agora serão criados os displays para que os valores lidos nas entradas analógicas possam ser vistos pelo operador. Para realizar este procedimento, basta que o leitor clique no ícone referente à criação destes elementos conforme a figura a seguir.

à criação destes elementos conforme a figura a seguir. Figura 8 - Criação dos displays. Após

Figura 8 - Criação dos displays.

Após proceder conforme a instrução anterior, deve-se demarcar o tamanho desejado do display simplesmente segurando e arrastando o mouse para que o display seja criado quando o clique for solto. Neste momento, com um duplo-clique sobre o display recém- criado, abre-se uma janela para que o usuário possa alterar as propriedades do elemento, no entanto, o leitor deve primeiramente determinar qual das tags criadas será visualizada no display na aba Tags, para então, definir em segundo plano as outras propriedades do bloco.

Tags , para então, definir em segundo plano as outras propriedades do bloco. Figura 9 -

Figura 9 - Escola das tags para os displays.

Finalmente, depois de alterar algumas configurações referentes ao visual dos displays, pode-se conferir o resultado na figura a seguir:

ao visual dos displays, pode-se conferir o resultado na figura a seguir: Figura 10 - Resultado

Figura 10 - Resultado final dos displays.