Você está na página 1de 1

O fundamento do signo O objeto dinâmico.

O interpretante
Passo fenomenológico Considerar o dinâmico.
fundamento e o objeto Níveis interpretativos
imediato como base que o signo produz num
desta análise. determinado intérprete.
1.1 – Abrir-se aos fenômenos 2.1 – Aspecto icônico: 3.1 – Nível emocional:
Contemplar os quali-signos referencialidade aberta. qualidades de
Estar sensível aos aspectos Os ícones apresentam sentimentos e emoções
qualitativos algum grau de de fato produzidas.
SENTIR semelhança com as Aspectos Qualitativos- Icônicos
qualidades de algum
objeto
Observar o que eles
sugerem ou evocam do
objeto dinâmico
1.2 – Observar os fenômenos. 2.2 – Aspecto indicial: 3.2 –Nível energético:
Discriminar os sin-signos referencialidade direta e ações físicas e mentais
Perceber a singularidade dos pouco ambígua. impelidas pelo signo.
signos Atentar para as direções Aspectos Singulares- Indicativos
Delimitar o signo do contexto, que o signo aponta.
as partes do todo. Observar as formas,
PERCEBER vestígios, marcas, traços
e aspectos factuais.
1.3 – Abstrair o geral do 2.3 – Aspectos 3.3 –Nível lógico: A
particular simbólicos: cognição produzida pelo
Identificar os legi-signos referencialidade abstrata. signo. Aspectos Convencionais- Simbólicos
Observar as regularidades Observar as convenções,
GENERALIZAR costumes, valores
coletivos, padrões
estéticos e
comportamentais etc.

SANTAELLA, Lucia. Semiótica Aplicada, São Paulo: Thomson, 2002.


cap.II.