Você está na página 1de 13

Tópicos para Discussão

Microeconomia
 Mercados Perfeitamente Competitivos

Estruturas de  Maximização de Lucros

mercado  Receita Marginal, Custo Marginal e


Maximização de Lucros

PINDYCK, R. e RUBINFELD, D. Microeconomia. São Paulo:  Escolha do Nível de Produção a Curto


Prentice Hall. 2008. Prazo
Capítulo 8: Maximização de lucros e oferta competitiva
Capítulo 10: Poder de mercado - monopólio e monopsônio
Capítulo 12: Competição monopolística e oligopólio Slide 2

Tópicos para Discussão Mercados Perfeitamente Competitivos

 Curva de Oferta a Curto Prazo da Características dos Mercados Perfeitamente


Empresa Competitiva Competitivos
 Estruturas de mercado alternativas 1) Agentes tomadores de preço
 Monopólio
 Concorrência monopolística 2) Produtos homogêneos
 Oligopólio
3) Livre entrada e saída no mercado
 Mercados de fatores de produção

Slide 3 Slide 4

Mercados Perfeitamente Competitivos Mercados Perfeitamente Competitivos

 Agentes tomadores de preço  Produtos homogêneos


 Cada empresa, individualmente, vende  Os produtos de todas as empresas são
uma pequena parte da produção total do substitutos perfeitos.
mercado e, portanto, não tem influência no
preço de mercado.  Exemplos

O consumidor, individualmente, compra  Produtos agrícolas, petróleo, cobre,


uma porção muito pequena da produção ferro, madeira
industrial, não tendo qualquer impacto
sobre o preço de mercado.

Slide 5 Slide 6
Mercados Perfeitamente Competitivos Mercados Perfeitamente Competitivos

 Livre entrada e saída no mercado  Questões para discussão


 Os compradores podem, facilmente,  Que fatores poderiam funcionar como
mudar de fornecedor. barreiras à entrada e à saída?

 Os fornecedores podem, facilmente, entrar  Todos os mercados são competitivos?


ou sair de um mercado.
 Quando um mercado é altamente
competitivo?

Slide 7 Slide 8

Maximização de Lucros Maximização de Lucros

 As empresas maximizam lucros?  As empresas maximizam lucros?


 Outros objetivos possíveis  Implicações de objetivos que não sejam a
 Maximização da receita maximização dos lucros

 Maximização de dividendos  No longo prazo, os investidores


deixariam de investir na empresa
 Maximização de lucros a curto prazo
 Sem lucros, a sobrevivência seria
improvável

Slide 9 Slide 10

Receita Marginal, Custo Marginal,


e Maximização de Lucros Maximização de Lucros a Curto Prazo

Custo, Receita Total


 Determinação do nível de produção que Receita, R(q)
Lucro
maximiza os lucros ($s por ano)

 Lucro ( p ) = Receita Total - Custo Total


 Receita Total (R) = Pq Inclinação de R(q) = RMg
 Custo Total (C) = Cq
 Logo:
0

 (q )  R(q )  C (q ) Produção (unidades por ano)

Slide 11 Slide 12
Receita Marginal, Custo Marginal,
Maximização de Lucros a Curto Prazo e Maximização de Lucros
C(q)
Custo,
Receita,  Receita Marginal é a receita adicional
Lucro
$ (por ano) Custo Total proveniente da produção de uma
unidade a mais de produto.
Inclinação de C(q) = CMg
 Custo Marginal é o custo adicional
associado à produção de uma unidade
Por que o custo é positivo quando q é zero?
a mais de produto.
0

Produção (unidades por ano)

Slide 13 Slide 14

Receita Marginal, Custo Marginal, Receita Marginal, Custo Marginal,


e Maximização de Lucros e Maximização de Lucros

 Comparando R(q) e C(q)  Comparando R(q) e C(q)


Custo, Custo,
 Nível de produção: 0-q0: Receita,  Pergunta: por que o lucro é Receita,
Lucro Lucro
($s por ano) C(q) negativo quando a $ (por ano) C(q)
 C(q)> R(q) produção é zero?
A R(q) A R(q)
 Lucro negativo
 CF + CV > R(q) B B
 RMg > CMg
 Indica que o lucro
deve aumentar com a
expansão da 0 q0 q* 0 q0 q*
produção  (q )  (q )
Produção (unidades Produção (unidades
por ano) por ano)
Slide 15 Slide 16

Receita Marginal, Custo Marginal, Receita Marginal, Custo Marginal,


e Maximização de Lucros e Maximização de Lucros

 Comparando R(q) e C(q)  Comparando R(q) e C(q)


Custo, Custo,
 Nível de produção: q0- q* Receita,
Lucro
 Nível de produção: q* Receita,
Lucro
$ (por ano) C(q) $ (por ano) C(q)
 R(q)> C(q)  R(q)= C(q)
A R(q) A R(q)
 RMg > CMg  RMg = CMg
 Indica que o lucro B  Nível máximo de B
deve aumentar com a
expansão da
lucro
produção
 Lucro é crescente
0 q0 q* 0 q0 q*
 (q )  (q )
Produção (unidades Produção (unidades
por ano) por ano)
Slide 17 Slide 18
Receita Marginal, Custo Marginal, Receita Marginal, Custo Marginal,
e Maximização de Lucros e Maximização de Lucros

 Pergunta  Comparando R(q) e C(q)


Custo, Custo,
Receita,
 Nível de produção maior Receita,
 Por que o lucro Lucro
C(q)
Lucro
C(q)
$ (por ano) que q*: $ (por ano)
diminui quando a R(q) R(q)
A A
produção se torna  R(q)> C(q)
maior ou menor que  CMg > RMg
B B
q*?
 Lucro é decrescente

0 q0 q* 0 q0 q*
 (q )  (q )
Produção (unidades Produção (unidades
por ano) por ano)
Slide 19 Slide 20

Receita Marginal, Custo Marginal, Receita Marginal, Custo Marginal,


e Maximização de Lucros e Maximização de Lucros

 Logo, podemos dizer


que:
Custo,
Receita, R
Lucro
$ (por ano) C(q) RMg 
 Os lucros são A R(q) q
maximizados quando
CMg = RMg. B
 R-C
C
CMg 
0 q0 q*
 (q )
q
Produção (unidades
por ano)
Slide 21 Slide 22

Receita Marginal, Custo Marginal, Receita Marginal, Custo Marginal,


e Maximização de Lucros e Maximização de Lucros

Os lucros são maximizados quando  A Empresa Competitiva


 R C  Tomadora de preço
   0 ou
q q q  Produção de mercado (Q) e produção da
empresa (q)
 Demanda de mercado (D) e demanda da
RMg  CMg  0 ou empresa (d)
RMg(q)  CMg(q)  R(q) é uma linha reta

Slide 23 Slide 24
Demanda e Receita Marginal para Empresas Receita Marginal, Custo Marginal,
Competitivas e Maximização de Lucros
Preço
$ por Empresa
Preço
$ por Indústria
 A Empresa Competitiva
bushel bushel
A demanda da empresa competitiva
 O produtor individual vende todas as suas
$4 d $4
unidades de produto por $4,
independente do seu nível de produção.
 Se o produtor cobrar um preço mais
D elevado, suas vendas cairão para zero.

Produção Produção
100 200 (bushels)
100 (milhões
de bushels)

Slide 25 Slide 26

Receita Marginal, Custo Marginal,


e Maximização de Lucros Escolha do Nível de Produção a Curto Prazo

 A Empresa Competitiva
 Resumo das Decisões de Produção
A demanda da empresa competitiva
O lucro é maximizado quando CMg = RMg
 Se o produtor cobrar um preço mais
baixo, ele não conseguirá aumentar suas  Se P > CTMe a empresa aufere lucros.
vendas  Se CVMe < P < CTMe a empresa deve
 P = D = RMg = Rme produzir com prejuízo.

 Maximização de Lucros  Se P < CVMe < CTMe a empresa deve


abandonar a indústria.
 CMg(q) = RMg = P

Slide 27 Slide 28

Curva de Oferta a Curto Prazo da Curva de Oferta a Curto Prazo da


Empresa Competitiva Empresa Competitiva
Preço A empresa escolhe o nívelde
($ por
unidade)
produção onde RMg = CMg,  Observações:
desde que seja capaz de cobrir
seus custos variáveis de produção.
 P = RMg
CMg
CTMe
 RMg = CMg
P2
 P = CMg
P1 CVMe
 A curva de oferta corresponde à quantidade
de produto para cada possível nível de preço.
P = CVMe
O que aconteceria Logo:
se P < CVMe?
 Se P = P1, então q = q1
 Se P = P2, então q = q2
q1 q2 Produção

Slide 29 Slide 30
Curva de Oferta a Curto Prazo da Curva de Oferta a Curto Prazo da
Empresa Competitiva Empresa Competitiva

S = CMg acima de CVMe


Preço
($ por  Observações:
unidade)
CMg  A curva de oferta é positivamente inclinada
CTMe devido à ocorrência de rendimentos
P2
decrescentes.
CVMe
P1
 Preços mais elevados compensam a
empresa pelos custos mais altos
associados ao aumento da produção e
P = CVMe elevam o lucro total, pois se aplicam a
Ponto de saída do todas as unidades produzidas.
mercado
Produção
q1 q2

Slide 31 Slide 32

Competição Perfeita Estruturas de mercado alternativas

As várias formas, ou estruturas, de mercado


 Revisão da Competição Perfeita possíveis dependem, fundamentalmente, de três
 P = CMg = CMe características:
 Lucros normais ou lucro econômico zero no longo a. número de empresas que compõem esse
prazo mercado;
 Grande número de compradores e vendedores b. tipo do produto (se as firmas fabricam produtos
 Produto homogêneo idênticos ou diferenciados);
 Informação perfeita c. se existem ou não barreiras ao acesso de novas
 Empresa tomadora de preço empresas a esse mercado.

Slide 33 Slide 34

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Concorrência Pura ou Perfeita Concorrência Pura ou Perfeita
Características básicas Características básicas
Mercado atomizado: mercado com infinitos vendedores Mobilidade de firmas: não há barreiras para o ingresso de
e compradores (como “átomos”), de forma que um empresas no mercado.
agente isolado não tem condições de afetar o preço de Racionalidade: os empresários sempre maximizam lucro e
mercado. Assim, o preço de mercado é um dado fixado os consumidores maximizam satisfação ou utilidade derivada
para empresas e consumidores (são price-takers, isto é, do consumo de um bem, ou seja, os agentes agem
tomadores de preços pelo mercado) racionalmente.
Transparência do mercado: consumidores e vendedores
Produtos Homogêneos: todas as firmas oferecem um
têm acesso a toda informação relevante, sem custos, isto é,
produto semelhante, homogêneo. Não há diferenças de conhecem os preços, qualidade, os custos , as receitas
embalagem, qualidade nesse mercado. e os lucros dos concorrentes;
Slide 35 Slide 36
Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas
Concorrência Pura ou Perfeita Concorrência Pura ou Perfeita
Características básicas
 P = CMgLP = CMeLP
Obs.: Uma característica do mercado em concorrência  Lucros normais ou lucro econômico zero no longo
perfeita é que, a longo prazo, não existem lucros extras ou prazo
extraordinários (onde as receitas superam os custos), mas
apenas os chamados lucros normais, que representam a  Grande número de compradores e vendedores
remuneração implícita do empresário (seu custo de  Produto homogêneo
oportunidade, ou o que ele ganharia se aplicasse seu capital
 Informação perfeita
em outra atividade.
 Empresa tomadora de preço

Slide 37 Slide 38

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Monopólio Monopólio
Características básicas Características básicas
As barreiras de acesso podem ocorrer de várias formas:
 Uma única empresa produtora do bem ou
Monopólio puro ou natural: devido à alta escala de produção
serviço; requerida, exigindo um elevado montante de investimento. A
empresa monopolística já está estabelecida em grandes
 Não há produtos substitutos próximos;
dimensões e tem condições de operar com baixos custos.
 Existem barreiras à entrada de firmas Torna-se muito difícil alguma empresa conseguir oferecer a um
preço equivalente ao da firma monopolista;
concorrentes.
Patentes: direito único de produzir o bem.
Controle de matérias-primas chaves: Exemplo: o controle das
minas de bauxita pelas empresas produtoras de alumínio.

Slide 39 Slide 40

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Monopólio Monopólio
Características básicas Características básicas
Monopólio estatal ou institucional, protegido pela  O monopolista representa o lado da
legislação, normalmente em setores estratégicos ou de
infra-estrutura.
oferta do mercado e tem controle total
sobre as quantidades ofertadas.
Obs.: Diferentemente da concorrência perfeita, como
existem barreiras à entrada de novas empresas, os lucros  Os lucros serão máximos no nível de
extraordinários devem persistir também no longo prazo em produção onde a receita marginal é
mercados monopolizados.
igual ao custo marginal.

Slide 41 Slide 42
Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas
Monopólio Monopólio
 Comparação da determinação de  Comparação da determinação de
preços sob monopólio e sob preços sob monopólio e sob
competição perfeita: competição perfeita:
 Monopólio  Quanto mais elástica for a demanda, mais
próximo o preço deverá estar do custo
P > CMg marginal.
 Competição Perfeita  Se Ed for um número negativo grande, o
P = CMg preço deverá estar muito próximo ao custo
marginal.

Slide 43 Slide 44

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Monopólio Monopólio
Custos sociais do poder de monopólio Custos sociais do poder de monopólio
 Obtenção de Renda Econômica  Podem haver incentivos a adotar
 As empresas podem estar dispostas a práticas monopolistas dependendo do
pagar pela obtenção de poder de lucro a ser auferido.
monopólio
 Lobbies  Quanto maior for a transferência dos
 Propaganda consumidores para a empresa, maior
 Investimento em capacidade produtiva
será o custo social do monopólio.
excedente
Slide 45 Slide 46

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Monopsônio Monopsônio
Poder de monopsônio
 Um monopsônio é um mercado no qual há um
único comprador.  No caso de poucos compradores no
 Um oligopsônio é um mercado com poucos mercado, estes são capazes de
compradores. influenciar o preço que pagam (p.ex. na
indústria automobilística).
 Poder de monopsônio é a capacidade de um
comprador afetar o preço do bem, fazendo com  O poder de monopsônio lhes possibilita
que este seja inferior ao preço que prevaleceria pagar um preço inferior ao valor
em um mercado competitivo. marginal do produto.
Slide 47 Slide 48
Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas
Monopsônio Monopsônio
Poder de monopsônio Poder de monopsônio
O grau do poder de monopsônio depende 3 fatores. O grau do poder de monopsônio depende 3 fatores.
1)Elasticidade da oferta de mercado 3)Interação entre os compradores
 Quanto menos elástica for a oferta de mercado,  Quanto menos intensa for a competição entre os
maior será o poder de monopsônio. compradores, maior será o poder de monopsônio.
2)Número de compradores
 Quanto menor for o número de compradores, menos
elástica será a oferta e maior será o poder de
monopsônio.
Slide 49 Slide 50

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Concorrência monopolística Concorrência monopolística
Características básicas Características básicas
• Muitas empresas produzindo um dado bem ou Obs.: Como não existem barreiras à entrada de
serviço com livre entrada e saída do mercado; firmas, no longo prazo há tendência apenas para
lucros normais (RT=CT), como em concorrência
• Cada empresa produz um produto diferenciado,
perfeita, ou seja, os lucros extraordinários de curto
mas com substitutos próximos;
prazo atraem novas firmas para o mercado,
• Cada empresa tem um certo poder sobre os aumentando a oferta do produto, até chegar-se a
preços, dado que os produtos são diferenciados, um ponto em que persistirão lucros normais,
e o consumidor tem opções de escolha, de quando, então, cessa a entrada de concorrentes.
acordo com sua preferência.
Slide 51 Slide 52

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Concorrência monopolística Concorrência monopolística
 O tamanho do poder de monopólio depende do  Cremes dentais
grau de diferenciação do produto.  Crest e poder de monopólio

 Exemplos dessa estrutura de mercado, que é  A Procter & Gamble é a única produtora de Crest
bastante comum, são:  Os consumidores podem preferir a marca Crest
por várias razões – gosto, reputação, eficácia na
 Cremes dentais prevenção de cáries
 Sabonetes  Quanto maior a preferência (diferenciação), maior
 Antigripais o preço.

Slide 53 Slide 54
Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas
Concorrência monopolística Oligopólio
 Concorrência Monopolística e Eficiência Definindo de duas formas
Econômica • Pequeno número de empresas no setor. Ex.:
 A existência de poder de monopólio indústria automobilística.
(diferenciação) implica um preço mais
elevado do que na competição perfeita. Ou

 Apesar de não haver lucro econômico no • Um pequeno número de empresas domina um


longo prazo, a empresa não produz no ponto setor com muitas empresas. Ex.: Ambev.
de CMe mínimo, e há excesso de
capacidade.
Slide 55 Slide 56

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Oligopólio Oligopólio
Características básicas Características básicas
• As barreiras à entrada de novas empresas no setor
• Devido à existência de empresas dominantes, elas
podem derivar de:
têm o poder de fixar os preços de venda em seus
• Barreiras Naturais
termos, defrontando-se normalmente com demandas - Economias de escala
relativamente inelásticas, em que os consumidores - Patentes
têm baixo poder de reação a alterações de preços. - Acesso à tecnologia
- Reputação da marca
• No oligopólio, assim como no monopólio, há
• Ação estratégica
barreiras a entrada de novas empresas no setor.
- Ameaça de inundação do mercado com produtos
para que o preço caia
- Controle de insumos essenciais
Slide 57 Slide 58

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Oligopólio Oligopólio
Características básicas  Desafios à administração das empresas
Tipos de oligopólio:
 Ações estratégicas
- com produto homogêneo (alumínio, cimento);
- com produto diferenciado (automóveis).  Comportamento das empresas rivais

Obs.: no longo prazo os lucros extraordinários


permanecem, pois as barreiras à entrada de
novas firmas persistirão.

Slide 59 Slide 60
Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas
Oligopólio Oligopólio
 Equilíbrio no Mercado Oligopolístico  Equilíbrio no Mercado Oligopolístico
 Na competição perfeita, no monopólio e na  Definição de Equilíbrio
competição monopolística, os produtores  As empresas estão fazendo o melhor
não levavam em consideração a reação que podem e não têm incentivo para
das empresas rivais ao tomarem suas mudar suas decisões de produção e
decisões de produção e preços. preços.
 No oligopólio, os produtores devem levar  Todas as empresas supõem que as
em consideração a reação dos concorrentes estejam levando em
concorrentes na determinação de sua consideração as decisões das rivais ao
produção e preços. tomarem suas próprias decisões.
Slide 61 Slide 62

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Oligopólio Oligopólio
Características básicas Formação de cartéis
Formas de atuação das empresas:  Características
- concorrem entre si, via guerra de preços ou de promoções;
1) Acordos explícitos de determinação de níveis
- formam cartéis (conluios, trustes). Cartel é uma de produção e preços
organização (formal ou informal) de produtores dentro de
um setor, que determina a política para todas as empresas 2) Não incluem necessariamente todas as
do cartel. O cartel fixa preços e a repartição (cota) do empresas da indústria
mercado entre as empresas.

Slide 63 Slide 64

Estruturas de mercado alternativas Estruturas de mercado alternativas


Oligopólio Oligopólio
Formação de cartéis Formação de cartéis
 Características  Características

3) Freqüentemente operam em escala internacional 4) Condições para o sucesso


 Exemplos de cartéis  Exemplos de cartéis que  A diferença entre os lucros das empresas sob
bem-sucedidos não tiveram sucesso cartel e sob a alternativa não-cooperativa é
 OPEP  Cobre suficientemente grande para evitar as
 International Bauxite  Estanho “traições”
Association  Café
 Mercurio Europeo  O cartel detém elevado grau de poder de
 Chá

 Cacau
monopólio – demanda inelástica

Slide 65 Slide 66
Estruturas de mercado alternativas Resumo das principais características
Oligopólio nº de Controle Ingresso
Estruturas Produto
empresas de Preços
Formação de cartéis
Concorrência Sem
 Observações Muito grande Homogêneo Rigidez
Perfeita barreiras

Para que o cartel seja bem-sucedido: Não há subs- Empresa Há barrei-


 Só há uma
Monopólio titutos próxi- com poder ras para
empresa
 A demanda total não deve ser muito mos as novas
elástica ao preço Pode ser ho- Poder c/ Há barrei-
Pequeno mogêneo ou inter- ras para
 O cartel deve ser capaz de controlar a Oligopólio
diferenciado dependência as novas
maior parte da produção mundial, ou
Pouca mar- Sem
então a oferta dos produtores não Concorrência
Grande Diferenciado gem de
Monopolística barreiras
cartelizados deve ser inelástica ao preço manobra

Slide 67 Slide 68

Resumo das principais características Resumo das principais características

Estruturas Exemplos Mercados de fatores de produção


Concorrência Concorrência Perfeita: existe uma oferta abundante do
Perfeita Commodities – Ex.: Trigo fator de produção (ex.: mão-de-obra não especializada), o
que torna o preço desse fator constante.
Monopólio Petróleo, energia. Monopsônio: Há somente um comprador para muitos
vendedores dos serviços dos insumos.
Oligopsônio: Existem poucos compradores que dominam o
Oligopólio Algumas rotas aéreas. Concessionárias de veículos.
mercado para muitos vendedores. Ex.: Indústria de
laticínios.
Concorrência Monopólio bilateral: Ocorre quando um monopsonista, na
Softwares (Editores de texto, planilhas, etc.)
Monopolística compra do fator de produção, defronta-se com um
monopolista na venda desse fator.
Slide 69 Slide 70

Resumo Resumo
 Os administradores de empresas podem atuar de  O poder de mercado é a capacidade que
acordo com um conjunto complexo de objetivos e vendedores ou compradores têm de influenciar o
sob diversas restrições. preço de uma mercadoria.
 Uma empresa competitiva toma suas decisões de  Há duas modalidades de poder de mercado:
produção sob a hipótese de que a demanda pela poder de monopólio e poder de monopsônio.
sua produção é horizontal.  O poder de monopólio é determinado, em parte,
 No curto prazo, uma empresa competitiva pelo número de empresas competindo no
maximiza seu lucro escolhendo o nível de mercado.
produção para o qual o preço seja igual ao custo  O poder de monopsônio é determinado, em
marginal (de curto prazo). parte, pelo número de compradores que atuam
no mercado.
Slide 71 Slide 72
Resumo Resumo
 O poder de mercado pode impor custos à  Em um mercado oligopolístico, apenas algumas
sociedade. poucas empresas são responsáveis pela maior
parte ou pela totalidade da produção.
 Há casos em que economias de escala tornam o
monopólio puro desejável.  As empresas poderiam auferir lucros maiores
 Dependemos da legislação antitruste para evitar mediante conluios visando à elevação de preços;
que as empresas acumulem poder de mercado contudo, a legislação antitruste, geralmente,
excessivo. proíbe essa prática.

 Em um mercado monopolisticamente  Em um cartel, os produtores praticam conluio


competitivo, as empresas concorrem por meio da explícito, determinando preços e níveis de
venda de produtos diferenciados, que são produção.
altamente substituíveis uns pelos outros.
Slide 73 Slide 74