Você está na página 1de 1

Universidade Federal da Bahia

Instituto de Psicologia/Faculdade de Direito


IPSA14 – Psicologia Social I
Turma: T01
Docente: Rogério Fernandes Santos
Discente: Max Leandro Bispo Santana

FICHAMENTO N° 01 Capítulo 1
Livro X Artigo Monografia/Dissertação/Tese □ Multimídia □ Outros □_________________

Referência (ABNT). ARONSON, E.; WILSON, T.D. & AKERT, R. M. (2002). Psicologia Social. 3ª ed. Rio de
Janeiro: LTC.
Bionota(s) do(s) autor(es): Elliot Aronson (nascido em 9 de janeiro de 1932) é um eminente psicólogo americano que é mais conhecido por suas
experiências inovadoras sobre a teoria da dissonância cognitiva e sua invenção do Jigsaw Classroom , uma técnica de ensino cooperativo altamente
bem-sucedida que facilita o aprendizado ao reduzir a hostilidade interétnica e preconceito. Em seu livro de psicologia social imensamente popular (1972),
The Social Animal, (agora em sua 11ª edição), ele declarou a Primeira Lei de Aronson: "As pessoas que fazem coisas loucas não são necessariamente
loucas", afirmando assim a importância de fatores situacionais no bizarro comportamento./Timothy D. Wilson é um psicólogo e escritor social americano.
Ele é o Sherrell J. Aston Professor de Psicologia da Universidade da Virgínia e ensina políticas públicas na Frank Batten School of Leadership and Public
Policy . Ele é conhecido por sua pesquisa sobre o autoconhecimento e a influência da mente inconsciente na tomada de decisões , preferências e
comportamento . Ele é o autor de dois livros populares sobre psicologia, Estranhos a nós mesmos: Descobrindo o inconsciente adaptativo e
redirecionamento: a nova ciência surpreendente da mudança psicológica./ Robin M. Akert Professor de Psicologia, Doutora em psicologia social
experimental da Universidade de Princeton. Entrei na faculdade de Wellesley em 1981, onde agora sou professor completo. É co-autor (com Eliot
Aronson e Tim Wilson) do livro de texto, Psicologia social, que está agora em sua sexta edição e foi traduzido para oito idiomas.

Paráfrases textuais:

A psicologia social é definida como o estudo de cunho científico de como os pensamentos, sentimentos e
comportamentos das pessoas são influenciadas pela presença real ou imaginada de outra. A influencia
social pode contrabalancear e superar as determinações comportamentais presente nas diferenças
individuais. Por isso é importante não justificar os comportamentos humanos em termos de tração de
personalidade, de modo a subestimando o poder de influência social (erro fundamental da atribuição).
Para a devida avaliação do poder da influência social, devemos compreender como as pessoas formam os
constructos ( idéia ou conceito complexo resultante da síntese de um conjunto de idéias simples) do
meio social em que vivem. Diferentemente de computadores e sua mecanicidade, somos seres complexos
que percebem e pensam nas informações recebidas do ambiente, não raramente de forma destorcida. Dando
ênfase a forma como as pessoas constroem o mundo social, a psicologia social tem mais raízes na
psicologia de Gestalt que na de behaviorismo.
Embora complexo, o pensamento humano não se constitui em insondável, podendo ser encontrado dois
motivos fundamentais dos constructos que as pessoas fazem do mundo, quais são: O desejo de manter a
auto-estima e o desejo de formar um quadro preciso de si mesmo e do mundo social. (enfoque da
cognição social). Para que possamos compreender como somos influenciados pelo meio social, precisamos
compreender o processo pelo qual pensamos e distorcemos. A) a influencia social produz um impacto
poderoso nas pessoas, B) para compreender o poder da influência social, temo que examinar os
motivos que determinam a maneira como as pessoas interpretam seu ambiente social.
A psicologia social é uma ciência empírica e para responder às perguntas sobre a influência social os
psicólogos projetam e realizam pesquisas ao invés de confiar no bom senso ou sabedoria das idades.