Você está na página 1de 84

Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda.

(exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

Índice
I. DECLARAÇÃO.............................................................................................................4

II. APROVAÇÃO DO JÚRI............................................................................................5

III. AGRADECIMENTOS................................................................................................6

LISTA DE FIGURAS.............................................................................................................7

LISTA DE TABELAS............................................................................................................7

LISTA DE GRÁFICOS..........................................................................................................7

LISTA DE ABREVIATURAS...............................................................................................8

1. RELATÓRIO DE GESTÃO.........................................................................................10

1.1 Mensagem do Presidente do Conselho de Administração........................................10

1.2 Introdução..................................................................................................................11

1.3 Quem Somos.............................................................................................................12

1.4 Missão.......................................................................................................................12

1.5 Estratégia...................................................................................................................13

1.6 Táctica.......................................................................................................................13

1.7 Visão..........................................................................................................................13

1.8 Recursos Humanos e respectiva estrutura funcional.................................................13

1.8.1 Recursos Humanos................................................................................................13


1.8.2 Organigrama – Estrutura funcional da Tocaixilhos, Lda.......................................15
1.8.3 Principais responsabilidades dos orgãos sociais....................................................15
1.9 Envolvente Macroeconómica....................................................................................18

1.9.1 Contexto operacional global..................................................................................18


1.9.2 Contexto operacional Interno................................................................................19
1.10 Análise económica de 2014.......................................................................................19

1.10.1 Economia mundial.............................................................................................19

Trabalho de Licenciatura Paá gina 1


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

1.10.2 Economia Moçambicana....................................................................................21


1.11 Responsabilidade Social da ToCaixilhos, Lda..........................................................22

1.12 Aspectos relevantes das actividades da Tocaixilhos, Lda.........................................23

1.12.1 Actividades operacionais...................................................................................23


1.12.1.1 Produtos e Serviços........................................................................................23
1.12.1.2 Análise de mercado........................................................................................23
1.12.2 Actividades de Investimento..............................................................................24
1.12.2.1 Aplicações Financeiras...................................................................................25
1.12.3 Actividade de Financiamento............................................................................26
1.13 Análise do meio envolvente......................................................................................26

1.13.1 Análise SWOT...................................................................................................26


1.13.2 Modelo de Michael Porter.................................................................................27
1.13.3 Modelo PEST.....................................................................................................29
1.13.3.1 Politica............................................................................................................29
1.13.3.2 Economia........................................................................................................31
1.13.3.3 Sociedade.......................................................................................................32
1.13.3.4 Tecnologia......................................................................................................32
1.13.4 Estratégias de gestão e técnicas de Marketing...................................................33
1.13.4.1 Estudo do Mercado........................................................................................33
1.13.4.2 Análise da Concorrência................................................................................33
1.13.4.3 Estratégias de Marketing................................................................................33
1.14 Análise Económico-Financeira.................................................................................35

1.14.1 Análise Financeira.............................................................................................35


1.14.1.1 Rácios Financeiros.........................................................................................35
1.14.1.1.1 Rácios de Liquidez.......................................................................................35
1.14.1.1.2 Indicadores do equilíbrio financeiro...........................................................36
1.14.1.1.3 Indicadores do ciclo de exploração..............................................................37
1.14.1.1.4 Indicadores de Inventários...........................................................................37
1.14.1.1.5 Rácios de Solvabilidade...............................................................................38
1.14.2 Análise económica.............................................................................................39
1.14.2.1 Rácios de Rendibilidade.................................................................................39
1.14.3 Demonstrações financeiras reais vs Demonstrações financeiras previsionais...40

Trabalho de licenciatura Paá gina 2


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

1.14.4 Proposta de aplicação de resultados...................................................................42


1.14.5 Perspectivas Futuras..........................................................................................43
1.14.6 Nota Final..........................................................................................................44
2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS........................................................................45

2.1 Balanço......................................................................................................................45

2.2 Demonstração dos resultados por Natureza..............................................................46

2.3 Demonstração de fluxos de caixa pelo método indirecto..........................................47

2.4 Demonstração das variações no capital próprio........................................................48

2.5 Notas explicativas as demonstrações financeiras......................................................49

3. PROCESSO RELATIVO AO CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES LEGAIS E


ELEMENTOS DE CONTINUIDADE................................................................................70

3.1 Declaração do técnico de Contas..............................................................................70

3.2 Relatório do auditor independente............................................................................71

3.3 Relatório e parecer do Fiscal Único..........................................................................74

3.4 Convocatória da Assembleia Geral...........................................................................76

3.5 Acta da Assembleia Geral.........................................................................................78

3.6 MODELO 22.............................................................................................................79

3.6.1 Notas explicativas do modelo 22...........................................................................80


3.7 Modelo 20 e respectivos anexos................................................................................81

3.8 Mapa discriminativo dos Impostos (IRPC, IRPS e IVA)..........................................82

4. ANEXOS......................................................................................................................83

Trabalho de licenciatura Paá gina 3


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

I. Declaração

Declaro que este trabalho é da minha autoria e resulta da minha investigação. Esta é a
primeira vez que submeto para obtenção de um grau académico numa instituição
educacional.

______________________________________________
_____________________________________________________________________

Maputo, aos __________ de _____________________ de 2015

Declaro que este trabalho é da minha autoria e resulta da minha investigação. Esta é a
primeira vez que submeto para obtenção de um grau académico numa instituição
educacional.

______________________________________________
_____________________________________________________________________

Maputo, aos __________ de _____________________ de 2015

Trabalho de licenciatura Paá gina 4


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

II. Aprovação do Júri

Este Trabalho foi aprovado com a classificação de ____________ expressão numérica de


__________ Valores, no dia __________ de _____________________ de 2015 por nós
membros de Júri, examinador do Instituto Superior de Contabilidade e Auditoria.

___________________________________
(Presidente do Júri)

___________________________________
(Arguente)

___________________________________
(Supervisora)

Trabalho de licenciatura Paá gina 5


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

III. Agradecimentos

Em primeiro lugar queremos agradecer a Deus por nos ter concedido esta oportunidade,
aos nossos Pais, por terem dado o presente da vida, que foram responsáveis pela nossa
educação, que nos amparam e sempre nos deram força nos momentos difíceis. Para eles o
nosso “Muito Obrigado”.

Aos nossos familiares, amigos, em especial as nossas namoradas, e a todos que, directa ou
indirectamente ajudaram-nos neste árduo percurso.

Ao corpo docente da Simulação Empresarial em particular e do ISCAM no geral,


agradecemos pela paciência, pelo ensinamento, pelas ricas e inúmeras sugestões e
procissão na elaboração do trabalho e acima de tudo pelo acompanhamento ao longo de
todos anos de formação.

Por último agradecemos aos nossos colegas, que com os quais convivemos, durante estes
anos de formação, agradecemos igualmente pela parceria, cooperação, companheirismo e
acima de tudo amizade e irmandade que modificaram estes anos de faculdade, em únicos
das nossas vidas.

Trabalho de licenciatura Paá gina 6


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

LISTA DE FIGURAS
Figura 1: Organigrama da Empresa TOCaixilhos, Lda...........................................................14

LISTA DE TABELAS
Tabela 1: Mapa de Distribuição dos Tabalhadores por sexo e
funções.................................14
Tabela 2: Mapa de actividades de
Investimento.......................................................................25
Tabela 3: Aplicações
financeiras..............................................................................................26
Tabela 4: Balanço comparativo entre o previsto e o
realizado.................................................41
Tabela 5: Demonstração de resultados comparativa entre o previsto e o
realizado.................41
Tabela 6: Proposta de aplicação de
resultados.........................................................................42
Tabela 7:
Balanço.....................................................................................................................45
Tabela 8: Demonstração dos resultados por
naturezas.............................................................46
Tabela 9: Demonstração de fluxos de
caixa ............................................................................47
Tabela 10:Demonstração das variações no capital
próprio .....................................................48
Tabela 11: Mapa da vida útil do
Imobilizado...........................................................................51
Tabela 12: Activos
tangíveis....................................................................................................61
Tabela 13: Activos
intangíveis.................................................................................................61
Tabela 14:Mapa discriminativo dos
impostos..........................................................................82

Trabalho de licenciatura Paá gina 7


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

LISTA DE GRÁFICOS
Gráfico 1: Distribuição dos trabalhadores por género.............................................................13

Trabalho de licenciatura Paá gina 8


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

LISTA DE ABREVIATURAS
LDA Limitada
NUIT Numero Único de Identificação Tributária
NIRF Normas Internacionais de Relato Financeiro
NCRF Norma Contabilística de Relato Financeiro
PGC Plano Geral de Contabilidade
IRPC Imposto Sobre o Rendimento de Pessoas Colectiva
IRPS Imposto Sobre o Rendimento de Pessoas Singulares
IVA Imposto Sobre Valor Acrescentado
PIB Produto Interno Bruto
SWOT S – Forças, W – Fraquezas, O – Oportunidades, T – Ameaças
Nº Número
FMI Fundo Monetário Internacional
INE Instituto Nacional de Estátistica
FPC Facilidade Permanente de Cedência
BM Banco de Moçambique
PEST Política, Economia, Sociedade e Tecnologia

Trabalho de licenciatura Paá gina 9


Relatório & contas da Tocaixilhos, Lda. (exercício de 2014)
(Valores expressos em meticais)

LISTA DE ANEXOS

ANEXO I- Balancete Analítico antes e após o apuramento dos Resultados

ANEXO II- Mapa de Amortizações e Reintegrações

ANEXO III- Inventários de existências finais

ANEXO IV- Detalhe do Cálculo do custo das vendas e/ou prestação de serviços

ANEXO V- Inventário de Aplicações Financeiras

ANEXO VI- Inventário do activo fixo

ANEXO VII – Relação de Contractos de locação financeira, Empréstimos MLP e Seguros

ANEXO VIII- Devedores e credores por acréscimos e Diferimentos

ANEXO IX- Relação Nominal dos Trabalhadores

ANEXO X- Modelos Fiscais

ANEXO XI- Tabela de Preços

Trabalho de licenciatura Paá gina 10


1. RELATÓRIO DE GESTÃO

1.1 Mensagem do Director Geral

Os desafios e os obstáculos são uma perseverante na vida das instituições e dos gestores. A
feição como os observamos define-nos. Para construir um futuro vindoiro não podemos
ficar acomodados apenas na actualidade. Os factos não ocorrem por acaso, nós devemos
correr atrás e conquista-los, de forma incansável. O sucesso global da ToCaixilhos,Lda., só
é viável com a entrega e participação directa de todos os seus recursos, por essa razão,
sustentamos muito o desenvolvimento técnico profissional dos nossos Recursos Humanos,
na Formação e em Políticas activas de mapeamento e retenção de habilidades. A
competência, determinação, entrega e compromisso dos colaboradores da
ToCaixilhos,Lda., constituem, sem dúvida, um dos maiores activos da Empresa. Rigor,
Transparência, Proficiência são alguns dos calcares para o nosso desenvolvimento, que,
com certeza ajudará para o crescimento da Empresa, na sua plenitude.

Somos hoje uma empresa virada para o mercado nacional e internacional, e como tal
concorremos com empresas de todo o mundo do universo de simulação empresarial, do
ramo de Caixilharia. Apenas com a dedicação e esforço de todos conseguiremos ser mais
competitivos, como o fizemos no ano de 2014.

Consigno toda a certeza no nosso grupo, de que em conjunto lograremos atingir patamares
motivadores, para a prossecução dos nossos objectivos. Por minha parte prosseguirei com
o meu empenho, na mesma dedicação do primeiro ano da nossa empresa. Agradeço
pessoalmente a todos que, de alguma forma, directa ou indirecta, contribuíram para um
bom começo da história da Tocaixilhos, Lda., ademais, reforçar que contamos com todos
para conjuntamente prosseguirmos a traçar um Futuro Radiante para a ToCaixilhos e quiçá,
para MOCAMBIQUE!

Para concluir gostaria de afiançar que, da nossa parte, vamos continuar a construir o que se
espera de nós, buscando encontrar as melhores soluções para os desafios que enfrentarmos.

_______________________

(Adérito Melembe)
1.2 Introdução

A TOCaixilhos, Lda., foi fundada em finais do ano de 2013 e iniciou a sua actividade no
dia 1 de Janeiro de 2014, surgindo na sequência duma evolvente do universo de Simulação
Empresarial, que assenta no pressuposto da prestação de serviços no domínio da actividade
de a aplicação de carpintarias, caixilharias de alumínio e serralharia civil para a construção
civil e obras públicas, em interiores e exteriores, seja de carácter habitacional ou industrial,
a nível nacional e internacional. Durante o exercício económico de 2014 a empresa
desenvolveu todas as suas actividades, de acordo com todos critérios estabelecidos e ou
exigidos na Simulação Empresarial, sendo este um dos requisitos para obtenção do grau de
licenciatura, elaborou-se relatórios inicial e final, o último apresentado no presente
trabalho, houve também auditorias, como forma de melhorar aspectos negativos inerentes a
empresa.

O capital social inicial da ToCaixilhos, Lda., foi de 1.000.000,00 MT totalmente realizado


em espécie.

O desempenho da empresa foi bom, teve como resultado do exercício o valor de 8.640.549
MT facto sustentado por um lado, pela entrega dos trabalhadores, aliado ao crescimento da
procura que se verificou durante o 4º trimestre. Por outro lado, pela estratégia de marketing
agressiva introduzida na empresa.

Assim sendo, apresenta-se o relatório final de todas actividades desenvolvidas pela


TOCAXILHOS, Lda., portanto fazendo a apresentação do relatório de gestão e de contas,
com vista a justificar actividades concernentes a gestão feita pela Administração da
empresa. Haverá também, ilustração do conjunto completo das Demonstrações Financeiras
e o relatório da Gestão Fiscal, processo relativo ao cumprimento das obrigações fiscais.
Salientar que um dos objectivos das demonstrações financeiras é de fornecer informações
sobre a posição patrimonial e financeira, o desempenho e as mudanças na posição
financeira da entidade, que sejam úteis aos demais usuários em suas avaliações e tomadas
de decisão económica.
1.3 Quem Somos

Designação social - TOCaixilhos, Lda.


Sede – Rua Esquerda, n.º 6, Bairro Sommerschield, Maputo – Moçambique
Correio Electrónico – se90709@visit.uaveiro.eu
N.U.I.T. – 400090709
N° de Segurança Social – 400090709
Actividade – Comércio de caixilharia de madeira e alumínio e material de serralharia
Capital social – 1.000.000,00 MT
Gerência – Adérito Melembe
Hermenegildo José Saúte

A TOCaixilhos, Lda. é uma sociedade por quotas, constituída a 1 de Janeiro de 2014, tem
como capital social um milhão de meticais (1.000.000,00 MT), realizado pelos sócios-
gerentes Adérito Melembe e Hermenegildo José Saúte, tem como actividade principal a
comercialização de caixilharia de madeira e alumínio e material de serralharia.
O compromisso e a principal razão da existência da empresa é a satisfação dos nossos
clientes, neste contexto importa referir que dispomos de equipamentos e de tecnologia
avançada, que permite uma capacidade de resposta superior à média. Dispomos também de
uma viatura pick-up que permite o transporte da mercadoria e de todas as ferramentas
necessárias para servir os nossos clientes com comodidade e qualidade.

1.4 Missão

Contribuir para a modernização e desenvolvimento do sector de construção civil e obras


públicas e da economia moçambicana, mediante a comercialização de produtos e serviços
inovadores e personalizados relacionados com a aplicação de carpintarias, caixilharias de
alumínio e serralharia civil, concebidos para satisfazer a globalidade das necessidades e
expectativas financeiras dos diferentes segmentos de mercado, com padrões de qualidade e
de especialização superiores.
1.5 Estratégia
 Manutenção de elevados níveis de satisfação, fidelização e envolvimento com os
Clientes;
 Promoção de novas iniciativas em áreas com elevado potencial de crescimento;
 Consolidação da liderança tecnológica sectorial e regional;
 Melhoria sustentada dos níveis de rendibilidade e de solidez financeira;
 Valorização, motivação e compensação dos trabalhadores.

1.6 Táctica
 Formando e capacitando os nossos trabalhadores de forma a garantir a oferta de
produtos e serviços de alta qualidade aos nossos Clientes;
 Lançando produtos e serviços inovadores;

1.7 Visão
Conquistar a confiança de uma carteira significativa do mercado, pretende com o
desenvolvimento da actividade, estabelecer-se no mercado como uma empresa de
referência pelo rigor, eficiência, criatividade, profissionalismo, integridade e credibilidade
e ser líder entre as pequenas e médias empresas de ramo.

1.8 Recursos Humanos e respectiva estrutura funcional


1.8.1 Recursos Humanos

Para ToCaixilhos, Lda. o capital humano é sem dúvidas o maior activo que a empresa tem,
sendo o bem mais precioso da mesma, pois, esta aposta e dá primazia a formações e
possibilita os recursos humanos a desenvolverem profissionalmente, ou seja, a
progredirem, fazendo assim carreira internamente.

A ToCaixilhos, Lda, para prestar serviços de caixilharia com maior eficiência e eficácia
decidiu contratar 22 trabalhadores, dos quais 16 do sexo masculino e 6 do sexo feminino,
representando assim 73% e 27%, respectivamente, conforme ilustra a tabela e o gráfico
abaixo.
Tabela 1 - Distribuição dos Trabalhadores por Género

Gráfico 1: Distribuição dos trabalhadores por género


1.8.2 Organigrama – Estrutura funcional da Tocaixilhos, Lda.
A Tocaixilhos, Lda. apresenta a estrutura organizacional abaixo descriminada, os sócios
Adérito Melembe e Hermenegildo Saúte nomeados em assembleia-geral, constituem o
órgão máximo da sociedade e respondem por todas as decisões estratégicas da empresa.

Figura 1: Organigrama da Empresa ToCaixilhos, Lda

1.8.3 Principais responsabilidades dos orgãos sociais

1 – Presidente do Conselho de Administração/Director Geral, função exercida por


Adérito Melembe responsável também pela Direcção Comercial.

Missão do cargo:
Assegurar a obtenção dos resultados definidos nos planos operacionais e administrativos,
em conformidade com a missão da empresa, seus princípios e filosofia de negócios, dentro
das directrizes estratégicas e operacionais estabelecidas, por meio da coordenação geral de
todas as áreas da empresa.
Principais Responsabilidades:
 Conduzir a elaboração e execução dos planos estratégicos e operacionais, em todas as
áreas da empresa, visando a assegurar o seu desenvolvimento, crescimento e
continuidade.
 Definir as políticas e objectivos específicos de cada área, coordenando a execução dos
respectivos planos de acção, facilitando e integrando o trabalho das equipes, visando a
optimizar os esforços para a consecução dos objectivos da empresa.
 Identificar oportunidades, avaliar a viabilidade e fazer recomendações sobre novos
investimentos ou desenvolvimento de novos negócios, visando a garantir um retorno
adequado aos accionistas e resguardar a segurança dos activos da empresa;
 Manter contactos com a direcção das empresas clientes para identificar oportunidades
de ampliação ou melhoria nos produtos / serviços prestados ou solução de eventuais
problemas contratuais ou operacionais, visando manter satisfação do cliente e projectar
uma imagem positiva da empresa no mercado;
 Conduzir os processos de mudanças na cultura da organização, visando conquistar o
engajamento de todos os seus integrantes e garantir a consolidação de uma cultura
organizacional orientada para a contínua busca da qualidade e de altos padrões de
desempenho individual e colectivo;
 Coordenar as negociações para aquisições, fusões, associações, etc. com outras
empresas, visando ao crescimento e consolidação dos negócios;
 Manter contactos com a direcção de outras empresas, entidades de classe e órgãos
governamentais, visando a harmonizar esforços que se traduzam em benefícios para os
clientes, o mercado e a comunidade em geral.

2- Director de Produção - função exercida por Gerson Novela


Missão do cargo:
Assegurar o cumprimento das metas de produção, dentro dos padrões estipulados, de
qualidade, quantidade, custos e prazo estabelecidos pela empresa.

Principais Responsabilidades:
 Planear, organizar e supervisionar as actividades de produção, dentro das
especificações e padrões de qualidade estabelecidos, visando a assegurar o
cumprimento dos objectivos da empresa na área comercial;
 Supervisionar a elaboração do plano anual de metas de produção, visando à
optimização dos recursos produtivos disponíveis;
 Supervisionar a elaboração dos cronogramas de produção, visando garantir a melhor
alocação da mão-de-obra, equipamentos e materiais.
 Analisar e avaliar os aspectos económicos do processo produtivo, no tocante a mão-de-
obra e quantidade de materiais consumidos, por forma a identificar oportunidades ou
alternativas que permitam a redução de custos;
 Estudar, desenvolver e/ou aperfeiçoar processos, equipamentos, ferramentas etc., bem
como estabelecer controlos de processos, visando garantir melhor qualidade e maior
produtividade;
 Acompanhar e controlar sistematicamente o desempenho da produção, por meio da
análise de indicadores gerenciais apropriados, propondo os planos e acções necessários,
visando assegurar o cumprimento das metas e objectivos estabelecidos;
 Estudar, as necessidades da empresa, implementar os respectivos programas de
desenvolvimento de novos equipamentos, produtos, automações, e processos tendo em
vista o aumento da qualidade e competitividade dos produtos e participação de
mercado da empresa;
 Supervisionar as actividades de stock de produtos acabados, visando assegurar
conformidade com as especificações estabelecidas.

3- Director Financeiro - função exercida por Hermenegildo Saúte

Missão do Cargo:
Gerir as actividades de contas a pagar e a receber, tesouraria e custos visando assegurar o
cumprimento das obrigações financeiras e recebimento dos créditos da empresa.

Principais Responsabilidades:
 Supervisionar compromissos financeiros da empresa, bem como a facturação, cruzando
informações do sector de contas a pagar com entradas diárias nos bancos, a fim de
apropriar as despesas às receitas;
 Efectuar aplicações/resgates e captações financeiras a curto, médio e longo prazo,
analisando o melhor produto existente através de consultas a bancos e publicações, a
fim de assegurar a liquidez das finanças da empresa e minimizar buscando as melhores
formas e taxas de juros;
 Supervisionar o controlo dos contractos de financiamento e capital de giro, através de
acompanhamento as instituições financeiras envolvidas para garantir o cumprimento
dos direitos e obrigações previstas nos mesmos;
 Preparar previsões de caixa, visando detectar necessidades de captação ou aplicação de
recursos;
 Negociar despesas bancárias, seguros de veículos e outras tarifas bancárias;
 Controlar os contractos de prestação de serviços, leasing, aluguer, e financiamentos de
longo prazo, para a liberação dos pagamentos nos prazos estabelecidos;
 Desenvolver e implementar estratégias a fim de garantir a satisfação dos clientes com
os serviços prestados pela área financeira;
 Fazer cumprir as legislações comerciais, civis e fiscais, na empresa.

1.9 Envolvente Macroeconómica


Visão geral do ano

1.9.1 Contexto operacional global


Segundo o FMI, a economia mundial continuou num percurso ascendente em 2014,
registando um crescimento de 3,3% em relação ao ano anterior, em linha com 2013.
Entretanto, em contraste com o ano anterior, este ano as economias avançadas registaram
um crescimento mais acelerado, em comparação com mercados emergentes como a China,
que cresceram a um ritmo mais lento. Melhorias no mercado de trabalho dos EUA, bem
como uma política monetária propícia em todas as economias avançadas impulsionaram a
recuperação nesses mercados. Por um lado, a queda dos preços dos recursos naturais
principalmente do crude, penalizou as economias emergentes, sendo muitas das quais
exportadoras. Como resultado, a Nigéria e Angola continuam a ter um efeito de arrasto
sobre as perspectivas de crescimento da África Subsaariana, enquanto, a África do Sul,
com os desafios em torno dos seus sectores da energia e do trabalho, apresenta um risco
ainda maior para a região. No entanto, o Banco Mundial afirma que a queda dos preços do
petróleo poderá contribuir de forma significativa para o crescimento global no futuro,
assumindo que não irá cair muito, ao ponto de inviabilizar o investimento no sector, que é
necessário para preservar a produção a longo prazo. Consequentemente, os exportadores de
petróleo teriam mais sucesso se reformassem as suas políticas tributárias e de energia, a
fim de limitar o impacto sobre as suas posições fiscais a curto e médio prazo.

1.9.2 Contexto operacional Interno


A economia moçambicana continuou a mostrar resiliência em 2014, apesar dos desafios
que emanam da dúvida na sequência do conflito armado no centro do país. A insegurança
desencadeada por uma série de raptos, bem como o receio que antecedeu as eleições gerais
em Outubro, reduziram o nível de confiança por parte dos investidores. Em consequência,
a actividade económica ficou retraída, dado que muitas empresas consideraram a situação
volátil, preferindo adiar grandes decisões de investimento. No entanto, um ambiente
macroeconómico estável ao longo do ano resultou num rápido crescimento do PIB face ao
ano anterior de 7,4%. O aumento da produção agrícola e do investimento directo
estrangeiro no sector do petróleo e gás contribuiu significativamente para este crescimento,
compensando o impacto dos baixos preços dos recursos naturais, especialmente o carvão.
Contudo, a médio e longo prazo, o prosseguimento do crescimento depende do
desenvolvimento de infra-estrutura, um sector ainda pouco explorado.

A inflação média manteve-se em níveis historicamente baixos, em parte apoiada por


importações mais baratas da África do Sul, o principal parceiro comercial de Moçambique,
devido a moeda Sul-africana, o rand, que esteve relativamente fraco. Este efeito permitiu
que o Banco de Moçambique baixasse a sua taxa de referência (FPC) uma vez durante o
ano. Embora positivo para a economia e para os devedores, esta reacção colocou ainda
mais pressão sobre as margens financeiras, dado que o custo de financiamento com os
empréstimos bancários se manteve elevado. No entanto, o banco havia previsto, daí que
adoptou estratégias apropriadas para dar resposta a circunstância.

1.10 Análise económica de 2014

1.10.1 Economia mundial

Tal como em anos anteriores 2014 foi mais um ano de uma lenta recuperação dos efeitos
da crise financeira global. Após algumas revisões em baixa, o FMI estima que o
crescimento económico global estagnou em 3,3% durante 2014, inalterado em relação a
2013.
Por um lado, os mercados emergentes tiveram um crescimento mais lento (4,4%) quando
comparado com os 4,7% de 2013. O FMI estima que em o crescimento económico nos
EUA e Reino Unido acelerou de 2,2% e 1,7% em 2013 para 2,4% e 2,6%, respectivamente.
Este efeito foi sustentado por uma política monetária favorável em ambas as economias,
que continuou ao longo de 2014. O FMI afirmara ainda que nos EUA, a melhoria no
mercado de trabalho resultara na criação de 3,1 milhões de postos de trabalho, o seu
desempenho mais forte em 15 anos. Consequentemente ao facto mencionado a taxa de
desemprego registou uma queda de 5,6%. Referir que na zona euro a recuperação foi lenta.
A região ultrapassou um marco ao longo do ano, registando uma expansão de 0,8% em
comparação com um declínio de 0,5% em 2013. Por outro lado, a economia japonesa
desacelerou de 1,6% em 2013 para 0,1% em 2014. As duas permaneceram afectadas por
efeitos latentes da crise financeira global, que vão desde níveis elevados de dívida a
elevadas taxas de desemprego, que duraram mais tempo do que o esperado, e limitações
estruturais. Um aumento de impostos no Japão reduziu ainda mais as perspectivas de
crescimento a curto prazo, uma vez que teve um impacto negativo sobre a confiança das
empresas e sobre os gastos dos consumidores.
As economias emergentes cresceram a um ritmo mais lento durante 2014, uma vez que a
China registou um crescimento homólogo mais lento em 5 anos, atingindo 7,3% durante o
4º trimestre de 2014. O mercado imobiliário em abrandamento, a redução do investimento
e exportações instáveis pesaram no crescimento. Em contraste, a Índia cresceu mais
rapidamente do que o esperado, atingindo 7,5% face ao período similar, no 4º trimestre de
2014. Este valor resultou de uma combinação de políticas eficazes e de uma confiança
renovada. As crises na Ucrânia, juntamente com as perspectivas incertas de investimento,
traduziram-se num menor crescimento na Rússia, com as estimativas preliminares a
indicarem um crescimento anual de apenas 0,6%. Contrariamente Brasil em 2014, o PIB
deverá ter contraído em 2014, afectado por uma procura interna e externa mais fraca.
Apesar da queda dos preços do petróleo e um crescimento mais rápido nos EUA, o
relatório da Economia Mundial do FMI, lançado em Janeiro de 2015, reviu as previsões de
crescimento global em baixa, para 3,5% e 3,7% para 2015 e 2016, respectivamente,
reflectindo a produção de petróleo em excesso e os preços mais baixos do petróleo, a
continuação da valorização do dólar norte-americano em relação ao euro e iene, bem como
o aumento do risco nos mercados emergentes. Os preços mais baixos do petróleo
permanecem um risco positivo que poderia impulsionar o crescimento global, mas
surgiram riscos negativos que incluem a redução do investimento, a volatilidade do
mercado, a estagnação na zona euro e no Japão, e outros eventos geopolíticos.
O Banco Mundial estima que, se for continuado, os preços mais baixos do petróleo
poderão contribuir para o crescimento mundial e alterações de rendimento dos países
exportadores de petróleo para países importadores de petróleo. Os baixos preços do
petróleo também são susceptíveis de reduzir as pressões inflacionistas, externas e fiscais
nos países importadores de petróleo, mas ao mesmo tempo irão deteriorar as posições
fiscais e externas dos países exportadores de petróleo, impactando desta forma
negativamente a sua actividade económica. Uma importante implicação política é a
oportunidade de reformar impostos sobre a energia e os subsídios aos combustíveis, que
permanecem substanciais em muitas economias.

1.10.2 Economia Moçambicana


Crescimento Económico
Apesar de um crescimento global fraco, a economia moçambicana continuou a expandir-se
a um ritmo mais acelerado durante 2014, com os dados do PIB do terceiro trimestre
publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) a indicar uma expansão anualizada
de 7,4% face ao período homólogo, com 7,3% no 2º trimestre e 7,6% no 1º trimestre. Estes
números sugerem que a economia recuperou rapidamente dos efeitos negativos de
inundações que afectaram as regiões do sul do país durante o primeiro trimestre de 2014.
Os dados totais para o ano apontam um crescimento robusto de 7,4%.
O sector secundário registou o maior crescimento com 13,3%, impulsionado pela produção
com 14,8% e a construção com 11,4%. O sector primário cresceu 7,5%, sustentado pelo
crescimento de 11,5% na mineração e uma expansão de 7% na agricultura, com o sector
dos serviços a registar o menor crescimento com 5,8%, apesar de se ter registado uma forte
expansão do comércio, administração pública e serviços financeiros com 7,5%, 12,4% e
13,7%, respectivamente.
À medida que Moçambique desenvolve o seu sector de recursos, a economia torna-se cada
vez mais vulnerável a choques no mercado dos recursos naturais. A importância do sector
de recursos para Moçambique não pode ser subestimada. Apesar de continuar a contribuir
com menos de 4% do PIB, manteve-se o maior contribuinte para o investimento directo
estrangeiro no país ao longo dos últimos 10 anos, ajudando assim a estabilizar as variáveis
macroeconómicas e a melhorar a sua fraca base de infraestrutura.
Espera-se que a manutenção dos baixos preços do carvão e do petróleo atrase ainda mais o
investimento nos sectores do carvão e do gás natural, orçados em múltiplos do PIB
nacional. Apesar disto, espera-se que Moçambique continue a crescer rapidamente,
beneficiando de uma economia relativamente diversificada e apesar da incerteza política
dos últimos dois anos, o que teve um impacto negativo sobre o clima empresarial e de
investimento.
1.11 Responsabilidade Social da ToCaixilhos, Lda.
Segundo o Instituto Ethos Responsabilidade social empresarial é a forma de gestão que se
define pela relação ética e transparente da empresa com todo o público com os quais ela se
relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais que impulsionem o
desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais
para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das
desigualdades sociais. As enormes carências e desigualdades existentes no país, aliada às
deficiências crónicas do Estado no atendimento das demandas sociais, conferem maior
relevância à responsabilidade social empresarial.”
A ToCaixilhos, Lda. de forma voluntária, adoptou posturas, comportamentos e acções que
promovam o bem-estar do seu público interno e externo. Estes benefícios envolveram a
colectividade, seja ela relativa ao público interno (funcionários, accionistas) ou actores
externos (comunidade, parceiros).
No que respeita ao público interno, focou se em práticas socialmente responsáveis
relacionadas com a gestão dos recursos humanos como Assistência medica e
medicamentosa dos trabalhadores e seus dependentes bem como a segurança no trabalho.
Quanto ao público externo – comunidade e parceiros, efectuou uma doação a Cruz
Vermelha de Moçambique correspondente a 1% da previsão de vendas para 2014. No
futuro pretendemos intensificar práticas desta natureza com o objectivo de melhorar a
qualidade de vida da sociedade e impulsionar um desenvolvimento sustentável para a
economia da empresa ou nacional.

1.12 Aspectos relevantes das actividades da Tocaixilhos, Lda.

1.12.1 Actividades operacionais

1.12.1.1 Produtos e Serviços


A ToCaixilhos, Lda., fornece todo o tipo de serviços relacionados com a aplicação de
carpintarias, caixilharias de alumínio e serralharia civil para a construção civil e obras
públicas, também efectua serviços de reparação em construções já existentes.
A ToCaixilhos, Lda., recorre ao mercado de simulação empresarial para aquisição e
fornecimento de bens e serviços, como equipamentos e consumíveis indispensáveis ao
desenvolvimento da sua actividade de exploração.
1.12.1.2 Análise de mercado
Após uma análise profunda do mercado com vista a prestar serviços de qualidade a
dividiu-se os clientes em 2 grupos respectivamente:
 Clientes Reais – clientes que tenha um contrato fixo de prestação de serviços e
fornecimento de material com a empresa.
 Clientes Potenciais – clientes que no futuro poderão adquirir os nossos produtos e
serviços.

Sabendo que o mercado total representa um conjunto de grupos com características


distintas foi necessário seleccionar entre vários segmentos os clientes que nos oferecem
maiores possibilidades de progressão. Para tal foi necessário o auxílio pelos componentes
abaixo:
 Geográfica – que concerne na localização física de cada consumidor. A empresa
seleccionou o mercado nacional como principal mercado alvo devido aos custos de
deslocação, mas também efectuou transacções com o mercado português.
 Comportamental – que concerne na disponibilidade para aquisição dos serviços.
Visto que nem todos os clientes têm capacidade de aquisição dos serviços
constantemente daí a necessidade de concentrar mais esforços de modo a
proporcionar melhores serviços aos clientes.
A ToCaixilhos, Lda., para obter uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes
directos não oferece apenas um produto básico, mas sim um produto adicionado de
diversas vantagens que o acompanham, que é o caso de:
 Para o mercado nacional entrega ao domicílio grátis;
 Assistência pós venda;
 Descontos consideráveis para clientes que compram com frequência.

A ToCaixilhos, Lda., para dar resposta as necessidades do negócio seleccionou como


principais fornecedores, as empresas em sectores de actividade:
 Abastecimentos de combustíveis;
 Agências de viagens e turismo;
 Comércio de caixilharia de madeira e alumínio e material de serralharia;
 Comércio de equipamento de escritório, informático e telecomunicações;
 Comércio e reparação automóvel;
 Construção civil e obras públicas;
 Comércio e serviços de electricidade e pichelaria;
 Medicina, Higiene e Segurança no Trabalho;
 Pintura, estucagem e colocação de vidros;
 Rent-a-car;
 Restauração;
 Serração e Carpintaria;
 Tipografia e papelaria;
 Serviços de limpeza.

1.12.2 Actividades de Investimento


Para o desenvolvimento das suas actividades durante o exercício económico de 2014 a
ToCaixilhos, Lda., efectuou vários investimentos, em Activos Tangíveis e intangíveis,
totalizando 3.645.436,44 MT, conforme o mapa abaixo.
Tabela 2 – Mapa de actividades de Investimento

Valor de Amortizações Activo


Descrição Abate Reversões
aquisição acumuladas líquido
Activos Tangíveis 2.516.110,84 29.250,00 221.022,54 3.046,88 2.268.885,18
Equipamento Básico 486.317,25 48.631,74 437.685,51
Mobil./Equipamento A. Social 590.686,00 29.250,00 47.115,49 3.046,88 517.367,39
Equipamento de Transporte 1.392.672,24 122.130,56 1.270.541,68
Ferramentas e utensílios 27.035,35 1.689,72 25.345,63
Outros Activos Tangíveis 19.400,00 1.455,03 17.944,97

Activos Intangíveis 1.129.325,60 0,00 0,00 0,00 1.129.325,60


Propriedade Industrial e O.direit. 1.129.325,60 1.129.325,60
Total 3.645.436,44 29.250,00 221.022,54 3.046,88 3.398.210,78

Foi efectuado o abate de um computador danificado de ao mau tempo que assolou o


território moçambicano, avaliado em 29.250,00 MT, com mais incidência na cidade de
Maputo.

De salientar que no futuro próximo a entidade pretende investir ainda mais, tem como
objectivo do quinquénio, as seguintes aquisições:
 Instalações próprias com armazém;
 Máquinas e Ferramentas com uma tecnologia de ponta;
 02 Viaturas pesadas de mercadoria.

1.12.2.1 Aplicações Financeiras


No que concerne a rentabilização dos excedentes de tesouraria a Tocaixilhos, Lda.,
efectuou algumas aplicações como aquisição de acções, obrigações e depósito a prazo que
proporcionaram rendimentos financeiros e contribuirão para o melhoramento dos
resultados financeiros, actualmente dispõe as seguintes aplicações:
Tabela 3 – Aplicações financeiras
Descrição Valor
Depósitos a prazo 5.500.000,00
Outros instrumentos financeiros 1.204.628,22
Acções 196.324,06
Obrigações 1.008.304,16
Total 6.704.628,22

1.12.3 Actividade de Financiamento

O processo compreendeu as actividades e decisões a serem tomadas para a obtenção de


fundos destinados a financiar as actividades de investimento e as do ciclo de exploração.

De acordo com as projecções efectuadas no início, conclui-se que não disponha de recursos
financeiros para fazer face às necessidades, neste contexto recorreu-se aos financiamentos
junto ao banco, de modo a permitir o impulsionamento da actividade, para tal a
ToCaixilhos, Lda., solicitou junto dos seus fornecedores e ao Banco Online como forma de
financiamento à sua actividade:
 Compras a prazos de produtos e serviços juntos aos fornecedores no que tange a
aquisição de mercadorias e diverso material;
 Um empréstimo bancário de curto prazo no valor de 700.000,00 MT;
 Um empréstimo bancário de médio e longo prazo no valor de 6.000.000,00 MT;
 Um Contracto de Leasing para a aquisição de viatura ligeira para o transporte de
mercadoria no valor de 1.200.000,00 MT;

1.13 Análise do meio envolvente

1.13.1 Análise SWOT


Esta análise permite efectuar uma avaliação global das forças, fraquezas, oportunidades e
ameaças da Tocaixilhos, Lda.

Tomando em consideração a análise do ambiente externo, onde as forças macroambientais


e os agentes microambientes afectam a capacidade de obter lucros, podemos considerar:
Oportunidades

 Mercado em fraco crescimento;


 Rede de Parcerias;
 Reconhecimento do prestígio da Tocaixilhos, Lda.;
 Solidez Financeira;
 Marketing Social da Tocaixilhos, Lda., divulgação dos nossos produtos e serviços
através de propagandas e publicidade na média e em outdoors.

Ameaças

 Forte concorrência;
 Diminuição de obras no sector da construção;
 Conjuntura política e económica;

Forças

 Forte preocupação ambiental;


 Constante modernização dos recursos técnicos e humanos;
 Reconhecida pelos elevados padrões de qualidade do seu produto;
 Aposta na inovação;
 Localização privilegiada.

Fraquezas

 Pouca visibilidade no exterior;


 Produtos complementares escassos;
 Necessidade de capital de risco para a fase inicial do negócio;

1.13.2 Modelo de Michael Porter


Tendo como base este o modelo, a integração da ToCaixilhos em relação ao sector é a que
descreve-se a seguir:

a. Rivalidades entre as concorrentes


No mercado de simulação empresarial moçambicano no que respeita ao Comércio de
caixilharia de madeira e alumínio e material de serralharia encontramos como correntes as
seguintes empresas:
 ACM - Caixilharia e Serralharia, Lda;
 CaixiLar, Lda;
 Magilux, Lda;
 Caixilharia Inhambane, Lda;
 Caixilharia de Maputo, Lda.
A Tocaixilhos, Lda. actualmente tem cinco concorrentes, um número considerável de
concorrentes suficientes para desestabilizar esta actividade, o que dificultou de certa forma
a integração da Tocaixilhos, Lda. na fase inicial. A Tocaixilhos, Lda. verificou que as suas
concorrentes apresentam estratégias, objectivos e modelos de negócios similares, elevados
custos fixos, fraco nível de diferenciação dos seus produtos e baixos custos de troca entre
produtos de concorrência sem barreiras pra saída, o que contribui para um crescimento
baixo deste mercado.

b. Ameaça de Novos Concorrentes


A ameaça para entrada de novos concorrentes é alta, pois este ramo de actividade não
apresenta restrições ou barreiras de caracter técnico-operacional bem como politico-
governamentais, apresenta fraca produção em escala, fraco nível de diferenciação de
produtos, a necessidade de capital é baixa, custos de trocas baixos, fácil acesso a matéria-
prima, fraco controlo dos canais de distribuição.

c. Ameaça de produtos e serviços substitutos


Felizmente neste ramo não existem produtos substitutos cujo ganho na relação
custo/benefício do produto substituto é alto e de referenciar que a lucratividade desse
mercado na produção de produtos substitutos é baixa e os custos de troca pelo comprador
do produto são altos. O produto substituto da madeira e do alumínio é o PVC mas por
razões de caracter financeiro não é muito procurado.

d. Poder dos clientes


Os clientes detêm muito poder no mercado resultante de:
 Concentração dos clientes em relação à concentração das empresas que operam
neste mercado;
 Fraco nível de diferenciação dos produtos entre as empresas que operam neste
mercado;
 Lucratividade baixa por parte de alguns clientes;
 Conhecimento por parte dos clientes dos custos e da estrutura das empresas no
mercado.

e. Poder dos fornecedores


Verificamos que os fornecedores têm influencia significativa sobre as empresas, pois:
 Concentração dos fornecedores em relação à concentração dos clientes no mercado
é alto;
 A disponibilidade de produtos substitutos é baixa;
 A importância do comprador para o fornecedor é baixa;
 A diferenciação dos produtos e serviços dos fornecedores é alta;
 Os custos de troca do comprador são altos;
 A ameaça dos fornecedores comprarem empresas compradoras é alta.

1.13.3 Modelo PEST


É muito importante que toda e qualquer organização efectue uma avaliação acerca do
ambiente político, económico, social e tecnológico antes de iniciar qualquer actividade. A
análise PEST (political, economic, social e technologic) incorpora esses quatro factores
geradores de mudanças relevantes para qualquer país. A empresa não detém o controlo
destes factores, mas devemos levar em consideração.

1.13.3.1 Politica
Estabilidade governativa
Moçambique é um país democrático baseado num sistema político multipartidário. Como
demonstração de uma progressiva consolidação da democracia, realizam-se, regularmente,
eleições legislativas e presidenciais e autárquicas.
A Constituição da República consagra, entre outros, o princípio da liberdade de associação
e organização política dos cidadãos, o princípio da separação dos poderes legislativo,
executivo e judiciário, a realização de eleições livres e a liberdade de expressão e de
imprensa.

Legislação e regulamentação dos mercados


A legislação importante para o funcionamento do Estado Moçambicano compreende: (i)
Constituição da República; (ii) Acordos e Convenções internacionais ratificados; (iii)
Boletins da República; (iv) Legislação por sectores; e (v) Processos Administrativos.

As reformas jurídicas no âmbito na lei de terra e na legislação financeira, fiscal, laboral e


comercial levadas a cabo pelos Governo contribuem significativamente para melhorar e
fortalecer o ambiente de negócios e, consequentemente, maior atracção do investimento
privado nacional e internacional.
De uma forma geral, os factores políticos, estratégicos e de desenvolvimento que elevam o
bom ambiente de negócios em Moçambique, de acordo com vários estudos (CTA, ICEP,
WEF e KPMG) são:
 Aplicação de reformas na Administração Pública para eficiência dos serviços públicos;
 Na área empresarial criação do Balcão de Atendimento Único que permite criar
empresas num dia;
 Preocupação permanente do Governo em melhorar o ambiente de negócios no país
através da reabilitação, construção e expansão de infra-estruturas de energia,
telecomunicações, estradas, pontes, edifícios públicos, entre outras infra-estruturas;
 Com o Protocolo Comercial da SADC em vigor, torna-se mais fácil o acesso e
penetração no mercado regional de cerca de 200 milhões de habitantes;

 Acesso fácil e a isenção de quaisquer quotas de exportações e imposições aduaneiras


para as exportações de artigos produzidos em Moçambique, ao abrigo da Convenção de
Lomé, Sistema Geral de Preferências (GSP).
 Adesão de Moçambique às convenções internacionais no âmbito da resolução de
disputas pela ICC (Câmara de Comércio Internacional) ou arbitragem pelo ICSID
(Centro Internacional para Resolução de Disputas de Investimento);
 Acesso livre ao mercado dos EUA, através do Acordo intergovernamental entre
Moçambique e USA, designado AGOA, com vantagens do ponto de vista tarifário e
sem quotas, para uma gama de 600 produtos;
 Acesso livre para o mercado da China com a possibilidade de exportar mais de 400
produtos diversos à taxa zero; e
 Incentivos aduaneiros, fiscais e cambiais disponíveis param os investidores e
respectivos empreendimentos.

1.13.3.2 Economia
Ambiente económico
O ambiente económico será analisado através do seu crescimento, do comportamento da
inflação, da variação cambial e das taxas de juro do mercado.

a) Crescimento económico
Entre 2014 a economia moçambicana apesar dos efeitos da evolução em alta dos preços
internacionais, bem como do impacto da crise internacional, o crescimento do produto
interno bruto (PIB) situou-se em 7,4%. Justifica que crescimento económico, durante este
período, deveu-se, principalmente, a instalação de alguns megaprojectos.

b) Inflação

De acordo com o Banco de Moçambique (BM), o ano de 2014, tal como 2013, foi
caracterizado por uma inflação baixa e estável, o que pode demonstrar uma certa
maturidade no funcionamento do mercado interno. Após um início do ano com alguma
pressão, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) desacelerou a partir de Maio, registando
variações mensais negativas durante cinco meses consecutivos, o que conduziu a que a
inflação anual medida pelo IPC, da cidade de Maputo, se situasse em pouco mais de um
por cento em Novembro de 2014 e a taxa média em cerca de dois por cento.
A mesma tendência foi observada no comportamento do Índice Nacional de Preços no
Consumidor, que agrega as cidades de Maputo, Beira e Nampula que registou até
Novembro uma inflação homóloga de quase dois por cento e uma taxa média de
aproximadamente três por cento.
A estabilidade de preços foi justificada pela actuação conjugada de vários factores, com
destaque para o aumento da produção local e oferta de bens e serviços essenciais,
sobretudo de frutas e vegetais. Por outro lado, verificou-se a queda dos preços
internacionais das principais mercadorias que o país importa, a coordenação das políticas
monetária e fiscal visando a regulação da liquidez nos níveis adequados ao crescimento do
Produto Interno Bruto (PIB) e a relativa estabilidade do Metical face às moedas dos
principais parceiros comerciais na quase totalidade do ano. O bom desempenho do
indicador de inflação, conjugado com as boas perspectivas do mesmo em relação ao seu
comportamento futuro, permitiu ao Banco Central criar espaço para continuar a estimular a
expansão do crédito por via da redução da taxa de juro da Facilidade Permanente de
Cedência de Liquidez no Mercado Monetário Interbancário, em 75 pontos base, para os
actuais oito por cento, mantendo a taxa de juro da Facilidade Permanente de Depósitos
perto dos dois por cento, num cenário em que o coeficiente de Reserva Obrigatória
permaneceu em oito por cento ao longo do ano.

1.13.3.3 Sociedade
De um modo geral, a distribuição e a evolução demográfica da população foi um factor que
teve um impacto positivo no nível das actividades operacionais e lucratividade da empresa,
pois os produtos e serviços foram requisitados por todas partes do País. E naquele que tem
sido o cenário da taxa de evolução demográfica que ronda aos 2,7% (Relatório do Instituto
Nacional de Estatística - 2014) anualmente, cria o aumento da necessidade de consumo e
como consequência haverá um aumento na procura, e consequentemente o aumento do
nível de vendas e lucro. Esta variável não teve um impacto negativo na actividade da
TOCaixilhos, pois todas as etnias, grupos culturais, embora sejam diversificados nenhum
deles teve alguma restrição em adquirir nossos produtos e serviços, em especial as
empresas de construção civil.

1.13.3.4 Tecnologia
Sem dúvidas esta variável alavancou positivamente as actividades da entidade, com o uso
de tecnologias que o mercado dispõe, temos aqui a título de exemplo o software específico
para Caixilharia que a empresa adquiriu, e serviu como uma grande facilitador, para a
prestação de serviços e venda de produtos de qualidade a todos os níveis, possibilitando
que as operações fossem executadas em tempo útil e oportuno, quer para a empresa quer
para os clientes, deste modo uniu-se útil ao agradável, havendo assim satisfação de forma
reciproca.

1.13.4 Estratégias de gestão e técnicas de Marketing

1.13.4.1 Estudo do Mercado


Para melhorar o posicionamento no mercado, foram feitas análises no seio do mesmo, em
diversas dimensões, tendo em conta a adopção de estratégias para fazer face a
concorrência.
Este estudo permitiu que a empresa determina-se a dimensão, a estrutura e o ciclo do
mercado de simulação empresarial e a identificação de factores que contribuem para
evolução deste tanto a curto bem como a médio e longo prazo.
1.13.4.2 Análise da Concorrência

A ToCaixilhos, Lda. efectuou a análise de modo a identificar os principais concorrentes, e


desenhar um sistema eficiente e eficaz, com vista a elaborar estratégias para fazer face aos
mesmos.
Com esta pesquisa conseguimos:
 Caracterizar o perfil dos nossos concorrentes – identificamos os seus valores, a
estrutura organizacional, a estratégia bem como capacidades financeiras e
operacionais;
 Elaborar um sistema eficiente e eficaz, por forma a competir d igual modo e de
forma distinta com outras empresas;
 Determinar variáveis de posicionamento no mercado: como uma empresa líder e
com produtos e serviços de excelência.

1.13.4.3 Estratégias de Marketing

Estratégia é a produção de planos de modo que se atinja os objectivos previamente


traçados. Estratégias de Marketing referem-se a um conjunto de planos desenhados para
atingir objectivos desenhados no marketing. Uma boa estratégia de Marketing deve
integrar os objectivos, políticas, e sequências de acção (táctica) coerente da empresa. O
objectivo de uma estratégia de marketing é colocar a organização numa posição de cumprir
eficientemente a sua missão.
O Marketing nas empresas desempenha um papel fulcral, possibilita que os stackholder´s
tenham conhecimento da existência das mesmas, dos bens e serviços que elas oferecem,
tendo um impacto directo no nível de vendas e nos lucros.

1.13.4.3.1 Mix-Marketing
Produto
A ToCaixilhos, Lda. comercializa diversos artigos de caixilharia de madeira e alumínio
para construção civil e obras públicas, entre variados tipos portas, janelas e portões,
madeira de cofragem, silicone de madeira e cinzento, réguas para construção civil, escadas
e outros, de referir que todos artigos comercializados dispõem de um alto padrão de
qualidade. Também oferece serviços de montagem e manutenção dos seus produtos e
produtos da mesma natureza de outras entidades. A marca ToCaixilhos revela identidade,
fidelidade, satisfação, qualidade e excelência, pois oferece um produto único e
diversificado e cheio de vantagens para os seus consumidores.

Preço
A Tocaixilhos, Lda. encontra-se inserida num mercado de elevada concorrência, os preços
foram determinados tendo em conta a satisfação dos nossos clientes. Estabelecemos uma
relação entre os custos dos nossos inventários, a qualidade dos nossos produtos,
necessidades e capacidade financeira dos nossos clientes e o preço praticado pelos nossos
concorrentes. Os nossos clientes pagam um preço justo por produto excelente. Os nossos
preços encontram-se descriminados no anexo 11.

Praça
Localizada na rua Esquerda, n.º 6, Bairro Sommerschield, Cidade de Maputo –
Moçambique, por enquanto um único canal de distribuição é a venda directa aos clientes
em instalações próprias, No que concerne ao frete a distribuição em território nacional é
gratuita. Num futuro próximo pretendemos abrir novas sucursais nas várias capitais
provinciais do País.

Promoção
Sendo o primeiro ano de actividade, apostou – se promoções dos nossos produtos e
serviços com recurso a publicidades nas redes da internet, televisões e rádios e outdoors e
correio electrónico, de referir que boa vontade dos seus colaboradores contribui bastante
nas relações directas com o público, com vista a contenção de custos, entretanto, este
processo foi antecedido pelo envio de cartas de apresentação por correio electrónico para
potenciais clientes antecipadamente identificados a quando do estudo de mercado.
Esta estratégia, felizmente sortiu o efeito desejado, a empresa obteve clientes e efectuou
vendas consideráveis, sendo que o custo na rúbrica de publicidades e propagandas
ascendeu a 188.000,00 MT.

1.14 Análise Económico-Financeira

Descrição Formula Resultado


Análise financeira
Rácios de Liquidez
Liquidez Imediata D/PC 0,19
Liquidez reduzida (AC - I) /PC 0,67
Liquidez Geral AC/PC 1,24
Indicadores do equilíbrio financeiro
Fundo de maneio Patrimonial AC - PC 10.791.780,27
Fundo de maneio Líquido CP - AF 6.242.338,51
Necessidades de Fundo de Maneio NC - RC 3.601.094,45
Tesouraria Líquida FMF - NFM 2.641.244,06
Indicadores do ciclo de exploração
Prazo médio de recebimentos (clientes*365) /VV 141,33
Prazo médio de Pagamentos (Fornecedores*365) /Compras 282,98
Indicadores de Inventários
Prazo médio de mercadorias (Mercadorias*365) /C. inventários 421,66
Margem bruta das vendas 1-(C. inventários/VV) 0,37
Rácio de rotação de stock (Vendas/Stock) *12 10,38
Rácios de solvabilidade
Rácios de autonomia financeira CP/A 0,16
Rácios de solvabilidade geral CP/C.ALHEIOS 0,19
Cobertura de investimentos CP/IL 2,84
Cobertura de investimentos pelos
Capitais permanentes C. Permanentes/IL 4,18
Rácios de alavanca financeira e risco
Capacidade de endividamento CP/EMLP 2,12
Rácio de endividamento C. Alheios/A 0,84
Peso de endividamento C. Alheios a MLP/A 0,08
Estrutura de endividamento C. Alheios a MLP/C. Alheios 0,09
Análise económica
Rácios de Rendibilidade
Rendibilidade dos capitais próprios RL/CP 0,90
Rendibilidade das vendas RL/VV 0,21
Rendibilidade do activo RL/AL 0,71
Rendibilidade Operacional das vendas R. Operacionais/Vendas 0,31

Onde:
D – Disponibilidades
I – Inventários
A - Activo
AC – Activo circulante
AF – Activo Fixo
AL – Activo Liquido
CP – Capitais próprios
IL – Imobilizado Liquido
PC – Passivo circulante
VV – Volume de Vendas
NC – Necessidades cíclicas
MLP – Médio e Longo Prazo
RC – Recursos cíclicos
RL – Resultado Liquido
FMF – Fundo de Maneio Liquido
NFM – Necessidades Fundo de Maneio

1.14.1 Análise Financeira

1.14.1.1 Rácios Financeiros

1.14.1.1.1 Rácios de Liquidez

O rácio de Liquidez Geral da empresa acendeu á 1.24, o que é satisfatório para a


Tocaixilhos, Lda. isto significa que a empresa dispõe de meios para pagar as todas as suas
dívidas a curto prazo e ainda um remanescente para novos investimentos, onde poderão
satisfeitas recorrendo às disponibilidades, cobrança dos créditos de curto prazo e venda dos
seus inventário. A Liquidez geral refere-nos em que medida o passivo a curto prazo é
coberto por activos que se esperam vir a ser convertidos em meios financeiros líquidos
num período supostamente correspondente ao do vencimento das dívidas de curto prazo.
Em outras palavras podemos dizer que quanto maior for o rácio de liquidez geral maior é a
protecção para os credores de curto prazo.
O Rácio de Liquidez Reduzida é satisfatório, encontra-se acima de 50% o que significa que
com as suas disponibilidades, aplicações de curto prazo e as dividas por receber a empresa
consegue honrar em 67% do total dos seus compromissos.
A liquidez Imediata não é das melhores a empresa consegue apenas cobrir as dívidas de
curto prazo em 19%, isto significa que o montante em bancos e outros activos financeiros
que a empresa espera converter em liquidez é baixo. A empresa poder ter dificuldade em
pagar as dívidas se tiver baixa rotação de existências ou se houver atrasos nas cobranças
das dívidas.

1.14.1.1.2 Indicadores do equilíbrio financeiro

Fundo de Maneio Patrimonial


FMP = Activo Circulante - Débitos a curto prazo = 10.791.780,27 MT

Fundo de Maneio Liquido

FMF = Capitais Permanentes (recursos estáveis) – Activos Fixos= 6.242.338,51 MT

Necessidades de Fundo de maneio

NFM = Necessidades cíclicas – Recursos cíclicos= 3.601.094,45 MT

Tesouraria Liquida

TRL = FMF - NFM = 6.242.338,51 – 3.601.094,45 = 2.641.244,06 MT

O facto de os indicadores de liquidez não serem muitos satisfatórios não significa que a
Tocaixilhos, Lda. não esteja bem financeiramente, se efectuarmos uma análise mais
profunda conseguimos verificar que dispomos de 6.242.338,51 MT que financiam o nosso
ciclo operacional, situação muito boa significa que é uma empresa segura, mas também
precisa de 3.601.094,45 MT em seu activo de curto prazo para pagar as suas dívidas a curto
prazo, se balancearmos com a tesouraria liquida temos um excedente de 2.641.244,06 MT,
chegamos a conclusão de que o fundo de maneio está adequado as necessidades em fundo
de maneio.

1.14.1.1.3 Indicadores do ciclo de exploração

A Empresa dispõe de um ciclo de exploração sustentável o prazo médio de recebimento é


inferior ao prazo médio de pagamentos em 141 dias, tempo mais do que necessário para
cobrar aos seus clientes e para pagar as suas dívidas de curto prazo nas datas em que as
dividas vencem.

1.14.1.1.4 Indicadores de Inventários

A empresa tem mercadoria suficiente pra alimentar o mercado até 422 dias, isto não é
satisfatório, leva muito tempo para vender os seus inventários. Este rácio foi influenciado
pelas elevadas aquisições efectuadas no mês de Dezembro, havia necessidade de ter em
armazém quantidade elevada de inventários para satisfazer a elevada procura pelos nossos
clientes, bem como para salvaguardar a ruptura do stock pois o fecho do armazém do nosso
fornecedor estava agendado pra 31 de Dezembro e não retomaria as suas actividades cedo,
também referenciar que os nossos produtos não deterioram se facilmente e pra
salvaguardar o risco de perdas de inventários efectuamos um seguro multirrisco.
A empresa leva 10 meses e 11 dias para vender os seus bens. Mas é importante fazer
referência que este resultado foi influenciado pelas elevadas aquisições efectuadas no mês
de Dezembro, havia necessidade de ter em armazém quantidade elevada de inventários
para satisfazer a elevada procura pelos nossos clientes, bem como para salvaguardar a
ruptura do stock pois o fecho do armazém do nosso fornecedor estava agendado pra 31 de
Dezembro e não retomaria as suas actividades cedo.

1.14.1.1.5 Rácios de Solvabilidade

Os rácios de solvabilidade indicam a dependência financeira de 84% em relação aos seus


credores, o capital próprio consegue honrar apenas 19% dos seus passivos totais situação
não favorável a ToCaixilhos, lda., mas se analisarmos a cobertura dos investimentos,
cobertura de investimentos pelos capitais permanentes e capacidade de endividamento de
2,84, 4,18 e 2,12 chegamos a conclusão que as dívidas que a empresa tem são sustentáveis
e não prejudicam em nenhuma forma a continuidade das operações.

1.14.1.1.6 Rácios de alavanca financeira e risco


Se observamos também os indicadores peso de endividamento e a estrutura de
endividamento de 0,08 e 0,09 chegamos a conclusão de os créditos a Longo prazo não tem
um peso significativo naquilo que são as operações efectivas da empresa.

1.14.2 Análise económica

1.14.2.1 Rácios de Rendibilidade

A empresa teve um desempenho económico muito elevado tendo o seu resultado liquido
remunerado os seus capitais próprios em 90%, as vendas tiveram um peso de 21%, os
investimentos em activos fixos tiveram um peso de 71% o que mostra a alocação adequada
de recursos financeiros e materiais, o rácio de resultado operacional das vendas situou-se
em 0,31 situação satisfatória para a dimensão e a natureza do nosso negócio.
1.14.3 Demonstrações financeiras reais vs Demonstrações financeiras previsionais

A Tocaixilhos, Lda conseguiu superar as expectativas conforme se pode visualizar nos


mapas abaixo nota-se um desvio favorável de 7.188.149 MT no que concerne ao resultado
liquido.
Este desvio resultou essencialmente ao facto de ter superado ao volume de vendas previsto
em 6.892.501 MT, resulta também do desvio favorável de 5.693.973 MT do custo de
vendas, o que originou uma variação na margem bruta das vendas de 12.586.474 MT.
Quanto aos gastos com o pessoal havia se previsto um custo total de 3.000.000 MT e foram
gastos 3.328.776 MT o que originou um desvio desfavorável de 328.776 MT, no que
concerne aos demais gastos e perdas de caracter operacional a empresa teve um desvio
desfavorável de 128.232 MT. Quanto ao Rendimentos e gastos financeiros nota-se um
desvio favorável de 72.798 MT, o banco concedeu taxas de financiamento mais baixas
comparadas com a previsão feita.
No que se refere as rubricas do balanço a empresa conseguiu investir cerca de mais de
850.393 MT em activos não correntes graças ao bom desempenho que teve.
Previa ter em armazém 3.000.000 ate a data de fecho e conta actualmente com 25.768.877
MT tendo em conta a elevado procura houve necessidade ter mais stock em armazém,
resultando assim um aumento de 11.220.667 MT em dividas por receber de clientes e
5.332.558 de outros devedores, quanto as disponibilidades nota-se uma variação favorável
de 6.768.908 MT também originado pelo bom desempenho económico.
No que concerne aos capitais próprios foi registada uma variação positiva de 7.888.159
MT originada pela variação do resultado liquido.
No que concerne aos passivos correntes a uma variação de 38.257.881 MT originada pela
elevada a aquisição de mercadorias e diversos materiais e pelo aumento do IRPC pagar de
3.939.034 MT

Tabela 4 - Balanço comparativo entre o previsto e o realizado


Activos Real Previsto Variação
Activos não correntes 3.398.211 2.547.818 850.393
Activos tangíveis 2.268.885 2.047.818 221.067
Activos Intangíveis 1.129.326 500.000 629.326
Activos correntes 55.717.416 10.421.778 45.295.638
Inventários 25.768.877 3.000.000 22.768.877
Clientes 16.220.667 5.000.000 11.220.667
Outros activos financeiros 1.204.628 2.000.000 -795.372
Outros activos correntes 5.332.558 5.332.558
Caixa e Bancos 7.190.686 421.778 6.768.908
Total de Activos 59.115.627 12.969.596 46.146.031
Capital próprio e Passivos 9.640.549 1.752.400 7.888.149
Capital social 1.000.000 1.000.000
Resultado liquido do período 8.640.549 752.400 7.888.149
Total do capital próprio 9.640.549 1.752.400 7.888.149
Passivos não correntes 4.549.442 4.549.442
Empréstimos obtidos 4.549.442 4.549.442
Passivos Correntes 44.925.636 6.667.754 38.257.881
Fornecedores 37.990.347 3.510.000 34.480.347
Empréstimos Obtidos 2.813.854 2.813.854
Imposto a Pagar 4.121.434 182.400 3.939.034
Outras Contas a pagar 161.500 -161.500
Total dos passivos 49.475.077 11.217.196 38.257.881
Total do capital próprio e dos passivos 59.115.627 12.969.596 46.146.031
Tabela 5- Demonstração de resultados comparativa entre o previsto e o realizado
Descrição Real Previsto Variação
Vendas de Bens e Serviços 41.892.501 35.000.000 6.892.501
Custo dos Inventários vendidos ou consumidos -22.306.027 -28.000.000 5.693.973
Gastos com o pessoal -3.328.776 -3.000.000 -328.776
Fornecimentos e serviços de terceiros -2.643.771 -2.500.000 -143.771
Amortizações -217.976 -250.000 32.024
Outros ganhos e perdas operacionais -226.137 -200.000 -26.137
Ganhos e perdas por variação do justo valor 4.652 5.000 -348
Resultado Operacional 13.174.466 1.055.000 12.119.466
Rendimentos financeiros 11.705 15.000 -3.295
Gastos financeiros -423.907 -500.000 76.093
Resultado antes do imposto 12.762.265 570.000 12.192.265
Imposto sobre Rendimento -4.121.716 182.400 -4.304.116
Resultado Líquido do período 8.640.549 752.400 7.888.149

1.14.4 Proposta de aplicação de resultados

Para os resultados do presente exercício, por cumprimento do disposto no artigo 315 no


seu número 1 do código comercial vinte por cento dos resultados servirão para a
constituição de reservas legais.

Sendo este o primeiro ano que a empresa opera, não será efectuada nenhuma distribuição
de lucros. O remanescente será acumulado, embora pelo desempenho positivo da empresa
ao longo do exercício as provisões são animadoras, pelo que, se por ventura os resultados
em 2015 forem negativos, os resultados acumulados positivos de 2014 servirão de
almofada financeira nos capitais próprios da empresa.

Tabela 6 - Mapa da Proposta de aplicação de resultados


Rubricas % Valor
Reserva Legal 20% 1.728.110
Lucros a Acumular 80% 6.912.439
100 8.640.549
TOTAL
%
1.14.5 Perspectivas Futuras

Para os anos subsequentes o maior desafio da empresa assenta no aumento do nível de


investimento no capital humano e na tecnologia de ponta, com o objectivo de impulsionar
o nível de volume de vendas de 15 a 25 por centos, fazendo a contenção de custos, com
objectivo de aumentar a rendibilidade e melhorar a nossa posição financeira.

Neste âmbito, aspiramos construir instalações próprias o que vai proporcionar uma redução
nos custos com rendas e criar Sucursais a nível nacional e regional, este último a longo
prazo. Tudo isto tem em vista, o crescimento contínuo e pleno a todos os níveis, tendo em
conta a visão e missão da empresa, em nenhum momento queremos nos esquecer dos
valores da organização.

Pretende solidificar, a autonomia financeira, como forma de ter uma robustez económica
financeira boa.
1.14.6 Nota Final

A TOCaixilhos, Lda. agradece a todos que directa ou indirectamente contribuíram para o


sucesso da empresa no exercício económico findo, teve vários obstáculos, contratempos,
enormes dificuldades, que com ajuda de todos foi possível superar, com o espírito de
trabalho em equipa, entrega, bom relacionamento, confiança dos trabalhadores, bancos,
fornecedores, gestores, clientes, o Estado e o Público em geral, para todos a TOCaixilhos,
endereça os mais sinceros agradecimentos.

Presidente do Conselho de Administração Director Financeiro

______________________________ ____________________________

(Adérito Melembe) (Hermenegildo Saúte)


2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

2.1 Balanço

Tabela 7 – Balanço referente ao exercício 2014


Activos Notas 2014
Activos não correntes 3.398.211
Activos tangíveis 5 2.268.885
Activos Intangíveis 6 1.129.326
Activos correntes 55.717.416
Inventários 7 25.768.877
Clientes 8 16.220.667
Outros activos financeiros 9 1.204.628
Outros activos correntes 10 5.332.558
Caixa e Bancos 11 7.190.686
Total de Activos 59.115.627
Capital próprio e Passivo 9.640.549
Capital social 12 1.000.000
Resultado liquido do período 12 8.640.549
Total do capital próprio 9.640.549
Passivos não correntes 4.549.442
Empréstimos obtidos 13 4.549.442
Passivos Correntes 44.925.636
Fornecedores 14 37.990.347
Empréstimos Obtidos 13 2.813.854
Imposto a Pagar 15 4.121.434
Total dos passivos 49.475.077
Total do capital próprio e dos passivos 59.115.627

O Técnico de Contas Administração


______________________ __________________________
Para ser lido em conjunto com as notas explicativas às demonstrações financeiras.

2.2 Demonstração dos resultados por Natureza

Tabela 8 – Demonstração dos resultados por Natureza referente ao exercício 2014


Rubricas Notas 2014
Vendas de Bens e Serviços 16 41.892.501
Custo dos Inventários vendidos ou consumidos 17 -22.306.027
Gastos com o pessoal 18 -3.328.776
Fornecimentos e serviços de terceiros 19 -2.643.771
Amortizações 5 -217.976
Outros ganhos e perdas operacionais 20 -226.137
Ganhos e perdas por variação do justo valor 21 4.652
Resultado Operacional 13.174.466
Rendimentos financeiros 22 11.705
Gastos financeiros 22 -423.907
Resultado antes do imposto 12.762.265
Imposto sobre Rendimento 23 -4.121.716
Resultado Líquido do período 8.640.549

O Técnico de Contas Administração

______________________ _____________________

Para ser lido em conjunto com as notas explicativas às demonstrações financeiras


2.3 Demonstração de fluxos de caixa pelo método indirecto

Tabela 10 - Demonstração de fluxos de caixa referente ao exercício 2014

O Técnico de Contas Administração


______________________ _____________________
Para ser lido em conjunto com as notas explicativas às demonstrações financeiras
2.4 Demonstração das variações no capital próprio

Tabela 10 - Demonstração das variações no capital próprio referente ao exercício 2014

O Técnico de Contas Administração

________________________ _____________________

Para ser lido em conjunto com as notas explicativas às demonstrações financeiras


2.5 Notas explicativas as demonstrações financeiras

Identificação da Empresa
 Designação da entidade: ToCaixilhos, Lda.
 Sede: Rua Esquerda, número 6, Maputo – Moçambique
 Natureza da actividade: Comércio de Caixilharia de Alumínio e Madeira
 NUIT: 400090709
 Capital Social: 1.000.000,00 MT
 Sócios: Adérito Melembe e Hermenegildo Saúte

1. Base de Preparação
Em cumprimento do número 2 do artigo 2.º do Decreto 70/2009 de 22 de Dezembro de
2009, a TOCAIXILHOS, Lda., adoptou, desde 1 de Janeiro de 2014, o Plano Geral de
Contabilidade baseado nas Normas Internacionais de Relato Financeiro (PGC-NIRF) uma
vez que assume o estatuto de Grande Empresa, previsto no decreto.

As demonstrações financeiras que se reportam á 31 de Dezembro de 2014 foram


preparadas em conformidade com o Plano Geral de Contabilidade para Grandes e Médias
Empresas em vigor em Moçambique, baseado nas Normas Internacionais de Relato
Financeiro (PGC-NIRF) e na base do custo histórico, excepto os Activos e Passivos
Financeiros (incluindo instrumentos derivados) que são estruturados pelo justo valor ou
pelo custo amortizado. As demonstrações Financeiras foram igualmente preparadas com
base nos princípios do acréscimo e da continuidade.

Na preparação destas demonstrações financeiras, tomando em consideração que foi o 1º


ano de exercício de actividade, não foi derrogada qualquer disposição do PGC-NIRF e não
existem situações que afectem a comparabilidade das diversas rubricas contabilísticas.

Note-se, no entanto, que a preparação das demonstrações financeiras em conformidade


com o PGC-NIRF exige que o Conselho de Administração formalize julgamentos,
estimativas e pressupostos, que afectam a aplicação das políticas contabilísticas e
mensuração dos activos, passivos, rendimentos e gastos. As estimativas e pressupostos
associados são baseados na experiência histórica e outros factores considerados razoáveis
de acordo com as circunstâncias e formam a base para os julgamentos sobre os valores dos
activos e passivos cuja valorização não é evidente através de outras fontes. Os resultados
reais podem diferir das estimativas. As questões que requerem um maior índice de
julgamento ou complexidade, ou para os quais os pressupostos e estimativas são
considerados significativos, são apresentados na nota 3.

Assim, estas demonstrações financeiras reflectem o resultado das operações e a posição


financeira da TOCAIXILHOS, Lda., com referência a 31 de Dezembro de 2014, sendo
apresentadas em Meticais, arredondados ao Metical mais próximo.

As presentes Demonstrações financeiras foram aprovadas pelo Conselho de Administração


em reunião ocorrida em 16 de Janeiro de 2015 e serão sujeitas à aprovação da Assembleia
Geral dos sócios agendada para o dia 15 de Fevereiro de 2015.

2. Principais políticas contabilísticas

a) Transacções em moeda estrangeira


As demonstrações financeiras são apresentadas em Meticais, que constitui a moeda
funcional e de apresentação utilizada pela TOCAIXILHOS, Lda. nas transacções e
demonstrações financeiras.

As transacções em moeda estrangeira são convertidas à taxa de câmbio em vigor na data da


transacção. Os activos e passivos monetários expressos em moeda estrangeira são
convertidos para Meticais à taxa de câmbio em vigor na data de balanço. As diferenças
cambiais resultantes desta conversão são reconhecidas em resultados.

Os activos e passivos não monetários ao custo histórico, expressos em moeda estrangeira,


são convertidos à taxa de câmbio da data da transacção

b) Activos tangíveis
O custo dos activos tangíveis inclui todos os custos directamente atribuíveis incorridos
para a sua aquisição até as instalações, no sentido de colocar os activos na localização e
condição necessárias para os mesmos serem capazes de funcionar em plenitude.
Os custos subsequentes são reconhecidos como um activo separado apenas se for provável
que deles resultarão benefícios económicos futuros para a ToCaixilhos, Lda. As despesas
de manutenção e reparação e outras despesas associadas ao seu uso, são reconhecidas nos
resultados do período em que foram incorridas.

As amortizações do período são calculadas com base no método de quotas constantes ao


longo da sua vida útil estimada, a qual corresponde ao período em que se espera que o
activo esteja disponível para o uso. Os valores residuais e métodos de amortização são
revistos numa base anual sendo o efeito de qualquer alteração na estimativa contabilizada e
quantificada, utilizando-se, assim as taxas anuais extraídas do Decreto n.º 72/2013 de 23 de
Dezembro

Tabela 11 - Mapa da vida útil do Imobilizado


Vida Útil
Rubricas Taxa anual
(anos)
Equipamento básico 5 20%
Mobiliário e equipamento administrativo social 10 - 25%
Equipamento de transporte 4 25%
Ferramentas e utensílios 4 25%
Outras imobilizações corpóreas 10 10%
Activos Intangíveis 3 33,33%

Um item do activo tangível deixa de ser reconhecido aquando da sua alienação ou, quando
não se esperam benefícios económicos futuros decorrentes da sua utilização ou alienação.
Qualquer ganho ou perda decorrente da anulação do reconhecimento do activo (calculado
como a diferença entre o rendimento da venda e a quantia escriturada do activo) é
reconhecido em resultados no período da anulação do seu reconhecimento.

O Activo começa a ser amortizado a partir do momento em que se econtra esteja disponível
para o uso. A depreciação do activo termina na data em que o activo for classificado como
detido para a venda, de acordo com a IFRS 5 ou na data em que o activo é desreconhecido.
A amortização não termina quando os activos encontram-se ociosos.
c) Activos intangíveis
Os activos intangíveis da TOCAIXILHOS, Lda. no decurso da sua actividade, são
registados ao custo de aquisição, deduzido de amortizações e perdas por imparidade
acumuladas.

A TOCAIXILHOS, Lda procede a testes de imparidade sempre que eventos ou


circunstâncias indiciam que o valor contabilístico excede o valor recuperável, sendo a
diferença, caso exista, reconhecida em resultados. O valor recuperável é determinado como
o mais elevado, entre o seu preço de venda líquido e o seu valor de uso, sendo este
calculado com base no valor actual dos fluxos de caixa futuros estimados, que se esperam
vir a obter através do uso continuado do activo e da sua alienação no fim da sua vida útil.

d) Locações
A determinação se um contrato é ou contém uma locação baseia-se na substância do
contrato, atentando à determinação de qual a entidade que retém substancialmente os riscos
e vantagens inerentes à propriedade do bem locado.

Nas locações financeiras, que transferem substancialmente para a TOCAIXILHOS, Lda.


todos os riscos e vantagens decorrentes da detenção do activo em causa, o custo do activo é
registado como um activo tangível, e a correspondente responsabilidade é registada no
passivo. A depreciação do activo é calculada conforme descrito na nota 3 (b) e registada
como gasto na demonstração de resultados dentro do período a que respeita.
As rendas são constituídas pelo encargo financeiro e pela amortização financeira do capital
(tal como inicialmente reconhecido como passivo). Os encargos financeiros são suportados
nos exercícios a que se referem.
Nas locações operacionais, as rendas são reconhecidas como gasto numa base linear
durante o período da locação.

e) Inventários
Os inventários são valorizados ao menor valor entre o seu custo de aquisição e o valor
realizável líquido. O custo dos inventários inclui custos de aquisição, custos com impostos
não dedutíveis, e outros custos incorridos para colocar os inventários no local e na sua
condição actual. O custeio das saídas (consumos) é efectuado através do custo médio
ponderado.
Os ajustamentos ao valor realizável líquido são avaliados numa base anual e, caso se
constate a necessidade de proceder ao seu reconhecimento, são registados como uma
dedução ao activo, por contrapartida dos resultados do exercício.

f) Custo dos empréstimos obtidos


Os custos dos empréstimos obtidos que são directamente atribuíveis à aquisição,
construção ou produção de um activo elegível, fazem parte do custo do activo. Esses custos
são capitalizados como parte do custo do activo quando é provável que resultem em
benefícios económicos futuros para a TOCAIXILHOS, Lda., e possam ser mensurados
com fiabilidade.

g) Activos financeiros
A classificação dos activos financeiros no seu reconhecimento inicial depende do objectivo
para o qual o instrumento foi adquirido bem como das suas características, considerando as
seguintes categorias:

Activos financeiros ao justo valor através dos resultados

A categoria de activos financeiros ao justo valor através dos resultados inclui, activos
financeiros detidos para negociação, adquiridos com o objectivo principal de serem
transaccionados no curto prazo e, outros activos financeiros ao justo valor por via dos
resultados.

Activos financeiros disponíveis para venda

Os activos financeiros disponíveis para venda, são activos financeiros não derivados
detidos com a intenção de os manter por tempo indeterminado, ou são designados para
venda no momento do seu reconhecimento inicial.

Activos financeiros detidos até à maturidade

Considera-se activos detidos até à maturidade, a categoria de activos financeiros não


derivados com pagamentos fixos e determináveis e maturidades fixadas, tendo a
TOCAIXILHOS, Lda., a intenção de os deter até à maturidade.
Empréstimos e contas a receber

Classifica-se como empréstimos e contas a receber os activos financeiros não derivados,


com pagamentos fixos ou determináveis, que não estão cotados num mercado activo.
Os activos financeiros são reconhecidos no balanço da TOCAIXILHOS, Lda. na data de
contratação, pelo respectivo justo valor acrescido dos custos de transacção directamente
atribuíveis, excepto para activos e passivos ao justo valor através dos resultados, em que os
custos de transacção são imediatamente reconhecidos em resultados.
Entende-se por justo valor o montante pelo qual um activo ou passivo pode ser transferido
ou liquidado, entre partes independentes, informadas e interessadas na concretização da
transacção, em condições normais de mercado. O justo valor de um instrumento financeiro
no reconhecimento inicial, é geralmente o preço da transacção.
O justo valor é determinado com base em preços de um mercado activo, ou em métodos de
avaliação no caso de inexistência de tal mercado activo. Um mercado é considerado activo
se ocorrerem transacções de forma regular.

A TOCAIXILHOS, Lda., avalia, à data de cada balanço, se existe evidência objectiva de


que um activo financeiro ou grupo de activos financeiros está em imparidade. Considera-se
que um activo financeiro está em imparidade se, e apenas se, existir evidência objectiva de
perda de valor em resultado de um ou mais acontecimentos que tenham ocorrido após o
reconhecimento inicial do activo, e desde que tais acontecimentos tenham um impacto
sobre os fluxos de caixa futuros estimados dos activos financeiros. A evidência de
imparidade pode incluir indicações de que o devedor ou um grupo de devedores está em
dificuldades financeiras, incumprimento ou mora na liquidação de capital ou juros, a
probabilidade de entrarem em falência ou em reorganização financeira e, sempre que esteja
disponível informação que indique um decréscimo de valor dos fluxos de caixa futuros.

h) Passivos financeiros
Passivos financeiros ao justo valor através dos resultados

Os passivos financeiros ao justo valor por via dos resultados incluem, os passivos
financeiros detidos para negociação e outros passivos financeiros ao justo valor através dos
resultados, reconhecidos no momento inicial.
Empréstimos obtidos e contas a pagar

Classificamos nesta categoria de passivos financeiros os restantes passivos financeiros.

Reconhecimento inicial, mensuração e anulação do reconhecimento


Um instrumento é classificado como passivo financeiro, quando existe uma obrigação
contratual da sua liquidação ser efectuada mediante a entrega de dinheiro ou de outro
activo financeiro, independentemente da sua forma legal.

Os passivos financeiros são inicialmente reconhecidos ao seu justo valor adicionado dos
custos de transacção, à excepção da categoria dos passivos financeiros ao justo valor
através dos resultados, sendo os custos de transacção reconhecidos em resultados.

A anulação do passivo financeiro ocorre quando as obrigações contratuais do passivo


financeiro expiram.

Quando um passivo financeiro é substituído por outro do mesmo credor, em condições


substancialmente diferentes, ou quando os termos do passivo existente são
substancialmente diferentes, essa troca ou alteração é tratada como uma anulação do
reconhecimento do passivo original e é reconhecido um novo passivo, sendo a diferença
dos valores registada em resultados.

Mensuração subsequente

Após o reconhecimento inicial, os passivos financeiros ao justo valor através dos


resultados, são reconhecidos ao justo valor, sendo as suas variações reconhecidas em
resultados.

Os empréstimos e contas a pagar, após o reconhecimento inicial são mensurados ao custo


amortizado, através do método da taxa de juro efectiva. Ganhos e perdas são reconhecidos
em resultados aquando da anulação do reconhecimento, assim como os decorrentes da
aplicação do método do juro efectivo.

i) Reconhecimento do rédito

O rédito relativo a vendas e prestações de serviços em geral são reconhecidos com a sua
realização, de acordo com o princípio do acréscimo. Os rendimentos financeiros
relacionados com a mora no pagamento por parte dos clientes são reconhecidos quando há
significativa evidência da sua cobrabilidade.

j) Reconhecimento de gastos e rendimentos

A TOCAIXILHOS, Lda., regista os seus gastos e rendimentos de acordo com o princípio


da especialização de exercícios pelo qual estes elementos são reconhecidos na data da
transacção que os origina, independentemente do respectivo pagamento ou recebimento.
As diferenças entre os montantes recebidos e pagos e as correspondentes receitas e
despesas geradas são registadas nas rubricas de “Outros activos correntes” ou “Outros
passivos correntes”, consoante a natureza da diferença.

k) Ajustamentos de contas de activo


Quando se considerar que os Activos a seguir identificados estão registados por uma
quantia superior ao valor que se espera recuperar, tais Activos devem ser reduzidos através
dos correspondentes ajustamentos:

Créditos de cobrança duvidosa

Quando houver expectativas de que os créditos não serão recebidos, deve ser reconhecido
um ajustamento correspondente ao respectivo risco de incobrabilidade.

Obsolescência ou desvalorização de inventários

Quando se verifique a desvalorização de inventários ou estes possam ser considerados


obsoletos ou, tiverem sofrido deterioração física, a diferença entre o preço de venda e a
quantia registada deve ser reconhecida como um ajustamento para o valor realizável
líquido.
Investimentos financeiros

Quando se verifique que a quantia registada relativamente a cada investimento tem um


valor inferior ao valor de mercado, a diferença deverá ser compensada através do
respectivo ajustamento.

l) Imposto sobre o rendimento


Imposto corrente

O imposto corrente, activo ou passivo, é estimado com base no valor que se espera
recuperar ou pagar às autoridades fiscais. A taxa legal de imposto usado para calcular o
montante acima, é a que se encontra em vigor à data de balanço.

O imposto corrente é calculado com base no lucro tributável do exercício, o qual difere do
resultado contabilístico devido aos ajustamentos à matéria colectável, resultantes de gastos
ou rendimentos não relevantes para efeitos fiscais, ou que apenas serão considerados
noutros períodos contabilísticos, em conformidade com a legislação fiscal vigente.

Impostos diferidos

Os impostos diferidos activos e passivos correspondem ao valor do imposto a recuperar e a


pagar em períodos futuros, resultante de diferenças temporárias entre o valor de um activo
ou passivo no balanço e a sua base de tributação. Os prejuízos fiscais reportáveis assim
como os benefícios fiscais, dão também origem a impostos diferidos activos.

Os impostos diferidos activos são reconhecidos até ao montante em que seja provável a
existência de lucros tributáveis futuros contra os quais possam ser deduzidos os impostos
diferidos activos.

Os impostos diferidos são calculados com base nas taxas fiscais decretadas para o período
em que se prevê que seja realizado o respectivo activo ou passivo.

Os impostos sobre o rendimento (correntes ou diferidos) são reflectidos nos resultados do


exercício, excepto nos casos em que as transacções que os originaram tenham sido
reflectidas noutras rubricas de capitais próprios. Nestas situações, o correspondente
imposto é igualmente reflectido por contrapartida de capitais próprios, não afectando o
resultado do exercício.

3. Principais julgamentos, estimativas e pressupostos contabilísticos

A preparação das demonstrações financeiras da TOCAIXILHOS, Lda., exige que a


Administração efectue julgamentos, estimativas e premissas no âmbito da tomada de
decisão sobre alguns tratamentos contabilísticos, com impactos nos valores reportados no
total de activo, passivo, capital próprio, gastos e rendimentos. Os efeitos reais podem
diferir das estimativas e julgamentos efectuados, nomeadamente no que concerne ao efeito
dos custos e proveitos reais.

O PGC-NIRF estabelece um conjunto de políticas contabilísticas que requerem que a


Administração efectue julgamentos e realize estimativas. As principais estimativas
contabilísticas utilizadas pela TOCAIXILHOS, Lda., são analisadas como segue:

Imparidade de contas a receber

A TOCAIXILHOS, Lda., reavalia periodicamente as evidências de imparidade de forma a


aferir da necessidade de reconhecer perdas por imparidade adicionais. Para a determinação
do nível de perda potencial, são usadas estimativas da Administração nos cálculos dos
montantes relacionados com os fluxos de caixa futuros. Tais estimativas são baseadas em
pressupostos de diversos factores, podendo os resultados efectivos alterar no futuro,
resultando em alterações dos montantes constituídos para fazer face a perdas efectivas.

Adicionalmente, à análise de imparidade individual, a TOCAIXILHOS, Lda efectua uma


análise de imparidade colectiva das contas a receber para fazer face a situações de perda de
valor que, embora não especificamente identificáveis, incorporam um grande risco de
incumprimento face à situação inicial, no momento em que foram reconhecidos.

A TOCAIXILHOS, Lda., considera que a imparidade determinada com base na


metodologia apresentada permite reflectir de forma adequada o risco associado à sua
carteira de clientes.

Vidas úteis dos activos tangíveis e intangíveis e respectivos valores residuais

A TOCAIXILHOS, Lda., reavalia continuamente as suas estimativas sobre a vida útil dos
activos tangíveis e intangíveis e seus valores residuais, caso aplicável. As estimativas de
vida útil remanescente são baseadas na experiência, estado e condição de funcionamento
do activo. Caso se entenda necessário, estas estimativas são sustentadas em pareceres
técnicos emitidos por peritos independentes.

Imparidade de activos tangíveis e intangíveis

Os activos tangíveis e intangíveis são revistos para efeitos de imparidade, sempre que
existam factos ou circunstâncias que indicam que a sua quantia registada excede a
recuperável.

Considerando as incertezas quanto à quantia recuperável destes activos de longo prazo,


pelo facto das análises se basearem na melhor informação à data, as alterações de
pressupostos podem resultar em impactos na determinação do nível de imparidade e,
consequentemente, nos resultados da TOCAIXILHOS, Lda.

Ajustamentos para o valor realizável líquido

Os inventários são revistos para efeitos de ajustamento para o valor realizável líquido
sempre que existam factos ou circunstâncias que indicam que a sua quantia registada
excede a recuperável.

Provisões para litígios judiciais

As provisões constituídas para fazer face a perdas prováveis em processos judiciais em que
a TOCAIXILHOS, Lda., é parte interessada são constituídas atendendo à expectativa de
perda da Administração, sustentada na informação prestada pelos seus assessores jurídicos,
sendo objecto de revisão anual.

Impostos

Os impostos sobre o rendimento (correntes e diferidos) são determinados pela


TOCAIXILHOS, Lda., com base nas regras definidas pelo enquadramento fiscal. No
entanto, em algumas situações, a legislação fiscal não é suficientemente clara e objectiva e
poderá dar origem a diferentes interpretações. Nestes casos, os valores registados resultam
do melhor entendimento da TOCAIXILHOS, Lda., sobre o adequado enquadramento das
suas operações, o qual é susceptível de poder vir a ser questionado pelas Autoridades
Fiscais.
Por um lado, as Autoridades Fiscais dispõem da faculdade de rever a posição financeira da
TOCAIXILHOS, Lda., durante um período de 5 anos, podendo dai resultar eventuais
correcções, devido a diferentes interpretações e/ou incumprimento da legislação fiscal,
nomeadamente em sede de IRPC e IVA.

A Administração acredita que a TOCAIXILHOS, Lda., têm vindo a cumprir as obrigações


fiscais a que se encontram sujeitas, pelo que, não se espera, que eventuais correcções às
respectivas matérias colectáveis declaradas, decorrentes destas revisões, venham a ter
impactos significativos nas demonstrações financeiras.

4. Alterações de políticas contabilísticas, de estimativas e erros

Nos exercícios findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012, não ocorreram quaisquer


alterações de políticas contabilísticas que produzam efeito na comparabilidade desses
exercícios.

De igual forma, não ocorreram alterações significativas de estimativas, nem foram


detectados erros que motivem ré expressão das quantias comparativas.

As excepções à adopção retrospectiva das políticas contabilísticas determinadas pelo PGC-


NIRF são detalhadas na nota 5.
5. Activos tangíveis

O movimento ocorrido nos activos tangíveis é analisado como segue:


Tabela 12 – Mapa de Activos Tangíveis
Rubricas Aumentos Abates 31/12/2014
Custo de Aquisição
Equipamento Básico 486.317 486.317
Mobil./Equipamento Admin. Social 590.686 29.250 561.436
Equipamento de Transporte 1.392.672 1.392.672
Ferramentas e utensílios 27.035 27.035
Outros Activos Tangíveis 19.400 19.400
2.516.111 29.250 2.486.861
Depreciações Reversões do
31/12/2014
de exercício exercício
Depreciação acumulada
Equipamento Básico 48.632 48.632
Mobil./Equipamento Admin. Social 47.115 3.047 44.069
Equipamento de Transporte 122.131 122.131
Ferramentas e utensílios 1.690 1.690
Outros Activos Tangíveis 1.455 1.455
221.023 3.047 217.976
Activo Liquido 2.268.885

6. Activos Intangíveis
Tabela 13 – Mapa de Activos Intangíveis
A rubrica de activos intangíveis é composta por propriedades industriais num montante de
1.129.326 meticais.
Rubricas Aumentos Abates 31/12/2014
Custo de Aquisição
Propriedade Industrial e outros direitos 1.129.326 1.129.326
Depreciações Reversões
31/12/2014
do exercício do exercício
Depreciação acumulada
Valor Liquido 1.129.326

7. Inventários

A rubrica de inventários apresenta-se como segue:


8. Clientes

A rubrica de clientes detalha-se conforme se segue:


31/dez/14
Clientes C/C
SE Aprovisionamento 12.699.168
Clientes Diversos 3.521.499
16.220.667

Em 31 de Dezembro de 2014, não foram registados movimentos nas perdas por imparidade
das contas a receber de clientes.

9. Outros activos financeiros

Os outros activos financeiros incluem os seguintes saldos:


10. Outros activos correntes

A rubrica outros activos correntes detalha-se conforme segue:

Outros activos correntes 31/12/2014


Estado
Iva a Recuperar 4.579.941
Sub total 4.579.941
Acréscimos e diferimentos
Acréscimos de gastos 707.815
Acréscimos de rendimentos 8.250
Gastos diferidos 36.553
Sub Total 752.618
Total 5.332.558

11. Caixa e bancos

A Caixa e bancos apresentam-se como segue:

BANCOS 31/12/2014
Depósitos a ordem
Banco Online 1.690.686
Depósitos a prazo
Banco Online 5.500.000
Sub total 7.190.686

12. Capital próprio

O capital social da TOCAIXILHOS, Lda., encontra-se integralmente subscrito e realizado,


e corresponde à soma das seguintes quotas:

a) Capital social e participações sociais


O capital social encontra-se totalmente subscrito e realizado. As participações sociais, na
data do balanço, estavam conforme segue:
b) Aspectos legais
De acordo com o código comercial, a empresa deve reter parte dos seus lucros a título de
reserva legal até que perfaça pelo menos 20% do seu capital social. Esta reserva não é
distribuível, e só serve para cobrir prejuízos depois de esgotadas todas as outras reservas.

13. Empréstimos obtidos

Os empréstimos bancários podem ser analisados como segue:

Passivo corrente Capital Juro 31-dez-14


Empréstimo de Médio e Longo Prazo 1.500.000 416.250 1.916.250
Locação financeira 804.025 93.580 897.604
Sub total 2.304.025 509.830 2.813.854
Passivo não corrente
Empréstimo de Médio e Longo Prazo 3.750.000 450.000 4.200.000
Locação financeira 271.415 78.027 349.442
Sub total 4.021.415 528.027 4.549.442
Total 7.363.296

14. Fornecedores

A rubrica de fornecedores é composta pelas dívidas para com as seguintes entidades:

15. Impostos a pagar


A rubrica impostos a pagar detalha-se conforme segue:

31-dez-14
Imposto retido na fonte -281
Estimativa do Imposto 4.121.716
4.121.434

16. Venda de bens e de serviços

Durante o período em análise, a empresa prestou serviços no montante de 41.892.501:


17. Custo dos inventários vendidos ou consumidos

O custo dos inventários vendidos ou consumidos apresenta-se como segue:

18. Gastos com pessoal

Esta rubrica apresenta-se como segue:


19. Fornecimentos e serviços de terceiros

Os fornecimentos e serviços de terceiros apresentam-se como segue:

20. Outros ganhos e perdas operacionais

Os outros ganhos e perdas operacionais apresentam-se como se segue:


21. Ganhos e perdas por variação do justo valor:

Os Ganhos e perdas por variação do justo valor apresentam-se como se segue:

31-dez-14
Ganhos Por aumento do justo valor 14.773
Perdas Por redução do justo valor -10.121
Ganhos e perdas pela variação do justo valor 4.652 22. Rendiment
os e Gastos financeiros

Os rendimentos e gastos financeiros analisam-se como segue:

23. Imposto sobre Rendimento

A empresa está sujeita à tributação em sede do imposto sobre o rendimento das pessoas
colectivas (IRPC). O cálculo do imposto corrente e diferido do exercício de 2014 foi
apurado pela empresa com base numa taxa liberatória de 32% de acordo com a Lei nº
34/2007, de 31 de Dezembro.
V
Rubricas alor
Resultado antes do imposto 12.762.265
Correcções fiscais 118.096
Matéria Colectável 12.880.361
Taxa de Imposto 32%
Imposto apurado com base na taxa de imposto 4.121.716

24. Acontecimentos após a data de balanço

Após a data do balanço e até à data em que as demonstrações financeiras foram autorizadas
para emissão, não se verificaram eventos favoráveis ou desfavoráveis para a Empresa que
afectem as presentes demonstrações financeiras ou que requeiram divulgação nas mesmas.

O Técnico de Contas

________________________________

Administração

________________________________
3. PROCESSO RELATIVO AO CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES
LEGAIS E ELEMENTOS DE CONTINUIDADE

3.1 Declaração do técnico de Contas

DECLARAÇÃO
Pedro Fonseca da Cunha Gomes, casado, contabilista, natural de Maputo, Concelho
Municipal de Maputo, onde reside, portador do bilhete de identidade n° 110100114567B,
emitido ao vinte e nove de Junho de dois mil e onze, pela Direcção Nacional de
Identificação da Cidade de Maputo, com N.U.I.T. 110100456, declara por sua honra que
está autorizado pela OCAM a exercer a actividade de Técnico de Contas, conforme
Licença nº 4535/2014, sendo responsável pela custódia da escrita da empresa ToCaixilhos,
Lda., e que os elementos constantes nos Modelos 20 e M/22 estão em conformidade com
os livros de escrita correspondente e escritos em língua portuguesa.

Maputo, ao 25 de Março de 2015

O Técnico Oficial de Contas

___________________________________

Pedro Fonseca da Cunha Gomes


3.2 Relatório do auditor independente

Declaração de responsabilidade do conselho de gerência


A responsabilidade pela preparação de demonstrações financeiras que apresentem de forma
verdadeira e apropriada a posição financeira da Empresa, os resultados das suas operações
e os seus fluxos de caixa, em conformidade com os princípios de contabilidade geralmente
aceites, aplicados de forma consistente entre os exercícios, bem como a adopção de
políticas e critérios contabilísticos adequados é da administração da ToCaixilhos, Lda.

As demonstrações financeiras foram auditadas pelos auditores independentes, ERNST &


YOUNG, LDA., aos quais foram disponibilizados todos os registos contabilísticos da
empresa e respectiva documentação suporte assim como todos os contratos, acordos, actas
e a correspondência relevante. A opinião dos referidos auditores independentes está
apresentada nas páginas 2 e 3.

As demonstrações financeiras para o ano findo a 31 de Dezembro de 2014 foram


preparadas de acordo com o Plano Geral de Contabilidade para as pequenas e médias
empresas (PGC-NIRF). O pressuposto de continuidade das operações foi tomado em
consideração na preparação das referidas demonstrações financeiras. Com base em
previsões e recursos financeiros disponíveis, a administração não tem conhecimento de
qualquer razão que possa por em causa a continuidade da empresa num futuro previsível.

A administração é igualmente responsável pela manutenção de um sistema de controlo


interno apropriado. Este é concebido para assegurar uma razoável mas não absoluta certeza
sobre a fiabilidade das demonstrações financeiras e para salvaguardar adequadamente os
activos da empresa. Os controlos internos são monitorados pela administração e pelos
empregados da empresa com a necessária segregação de autoridade e funções.
Procedimentos estão implementados para monitorar os controlos internos, identificar
fraquezas materiais e implementar as adequadas acções correctivas.

As demonstrações financeiras foram aprovadas pelo Conselho de Gerência da empresa e


assinadas pelos seus representantes:

Aos Sócios da ToCaixilhos, LDA.


Auditámos as demonstrações financeiras anexas da TÓCAIXILHOS, LDA, que
compreendem o Balanço relativo a 31 de Dezembro de 2014 (que evidencia um total de
activo de 59.419.280 Meticais e um total de capital próprio de 9.640.549 Meticais,
incluindo um resultado líquido positivo de 8.640.549 Meticais, a Demonstração dos
resultados, a Demonstração de alterações no capital próprio e a Demonstração dos fluxos
de caixa referentes ao ano então findo, bem como um resumo das políticas contabilísticas
significativas e outras notas explicativas.

Responsabilidades da Administração pelas demonstrações financeiras

A Administração é responsável pela preparação e apresentação apropriada destas


demonstrações financeiras de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites
em Moçambique, tal como disposto no Plano Geral de Contabilidade baseado nas Normas
Internacionais de Relato Financeiro. Esta responsabilidade inclui ainda a concepção,
implementação e manutenção do controlo interno relevante para a apresentação apropriada
de demonstrações financeiras que estejam isentas de distorções materiais, quer devidas a
fraude ou a erro.

Responsabilidades do auditor

A nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre estas demonstrações


financeiras baseada na nossa auditoria. Conduzimos a nossa auditoria de acordo com as
Normas Internacionais de Auditoria. Estas normas exigem que cumpramos requisitos
éticos e planeemos e executemos a auditoria a fim de obter segurança razoável sobre se as
demonstrações financeiras estão isentas de distorção material.

Uma auditoria envolve a execução de procedimentos para obter prova de auditoria sobre as
quantias e divulgações das demonstrações financeiras. Os procedimentos seleccionados
dependem do julgamento profissional do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de
distorção material das demonstrações financeiras, quer devido a fraude quer a erro. Ao
fazer essas avaliações de risco, o auditor considera o controlo interno relevante para a
preparação e apresentação apropriada das demonstrações financeiras pela entidade a fim de
conceber procedimentos de auditoria que sejam apropriados nas circunstâncias, mas não
com a finalidade de expressar uma opinião sobre a eficácia do controlo interno da entidade.
Uma auditoria também inclui a avaliação da adequação das políticas usadas e da
razoabilidade das estimativas contabilísticas feitas pela Administração, bem como a
avaliação da apresentação global das demonstrações financeiras.

Entendemos que a prova de auditoria que obtivemos é suficiente e apropriada para


proporcionar uma base para a nossa opinião de auditoria.

Opinião
Em nossa opinião, as referidas demonstrações financeiras apresentam de forma verdadeira
e apropriada, em todos os aspectos materialmente relevantes, a posição financeira da
TÓCAIXILHOS, LDA, em 31 de Dezembro de 2014 e o seu desempenho financeiro e os
seus fluxos de caixa no exercício findo naquela data, em conformidade com os princípios
contabilísticos geralmente aceites em Moçambique, tal como disposto no Plano Geral de
Contabilidade baseado nas Normas Internacionais de Relato Financeiro.

Maputo, 31 de Março de 2015

ERNST & YOUNG, LDA.

___________________________

Partner
3.3 Relatório e parecer do Fiscal Único

Nos termos legais e estatuários, vem o Conselho Fiscal da ToCaixilhos, Lda., apresentar o
relatório sobre a sua acção fiscalizadora e dar parecer sobe o relatório, contas e propostas
apresentadas pela administração, em relação ao exercício findo em 31 de Dezembro de
2014.

 Procedemos à fiscalização dos actos da Administração, através de reuniões e


consultas de actas, e dos elementos de contabilidade e das informações e
esclarecimentos obtidos da mesma e dos serviços,
 À verificação da observância da lei e do cumprimento do contrato da Sociedade;
 À verificação periódica, com profundidade e extensão consideradas adequadas nas
circunstâncias, da actividade e dos negócios da sociedade, documentos,
regularidade dos registos e dos livros de escrituração, bem como a existência dos
principais activos.
 À avaliação sobre se as políticas contabilísticas e critérios de
valorimetria/mensuração adoptados pela sociedade estão de acordo com os
princípios contabilísticos geralmente aceites em Moçambique, e conduzem a uma
correcta avaliação do património e dos resultados;
 À avaliação da eficácia do sistema de controlo interno implementado pela
administração.
 A fiscalização do processo de preparação e divulgação da informação financeira;
 A verificação da exactidão do Balanço, da Demonstração dos resultados por
naturezas, da Demonstração das alterações do Capital Próprio, da Demonstração
dos Fluxos de Caixa do exercício, e do respectivo anexo;
 A apreciação do relatório de Gestão emitido pela Administração, e da proposta de
aplicação dos resultados nele inserta.
A acção fiscalizadora desenvolvida permite-nos concluir que:
 Os actos da Administração do nosso conhecimento salvaguardam o cumprimento
da lei e do contrato de sociedade;
 A actuação do sistema do controlo interno implementado pela Administração
afigura-se-nos adequada e eficaz no controlo dos riscos a que a sociedade está
exposta.
 A contabilidade e as contas satisfazem as disposições legais, estatuárias e
regulamentares aplicáveis, e tendo em atenção o expresso na ênfase da Certificação
Legal das Contas, reflectem a actividade desenvolvida e conduzem a uma correcta
avaliação do património e dos resultados da sociedade.
 O Relatório de Gestão é concordante com as contas apresentadas e expõe com
fidelidade a evolução da actividade e dos negócios do exercício;
 A proposta de aplicação de resultados é adequada e encontra-se devidamente
fundamentada.
Nesta conformidade e convictos de que o relatório de gestão, balanço, demonstração de
resultados e demais documentos de prestação de contas estão elaborados segundo as
disposições legais e reflectem a situação patrimonial e a actividade desenvolvida na
Sociedade, tendo em conta as acções levadas a cabo, somos de parecer de que:
1 – Aprovem o Relatório de Gestão e as contas do exercício 2014 apresentados pelo
Conselho de Administração.
2 – Aprovem a proposta de aplicação de resultados contida no Relatório de Gestão.
3 - Sendo o primeiro ano de actividade foram aprovados por unanimidade que os
Resultados do Exercício de 2014 (Lucro de 8.640.549,29 MT – Oito milhões, seiscentos e
quarenta mil, quinhentos e quarenta e nove meticais e vinte e nove centavos), oitenta por
cento fossem transitados para o ano seguinte.

Maputo, 25 de Março de 2015

O CONSELHO FISCAL

________________________________

Baptista Sitoe
3.4 Convocatória da Assembleia Geral

Convocatória

Em conformidade com as disposições legais aplicáveis e os estatutos da ToCaixilhos, Lda.,


convoca todos os sócios para se reunirem em Assembleia Geral, que terá lugar na sede da
mesma, sita na Rua Esquerda, n.º 6, Bairro Sommerschield, Cidade de Maputo, pelas 10
horas no dia 01 de Abril de 2015, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

1 – Apresentação e aprovação do relatório de gestão, demonstrações financeiras e


respectivos anexos do exercício de 2014;

2 – Discussão e deliberação sobre a proposta de aplicação de resultado do período;

3 – Diversos.

Maputo, 15 de Março de 2015

O presidente da mesa da Assembleia Geral

____________________________________

Hermenegildo Saúte
3.5 Acta da Assembleia Geral

Aos um de Abril de 2015, reunida na sua sede social a Assembleia Geral extraordinária da
sociedade comercial por quotas, “ToCaixilhos, Lda.”, com sede na cidade de Maputo, rua
Esquerda, n.º 6, com o capital social de 1.000.000,00MT (um milhão de meticais) que se
encontra distribuído pelos sócios Aderito Melembe e Hermenegildo Saúte, cada um titular
de uma quota no valor nominal de 500.000,00Mt (Quinhentos mil
Meticais)..........................
A presidência da Assembleia coube ao Hermenegildo Saúte, eleito no acto. A ordem de
trabalhos constante da convocatória é a seguinte:
a) Aprovação das Demonstrações Financeiras da sociedade inerentes ao exercício
findo a 31 de Dezembro de 2014 e do respectivo relatório da administração;
b) Distribuição de Lucros e constituição das reservas;
c) Passou-se de imediato à discussão e votação da alínea a) da ordem de trabalhos,
tendo sido dada a palavra aos presentes e ficou deliberado pela unanimidade do
capital social a aprovação das Demonstrações Financeiras para a sua emissão.

Seguidamente, foi discutida a alínea b) da ordem de trabalhos, tendo igualmente sido dada
a palavra aos sócios e gerentes, que no uso dela se referiu da distribuição dos resultados na
seguinte proporção:
Reservas Legais 20% (Vinte por cento), Resultados acumulados 80% (oitenta porcento).
E por nada mais haver a tratar encerraram-se os trabalhos desta assembleia, lavrando-se a
presente acta que vai ser assinada por todos os sócios presentes………………............

Maputo, ao 01 de Abril de 2015

Presidente da Assembleia Vice-Presidente da Assembleia Geral

(Hermenegildo Saúte) (Aderito Melembe)


3.6 MODELO 22
3.6.1 Notas explicativas do modelo 22

Para o preenchimento do modelo foram usadas as seguintes bases:

Campo 209: neste campo foram inseridas as amortizações no valor total de 23.504,27
MTA resultante das amortizações de veículos ligeiros na parte que excede os 800.000 MT,
este diferença é definitiva não da origem a nenhum imposto diferido.

Campo 210: neste campo foram registados os custos com seguros de vida pagos somente
para os gerentes que ao abrigo do código de IRPC, este custo não é deduzido para efeitos
fiscais, pois o seguro de ser de carácter geral, isto é, deve cobrir a todos os funcionários da
empresa.

Campo 213: neste campo foram registados o total das perdas por redução do justo valor
dos instrumentos financeiros porque a variação não foi comprovada por referência a bolsa
de valores de Moçambique, sendo assim não são custos fiscalmente aceites.

Campo 219: neste campo foi registado o valor do Donativo feito a cruz vermelha que a luz
do código de IRPC, um donativo não pode exceder a 5% da matéria colectável do exercício
passado, dado que este é o primeiro ano de operação da empresa não há lugar a matéria
colectável do ano passado nesta vertente todo montante foi adicionado.

Campo 222: neste campo foi registada a multa rodoviária no valor de 6.000 meticais, que
ao abrigo do código do IRPC, este custo não deve ser deduzido para efeitos fiscais.

Campo 229: Foram registados valores respeitantes a 50% dos encargos com viaturas
ligeiras de passageiros do exercício económico que abrigo do código de IRPC, não podem
ser deduzidas ao resultado para efeitos de tributação, porque é tida a assunção de que por
se tratar de uma viatura ligeira de passageiros estas não só são usadas para assuntos de
trabalho, mais também para assuntos pessoais.

Campo 254: neste campo foram registados o total dos ganhos por aumento de justo valor
dos instrumentos financeiros porque a variação não foi comprovada por referência a bolsa
de valores de Moçambique, sendo assim não são proveitos fiscalmente aceites.
3.7 Modelo 20 e respectivos anexos
3.8 Mapa discriminativo dos Impostos (IRPC, IRPS e IVA)

Tabela 14 - Mapa discriminativo dos Impostos (IRPC, IRPS e IVA)


Período I - Trimestre II - Trimestre III - Trimestre IV - Trimestre Total
IVA
Iva dedutível 13.495 676.445 1.355.242 7.277.897 9.323.079
Inventários 10.197 508.944 1.080.320 6.693.396 8.292.856
Activos Tangíveis e Intangíveis 3.298 142.658 210.922 126.037 482.915
Outros bens e Serviços 24.843 64.000 458.465 547.308
Regularizações a favor do sujeito passivo 89.045 89.045
Iva liquidado 0 55.174 843.163 3.856.157 4.754.493
Operações Gerais 0 55.174 843.163 3.856.157 4.754.493
Regularizações a favor do Estado 77.690 77.690
Iva a recuperar 13.495 621.272 512.080 3.433.095 4.579.941
IRPS
Trabalho dependente 14.400 14.400 14.400 14.400 57.600
Rendimentos profissionais 14.000 14.000 14.000 14.000 56.000
Rendimentos prediais 12.000 12.000 12.000 12.000 48.000
IRPS PAGO 40.400 40.400 40.400 40.400 161.600
IRPC
Imposto retido na fonte -106 -175 -281
Estimativa de Imposto 4.121.716 4.121.716
IRPC A PAGAR -106 4.121.541 4.121.434
4. ANEXOS