Você está na página 1de 12

SISTEMA DE ENSINO A DISTÂNCIA

INFORMATICA BÁSICA

HISTÓRIA E APLICABILIDADE BÁSICA DA INFORMÁTICA

Silvio de Lima Ferreira

São Bernardo do Campo


2014
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO........................................................................................................3

2. DESENVOLVIMENTO..........................................................................................4

3. CONCLUSÃO........................................................................................................11

4. REFERÊNCIAS....................................................................................................12
3
1 INTRODUÇÃO

Nesse trabalho vamos conhecer um pouco da historia da informática, desde as primeiras


maquinas mecânicas ate a tecnologia atual. Focaremos em duas partes importantes dessa área
o Hardware e Software.
4
2 DESENVOLVIMENTO

A Informática é uma ciência que passou a ser tratada como tal há poucos anos, sendo que a
ela está associada uma série de fatos e descobertas anteriores, que serviram para que
atualmente seja uma das ciências a qual o homem está dedicando maior atenção e atribuindo
cada vez mais importância.
A história da computação e dos computadores pode ser dividida em três períodos.

Maquinas mecânicas
Computadores baseados no modelo de Von Neumann
Gerações de computadores

Maquinas mecânicas

Durante esse período, foram inventadas diversas máquinas de computação que tem pouca
semelhança com o moderno conceito de um computador.
No século XVII, Blaise Pascal, um matemático e filosofo francês, inventou Pascaline, uma
calculadora mecânica para fazer operações de adição e subtração. No século XX, quando
Niklaus Wirth inventou uma linguagem de programação estruturada, deu-lhe o nome Pascal,
em homenagem ao inventor da primeira calculadora mecânica.
No final do século XVII, o matemático alemão Gottfried Leibnitz inventou uma
calculadora mecânica mais sofisticada, que podia fazer multiplicações e divisões, alem de
adições e subtrações. Essa calculadora foi chamada Roda de Leibnitz.
A primeira máquina que utilizou a ideia de armazenamento e programação foi o tear de
Jacquard, inventado por Joseph-Marie Jacquard, no inicio do século XIX. O tear utilizava
cartões perfurados (como um programa armazenado) para controlar o aumento dos fios da
urdidura na fabricação de tecidos.
Em 1823, Charles Babbage inventou a Máquina Diferencial, que podia fazer mais do que
simples operações aritméticas, também resolvia equações polinomiais. Posteriormente, ele
inventou a chamada Máquina Analítica, que, até certo ponto, compara-se a ideia dos
computadores modernos. Ela tinha quatro componentes: uma engrenagem, um local de
armazenamento (memória), um operador (unidade de controle) e saída.
Em 1890, Herman Hollerith, trabalhando no Ministério de Recenseamento dos Estados
Unidos, projetou e construiu uma máquina programável que podia, automaticamente, ler,
registrar e ordenar dados armazenados em cartões perfurados. O nascimento dos
computadores eletrônicos (1930 - 1950) Entre 1930 e 1950, vários computadores.foram
inventados por cientistas, que podem ser considerados os pioneiros da indústria dos
computadores. Os primeiros computadores eletrônicos Os primeiros computadores desse
período não armazenavam o programa na memória - todos eram programados externamente.
Cinco computadores tornaram-se proeminentes durante esses anos:
O primeiro computador de propósito especifico, que codificava as informações
eletricamente, foi inventado por John V. Atanaso e seu assistente, Clifford Berry, em 1939.
Chamado ABC, foi projetado especificamente para resolver um sistema de equações lineares.
Ao mesmo tempo, um matemático alemão chamado Konrad Zuse projetou uma maquina
de propósito geral, chamada Z1.
Na década de 1930, a Marinha dos Estados Unidos e a IBM patrocinaram um projeto na
Harvard University, sob a direção de Howard Aiken, para construir um computador chamado
Mark I, que utilizava componentes elétricos e mecânicos.
Na Inglaterra, Alan Turing inventou um computador chamado Colossus, que foi projetado
para decifrar o código conhecido como German Enigma (Enigma Alemão).
O primeiro computador de propósito geral, totalmente eletrônico, foi fabricado por John
5
Mauchly e J. Presper Eckert, chamado ENIAC (Electronic Numerical Integrator and
Calculator, ou calculadora e integradora numérica eletrônica). Ele foi concluído em 1946.
Utilizava 18 mil tubos de vácuo, media 30 metros de comprimento por 3 metros de altura e
pesava 30 toneladas.

Computadores baseados no modelo de Von Neumann

Os cinco computadores precedentes utilizavam memória somente para armazenamento de


dados e eram programados externamente, utilizando fios ou comutadores. John Von Neumann
propôs que o programa e os dados deveriam ser armazenados na memória. Dessa maneira,
todas as vezes que utilizamos um computador para realizar uma nova tarefa, precisamos
somente modificar o programa, em vez de religar a máquina ou ligar e desligar centenas de
comutadores. O primeiro computador com base nas ideias de Von Neumann, chamado
EDVAC, foi fabricado em 1950, na University of Pennsylvania. Ao mesmo tempo, um
computador similar, EDSAC, foi construído por Maurice Wilkes, na Cambridge University,
na Inglaterra.

Gerações de computadores

Os computadores construídos depois de 1950 seguiram, aproximadamente, o modelo de


Von Neumann. Apesar de se tornarem mais rápidos, menores e mais baratos, o principio era
quase o mesmo. Historiadores dividem esse período em gerações, sendo que cada uma delas
testemunhou alguma importante transformação em hardware ou software (mas não no
modelo).
Primeira Geração - A primeira geração (aproximadamente de 1950 a 1959) foi caracterizada
pelo surgimento de computadores comerciais. Durante essa época, eles eram utilizados
somente por profissionais. Ficavam trancados em salas com acesso limitado somente ao
operador ou especialista. Tais computadores eram muito volumosos e utilizavam tubos de
vácuo como chaves eletrônicas. Naquele tempo, eram acessíveis somente as grandes
organizações.
Segunda Geração - Os computadores da segunda geração (aproximadamente de 1959 a
1965) utilizavam transistores, em vez de tubos de vácuo. Isso reduziu seu tamanho, assim
como seu custo, e os tornaram mais acessíveis para as companhias de pequeno e médio portes.
As duas linguagens de programação de alto nível, Fortran e Cobol, foram inventadas e
tornaram a programação mais fácil; separavam a tarefa de programação da de operação dos
computadores. Um engenheiro civil, por exemplo, poderia escrever um programa em Fortran
para resolver um problema, sem se envolver com os detalhes eletrônicos da arquitetura do
computador.
Terceira Geração - A invenção dos circuitos integrados (transistores, ação e outros
componentes em um único chip) reduziu ainda mais o custo e o tamanho dos computadores.
Os minicomputadores, então, surgiram no mercado.
Programas "enlatados", popularmente conhecidos como pacotes de software, tornaram-se
disponíveis. Uma pequena corporação podia comprar um pacote, por exemplo, para
contabilidade, em vez de precisar escrever seu próprio programa. Surgiu, então, uma nova
indústria, a de software. Esta geração durou, aproximadamente, de 1965 a 1975.
Quarta Geração - A quarta geração (aproximadamente de 1975 a 1985) viu o surgimento dos
microcomputadores. A primeira calculadora desktop, o Altair 8800, tornou-se disponível em
1975.Avanços na indústria eletrônica permitiram que completos subsistemas de computadores
se adequassem a uma única placa de circuito. Esta geração também viu o aparecimento das
redes de computadores.
Quinta Geração - Esta é a atual, começou em 1985 e ainda não terminou.
6
Ela tem testemunhado o surgimento dos computadores laptop e palmtop, o
desenvolvimento de aperfeiçoamentos nos meios de armazenamento secundário (CD-ROM,
DVD e assim por diante), o uso da multimídia e o fenômeno da realidade virtual.

Internet

Durante a Guerra Fria (décadas de 60/70 e meados da década de 80) um dos maiores
medos dos norte americanos era o de perder as informações hospedadas em servidores
localizados dentro de “quartéis-generais” estratégicos. Se um ponto fosse bombardeado as
informações importantes e essenciais não seriam perdidas. Dessa forma, o Departamento de
Defesa pensou em um sistema que interligasse vários pontos, de modo que não se
centralizasse o comando. Com uma rede onde não há um computador central, caso a Casa
Branca fosse atingida, as informações “iriam” para o Pentágono. E se o mesmo acontecesse
no Pentágono, às informações já estariam a salvo em outro lugar qualquer. Essa Rede era
considerada à prova de bombardeio, pois o “sistema não caía” caso um dos pontos
desaparecesse. Denominou-se tal Rede, que surgiu em 1969, de ARPAnet (Advanced
Research Projects Agency). Na verdade essa rede interligava originalmente vários centros de
pesquisas.
No início da década de 80 com o visível enfraquecimento da URSS, uma nova utilidade
para a ARPAnet foi desenvolvida: Interligar laboratórios e universidades nos EUA e mais
tarde, em outros países. Foi exatamente nessa época que surgiu o nome Internet. Apesar disso,
apenas no final dos anos 80 a Internet passou a ser vista como um eficiente veículo de
comunicação mundial. Cientistas e acadêmicos passaram a utilizá-la de forma muito mais
intensa. Só que a Net só existia no formato de texto, como nos antigos arquivos Gopher. Isto a
limitava a um gueto de cientistas. Foi então que no final da década de 80, Tim Berners-Lee
teve a ideia de desenvolver com sua equipe do CERN (European Organization for Nuclear
Research, de Genebra), um sistema de hipertexto que deveria funcionar em redes de
computadores. Nesse momento, ele pensava apenas nos cientistas que precisavam
compartilhar suas pesquisas uns com os outros.
Em 1991, esses pesquisadores tiveram a ideia de criar a World Wide Web. No início a
maior parte das informações ainda era no formato de texto, com poucos desenhos. Em 1992,
Marc Andressen, do NCSA (National Center for Supercomputer Activity), criou o primeiro
navegador para Internet: o Mosaic, para sistema X Windows. Em seguida apareceram versões
do Mosaic para Macintosh e Microsoft Windows. O Mosaic era capaz de interpretar gráficos e
realizar navegações através de links, como podemos ver atualmente na Web. Também em 92,
All Gore, que era senador na época, impulsionado pelas eleições presidenciais, passou a falar
sobre a Information Highway, ou Superestrada da Informação. Nesse momento todo mundo
começou a prestar mais atenção na Internet e na Web. Logo surgiu um grande interesse
comercial pela Rede e foi aí então que aconteceu sua grande expansão.
Em nossos dias a Internet passou a ter tamanha importância, que recentemente a China
anunciou que está desenvolvendo uma Internet particular, alegando que os atuais padrões da
Rede Mundial de Computadores não atendem as expectativas das indústrias chinesas. Ainda
não se sabe se a Internet chinesa será aberta para estrangeiros, mas já se sabe que os sistemas
de segurança serão tão rigorosos quanto à segurança de qualquer unidade militar americana ou
russa no auge da Guerra Fria. Os padrões de HTML (Hyper Text Markup Language) que é a
linguagem com a qual se programa as páginas atuais da Internet são definidos pelo W3C
(World Wide Web Consortium), um consórcio liderado por Tim Berners-Lee, do qual fazem
parte empresas como a Microsoft, a Apple, a Sun e a Netscape. Atualmente a Internet é um
conjunto de mais de 40 mil redes e respeitando a concepção original não existe um ponto
central, isto é, um centro de comando da Internet. Hoje a Internet é considerada por muitos
teóricos da comunicação, um fenômeno tão ou mais importante para a humanidade quanto a
7
Revolução Industrial. O fantástico conceito de Aldeia Global, de Mc Luhan também pode ser
utilizado para este novo meio: A Internet tornou o mundo menor. Segundo as últimas
pesquisas de e-commerce, o sucesso comercial da rede demonstra que em algumas empresas
já têm uma venda representativa através de seus websites.

Hardware

Hardware são os componentes mecânicos e eletromecânicos dos sistemas computacionais,


que podem ser classificados em 4 subcategorias:

Dispositivos de Entrada

Dispositivos de Saída
Unidade Central de Processamento
Dispositivos de Armazenamento

Dispositivos de entrada - são os hardwares responsáveis por capturar os dados de entrada do


sistema. Exemplos: teclado, mouse, câmera de vídeo, tela de toque.
Dispositivos de saída - são os hardwares responsáveis por apresentar os dados transformados.
Exemplos: monitores, impressoras, dispositivos de emissão de voz, etc.
Unidade central de Processamento - É o hardware responsável por processar os dados de
entrada e transforma-los nos dados de saída. Exemplos: unidade central de processamento
(CPU) ou processadores dos computadores pessoais.
Dispositivos de Armazenamento - São os responsáveis por armazenar dados de entrada e/ou
saída. Existem dois tipos principais de dispositivos de armazenamento: armazenamento
principal e armazenamento secundário.
Os dispositivos de armazenamento principal fornecem aos dispositivos de processamento
as informações necessárias para a transformação dos dados de entrada em saída. Nessa
categoria encontra-se, por exemplo, a memória RAM (Random Access Memory).
A memória RAM é volátil, pois seus dados são perdidos depois que o sistema é desligado.
Os dispositivos de armazenamento secundário guardam dados que podem ser recuperados
após o desligamento do sistema computacional. Exemplos desses dispositivos: disco rígido,
disco rígido externo, pen drive, cartão de memória.
Os dispositivos de armazenamento principal e de processamento são geralmente embutidos
na placa mãe, já os dispositivos de entrada, saída e armazenamento secundário são conectados
na placa mãe através de cabos.
As áreas pertencentes ao grupo de hardware preocupam-se com o entendimento dos
componentes dos sistemas computacionais, suas características, desempenho e interações.
Também possui ênfase na infraestrutura, conexão e segurança de redes (Internet, redes sem o
fio, conexões, etc.). Alguns conceitos abordados nessa área de conhecimento: Lógica e
representação dos dados, arquitetura e organização de computadores, multiprocessamento,
gerenciamento de memória, sistemas de arquivos, tolerância a falhas, forense digital, redes de
comunicação, segurança de redes, administração de redes, computação móvel , sistemas
paralelos e distribuídos, compreender o modelo de programa armazenado de Von Neumann e
sua relação com as arquitetura e organização de computadores de uso geral.Exemplos de
aplicações: Suporte de equipamentos e Redes de computadores
8

Software

Softwares são programas de computadores que permitem explorar os recursos dos


hardwares, executar determinadas tarefas e resolver problemas de forma automática.
É através do software que interagimos com a maquina e tornamos o sistema computacional
operacional.
Os três principais tipos de softwares são:

Softwares de sistema
Softwares de aplicação
Softwares de serviço.

Softwares de sistema - permite interagir com os componentes de hardware do computador,


exemplos desses softwares: BIOS, Drivers, Sistema Operacional.
O mais importante software de sistema é o Sistema Operacional (SO). O SO é responsável
por gerenciar os recursos computacionais e fazer a comunicação (ou interface) entre os
componentes de hardware e os aplicativos.
Sem um sistema operacional, não é possível utilizar os softwares de aplicação instalados
em um computador. No mercado, existem vários sistemas operacionais. Exemplos Windows e
Linux.
Softwares de aplicação - ou aplicativos são programas criados para resolver tarefas
específicas como: acessar a internet, enviar e receber mensagens, navegar pelo computador,
editar um texto, desenhar uma imagem, etc.
Softwares de serviço - também chamados de aplicativos web, são aqueles que não precisam
ser instalados em um sistema computacional e sim utilizados diretamente na Internet através
de um navegador. Exemplos: Serviços Google

Windows

O Windows é um sistema operacional. Isso significa que podemos trabalhar com vários
programas simultaneamente. Por exemplo, poderíamos escutar um CD colocado no CD-ROM
enquanto escrevemos um documento, imprimimos outro e acessamos a internet, todos ao
mesmo tempo.
Até a versão 3.11 o Windows era considerado apenas como um ambiente operacional e a
partir do Windows 95 assimilou novos recursos e tornou-se o sistema operacional mais
utilizados em todo o mundo, devido a sua facilidade de uso, atualmente o Windows encontra-
se na versão chamada de Windows 8.

Microsoft Office

Microsoft Office é um programa de computador desenvolvido pela Microsoft. Trata-se de


um conjunto de software que realizam tarefas de escritório, isto é, que permitem automatizar
as atividades do dia-a-dia de um escritório.
Os programas que fazem parte do Microsoft Office são:

Word
Excel
PowerPoint
Outlook
Access
9

Word - É um dos programas mais populares que fazem parte do Microsoft Office. Consiste
num processador de textos que inclui um corretor ortográfico, um dicionário de sinônimos e a
possibilidade de trabalhar com diversas fontes.
Excel - É composto por folhas de cálculo. Tem por principal mais-valia a possibilidade de
realizar cálculos aritméticos de forma automática, facilitando assim o desenvolvimento dos
balanços e das demonstrações financeiras.
PowerPoint - É o programa do Office que se utiliza para criar e exibir apresentações visuais.
A sua base está no desenvolvimento de dispositivos multimédia, que podem incluir texto,
imagens, vídeos e som.
Outlook - O seu principal ponto forte é o correio eletrônico embora também disponha de um
calendário e de um diretório de contatos.
Access - Um programa de uso fácil, usado para criar pequenos bancos de dados. Muito usado
em aprendizagem, já que sua capacidade não é tão grande.

Microsoft Paint

O Paint é um programa que compõe o grupo de acessórios do Windows, É um editor de


imagens com diversos recursos para executar pequenos trabalhos de edição de imagens.

Navegadores

Navegadores também conhecido pelos termos em inglês web browser ou simplesmente


browser, é um programa de computador que habilita seus usuários a interagirem com
documentos virtuais da Internet, também conhecidos como páginas da web, que podem ser
escritas em linguagens como HTML, XHTML ou HTML5 com ou sem linguagens como o
CSS e que estão hospedadas num servidor Web.
Os principais navegadores possuem características em comum na interface tais como:
voltar para a página anterior, ir para página posterior, recarregar (refresh) a página atual,
espaço para digitar a URL, estratégias para escolher sites favoritos e o conceito de abas (entre
outros). Outra característica comum entre eles é apresentar um histórico dos sites navegados
ao longo do tempo.
Diferentes navegadores podem ser distinguidos entre si pelas características que
apresentam. Navegadores modernos e páginas Web criadas mais recentemente tendem a
utilizar muitas técnicas que não existiam nos primórdios da Web. Como notado
anteriormente, as disputas entre os navegadores causaram uma rápida e caótica expansão dos
próprios navegadores e padrões da World Wide Web.
A maioria dos browsers suportam protocolo de transferência de hipertexto seguro (HTTPS)
e oferecem uma forma rápida e fácil para deletar cache da web, cookies e histórico.
Com o crescimento e as inovações das técnicas de invasões e infecções que existem na
Internet, torna-se cada vez mais necessária segurança nos navegadores. Atualmente eles são
"obrigados" a possuir proteções contra scripts maliciosos, entre outros conteúdos maliciosos
que possam existir em páginas web acessadas.
A segurança dos navegadores gera disputa entre eles em busca de mais segurança. Sua
proteção tem que ser sempre atualizada, pois com o passar do tempo, surgem cada vez mais
novas técnicas para burlar os sistemas de segurança dos navegadores.
Os navegadores mais utilizados atualmente são Microsoft Internet Explorer, Google
Chrome, Mozilla Firefox e Apple Safari.
10

Antivírus

Os antivírus são programas de computador concebidos para prevenir, detectar e eliminar


vírus de computador.
Existe uma grande variedade de produtos com esse intuito no mercado, existem versões
pagas e gratuitas, a diferença entre eles está nas camadas a mais de proteção.
Entre os antivírus gratuitos mais conhecidos estão: AVG, Avast, Avira e Microsoft
Security Essentials e os pagos estão Panda Security e Norton Internet Security.
11
3 CONCLUSÃO

Concluísse nesse trabalho que a informática que conhecemos hoje é resultado de um


grande desenvolvimento da tecnologia durante os séculos, começando por simples maquinas
no século XVII até os mais avançados computadores do século XXI. Esse desenvolvimento
foi motivado pela necessidade de se aperfeiçoar processos e pelas guerras que aconteceram no
período.
12
REFERÊNCIAS

Wright, Michael. Como Funciona. 1° Edição. São Paulo, Visor, 2001.

HTTPS://www.brasilescola.com.br, ultima visita em 19/10/2014 as 13h14min.