Você está na página 1de 130

O CAMINHO

E
O SERVIÇO

(Pb. Roberto P. de Mello)

repeme5@hotmail.com

1
Capítulo 1
O CAMINHO E O SERVIÇO
No início nós não éramos chamados de cristãos (que significa seguidores de Cris-
to), porém de: participantes do Caminho; porque o Eu Sou, Jesus, se intitulou de: O Cami-
nho, a Verdade e a Vida, em João 14.6:
“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou O caminho, e A verdade, e A vida; ninguém vem ao
Pai, senão por mim”.
Com este epíteto Deus queria nos dizer que seguindo Jesus, movimentando-nos
na dimensão espiritual com Ele, iríamos atingir nossos maiores benefícios: a Verdade e a Vida.
Não só a vida além da morte, mas, vida com abundância na Terra, conforme prometeu.
O diabo é extremamente ladino. Com o tempo, trocou o termo participante do Ca-
minho pelo de cristão. Parece coisa boba, mas, se um cristão pode ficar sentado num lugar sem
se mexer por anos e sem ninguém perturbá-lo; ninguém irá se considerar participante de um
Caminho alguém que fica sentado! Notaram a sutil diferença?
Caminho é um lugar de transeuntes, lugar de ação, para pessoas: caminharem!
Uma pessoa, parada no meio de uma calçada, torna-se um tropeço para os transeuntes. Coisa
parecida acontece, quando, numa fila de um caixa de Banco, alguém fica longos minutos, re-
solvendo seus problemas na maior vagareza... Com certeza já experimentaram tais coisas!
Agora, pior do que nos defrontarmos com estas tartarugas na vida, é quando en-
contramos um participante do Caminho parado, porque ele não vai ser só um incômodo físico,
mas um tropeço espiritual, para todos os que desejam avançar e, para o próprio Reino de
Deus!
Jesus já avisou em João 15.2:
“Toda vara em mim que não dá fruto, ele a corta; e toda vara que dá fruto, ele a
limpa, para que dê mais fruto.”
Por aí se vê que o Senhor promete podar toda vara que der frutos. Isto é, Ele irá
tirar de nós tudo aquilo que atrapalha nosso caminhar, como um agricultor poda suas árvores,
para elas ficarem mais fortes, longevas, e darem mais frutos.
Quando você tira um galho fraco e doente de uma árvore, está impedindo que to-
da a energia que a árvore gastaria para sustentar o galho inútil, seja investida no crescimento
de galhos novos e fortes, que produzam frutos! É saúde e produtividade para a árvore.
Como saber se estamos no Caminho?
Quando Jesus ordena, pessoalmente, para você fazer algo, se você Lhe obedecer,
estará no Caminho, e dará os frutos que Ele deseja. Porém, se você vai fazer algo porque al-
guém disse que Jesus disse que queria que você fizesse, aí, você deu de cara com a demoníaca
religiosidade!
“Vigiai e orai” é a ordem do Senhor para nossa defesa.
Nessas ordens tipo Jesus me disse você deve parar, antes de aceitar, e esperar
que o próprio Jesus confirme tudo. Afinal, Ele ordenou:
“A ninguém chameis de Pai... de Mestre... de Guia ou Rabi... um só seja o vosso
Mestre”.
E se você desconfia que Ele não irá lhe falar é porque não crê n’Ele estar vivo,
conforme declara 1ª Timóteo 2.5:
“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus,
homem.”

2
Então, vai continuar sentado ou se levantar e participar do Caminho? Você decide,
ninguém vai obriga-lo a optar por sua saúde e prosperidade e a saúde e prosperidade do Reino
de Deus na Terra. Aleluia!
“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demô-
nios; falarão novas línguas, se impuserem as mãos, enfermos serão curados”, Marcos 16.17.
Maranata!

Capítulo 2
A Cura
Neste ano de 2014 de Nosso Senhor Jesus Cristo, começo analisando todo o pro-
cesso de minha cura, decretada no ano de 2013, seis meses atrás.
Pode parecer muito tempo, tempo longo demais para uma cura, porém, foi o que o
Senhor decidiu a respeito deste meu caso, em face de algumas coisas que Ele deseja que me
aconteçam. Não sei quais todas elas, porém uma, sei: a de que Ele quer que eu possa ensinar
aos irmãos este processo para que eles não desistam, caso sejam chamados a algo parecido
por Ele.
Quem leu “Meu Diário 2013”, sabe que uma irmã viu uma pérola saindo de dentro
de mim, depois de uma oração que fizeram. E, acreditem, ontem pela manhã, expeli uma pe-
drinha do tamanho de um grão de arroz cozido, ao urinar.
Já estou curado? Sim, curado estou, porém, sintomas ainda persistem, o que signi-
fica que vêm mais coisas por aí. Espero que não demorem muito mais, porque é horrível se
sofrer disso por um dia, quem dirá por meses!
A respeito deste meu problema, o Senhor me mandou ler todo o Salmo 40, onde
Ele começa falando do que chama mais atenção nesta cura: sua demora; ao dizer no seu pri-
meiro versículo:
“Esperei com paciência pelo Senhor, e Ele se inclinou para mim e ouviu o meu
clamor.”
Pelo versículo podemos concluir que Ele me ouviu e atendeu ao meu pedido de cu-
ra. Embora, eu não a tenha recebido de imediato, como gostaria.
Fala ainda do porque da doença, no seu versículo 12:
“Pois males sem número me têm rodeado; as minhas iniquidades me têm alcança-
do, de modo que não posso ver; são mais numerosas do que os cabelos da minha cabeça, pelo
que desfalece o meu coração.”
Esta parte grifada: de modo que não posso ver, Ele se refere a pecados dos quais
nem me lembro!
A razão pela qual Ele quer fazer minha cura aos poucos, está explicitada no versí-
culo 3, ao dizer:
“Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus; muitos verão isso e
temerão, e confiarão no Senhor.”
Por que muitos verão isso? Porque escrevo cada passo da cura e isto servirá para
os que lerem meu caso!
Não sou dono da verdade, estou apenas procurando escrever sobre esta difícil ex-
periência pela qual estou passando, para ajudar os que querem seguir o caminho da fé, e não o
dos homens carnais; conforme dizem os versículos 17 e 4, respectivamente:
“Eu, na verdade, sou pobre e necessitado, mas o Senhor cuida de mim. Tu és o
meu auxílio e o meu libertador; não te detenhas, ó Deus”.

3
“Bem-aventurado o homem que faz do Senhor a sua confiança, e que não atenta
para os soberbos nem para os apóstatas mentirosos.”
Quem quiser que medite nestes dois versículos e conclua.
No mais, que o Senhor guarde todos vocês por mais este Ano, com suas maravi-
lhas e braço poderoso. Aleluia!
Maranata!

03/01/2014 – A reunião das 15:30hs foi ótima. Logo no começo empacou, mas,
imediatamente, a irmã Al. se lembrou de um problema que teve com a filha (que está com
esquizofrenia) e que lhe perturbou o sono. Daí advinha o que perturbou o grupo.
Nós já tínhamos ensinado àquela irmã como resolver seus problemas com a pró-
pria mãe, quando a mesma fosse visita-la, e o conselho deu certo! Porém, a filha da irmã Al.
mora na sua casa, como resolver seu caso usando de misericórdia, como o Senhor deseja? Não
sabíamos!
Perguntamos ao Senhor e vi o desenho de um cabelo, preso numa pele por sua ra-
iz. Então, lembrei-me que os legistas tiram da raiz dos cabelos, o DNA que precisam para iden-
tificar pessoas.
Falei aquilo aos irmãos e perguntei a irmã Al. se a filha dela era adotada; pois, se
fosse, podia ser este o problema dela.
A irmã respondeu que, pelo contrário, era sua única filha legítima; porém, ela tinha
lido que o DNA dos esquizofrênicos era: distorcido!
Como Jesus veio para desfazer as obras do maligno, oramos, pedindo a Ele pa-
ra desfazer o que diabo tinha feito no DNA daquela mulher e, agora, é esperar.
Lembrei-me que ainda estava com fortes sintomas da enfermidade da qual Jesus
já me curou, mas a irmã Al. veio fazer uma oração por mim, depois que viu Jesus pegando os
causadores dos sintomas e pulverizando-os. Aleluia!
Enchi-me de alegria porque, pela manhã, tinha orado com minha esposa a respeito
daquelas pedras e pedido, exatamente, a Jesus: para Ele pulverizá-las; a fim de eu não sofrer
dores ao expeli-las. Ele ouviu o meu clamor. Aleluia!
Maranata!

Neste mesmo dia, o irmão Ac. chegou mais cedo à reunião e me falou a respeito
de sua empregada doméstica, a qual levou para Jesus e que, tanto ela quanto o marido foram
batizados com o Espírito e já levaram as próprias famílias, para o Jesus.
O Senhor tinha-lhes ordenado se casar e fizeram isso no civil. Porém o irmão Ac.
queria saber se nós podíamos casá-los no religioso.
- É claro que podemos. É só traze-los aqui. Seria bom numa das próximas reuni-
ões. Dependendo da disponibilidade deles, claro! – respondi.
O irmão disse que iria ajustar tudo e nos deu um testemunho de algo acontecido
com aquele casal. Eles têm uma barraca de lanches, numa puxada que fizeram em sua casa.
Um dia chegou um cidadão e pediu água, consumiu algumas coisas, e ficou senta-
do bastante tempo, por lá... Noutro dia ele retornou, fez a mesma coisa, e a mulher ficou um
pouco desconfiada... Noutro dia, novamente (porém, neste dia, o marido dela estava) e ela lhe
apontou o homem.
O marido dela foi conversar com ele e fizeram amizade. O homem se abriu. Vivia
em Campina Grande, junto com uma mulher a qual, tem uma paixão tão doentia por ele, que o
está deixando desconfortável.
Ela até mandou tatuar o nome dele num dos pés dela e o pior foi que, na mesma
semana, ele caiu e torceu o próprio pé; e, na outra semana, teve outro acidente estranho! Não
sabia o que fazer, pois a mulher parecia ser louca.

4
Informou ainda que, quando parou naquela barraca sentiu tanta paz, que resolveu
desfrutar dela. Por isto aquelas visitas seguidas... Ante tudo isso, o casal apresentou aquele
homem a Jesus, ele foi batizado com o Espírito Santo e, desde aquele dia, nunca mais retornou,
deixando todos curiosos.
Maranata!

07/01/2014 – a reunião foi somente para consertos conosco.

10/01/2014 – Hoje veio bastante gente para a reunião, os dois rapazes Ma. e Ga.,
o Professor, as irmãs Al. e Cr. e um casal novato, o qual veio, para receber o batismo com o
Espírito (o Sr. Ed. e sua esposa Ro.).
Depois de o casal receber o batismo de fogo, oramos por várias coisas. E, em de-
terminado momento, vi o Senhor dar àquele casal um par de anéis, com enormes diamantes. A
forma como aqueles anéis lhes foram entregues foi singular. Vi os mesmos lhes sendo entre-
gues um, sobre o outro!
Isto me levou a concluir que aquele casal unido, iria servir para restaurar famílias
para o Senhor, e isto foi comprovado logo em seguida, quando receberam ordens de ir orar
pelo casamento da irmã Cr., cujo marido é refratário ao Evangelho.
Depois de várias outras orações, a irmã Cr. viu uma flor de algodão e alguém a
observando e dizendo: ”- Deste jeito, este algodão não vai servir para nada!”.
A irmã falou que a pessoa que pensava isso, era alguém que aguardava há bastan-
te tempo, uma cura do Senhor. E concluí ser eu!
O Senhor informou que não pode nos revelar tudo que está fazendo no nosso inte-
rior, porque, quando sabemos, começamos a atrapalhar o trabalho d’Ele, em nossa vida.
De qualquer forma senti-me mais confortado, ao saber que as dores, que tenho ti-
do ao urinar, estão sob o controle d’Ele.
“Engrandecido seja o Nome do Senhor”. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 3
APÓSTOLOS
12/01/2014 – Jesus chamou de apóstolos a doze dos seguidores escolhidos e, iro-
nicamente, não chamou ninguém de pastor, presbítero, diácono ou bispo!
Estranho não? Nas congregações evangélicas encontramos facilmente pastores,
presbíteros (ou bispos) e diáconos, como autoridades locais; mas só, vez por outra, encontra-
mos alguém que se diz ser “Apóstolo”; e ficamos pensando em como aquela pessoa galgou
àquele cargo.
Outro dia um rapaz me lembrou de que o Senhor o tinha escolhido para Apóstolo,
anos atrás; por isso, senti vontade de reexaminar este título eclesial.
Um dicionário diz:
Segundo o Evangelho de Lucas, "Ele chamou para si os seus discípulos, e deles esco-
lheu doze, a quem ele chamou de apóstolos" (Lucas 6:13).
Vemos, entretanto, que logo após a ressurreição de Jesus, outros homens foram co-
missionados por Jesus como apóstolos, da igreja cristã; ultrapassando o número inicial dos 12 após-
tolos.

5
O termo apóstolo (da palavra grega: ἀπόστολος, apóstolos) é designado para um tra-
balho específico, dentro da estrutura da igreja. Prioritariamente este trabalho seria o de expandir a
mensagem do evangelho para novas localidades, organizando a vida cristã entre os fiéis. Esta fun-
ção é responsável pela fundamentação de questões doutrinárias em consonância com os ensinamen-
tos de Deus.
Bem, mas estas são explicações humanas, sobre a função do Apóstolo; o que a Bí-
blia poderia nos esclarecer a respeito desta função?
Uma coisa perturbou a Igreja cristã, depois que Jesus subiu, foi o fato de notarem
o cargo de Judas Iscariotes estar vago, pelo suicídio dele.
“E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e
aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?” (Atos 2.37).
A Palavra nos ensina que, imediatamente, com a orientação do Espírito, a Igreja
completou o cargo vago, elegendo alguém para o mesmo.
Que me lembre, só temos algo mais a examinar a respeito do cargo de Apóstolo,
em 1ª Corintos 9.1, onde Paulo diz:
“Não sou eu livre? Não sou apóstolo? Não vi eu a Jesus nosso Senhor? Não sois
vós obra minha no Senhor?”
Numa frase deste pequeno versículo, creio estar embutida a maior credencial de
um Apóstolo: é quando Paulo diz Não vi eu a Jesus nosso Senhor?
Parece que Paulo acreditava que todos os Apóstolos tinham visto o Senhor. Expe-
riência que ele também teve, e apresentou como sua credencial de apostolado.
Assim, tenho certa crença de que um Apóstolo verdadeiro, escolhido por Jesus, é
aquele a quem Ele aparece e unge pessoalmente, para uma missão. Agora, se estes que se
dizem apóstolos por aí, são ou não são apóstolos, não saberei responder; enfim, até papas
inventaram!
Maranata!

13/01/2014 – Estava todo feliz e gordinho, esperando pela missionária Ca., para
fazermos nossa reunião de hoje e: nada! Esperei mais 15minutos e telefonei.
Ela estava em C. Grande e tinha, pela primeira vez, se esquecido de nos avisar.
Minha esposa (que já estava, também, pronta) resolveu tirar uma soneca.
Como: “... sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que
amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”, (Romanos 8.28) vamos
ver no que isto pode me ser bom. Aleluia!
Maranata!

14/01/2014 –
A reunião foi boa. Voltada mais ao aprofundamento de curas interiores, para nos
deixar mais capacitados à Obra que nos foi destinada.
No mais oramos por vários países, pelo Nordeste brasileiro, para que o Senhor
abrisse os olhos dos idólatras, etc.

15/01/2014 – Hoje recebemos a visita do irmão Ro., por quem a mãe dele tinha
orado ontem. Estava super-estressado a respeito de um namoro. No final, descobrimos que o
maior problema dele era querer agradar todo mundo, nunca magoar ninguém; e, por isso, vivia
sempre se sentindo: culpado!
O Senhor lhe mostrou que agradar todo mundo, não era possível porque haveria
sempre alguém, que não iria aceitar o que ensinamos. Disse-lhe que temos de ser bons, não
querer ser bonzinhos para agradar mundos e fundos.

6
Se a pessoa não aceitar o que Deus nos manda ensinar, paciência, não é problema
nosso, não temos culpa nenhuma, fizemos nosso trabalho, o restante será entre ela e Deus.
No final ele saiu bem leve, ciente do que tinha de fazer. Minha esposa lhe falou o
que D. Lídia (falecida diretora do “Betel Brasileiro”) lhe tinha ensinado, anos atrás, a respeito de
tomar decisões. Ela lhe disse:
“- Se não sinto paz a respeito de algo, sei que aquilo é errado. Nem discuto! Obe-
deço ao Senhor”.
Aliás, a Palavra de Deus nos diz em Colossenses 3.15, exatamente isso:
“E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine
em vossos corações; e sede agradecidos”.
No final o rapaz saiu todo feliz, liberto das “culpas” que o demônio colocava sobre
seus ombros, para subjuga-lo.
Maranata!

16/01/2014 – Hoje, tive a grata satisfação de receber o irmão Iv., (sobrinho do


Professor). Ele mora na Bahia, mas já morou em várias cidades do Brasil. O que interessa é que
recebeu o batismo com o Espírito por intermédio do seu tio e tentou, várias vezes, fazer um
grupo dirigido totalmente por Jesus (como ensino, no meu livro: “Jesus, o Leão de Judá”, no
seu capítulo 41) sem conseguir materializar a ideia.
Ele faz parte de vários grupos de estudos da Bíblia, porém ninguém dos mesmos,
quer nada com o Espírito! Passam dias e dias discutindo sobre a Palavra de Deus, se dizem
interessados nela, porém, quando o irmão Iv. lhes fala a respeito de Jesus poder estar no meio
deles, debandam.
O Iv. estava sequioso para passar a limpo tudo que tinha aprendido no livro, e o
Senhor lhe proporcionou isto; além de um aprofundamento da purificação dele.
Neste ponto é que fico abismado! Ensino minuciosamente, com todo cuidado, co-
mo se fazer uma purificação completa, mas, até uma pessoa como esta (extremamente interes-
sada e zelosa pelo que ensino no livro) o diabo consegue fazer deixar, passar por cima, coisas
importantes da purificação! É impressionante!
Enfim, o homem foi liberto de alguns ódios, idolatrias, práticas de bruxaria, astro-
logia, foi batizado nas águas, e o Senhor até lhe deu uma “degustação” de 20 minutos, de uma
reunião dirigida por Ele, depois da qual, nos pôs a conversar novamente, para aprofundarmos
todos os ensinamentos que desejava que ele recebesse antes de sua volta à Bahia.
E foram muitos, muitos ensinamentos mesmo!... Mas ele os bebia e anotava men-
talmente, com extremo cuidado. Aleluia!
O que estou notando é que o Professor está levando toda sua casa para Jesus;
pois, vez ou outra, trás alguém para uma limpeza geral.
Hoje, a estas horas, o irmão Iv. já deve estar no meio da viagem de retorno para
sua terra, cheio de esperanças de formar o bendito grupo.
Que o Senhor o apoie!
Aleluia!
Maranata!

17/01/2014 – Nossa reunião foi apenas com o irmão Ma., porém, foi para fazer-
mos uma cura interior e batermos um longo papo a respeito do Caminho. Foi muito frutuosa!
Ah, ia-me esquecendo, o irmão Ma. (depois que oramos pelo irmão Iv.) teve a visão de uma
banana e, logo em seguida, de um cacho delas.
Entendemos que o irmão Iv. seria um multiplicador; meu Deus, que o seja! Te-
nho orado tanto por multiplicadores! Aleluia!
Maranata!

7
19/01/2014 – Infelizmente, quando pensava já terem terminado todos os sintomas
da minha enfermidade urinária, eles recomeçaram com força! O Senhor, no entanto, me tem
dito constantemente, para eu permanecer firme. Ele está no controle. Aleluia!
Maranata!

20/01/2014 – Excelente reunião. Finalmente, o Senhor libertou a irmã Ca. de um


problema que há muito a apoquentava. Minha esposa foi quem dirigiu toda a operação. Aleluia!
Um espírito de medo ainda fazia com que eu não tivesse me libertado dos últimos
sintomas de uma enfermidade; embora eu não pensasse estar com medo, apesar da suadeira
estranha, que me acometia em certos momentos!
Fizemos uma Ceia e louvamos ao Senhor por nos amar desta forma.
Maranata!

23/01/2014 – Os sintomas voltaram!... Só sei que:


“Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos
amou.” , Romanos 8.37 é no que creio. Aleluia!
Maranata!

24/01/2014 – A reunião, das 15:30hs., foi maravilhosa. O Senhor nos informou


que iria estender nossa tenda, isto é: enviar mais irmãos para aprenderem conosco e serem
batizados com o Espírito.
Na verdade, contando comigo, já éramos seis pessoas nesta reunião; além de Je-
sus, claro!
Dei o testemunho da oração que o pastor de nossa congregação fez por mim, via
telefone, para completar minha cura. Depois da oração, ele me mandou pegar um copo com
água que abençoamos e do qual, tive de beber a metade, a outra metade sendo para derramar
sobre minha nuca. O que fiz.
Aleluia!
Maranata!

Capítulo 4
O Bom Filho
25/01/2014 - Todos nós já ouvimos a história do “filho pródigo”, aquele que aban-
donou a casa do pai e foi dilapidar toda sua riqueza no mundo, até cair no fundo do poço, a
ponto de chegar a comer a mesma comida que seu patrão dava aos porcos.
Porém, nunca ouvimos ninguém falar a respeito do irmão bom deste rapaz, e o
Senhor revelou à nossa irmã Cr. algo a respeito dele, em que eu nunca tinha pensado.
É que este bom filho, vivia na casa do pai, usufruía do que ele lhe colocava à dis-
posição, fazia trabalhos braçais para ele, mas, na verdade, não o conhecia verdadeiramente!
Isto ficou patente quando se irou, ao ver a festa que seu pai fez pela volta do seu
irmão!
Foi um choque para o irmão bom descobrir: a) como seu pai amava, b) como era
misericordioso e pronto a perdoar e, acima de tudo, c) como cobria de autoridade e poder a
quem perdoava e se humilhava ante ele!

8
Fiquei pensando nessas coisas e me lembrei de um fato que me aconteceu, quan-
do eu ainda estava no colegial, nas aulas de desenho. A professora, Dona Da., nos passava
trabalhos para fazer e eu, em no máximo dez minutos, os entregava prontinhos e perfeitos.
Cada prova ela me devolvia com a nota dez, enquanto ficava me olhando com um
olhar distante, sem dizer nada... Nunca entendi o que aquele olhar significava nem, o que ela
pensava de mim; mas, sentia que não devia ser boa coisa, apesar das minhas notas!
Talvez eu fosse vaidoso demais, penso!
Mas, voltemos ao bom filho, creio que ele representa a igreja fria, os irmãos que
cumprem seus rituais religiosos, estão sempre perambulando pela casa do Pai, fazendo tarefas
materiais; mas, sem nunca reconhecerem seus erros e se achando perfeitos e merecedores de
honrarias espirituais. Coitados!
Muitos deles vivem aprisionados à doutrinas e religiosas ostensivas, não têm a
menor ideia da nova vida que o Pai pode lhes dar enchendo-os com o Espírito, colocando-lhes
nos dedos anéis de autoridade e Poder, cobrindo-os com Sua Gloria!
Foi isto no que pensei ao meditar nesta revelação do bom filho. Cada um, agora,
pense e veja se descobre algo mais, neste tesouro revelado por Deus. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 5
RETRATO FALADO
26/01/2014 - Hoje, quando falamos em retratos falados, lembramo-nos, imediata-
mente, daqueles desenhos (ditados pelas vítimas) que a polícia faz dos bandidos, para poder
captura-los. Interessante é na Bíblia só existir mesmo um retrato falado de Jesus e, na vida
secular, nenhum pintor ou escultor ter feito um só rascunho da figura d’Ele!
E mais interessante ainda é que este retrato falado foi feito por uma pessoa que
viveu 700 anos, antes de Jesus vir ao mundo; portanto, por alguém que nunca O viu!
É como se Deus nos dissesse que tínhamos de crer (não saber) da existência de
Jesus! Assim como temos de crer em Deus, mesmo sem O termos visto.
E, certamente, para garantir que não deveríamos fazer nenhuma estátua ou figura
d’Ele, a Palavra diz aos de fé, em 1ª Timóteo 2.5:
“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus,
homem.”
Com este versículo fica claro como Deus quer que aceitemos Jesus: como um ho-
mem, isto é: um ser vivo, que pensa, anda, fala, vê e, agora, Reina sobre todos os Reis; por-
que venceu a tudo e todos, até o pesadelo de todos os mortais: a morte!
O retrato bíblico falado é perfeito, diz tudo o que precisamos saber a respeito
d’Ele, sem tirar nem por, e é mais que suficiente para os de fé, por isso vou transcrevê-lo:
“Quem deu crédito à nossa pregação? e a quem se manifestou o braço do Senhor?
Pois foi crescendo como renovo perante ele, e como raiz que sai duma terra seca;
não tinha formosura nem beleza; e quando olhávamos para Ele, nenhuma beleza víamos, para
que O desejássemos.
Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos
sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fize-
mos d’Ele caso algum.
Verdadeiramente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades, e carregou com as
nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

9
Mas Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das
nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos
sarados.
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu
caminho; mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de todos nós.
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado
ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim Ele não abriu
a boca.
Pela opressão e pelo juízo foi arrebatado; e quem dentre os da sua geração consi-
derou que Ele fora cortado da terra dos viventes, ferido por causa da transgressão do meu
povo?
E deram-Lhe a sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte, embora nunca
tivesse cometido injustiça, nem houvesse engano na sua boca.
Todavia, foi da vontade do Senhor esmagá-Lo, fazendo-O enfermar; quando Ele se
puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade
do Senhor prosperará nas Suas mãos.
Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o Seu conheci-
mento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniquidades deles levará sobre si.
Pelo que Lhe darei o seu quinhão com os grandes, e com os poderosos repartirá
Ele o despojo; porquanto derramou a Sua alma até a morte, e foi contado com os transgresso-
res; mas, Ele levou sobre Si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu.” (Isaías
53. 1-12).
Puxa! Setecentos anos antes de Jesus vir a terra está profetizado: que Ele seria
sepultado entre os ímpios (morto entre dois ladrões!) e teria uma sepultura com os ricos (uma
sepultura nunca usada, oferecida pelo crente: José de Arimatéia!).
E é interessante, também, este retrato falado começar com duas perguntas:
a) “Quem deu crédito a nossa pregação?”
b) “e a quem se manifestou o braço do Senhor?”
Interessante porque, ambas as indagações, hoje, são tão válidas quanto antes!
Quem deu crédito a nossa pregação? É a pergunta que pregadores (de todos os
tempos) fizeram e fazem, quando lançam a Palavra e esperam as decisões das pessoas, em
todos os lugares do mundo, vendo muitas lhes dar as costas.
E a segunda: a quem se manifestou; continua a ter a mesma resposta desde o
começo das Eras: manifestou-se aos eleitos, os quais o Senhor escolheu de antemão e deu esta
coisa totalmente fora do sistema lógico, secular, que se chama: fé!
Não se esqueçam jamais, de que aquelas palavras foram escritas pela fé, 700 anos
antes de Jesus nascer! Aleluia!
Maranata!

27/01/2014 – Ótima reunião. A irmã Ca., ao saber do meu problema com a enfer-
midade que vai e vem, acha que eu sou curado, mas, por alguma razão, deixo o inimigo levar a
bênção. Informei-a de que não estou mais querendo saber as razões disso e daquilo; já cansei
de procurar explicações, e as dores são desagradabilíssimas e desalentadoras.
Além disto, sinto-me mal, por saber estar trazendo para dentro do nosso ambiente
santo, um inimigo dependurado em mim. É vexatório!
Oramos por várias coisas e, em dado momento, deu-me vontade de dar alguns re-
ais à miss. Ca., para ela comprar chocolates e doces para dez crianças uruguaias com AIDS,
que ela trouxe para serem tratadas em João Pessoa.

10
As crianças estão hospedadas numa casa da miss. Ca. Eu não quis fazer minha
proposta imediatamente, porque gosto de doces e achei que aquilo fosse mais um impulso de
minha carne. Acontece que, no instante em que pensava nisso, minha esposa falou:
- Estou vendo um bocado de chocolates e doces!
Não tive mais dúvidas e entreguei à miss. Ca. o que o Senhor ordenou.
Alegrei-me no Senhor. Também fiquei muito alegre, quando a miss. Ca. nos disse
que os livros evangélicos que eu tinha doado para a igrejinha em Itambé, estavam sendo ale-
gremente disputados pelos irmãos de lá. Fiquei felicíssimo com isto!
Minha esposa pegou um pouco de azeite, oramos para ele servir para minha cura,
e instruiu-me a tomar um pouco dele, a cada refeição. É o que vou fazer.
Eu vi uma aranha, num canto do teto de casa, oculta por baixo de uma teia. Minha
esposa disse que era uma velha idolatria que eu ainda lhe tinha e que devia destruir. Fiz isso.
Aleluia!
Agora, é aguardar, novamente, a bendita cura.
Maranata!

Capítulo 6
O ÍDOLO É LETAL
29/01/2014 - Só agora me dei conta do poder nefando do ídolo oculto na vida do
ser humano. Claro que já tinha lido que o ídolo trás maldições para quem o faz ou possui:
”tornem-se semelhantes a ele”! (Salmo 115.8).
Claro, também, que uma pessoa ficar como um ídolo significa ela ficar: cega, sur-
da, muda, paraplégica e, finalmente, morta! E isto pode acontecer tanto física quanto espiritu-
almente. No mínimo a pessoa irá adoecer e, de enfermidade e enfermidade, chegar ao final
numa: morte cediça!
Por que o ídolo é tão letal assim? A resposta é bem fácil: porque é construído com
os mesmos materiais demoníacos dos quais, são feitos a: traição e o ódio!
Jesus é Deus (o Eu Sou) o Caminho, a Verdade e a Vida, exatamente o oposto do
ídolo que: não é nada, não leva a Deus, é todo construído por mentiras e está: morto!
O pior nisto tudo é que, quando o ser humano toma um ídolo e o entroniza como
seu Deus, agarra-se diretamente com o demônio; pois, é ele quem incita as pessoas a fazerem
e possuírem ídolos!
Quando Adão estava no Paraíso, onde nada (absolutamente nada) podia lhe fazer
dano e ele mandava e desmandava a bel-prazer, o diabo descobriu em Eva, uma brechinha
para lançar sua semente maligna.
Eva, tanto pode representar a carne humana quanto o povo judeu! Representa
uma pessoa que opta pelo sentimento, por algo que lhe agrada os sentidos ao invés de seguir o
que Deus falou. Adão também procurou agradar a sua carne: Eva.
O ídolo que o diabo pôs no coração daquele casal foi o da soberba, que os atraiu
com a promessa de poderem saber e serem maiores que Deus. A mesma soberba que tinha
condenado o diabo ao inferno!
O mais terrível no ídolo é que ele, além de poder matar; começa seu trabalho ce-
gando e ensurdecendo as pessoas espiritualmente, impedindo-as de verem seus pecados e
de ouvirem o que Deus tenta lhes mostrar e falar a respeito; e rejeitando os enviados que Deus
lhes manda orientar, como se seus inimigos fossem!

11
Eu sempre ficava impressionado em como pessoas que me parabenizaram pelo
meu livro, “Jesus, o Leão de Judá” (que disseram ter feito a purificação ali ensinada, e recebido
o batismo com o Espírito Santo), ao terem um contato telefônico (ou pessoal) comigo, posteri-
ormente, mostraram não ter feito a purificação corretamente!
Elas, de alguma forma, não viram ou, subestimaram uma coisa e outra e, assim,
os inimigos ficaram ocultos no coração delas, aguardando... Felizmente consegui desalojar vá-
rios de suas vidas, mas, podem ter restados outros!
O que eu não percebia, enquanto as ajudava a se libertarem dos ídolos, é que ha-
via alguns deles, em meu próprio coração; apesar de Deus me chamar a atenção para a gravi-
dade disso, por meses!
O povo judeu foi um exemplo do que é se viver com e sem ídolos. Quando se
afastavam do caminho de Deus indo após ídolos, fracassavam; quando se arrependiam e os
destruíam: vitoriavam!
Quando os judeus quiseram um rei ao invés de serem dirigidos por Deus, estavam
dando às costas a Deus e querendo um ídolo que pudessem: ver, medir e contar. De fato, todo
ídolo é uma forma pela qual o ser humano pensa conseguir ter Deus nas mãos!
Mas, quando não se quer a intervenção e ajuda do Deus verdadeiro e se busca ou-
tro ajudador, mostra-se que se está odiando Deus, pois, não se está querendo vê-Lo, nem
ouvi-Lo, nem falar com Ele (e tais coisas indicam: ódio!).
O idólatra pega um ídolo, coloca-o aqui e ali, leva-o para cá e acola, nem se toca
de que, quando o ídolo se quebra, ele, o idólatra, é quem tem de consertá-lo. Quando as mos-
cas fazem titica neles, são os idólatras quem os limpam, restauram, etc... Depois disso, se ajoe-
lham ante eles e lhes pedem ajudas, que contrassenso!
Há poucos dias Deus mandou um raio contra o “Cristo” do Corcovado e quebrou
um dedo daquele ídolo, à vista do mundo inteiro. Agora, homens o estão consertando, aumen-
tando o poder dos para-raios para protegê-lo; para, depois, considerarem o Rio de Janeiro pro-
tegido por ele!
Loucura completa, estes homens mostram que ficam como o ídolo até em outro
ponto: desmiolados!
É impressionante ver, também, como pessoas que são elevadas a ídolos pela mí-
dia, política, esportes, artes, ofícios ou movimentos sociais, no final, têm uma vida que não vale
ser vivida! Raros escapam desta sina, contam-se nos dedos...
Outro dia vi um documentário sobre a vida da Marylin Monroe e outro, sobre o
Marlon Brando, que coisas tristes; mas, hoje mesmo, tem muitos destes ídolos já infelizes, des-
pontando, vejam o caso do cantor Justin Bieber, coitado!
Já não me admiro mais quando falo a católicos que eles são idólatras e eles se
iram contra isso! Suas igrejas são pejadas de ídolos, carregam-nos publicamente em procissões,
mas, não aceitam serem idólatras (logo, consideram idolatria errada, degradante ou, no míni-
mo, idiota!); arranjam mil e uma desculpas para seus erros, pensando poderem tapar o sol com
uma peneira.
A realidade é que eles não veem! Estão surdos além de cegos! Não conseguem
andar no Caminho!
Só a misericórdia de Deus é capaz de abrir olhos e desatarraxar ouvidos de idóla-
tras. Foi justamente isto que aconteceu comigo, sabem? Muita misericórdia!
Fui católico, beijava pés de santos, mãos de padres e, quando menino, tinha até a
pintura de uma “santa”, dependurada na minha cama, que beijava antes de dormir.
Imundície, beijar mortos; mas como tem gente que gosta de fazer isso: já vi pela
tevê, pessoas beijando cadáveres colocados em caixões de vidro! A idolatria leva a esta atração
por ossos, mortos e trapos, que chamam de: relíquias!
Antes eu nem sabia o que era ser: santo!

12
Mas desculpas não apagam pecados, pois está escrito:
“Quando um príncipe pecar, fazendo por ignorância qualquer das coisas que o Se-
nhor seu Deus ordenou que não se fizessem, e assim se tornar culpado, levará o peso de sua
culpa” (Levíticos 4.22).
Dou graças à misericórdia de Deus que, aos poucos, foi tirando a venda dos meus
olhos, os tampões dos meus ouvidos, e me fazendo ver seus emissários e ouvir Suas Palavras.
Então, um dia comecei a andar como Lázaro, a quem Jesus ressuscitou, entregando-me, ainda
amarrado, aos irmãos, para ser liberto por eles.
Hoje, sei que santo não é uma pessoa que algum papa consagra! Na maioria, es-
tas são pessoas “canonizadas” serviram aos interesses do catolicismo e do papa; o que,
com certeza, não significa que serviram bem a Deus, por catolicismo ser uma seita!
Santo significa: separado por Deus ou separado para Deus.
Isto é, quando Deus separa algo para Ele, aquilo se torna santo. Um galho pode
ser santo, um caixote, qualquer coisa ou pessoa!
Por exemplo: a vara de Moisés e a Arca da Aliança!
Nem todos são chamados por Deus, por isto, só alguns hão de ver e ouvir o cha-
mado divino, deixar os ídolos de lado, e entrar no Caminho da Verdade e da Vida.
Jesus falou sobre os não escolhidos, ao dizer:
“Deus lhes deu um espírito entorpecido, olhos para não verem, e ouvidos para não
ouvirem, até o dia de hoje”, Romanos 11.8.
Portanto, bem-aventurados (santos) são os que têm olhos para ver e ouvidos
para ouvir. Aleluia!
Os primeiros ídolos que eu tinha, consegui tirar de minha vida com relativa facili-
dade. Mas vi como o inimigo agiu nestes momentos decisivos, usando todo seu poder demonía-
co para me confundir e fazer desistir. Vi como o vidro fino da moldura de uma pintura tornou-
se de uma resistência incrível ou, como tocar fogo em livros imundos e ídolos de madeira, foi
difícil.
Porém, mais difícil, é quando o Senhor quer nos mostrar um ídolo oculto em nos-
so coração!
No primeiro caso destes, comigo, comecei a me sentir doente, muito mal, pensan-
do até que tinha chegado a hora de minha partida e, depois de alguns dias assim, durante uma
reunião de oração, para meu espanto, viram um ídolo no meu coração.
- Eu, com ídolos?!!... Mas eu sou contra eles!... – ergui-me.
Depois de negar, como todos fazem, aos poucos me foi mostrado aquele ídolo era
minha netinha: imaginem!
Finalmente, tive de confessar que era verdade! Tinham razão! Eu adorava aquele
pequenino ser. Confessei meu pecado e, imediatamente, fui curado.
Existe outra maldição a respeito dos ídolos diretamente ligada aos casos acima, e
que diz:
“Não meterás, pois, uma abominação em tua casa, para que não sejas amaldiçoa-
da, semelhante a ela; de todo a detestarás, e de todo a abominarás, pois é amaldiçoada”, Deu-
teronômios 7.25-26.
Muitos irmãos podem estar com sérios problemas de saúde, pedindo ajuda a Deus,
porém, a única ajuda que Deus pode lhes dar, é lhes apontar os ídolos que mantêm ocultos no
coração, para que os lancem fora, e Deus possa entrar em suas vidas e curá-los.
Lembrem-se de que nosso corpo deve ser um Templo do Espírito, casa santa para
Deus; assim, quando acobertamos um ídolo no coração, ficamos: amaldiçoados!
Como Deus nos tirou do mundo, sabe dos nossos problemas, do nosso histórico, e
é misericordioso, nos dando suficiente tempo para agir; porém, se não nos livrarmos dos ídolos
logo, o demônio agirá.

13
Será que quando Deus mandou Abrahão matar Isaque, não foi por Abrahão ter
passado a idolatrar aquele filho? Pondo no mesmo (e não em Deus) toda sua fé de que Deus
iria cumprir Suas promessas?
A minha segunda experiência de libertação pelo poder do Senhor, do meu segundo
ídolo oculto, foi bastante demorada, desgastante, e: dolorosa! Não queiram passar por ela.
Depois de meses de orações feitas por várias pessoas e grupos, só em uma reuni-
ão dessas, depois de ter tido uma conversa com Deus na qual, confessei minha enfermidade
ser por culpa minha (mas, como não sabia de onde me vinha a culpa, não podia pedir um per-
dão, ser perdoado e curado!) foi que vi uma espessa teia de aranha, bem no cantinho do teto
da nossa sala e, escondida nela, uma aranha negra, enorme.
Quando disse isto, minha esposa falou que aquilo era um ídolo e, logo em seguida,
acrescentou que tal ídolo era: ela!
Eu a estava adorando, como fiz com minha neta! E isso até a vinha incomodando,
há tempos... Pedi perdão, expulsamos o inimigo e pronto! Tudo resolvido.
Por isso, insto a todo cristão que procure se livrar dos ídolos ocultos, o mais cedo
possível, por que:
“Por amor de mim, por amor de mim o faço; porque como seria profanado o meu
nome? A minha glória não a darei a outrem”, Isaías 48.11.
Além disto, Ele também diz:
Eu sou Deus; também de hoje em diante, eu o sou; e ninguém há que possa fazer
escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá?”, Isaías 43.13.
Deus é de tal santidade que, algo que consideramos uma bobagem, como meu
“excessivo amor” pela minha neta ou esposa, na verdade, eram: idolatrias abomináveis,
para Ele.
No dia seguinte alertei um irmão pela internet e ele riu e me disse que já estava
limpo. É isto que o ídolo faz: cega e ensurdece, pois eu sabia que ele não estava limpo. Fazer o
que?
Espero que, hoje, ele esteja limpo de fato, para não passar pelo que passei. Avisa-
do ficou, assim como avisados estão os que lerem este capítulo.
Alerto aos irmãos que qualquer coisa (qualquer coisa mesmo!) ou pessoa ou ani-
mal, pode ser transformada em um ídolo, por exemplo: uma religião, uma doutrina, um pastor,
um padre, uma autoridade eclesiástica, um pedaço de pano (relíquias), um trabalho secular,
uma arte, um astro do esporte, da música, do cinema ou tv, dinheiro, um gato, um cachorro,
um buda, um rosário, um pé de coelho, uma filosofia, um time, uma oração, etc.
Isto:
“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus,
homem”, 1ª Timóteo 2.5.
Com certeza ídolos podem matar, porque, ao dar as costas à Verdade e à Vida,
abraçando-se a um ídolo, você estará optando pela mentira e pela morte; portanto, cuide-se
enquanto tem tempo!
Peça ao Espírito Santo que ele lhe mostrará se você tem ou não ídolos no coração.
Mas não vá maltratar os mensageiros que Ele lhe enviar para atender seus pedidos. Aleluia!
E, para finalizar, podem estar se fazendo a pergunta: Mas como saber se estou
amando, respeitando, ou adorando (idolatrando) algo ou alguém?
A resposta é bem simples: a) Quando acha que não pode viver sem aquilo ou
aquela pessoa e b) quando acha aquilo ser a razão de sua existência; está adorando!
Aleluia!
Maranata!

14
31/01/2014 – Ótima reunião. Curioso foi que o irmão Ga., quando vinha, teve uma
visão onde me viu bem feliz, contando minha cura!
Hoje, foram sete pessoas e um garoto. Um casal foi purificado, recebeu o batismo
com o Espírito Santo, batizado nas águas e casado ante Deus.
Este casal recebeu inúmeras instruções e, em dado momento, uma irmã viu duas
árvores unidas por um tubo, cada árvore de um lado de um rio e uma delas, atolada no solo (só
aparecia sua copa!) enquanto a outra em posição normal.
Imediatamente soube que era a respeito do casal. Quando oraram pedindo o dom
de línguas, o Senhor tinha dado a uma irmã a visão de um “pé de cabra” (aquelas barras de
aço!) e entendi que eles iriam precisar de um estímulo para orar em línguas.
Falei para me acompanharem enquanto eu orava em línguas, mais alto e, pelo que
me pareceu, ambos tinham orado; porém, não foi o caso!
Logo, desconfiei do homem, e lhe perguntei se tinha conseguido orar e ele me in-
formou que sim. Perguntei-lhe se tinha orado em línguas ou em português e ele, todo encabu-
lado, disse-me: que em português!
Expliquei-lhe que ele estava se envergonhando de um dom de Deus e que Jesus
tinha dito que aquele que se envergonhasse d’Ele (ou de qualquer dom d’Ele, claro!) diante dos
homens, Ele se envergonharia daquela pessoa diante os anjos de Deus. Ver Marcos 8.38.
O homem ficou pálido e instei, novamente, para me acompanhar em línguas e,
enquanto ele o foi fazendo, a irmã viu a árvore que estava enterrada na areia ir se levantan-
do... Aleluia!
Interessante foi o Senhor ter usado dois irmãos amigos (o irmão Ac. e a irmã Al.)
para fazerem o casamento; e dois rapazes amigos (o irmão Ma. e o irmão Ga.) para fazerem o
batismo do casal nas águas.
Depois disso oramos por tudo o mais que o Senhor ordenou. Aleluia!
Maranata!

03/02/2014 – Hoje pela manhã tivemos uma reunião extra, mas, nem sei se vou
poder lembrar tudo de maravilhoso acontecido nela! A coisa começou ontem, quando fomos a
um restaurante almoçar e nos encontramos com um casal de quem muito gostamos, saindo do
mesmo.
Cumprimentamo-nos, batemos pequeno papo e, ao retornar nosso caminho, falei
para minha esposa como tinha achado o marido daquela mulher magro e sugado de energias. A
partir de agora, vou chamar aquele homem de marido e aquela mulher de mulher, para nos
situarmos.
O caso é que aquele homem, o marido, muitos dias antes, ao saber que o irmão
de minha esposa (o qual tem sido verdadeiro pai para ele) ia fazer uma operação as 6:00hs. da
manhã de hoje, nos convidou para fazermos uma hora de orações pelo enfermo, hoje, a partir
daquele mesmo horário.
Fiquei desconfiado de algo mais, ali; aquela reunião de oração não iria ser só para
o enfermo; pois, já tínhamos feito isso há meses, no mesmo dia em que soubemos daquela
operação! E orações não enfraquecem com o tempo!
Porém, sabendo que:
“todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que
são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8.28), nos reunimos.
Coisas curiosas aconteceram antes da reunião: a primeira foi a de eu me ter acor-
dado antes de minha esposa; outra, foi uma conversa que aquele casal teve entre si, no dia
anterior.
Eu tinha orado para o Senhor agir quanto aos problemas que poderiam ocorrer,
caso a mulher (católica sincera) também viesse para a reunião e, ao vê-la com o marido na

15
porta de minha casa, entendi como estava certo: a reunião não iria ser só pela cura do enfer-
mo!
Oramos uns trinta minutos em prol do doente, limpamos o quarto hospitalar dele
de toda contaminação, pedimos para o Senhor enviar anjos para o quarto operatório, e pedi-
mos-Lhe, para dirigir as mãos e mentes dos médicos. De repente, vi um ídolo de Aparecida na
sala. Pensei logo na mulher.
Eu orava em línguas audivelmente, o marido da mulher não sei como estava oran-
do (ele já ora em línguas, e tinha sido instado para orar nelas!), minha esposa orava em línguas
e em português, alternadamente; quando, de repente, resolveu que todos devíamos apenas
clamar: Jesus!... Jesus!... Jesus!...
Expliquei ao casal tudo a respeito deste Nome, dele ser o Nome que está acima
de todos os nomes, e o único pelo qual somos salvos. Passado meia hora, tive a visão do mari-
do parado no meio de uma encruzilhada, depois outra visão dele, diante de uma Bíblia.
Percebi que ele precisava decidir qual caminho tomar. Contei-lhes a visão e lhe ex-
pliquei que, nestes casos, devemos pedir orientações ao Senhor e: nunca, jamais, escolher pelo
próprio tirocínio.
Falei também de:
“E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine
em vossos corações; e sede agradecidos.” (Colossenses 3.15) ou seja: se, ao tomar uma deci-
são, ficasse se sentindo inquieto; parasse e procurasse outra solução, até encontrar aquela que
o deixasse em paz.
O homem caiu no choro! Estava sobrecarregado de trabalhos e, no dia anterior,
sua esposa já desesperada com a situação dele, resolveu fazer um dia de: “tudo diferente”.
Fora um dia chuvoso, mas, mesmo assim, ela “convidou” o marido para irem à
praia!
Disse-nos que ambos tinham compromissos naquele dia, porém, nem se lembra-
ram deles: tomaram banho de mar (na chuva), passearam na praia (na chuva), e o seu marido
não deu nem um espirro! Alegou-nos que, antes, com qualquer pocinha d’água, ele se incomo-
dava.
Primeiro alerta: o Espírito estava querendo mostrar àquele homem, que ele pensa-
va que era ele quem mantinha a própria saúde. Porque, além dos extenuantes trabalhos e das
responsabilidades gigantescas que tinha, ainda fazia: ginásticas numa academia, longas cami-
nhadas, e vivia obcecado por qualquer dorzinha no corpo. Claro que o diabo se deliciava com
isso!
Foi alertado deste tipo de autolatria e entendeu perfeitamente, libertando-se dela.
Minha esposa ainda tentou me fazer voltar a orarmos pelo seu irmão, que ia se
operar. (Compreendi sua insistência, afinal era seu irmão!). Porém, estava na sua frente e con-
tinuamos a orar por aquele marido. Depois de choro copioso ele nos informou que tudo o que
eu tinha revelado ali, sua mulher lhe tinha dito no dia anterior; por isto, sentiu forte a mão do
Senhor.
Então, falei dos problemas da idolatria em geral. Contei-lhes de minha idolatria por
minha neta e por minha mulher; além da que tinha tido muito antes, por relógios e tempo.
O caso é que todas estas idolatrias aquele marido também tinha ou teve! Sua
mulher confirmou tudo, ao vê-lo sendo liberto. Ela nos disse que ele lhe afirmava que aceitava
até adoecer, mas não suportava vê-la doente!
Enquanto isso, ela se ufanava por não ter nenhuma idolatria (a casa dela é um
museu de ídolos católicos, acreditem!).
Virei e revirei a Palavra ensinando-lhes tudo o que podia a respeito dos ídolos, ex-
pliquei-lhes como eles cegavam, ensurdeciam, etc.; como Deus não entrava numa casa que
tivesse ídolos; como era o caso daquele marido, cujo corpo devia ser uma casa (templo) do

16
Espírito Santo; expliquei-lhes tudo isso sem tocar, num só momento, nos grotescos ídolos cató-
licos da mulher. Aleluia!
Depois, o marido nos disse que estava fazendo uma caminhada (além dos exercí-
cios (ufa!)) quando um cara saiu de uma esquina e deu-lhe tal encontrão, que o jogou ao solo.
E aquele homem, cujas mãos estavam manchadas (não sabemos por que!) de sangue, o segu-
rou, levantou e, para seu maior horror: “limpou-lhe” os joelhos arranhados, com aquelas mãos!
Esclareci que o Senhor estava lhe mostrando como Ele tem o controle de tudo.
Não eram seus exercícios, nem cuidados (idolátricos) com corpo que lhe protegeriam e dariam
saúde, mas o: Senhor! Pensar o contrário disso é: idolatria.
Lembrei-os de como, hoje, quando os homens passaram a adorar mais a criatura
(o corpo físico) ao invés do Criador, aumentando suas academias (templos dos corpos) eles
desmunhecaram; quanto, o lógico seria ficarem mais machões!
Deus explica porque este fenômeno acontece, em Romanos 1.21-32; quem quiser
que leia!
Finalmente a reunião terminou e, enquanto minha mulher telefonava para o Rio,
(onde seu irmão estava sendo operado) disse ao marido que ele podia se espichar na poltrona
e relaxar. Ele não se fez de rogado, estava tremendamente descontraído e feliz!
Jesus tinha lhe tirado todo o peso dos ombros. Foi exatamente isso que ele contou
por telefone, à irmã dele, do Rio. Aleluia!
Outra coisa que me maravilhou foi como o Senhor usou a idolatria daquele marido,
junto com a do meu cunhado, mais as que eu tinha; para mostrar o perigo da idolatria, tam-
bém àquela católica, sem tocar nos ídolos dela!
Em nenhum momento a mulher foi magoada, pelo contrário, ficava bastante feliz
quando o Senhor me dava uma revelação que era exatamente igual à que ela tinha dado ao
seu esposo, no dia anterior. Impressionante! Aleluia!
Outra coisa maravilhosa foi que, na congregação que frequento, à noite o pastor
pediu que todos os irmãos se levantassem e orassem por mim; sem nem eu, nem alguém de
minha família ter-lhe pedido isto.
Ao fazer tal coisa me abriu, também, uma oportunidade nos testemunhos, para eu
falar sobre o perigo dos ídolos ocultos, que poderá ser utilíssimo a todos. Aleluia!
Maranata!

04/02/2014 – Nossa reunião costumeira da segunda-feira, ontem, foi transferida


para hoje. Vamos ver no que dá.
A reunião não foi tão boa quanto esperava, porque cometemos bobeira logo no
começo dela, o que nos atrasou bastante. A bobeira foi o fato de não termos procurado orar
pela irmã Ca, que tinha se submetido a uma pequena cirurgia no dia anterior!
Já tínhamos aprendido que, se algum irmão vem enfermo ao grupo ou, de visitar
algum ambiente carregado, a primeira coisa a fazer é se orarmos por ele e procurar libertá-lo
do demônio (ou das imundícies) que se agarraram nele.
Começamos a fazer isto com a irmã Ca., porém, como começamos a entrar na ba-
se de suposições e adivinhações, resolvi parar um pouco (para relaxar), orando por outras coi-
sas... Depois voltaríamos ao caso da irmã, mas nos esquecemos!
Foi a partir daí tudo degringolou.
Finalmente, acertamos o rumo e a coisa se normalizou. Isso, quase na metade do
tempo normal da reunião! Bem, serviu para não nos esquecermos da prioridade dos enfer-
mos. Aleluia!

17
05/01/2014 - Inconformado por termos perdido aquela meia hora de bênçãos, pedi
ao Senhor para me dizer o que ocorrera exatamente, e acordei com a resposta. Só precisava
confirma-la com a operada.
Telefonei-lhe e perguntei se tinha chamado algum irmão para ajuda-la a tomar
posse da sala de cirurgia, pedir anjos para guarda-la, e pedir para o Senhor guiar os médicos.
Ela me disse que não fez isso por que: não quis incomodar ninguém!
Estava tudo explicado, na semana passada, quando nos disse que ia fazer a cirur-
gia, antes de nos prontificarmos a dar-lhe qualquer apoio, nos avisou que não precisávamos
nos preocupar; pois, seria uma cirurgiazinha boba. Por isso, relaxamos!
No começo da nossa reunião, quando falou dos sonos perturbados que vinha ten-
do e os atribuiu aos efeitos da anestesia, também acreditei estar tudo bem e, agora, fui eu
quem não quis chateá-la, fazendo-lhe aquela pergunta que o Senhor me tinha dado para lhe
fazer, no início da reunião (“- Você tomou posse da sala e pediu para o Senhor guiar os médi-
cos?”).
Enfim, quando paramos de orar pela irmã, minha mulher recebeu do Senhor or-
dem para que não parássemos; porém, para não nos chatear ela, também, resolveu se calar.
Pecados sobre pecados...
Estava tudo explicado e bem explicadinho. Cada relaxo (desobediência) nosso,
somou-se e deu no que deu!
Bem, talvez um dia aprendamos a fazer as coisas corretamente, agora, é aguardar
a próxima segunda-feira. Sussspirosss!...
Maranata!

07/02/2014- Nossa reunião das 15:30hs foi muito boa, embora nem possa lembrar
tudo o que foi feito, porque foi muito variado. Enfim, valeu a pena! Aleluia!
No entanto, quando ia para a sala das reuniões, vi no meu tablete um e-mail de
uma irmãzinha de Belém, a Ja., que me informou que estava na internet procurando mais co-
nhecimentos sobre o batismo com o Espírito, quando deu com meus livros, fez a purificação
ensinada no meu livro: “Jesus, o Leão e Judá”, recebeu seu batismo com o Espírito Santo e o
dom de línguas. Aleluia!
Outra coisa interessante foi que o irmão Ac. perguntou ao Senhor (conforme eu
lhe tinha sugerido) se ainda tinha algum ídolo e Ele lhe respondeu que: “- SIM!”. Assustado, o
irmão Lhe perguntou qual seria o ídolo e o Senhor lhe disse: “- Você mesmo!”.
Então, o irmão foi relembrando de sua vida desde criança, quando em todas as es-
colas terminava ensinando (principalmente matemática) aos professores, até na Universidade!
Ele foi o primeiro (ou único, não sei) aluno do Nordeste a entrar no “ITA” apesar
de ter nascido numa cidadezinha esquecida no nada, sem a menor chance de conseguir isso!
Daí, ele se achava o máximo, centro de tudo, rei da cocada preta! Pediu perdão e
ficou todo feliz. Aleluia!
Maranata!

10/02/2014 – A irmã Cr. (com quem oro frequentemente por telefone) me ligou,
para orarmos por um problema dela. O curioso é que, toda vez que oro por um problema dela,
em seguida, ela ora por um meu, sem eu nem lhe pedir!
Perguntei se tinha recebido meu artigo sobre ídolos ocultos e disse-me que sim,
então, perguntei-lhe se tinha descoberto algum nela, e percebi que vacilou.
- Vamos orar por isso, convidei-a!
O Senhor me deu algumas visões e, no final, ela as confirmou serem sobre ídolos
que ainda tinha; libertando-se dos mesmos. Aleluia!
- Agora, vamos orar pelo que o Senhor quiser, disse-lhe.

18
Desta vez, assim que começamos a orar, tive a visão do número 6 (o número
completo é o 7!) com um sinal de mais e um de menos depois dele e, imediatamente, falei para
ela que aquilo se referia à minha cura “incompleta”, que se arrastava há meses.
Então orou por mim e tive uma visão na qual, me vi olhando por um tubo de pa-
pel, como se aquilo fosse um telescópio.
- Puxa um tubo sem lentes, não amplia nada! – comentei.
- É, mas focaliza a visão num ponto! É isso que está atrasando sua cura: você não
larga seu modo de doente! Puxa, pensei, ela está coberta de razão!
Eu bem que queria não estar fixado naqueles sintomas da enfermidade; porém,
eles me deixavam terríveis incômodos o tempo todo. Como deixar de me lembrar deles, sentin-
do tais coisas? Só com ajuda do Senhor!
Assim, depois de mais algumas orações, nossa reunião telefônica findou. Aleluia!

14:00hs. – É hora da nossa reunião costumeira, de segunda, com a irmã Ca. e mi-
nha esposa. Vamos aguardar.
A reunião foi ótima. Oramos profeticamente, por várias coisas que o Senhor orde-
nou. Ele nos abraçou e nos lembrou de que todos nós Lhe tínhamos dito: “Eis-me aqui”; por
isso, Ele estava satisfeito conosco.
Nesse momento ele fez uma aliança (superpoderosa!) com minha esposa; através
do versículo de Êxodo 34.10 e nos afirmou que a mesma já estava valendo a partir daquele
momento. Fiquei impressionado!
Disse o Senhor a minha esposa:
“Eis que eu faço um pacto; farei diante de todo o teu povo maravilhas quais nunca
foram feitas em toda a terra, nem dentro de nação alguma; e todo este povo, no meio do qual
estás, verá a obra do Senhor; porque coisa terrível é o que faço contigo”. Êxodo 34.10.
No final vi uma espécie de olho, formado por duas pálpebras triangulares, feitas de
pauzinhos de picolés colocados na horizontal, um cada vez menor do que o outro, formando os
triângulos. No meio destas pálpebras, estava a íris de um olho humano.
Minha esposa lembrou que dois triângulos entrelaçados (signo de Salomão) simbo-
lizavam a natureza trina, humana, em comunhão com a Trindade divina (o mesmo que me
tinha vindo à mente); mas a irmã Ca. nos alertou de que os dois triângulos não estavam entre-
laçados e sim, separados pela íris, e representavam a forma como o ser humano capta as coi-
sas e reage a elas: pelos sentidos!
Por exemplo: eu ainda não estava totalmente curado, porque estava fixado nos
sintomas!
Depois disso, o Senhor nos orientou a começarmos a prestar mais atenção em
nosso dia-a-dia, na forma como reagíamos aos fatos, para mudar nossos comportamentos er-
rados. Ele está querendo poder nos usar mais. Aleluia!
Depois de a reunião terminar, fui até meu computador para ver se tinha alguém
em busca de ajuda. O bicho não funcionou! Tinha funcionado perfeitamente pela manhã e,
agora, nem sua tela abriu!
Minha esposa orou para que ele voltasse a funcionar, o religamos e: nada!
Juntei esta decepção à da tardança de minha cura. Porém, preferi ficar sem recla-
mar; depois de algum tempo sem descobrir a razão pela qual meu PC não funcionava, telefonei
para meu amigo P. que o conserta.
Ele prometeu vir hoje mesmo. Porém, já à noitinha lhe telefonei e me disse que
não tinha podido vir por estar acabando de consertar o PC do filho dele. O meu ficaria para o
dia seguinte, o que agradeci.

19
Hoje, cedo, resolvi dar outra examinada no monitor, talvez descobrisse porque ele
não acendia e, HEUREKA!, descobri! Estava desligado! Ele tem um botão de desligar e alguém,
(com certeza não fui eu) o desligou.
Talvez, minha esposa o tenha desligado sem querer ao limpar o quarto; não sei!
Perguntei-lhe e ela disse quem nem tocou nele.
O certo é que o Senhor me testou e acho que não gostou muito de minha forma
de reagir!
Puxa! Ele me pegou na virada, como se diz vulgarmente. Mas vou melhorar. Tenho
de melhorar, quero produzir mais para Ele. E só conseguirei isso: mudando meu comportamen-
to, renovando minha mente.
Maranata!

Capítulo 7
ENERGIA LIMPA E GRÁTIS?
Nós não podemos ter energia grátis: NUNCA, isso fere os princípios da física; e
energia limpa é quase a mesma coisa; porque você só conseguirá energia alterando o estado
de equilíbrio das coisas, mudando algo em outra coisa, a qual pode se tornar um perigoso:
refugo! A energia atômica é o exemplo gritante disso, assim como a energia das pequeninas
pilhas.
Considera-se a energia térmica, provinda da queima de combustíveis, como suja,
pelos seus resíduos; e a adquirida por meio eólico, fotovoltaico ou hidrelétrico, como limpas,
por não deixarem resíduos. Pelo menos aparentemente não deixam, mas será isso verdade
verdadeira?
Quando levantamos um poste e colocamos uma hélice, lá em cima, para mover um
gerador, certamente estaremos obtendo uma energia praticamente: limpa e gratuita! Não ve-
remos um só resíduo. Mas, quando montamos centenas destes aparelhos na extensão de um
litoral (em seus pontos mais estratégicos) estamos conseguindo, além de energia: problemas.
Se uma planta de turbinas eólicas está gerando 100 megawatts de energia, está
roubando esta energia do vento, o qual irá fazer um trabalho mais fraco 100 megawatts, atrás
das turbinas, bem diferente do trabalho que vinha fazendo por séculos.
Claro, roubado de energia, mais fraco, o vento não poderá fazer o mesmo trabalho
que fazia antes e, com certeza, irão ocorrer mudanças no eco sistema!
Aliás, outro problemão com as turbinas eólicas já foi descoberto, foi o da matança
de milhares morcegos! Estes animais se confundem com as hélices em movimento, se chocam
contra elas e morrem aos montes. E sabiam que eles são excelentes polinizadores naturais,
noturnos; importantíssimos para o eco sistema?
Com certeza há outros problemas que ainda não foram detectados, mas que irão
ser um dia.
Vejamos o que acontece com a transposição das águas de um rio. Quando faze-
mos um canal para roubar parte da água de um rio e leva-la para outro local, estamos dimi-
nuindo a força com a qual este rio empurrava o mar, na sua foz, impedindo o mar de adentrar
no continente.
Com menos água resistindo, a consequência é a água do mar avançar (proporcio-
nalmente à água roubada) rio à dentro, mudando todo o eco sistema ao redor de onde sua

20
força deixou de alcançar; e vai deixar salobra a água daquela parte do leito. Não há como se
evitar isso!
Das hidroelétricas nem é preciso se falar, além de diminuírem o fluxo das águas,
elas engolem o eco sistema e até cidades inteiras, logo nos seus projetos.
Voltemo-nos para a energia solar; muitos falam de quanta energia do sol ser des-
perdiçada na terra, sem pensar que esta energia, que dizem estar sendo desperdiçada, faz
parte da energia global que mantem nosso eco sistema equilibrado há séculos.
Não vão querer nos convencer que, roubando quilômetros e quilômetros quadra-
dos (com seus espelhos ou captadores fotovoltaicos) desta energia, tudo continuará a ser como
dantes! Pode não ser visível hoje, mas o tempo mostrará o engano e, quem sabe, tarde de-
mais!
Diante destes fatos constrangedores, me perguntarão: “-Então você é contra o de-
senvolvimento humano?”.
A resposta é um tanto ou quanto constrangedora também, pois, direi: o ser huma-
no não tem como evitar os desastres que causa ao seu redor!
“Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no maligno.” 1ª João
5.19. De fato, o homem natural é dirigido pelo maligno o qual visa a destruir toda a raça huma-
na.
Desde Adão a luta entre o Diabo e Deus acontece e, Deus não quer intervir de um
sopapo, porque isso só iria piorar ainda mais, a situação dos seres humanos. Por isso, Ele pre-
fere voltar a arma do caçador contra o próprio; e faz com que tudo o que o diabo planeja de
mal, termine redundando em oportunidades, que Deus dá aos seres humanos, para se voltarem
para Ele, e aprenderem com Ele a consertar o que já destruíram.
O maior problema é que os homens pensam Deus ser inatingível; que só religio-
sos extremados, talvez possam se aproximar d’Ele ou, que Ele exija sacrifícios demais, para um
contato mais íntimo.
Mas, como disse um irmão: “Deus é: alcançáveis”.
Deus quer que cada ser humano, cada organização humana (estados, países, go-
vernos, universidades, escolas, fábricas, comerciantes, cientistas e industriais) se volte para Ele
e faça com Ele uma aliança. Desta forma Ele poderá mudar, em pouco tempo, tudo que des-
mantelamos em nosso planeta.
Ele não quer nenhum religioso nesta Aliança! Quer homens de mentes abertas,
prontos a Lhe obedecerem, e aprenderem como fazer as coisas direito. Basta vocês decidirem e
dizerem: “Eis-me aqui, Jesus” hoje; que tudo o mais Ele fará.
Experimentem e verão maravilhas.
Não errei ali, quando disse alcançáveis, disse-o por que Deus é trino: três pesso-
as em uma (não precisamos tentar entender, nem nos preocupar com isso!). Chamem Jesus, e
Ele se moverá para vocês.
Maranata!

14/02/2014 – A reunião das 15:30hs foi um tanto ou quanto difícil. Tudo começou
quando tentei mostrar aos irmãos algo a respeito de fé e do arrebatamento. Cada um tinha sua
própria ideia e a coisa degringolou.
Acho que não posso tocar em certos pontos do que descubro no Evangelho, eles
causam muito reboliço, e o inimigo penetra fácil na sala. O espírito de confusão está sempre a
espreita, para penetrar!
Mas, alguma coisa ainda ficou para cada um meditar, o capítulo seguinte foi uma
delas. Aleluia!
Maranata!

21
Capítulo 8
TEMOR E AMOR
A palavra do Senhor nos diz que: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria”
(Salmo 111.10) e, imediatamente, a maioria conclui que ali está dito, que o temor do Senhor é:
o princípio, o meio e a completa sabedoria, mas não é isso que está dito: princípio é só: princí-
pio!
Aos poucos fui começando a perceber o que alguns irmãos já me vinham dizendo,
de forma bastante distorcida: que o tempo do “Antigo Testamento” findara.
Ontem, em nossa reunião, uma irmã teve a visão de uma Bíblia com uma régua no
meio. Imediatamente entendi o que o Senhor já vinha tentando me falar: aquela régua era uma
separação clara, entre a Antiga e a Nova Aliança, mostrando que Ele passou a régua e pa-
gou a conta!
Assim, podemos dividir a Bíblia em duas partes a, do: Temor a Deus (Antigo Tes-
tamento) e a do: Amor de Deus (o Novo Testamento, da Graça).
Como o apóstolo Paulo falou:
“De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que,
pela fé, fôssemos justificados.” Gálatas 3.24.
Um dicionário diz:
“AIO = Empregado responsável pela educação de crianças de famílias nobres ou
ricas; PRECEPTOR.”
Ora, nenhum preceptor vai nos amar como um pai, eles são pessoas que têm obri-
gação de nos educar, por dinheiro!
Assim, a Lei não mostra o Amor de Deus em ação, e parece realçar mais os casti-
gos e prêmios!
Jesus disse:
“Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho; porque semelhante re-
mendo tira parte do vestido, e faz-se maior a rotura.” (Mateus 9.16).
Ao dizer isso, estava nos prevenindo para ter cuidado com o legalismo, a religiosi-
dade derivada do “Antigo Testamento”; porque ela poderia nos ferir e tirar parte e nossa fé, de
nosso revestimento espiritual, abrindo brechas pelas quais, o inimigo pode nos atacar!
Nenhuma transição se faz de dia para noite e, só agora, percebo os cristãos esta-
rem plenamente capacitados a entenderem o pleno significado entre o Temor e o Amor!
Estamos deixando, definitivamente para trás, a Era do Temor de Deus. O maior
desejo de Deus é poder ter o homem de volta como amigo íntimo e eterno d’Ele! E, só agora,
está começando a colher pessoas capazes de abraça-Lo como Ele quer.
Mas não se enganem, embutido, lá dentro da Lei, está o Amor de Deus como
sempre, buscando atrair o homem para si! O fato é que, só hoje, estamos conseguindo visuali-
zar e experimentar plenamente, o que a profecia abaixo diz:
“... e não ensinará cada um ao seu concidadão, nem cada um ao seu irmão, dizen-
do: Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior”, He-
breus 8.11.
Ou seja, nada de aios sem Amor por nós; Deus mesmo nos ensinará tudo, com to-
do o Amor possível. Aleluia!

22
Neste ponto muitos cristãos irão divergir, porque ainda estão abraçados ao aio,
consideram-no pessoa segura e sábia, e têm medo de largar sua mão. Porém Jesus já avisou
que isto só irá rasgar suas vestes e deixar o vinho novo vazar dos seus odres!
Nesta era de final de transição vigorosa não há mais retornos... Deus não quer
mais religiosos ao seu redor, findou esta fase! Ele agora quer amigos, pessoas de mentes
abertas que O amem e sintam-se bem, em Sua presença.
“Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus ami-
gos.” João 15.13.
Ele disse:
“Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” João 15.14.
Ao dizer isso Jesus não criou uma nova regra religiosa, como muitos religiosos po-
derão pensa de imediato! Ele está dizendo que nós saberemos se somos amigos d’Ele de fato,
se fizermos o que Ele ordena, com: alegria e sem nenhuma hesitação! Agir como Jesus agia,
não por obrigação, mas, para fazer feliz o Pai, é o que nos tornará plenamente, alegres tam-
bém!
É isso o que quer dizer Neemias 8.10, no “Antigo Testamento”:
“Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos
que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor. Portanto
não vos entristeçais, pois a alegria do Senhor é a vossa força.”.
Um amigo presenteia o outro com o que o descobriu que o outro gosta, e fica todo
feliz ao ver a cara do presenteado, ao receber o presente! É disto que estou falando, não de
uma obrigação, nem de bajulação para adquirir atenções; quem faz estas coisas, de fato, não é
amigo do outro.
Muitos poderão perguntar: Então devemos rasgar o “Antigo Testamento” de nos-
sas Bíblias?
A resposta é:
- Claro que não! Já têm irmãos fazendo isso, arrancando pedaços dela até do Novo
Testamento, pedaços dos quais não gostam. Cuidado!
Como já disse: o “Antigo Testamento” tem o Amor de Deus embutido em todos
os seus versículos. Está oculto, por isto ter sido necessário, para permitir que os judeus conse-
guissem sacrificar o Cordeiro de Deus, o Amor de Deus por nós.
Agora, que já não devemos ser religiosos e sim, filhos e amigos e Deus, temos de
procurar descobrir no “Antigo Testamento”, esse Amor oculto, para crescermos em toda a ex-
tensão da Palavra.
O versículo revelado do “Antigo Testamento” com o qual iniciei este capítulo, já
serve de bom exemplo disso! Devemos agir como se garimpa ouro: com extremo cuidado, ao
sacudir a bateia, para não perder nenhuma pepita; não se esquecendo de, sempre, pedir ao
Espírito do Senhor, para revelar o Amor oculto.
“E disse-lhes: Por isso, todo escriba que se fez discípulo do reino dos céus é seme-
lhante a um homem, proprietário, que tira do seu tesouro coisas novas e velhas.”, Mateus
13.52.
Aí é onde está toda a sabedoria: consiste em o escriba (conhecedor da letra!)
tornar-se um discípulo e extrair da Palavra coisas novas e velhas como devem ser extraídas.
Notem: primeiro as coisas novas, depois as velhas!
Agora, chegou a hora de você perguntar ao Senhor Jesus se está se portando co-
mo verdadeiro amigo d’Ele ou, mais como um religioso de galocha!
E isso fica por sua conta, porque a transição do Temor para o Amor é feita diferen-
temente, por cada pessoa; para umas é mais fácil, para outras, quase impossível. Mas com a
ajuda do Espírito Santo, todas serão atendidas a contento. Aleluia!
Maranata!

23
17/02/2014 – Nossa reunião das duas horas foi boa, porém, não tenho muito para
relatar, porque envolveu bastante aprofundamento em curas interiores, particulares, nos pre-
sentes.

Capítulo 9
AFINAL, QUEM É JESUS?
19/02/2014 - Tudo que existe no mundo material recebe um nome, nome este
colocado por algum ser humano, conforme autorização dada por Deus a Adão, para ele nomear
todas as coisas.
Quando alguém dá o nome a algo novo é como se ele tivesse criado aquilo, fosse
o pai, dono daquilo! Isto acontece nas mínimas coisas, por exemplo: quando você compra um
cachorro, um gato, ou descobre uma planta ou animal novo, ou mesmo quando inventa ou cria
um objeto, você logo sente a necessidade de dar um nome aquilo, para apresenta-lo ao mun-
do!
Já o nome Jesus foi dado por DEUS, ao corpo físico que Ele mesmo criou para
habitar entre os homens; dando origem a um novo tipo de nascimento entre os humanos: o
novo-nascimento dos Filhos de Deus: pela fé!
Assim, qualquer cristão, hoje, depois de aceitar Jesus como seu Senhor, pode se
tornar um Filho de Deus se por isto optar, pedindo-lhe que o batize (ou encha ou revista)
com o Espírito Santo e lhe capacite a andar como Ele andou na Terra, operando sinais e mara-
vilhas.
Esta possibilidade está expressa no versículo de João 1.12, que diz:
“Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o
poder de se tornarem filhos de Deus”, João 1.12.
Cada filho de Deus, que vier ao mundo, surgirá do ventre de um ser humano co-
mum, da mesma forma que Jesus veio do ventre de Maria; mas, operará os sinais e maravilhas
que Jesus operava (e outros maiores), conforme Ele mesmo declarou:
“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demô-
nios; falarão novas línguas; se impuserem as mãos, enfermos serão curados, etc.” (Marcos
16.17).
Se você é cristão, mas nunca manifestou nenhum destes sinais, acorde, é só correr
e pedir a Jesus que o encha (ou batize) com o Espírito Santo, que os dons do Espírito virão lhe
capacitar a uma vida de maravilhas.
(No meu livro grátis “Jesus, o Leão de Judá”, no capítulo 41, ensino como você fa-
zer uma purificação bíblica que irá lhe facilitar muito, receber esta bênção; e se já a tiver rece-
bido irá ajuda-lo a andar melhor no Espírito. É só pegar o livro no meu site www.jesus-leao-
juda.com ).
Quando Jesus subiu, deixou na Terra o que Ele nomeou de: Seu Corpo ou Sua
Igreja: o conjunto dos batizados com o Espírito Santo, encarregados de prosseguirem com a
obra que Ele iniciou; qual seja a de retomar do diabo, tudo o que o diabo tomou de Adão.
Quando dois nascidos de novo se juntam em Nome de Jesus (isto é, sob o tirocí-
nio, direção e autoridade de Jesus!) formam uma Igreja; um corpo de Cristo amplamente capa-
citado a derrotar todas as fortalezas de satanás e de tirar das mãos dele, aqueles ou aquilo que
Jesus deseja para si, no momento.

24
“Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou Eu no meio de-
les.” (Mateus 18.20).
Assim, igrejas não são as construções nas quais pessoas se juntam para prega-
rem o cristianismo (ou outras religiões); aquilo são templos e aquelas pessoas, juntas ali, são
congregados daquela denominação religiosa.
Da mesma forma que existe congregações de filhos de Deus, existem congrega-
ções de cristãos destituídos do poder (frios) e congregações de filhos do diabo. Cuida-
do!
Mesmo nas congregações cristãs pode haver filhos do diabo incrustados, emissá-
rios que o inimigo infiltra nelas, para destruí-las. Portanto, você já pode imaginar a dificuldade
de descobrir, num ambiente hostil desses (em um que mundo que jaz no maligno) um lugar
realmente santo, onde possa participar de uma verdadeira comunhão com o Senhor e Seu Cor-
po!
É aí que um dos dons do Espírito irá ajuda-lo: o dom do discernimento espiritual,
que age como um radar, detectando armadilhas ou coisas erradas que o diabo possa armar
contra você ou, contra os outros.
Muitos se perguntam por que Deus, sendo bom, não fez tudo correto de uma vez,
evitando tantos sofrimentos e desenganos. O problema é que Deus deu o mundo material intei-
ro ao homem e não toma nada do que dá! Leva tempo, para Deus convencer cada pessoa, a
voltar para Ele e fazer as coisas da forma correta.
Mas, se acha que se passou tanto tempo assim, não é bem verdade por que:
“ ... mil anos (do homem) para Deus são como um dia” (Salmo 90.4).
Assim, estes quase seis mil anos (desde Adão até hoje, pela contagem judaica)
nem completou o sexto dia da Criação; terminado o qual, haverá o Arrebatamento da Igreja e
Jesus virá redimir a Terra de tudo de mal que o diabo e os homens fizeram!
Em seguida, virá o milênio sabático, quando toda a Criação descansará do tra-
balho do maligno! Aleluia!
Deus disse que construiu tudo em seis dias e no sétimo descansou e irá cumprir
cabalmente o que disse! Ele só não disse que seriam dias de homens!
Mas lembrem-se também, de que Seus filhos Ele os criou (na imaginação) antes da
fundação do mundo e, enquanto cada um deles não nascer na Terra e fizer o que deve para
melhorá-la (preparando-a para a vinda dos seus outros irmãos e o retorno de Jesus) a coisa vai
se espichando...
Creio que poderíamos abreviar tudo SE nos tornássemos, logo, obedientes ao Se-
nhor Jesus; assim como Ele obedeceu ao Pai, quando aqui estava.
O maior problema é que, agora mesmo, alguns dos que me leem, já estão revolta-
dos comigo, por alguma coisa que não aceitaram aqui, seja por suas religiões ensinarem doutra
forma ou, suas mentes (passadas por alguma lavagem cerebral doutrinária) estarem cauteriza-
das, para a Verdade.
Fazer o que? Eu, por mim, liberto cada um dos que o Senhor me envia, estimulo-
os a receberem o Novo Nascimento e a se tornarem Filho do Altíssimo. Já o que vocês fazem
por aí, não sei, isso fica lá, com vocês; pois serão vocês que irão prestar contas a Ele, um dia.
Maranata!

21/02/2014 – A reunião das 15:30hs foi maravilhosa, vieram quatro irmãos. Logo
no início, o Senhor nos falou que iria nos trazer refrigério e tive a visão de quatro pessoas, cada
uma segurando a ponta de uma toalha branca. Como havia cinco pessoas no local, concluí que
alguém estava fora da Igreja.
Não precisei demorar, para descobrir que o errado era eu!

25
Pela manhã, depois de ter concluído que já tinha feito de tudo para finalizar minha
cura sem êxito, resolvi declarar, diante de minha mulher e filha, que não tinha fé para a cura e
nada mais podia fazer. Acontece que falta de fé é: pecado!
Pedi perdão e um irmão viu um animal, que se aninhara na minha cabeça, batendo
em retirada. Em seguida vi aquele lençol, agora pentagonal, com cada ângulo sendo segurado
por um dos presentes. Aleluia!
Contei aos irmãos que tinha ligado a tevê pela manhã, na pregação de R. R. Soa-
res e ele falou, apontando o dedo diretamente para mim, através do versículo de 1ª Samuel
7.3, para eu tirar todos os meus ídolos, o versículo diz:
“Samuel, pois, falou a toda a casa de Israel, dizendo: Se de todo o vosso coração
voltais para o Senhor, lançai do meio de vós os postes-ídolos e as astarotes, preparai o vosso
coração para com o Senhor, e servi a ele só; e ele vos livrará da mão dos filisteus.”
Eu ainda tinha ídolos?!
Logo soube qual era o poste ídolo, quando fui contar a minha esposa sobre esta
reunião! Ela me disse que eu tinha resistência a mudanças! Não aceitava mudar em nada; ado-
rava, portanto, o: espírito da permanência. Misericórdia!
Pedi perdão e forças ao Senhor para vencer este ídolo, que minha esposa já tinha
detectado em mim, há tempos, e eu não queria enxergar!
O irmão Professor (aquele a quem o Senhor já tinha dito para não receber certa
honraria numa Universidade!) contou-nos que seu site saiu do ar e, para sua surpresa, ao tele-
fonar para sua prestadora de serviço no Rio, lá, o site estava no ar! Até mandaram para ele,
como prova, uma foto do site funcionando! Como isso era possível não sabia.
Ele percebeu ser coisa espiritual e perguntou ao Senhor o que era. O Senhor lhe
mostrou que ele colocara o nome (do qual tanto se orgulhava) dele mesmo, em ressalto no
site, o que mostrava que ainda tinha idolatria a si mesmo. Ele trocou o nome do site e, na
mesma hora, ele funcionou normalmente. Aleluia!
Uma irmã, que outrora foi banda voou (praticou toda espécie de pecados possí-
veis) disse que foi em busca da sala de uma Igreja, na qual iria participar como ouvinte de
determinado assunto, mas, enganou-se e entrou noutra sala, onde senhoras davam testemu-
nhos de problemas que ainda não tinham conseguido vencer.
A última delas foi uma senhora baixa, magrinha, a qual declarou que, quando o fi-
lho dela fazia qualquer coisa errada, virava um animal, uma besta fera. Era coisa feia mesmo,
feria o garoto como podia, sem medir consequências; a ponto de seu marido lhe ter dito que,
só não saia da sala naqueles momentos, porque tinha medo dela fazer algo mais grave, com o
menino; imaginem!
Com esse testemunho aquela reunião ia terminar, mas, o Senhor mandou a irmã ir
à frente e dar o testemunho da vida dela. Ela vacilou, mas o Senhor exigiu e ela foi.
Ao saber que Jesus tinha ordenado aquele testemunho, a líder do grupo aceitou e
todas se sentaram e ouviram de bocas abertas, como tinha sido a vida pregressa daquela mu-
lher, e de como ela mudara!
Resultado, ela tinha ido lá para ser ouvinte em outro assunto, mas, terminou sen-
do convidada para pregar e dar aquele mesmo testemunho naquela sala onde planejara ir ape-
nas como ouvinte! Aleluia!
O Senhor, também, ordenou ao irmão Ma. a ter cuidado para não sair do 8 para o
80. Procurar ficar sempre dentro do domínio do Espírito, avisando-o de que, por não fazerem
isso, muitos se perderem.
Afinal: “A letra mata, o Espírito é que vivifica”, (2ª Corintos 3.6).
É que, na reunião anterior deste grupo, surgiu uma confusão, e não tive mais
energia para esclarecer as coisas, deixando o erro no ar. Telefonei depois, para aquele irmão e
expliquei tudo direitinho.

26
Em certo momento, o Senhor mostrou àquele irmão uma bacia de vidro, pintada a
ouro (que minha esposa usa como adereço, na mesinha da sala onde nos reunimos) e aquela
bacia estava cheia de diamantes. Significava tudo de bom e puro, que Ele nos vinha ensinando,
ali, e que ainda iria ensinar. Aleluia!
Depois disso, a reunião terminou.
Maranata!

22/02/2012 - Hoje tivemos uma reunião extra, com um irmão, foi ótima!
Finalmente, chegara a hora de libertar o mesmo de muitas idolatrias. Sendo católi-
co e marido de uma católica fervorosa, não percebia que o altar, cheio dos ídolos dela, era um
instrumento do maligno em sua casa e, por isso, vivia se sentindo mal.
Finalmente entendeu tudo a respeito de ídolos e, agora, só esperamos a hora de
orarmos para libertar a esposa dele. Ele até já queria destruir os ídolos dela; mas, o refreamos
e mostramos que não é assim que se faz, o Espírito é quem tem de convencê-la do erro, e ela
mesma destruir seus ídolos.
O que ele tinha de fazer era uma purificação geral na sua casa, ungi-la com óleo e
amarrar os ídolos de lá, em Nome de Jesus. (Ele fez tudo isso, conforme nos informou depois).
Ao sair nos disse que estava até respirando melhor. Aleluia!
Hoje percebi algo que não tinha notado. Novamente, porque nós alteramos aos
poucos, a Palavra! Trata-se do versículo Mateus 18.20, que diz:
“Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio de-
les.” (Mateus 18.20).
Eu sempre falei esse versículo de forma alterada, trocando estes dois ou três por
dois ou mais, misericórdia! (Agora, peço ao Espírito que me revele porque o Senhor fala exa-
tamente dois ou três).
Uma ideia que me veio, a de que duas ou três pessoas podem conseguir se unir
perfeitamente (combinarem bem) em Nome de Jesus e, com mais que isso, a coisa começa a
ficar complicada... Um crê em algo, outro noutra coisa, discordam de pontos de vista um pouco
ali, um pouco acolá, etc... Creio que esta é a causa.
Podem me perguntar: - E Jesus não entra nas grandes congregações?
É claro que entra, mas, não como desejaria entrar: no comando de tudo!
Não quero criar doutrinas. Não tenho certeza de nada disso, a respeito. Só fico
pensando...
Maranata!

24/02/2014 – Hoje, se Deus quiser, teremos nossa reunião das 14:00hs. Vamos
ver como será.
A reunião foi excelente. Toda cheia de maravilhas! O irmão Ca. pela primeira vez
louvou a Deus em línguas, recebeu o dom de ciência, orou por uma irmã (que considerava mil
vezes mais santa que ele) e o Senhor deu-lhe mais uma baciada de bênçãos. Para culminar, ele
foi batizado nas águas.
Oramos por várias outras coisas e pessoas pelas quais, o Senhor nos ordenou orar
e profetizar e, foi tudo muito, muito maravilhoso. Aleluia!
Maranata!

27
Capítulo 10
VIAGEM ASTRAL , ARREBA-
TAMENTO?
Devemos, sempre, nos lembrar de que a terminologia usada pelo mundo (pelos
espiritismos e outras religiões) não podem ser usadas com o mesmo sentido, no Caminho da
Verdade e da Vida do Evangelho; sob pena de, quem fizer isso, ser confundido ou confundir os
demais.
Certo dia uns irmãos fizeram uma grande confusão, porque misturaram a palavra
arrebatamento com o que o espiritismo, o controle mental, e outras religiões chamam de:
viagem astral.
Eu sei que existe algo que se parece com a tal de viagem astral no Caminho da
Verdade e da Vida, porque, um dia (conforme descrevo no meu livro “Jesus, o Leão de Judá”)
fui retirado do meu corpo (?) e levado para a sala de minha casa, onde tive uma experiência
singular com o Senhor Jesus!
Na Bíblia temos o relato de Paulo, que passou por experiência parecida, e diz em
2ª Corintos 12.2:
“Conheço um homem em Cristo que há catorze anos se no corpo não sei, se fora
do corpo não sei; Deus o sabe foi arrebatado até o terceiro céu.”
Paulo não sabe definir “se no corpo ou fora do corpo”. Eu também não tenho cer-
teza; só sei que, no retorno, me colocaram na mesma posição em que fui retirado da cama.
Agora, lembrem-se, não fiz isto de propósito, o apóstolo Paulo também não; anjos, por ordens
de Jesus, nos levaram a esta experiência!
Não vou chama-la de “viagem astral”, porque com isto estaria apoiando as experi-
ências daqueles religiosos que estimulam seus seguidores a praticarem tais viagens; enviando o
que chamam de seu “corpo astral”, para fora do corpo físico! Prefiro me ater a Palavra de Deus,
que não dá tal nome a estas experiências.
Coisa bem diferente foi o que aconteceu com o apóstolo João, o qual foi expatri-
ado (pelo imperador romano Domiciano) para a ilha de Patmos, por pregar o Evangelho. Lá,
ele viu (espiritualmente) todo o desenrolar do Apocalipse, o qual foi incumbido de escrever
com todos os detalhes.
O Evangelho considera arrebatamento o fenômeno no qual, uma ou mais pesso-
as, com seu corpo físico, são levadas (por anjos ou carros de fogo) para o céu.
Atualmente só existem duas pessoas que foram arrebatadas ao céu: Elias e Eno-
que; os quais ainda não morreram fisicamente e, justamente por isto, terão de voltar à
Terra, para testemunharem durante a Grande Tribulação e, depois, serem mortos (pois: “...
aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo”, Hebreus 9.27. Dias
depois de suas mortes, ambos ressuscitarão à vista do mundo inteiro, como último sinal de
Deus aos homens, para que se arrependam.
Afora estes dois, já está em corpo físico no céu: Moisés; pois, o corpo dele foi le-
vado pelo anjo Miguel, logo depois de seu falecimento. Este fato consta de Judas 1.9, que diz:
“Mas quando o arcanjo Miguel, discutindo com o Diabo, disputava a respeito do
corpo de Moisés, não ousou pronunciar contra ele juízo de maldição, mas disse: O Senhor te
repreenda”.

28
Portanto, aos muitos irmãos (irmãos evangélicos!) fazendo as tais “viagens fora do
corpo”, deixo este aviso: não há nenhuma vantagem nelas, e podem trazer graves problemas;
se tal coisa não acontecer por ordem do Senhor e proteção de Seus anjos.
Aos fãs dessas experiências, pergunto: por que acham que, indo (como acredi-
tam!) em seu corpo espiritual até às pessoas que precisam de ajuda, irão poder ajuda-las me-
lhor, do que se orarem por elas, sem fazer tal viagem? Suas orações não tem força?
No Controle Mental Silva, por exemplo, estimulam muito estas saídas do corpo,
com outro nome! As pessoas são incentivadas a saírem do corpo e entrarem numa parede, num
objeto qualquer, para verem como é a estrutura dele, por dentro.
Nem sabemos se o que veem é a realidade ou apenas ilusão diabólica! E onde há
confusão, por perto anda o diabo.
Nunca tive facilidades para fazer isso, nem quando estava no Controle Mental Sil-
va; mas, pelo que aprendi, a maioria das pessoas consegue fazer bem fácil; basta estimula-las
um pouco e: pronto!
Assim, pelo amor de Deus, não vão misturar o fenômeno do arrebatamento com
“viagens astrais”; nem misturem nenhuma terminologia ou fenômeno evangélico, com os do
mundo: ressuscitar é bíblico e reencarnar é uma mentira, são coisas muito diferentes!
No mais, que a Paz do Senhor Jesus esteja com todos. Aleluia!
Maranata!

28/02/2014 – Nossa reunião das 15:30hs foi ótima, embora tenhamos pouco a re-
latar aos leitores, porque foram mais explicações aos irmãos, a respeito de determinados pon-
tos da Palavra. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 11
Carnal e Espiritual
01/03/2014 – Ontem, tivemos uma divergência durante a reunião de oração,
quando falei de um irmão que cantou em línguas estranhas e disse para os presentes o quanto
tal cantar era simples, mas extremamente: tocante e poderoso.
Um irmão saiu de lá dizendo que uma música feita pelo espírito não tem de ser,
sempre, simples, por que: Johann Sebastian Bach escreveu a cantata: “Jesus, Alegria dos Ho-
mens” em uma só noite, mas, é uma obra-prima da música religiosa!
Continuamente temos de alertar mais os irmãos para a diferença entre o que é
espiritual e o que é carnal.
Lembramos que Mozart fez obras-primas musicais, mas, era um completo devasso;
mais ainda, lembramos aos irmãos que lúcifer era o encarregado dos louvores no céu, confor-
me diz Ezequiel 28.13, abaixo, e quem é ele hoje?
“Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina,
o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti
se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.”
Nada feito por homens carnais pode ser espiritual embora eles, entre si, conside-
rem isto ou aquilo obras-primas de alta espiritualidade! Não sejamos como eles.
Não devemos pensar como eles! Deus abomina tudo que vem do homem carnal,
nada que tal ser faz é considerado bom, por Deus; simplesmente, porque suas fontes procedem
do maligno.

29
O homem carnal tem o espírito morto, isto é desligado de Deus e ligado ao diabo e
como uma árvore podre, não pode dar bons frutos.
Satanás se oculta por trás de tudo que podemos considerar gostoso, atraente, be-
lo. Mas é, sempre, o velho satanás, disposto a: lesar, matar e destruir. Lembram-se como Eva
achou o fruto o conhecimento do bem e do mal belo?
O músico Bach foi um músico a serviço da igreja católica e, só por aí, já se pode
ver porque suas obras eram requisitadas e consideradas espirituais!
Mas o irmão, cantando em línguas, ali no nosso meio, está louvando a Deus espiri-
tualmente, com uma música que vem do céu; é simples, mas extremamente poderosa e capaz
de derrubar fortalezas do inimigo.
“... nunca lestes: Da boca de pequeninos e de criancinhas de peito tiraste perfeito
louvor?” (Mateus 21.16).
Nunca devemos deixar nos levar pelo que agrada nossos sentidos, pois, foi fazen-
do isto que Adão e Eva caíram. E, só podem “sentir” o que agrada ao Espírito, aqueles que
nasceram de novo e têm um novo espírito a liga-los com o Pai e estão no Caminho; fora disso
são trevas!
Para ver o poder nefando da música do mundo, examinem a vida de alguns músi-
cos ao redor, e vejam como eles vão de bares em bares, de boates e boates, em noitadas re-
gadas a álcool e dissolução... Disto, poucos escapam mesmo entre os mais eruditos.
É pecado ouvir música do mundo?
“Todas as coisas são lícitas, mas nem todas me convêm; todas as coisas são líci-
tas, mas nem todas as coisas edificam” , 1ª Corintos 10.23.
Principalmente repetir as letras das músicas do mundo, pode ser um tremendo er-
ro; pois, na sua maioria, são verdadeiras fontes de maldições e mentiras.
Uma irmã me lembrou de uma canção de criança que, ainda hoje, ensinam aos pe-
tizes: “Eu sou pobre, pobre, pobre, de “mavé, mavé, mavé...”
Nem sei o que significa esse “mavé” aí, mas uma maldição de pobreza é repetida
três vezes, cada vez que pirralhos cantam este trechinho.
Que cada nascido de novo pense bem, e pondere se aquilo que tem pela frente irá
lhe fazer bem ou mal; seja sincero em buscar a Verdade de cada coisa, e o Senhor ensinará a
cada um, a aprender a escolher o melhor.
Porém, jamais acredite que uma música, ou um livro, ou outra obra artística ou ci-
entífica, mesmo dita erudita, do mundo, irá elevá-lo a Deus!
Você pode se deliciar com a mesma, assim como pode se deliciar com uma fruta,
um doce, ou sexo; mas, tendo a certeza de que nem fruta nem doce algum, nem sexo, se
comparam com o Amor espiritual de Deus, por nós. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 12
A Cura de Novo
02/03/2014 – Depois de várias idas e vindas, finalmente, minha cura parece que
se estabelecia. Interessante é que a demora foi para eu descobrir ídolos ocultos no meu cora-
ção, e dois deles: um poste ídolo e uma astarote, me foram revelados através de 1ª Samuel
7.3:

30
“Se de todo o vosso coração voltais para o Senhor, lançai do meio de vós os pos-
tes-ídolos e as astarotes, preparai o vosso coração para com o Senhor, e servi a ele só; e ele
vos livrará da mão dos filisteus.”
O poste ídolo foi fácil, minha esposa me informou que era o demônio de perma-
nência, o qual me impedia de aceitar mudanças. Ela me citou vários casos nos quais, eu resis-
tia, doentiamente, à mudanças.
Como eu mesmo já vinha me sentindo incomodado por aquilo, confessei meu pe-
cado, pensando que iria ser curado na hora. Porém, ainda tinha a maldita astarote e esta foi
mais difícil de descobrir.
Astarote era a deusa do “amor” assírio (a pomba-gira de hoje) e eu ficava repen-
sando nas bobeiras que tinha feito, sessenta anos atrás, das quais já tinha pedido perdão, e
não avançava...
Orei e orei ao Senhor e, na terça-feira desta manhã, telefonei para uma irmã para
ver como ela ia, depois de uma oração que fiz por ela. Ela estava bem e, me perguntou se eu
não queria tomar o remédio que sua mãe tinha tomado com o qual, tinha tido enorme melho-
ras, contra enfermidade semelhante à minha!
Era um remédio bobinho, vendido sem receitas médicas. Olha a tentação!
Essa pergunta me deixou foi com uma mosca na orelha! Pensei: o diabo sabe que
está prestes a ser derrotado pela fé e quer dar uma cartada, antes da minha vitória final. Então,
rejeitei a oferta da irmã.
No outro dia ao acordar, entendi que astarote era a minha carne; lembrei que pe-
cara pela boca, ao dizer a Jesus, certo dia, que: Ele podia me dar todas as provações, menos a
da dor, porque, diante dela, eu não iria resistir!
Lembrei-Lhe do caso de minha vesícula quando, diante da dor, pedi a minha famí-
lia para me levar a um hospital, às pressas...
Finalmente tinha descoberto o último ídolo (que eu mesmo tinha instalado no co-
ração!) pedi perdão ao Senhor. As dores sumiram de uma só vez, e ficou apenas um pouco da
incontinência urinária, que expulsei em Nome de.
O interessante é que eu estava sempre sentindo em que tinha de dar este teste-
munho na minha congregação, porém, só quando o Senhor ordenasse!
Dei o testemunho para todos os irmãos dos meus grupos, eles descobriram ídolos
ocultos no coração, dei a uns parentes, e foi a mesma coisa... Aleluia! Só faltava na congrega-
ção.
Fui ao culto deste domingo de carnaval e, para minha surpresa, só tinha lá, oito
pessoas; afora eu, minha esposa e minha filha. Fiquei sem saber se era para dar o testemunho
àquele grupinho ou, no domingo seguinte, quando viriam os que tinham ido ao retiro espiri-
tual.
O pastor pregou exatamente sobre o caso da persistência na fé, ante o perigo de
morte, de: Sadraque, Mesaque e Abednego, relatado em Daniel 6.16.
Puxa! Vi quanto aquilo tinha muito a ver com meu testemunho e o Senhor me in-
comodou bastante para dá-lo e, antes que o pastor terminasse a pregação, lhe fiz um sinal,
pedindo-lhe espaço para falar e ele permitiu.
Dei meu testemunho, depois pedi para todos os irmãos fecharem os olhos e pedi-
rem a Jesus para mostrar se eles tinham ídolos ocultos e, aleluia, foi uma bênção.
Além disso, falei-lhes daquele testemunho do professor, sobre o homem carnal,
mostrando-lhes que nada do homem carnal serve para Deus, complementando minha mensa-
gem.
Terminado isso percebi pela expressão deles, que a maioria os irmãos tinha desco-
berto ídolos ocultos e um deles veio me dizer que estava, justamente, buscando Deus para
saber se tinha alguma coisa em si, que estivesse impedindo sua maior comunhão com Ele!

31
Mas não passou uma semana e os sintomas de cálculos retornaram!
Maranata!

Capítulo 13
O CARPINTEIRO
Ainda a respeito do homem carnal resolvi reexaminar a vida de Jesus na Terra,
quando Ele ainda não tinha recebido o batismo com o Espírito Santo, e era um cidadão comum,
como qualquer cristão sem o batismo com o Espírito.
De Sua infância a adolescência, a Bíblia narra tudo resumido em Lucas 2.52:
“E crescia Jesus em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e dos ho-
mens”.
Tal tipo de crescimento indica ele ter tido uma vida tranquila, boa, sem enfermida-
des, numa família ajustada, estudando e aprendendo com sabedoria, à vista de todos.
Interessante, aí, é a Bíblia não nos falar se Ele gostava de algum esporte, se dis-
putava partidas esportivas com os amiguinhos, etc. Não fala, porque nada disso edifica!
Com o tempo sabemos que Ele se tornou carpinteiro como seu padrasto e, então,
percebemos que a Palavra, também, não diz nada sobre os trabalhos d’Ele: se eram de ótima
qualidade; se Jesus era um gênio da carpintaria; ou, exímio vendedor, sabendo vender com
bons e justos lucros, seus móveis!
Uma coisa importante que sabemos era Ele ser extremamente estudioso da Pala-
vra de Deus a ponto de, ainda menino, discutir com os doutores da Lei, no Templo!
Ele era tão ligado à Palavra (Antigo Testamento) que nem se lembrou de sua famí-
lia certo dia, deixando de voltar para casa com ela, conforme esperavam.
Isto, também, indica como Ele amava e respeitava os pais, mas: não os adorava!
E quanto à família d’Ele, a Palavra nada mais fala, nem diz quando seu padrasto
faleceu! Concluímos isso ter acontecido antes d’Ele ter sido crucificado; motivo pelo qual, Jesus
ordenou a um apóstolo o tomar conta de Maria!
Quanto à Maria, sabemos apenas que ela, os irmãos de Jesus e os outros discípu-
los e Apóstolos estavam juntos, quando Jesus fundou a Igreja derramando sobre eles o Espí-
rito Santo.
Percebem como tudo que o homem carnal (se é que podemos dizer assim!) Jesus
fez, não tinha importância bíblica alguma? Só foi registrado o essencial, para não criarem fábu-
las a respeito e, ainda assim, as criaram, dizendo que ele foi educado por magos do Egito, etc.
Agora, notem a mudança que aconteceu, depois d’Ele ter sido batizado com o Es-
pírito Santo e começado a fazer o que o Pai lhe ordenava!
Tudo que foi possível ser registrado foi.
Claro, não pode ser tudo mesmo, porque não teriam livros que fossem capazes de
contar tudo que Ele fez! A própria Bíblia diz isso, em João 21.25:
“E ainda muitas outras coisas há que Jesus fez; as quais, se fossem escritas uma
por uma, creio que nem ainda no mundo inteiro caberiam os livros que se escrevessem.”
Portanto, temos de ter cuidado com as obras do homem velho e nunca, jamais, em
tempo algum, se deixar convencer que algo feito por tal homem, seja espiritual.
Maranata!

32
Capítulo 14
A Obra do Senhor
07/03/2014 – A obra do Senhor por nós foi completa, embora os irmãos lembrem-
se mais do que Ele fez a respeito da salvação de nossa alma e, alguns, da cura de suas enfer-
midades; mas, tais ações vêm discriminadas juntas, em Isaías 53.4 e 53.5:
“Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das
nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos
sarados.”
Aliás, hoje, muitas congregações não acreditam mais na afirmativa a respeito das
curas! A fé delas não chega tão longe, fica apenas na primeira declaração: salvação da alma do
inferno.
Bem, apesar destes descrentes, a obra de Jesus foi completa, além de salvação
de nossa alma e cura para nosso corpo, Ele conseguiu para nós outras coisas, que muitos se-
quer perceberam ainda.
Por exemplo, quando Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para seu grande
embate com satanás, Ele não estava se provando, estava se dando àquelas provas, para que
nós não precisássemos mais, passar por elas!
No deserto o Senhor venceu satanás nas três áreas: a) no corpo, depois do pro-
longado jejum, quando satã o tentou, incitando-o a transformar pedras em pão; b) na alma, no
alto do Templo, quando Jesus foi tentado a pular lá de cima, para provar, vaidosamente, que
anjos iriam ampará-lo e c) no Espírito, quando foi levado para um alto monte e satã prometeu-
lhe dar riquezas e poder inimagináveis.
Neste ponto vemos que: o jejum que Ele fez por nós, nos capacitou a expulsarmos
toda casta de demônios! O que nos deixa a pergunta: se há necessidade, hoje, de fazermos
jejuns ou, não basta pedirmos a Ele a unção que Seu jejum nos concede!
Outra área na qual Jesus já nos avisou que não devíamos temer foi na, do mundo,
pois a Bíblia:
“Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno.” (1ª João
5.19).
Mas Jesus nos garantiu em João 16.33:
“Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tri-
bulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”
É claro que Ele não veio aqui vencer o mundo só para se ufanar de vitorioso!
Ele não precisava mostrar isto, porque tudo foi feito por Ele, e nada no mundo
acontece sem Seu consentimento. Ele veio vencer o mundo para nos deixar vitoriosos, também,
nesta área. Aleluia!
Paulo diz:
“Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação
de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego”, Romanos 1.16.
Infelizmente, transformaram o Evangelho em um evangelho onde a única salvação
na qual dizem crer é a da alma; isto, porque não precisam provar a ninguém se estão falando
com fé ou só da boca para fora!
O fato é que as pessoas que pensam assim têm vergonha de mostrar o Poder de
Deus para os outros, por motivos que não nos interessa descobrir. Paulo avisou que não tinha
vergonha o Evangelho. Estas pessoas têm, mas se dizem crentes, e isto poderia deixar muitos
confundidos.

33
Mas Jesus nos ensina muito bem, como diferenciar os que creem dos que não cre-
em, ao definir os que creem de uma forma absolutamente clara, em Romanos 1.16.
Resumindo tudo, transcrevo abaixo a) o que Jesus disse e b) o que muitos mes-
tres, padres e pastores dizem, para você fazer sua escolha.
Por favor, marque com um lápis a opção que deseja seguir, que o Espírito de Deus
lhe proporcionará tudo a respeito. Não deixem de marcar, lembrem-se: com Jesus não existe
em cima do muro.
a) Jesus disse em Romanos 1.16:
“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demô-
nios; falarão novas línguas, se impuserem as mãos, enfermos serão curados, etc.”.
b) Mestres, pastores e padres dizem como os fariseus:
“Mas os fariseus, ouvindo isto, disseram: Este não expulsa os demônios senão por
Belzebu, príncipe dos demônios”. Mateus 12.24
“Este homem não é de Deus; pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como po-
de um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.” (João 9.16).
Deixo os versículos abaixo, para incentivá-los mais a tomarem uma decisão.
“Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.” (Mateus
12.30).
“Estes são os que causam divisões; são sensuais, e não têm o Espírito.” Judas
1.19.
Outro ainda:
“Porque, quem se envergonhar de mim e das minhas palavras, dele se envergo-
nhará o Filho do homem, quando vier na sua glória, e na do Pai e dos santos anjos.” (Lucas
9.26).
Aleluia!
Maranata!

07/03/2014 – A reunião de hoje foi ótima. Trouxeram um novato já batizado com


o Espírito, mas, durante a reunião, descobrimos precisar de uma purificação em regra; pois,
fora católico.
Um dos irmãos, o Ga., me disse que descobriu um ídolo oculto no coração: o de
desejar que tudo só acontecesse no tempo que ele planejava. O curioso é que, dois outros ir-
mãos (colegas dele da Universidade), já estavam com as idas marcadas para o Canadá e a
dele, fora única que ainda não se concretizara totalmente!
Ele me disse que pediu perdão e libertação ao Senhor por aquele ídolo, e me per-
guntou se eu achava que ele já fora liberto; ao que respondi: - Com certeza!
Já, no final da reunião, ele nos contou algo que achou curioso. Tinha programado
estudar no período do carnaval com a noiva, para um montão de provas que teriam de prestar
na Universidade; por isso, quando sua mãe lhe convidou para um passeio no interior de Per-
nambuco, para visitar membros da família, rejeitou o convite.
No outro dia, porém, pensou um pouco e resolveu ir ao passeio, e nos disse que
foi uma bênção!
Então, lhe perguntei se este passeio foi antes ou depois dele ter confessado aquela
idolatria. Ele me falou que foi depois e, arregalou os olhos!
Só, então, percebeu que já tinha recebido um comprovante de sua libertação!
Aleluia!
Maranata!

08/03/2014 – Hoje recebi o livro “Face to Face”, do Ministério Gary Carpenter (em
inglês) para ler. Logo nas suas primeiras páginas, sugadas pelo meu pobre inglês com a ajuda

34
do tradutor do Google, entendi que o Espírito de Deus quer pessoas sem nenhum preconcei-
to religioso, pessoas que não queiram ensiná-Lo nada, só ouvir e fazer o que Ele orde-
nar. Isto me maravilhou!
A Bíblia nos fala, em Jeremias 31.31-35:
“Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o
Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o
seu Deus, e eles serão o meu povo; e não ensinará cada um ao seu concidadão, nem cada um
ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles
até o maior.
Porque serei misericordioso para com suas iniquidades, e de seus pecados não me
lembrarei mais. Dizendo, novo pacto, ele tornou antiquado o primeiro. E o que se torna anti-
quado e envelhece perto está de desaparecer.”
Que maravilha, Aleluia! Era isso que eu esperava e, até já vinha tentando fazer,
embora sem entendimento maior. Agora, posso ir à fonte das águas vivas e beber, diretamente
na origem!
Só tem um probleminha, por enquanto não consigo ouvir o Espírito como o escritor
deste livro ouve. Às vezes, até penso que estou inventando algo na minha mente e, só quando
executo aquilo e vejo a maravilha ocorrer, sei que veio de Deus.
Para aprender como o Espírito de Deus quer, preciso ouvi-Lo! Portanto, peço-Lhe
publicamente, esta capacidade e: por favor... por favor... por favor... não demore! Eu quero
este pacto.
Câmbio. Desligo.
Maranata!

P.S: Assim que terminei de escrever o texto acima, o Espírito deu-me uma visão:
nela vi um chocolate “Sonho de Valsas” sendo desenrolado e soube, na hora, que Ele iria me
dar a capacidade de escutá-Lo. Sabem por que?
Por causa daquela antiga propaganda do chocolate “Sonho de Valsas” na qual, al-
guém abre furtivamente um, mas, o som característico do seu invólucro sendo aberto denuncia
o fato; fazendo com que várias pessoas corram, em busca de um pedaço.
Agora, é só aguardar a primeira mensagem. Aleluia!
Maranata!

10/03/2014 – Se Deus quiser, hoje, teremos nossa reunião das 14:00hs. Estou
lendo o livro “Face to face” e me abismando com tantas coisas que nós desprezamos, ou não
percebemos do Evangelho. Mas entendi, principalmente, que não devemos fazer nossa Nova
Aliança da forma como é feita rotineiramente!
Era por isso que eu ficava sem entender como muitas pessoas entregam a vida a
Jesus e continuam da mesma forma de antes! Nós só seremos SALVOS (de doenças, problemas
insolúveis para os homens, confusões, desastres, miséria, etc.) quando aceitamos Jesus como
SENHOR de nossas vidas e andarmos pelo Espírito!
Quando entregamos nossas vidas a Jesus aceitando-O apenas como Salvador,
não está implícito estarmos, também, entregando nossa vontade a Ele!
Aí está o gancho, através do qual, o inimigo continua a segurar os incautos. Temos
de entregar nossa VONTADE a Jesus e, a partir daí, Ele, através do batismo com Seu Espírito
Santo, irá nos libertar de tudo que impede de fazermos o que Deus quer que façamos.
Aleluia!
Tivemos esta reunião, foi ótima, todos fomos abençoados.
Infelizmente, um dos participantes costumeiros, aquele que cantou em línguas ou-
tro dia, não apareceu. Mas o Senhor sabe por que. Aleluia!

35
Maranata!

13/03/2014 – A reunião desta sexta começou um pouco atrasada, porque espera-


mos dois irmãos que costumam vir à mesma. Como não vieram; apesar de um irmão ter visto
dois cálices, ali, que entendemos como os dois irmãos; começamos a reunião.
O problema é que a mesma travou, no começo, e ficamos pensando que era para
esperarmos os irmãos retardatários, no fim, não era, o caso foi que eu recebi, assim que inici-
amos a reunião, uma ordem do Senhor para darmos os parabéns a uma irmã, e resolvi deixar
isso para depois do culto.
(O Senhor está, seguidamente, instando comigo para obedecer-Lhe, imediatamen-
te, toda vez que me der uma ordem. Tenho de ficar de olhos abertos! Às vezes, penso que algo
vem de minha cabeça e isso atrapalha).
Fizemos uma Ceia e, no final da mesma, chegou um dos irmãos que faltavam, tra-
zendo uma moça com ele. Ela fazia parte da carismática católica e andava tão confusa, que
disse-nos estar a pique de se matar.
Apresentamos-lhe o evangelho, ensinamos o que Deus considera santo ou não,
enfim, ela foi liberta, batizada com o Espírito, e orou em línguas. Aleluia!
Quando terminamos aquela reunião, uma irmã ,aniversariante, pediu para irmos
para minha sala de jantar, onde colocou na mesa: pratos e copos descartáveis, refrigerantes,
uma deliciosa torta, talheres de plástico, e nos chamou para festejarmos o seu aniversário; o
que fizemos na maior alegria.
Lembro-lhes que esta irmã é aquela sobre quem já me referi, que nunca tinha tido
uma festa de aniversário, porque sua mãe sempre impedia aquilo. Aleluia!
Maranata!

15/03/2014 – Hoje, aquele participante que cantou em línguas e não pôde compa-
recer a nossa reunião costumeira, telefonou e fizemos uma reunião com ele, eu e minha espo-
sa. Foi maravilhosa.
Dias atrás orei por este irmão, que tinha o problema de ficar totalmente arrasado,
quando pensava na possibilidade de adoecer e passar para sua esposa a enfermidade dele.
Depois da oração o Espírito Santo me disse que ele estava em estado de negação de algo, que
sequer conseguia pensar ter feito.
Entendi na hora, que ele camuflava com aquela reação estranha, um fato muito
mais grave, que tinha acontecido entre ele e a esposa.
Durante a reunião, o Espírito me mandou perguntar-lhe se ele já tinha odiado al-
guém. Pedi para ele fechar os olhos e ver se Jesus lhe lembraria de alguém que o feriu e, na-
quele instante, ele desejara nunca mais ver tal pessoa; ele fez isso e, depois, me disse que
ninguém.
Então, concluí que esta pergunta viera da minha mente, não do Espírito. Porém,
minha esposa disse a ele, que a pessoa sobre a qual me referi, estava inocente no caso. Com
isso, lembrou-se de tudo, fora com sua esposa!
Em algumas situações, confirmou, tinha tido ódio contra ela e era essa situação
esdrúxula de matar a quem amava que o estava deixando esgotado.
Depois de ter aprendido bem a diferença entre raiva e ódio e confessar seus pe-
cados, a mudança nele foi visível. Um tremendo peso saiu dos seus ombros e, com certeza, sua
vida será outra. Este irmão tem dado passos enormes, rapidamente.
Ele mesmo testemunhou que foi fazer uma visita à sua irmã Cr. e o Espírito o
mandou ir por outro caminho, um que passava por um parque.

36
Quando chegou ao parque, o Espírito o mandou procurar determinada árvore, co-
locar cada pé numa raiz da mesma e dar alguns pulos. Ele disse que fez direitinho, só não en-
tendeu o por que.
Repito, acho que estamos em plena época, descrita pelo Senhor Jesus em Hebreus
8.10-13, onde está escrito:
“Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o
Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o
seu Deus, e eles serão o meu povo; e não ensinará cada um ao seu concidadão, nem cada um
ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles
até o maior. Porque serei misericordioso para com suas iniquidades, e de seus pecados não me
lembrarei mais. Dizendo: Novo pacto, ele tornou antiquado o primeiro. E o que se torna anti-
quado e envelhece, perto está de desaparecer.”
Para não pensarmos nessa ser uma declaração sem importância de Deus; Ele a re-
pete em Hebreus 10.16-17:
“Este é o pacto que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as mi-
nhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento; acrescenta: E não me lem-
brarei mais de seus pecados e de suas iniquidades.”
Estamos vendo isto acontecer ante nossos olhos! Deus está deixando de lado os
ministros religiosos (que, ao invés de alimentarem e prepararem as ovelhas para a guerra divi-
na, as tornam suas servas) e buscando pessoas de mentes abertas, que queiram fazer a Von-
tade d’Ele, de acordo com o Plano d’Ele e não, com planos de homens. Aleluia!
Maranata!

17/03/2014 – Esta reunião foi ótima. O Senhor ordenou à irmã Ca. a se ajoelhar e
a minha esposa, ir impor-lhe as mãos. Fizeram isto e vi uma antena parabólica sendo colocada
na cabeça da ajoelhada, antena esta que se ligava num ponto específico do céu.
Entendi que o Senhor tinha dado àquela irmã um dom de discernimento mais
avançado; que é quando a pessoa recebe do Espírito, avisos (por voz, visões, revelações, etc.)
do que o inimigo ainda está planejando fazer, antes mesmo dele ter ajuntado suas tropas!
Assim, a irmã poderá desmantelar os conselhos do inimigo, antes dele começar a
agir contra ela ou contra quem o Senhor orientá-la a ajudar.
No mais, foram muitos outros ensinamentos e o Senhor disse que o tempo para eu
examinar o Salmo 40, tinha findado.
Neste ponto fiquei um pouco intranquilo, porque, juntando tal afirmativa com um
sonho que tive, creio que vacilei na obediência ao Senhor, em algum ponto. Pelo sonho devia
saber onde foi, mas, acordado não lembro, por mais que tente descobrir.
Maranata!

21/03/2014 – Esta reunião das 15:30hs foi uma batalha. Logo no começo estáva-
mos: eu, a irmã Al. e o Professor. A irmã Al., no entanto, viu duas pessoas chegarem depois, e
a que se sentou na poltrona frente a ela, estava com uma tarja negra, marcando-a.
Percebemos ser um inimigo e o expulsamos da sala, dando prosseguimento às
orações por uns dez minutos, quando chegou o irmão Ma., acompanhado pelo irmão daquela
moça (católica), a Br., que tinha vindo para nossa reunião anterior.
O rapaz não se sentou onde a irmã Al. viu, porém, numa poltrona à direita do Pro-
fessor; e começamos a fazer uma purificação nele, apesar de nos ter dito ser batizado com o
Espírito Santo, orar em línguas, e saber o que eram revelações.
Em vários pontos da purificação questionou-me e procurou me confundir. Quando
terminamos aqueles questionamentos, eu estava bastante cansado, de tanto tentar fazê-lo

37
entender pela lógica, as aberrações que dizia. Nesse ponto, o Professor interviu e nos informou
que um poderoso espírito de engano, estava no questionador.
Quando viram que eu estava sem mais o que dizer para convencer o Vi. dos enga-
nos nos quais andava, a irmã Al. se levantou e nos disse que ia fazer algo que o Senhor lhe
tinha mandado fazer há alguns minutos, e não fizera.
Foi até o rapaz, passou óleo santo no topo da cabeça dele e perguntou se ele que-
ria receber o Espírito Santo de verdade, e ele disse que sim. Oramos e ele O recebeu. Nessas
alturas, já tinha se passado quase todo o tempo da reunião e a encerramos, mas o próprio Vi.
teve a visão de um lugar luminoso, cheio de paz e prados verdejantes, onde sentiu tremenda
liberdade.
Expliquei-lhe que Jesus o tinha tirado do jugo da religião e, quando ele quis, no-
vamente, questionar; encerramos.
Aleluia! O resto do trabalho na vida dele, agora, fica por conta do Senhor.
O irmão Ma. me perguntou depois, em qual poltrona a irmã Al. vira o espírito de
engano se sentar e ela disse-lhe que diante da poltrona dela; como o católico se sentou ao lado
do Professor, achamos esquisito!
E o Senhor me revelou o que estava estranho: o demônio que estava no rapaz, era
o que dirige o catolicismo, onde o papa é considerado mediador entre os homens e Deus, no
lugar de Jesus. Por isso, ele foi visto se sentando na poltrona onde, naturalmente, atribuímos
Jesus estar sentado: em frente a todos nós. Aleluia!
Antes desta reunião orientei os irmãos a terem cuidados com o livro “Face to Fa-
ce”, que traduzi e lhes enviei para lerem, pensando ser excelente.
É que descobri ele ser um anzol para peixes grandes; isto é, para cristãos que pro-
curam andar no Espírito! Fala algumas coisas certas no princípio, mas, a partir do momento em
que toca num tal Poste da Flagelação, tece um bocado de ideias malucas com as quais, quer
nos prender àquele Poste para sermos flagelados, alegando ele ser nossa cruz!
Mistura Poste com Cruz e acrescenta mais devermos fazer determinados jejuns
obrigatórios, que especifica detalhadamente, mostrando, nestas coisas, suas farpas malditas.
Ora, Jesus foi nosso substituto não só na Cruz, como no Poste da Flagela-
ção, nos jejuns, em tudo! Ninguém pode melhorar a Obra de Jesus; podemos, sim, conti-
nuá-la na terra, para devolvermo-la a Ele, redimida como o Pai deseja.
Isso é coisa que só podemos fazer pelos dons do Espírito e seguindo as orienta-
ções diretas do Cabeça da Igreja: Jesus; do qual somos Corpo, na Terra. Aleluia!
Nunca mais vou recomendar livro de ninguém, aos irmãos. Deus me livre dessa
mancada!
Maranata!

25/03/2014 – Nossas reuniões das segundas passaram para hoje e a de hoje foi
ótima. Eu, minha esposa, a irmã Ca. e o irmão Ca., a compomos.
O irmão Ca. viu alguém batendo num bombo com um fêmur e, confessou que,
quando ainda não conhecia o Senhor, e sua esposa adoeceu gravemente, recorreu a um catim-
bozeiro. Pediu perdão e libertação ao Senhor e, ficou totalmente livre do espírito de morte, que
eu tinha visto entrar na sala, como um espectro.
Ele nos disse que estava sem vontade de continuar na carreira que escolheu, ape-
sar de já estar em alto cargo, mas, minha esposa lhe revelou que o inimigo estava querendo
era que ele saísse da posição onde Jesus o tinha colocado na qual, poderia ajudar aos seus
companheiros; coisa que poucas pessoas, de fora, poderiam fazer.
Oramos por várias outras coisas e tudo correu numa bênção. O Senhor me mos-
trou um livro, desses para crianças: capa dura, bem colorida e brilhante; e a irmã Ca. nos in-

38
formou que era um livro que tinha feito para crianças, e estava esperando ordens do Senhor,
para imprimir.
No mesmo instante, o irmão Ca. viu um calendário dentro daquele livro, e enten-
demos que o Senhor tinha recebido o pedido e agendado a publicação. Aleluia.
Maranata!

Capítulo 15
SURFANDO NO ESPÍRITO
Está escrito em Gálatas 1.6-9:
“Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou
na graça de Cristo, para outro evangelho, o qual não é outro; senão que há alguns que vos
perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo.
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho
além do que já vos pregamos, seja anátema. Como antes temos dito, assim, agora, novamente,
digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.”
Tenho observado, nestes meus mais de trinta anos de evangelho, que nós ultra-
passamos a fronteira de um evangelho para outro, há muitos anos; não por existirem dois
evangelhos, mas, por o evangelho que vem sendo pregado nestes últimos anos, não ser o en-
sinado por Jesus.
Notem que existe uma maldição não só para quem acrescentar algo ao Evange-
lho, isto é, para quem pregar um evangelho que vá além do que Jesus ensinou; como, tam-
bém, uma maldição para quem tirar algo dele!
Da mesma forma como os judeus não cumpriram a “Antiga Aliança” e a transfor-
marem-na numa religião; os evangélicos, com o tempo, fizeram a isso com o Evangelho, e o
foram transformando em mera religião, insossa, na qual, muitos homens que devem ser Corpo
de Cristo na Terra, por até terem passado pelo novo nascimento, usam a cabeça do homem
velho para dirigi-lo.
O resultado disso é um evangelho, grotesco, incapaz de manifestar as Glórias de
Deus aos homens.
Já o “novo” Evangelho que estou vendo surgir não é, nada mais nada menos, que
o Evangelho original, de Poder, que Jesus nos ordenou seguir, para os homens serem liber-
tos das religiões, doutrinas e mentiras, com as quais são escravizados.
Nesse “novo” Evangelho, Jesus convoca apenas pessoas de mentes-abertas (não
pessoas religiosas, já envolvidas por suas cascas de doutrinas) para segui-Lo; e, neste Evange-
lho, qualquer pessoa que aceitar Sua direção, pode segui-Lo vitoriosamente.
Tive a visão de uma “tsunami” do Espírito varrendo a face da Terra e Jesus cha-
mando pessoas de boa-vontade que queiram entregar suas vontades a Ele, para que Ele troque
estas vontades carnais pela poderosa vontade espiritual d’Ele; a fim destas pessoas poderem
surfar nas ondas do Poder, deste tsunami que vem rolando...
O Senhor já tinha previsto tudo isso na Sua Palavra ao profetizar, duas vezes, a
respeito do assunto, em Hebreus 8.10-13, onde está escrito:
“Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o
Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o
seu Deus, e eles serão o meu povo; e não ensinará cada um ao seu concidadão, nem cada um
ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles

39
até o maior. Porque serei misericordioso para com suas iniquidades, e de seus pecados não me
lembrarei mais. Dizendo: Novo pacto, ele tornou antiquado o primeiro. E o que se torna anti-
quado e envelhece, perto está de desaparecer”.
E, novamente, em Hebreus 10.16-17:
“Este é o pacto que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as mi-
nhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento; acrescenta: E não me lem-
brarei mais de seus pecados e de suas iniquidades.”
Portanto, vocês que andam sufocados pelas religiões que de nada lhes servem,
alegrem-se, porque é a coisa mais fácil do mundo usufruir do autêntico Evangelho, onde o Po-
der de Deus fica à disposição de vocês, para que restaurem a Terra, ao plano original do Pai.
Basta vocês dizerem, agora, ao Espírito Santo do Senhor Jesus (Deus Vivo, Rei dos
Reis e Senhor dos Senhores): “EIS-ME AQUI”; e, depois dessa simples decisão, Ele lhes dará
o Poder do Alto e substituirá, paulatinamente, suas vontades contaminadas e imperfeitas, pela
Vontade Santa e Perfeita d’Ele; assim, poderão operar de fé em fé e de glória em glória, por
meio dos dons do Espírito, para a restauração da Terra.
Se você fez esta declaração ao Senhor, agora, é só aguardar e tudo mais a respei-
to Ele proverá. Creia e verá! Não tenha pressa!
“Eis que não dormitará nem dormirá aquele que guarda a Israel.” (Salmo 121.4)
Agora a bola, ou melhor: a prancha de surf está com você; não perca a Onda Gi-
gante do Espírito, quando ela chegar. Este será o último Avivamento Espiritual, antes do retor-
no do Senhor. Aleluia!
Maranata!

27/032014 – Outro dia fiz um desenho que eu mesmo achei esquisito. Desenhei
um homem maduro, vestido a rigor, como um noivo para o casamento, mas: sem cabeça! No
lugar do tronco, onde devia sair o pescoço do homem, havia um jardim!
Matutei muitas vezes nesse desenho, procurando saber seu significado e, final-
mente, está explicado no capítulo anterior “Surfando no Espírito”.
O Senhor estava me dizendo como devia ser pregado o Evangelho: por um ser
humano vestido a rigor (batizado com o Espírito) transmitindo para os ouvintes o desejo e a
vontade do Cabeça Invisível da Igreja: Jesus!
Ou seja, todos os que nascem e novo, ao serem batizados com o Espírito Santo
por Jesus, não devem mais usar a mente humana, nem suas doutrinas religiosas, para agirem
neste mundo; porém, usarem a mente e a vontade de Jesus!
Quanto mais tal pessoa consiga fazer a Vontade de Deus na Terra, maiores serão
suas obras espirituais, seus galardões e mais, estará ajudando na Obra do Senhor Jesus de
redimir nosso sofrido planeta e a vida de todos os viventes. Aleluia!
Maranata!

28/03/2014 – Estava em adoração ao Senhor, quando Ele me ordenou telefonar


para a irmã El. Esta irmã é aquela, sobre a qual me refiro no meu primeiro livro: “Jesus, o Leão
e Judá”, ex-colega minha no BB. Ela nunca telefona para mim, mesmo quando está precisando
fica pensando, mas não telefona...
Por isso mesmo fico um tanto ou quanto constrangido, em telefonar para ela: será
que não estarei sendo inconveniente? Mas, quando o Senhor ordena, obedeço.
Toda vez que lhe telefono, ela está com problemas graves. Desta vez, dito e feito.
Fizemos uma purificação geral, esclareci-a a respeito de ela ter um Ministério e um Reino para
zelar e que ela devia jogar toda sua religiosidade fora.
Ela estava sendo massacrada pela religiosidade, porque, toda vez que deixava de
ir a um culto dominical se sentia terrivelmente culpada; imaginem!

40
Fiquei impressionado e feliz porque toda revelação que lhe dava eram confirmadas
por ela; e foram muitas, inclusive, teve uma que até pensei ser de minha cabeça, mas não era!
No final, ela ficou livre e leve. Rindo atoa! Aleluia! E eu também!
Maranata!

28/03/2014 – A reunião de hoje foi ótima. O Senhor me mandou falar sobre aque-
le desenho que fiz de um homem vestido a rigor e sem cabeça. E, também, me instou a falar
sobre a visão que tive da “tsunami” sobre a qual, eu surfava.
Eu tinha até feito o capítulo anterior deste livro, sobre a “tsunami”, porém, tinha
combinado com o Senhor que só o publicaria como profecia SE Ele me desse um sinal. E o
sinal foi este, Ele me levou a falar sobre a mesma, no grupo!
Aqui, tenho de fazer um conserto a respeito daquele católico que veio à nossa
reunião anterior. Pensei que ele tinha recebido o batismo com o Espírito depois que a irmã Al.
ungiu a cabeça dele com óleo e orou por ele; mas, esta mesma irmã me informou que não, o
rapaz não se vestiu com a camisa branca que o Senhor quis lhe dar, ao invés, deixou-a, relaxa-
damente, dependurada nas costas.
O irmão que o trouxe ficou triste por aquilo, mas, durante a reunião, o Senhor lhe
falou que ele fez tudo o que tinha de fazer; aliás, me mandou contar um fato ocorrido comigo,
quando me ordenou falar para o diretor de um colégio de missionários evangélicos, sobre cer-
tos erros graves dele; o homem não me ouviu, mas, depois, em Recife, uma profetiza disse-lhe
as mesmas coisas, e ele aceitou e mudou. Aleluia!
O irmão Ma. (que trouxe aquele católico) já no final da reunião, viu o “e-motion”
de uma carinha rindo e, depois de todos os ensinamentos e aprendizados que nos deu, o Se-
nhor mandou uma referência bíblica para lermos, que foi como um verdadeiro carimbo d’Ele;
aprovando tudo o que dissemos e fizemos, na reunião. E a alegria foi geral! Aleluia!
Maranata!

29/03/2014 – Hoje aquele meu problema do qual já testemunhei ter sido curado
inúmeras vezes, reapareceu forte. Tão forte que fiquei sem mais o que pensar a respeito,
mesmo depois de uma irmã ter orado por mim, ontem, ao ver um ratinho rodeando minha cin-
tura e expulsado o mesmo!
Eu estava mesmo perdendo minhas esperanças, pois foram inúmeras as vezes nas
quais, pensei ter sido totalmente curado e: depois...
Cada um a quem pedia ajuda tinha sua explicação, porém, nenhuma delas tinha
resolvido definitivamente o problema. Já não sabia a quem apelar, quando me lembrei da irmã
El., por quem orei no dia 28/03 deste. Ela não me conhece tão bem quanto esses irmãos e,
portanto, está isenta de me julgar.
Tudo correu magnificamente. Primeiro, ela viu o Salmo 34. 15-19:
“Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu cla-
mor. A face do Senhor está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória
deles. Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias.
Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de
espírito. Muitas são as aflições do justo, mas, de todas elas, o Senhor o livra...”
Fiquei imensamente cheio de esperanças com estes versículos, mas, a irmã resol-
veu orar um pouco mais, e veio novo Salmo o 32.1-2:
“Bem-aventurado, é aquele cuja transgressão é perdoada e cujo pecado coberto.
Bem-aventurado, o homem, a quem o Senhor não atribui iniquidade, e em cujo
espírito não há dolo.”

41
Estes versículos tiraram de minha mente quaisquer ideias de culpas e um peso
enorme dos ombros. Examinando mais o Salmo 32, tocou-me o versículo 8; pois, é exatamente
de instruções do Senhor, que mais estou precisando, para me livrar do mal que me apoquenta.
“Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; aconselhar-te-ei, ten-
do-te sob a minha vista.” (Salmo 32.8). Aleluia!
Agora minha alma se aquietou, estou com renovadas esperanças, sei que o Senhor
não está me condenando por nada, e vai dar-me as instruções que preciso, para uma vitória
decisiva. Aleluia!
Maranata!

31/03/2014 – Acordei bem tranquilo, mas minha esposa veio me avisar que, hoje
mesmo, estaria viajando com minha filha mais velha, para Londres, em turismo. Ela sempre me
avisa assim, em cima da hora, para eu não ficar emburrado na sua frente, muito tempo!
Foi um choque brutal! Pensei que estava dormindo e ser apenas um pesadelo, po-
rém, aos poucos, fui entrando na realidade do choque. Puxa, é fogo!

01/04/2014 – Vamos ver como será a nossa reunião das 14:00hs.


A reunião foi ótima, embora só tenha vindo a irmã Ca., O Senhor deu-lhe outra
forma dela receber instruções d’Ele, além de lhe entregar uma página da Bíblia, onde deveria
procurar examinar todo o território que é dela e tomar posse. (Quando Ele me deu aquele Sal-
mo 40, estava fazendo a mesma coisa comigo, só que não entendi! Misericórdia!).
Vi uma nuvem no céu, com o formato de uma cuia bem inchada, cuja boca estava
voltada para o céu cheinha de bênçãos. Eu estava todo espichado, querendo alcançá-las, mas
não conseguia... Só precisava alguém fazer um pequeno furo no fundo daquela cuia, para todas
as bênçãos caírem sobre mim, pensei.
Oramos e o Senhor me mostrou vários desenhos de antigos livros de “histórias sa-
gradas” católicos, que li. Aquelas imagens ficaram na mente crédula dos meus anos de infância,
e estavam me contaminando até hoje! Então, fiz o que Ele me ensinou o que fazer: confessei
meus antigos costumes religiosos e, as bênçãos desceram todas de, uma só vez, para meu
colo. Aleluia!
Depois de orarmos por mais várias coisas, como: pela filha da irmã Ca. (que caiu
de um trampolim ao dar um salto ornamental e contou que, ao acordar, notou que estava
orando em línguas, enquanto desmaiada); pelo filho dela, que se meteu em ajudar drogados,
sem o Senhor lhe ter dado tal mister; e pela própria missionária, porque orou de mãos dadas
com o esposo (que não é batizado com o Espírito Santo!) e terminou vendo acontecer o aciden-
te da filha e um roubo numa casa sua propriedade.
O Senhor proveu meu almoço; eu estava bastante preocupado a respeito (visto as
dores estarem me atacando ferozmente) e não sabia como fazer para chegar até um restauran-
te. E, por sinal, foi um ótimo almoço!
Oramos por várias coisas e situações pelas quais, o Senhor nos ordenou e encer-
rou a reunião lembrando à miss. Ca., para não deixar de examinar cuidadosamente e to-
mar posse, da terra que Ele iria lhe dar, por meio de referências bíblicas.
Não sabia que o Senhor podia fazer daquela forma! Só, quando perdi minha chan-
ce de conquistar toda a terra contida no Salmo 40, da qual Ele me mandou examinar e tomar
posse, foi que aprendi!
Comecei a entender isso, quando o missionário R. R. Soares estava pregando e
declarou, batendo sobre uma página de sua Bíblia: “- Esta é a sua terra da promessa! Tome
posse dela!”

42
Puxa, vacilei! Mas o Senhor é longânime! Ele sabe que eu nunca tinha visto aquele
tipo de coisas. Agora você, irmão, que já aprendeu isto, não deixe passar a oportunidade que o
Senhor lhe abrir, segure firme o que Ele lhe der. Aleluia!
Maranata!

03/04/2014 – Hoje, pela internet, libertei mais uma pessoa, e ela recebeu o batis-
mo com o Espírito. Aleluia!

04/04/2014 – Mais duas pessoas pela internet.


Nossa reunião foi ótima. Trouxeram uma novata, a irmã Ir., que recebeu o batismo
com o Espírito e todas as instruções necessárias, para sua nova vida. Ela riu e nos disse que
estava embalando uma criancinha no colo. Aleluia! Era o filho de Deus que ela gerara!
No final o Senhor mostrou à irmã Al. uma série de baldes, um dentro do outro, e
entendi que foi para mim. O encerramento total, daquela enfermidade?
Maranata!

08/04/2014 – A reunião foi ótima. Vieram a irmã Ca. e o irmão Car. O Senhor mos-
trou como a esposa do irmão Car. estava sujeita ao espírito de morte, espectro que vi com uma
foice, montado num cavalo negro, por causa do catolicismo dela.
O irmão recebeu instruções de como levar sua esposa a receber o batismo com o
Espírito e, também, em como ele próprio proceder, durante convites oficiais para cerimônias
católicas às quais é, praticamente, obrigado a ir.
Um anjo azul (de cura) entrou na sala e pedimos que nos tocasse. Oramos por vá-
rias coisas que o Senhor ordenou, inclusive pelo Chile, vítima de terremotos, e o Senhor nos
confirmou que nos ouviu.
A irmã Ca. recebeu instruções referentes ao esposo, também católico ferrenho, e
testemunhou que orou por uma irmã (adotiva) dela, com crise respiratória, e que a enferma
melhorou, porém, meia hora depois, telefonaram-lhe, novamente, pedindo ajuda e o Espírito
lhe revelou que aquela moça tinha sido ofertada aos demônios, desde o ventre. A irmã Ca.
quebrou estes laços e a moça ficou totalmente sadia. Aleluia!
Maranata!

11/04/2014 – Reunião maravilhosa a de hoje. O Senhor me ordenou passar a dire-


ção do culto para a irmã I. a qual participou apenas de um culto conosco! Fiquei na dúvida se
aquilo tinha vindo d’Ele, até quando vi uma pipa, na frente dela, sendo puxada e subir com uma
velocidade incrível; então, estava tudo confirmado, e lhe passei a direção do culto.
Esta moça perdeu, há alguns dias, o avô a quem amava extremamente, e que lhe
criou como filha. Ele faleceu com 96 anos com todo tino e saúde, por parada cardíaca.
Ela estava num desespero total, quando o Professor a trouxe a nossa reunião, na
primeira vez. Percebi que aquilo foi como um encontro dela, por algo que esperava ansiosa-
mente, desde a infância. Ela riu ao ver que tinha uma criancinha no colo, depois do novo-
nascimento.
O avô dela a protegeu de toda idolatria católica da família, repetindo e repetindo
para toda a família, que só Jesus e Deus importava e que ninguém fosse nas conversas dos
padres nem dos pastores... Infelizmente o pai dela se tornou um católico trapalhão, só sua mãe
é evangélica.
A moça foi muito bem na direção daquele culto, mesmo pega de supetão.
O Senhor me mostrou uma chupeta das que vendiam antigamente, feita de açú-
car. A moça disse que aquilo era com ela, porque estava se deliciando com o que aprendia a
cada minuto.

43
O Senhor nos mandou fazer uma Ceia e o irmão Ac., que consagrou o Pão e o Vi-
nho, nos informou que aquele Sangue tinha vindo da mão do Senhor!
Nunca tinha pensado nisso, antes! Entendi que era para nunca amaldiçoarmos
ninguém com nossas mãos só abençoarmos; outro entendeu que era para fortalecer nossas
mãos no trabalho do Senhor; outro, ainda, lembrou-nos que era com imposição de mãos que o
Senhor curava... E tudo isso era verdade. Aleluia!
Em dado momento me vi algemado a alguém invisível. A irmã que estava dirigindo
o culto disse que era eu, algemado à Obra do Senhor. Ainda pedi para ela não deixar se levar
por sectarismo ou simpatia por minha pessoa, mas ela foi categórica e tive que aceitar.
Oramos por várias outras coisas e, depois da Ceia, vi um tipo de alto-falantes que
usavam na guerra. Era um mastro de madeira, pintado de verde, no alto do qual, tinha quatro
alto-falantes, cada um apontando numa direção.
A moça foi pega de surpresa, novamente, e seus olhos marejaram. É que seu avô
fora expedicionário da F.E.B., na “II Grande Guerra”, e tinha lhe falado desse tipo de alto-
falantes várias vezes! Aleluia!
Foi, então, que um irmão nos lembrou como aquele avô protegeu a neta com ape-
nas a repetição da simples verdade: Só Deus e Jesus!
No final do culto a moça nos disse que, nos últimos momentos, quando já estava
se indo, seu avô sentiu dores e lhe disse que aquilo era para ele pagar seus pecados; e ela
queria saber se aquilo existia.
- Certamente que não! Nossas dores não pagam nenhum pecado. Creio que seu
avô não leu muito a Bíblia!
A moça, então, me respondeu que seu avô nunca aprendeu a ler.
Coitado! Puxa, e se aquele homem tivesse aprendido a ler! Mas logo pensei: nada
a ver; pois, tem tanta gente que sabe ler e não enxerga à Verdade!
Maranata!

05/04/2014 – A reunião de hoje foi excelente. O Senhor lembrou-nos que todos os


que tocamos com o Evangelho passam a fazer parte do território, que tomamos do diabo, para
Jesus.
O Senhor nos mandou uma referência bíblica e, através dela, nos disse que aquele
era o nosso lugar para holocaustos e purificações por sangue. Entendi na hora, Ele queria nos
purificar de alguma coisa, ali, onde tínhamos o Cordeiro e Seu Sangue à nossa disposição.
Aguardamos um pouco, e o Senhor me mostrou uma rosa murcha e, imediatamen-
te, me lembrei de uma música mundana que diz: “rosa vermelha que murchou”...
Aquilo me levou à quando criança, quando queria agradar a meu pai com alguma
coisa da música (pois ele era flautista); mas era impossível, ele derrubava todos os meus esfor-
ços nesse sentido. Apesar disso vivia insistindo em, pelo menos, aprender letras de músicas
para cantar; pois, era a época do rádio.
Foi quando me dei conta que inúmeras músicas como aquela “Rosa Vermelha”, se-
rem verdadeiras maldições, lançadas contra nossa vida e lembrei-me, também, do que o Se-
nhor tinha acabado de nos dizer, que o lugar onde estávamos era o lugar ideal, para nos purifi-
carmos de maldições.
Era isso! Ele queria que pedíssemos perdão por todas as maldições que tínhamos
proferido ao cantar músicas do mundo e por repetir outras maldições, ditas por costumes do
povo. A irmã Ca., também percebeu o fato, e pediu perdão por tais maldições e, assim, fomos
libertos de tudo aquilo. Aleluia!
Oramos por uma irmã que está levando severa surra de espíritos torturadores: tem
26 anos, não quer se alimentar, nem se levantar da cama, nem fazer nada.
A irmã Ca. já orou por ela e pela mãe dela, ambas aceitaram Jesus, ela teve me-
lhoras, porém regrediu; estão morando numa casa que pertenceu a um antigo catimbozeiro, no
Rio. Oramos conforme o Senhor nos orientou a fazer e Ele nos disse que acertamos na mosca.
(Posteriormente soube que esta irmã já voltou para terminar seus estudos na Uni-
versidade. Aleluia!).

44
O Senhor me mandou orar por libertação de todos os irmãos, do mundo inteiro,
para que fossem libertos de quaisquer: grilhões, doutrinas religiosas, etc.; recebessem curas e
milagres em abundância; e se levantassem para preparar a Terra, para o retorno do nosso Rei.
Quando terminamos esta oração, vi uma “senhora Aparecida” um tanto ou quanto
inclinada, no ombro esquerdo da irmã Ca., e ela orou para que ela e sua família fossem prote-
gidas daquele demônio. Mas sentiu que faltou algo na própria oração, e vi a letra M, que, para
mim, significou apenas: mulher!
Entendi. O Senhor queria que a irmã fizesse uma oração pela libertação do Bra-
sil inteiro, daquela maldição idolátrica, mas, a irmã, por ser mulher e mãe, pensou mais na
sua casa. Ela entendeu, consertou tudo, e o Senhor aprovou.
Vi um barco da Guarda Costeira vindo rápido da irmã para mim. Ela entendeu que
era para orarmos pedindo proteção para as costas (limites) de todo o Brasil, por causa da en-
trada dos inúmeros estrangeiros que viriam para a Copa do Mundo, trazendo suas imundícies
espirituais.
Aqui a coisa ficou um pouco constrangedora. Vi o desenho daqueles que tem em
livros de biologia do colégio, de um membro masculino, onde aparecia a uretra, os vasos san-
guíneos, etc.
Fiquei sem querer dizer aquilo, porque estávamos só eu e uma irmã! Mas, imedia-
tamente, o Senhor me mostrou eu mesmo, no momento em que Lhe dizia EIS-ME AQUI, e temi
estar me acovardando; daí, contei tudo para a irmã e foi quando ela orou especificamente, por
minha cura. Aleluia!
Oramos e oramos, e o Senhor aprovou tudo. Aleluia!
Maranata!

P.S.: Não posso deixar de testemunhar que, quando fui urinar, hora e meia depois
da reunião, ainda senti aquela dor enorme, que estava me deixando abatido, toda vez que uri-
nava.
Porém, no outro dia, notei que algo tinha mudado!
A dor se fora e a sensação de um inchaço da próstata desapareceu totalmente, e
tenho urinado sem sentir dor alguma nem inchaço algum. Aleluia!
Agradeço, também, a uma Palavra que o Pastor R. R. Soares disse, num seu pro-
grama de TV, quando explicou um trecho bíblico equivalente ao abaixo:
“E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a
promessa”, Gálatas 3.29.
Este trecho nos fala da cura ser uma herança nossa, provinda de Abraão, Pai os
que creem. E aquele pastor fez questão de nos lembrar, que tudo que recebemos por herança
recebemos sem fazer o menor esforço!
Alguém morre lá fora e nos deixa seus bens, só isso! A única coisa que temos a fa-
zer é receber e gozar do presente! A cura é assim. Aleluia!
(Agora imaginem se eu não tivesse obedecido ao Senhor e deixado de falar, por
vergonha, para a irmã, sobre aquela visão que tive! Estaria curado, agora?).
O problema chato é que três dias depois, a coisa voltou. Embora as dores estejam
menores e de forma diferente. Misericórdia!
Maranata!

18/04/2014 - A reunião das 15H30 foi boa. Nada a declarar, porém.

23/04/2014 - Idem, idem.

25/04/2014 – A reunião das 15H30 foi excelente. O Senhor deu um acabamento


espiritual aos quatro irmãos presentes. Ele nos mostrou como, quando não temos Jesus, proje-
tamos uma sombra negra na Terra, maculando-a.
Pedimos perdão pelos nossos pecados esquecidos e Ele nos respondeu por um
versículo bíblico, confirmando nossa libertação dos mesmos.
Uma irmã, que há muito não comparecia, ao lhe falarmos do que o Senhor nos fez
numa reunião passada (lembrando-nos de músicas que cantamos, através das quais, lançamos
maldições contra nossa vida) lembrou-se de uma música que, praticamente, todos já cantaram

45
quando criança: “Eu sou pobre, pobre, pobre, de “mavé, mavé, mavé”. Eu sou pobre, pobre,
pobre do amor GP”.
Quanta gente não anda na miséria por maldições pronunciadas em letras de músi-
cas!
“Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar
conta no dia do juízo.” (Mateus 12.36) diz o Senhor.
E não é nem o Senhor quem condena, é o diabo, o qual grava tudo que dizemos
errado, e vai até o Tribunal do Céu exigir nossa condenação ao Senhor!
Cada oração que fizemos foi devidamente respondida, por uma referência bíblica
que a confirmava. Foi M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. Aleluia!
Maranata!

29/04/2014 – Ontem, o Pastor R. R. Soares pregou sobre a necessidade de que-


brantamento, para o Senhor poder agir em nossa vida, e percebi que estava com o coração
endurecido, quanto a curas. Isto, porque eu ficava imaginando como Jesus devia me curar,
melhor dizendo, eu ficava querendo ensinar-Lhe como me curar; imaginem!
Lembrei-me de quando fui visitar aquela igreja pentecostal e não gostei nada dela
porque fui como quem queria ensinar e não aprender e: nada aconteceu. Já, na outra visita que
fui, quebrantado, aconteceu aquela maravilha inesquecível que relato no meu primeiro livro!
O mesmo devia estar se passando quanto a esta demorada cura! Pedi perdão ao
Senhor e, de noite, tive um sonho do qual só lembro parte:
“Estava em um hotel luxuosíssimo, com lustres de cristais, e salões, imensos; sen-
tia-me jovem e folgado, lá... Sem camisa e, bem à vontade, entrei no restaurante do hotel,
quando alguém me chamou a atenção, dizendo-me que não podia entrar daquele jeito.
Saí por uma porta lateral e dei com uma loirinha linda, parecida com minha neta,
da mesma idade que ela (17 anos, por aí). Só que era muito mais bonita, e estava numa cadei-
ra de rodas!
Toquei no queixo dela, enquanto a examinava, e ela baixou a cabeça envergonha-
da e, quando lhe fiz uma carícia na cabeça, me perguntou se, por acaso, estava querendo casar
com ela.
- Puxa, não vê que já sou casado, olha aqui meu anel!
Então, ela me disse que sabia disso, e sabia quem era minha mulher a quem eu
amava muito, quem eram minhas filhas, enfim sabia tudo sobre minha vida; e me disse que
tinha pesquisado tudo sobre elas.
Percebi que amava aquela loirinha com amor diferente e ela, também, me amava.
Isto me deu alegria imensa”.
Na hora não me lembrei, mas, ao acordar, lembrei-me que, outro dia, tive a reve-
lação de mim mesmo numa cadeira de rodas; entendi que isto era o que o inimigo estava que-
rendo fazer comigo, levando-me a sentir dores e incontinência urinária, toda vez que ficava de
pé.
Daí percebi que aquela moça era minha própria vida, que Jesus me fez amar no-
vamente! Tudo indica que Ele quebrantou meu coração, e o céu é o limite.
Vamos esperar, para ver onde tudo isso leva. Hoje tem reunião às 14h00, se Deus
quiser, e Ele já me mandou preparar o Pão e o Vinho para uma Ceia. Aleluia!
Infelizmente, a reunião não foi muito boa, nada tenho a relatar a não ser que a
irmã, a quem o Senhor me ordenou passar o comando da mesma, disse-me que a minha inter-
pretação do sonho da irmã na cadeira de rodas, estava errada, e que aquele sonho não proveio
do Senhor. Era do diabo, querendo que eu aceitasse ficar numa cadeira de rodas.
Estou em conflito de ideias?
Eu tinha percebido que aquela visão da cadeira de rodas era do diabo; e eu não a
aceito, em Nome de Jesus! Aleluia!
Maranata!

46
30/04/2014 – Resolvi telefonar para o Pastor de nossa congregação e lhe expliquei
minha situação, uma luta de quase um ano, onde várias pessoas oraram por mim (inclusive ele)
e, dias depois de eu pensar que estava curado, a enfermidade voltava. Oramos e ele recebeu a
referência bíblica Efésios 6.12, que diz:
“... pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os prin-
cipados, contra as potestades, contra os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes
espirituais da iniquidade nas regiões celestes.”
Então resolvemos orar para saber como enfrentar este caso específico, e veio o
versículo 13 de Isaías 54, que diz:
“E todos os teus filhos serão ensinados do Senhor; e a paz de teus filhos será
abundante.”
E entendemos que eu devia chamar minhas duas filhas, para fazerem esta expul-
são. Aleluia!
Já comuniquei o fato às meninas e, agora, estou esperando que venham me livrar
dessa cambada de demônios que me torturam. Aleluia!
O irmão Ca. telefonou e marcou uma reunião para amanhã, se Deus quiser. Ale-
luia!
Maranata!

01/05/2013 – Hoje as meninas oraram por mim e, pela fé, estou curado. Aleluia!
Maranata!

02/05/2014 – Ótima reunião, porém, mais voltada para instruções aos presentes. A
irmã I. (aquela cujo avô tinha falecido) veio, depois de faltar a algumas reuniões. Estava um
pouco calada, e uma irmã Al. notou isso. Então a irmã I. nos falou, que iriam celebrar a missa
de 30º dia da morte do avô, e ela tinha de comparecer para não desagradar a família.
Eu lhe disse que isso podia ser um grande erro, porque esta poderia ser uma opor-
tunidade dela mostrar a Luz a sua família. Ela nos disse que a sua mãe (ou tia, não lembro) que
era evangélica, já tinha dito que não iria.
- Olha, a Palavra diz:
“Importa antes obedecer a Deus que aos homens.” (Atos 5.29).
Então, informei a irmã que só estava dando a ela informações bíblicas a respeito
do caso, ela é quem teria de resolver, com Jesus, o que devia fazer; porque até podia ser que
ela, sendo obediente, neste caso, conquistasse alguém da família para Jesus.
Não me lembrei de lhe dizer o que Jesus respondeu a um discípulo, quando Ele o
chamou para segui-Lo e o mesmo Lhe pediu para, antes de segui-Lo, ir enterrar o pai; que
Jesus negou. Este fato está registrado em Mateus 8,22:
“Jesus, porém, respondeu-lhe: Segue-me, e deixa os mortos sepultarem os seus
próprios mortos.”
Mas, se não me lembrei deste versículo, foi porque o próprio Jesus não quis que
me lembrasse; portanto, considero que dei todas as instruções a moça; agora, compete a ela
resolver com Jesus, o que deve fazer. Aleluia!
Maranata!

06/05/2014 – Hoje levei para Jesus, um antigo colega do Banco. Aleluia!


A reunião das 14h00 foi ótima. O Senhor me respondeu a algo que me angustiava.
Era ver duas irmãs, batizadas com o Espírito, castigadas pelo diabetes. Por que continuavam
doentes, apesar de terem sido feitas orações de curas por elas? - perguntava-me.

47
O Senhor respondeu que era porque não davam verdadeira importância à fé. Fazi-
am uma oração e, se não recebessem a cura na hora, corriam para os médicos e caiam nas
regras deles.
Uma já está dependendo de injetar-se insulina continuamente, a outra está quase
cega de um olho e, pela cartilha dos médicos, vai terminar cega dos dois, depois amputar uma
perna, a outra e, finalmente...
Nem sempre uma cura é imediata. Temos de dar tempo ao Senhor, Ele pode usar
uma enfermidade (não que Ele as coloque em nós), para nos ensinar mil coisas.
Minha esposa recebeu a referência bíblica de Rute 4.8 para ler. Oramos por várias
coisas e, enfim, foi ótima reunião. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 16
Os Filhos de Maria
Ontem um católico cheio de ódio contra mim, chamando-me de “filho”, disse-me
que eu iria queimar no inferno porque eu, sendo protestante, defendia que Maria tinha tido
outros filhos além de Jesus.
Primeiro tive de esclarecê-lo que eu não era filho dele; depois lhe informei que era
um atestante, não um protestante; mas, fiquei pensando em porque os católicos têm tanta
repulsa a Maria ter tido outros filhos, quando a ordem primária de Deus para os homens foi:
“Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e
sujeitai-a...”, isso está em Gênesis 1.28.
Portanto, os homens (e mulheres) mais abençoados por Deus são, justamente, os
geradores de muitos filhos e não o contrário, como a sociedade de hoje defende. Aliás, ante
isso, a lei do papa para os padres não casar mostra-se contrária à determinação de Deus!
Talvez seja isso que, realmente, faça os católicos não aceitarem geração de filhos
como coisa santa, visto que os seus “superiores em santidade” (seus padres e seus papas) não
poderem casar. Não sei, isto pode ser uma razão!
Aquele católico disse, também, que a prova de Maria não tinha tido outros filhos
foi o fato de Jesus antes de morrer, tê-la entregue aos cuidados de um discípulo. De acordo
com ele, se ela tivesse filhos Jesus a teria entregue aos cuidados de um deles, e não a um es-
tranho!
Esse pensamento não está correto. Para começar, porque Jesus vê o coração não
a carne, e só Ele sabe o que é melhor para cada um de nós! Ora, durante a crucificação do
Senhor, a maioria dos discípulos fugiu, com medo de ser condenada ao mesmo destino do Mes-
tre. Os poucos que ali ficaram mostraram fé superior aos demais, e foi a um desses que Ele
confiou Maria.
Outro fato é que Jesus não confiava muito na sua família carnal, a ponto de ter de
sair de sua casa e ir para outras cidades pregar, porque não conseguia fazer, em casa, tantos
milagres quanto queria; pois seus familiares atrapalhavam. Por isso Ele chegou a declarar:
“E escandalizavam-se dele. Jesus, porém, lhes disse: Um profeta não fica sem
honra senão na sua terra e na sua própria casa.” (Mateus 13.57).
Outra prova de procedimento errado dos familiares carnais de Jesus, está em Mar-
cos 3.21, que narra o momento no qual Ele estava pregando, curando e libertando pessoas, e
seus familiares (possivelmente juntos com Maria) foram dispostos a prendê-lo, pensando que
ele tivesse endoidado! Vejam o versículo abaixo:

48
“Quando os seus ouviram isso, saíram para O prender; porque diziam: Ele está fo-
ra de si.”
Em resumo: a) muitos filhos significa mulher muito abençoada; b) os irmãos de Je-
sus (pelo menos no começo do trabalho d’Ele) não eram confiáveis. Pode até ser que, depois,
como Pedro, todos tenham se arrependido e sido salvos! Mas a respeito disso a Bíblia não fala.
Mas a visão daquele católico está, de fato, totalmente impedida de enxergar a rea-
lidade espiritual por duas coisas fundamentais: a primeira, pela idolatria que pratica o tornar:
cego, surdo, mudo e paralítico, enfim: semelhante aos ídolos que adora! Basta ler numa
Bíblia (evangélica) o Salmo 115.8 e verão a maldição que cai sobre os idólatras:
“Semelhantes a eles sejam os que fazem, e todos os que neles confiam.”
A segunda coisa que dificulta bastante os católicos de entenderem a Bíblia é por-
que eles adulteraram o seu Antigo Testamento, acrescentando-lhes livros e enxertos não
santos.
Ora onde há mistura do santo com o profano, penetra o espírito de confusão que
impede os leitores de entenderem o que leem.
O Antigo Testamento dos evangélicos não tem livros nem enxertos não santos,
e os católicos podem alegar que não tem porque os evangélicos os tiraram; e, assim, estari-
am amaldiçoados, também, porque em Apocalipse 22.18-19, Jesus, ao fechar a Bíblia com selo
divino, diz:
“Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém
lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; e
se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte
da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro.”
É verdade, não podemos tirar nem acrescentar nada à Bíblia para não sermos
amaldiçoados.
Os Novos Testamentos católico e evangélico são iguais. Já o Antigo Testamento
dos evangélicos é igual ao Antigo Testamento judaico; porque aos judeus é que Deus confiou
a guarda daquele Testamento, e foram eles que derramaram muito sangue, suor e lágrimas,
para o manterem íntegro.
Agora, cabe a cada leitor optar pelo certo, pois, conforme sua decisão, responde-
rá individualmente a Deus, no tempo determinado. E não tem essa desculpa de ter errado
porque lhe ensinaram errado!
Aqui, não é questão de partido político, nem se escolher um time em que se deva
apostar. A Palavra de Deus não é palavra de homem e nem time de futebol, para que se fique
fazendo o que se quer com ela. Aleluia!
Aqui é caso de vida e morte. Você que decida sobre a sua vida.
Maranata!

09/05/2014 - Hoje só veio a irmã Al. veio para a reunião. Na verdade o Senhor
permitiu exatamente isso, para que ela ficasse mais a vontade numa cura interior. Aleluia!
Maranata!

13/05/2014 – Ontem levei mais um irmão a receber o batismo com o Espírito pela
internet. E hoje, se Deus quiser, teremos nossa reunião da 14:00hs.
A reunião foi muito boa. Oramos por inúmeras coisas, inclusive pela cura de meus
ouvidos. Mas aconteceu algo singular. Em dado momento, caiu uma chuva forte e uma irmã
nos avisou de que estavam caindo pingos sobre uma poltrona.
Ela e minha esposa foram e arrastaram a poltrona. O que achei certo, porém, de-
pois, minha esposa deixou a sala e voltou com uns panos com os quais, começou a enxugar a
poltrona.

49
O Senhor zangou-se. Eu senti aquilo, mas, não queria dizer para minha mulher;
(aliás, fiquei pensando que a zanga fora minha, pois acho absurdo estarmos numa reunião com
Jesus e a deixarmos de lado por um telefone tocar, alguém chegar ou, pingos d’água caírem)!
O fato foi que, em seguida, veio uma referência bíblica para lermos e ela falava li-
teralmente, de problemas com desobediência da minha parte, por não querer dizer a verdade a
minha mulher. Então, tive a visão de Jesus crucificado numa estrela de cinco pontas (o penta-
grama satânico!) o que me lembrou de imediato 1ª Samuel 15.23, que diz:
“Porque a rebelião é como o pecado da feitiçaria, e a obstinação é como a iniqui-
dade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para
que não sejas rei.”
Tudo isso confirmou o que eu pensara, aquela ira tinha vindo de Deus. Eu tinha
obrigação de falar para minha mulher.
Puxa! Sem mais delongas falei-lhe e, entendi que Ele a está preparando para um
EIS-ME AQUI perfeito; que é quando O colocamos em primeiro lugar em todas as situações.
Aleluia!
Enfim, foi tudo ótimo! Oramos pela igrejinha de Itambé e pela irmã Ca. que a fun-
dou; pois, o pastor de lá está se demitindo por problemas com a sede de sua congregação
(mais uma dessas eternas lutas pelo poder!)...
O Senhor tirou um enorme peso dos ombros da irmã Ca., pois, ela estava carre-
gando todo o peso do momento.
Esqueci-me de anotar que, hoje, levei mais outra irmã a receber o batismo com o
Espírito via internet. Aleluia!
Maranata!

16/05/2014 – Hoje, se Deus quiser teremos a reunião das 15h30.


Ótima reunião. Oramos por várias coisas os irmãos deram belos testemunhos e re-
cebi a confirmação da ordem para patrocinar a Igreja Internacional da Graça de Deus.
O irmão Ac. deu o testemunho sobre um automóvel que tinha adquirido por “lea-
sing” com um Banco, e que resolveu saldar. Assim que fez isto, o motor do carro começou a
esquentar. Ele orou pedindo ao Senhor para segurar o carro até a oficina e conseguiu. Porém,
na oficina, lhe disseram que não podiam fazer o conserto, porque o carro era novo e o compu-
tador deles desatualizado.
Ele conseguiu chegar até a concessionária, onde só podiam atender com agenda-
mento de, no mínimo, 15 dias! Ele falou que o motor estava esquentando e era caso de UTI, e
lhe atenderam. O mecânico confirmou o defeito e disse que teriam de trocar o injetor.
O problema é que o carro iria ficar parado por uns 15 dias, até a peça chegar de S.
Paulo! Ele perguntou se não tinha nenhuma delas por lá, e o mecânico se lembrou de que uma
pessoa tinha pedido uma, para conserto semelhante, quando pensaram ser defeito do injetor e,
depois, viram que não era. Por isso, tinha uma única peça daquelas, na oficina. Aleluia!
Imaginem só isso: meses antes, o Senhor já tinha providenciado tudo, para o ir-
mão! Agora imaginem, também, se o irmão tivesse desesperado e reclamado; seria que o Se-
nhor iria ajudá-lo?
Além disso, o irmão tinha notado que o automóvel consumia demais. Porém, assim
que o quitou, desligando-se da financeira, o Senhor providenciou todo o conserto do carro e
aquela peça nova resolveu, também, o problema do consumo. Aleluia!
Maranata!

17/05/2014 – Não teremos a reunião desta segunda, porque a irmã Ca. viajou.
Porém, minha esposa resolveu dar um almoço para alguns parentes e o Senhor não podia dei-

50
xar de operar. Um amigo que tinha um problema sério do qual nunca se livrava, finalmente,
entendeu porque aquilo acontecia.
Ele não confessava um pecado! Estava sofrendo horrores, mas não confessava o
pecado, procurava mascarar o mesmo e, assim, não recebia o perdão.
Quando lhe mostrei a verdade, finalmente entendeu, confessou e, com certeza,
sua vida vai ser outra a partir de hoje. Aleluia!
Maranata!

21/05/2014 – Esta reunião foi muito dura. Foi como se tivesse um quadro negro
me impedindo a visão espiritual. Trouxeram uma moça que tem medo de muita gente. Sofreu
um acidente, quando criança, no qual perdeu um pedacinho do cérebro.
É uma moça completamente lúcida e de boa aparência, mas, tem medo de multi-
dão. Tentei ver a causa disso e não consegui. Tudo que fazíamos com ela era inútil... Ela não
era tocada por nada!
Enfim, oramos por ela (mesmo sem saber sobre o que) em línguas e, foi o que pu-
demos fazer!
Isto me deixou pensando... Esta é a terceira pessoa com quem me deparo, assim!
As outras duas têm diabetes, uma já está semicega, e a outra se injeta insulina a todo tempo.
Ambas são batizadas com o Espírito. Não deviam ter sido curadas?
O que está ocorrendo? Não sei.
Mudando de assunto, há meses tinha pedido ao Senhor para me indicar alguém a
quem pudesse dar uma oferta. Esta semana comecei a ser incomodado para ser patrocinador
do programa do R.R. Soares o qual, aliás, muito me tem ajudado, pela TV.
Pensei naquilo ser um impulso de religiosidade e fiquei postergando, mas, durante
uma reunião de oração, percebi ser vontade do Senhor, e resolvi dar a quantia que me vinha à
mente.
Interessante é que, no momento em que fui transferir a mesma pelo B. do Brasil,
(via internet) apareceu uma telinha, que eu sempre via lá, no site do Banco, e não sabia para o
que servia. Eu transfiro meus dízimos via internet, faço muitas transferências para as contas de
minha esposa e das minhas filhas, e a tal telinha nunca me foi útil; mas, quando fui fazer esta
transferência para a Igreja da Graça, a telinha como que criou vida e apresentou-se como um
lugar, onde eu colocar minhas transferências monetárias favoritas, pensou?
Isso prova que o Senhor se agradou da oferta que farei mensalmente, enquanto
Ele quiser.
E, hoje, quando o missionário R. R. Soares falou para os patrocinadores, foi bem
claro em dizer que, só queria patrocínio de quem o Senhor tocasse e, se a pessoa não soubesse
o quanto ofertar, era porque aquela vontade não vinha do Senhor e ela não desse nada.
Isto foi outra revelação confirmatória para mim, porque sempre me vinha determi-
nada importância, sempre a mesma, quando Ele me tocou. Aleluia!
Como é bom sermos dirigidos por Deus!
Maranata!

23/05/2014 – Que bom é participarmos de uma reunião com pessoas de fé. Que
diferença!
Hoje compareceram todos os participantes deste grupo: o Professor, a Engenheira,
e os dois estudantes de engenharia. E o Senhor ordenou que eu passasse a direção da reunião
para um dos estudantes, o irmão Ma, para quem Ele profetizou que iria ser missionário até no
Japão.
Há quase um mês estes irmãos nem apareciam nem davam notícias. E o Ma. con-
fessou que se desviou, e ficou depressivo.

51
Lembrei-lhe de que o único remédio para nossos pecados é CONFESSÁ-LOS a Je-
sus. E ele fez isso. Depois nos disse que, primeiro viu um polígono de inúmeros lados e, à me-
dida que confessava, este polígono diminuía de lados, até ficar um de quatro lados.
Antes de lhe dizer que o 4 indica a relação correta do homem com Deus, ele me
disse que estava entendendo que aquele quadrado era o Pai, o Filho e o Espírito, de mãos da-
das com ele, formando o quadrado. Aleluia!
Vinham as revelações e eram corretamente interpretadas, oramos pela irmã que
tinha sofrido um ataque do inimigo, e ela testemunhou sua cura; o Senhor me falou que o pro-
blema de meu exame de vistas, no Detran, já estava resolvido; não tinha de me preocupar.
Aleluia!
O Senhor falou da importância da purificação constante, para não cairmos em cila-
das do inimigo. O Senhor lamentou a situação atual da igreja d’Ele, e numa visão, me mostrou
a surpresa daqueles que não subirão no Arrebatamento.
O irmão Ga. que vai para o Canadá, interpretou línguas.
Profetizei que o irmão Ma. iria ser pregador. Ele estava preocupado porque a Uni-
versidade para onde vai (para fazer um estágio de um ano nos EEUU) em Agosto, se intitula de
universidade dos filhos do sol; eu lhe lembrei que ele, realmente, era filho do SOL da justiça, do
gerador de toda Luz do Universo, e Criador de nossas vidas. Talvez ele vá ser o único filho do
SOL de verdade, acolá! Aleluia!
E foram revelações e referências bíblicas perfeitas, encaixadas nos problemas pe-
los quais tínhamos de orar. Glória a Deus!
Em dado momento, percebi como o irmão Ma., a quem foi dada a direção da reu-
nião, fazia orações bem curtas e lembrei como a maioria dos evangélicos gosta de orações qui-
lométricas e, logo em seguida, o Senhor nos falou que este era o X da questão pela qual,
muitas orações não eram atendidas: eles falam tanto, que se perdem no que desejam de fato,
e o Senhor não tem como atende-los. Aleluia!
Entre outras coisas o Senhor alertou principalmente ao irmão A. (que irá ser pre-
gador) sobre fariseus e saduceus. Que ele estivesse bem atento com as bajulações e maquina-
ções dos mesmos. Aleluia!
Maranata!

“Quem encontra uma esposa acha um bem; e alcança o favor do Senhor”. (Pro-
vérbios 18.22).

28/05/2014 – A reunião de ontem foi transferida para hoje, porque a missionária


Ca. estava nos EUA. Foi ótima! Oramos por todos os irmãos (do mundo inteiro) que não esta-
vam discernindo os seus ministérios, oramos por pessoas que o Senhor mencionou, e vi um
anjo tirando algo como um tecido negro de minha esposa, a qual recebeu o dom de profecia.
No final da reunião ela (minha esposa) viu cada um dos participantes da reunião
receber um presente do Pai. Todos embrulhados com um papel de presente listado, amarrado
com uma fita vermelha.
O meu era o maior, o da missionária Ca. o médio, e o da minha esposa do tama-
nho de uma caixa de caneta. Não sabemos o que contem. É só aguardar. Aleluia!
A missionária nos contou que conheceu uma comunidade nos EEUU, onde os ir-
mãos procuram viver com a cultura de filhos de Deus, livres para andarem por onde quiserem
para levarem a Luz ao mundo. Aleluia!
Maranata!

Eu creio que recebi o dom de dançar no Espírito. Lembro-me de ter ouvido sobre
um pastor que fazia isso e, quando fazia, pessoas eram tocadas e curadas pelo Senhor.

52
Depois daquela deliciosa reunião de sexta-feira, quando o pessoal se foi, fiquei
cheio de alegria, querendo agradecer a Deus e não sabendo como.
Resolvi fazer uma dança maluca e, enquanto a fazia, fui dando louvores avulsos ao
Senhor tais como: “Eu amo a Jesus, o meu Salvador. Ele é meu Rei Ele é o meu Senhor. Eu sou
filho de Jeová Rafa, ele é Deus que cura além e nos salvar, etc.”...
Enquanto ia pronunciando estes louvores, também declarava versos bíblicos e fui
me empolgando e descobri que, quando eu começava a dançar, ficava alegre. Isso me entusi-
asmou, até que percebi aquilo não prover de mim!
(É claro que faço isso, sozinho, quando não tem ninguém em casa. Não quero que
pensem que endoidei. Aleluia!)
Maranata!

30/05/2014 – Hoje se Deus quiser, teremos a reunião das 15:30hs.


A reunião foi ótima. O Senhor nos orientou com revelações para orarmos por vá-
rias pessoas e problemas. O irmão Ma. viu uma medalha bem grande, o que me levou a pensar
no marido da irmã Ca., que tinha recebido da mãe dele, uma medalha católica. Oramos pela
libertação do homem.
Outro irmão viu um vaso de vidro de pescoço fino, sobre o qual estava um manto
da Virgem Maria. Arrancamos aquela imundície do vaso, que era o mesmo irmão pelo qual tí-
nhamos orado antes. Aleluia!
Quase no final da reunião, o celular do irmão Ac. tocou, e ele se afastou para
atender, mas logo voltou. O Senhor tinha acabado de nos avisar sobre toda cilada que o inimi-
go apronta para nos tirar do Caminho; e ele tinha deixado uma reunião com Ele, para ir atender
ao telefone!
Desta vez eu nem me senti mal com o toque do telefone, como das outras vezes.
Falei do que o versículo de João 14.13 quer mesmo dizer, que é determinar em
nome de Jesus e não pedir em Nome dele, para os irmãos ficarem alertas. Na minha Bíblia
está escrito assim:
“... e tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorifica-
do no Filho.” (Errado)
“... e tudo quanto determinares em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glo-
rificado no Filho.” (Correto).
Abram os olhos porque pedir e determinar são coisas bem diferentes, por isso,
muito pedem e pedem e não recebem, porque a Bíblia não diz pedir, aquele verbo foi traduzido
errado, devia ser determinares.
E, várias vezes, o Senhor nos falou que o tempo do Arrebatamento estar chegando
e que nós devíamos nos apressar, em tentar convencer os irmãos a receberem o Óleo do Espíri-
to, para não ficarem aqui, e terem de enfrentar a Grande Tribulação.
Insistiu, várias vezes, como fez em reuniões anteriores. A coisa está perto mesmo!
Maranata!

53
Capítulo 17
CONFESSAR
Muitíssimos irmãos têm verdadeira aversão a CONFESSAR pecados e, por isso,
vão afundando cada vez mais e o diabo arrebenta com eles. Ontem uma irmã pediu oração
para duas conhecidas dela, as quais, evangélicas e batizadas com o Espírito, estavam no fundo
do poço.
No mesmo momento lhe perguntei por que ela não procurava ver se tais irmãs não
tinham algum tipo de mágoa ou ódio que estivesse lhes obstruindo a recepção das bênçãos do
Senhor; e a irmã foi rápida em informar que ela sabia que era exatamente isso, mas, ambas
não queriam confessar os ódios como crimes de morte!
- Está aí! A única solução para estes casos é orarmos em línguas por elas! Assim o
Espírito irá pedir ao Pai exatamente o que precisam! E não devemos intervir com mais nada,
para não atrapalhar o ensino que o Pai lhes quiser dar – e assim fizemos.
Então, eu dei o testemunho de outras duas irmãs que, nesta semana, entraram em
contato comigo na internet, em busca oração. E a pisada foi a mesma, queriam oração para
sair do fundo do poço! Quando as consegui convencer que primeiro devíamos examinar sua
situação espiritual, já se mostraram chateadas. E tudo só piorou, quando lhes falei que os
ódios que tinham por algumas pessoas eram: crimes de morte!
A última delas, uma Missionária, me disse que já tinha pedido perdão a Jesus
como eu lhe tinha orientado. No entanto, o Espírito me mostrou que ela estava mentindo, tinha
pedido perdão a Jesus por pecados; mas, não tinha CONFESSADO seus ódios como: ASSASSI-
NATOS cometidos por ela!
Quando lhes mostrei que estavam querendo sair pela tangente, ficaram bravas,
alegaram que eu estava querendo afundá-las mais ainda, e cortaram contato. Nem deu tempo
de lhes avisar que, só por participarem das Ceias do Senhor com aqueles ódios, eram passíveis
de enfermidades e morte; e, também, não pude avisá-las para nunca orar o Pai Nosso!
Muitos dessas irmãs (e irmãos) reclamam que suas relações sociais não frutificam.
Eles dormem e acordam, almoçam e andam de braços dados com a morte, espalham o cheiro
da morte por onde vão; e querem se dar bem socialmente!
Não percebem estarem carregadas de demônios da morte que, qualquer pessoa de
bom senso sente a presença como: carregos do quais só querem: distância!
Quando descobri que ódio era assassinato, não fiquei querendo enganar Deus a
respeito dos inúmeros assassinatos que eu tinha cometido! Fui franco!
Aliás, Deus já sabia disso sem eu precisar falar! Ele quer é que nós nos humilhe-
mos e reconheçamos quem somos, para não ficarmos nos gloriando ante Ele, com caras de:
bonzinhos!
Hoje assisti a um filme sobre a vida dos tripulantes nos submarinos alemães da II
Guerra. É impressionante como os simples homens, que buscam a glória nas guerras, agem!
(Aliás eu nem sei bem o que eles chamam de glória, pelo que consigo entender é: matar o
maior número de oponentes ou morrer tentando isso!).
Fiquei pensando em toda a ciência, titânico esforço industrial, social e humano, pa-
ra conseguirem aparelhos e armas cada vez mais sofisticadas; o que significa capazes de mata-
rem mais e mais rápido e com menor desperdício!

54
Todos os países têm as suas fábricas de morte a todo vapor, suas Forças Armadas
com seus gloriosos heróis, sempre de prontidão, capazes de atos inacreditáveis, para qualquer
mortal executar; sujeitos a tremendos preparos físicos e mentais.
Abisma-me ver como estas simples criaturas de Deus são capazes de atos tão fan-
tásticos e sobre-humanos, enquanto muitos filhos de Deus não se tocam! Fazem parte do Exér-
cito de Deus, mas, caminham como pobres criaturas, desnorteadas e sem o menor anseio da
Glória celestial, a única Glória que vale sacrifício!
O irmão, que está morrendo, se acabando, se afundando, porque tem mágoas e
ódios no coração, revoltando-se contra quem está querendo lhe mostrar as razões de suas do-
res e fracassos, para tirá-lo destas misérias, mostra bom senso?
Maranata!

Capítulo 18
NÃO JULGUEIS
Eis um versículo que sai da boca de qualquer evangélico, quando o recriminamos
por algum erro: “Não julgueis para não serdes julgado!”. Falam isto com arrogância, como se
fossem sábios, totalmente protegidos pela Palavra; coitados!
Realmente este versículo consta da Bíblia (Mateus 7.1) e foi declarado pelo próprio
Jesus, mas, tenho a mais absoluta certeza de que Ele se irrita com estes que o declaram, pe-
gando um versículo santo, para escamotearem pecados.
Eu nunca me deixei confundir por tais pessoas. E isto me evitou cair em inúmeras
ciladas do inimigo ou, de expor brechas na minha muralha espiritual.
Acho que os irmãos nunca leram (entre outros) o versículo de João 7.24, que diz:
“Não julgueis pela aparência, mas julgai segundo o reto juízo”.
E esta determinação para julgarmos não é a única, ela está entre várias outras
partes da Palavra de Deus e, algumas vezes, subentendida em alguns versículos, que nem fa-
zem menção da palavra julgar como, por exemplo:
“Vigiai e orai” (Mateus 26.41)!
De que adianta você vigiar se não puder julgar o que acontece e escolher o que é
bom?
“Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas perten-
centes a esta vida?” 1ª Corintos 6.3.
É, sabidinhos, se pensam que estão isentos da reprovação de Deus por se escon-
derem atrás de versículos bíblicos, estão redondamente enganados, e sequer percebem no
perigo a que se expõem!
Jesus avisou em 2ª Corintos 3.6:
“... o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da
letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica”.
Outro dia, uma irmã me telefonou perguntando-me se podia levar uma moça, que
já tinha trazido a nossa reunião, e só tinha causado problemas. Ela me disse que a moça lhe
tinha dito que aceitava vir à reunião, mas, sob uma condição: ninguém falar nada com ela, nem
exigir nada dela, etc...
Imediatamente recusei, porque percebi que isso era uma forma que o diabo queria
arranjar, para se colocar em nosso meio e dominar a reunião!

55
Aceitei a moça numa primeira e numa segunda vez, porque tive esperança dela
querer melhorar, mas, concluindo que não tínhamos conseguido nenhuma melhora dela, não a
queria em nosso grupo. Oraríamos em línguas por ela e: pronto!
Outra irmã, antes de sair numa viagem missionária, recebeu a visita de um “profe-
ta” que só lhe previu coisas ruins e fracassos. Como ele era irmão de uma sua conhecida, a
viajante apenas reclamou com a mesma sobre o comportamento do irmão.
Na volta, numa reunião de oração que estava fazendo, a irmã recebeu a visita da
mesma figura. Só que ele ficou lá atrás, observando tudo, calado...
Depois veio perguntar mil coisas à irmã a respeito da viagem, mostrando estar
querendo saber se tinha acontecido algo de ruim do que “profetizara”; a irmã negou quaisquer
incidentes e disse que só foram vitórias (o que foi a mais pura verdade!).
Então o homem falou: “- Ótimo, então me dá aqui um abraço!”, e a irmã caiu co-
mo um patinho!”
Enquanto orava pela restauração do sono dela, vi uma Bíblia branca, aberta, e
uma seta branca, enviada bem para o meio da mesma. Então a Bíblia se fechou como para
abraçar a seta!
Isso lembrou tudo à irmã, que não conseguia descobrir a razão de sua recente in-
sônia! O enviado do diabo (que se diz evangélico!) não satisfeito pelos êxitos da irmã, atacou-a
passando-lhe contaminação espiritual via contato, quando a abraçou!
Agora não julguem, irmãos, e pensem no que podem cair!
Não sei quantas vezes o inimigo já não tentou me pegar e, por eu julgar segundo
a reta justiça, escapei. Por exemplo, outro dia uma bruxa na internet, me cumprimentou cor-
tesmente, dizendo-me: “– Namastê!”.
Ora, sei que esta palavra hindu significa: meu deus se curva ante o seu deus!
Os hindus têm milhares de deuses, adoram até ratos! Aquela saudação é comum
no oriente. Dizem-na e se curvam de mãos postas, um diante do outro, se adorando mutua-
mente.
Mas o caso é que Meu Deus não se curva ante nenhum outro; foi o que disse a
bruxa a qual, agora, toda vez que me vê na internet, vem com a mesma lenga-lenga, que igno-
ro.
Outra armadilha muito comum é a de praticantes dos espiritismos os quais, ao nos
encontrarem, dizem: “Como vai, irmão!”.
Ora, eu sou Filho do Altíssimo, eles servem aos demônios; não temos o menor tra-
ço de irmandade, é o que esclareço de forma não agressiva; disposto a lhes explicar o porquê.
Se quiserem aprender ensinarei, se não, problema deles.
Vigiai bem e julgai se as coisas vêm de Deus ou do diabo ou, vocês se meterão em
encrencas terríveis.
Já vi absurdos, como evangélicos, nas salas de bate-papos da internet, dizendo pa-
ra alguém que se intitula satanás ou lúcifer: “oi, irmão, como vai?”.
Revoltado, sinto-me obrigado a mostrar a estes irmãos bobocas, seus erros.
John Kennedy era católico e, certa vez, foi ao Vaticano em viagem presidencial.
Muita gente estava de olho no que ele iria fazer, quando o papa lhe estendesse a mão para
beijar, em sinal de submissão.
Apesar de católico, Kennedy era Presidente de um país laico (não sujeito a religi-
ões) e agiu extremamente bem, pegando a mão estendida do papa e apertando-a, como qual-
quer cidadão se apresenta a outro. Valeu bem o exemplo.
Vocês podem pensar que isso tudo é bobeira, mas, no mundo espiritual, tudo as-
sume proporções enormes se não tivermos cuidados. Um beijo na mão do papa significaria que
os EEUU estavam se prostrando ante o catolicismo e o diabo iria aproveitar esta brecha, para
fazer sua festa.

56
Maranata!

03/06/2014 – Nossa reunião das 14H00 de hoje foi maravilhosa. Minha neta, que
estava enferma, participou e o Senhor: 1) a libertou de um espírito de confusão, 2) a fez orar
por algumas coisas em português, 3) foi ela quem consagrou o Pão e o Vinho para a Ceia.
A medida que fazia estas coisas a visão espiritual dela se expandiu como nunca, e
começou a dar abundantes revelações; numa delas, me viu com um capacete de couro, e en-
tendi que devia fazer alguma coisa por fé.
A primeira, foi interpretar, pela fé, um versículo que pareceu obscuro para todos.
Depois, expulsei um inimigo que ainda estava me deixando sintomas de enfermidade; e minha
neta foi me informando que aquele capacete estava ficando cada vez mais fino, a cada oração
que eu fazia; porém, faltava ainda uma coisinha...
Então minha esposa falou para eu tomar posse dos versículos:
“Em todas estas coisas somos mais que vencedores” (Romanos 8.37) “Posso todas
as coisas naquele que me fortalece”. (Filipenses 4.13) e “Que diremos, pois, a estas coisas? Se
Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8.31).
Oramos por nossos ministérios e minha neta viu a mim e a minha esposa amarra-
dos um ao outro, com uma corda. Entendi, espero que minha esposa também!
Oramos mais uma vez, por proteção para a missionária Ca. e pelo seu ministério!
Só não entendi porque oramos novamente por isso. Minha neta nos dirigiu a orar pelo seu pai,
o Senhor a colocou como Atalaia na família dela, sempre de olhos vivos, para não deixar con-
taminações penetrarem na família. Ela orou para mantimentos e para um emprego menos peri-
goso para o pai; o atual, é na polícia civil.
No final a missionária nos informou que estava fundando a denominação “Palavra
e Poder”, que abriria oficialmente as portas, no dia 14, deste. Pegou-nos de surpresa, pois,
nunca mencionou que tinha tal intenção.
Só, aí, entendi porque o Senhor nos fez orar, duas vezes, pelo ministério dela: foi
pelo ministério virtual e pelo físico.
Enfim, só, coisas boas. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 19
F.A.B
04/06/2014 – Ontem assisti a um documentário sobre a FAB (Força Aérea Brasilei-
ra) onde vi duas coisas que o documentarista sequer parece ter notado!
A primeira foi triste e aconteceu com um aviador brasileiro o qual, por ter recebido
a ordem de abater qualquer coisa que se mexesse no solo, metralhou um automóvel civil e
narrou esta história chorando, informando-nos que nunca conseguia esquecer aquilo!
Acrescento aqui apenas que, pelo menos até a data em que foi feito o documentá-
rio, aquele aviador brasileiro não sabia o que o Senhor falou em 1ª João 1.9:
“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os peca-
dos e nos purificar de toda injustiça.”
A segunda coisa que me tocou, foi a história de outro aviador brasileiro o qual,
abatido, teve de saltar de paraquedas de pequena altura, e quebrou um tornozelo.

57
Enquanto gemia e se arrastando procurava esconderijo, um italiano (pró-Hitler)
apareceu rindo, para mata-lo.
Estava pronto a atirar, quando surgiu um cabo do exército alemão, que impediu o
italiano de cometer aquele abate; ao qual tinha direito; pois, o italiano estaria matando um
inimigo fardado!
O fato é que o cabo alemão levou o aviador brasileiro para um hospital militar
alemão, onde a única coisa que puderam fazer pelo aviador, foi enfaixar seu pé e sentá-lo nu-
ma cadeiras de rodas.
Como os alemães estavam em debandada, o diretor do hospital já estava com as
mãos na cabeça, sem saber o que fazer com os inúmeros soldados alemães feridos, os quais
teria de abandonar, por falta de viaturas e condições adequadas de transporte.
A situação estava tão crítica, que a pessoa de melhor saúde naquele hospital era,
justamente: o aviador brasileiro; ao qual o diretor entregou sua própria pistola, e lhe pediu
encarecidamente que ele não deixasse os civis italianos (cheios de ódio contra os nazistas) a
matarem seus feridos.
E o brasileiro fez isso, enfrentou uma hoste de italianos sedentos de sangue e, de
arma em punho, exigiu que cumprissem o que ordena a Convenção de Genebra; sob pena de
denunciar os desobedientes, quando os americanos chegassem e, assim, salvou todos aqueles
soldados feridos.
Notem bem, a bondade de um alemão feita a um brasileiro, resultou naquele bra-
sileiro ser o meio que Deus usou, para salvar centenas de soldados alemães da morte!
Eu tenho certeza que aquele cabo alemão, que salvou o brasileiro, nunca teve um
sono intranquilo. Aleluia!
Mesmo no meio das guerras, Deus está sempre atento, para ver quem faz o que. E
não deixa de abençoar, os que escolhem fazer o melhor.
Claro, nas guerras nada é bom! Porém, sempre há um menos ruim, algo que po-
demos até chamar de melhor, como o ato daquele cabo alemão.
Mas que Deus vê tudo, vê; concordam comigo? Aleluia!
Maranata!

06/06/2014 – A reunião de hoje a tarde foi mais ou menos. Alguns probleminhas


que o Senhor terá de resolver. Oramos pela cura de uma irmã que recebeu um dardo na colu-
na, enviado pelo inimigo.
Maranata!

07/06/2014 – Hoje tivemos uma reunião extra. Tudo começou quando uma irmã
marcou um almoço em sua casa e, não pode oferecê-lo, por motivo de força maior. Então, re-
solvi juntar os que tinham sido convidados àquele almoço, para irmos a um restaurante, infe-
lizmente (ou felizmente, creio!) só eu, minha esposa e um irmão, comparecemos.
E este irmão veio uma hora antes, à nossa casa, para fazermos esta reunião de
oração. Ele testemunhou que tinha tido um enorme livramento depois que orei por ele; e rece-
beu inúmeras instruções de como proceder em sua vida cristã. Aleluia!
Minha esposa nos deu testemunhos de sua evangelização e das curas que Jesus
fez através dela, e todos nos alegramos.
Em determinado ponto vi uma pessoa exausta, tentando firmar-se num patinete e
entendi que era eu. Desde o dia anterior, vinha me sentindo assim, exausto, lutando para me
firmar na fé, e sem forças...
Os irmãos oraram por mim e me vi andando numa bicicleta e, logo em seguida,
numa moto. Senti minha fé ter voltado com todo gás. Aleluia!

58
O Senhor me ordenou pedir ao Pai um novo vocabulário, para me comunicar me-
lhor com os irmãos e fiz isto.
Instrui dois irmãos (de cidades diferentes) a fazerem uma purificação depois pedi-
rem o batismo com o Espírito Santo (tudo via internet) ambos foram abençoados, um deles me
disse que estava com fortes dores na coluna e elas sumiram no mesmo instante. Aleluia!
Maranata!

10/06/2014 – A reunião de hoje foi boa, embora nada tenhamos a passar para os
irmãos, porque foi mais de intercessão por várias coisas e pessoas. Além disso, o Senhor deu as
últimas orientações para a miss. Ca., que vai inaugurar o primeiro local físico, do seu ministério
de curas. Aleluia!
Maranata!

13/06/2014 – A reunião e hoje foi boa. O Senhor mandou pegar um copo de água,
pingou uma gota do Sangue d’Ele na mesma, e nos mandou beber. Informando-nos que isso
iria nos libertar de algumas coisas que nos atrapalhavam o caminhar. Aleluia!
Vi um torvelinho negro, cheio de ódio, no meio da sala o qual, mandamos sair
imediatamente, para as trevas exteriores; e ele se foi. Aleluia!
O Senhor nos deu várias recomendações para nos mantermos sempre santos, lim-
pos de quaisquer imundícies.
Maranata!

Uma curiosidade. Sabem por que existem animais ferozes?


Antes do dilúvio os animais comiam vegetais, até o leão comia capim. Nesta época
a humanidade estava infectada de demônios e, quando as águas tiraram suas vidas, os demô-
nios, que aqui estavam, procuraram os corpos dos únicos animais sobrantes, os da Arca!
Assim, uns mais outros menos, tornaram-se assassinos ferozes e Deus os espalhou
adequadamente, para se multiplicarem e formarem uma fauna ecologicamente equilibrada.
Lembram-se dos demônios (Marcos 5.9) que Jesus expulsou de um homem pos-
sesso?
Era uma Legião de demônios que pediram ao Senhor que os deixasse ir para uma
manada de porcos, ali perto. Jesus os deixou e os porcos, enlouquecidos pelos demônios, pre-
cipitaram-se num despenhadeiro e morreram.
Os demônios precisam de corpos físicos, para andarem e sentirem prazer aqui, na
terra. Se não for de homens, serve corpos de animais ou de micro-organismos como: bactérias
ou vírus... Contanto que sintam prazeres de viver e possam: matar ou destruir seres humanos
ou outros animais; pois, é disso que eles mais gostam!
Isso é só uma curiosidade. Aleluia!
Maranata!

17/06/2014 – Boa reunião a de hoje. Oramos por várias coisas, pessoas e países e
o Senhor nos mandou escolher qual era o presente que desejávamos. Ele havia prometido um
presente para cada um, na semana anterior. Assim, cada um de nós declarou que presente
desejava. Aleluia!
Os melhores testemunhos ficaram para depois da reunião, quando minha esposa e
a miss. Ca. falaram sobre as maravilhosas curas que aconteceram no “Curso Rhema”, no qual a
missionária Ca. é professora de Cura Divina e minha esposa aluna; além disso, a missionária
tem o Ministério Virtual e Físico de Curas: “Palavra e Poder”, site; www.palavraepoder.com .

59
O Senhor derramou uma cachoeira de óleo sobre nós e nos ordenou deixarmos tu-
do de negativo que ainda tínhamos do homem velho, para tomar posse do que era nosso, como
novas criaturas em Cristo Jesus. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 20
A Rocha Ferida
19/06/2014 - A maioria dos irmãos já conhece aquele episódio bíblico no qual, o
povo judeu, liberto do Egito, reclamou de Moisés por falta de água e Deus mandou Moisés ba-
ter numa rocha para ela verter água. Passado algum tempo, novamente reclamaram de falta
de água e Deus ordenou a Moisés que falasse para a rocha para ela verter água e, ao invés
disso, Moisés bateu na mesma com a vara (como tinha feito na primeira vez!) e, por isso, ficou
impedido por Deus, de entrar na Terra da Promessa.
A rocha ali é Jesus. Ela foi ferida e morta quando Ele se manifestou aos judeus,
porém, não podia ser ferida outra vez, depois de mostrar seu Poder e Autoridade espiritual e
ressuscitar. Mesmo assim os judeus e muitos que se dizem cristãos O renegam, por increduli-
dade!
Esta segunda reação à Rocha, Jesus, significa incredulidade ante o Poder Divino,
o Poder do Espírito Santo, que Jesus mostrou na Terra!
E esta repulsa contra o Espírito Deus não suporta. Ele, inclusive, ordena para nos
afastarmos daqueles que: se dizendo irmãos o são só na aparência, não mostrando, na prática,
Deus andar com eles, como andou com Jesus: libertando, curando, distribuindo vida com abun-
dância, a quem n’Ele acreditou.
Deus diz em 2ª Timóteo 3.5:
“... tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também des-
ses.”
Irmãos não se deixem enganar, se é que você deseja vida e vida com abundância,
afaste-se das congregações frias, onde só a Letra que mata é ensinada!
A salvação que estes cristãos têm durará até o momento no qual, durante a Gran-
de Tribulação às portas, renegarem a Deus!
Sim, eles não serão arrebatados, estarão na Terra por não terem seus lampiões
acesos com o óleo do Espírito e serem, exatamente, as Virgens néscias; sobre as quais Deus
nos fala em Mateus 25.1-13!
Se hoje, por motivos bobos como: doutrinas humanas, partidarismos religiosos,
vaidade humana, negam o Poder a Jesus e Seus seguidores, como irão vencer os terríveis mar-
tírios que terão de suportar, se não quiserem perder até o que julgam ter: esta salvação provi-
sória, recebida neste período da Graça?
“Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim
será também a vinda do filho do homem.
Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres.” (Mateus 24.27-28) diz a
Palavra.
Isso significa que o diabo (o abutre) irá segurar os cristãos frios e impedir de subi-
rem esses cadáveres do velho homem, os quais, não passaram pelo processo do novo nasci-
mento e são apenas: carne podre, intelecto, doutrinas estéreis, letras mortas...

60
Irmãos, pesquisem, andem, observem onde Jesus está agindo como agiu an-
tes e vá buscar o que Ele tem para lhes dar. Não fiquem como pedras, cimentadas num enor-
me e frio pedregulho, de algum mausoléu!
Esta escolha é sua e é crucial para sua vida, e para a vida daqueles que ama.
“Acordai para a justiça e não pequeis mais; porque alguns ainda não têm conheci-
mento de Deus; digo-o para vergonha vossa.” 1ª Corintos 15.34.
Acorda, ó tudo que dormes, levanta-te dentre os mortos!
Maranata!

Capítulo 21
Meu Preso
21/06/2014 – Ontem, na Internet, tive dois contatos que mostram como as pesso-
as andam erradas e têm firme convicção de estarem certas. O primeiro foi com uma senhora
que me pediu oração e não aceitou quando lhe disse que o caso dela não era de orações, mas,
de aconselhamento; pois, orações não resolvem todos os problemas da vida.
Ela se irritou muito e disse que isto era mentira e que oração resolvia tudo. Então,
lhe informei que, neste caso não poderia ajuda-la. Nem desliguei e outra senhora me pediu
oração.
Quando perguntei para o que ela queria a oração, perguntou-me se era preciso di-
zer e lhe falei o mesmo que disse à senhora anterior e, então, ela me respondeu:
- É para meu preso!
Fiquei na dúvida se era para o preso ou para o peso dela, e o jeito foi perguntar
novamente:
- Qual preso?
Ao que ela respondeu ser seu filho, que estava em cana há três meses! Então, tive
de esclarecer-lhe que isso não era caso de oração, mas, de aconselhamentos, e lhe perguntei
se era batizada com o Espírito Santo, ao que respondeu:
- Sou desde meus 10 anos de idade. Sou evangélica há 50 anos!
Isso não me soou bem e lhe perguntei quais dons do Espírito ela já tinha manifes-
tado e disse-me que não gostava desta coisa de dons, mas sabia que eram nove. E acrescentou
que a verdadeira religião era visitar os órfãos e a viúvas e começou a me ensinar o seu evange-
lho; o mesmo que levou seu filho à cadeia, coitada!
Tentei lhe mostrar que quando menosprezamos um só dom de Deus, estamos me-
nosprezando ao Espírito Santo, a Jesus, e a Deus; logo, nossas orações não irão ser aceitas!
Foi o estopim, a mulher estourou, me chamou de senhor fazedor de tudo e sabe-
dor de tudo, que tinha 50 anos de evangélica e que eu não teclasse mais com ela!
Bem, não eu iria mais insistir, claro! Mas entendi como o filho dela precisa deixar
logo a educação “evangélica” que ela lhe deu, se não quiser passar a vida toda como seu pre-
so; e, assim, resolvi fazer uma oração por ele. Aleluia!
Outro testemunho bizarro, ouvi do pastor Jaime, da Igreja da Graça. Uma senhora
se lamentava porque não ia mais poder ajudar as pessoas com o dom que Deus lhe tinha dado,
porque tinha arranjado um emprego.
Seu maior problema era porque sua vida não ia bem, apesar de todos os seus es-
forços em “ajudar” o próximo: botando cartas, “tarôs”, fazendo leituras de mãos, consultando
bola de cristal, etc.!

61
Imagine dizer a uma pessoa dessas, que ela está totalmente errada? Foi o que
aquele pastor teve de dizer a esta bondosa senhora.
Maranata!

Maranata!
24/06/2014 – A reunião hoje foi um tanto quanto difícil. Creio que, por minha es-
posa estar resfriada e ficar preocupado. Mas, no final, vitoriamos. A miss. Ca. orou por ela, ela
sentiu algo ruim saindo e a cura veio rápida. Aleluia!
Recebi um e-mail de um irmão (de algum lugar do Brasil) pedindo aconselhamento
e ajuda. Prontifiquei-me e aguardo sua resposta. Ele me respondeu dizendo-me que iria seguir
as orientações que lhe dei: fazer a purificação ensinada no capítulo 41 do livro “Jesus, o Leão
de Judá” e, depois, pedir a Jesus para lhe encher com o Espírito Santo. Aleluia!
Maranata!

27/06/2014 – A reunião foi mais voltada para o Senhor insistir em não seguirmos
evangelhos espúrios, nem sair do Caminho da Verdade e da Vida. Foi toda dirigida para orientar
os irmãos. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 22
O CASAMENTO
Muita gente se engana ao pensar que casamento é uma instituição do “Antigo Tes-
tamento”, do “Novo Testamento” ou, uma instituição falida; ele é muito anterior a estas Alian-
ças, que Deus fez com o homem, e é uma Aliança de Sangue, ou seja: perpétua.
Se examinarem suas Bíblias no Gênesis, capítulo 2, verso 4, verão que o casamen-
to foi a primeira Aliança de Sangue a que Deus obrigou os homens:
“Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e se-
rão uma só carne.”
Eu falei que era uma aliança de sangue e, os mais sábios já devem ter percebido
porque (é que, no casamento, o hímen da mulher é rompido e derrama sangue). E não pensem
que o hímen está na mulher por algum “milagre” evolucional; Deus o colocou ali.
Com o passar dos anos o casamento foi sofrendo certas mudanças: a primeira foi a
instituição do divórcio. Isto só foi permitido, porque a situação do homem foi decaindo tanto,
que, já no tempo de Moisés, o divórcio foi necessário, e Moisés o permitiu mesmo contrariado,
como explica Malaquias 2.16:
“Pois eu detesto o divórcio, diz o Senhor Deus de Israel, e aquele que cobre de
violência o seu vestido; portanto cuidai de vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e não sejais
infiéis.”
E Jesus confirma em Mateus 19.8:
“Disse-lhes Jesus: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar
vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio.”
O divórcio, é uma afronta do diabo contra o casamento; e foi só a primeira, outras
aconteceram, conforme aprendi durante esta minha curta existência.
Existem pessoas que acertam, entre si, o viverem juntas, sem consagrarem a uni-
ão ou a tornarem reconhecida pela Lei dos homens; outras, inventam um tipo de “casamento

62
aberto”, no qual, ambos os cônjuges estão livres para fazerem o que quiserem, fora da aliança;
outras, atualmente, inventaram até o termo “ficar” para modernizar o pecado; e a coroação de
todos os ataques do diabo contra o homem, a família e a sociedade, finalmente, é: o ajunta-
mento homossexual, onde o espírito de confusão fica definitiva e legalmente instalado nas
famílias e na sociedade. Neste ponto a derrocada da família e sociedade atingem o ápice a
queda; de forma impossível dos homens de bem a frear.
“As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” (Lucas 18.27).
Estamos vivendo neste tempo da ação divina. Foi exatamente, em tempo seme-
lhante, que, milhares de anos atrás, Deus interviu com fogo, consumindo as cidades de: Sodo-
ma e Gomorra.
Para Deus, qualquer Aliança de Sangue é para ser respeitada como eterna. Por-
tanto: espertalhões e espertalhonas de plantão mundo afora, um aviso: arrepender-se é bom,
enquanto ainda têm um tanto de tempo, porque o Senhor já está agindo.
Ele começou a fazer isso, quando mandou o aviso-prévio das doenças sexualmente
transmissíveis (DST) e em seguida a AIDS. Agora virá o fogo.
Quando Ele começar a enviar fogo do céu, não tem mais quem segure a fúria divi-
na.
Por que Deus é Amor e não admite ninguém torcer o certo, para beneficio da ma-
ligna carne e felicidade do diabo. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 22
Perde-se a Salvação?
A maioria dos irmãos crê em que, se nós nos desviarmos do Caminho depois de
termos aceito Jesus como Salvador, podemos perder a salvação; esquecendo-se de que esta-
mos no Ano Aceitável, no Ano da Graça do Senhor, no qual, ninguém é salvo por obras da
Lei, mas puramente pela: fé em Jesus!
Está escrito que:
“E há de ser que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo“. (Joel
2.32).
E também está escrito: “quem crer e for batizado será salvo” (Marcos 16.16).
Uns vêm na salvação que Jesus deu àquele ladrão, na cruz ao seu lado, uma con-
tradição; pois o mesmo sequer foi batizado! Já outros defendem que batismos não salvam nin-
guém e é como se houvessem dois Evangelhos, quando na verdade, só há um.
O que leva a estes erros é o se interpretar a Palavra pela letra. Primeiramente, só
há um caso no qual um cristão pode perder a salvação e ele está bem claro ser no caso das
“virgens néscias” de Mateus 25.1!
Observem bem, todas eram virgens, noivas de Jesus, purificadas por Ele, mas,
cinco delas não tinham o óleo no lampião, isto é, não eram batizadas, cheias com o Espírito
Santo! Não eram nascidas de novo, portanto, não eram seres prontos para voltarem ao lar ce-
lestial e, por isso, foram rejeitadas no Arrebatamento!
“Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres.” (Mateus 24.28). O diabo
as segura pela carne e não as deixa subir.
Porém, até estas virgens néscias ainda têm uma última chance de irem para o
céu. E isto acontecerá com as que, mesmo sob a mais intensa tortura nas mãos do Anti-Cristo,
não se deixarem marcar com o número 666!

63
A grande pergunta aqui é: se estas virgens néscias não deram bolas para a Palavra
de Deus, quando estavam tranquilas e podiam optar pela Salvação completa, se sofrer nenhum
dano, irão resistir à torturas, na Grande Tribulação, se mantendo fiéis em situação tão terrível?
A verdade é que só as que resistirem serão salvas:
“Vede, pois, como ouvis; porque a qualquer que tiver lhe será dado, e a qualquer
que não tiver, até o que parece ter lhe será tirado” , Lucas 8.18.
Aquele ladrão foi salvo, mesmo sem ter o menor requisito legal: o batismo nas
águas; isso nos mostra que, em situações difíceis como a em que ele estava, bastava crer em
Jesus e reconhece-lo como Salvador, para ir para o céu. Assim é a Graça: Plena!
Examinem o caso daquela parábola, onde um rico senhor convidou seus conheci-
dos para seu casamento e todos se escusaram, cada um com uma desculpa diferente. Isso está
no livro de Mateus, capítulo 22.
O que fez aquele homem?
Mandou seus empregados trazerem para a festa todos que encontrassem nos ca-
minhos e nas encruzilhadas, até encherem o salão de festas: sem importar se eram bons ou
maus!
Os empregados fizeram isso e encheram a casa do patrão de “convidados”.
O que aconteceu em seguida fala alto. Ao chegar, o homem olhou ao redor e irri-
tou-se ao ver alguém que: não estava vestido com as vestes nupciais expulsando-o da
casa!
Tinha ladrões, bandidos, mas, só o indivíduo vestido inadequadamente, foi ex-
pulso. Sabem o que isto quer dizer?
Aquele indivíduo significa um penetra, alguém que tentou chegar à festa, sem a
vestimenta do Espírito Santo. Quiçá, uma virgem néscia, matreira que, de algum modo, subiu
no Arrebatamento, mas que, no final, não passou pela peneira fina dos olhos do Senhor!
Então o que acontece com aqueles que se desviam do Caminho da Verdade
e da Vida? Resta a pergunta.
Simplesmente, irão entrar no Caminho da Mentira e da Morte!
Ou seja, irão passar maus momentos em suas vidas terrenas: terão uma vida so-
frida, dolorosa, miserável e, muitas vezes, encurtada pelos pecados; depois do que, o Poder da
Graça divina os recolherá para o lugar a que de fato pertencem!
Isto, se eles falecerem antes o Arrebatamento, lembrem-se!
Sem mencionarmos que, qualquer desviado, por mais desviado seja, se se ajoe-
lhar, reconhecer seus erros e pedir perdão a Jesus por eles, imediatamente, será reincluído no
grupo dos eleitos do Senhor, e estará no Caminho da Verdade e da Vida, com todos seus peca-
dos apagados e esquecidos por Deus. Aleluia!
Graça é graça e com graça não se discute.
Maranata!

01/07/2014 – A reunião e hoje foi ótima. O Senhor foi me dando visões e as inter-
pretávamos e orávamos sobre o que Ele queria. Desta forma oramos pelas autoridades do Bra-
sil, pela libertação das igrejas de influências malignas, pela proteção da liberdade e manutenção
da constituição brasileira, contra orações que grupos satânicos fazem à noite... Nesse ponto vi
o demônio bufando de raiva. Problema dele!
Uma irmã quebrou a idolatria que tinha com o marido, outra usou com toda auto-
ridade o dom de profecia que o Senhor lhe dera e, na mesma hora, vi o Senhor aumentar este
dom na irmã.
Teve muito mais coisas maravilhosas, como quando o Senhor me mostrou a fór-
mula de Einstein e=c.v² que levou a liberação do maior poder que o homem carnal pode ter em

64
mãos e Ele nos disse que o poder que Ele tinha posto em nossas mãos (seus filhos) era muito
superior aquele poder conseguido pela carne. Aleluia!
Uma irmã deu um testemunho. Ela tem um Ministério há pouco tempo e, outra ir-
mã apareceu por lá, querendo tomar-lhe o mesmo. Começou devagar e foi entrando, e entran-
do, até que a que tinha recebido o Ministério do Senhor percebeu e ficou sem saber como agir;
pois, tudo indicava que, de qualquer forma que agisse, ia ferir a sonsa.
Por isso, na semana passada, em nossa reunião, pediu para orarmos pelo caso.
(Oramos em línguas, pois o assunto era complicado, e a irmã Ca. nos contou o que
aconteceu depois desta oração, foi bizarro.
A penetra, no meio da semana passada, chegou para ela e disse-lhe que estava
deixando a denominação a que pertencia. Tinha feito uma visita à outra denominação e a con-
vidaram para ser pastora e seu filho evangelista, lá!
Puxa! Na primeira vez que ela foi àquela congregação lhe deram logo aqueles dois
cargos, imaginem!
Segundo a “premiada”, daqui a um mês receberiam o “derrame de óleo” e já iam
poder agir na nova congregação!
Coisa mais estranha! Mas, nossa irmã ficou livre. Aleluia!
Maranata!

Nem bem nossa reunião acima terminou, uma irmã telefonou para orarmos por te-
lefone. O Senhor deu a ela instruções em como tratar alguns alunos que lhe perturbavam, bem
em como fazer um exame sério, para ver se não tinha idolatria pelo marido; pois, isso podia
estar atrasando a conversão dele, que ela tanto almejava.
Depois disso, ela me perguntou se eu gostava de biscoitos industrializados e lhe
disse que, de certa forma, gostava de alguns...
Ela me informou que estava vendo Jesus me dar um pacote de “Negresco” e caí na
risada.
É que, no mês passado, comprei um pacotinho deste biscoito para experimentar e
gostei muito dele por sua crocância. Como não o encontrei mais à venda, perto de casa, com-
prei uma imitação dele o “Escurinho”. Mas este não era tão bom quanto o outro.
Agora, resta ver que é o que Jesus vai me dar mesmo. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 24
Reunião Maravilhosa
04/07/2014 – A reunião de hoje foi maravilhosa. Orávamos por várias coisas,
quando vi um carpete que dois anjos, um de cada lado do mesmo, enrolavam. Era enorme e
grosso, já estava formando um cilindro de uns 50 centímetros de diâmetro.
A irmã Al. falou que o Senhor estava tirando coisas de debaixo do tapete de nossa
vida, e se lembrou de nos dar um testemunho a respeito. Contou-nos que estava no seu médi-
co, quando ele lhe perguntou como estava Sebastião.
Ela ficou sem entender, porque não conhecia nenhum Sebastião!
E não soube o que responder ao doutor. No outro dia, ao acordar, o nome Sebas-
tião lhe veio à mente e ela se lembrou de um Sebastião.

65
Era um menino do seu tempo de primário, extremamente sonso e mentiroso. O
clássico filhinho da mamãe!
Este menino gostava de bater no irmão dela e, como ela era maior, ia tomar satis-
fações com ele; muitas vezes brigando. O problema é que o endiabrado garoto corria para casa
e contava à mãe dele que ela lhe tinha batido (mesmo quando ela não tinha feito isso) inven-
tando e aumentando as coisas.
E a mãe dele ia até a mãe dela contar o que ouvira do filho e, no final, nossa irmã
sempre pagava o pato!
Ela tinha tido muitos ódios dele! Chamava-o de “Cão 2”, e entendeu que o Se-
nhor queria que ela pedisse perdão pelos crimes de mortes que cometera nestes casos.
Neste momento, um rapaz (o irmão Ma.) disse que se lembrou de que, quando ti-
nha pouco mais de cinco anos, acordou um dia, sem se lembrar de nada de sua vida.
Sendo criança, não quis dizer nada aos pais, e a única coisa que lhe veio em seu
socorro, foi uma vozinha, que lhe disse em sua cabeça: “- Esta é sua mãe”, quando uma mu-
lher entrou no seu quarto.
Como eu nunca tinha visto algo assim, perguntei ao Senhor o que fazer e Ele nos
ordenou que fizéssemos um círculo de fogo ao redor do irmão.
Fizemos isso e expulsamos um demônio da vida dele. Ele nos informou que viu
uma besta fera, cheia de ódio, saindo dele. Aleluia!
O interessante é que o irmão libertado irá nos deixar em Agosto, quando vai para
os EEUU e (pelas profecias que temos recebido) de lá irá até ao Japão, como Ministro do Se-
nhor. O Senhor o está preparando, antecipadamente, para o que vai enfrentar. Aleluia!
Fomos nos sentar e um dos irmãos que estivera no círculo, então, lembrou-se de
que, outro dia acordou com uma música que não saía da sua cabeça, era uma música de car-
naval, que diz: “Você pensa que cachaça é água?”.
O irmão falou para o Senhor: “Mas, Senhor o que eu tenho com isso, nem sequer
bebo?”
E Ele lhe respondeu: “Você cantou esta música muitas vezes”. O irmão entendeu e
renegou a toda maldição da música. Lembram-se do que diz o final dela: “pode me faltar
tudo na vida, arroz, feijão e pão, só não quero que me falte a danada da cachaça?”
E o irmão vinha lutando, há bastante tempo, para receber certas importâncias que
lhe deviam e não eram pagas, entenderam?
Ele tinha decretado, há dezenas de anos atrás, que só o que importava era que
não lhe faltasse cachaça! O diabo o pegou pelo pé, ou seja pela letra.
Eu, que a tinha cantado (junto com muitas outras músicas do mundo), imediata-
mente acordei para o assunto e falei para todos que iria pedir perdão por todas as músicas
do mundo que tinha cantado, porque todas são diabólicas, puras maldições para a vida do ser
humano.
Todos na reunião aproveitaram e fizeram o mesmo. Aleluia!
Foi uma purificação geral de coisas que nem imaginávamos pudessem nos fazer
mal hoje, imaginem!
Mais tarde, durante o jogo o Brasil X Colômbia, resolvi ir ao PC, para escrever os
testemunhos acima e, imediatamente, um irmão de Goiás contatou comigo, via Skype.
Fui atendê-lo e me informou que tinha lido meus livros, feito a purificação que en-
sino no “Jesus, o Leão e Judá”, em seu capítulo 41, e recebido o batismo com o Espírito Santo;
e tudo mudara em sua vida.
Ele é da “Assembleia de Deus” e seu pastor está construindo um templo. Ele teve
a visão de um templo sem vida, o que comunicou ao pastor. E eu lhe informei que, infelizmen-
te, esta é a situação a maioria dos templos evangélicos! E o pior é que nem apenas sem vida,

66
mas com a morte agindo neles, como descobri no caso de uma irmã, a quem atendi pela inter-
net, no dia anterior.
Aquela irmã me disse que seu pastor ensinou-lhe que o Espírito dela e o dele já es-
tavam salvos e a carne, agora, só servia para aproveitarem com prazeres. Por isso ela contou
que ficava nua e...
Neste ponto não quis mais saber o que eles faziam e disse-lhe que seu pastor era
um “mentiroso safado”. Será que fui duro demais?
O fato é que aquele irmão de Goiás recebeu, naquela mesma hora, o dom de lín-
guas, deu revelações, interpretou a Palavra pelo Espírito, e expulsou uns demônios de determi-
nado lugar.
Maranata!

Capítulo 25
Roubai nos Dízimos?
07/07/2014 – ontem à tarde recebi a visita de um casal de irmãos. Minha esposa e
filha tinham saído e eu estava só, em casa. Notei que a mulher capengava e tinha a perna dolo-
rida, embora, semanas atrás, por telefone, tivesse me dito que fora curada no Culto de Cura da
Miss. Ca. Resolvi nada perguntar a respeito.
E a conversa foi sobre amenidades. O marido é bastante engraçado e capaz de ti-
rar humor de qualquer coisa. Rimos um bocado, até que minha esposa retornou.
Entraram, cumprimentou os visitantes e ela e minha filha se sentaram. Imediata-
mente, surgiu a questão da perna doente; pois minha filha perguntou a respeito. Então a mu-
lher disse que tinha sido curada; passou, dois dias, completamente curada. Então, tudo retor-
nou!
Eu falei que aquilo fora porque ela, certamente, repetiu o mesmo erro que levara
ao problema. Ela contou como tudo começou.
Seu marido ia sair, com a filha mais velha, para resolver algo na cidade, quando
ela, ao caminhar para o quarto, ouviu um estalido bem forte na perna direita, como de um
tendão sendo rompido e caiu, sem forças, com uma dor lancinante. Ainda ouviu o portão da
garagem fechando, mas não teve forças para gritar.
Aos poucos, foi se arrastando até um celular, e telefonou para o marido que voltou
às pressas. E ali começou seu calvário, até o dia em que foi curada.
Durante todo o tempo estava procurando do Senhor instruções a respeito do casal.
Primeiro, instrui o marido dela a respeito do ódio, pois, ele se mostrara abismado como Davi
podia ser do coração de Deus, quando dormiu com a mulher de um amigo e, por cima, mandou
matar o mesmo.
O pastor Jaime, da IIGD, tinha falado exatamente sobre a admiração que este ca-
so provoca nas pessoas, ao lerem sobre Davi e, então, falei àquele homem sobre o ódio.
Avisei-o que era melhor não pedir castigo mais severo para Davi, antes de exami-
nar o próprio coração e ver se não tinha cometido assassinatos, pois ódio é: assassinato! Ele
entendeu e calou-se.
Daí voltei a pensar sobre o caso da sua mulher. Bem, está alguém enfermo, ore
por ele, é a ordem de Deus e eu pedi aos presentes para fecharem os olhos e orarmos pela
doente.

67
Levantei-me, fui até ela, impus-lhe as mãos, e ordenei que o espírito de enfermi-
dade largasse sua perna e minha filha viu na mesma hora, um torvelinho descendo da perna da
mulher e fugindo.
Mas restava saber por que ele retornara. Fiz a pergunta ao Senhor e Ele me disse
que ela já sabia a resposta. Perguntei-lhe e ela me falou:
- Eu já sei! Tudo começou depois que uma irmã foi lá em casa e, vendo minha si-
tuação financeira precária, resolveu dar-me seus dízimos, enquanto estivesse viva.
Entregou-me o primeiro e disse que eu não precisava lhe prestar contas de nada.
Gastasse como quisesse, era meu, totalmente. Eu sabia que aquilo que ela estava fazendo era
errado, ninguém pode dar os dízimos para caridade. Mas, aceitei!
Neste ponto intervi e disse-lhe: “- Aí você se ajoelhou ante Mamom! Donde vem
seu joelho ferido!”.
Ela confirmou isto e disse que tinha mais coisas. Contou que logo, no outro dia,
aquela que lhe dera o dízimo lhe telefonou e perguntou o que ela tinha feito com o dinheiro.
Envergonhada, ela teve de dizer.
A outra, então, lhe disse que aquele dinheiro estava lhe fazendo falta, que não iria
poder continuar a lhe ajudar como prometera. E o pior é que ficou zangadíssima, pelo que a
irmã tinha feito com o dinheiro!
Ficou tão zangada que cortou relações com a irmã, acreditem!
Depois que lhe alertei a respeito, a irmã disse que não tinha tido ódio dela de ma-
neira alguma, mas disse-nos que suas filhas, também tinham ficado tremendamente magoadas
com o acontecimento; e eu lhe recomendei que examinasse se alguma não tinha tido ódio, para
que o espírito da morte não ficasse em sua casa.
Ela ainda quis defender as filhas, mas, eu disse que não queria saber de descul-
pas. As filhas não sabiam discernir se tinham tido ou não ódio, como é que saberiam que não
odiaram?
Nessas alturas, percebi que o Senhor estava dando uma lição ao marido daquela
mulher, que eu pensava não ser batizado com o Espírito Santo, mas, que me surpreendeu logo
no início desta história, acrescentando mais dois versículos para lermos, aos que tínhamos re-
cebido no começo da oração, quando pedi ao Senhor instruções para ver o que faríamos a res-
peito daquele caso.
Depois da oração de cura, o Senhor mandou a mulher colocar as costas das mãos
sobre o joelho pelo qual oramos, para ver se sentia alguma diferença de temperatura.
Ela fez isso e disse que não sentiu nada! Não sei, talvez depois, ela vá sentir e ter
certeza da cura, apesar de ter saído ainda capengando.
Maranata!

08/07/2014 – Ótima reunião. O Senhor sempre nos surpreende. No começo dela,


tive várias visões, que foram interpretadas e oramos pelos assuntos correlatos, depois vi um
tronco de árvore que estava viva, pois tinha copa (embora eu não a visse!).
Entendi que se tratava de um filho de Deus, cuja vida imortal não está aparente,
agora. O problema era que aquele tronco estava cheio de cartazes colados ao seu redor, en-
fermando-o.
Aquilo representava todos nós, ali presentes, pois, a madeira representa nossa na-
tureza humana; os cartazes eram coisas que tinham sido coladas em nosso ser, e que não de-
viam estar nele.
Com isso, o Senhor aprofundou ainda mais uma cura interior, nos livrando de feri-
das que sequer imaginávamos ter. Tirou de minha mente e ideia que Jesus castiga (Ele corrige)
e me fez entender melhor o que diz o versículo de Hebreus 12.6, que diz:
“... pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho.”

68
Foram muitas bênçãos. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 26
Doar Sangue
11/07/2014 – A reunião de hoje foi ótima, a irmã Cr. trouxe seu filho Lo., que re-
cebeu do Senhor o Ministério de Intercessão. Ele já o tinha recebido há muito, mas não enten-
dera que o Senhor lho dera. Agora, ficou ciente de tudo.
Quase no fim da reunião, o Senhor deu uma revelação a irmã Al., a respeito do ir-
mão Ma., através da qual, a irmã falou que o irmão Ma. tinha andado por lugares que o Senhor
não aprovava.
Terminou a reunião e, só quando já estávamos nos despedindo no alpendre, o ir-
mão Ma. desconfiou de o Senhor estava se referindo sobre que fora doar sangue. Seria isso?
Juntamo-nos no alpendre para pensar a respeito, e fiquei sem saber o que dizer.
A irmã Cr., que já estava longe, ao ouvir sobre o que discutíamos voltou rápida,
porque ela era doadora de carteirinha. Mas disse que, toda vez que ia doar, pedia ao Senhor
para direcionar aquele sangue para uma pessoa do interesse d’Ele.
Talvez fosse isso o que o irmão não fez, falei, e todos ficaram satisfeitos e se fo-
ram. Mas resolvi pensar melhor a respeito.
Primeiro:“... tudo o que não provém da fé é pecado.” (Romanos 14.23). Portanto,
aquela decisão carnal de doar sangue era: pecado! Concluí.
Devemos nos lembrar de que hospitais são locais infestados de espíritos de enfer-
midades e de morte, assim como os velórios. Não são lugares e para cristão entrar, a não ser
sob ordem do Senhor.
Claro que, se é para uma visita social, para confortar familiares ou parentes, isto é
legítimo. Mas, entrar para orar por curas, nem pensar, a não ser por ordem expressa do Se-
nhor, sob proteção d’Ele.
Depois me lembrei de algo mais: o Sangue é Vida! E se já entregamos nossa vida
a Jesus ela não mais nos pertence; logo, não podermos dá-la a ninguém.
Agora, ficou-me uma interrogação: e, se precisarmos receber sangue (do que
Deus nos livre!) o que fazer?
Iremos aceitar algo do que não participamos?
Maranata!

Ao receber um e-mail com meus pensamentos a respeito do doar sangue, o irmão


Ma., (por quem foi levantado o problema) me respondeu com este e-mail, por sinal, muito bem
escrito, que transcrevo na íntegra, tirando-me daquela conclusão precipitada e errônea. Aleluia!
“Bem, com respeito ao local que não é do agrado do Senhor eu perguntei ao Espírito
Santo e ele me disse que era outro lugar, era uma espécie de bar ao qual, todas as vezes em que fui, me
perguntei se realmente devia estar lá. O ambiente é um tanto pesado.
Então, no contexto de Romanos 14 fala-se sobre fazer algo duvidando ou crendo: "Aquele
que considera um dia especial para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne para o Senhor come,
pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus."; daí vem:
"Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém
da fé é pecado.", logo, neste caso, aquele que come crendo não peca e aquele que faz o oposto crendo
também não peca, estando, porém, com um nível de fé mais fraca por achar que não pode comer. Sim-

69
plesmente porque Jesus não me ordenou doar sangue não quer dizer que estou pecando, se assim fosse o
não comer carne seria pecado, pois Jesus provavelmente não ordenou tal coisa; estaria pecando se ele
tivesse me ordenado para não doar.
Posso estar enganado, mas assim como muitas pessoas pensaram e pensam ser grande coisa
comer ou não carne (sacrificada ou não para ídolos), mesmo sendo apenas carne, que nada fará mal àque-
le que crê, do mesmo modo sei que muitos pensam ser grande coisa o sangue e, como consequência, doá-
lo, mas penso que nada é senão mais um líquido cheio de importância, assim como qualquer outro. Não
acho de modo algum que estou dando minha vida a alguém fazendo isso.
Quanto a ambientes, se nas questões anteriores não há pecado/problema algum, não vejo
necessidade de me preocupar com ambientes, contanto que eu ande nos caminhos do Senhor: "... se Deus
é por nós, quem será contra?...". Penso desta forma.
Quanto ao "direcionamento" a irmã Cr. disse que orava para que o Senhor tomasse conta do
processo, de quem vai receber, etc. Então se o "direcionamento" é uma boa ideia, quem garante tudo é
Aquele que aprova orações, caso aprovadas.
Obs: Lá não é num hospital, até onde sei um hemocentro é um lugar para doações de san-
gue e coisas pertinentes a isso, não um lugar para tratar doentes.
Pensando que talvez pelo tamanho das respostas ou por algum outro motivo você pense que
fiquei insultado ou algo do tipo, quero deixar claro que não, pelo contrário, críticas/ensinamentos são bem
vindos.
Ma.”
Aleluia! Nasce um escritor!
Maranata!

Capítulo 27
Maria, Maria!
Uma ateia zombava dos que considera protestantes que menosprezam Maria (a
mãe de Jesus) alegando que, em assim fazendo, estavam zombando de Deus, o qual disse
através de um Anjo, que ela era bem-aventurada e cheia e graça.
“... e exclamou em alta voz: Bendita (bem-aventurada) és tu entre as mulheres, e
bendito é o fruto do teu ventre!” Lucas 1.42.
É claro que era um ateu falando e eles não merecem nossa menor atenção, por
torcerem qualquer coisa, para apoiarem seus pontos de vistas diabólicos! Mas, muitos evangéli-
cos, de fato, nutrem uma ojeriza contra Maria, pelo fato dos católicos a entronizarem até acima
de Deus e Jesus!
Para os católicos ela é a: Mãe de Deus e o “Com Jesus tudo, sem Maria nada“; já
nos mostra que, de fato, adoram Maria, a consideram sem pecado desde o nascimento e isto
são erros... Mas, nem por isso, ela deixa de ser bem-aventurada e cheia de graça!
Primeiro, temos de entender como bem-aventurado, todo aquele que a Bíblia de-
fine como bem-aventurado; ou seja, aqueles a quem: Deus não imputa os pecados e aben-
çoa; isto é igual a agraciado, que significa um pecador a quem Deus perdoou os pecados
sem nenhuma cobrança!
É bíblico que nenhuma criatura humana é sem pecados; portanto, Maria está inclu-
ída no todos abaixo:
“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” Romanos 3.23.
Outro problema é o de se considerar Maria intercessora entre nós e Deus ou Jesus.
Não existe a menor chance disto ser bíblico.
“... todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para
quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por Ele
nós também” (1ª Corintos 8.6).

70
“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo
Jesus, homem” (1ª Timóteo 2.5).
O que a maioria das pessoas (e muitos evangélicos) ignora é que, todo aquele
batizado com o Espírito Santo, recebe a semente de um Filho de Deus em seu íntimo, isto é:
fica grávido daquele filho, até que Ele venha a nascer com um corpo glorificado!
Mas, só por ele estar no interior de um ser humano bem-aventurado e agraciado
por Deus, com o perdão de todos os pecados através do Sangue de Jesus; esta nova-criatura já
pode manifestar ao mundo, que não pertence ele, por meio dos dons do Espírito!
Muitos evangélicos acreditam que assim que entregam a vida a Jesus e são batiza-
dos nas águas, nasceram de novo, são nova criatura, e nada mais precisam fazer. Eles desco-
nhecem o que diz o versículo abaixo:
“Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o
poder de se tornarem filhos de Deus“ (João 1.12).
Veja, aí está bem claro que se você aceitou Jesus como seu Salvador, recebe o
poder para ser Filho de Deus; logo, não se torna automaticamente filho d’Ele!
Você é que tem de decidir o que quer, a partir dali, e dar os passos de fé necessá-
rios para a mudança. Sem isso, quando vier o Arrebatamento, você não subirá com os filhos
de Deus e terá de suportar a Grande Tribulação, o que não recomendo a ninguém.
Neste ponto muitos evangélicos tropeçam por: falta de fé!
Porque só os que creem no Poder do Nome de Jesus vão receber a bênção do
novo nascimento. Crer no Nome de Jesus significa crer que este Nome não foi apagado pela
morte, é o Nome de uma pessoa que ressuscitou dos mortos, está Viva, e pode nos encher com
o Espírito de Vida, como diz Hebreus 13.8:
“Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.” (Hebreus 13.8).
Já que existem evangélicos com fé diferentes e seguem ou não o Evangelho cor-
reto, Jesus (prevendo que tal confusão iria ocorrer) nos proporcionou um meio infalível de
saber quem é que está seguindo o Seu Evangelho, ao dizer:
“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão de-
mônios; falarão novas línguas e se impuserem as mãos, enfermos serão curados ” (Marcos
16.17).
Sei que estes sinais não irá fazer o incrédulo crer, mas, além disto, nada tenho a
acrescentar, sabendo que, os que tiverem um mínimo de fé e estiverem andando num evange-
lho incompleto, irão entender e procurar, imediatamente, mudar para o Caminho da Verdade e
da Vida; já para os outros deixo apenas a palavra: misericórdia!
Maranata!

15/07/2014 – Boa reunião. Em dado momento o Senhor me deu uma revelação de


um cubo, ao lado de uma irmã. Minha esposa completou dizendo que aquilo lembrava um da-
do, e nós não vivermos ao sabor da sorte.
Neste momento a irmã, em frente da qual estava o cubo, nos contou que tomou
uma decisão exatamente baseada na sorte, dizendo seja lá como for vou resolver.
Só isto e o Senhor a alertou, dizendo que pela boca podemos estragar muitas coi-
sas. E ela pediu perdão.
A mesma irmã nos deu um testemunho para lá de estranho. Foi sobre aquela se-
nhora que mudou de igreja e foi para outra, onde, no mesmo dia a convidaram para ser pasto-
ra, lembram-se?
Pois é, depois que ela foi consagrada adoeceu de gripe e passou uma semana in-
teira sem aparecer nas reuniões da irmã Ca. Quando apareceu, contou algo que tinha presenci-
ado na primeira vez que foi para o culto na outra igreja, já como pastora.

71
A pastora de lá ordenou que os presentes fizessem três grupos: um dos que preci-
savam de libertação; outro, dos que precisavam de curas; e outro, dos que precisavam de
aprofundamento.
Fizeram os grupos e a pastora falou: - Agora vou mostrar que todos você preci-
sam de libertação! - chamou uma das pessoas presentes, orou por ela, ela se manifestou, e a
pastora ordenou ao demônio que ele saísse dela, e fosse mostrar onde às outras pessoas
tinham demônios. E ele saiu mostrando em cada uma: os “lugares exatos”!
Misericórdia! Não sei por quais cargas d’água, as pessoas não discernem as loucu-
ras que fazem! Sabem que o diabo é o pai da mentira, mas, vão conversar com ele, como se
ele lhes fosse dizer a verdade!
É muita ignorância para um pastor ou, trata-se apenas um ministro do diabo infil-
trado, para desviar tolos do Caminho!
Maranata!

16/07/2014 – Novamente me deu vontade de telefonar para a irmã E., com quem
oro de meses em meses, por telefone, mas ela não atendeu. Pensei que devia estar em trânsito
para o trabalho e fui fazer outras coisas, quando o telefone tocou; era ela, perguntando-me o
que eu queria.
Antes de falar me contou, porém, uma maravilha. Orou pela irmã dela que estava
com câncer terminal (desses que o médico abrem e fecham, sem fazer nada) e a mulher ficou
completamente curada.
O médico disse que a situação da mulher era tão precária que, sequer, podia fazer
o tratamento radioativo! O único a fazer era esperar...
Porém a irmã determinou a cura e sentiu uma unção tremenda, naquela hora. E o
resultado é que, quando o médico fez outra ressonância na mulher, ficou atoleimado. Não po-
dia ser! Aguardou mais uns dias, fez outra ressonância, e declarou que nada mais fazia sentido.
Ele ia abrir a mulher.
Abriu e achou apenas uma pequenina parte da carne dela seca. Retirou aquela
parte e mandou um pedaço para a biópsia e o resultado foi: negativo. Nada do câncer! Aleluia!
Então, dei-lhe o endereço da miss. Ca., onde ela tem foco total sobre curas, e a
irmã ficou de aparecer por lá. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 28
Deus Fala Hoje?
Sem sequer pensar a respeito, respondo SIM, a quem me fizer tal pergunta: “-
Deus fala hoje?”.
Como não falaria Aquele que criou tudo com Sua Palavra! Teria ficado mudo?
Em certos momentos críticos Ele falou por minha boca e eu sabia que não era eu
quem estava falando. Outros irmãos já passaram pela mesma experiência, como dizer que Ele
não fala?
Deus pode falar de mil e uma formas, isto sim, é verdade; Ele não está preso a
verbalização de palavras. Mas que fala, fala!

72
Muitos evangelistas incrédulos, dizem que Deus não fala mais, a não ser pela Sua
Palavra. Isso é errado. Ele fala: o que Ele não faz: é dizer coisas que contrariem a Sua Palavra
Escrita. Isso é outra coisa!
Já ouvi evangelistas, que têm programas na TV, dizendo que Deus não fala mais,
então, como Ele pôde ordenar estes evangelistas a colocarem programas na TV? Se não existe
a palavra TV, nem a palavra rádio, nem computador na Bíblia?
Todas estas palavras estão fora da Bíblia, mas, não significa que estejam amaldi-
çoadas, porque Deus deu a Adão a autoridade de nomear todas as coisas, e o que Deus dá,
não toma.
Agora, Deus só não violenta a Palavra d’Ele, se Ele diz que algo é para você, saiba
que aquilo é seu para sempre.
Olhem a prova: “os dons e chamamentos de Deus são sem arrependimento”. (Ro-
manos 11.29).
Não importa que o filho de Deus se desvie do Caminho! Os dons e chamamentos
que recebeu de Deus continuam com ele, é claro que vão ficando sufocados pelos descaminhos
do errado, mas, se ele se arrepender e confessar seus pecados a Jesus, no mesmo instante, os
dons reaparecem a pleno vapor!
Se Deus não fala, quem está falando quando um irmão está interpretando língua
estranha? Se Deus não fala mais, quem está ordenando quando um profeta decreta algo que
acontece de fato?
Muitos pastores, creio, têm medo de que haja uma onda de gente dizendo que
Deus disse isso e aquilo (um monte de coisas erradas!), que possam prejudicar o andamento
do Evangelho de Cristo em suas igrejas. Isto é errado!
Nós não temos de proteger o Evangelho, isto não é função do homem! Deus é
quem vela pela Palavra d’Ele para a cumprir. Está escrito, fim de papo!
Este zelo medroso não vem de Deus, mas, do diabo, o qual sabe que, fazendo os
evangélicos tirarem ou acrescentarem algo ao Evangelho, vai poder lesá-los.
Pela minha experiência, sei que: quando Deus fala para nós ou por nossa boca, o
que Ele diz se materializa imediatamente. Seja uma cura, uma libertação, a solução de um pro-
blema impossível, como abrir o mar ou, o que seja... Falando Deus pela boca de um profeta,
acontece tudo na hora.
O fio que conduz a palavra de Deus não é de cobre, como os que conduzem a ele-
tricidade, são fios de fé. Quanto mais fé, é como se mais grossos fossem aqueles fios pelos
quais a poder de Deus fluirá mais facilmente, e com maior potência operadora.
Quanto a sermos envolvidos por uma avalanche de palavras que não procedem de
Deus que possam nos engolir, é só: Vigiar e Orar!
Vigiando vão descobrir que as histórias de que Deus não fala mais, é mentira e, ao
mesmo tempo, vão poder descobrir quais mensagens que nos entregam vêm d’Ele, do homem
ou do diabo. Para isso existe o dom de discernimento de espíritos. Agora, claro, se você não é
batizado com o Espírito Santo, não tem nenhum dom, aí são outros quinhentos.
Olho vivo, irmão! Não engula tudo que lhe disserem sem examinar bem e confir-
mar tudo, pela Palavra!
Maranata!

18/07/2014 – Acordei às 03:45hs e comecei a interceder por algumas pessoas, até


que resolvi dormir novamente. Como percebi que não ia ser fácil conciliar o sono na cama, re-
solvi ir para minha cadeira-do-papai do quarto do computador, onde costumo terminar minhas
noites de sono.

73
O problema é que, ao chegar lá, não achei o travesseirinho inflável, que deixo pre-
viamente preparado para estes casos, enchido na medida certa, para não deixar meu pescoço
doendo.
Procurei por todo lugar e nada, já estava cada vez mais acordado e resolvi ir ao
computador. Talvez o Senhor tivesse alguém lá, precisando de ajuda, e foi tiro e queda.
Um irmão totalmente confuso me pediu ajuda. O problema era que ele falava de-
mais (quando digo falar, numa sala de bate-papos significa: escrever o que quer dizer) e me
deixava sem ter como ajuda-lo.
Eu tentava iniciar um aconselhamento e ele vinha de lá e derramava uma chora-
deira interminável sobre outro assunto, e outro, e outro...
Terminei sendo obrigado a manda-lo “calar a boca” e escutar. Ele (mais ou menos)
atendeu e, assim, consegui que fizesse uma purificação, pedisse o batismo com o Espírito Santo
e, depois, orientei-o a pegar meu livro “Jesus, o Leão de Judá”, para aprender a dar os primei-
ros passos no Espírito. Aleluia!
Foi para isso que o Senhor me acordou!
Maranata!

Nossa reunião de hoje foi maravilhosa. O Senhor deu-me inúmeras revelações que
foram sendo interpretadas e por cujos assuntos oramos. Uma irmã, por quem orei dois dias
atrás, ainda estava doente!
Fomos orar por ela novamente e lhe perguntei se achava que a pressão nos olhos
tinha diminuído, pois ela me informara que estava com glaucoma, quando orei por ela. Então,
ela me disse que a dor era acima dos olhos (na testa). Eu lhe informei que tinha orado para ela
ser curada do glaucoma!
Por que ela me disse que tinha glaucoma quando fui orar? É que, as vezes, ela fala
demais e deu nisso).
Quando oramos de novo, ela viu o Senhor martelando a cabeça dela. Então, lhe in-
formei que seu problema não era doença, há vários dias o Senhor estava querendo que ela
fizesse algo, que ainda não tinha feito: pensasse no que seria.
Durante a reunião, ela se lembrou do que era, pediu perdão ao Senhor, e a dor
sumiu.
Em dado momento vi um ninho num galho, mas, ao invés de ovinhos de pássaro,
tinha um ovo grande de galinha! Oramos pelo que o Senhor queria gerar.
Veio um capítulo bíblico para um irmão AC, foi Cantares 7. Ele se lembrou de que,
quando rapaz, tinha um colega no internato, em Recife, que vivia lendo a Palavra e ele foi mos-
trar ao rapaz aquele capítulo, sugerindo que a Bíblia falava imoralidades; perturbando tremen-
damente o colega.
Então, o Senhor o levou a pedir perdão pelo que fez contra a Palavra e o irmão.
Lembrei-me de um colega do primário, o Silas (que era um devasso completo) e um dia chegou
na escola dizendo as mesmas coisas contra a Bíblia.
Como não conhecia a Bíblia, nem Deus, nem nada, a não ser ídolos; fiquei sem en-
tender por que ele se preocupava com aquilo.
Vi uma garrafão, desses de cinco litros, vazio. O Senhor falou que eram os irmãos
do mundo inteiro, que estavam sem o Espírito Santo e desejavam recebe-lo. Oramos por eles e
a irmã Al. viu o garrafão ficar cheio de vinho. Aleluia!
Satisfeito, o Senhor nos mandou ler uns versículos, onde se mostrava feliz com
nossa fé, e nos alertava para não nos sairmos do Caminho, convencidos por ninguém, e nos
mandou ler Colossenses 1.10:

74
“Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus e o irmão Timóteo, aos san-
tos e fiéis irmãos em Cristo, que estão em Colossos: Graças a vós, e paz da parte de Deus
nosso Pai.
Graças damos a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, orando sempre por vós,
desde que ouvimos falar da vossa fé em Cristo Jesus, e do amor que tendes a todos os santos,
por causa da esperança que vos está reservada nos céus, da qual antes ouvistes pela palavra
da verdade do evangelho, que já chegou a vós, como também está em todo o mundo, frutifi-
cando e crescendo, assim como entre vós desde o dia em que ouvistes e conhecestes a graça
de Deus em verdade, segundo aprendestes de Epafras, nosso amado conservo, que por nós é
fiel ministro de Cristo.
O qual também nos declarou o vosso amor no Espírito.
Por esta razão, nós também, desde o dia em que ouvimos, não cessamos de orar
por vós, e de pedir que sejais cheios do pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabe-
doria e entendimento espiritual; para que possais andar de maneira digna do Senhor, agradan-
do-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus...”
Durante todo o tempo do culto, eu via uma coruja de prontidão, num canto da sa-
la. Ela nos estava lembrando, sempre, do que o Senhor falou: ‘Vigiai e orai!”.
Lembrei-me de um pastor (a quem muito respeito) que declarou num culto, que
Deus não fala mais hoje (é uma ideia recorrente no meio evangélico!); pois, que tudo o que Ele
tinha a dizer já tinha escrito. Sobre este assunto, fiz o capítulo que já devem ter lido.
Só que o Senhor nos ordenou pregar contra esta mentira com os maiores apare-
lhos de som do mundo, para todo mundo soubesse que Ele não está mudo. Então vi a irmã Al.
ir até ao irmão Ma. e lhe passar uma unção.
Ela foi orar por ele e, enquanto ele orava em línguas, ela ia interpretando em por-
tuguês, e o irmão recebeu uma tremenda unção para levar as pessoas ao batismo com o Espíri-
to, ao novo nascimento.
Foi, nesse momento, que vi aquele ovo de novo! Era disso que o Senhor nos es-
tava falando desde o começo! Aleluia!
No final do culto, um irmão, que sempre o encerra com um dístico que aparece
em desenhos animados e diz: “Thats all folks!”, neste dia, encerrou-o dizendo: “C’est fini!”.
“Thats all folks” (inglês) significa: isso é tudo carnal e c’est fini (francês) significa:
terminou.
Com aquilo, o Senhor avisava àquele irmão, quando nosso Culto (com a Unção do
Espírito) terminava e que, se continuássemos, seria tudo pela carne.
Ninguém notou, mas, percebi o humor do Senhor. Ele estava nos dizendo, através
daquele irmão, que, não só falava hoje, como falava todas as línguas do céu e da terra. Aleluia!
Maranata!

Uma irmãzinha do Brasil me enviou o e-mail dizendo-me que ficou “desesperada”


para receber o batismo com o Espírito Santo, depois de ler meu livro e, lhe dei as orientações a
respeito.
À essas horas, já deve ter outra filha de Deus, na Terra. Aleluia!
Maranata!

19/07/2014 – Um irmão nos visitou apressadamente, em busca de oração a res-


peito de uma transferência no trabalho.
Eu vi seus punhos amarrados juntos, com camadas de uma fita adesiva preta, e
ele cortando as mesmas com os dentes.
Ele me contou que, agora, não vivia mais como antes, sempre preocupado com
doenças. Quando vinha algum sintoma, ele expulsava em Nome de Jesus e ficava livre!

75
Oramos por alguns assuntos referentes ao trabalho dele e o Senhor mandou minha
esposa dar-lhe as mãos e orar por ele.
Ela fez uma oração perfeita, à qual dissemos AMEM, e, quando lhe perguntei se vi-
ra algo, ele disse que viu a imagem do Cristo Redentor, de braços abertos para ele. (Essa ima-
gem é a que mais deve ter visto na vida, por ser do Rio de Janeiro!).
Fiquei um pouco sem graça de interferir quanto aquele ídolo, mas, minha esposa
foi direta ao assunto, pedindo-lhe que jogasse aquela imagem fora e visse o Jesus vivo, ressus-
citado, não um ídolo! Então, ele viu o Senhor Jesus andando até ele, e lhe impondo uma das
mãos. Aleluia!
Fizemos outras orações, principalmente uma pelo Brasil e, assim, vi mais alguém
que estava pronto para o que desse e viesse. Amem.
Maranata!

22/07/2014 – 04:45hs o Senhor me acordou e tocou-me para ir ao meu computa-


dor, liguei-o e fui para uma sala da internet. Lá encontro uma ucraniana, a Tatiana, que mora
em Portugal, a quem ofereci meu livro e dei informações a respeito.
Ela me respondeu, perguntando-me porque eu fizera tal coisa! E lhe informei que
foi Jesus quem me acordou para isto. Depois de receber respostas às muitas perguntas que me
fez sobre Jesus, ela resolveu pedir aceita-Lo e a pedir-Lhe o batismo com o Espírito Santo.
Mas, ao examinar sua situação espiritual, descobri que ela tinha tido ódio ao ex-
marido, que a largara com um filho. Aí, foi difícil fazê-la entender ódio ser assassinato!
De fato ficou impossível fazê-la entender isso; de forma que terminei lhe orientan-
do a pegar meu livro e fazer o que ensinava lá; pois, já estava cansado de tentar leva-la a con-
fessar o erro; e desconfiava que, não tinha mais como leva-la a receber o precioso batismo.
Em seguida, saí da sala e procurei entrar noutra para, quiçá, encontrar alguém
mais disposto a encarar a Verdade. Porém o Senhor me ordenou voltar imediatamente, e conta-
tar Tatiana.
Desta vez propus-lhe, simplesmente, que pedisse a Jesus este batismo e ela pediu,
e me informou que sentiu um calor nela toda. Aleluia!
Então, passamos um tempão conversando...
Informou-me estar frequentando a IURD, porém, estranhava os pastores de lá só
falarem em dinheiro, e não a olharem diretamente nos olhos... Ante isso, disse-lhes o que
achava a respeito da IURD.
Perguntou-me sobre as testemunhas de Jeová. Expliquei-lhe o que pude, também,
e orientei-a a, a partir daquele momento a: seguir o Espírito Santo e ler a Bíblia.
Ela me informou que já tinha lido a Bíblia algumas vezes, mas, não entendera na-
da. Perguntei-lhe se sua Bíblia era católica e disse-me que sim, presente de um amigo.
Ensinei-lhe sobre a diferença entre a Bíblia católica e a evangélica, e recomendei
adquirir uma Bíblia evangélica, tradução João Ferreira de Almeida. Fugisse das Bíblias moderni-
nhas...
No final, ela entendeu tudo, ficou de baixar meu livro e, finalmente, senti que tinha
completado minha obra para o Senhor.
Em seguida veio outra mulher, mas, essa, foi enviada pelo diabo, só para ver se
me exauria. Não queria nada com a Verdade, só provar que estava certa em tudo que pensava
saber da Bíblia.
Descartei-a rápido, depois de tentar lhe abrir os olhos algumas vezes, sobre seus
erros. Aleluia!
Maranata!

76
17/07/2014 - A reunião de hoje foi boa, embora não tenha muito a relatar aos ir-
mãos, porque se voltou mais para aprofundamentos em nossa libertação e purificação. Aleluia!
Maranata!

24/07/2014 - Contarei um fato bastante interessante. É que uma irmã me telefo-


nou pedindo ajuda a respeito de um problema que, há anos, vinha ocorrendo com ela e, sobre
o qual, eu mesmo já estava bastante intrigado.
Refiro-me ao fato de que toda vez que o marido dela (refratário ao Evangelho) ia
visitar a mãe dele, voltava carregado espiritualmente; e a irmã sofria algum tipo de ataque
diabólico.
A mãe dele é uma católica ferrenha (e parece que mexe com outras coisas), mas a
Bíblia é clara ao afirmar em Números 23.23:
“Contra Jacó, pois, não há encantamento, nem adivinhação contra Israel”.
O problema é que o marido dela acabara de voltar de outra visita a mãe e o ata-
que de agora fora fortíssimo. Ela sentia uma dor no abdome, que subiu pela sua coluna, até
sair na altura do pescoço. Isso aconteceu várias vezes, motivo por que me pediu ajuda.
Oramos para o Senhor nos revelar por qual brecha o inimigo a atacava e Ele nos
mostrou. É que a irmã tinha fixado na mente, que ela e o esposo eram uma só carne, e tirado
daí a conclusão: o que o ferir irá me ferir também!
Lutava para manter o casamento e o diabo a fez crer que, se eram uma só carne,
ele podia ataca-la pelos erros do marido. E ela tinha aceitado tal lógica!
Imediatamente a irmã fechou esta brecha e tenho certeza de que, de agora em di-
ante, não irá sofrer pelos desatinos do marido. Aliás, podemos concluir isto com uma cena bem
simples: imagine o marido dela dando uma martelada no dedo de propósito. Ela vai ficar com o
seu dedo doendo por isso? Claro que não, são uma só carne, mas cada um responderá pelos
próprios desatinos.
Nessas alturas, pedi a ajuda à igreja ali reunida. É que a minha cura declarada há
tempos, parecia que não se cumprira. Disseram-me que era para eu tomar posse da cura. Mas,
eu não sabia como era esse tomar posse, pois, as dores me atacavam e me traziam todo o
desconforto de antes!
Então, minha esposa respondeu que eu já estava curado, e devia tomar a posse
declarando sempre, contra todas as evidências, a cura. Lembrou-me da cura de minha filha,
que teve um problema com a hipófise, a qual crescera bastante; e a miss. Ca. orou por ela,
declarando-a curada.
Minha filha passou uns oito meses com aquela glândula inchada, como se não ti-
vesse sido curada, porém, a todos que lhe perguntavam, e quando necessário; declarou sempre
que os sintomas ainda apareciam, porém: estava curada.
Depois dos oito meses, o inchaço desapareceu até hoje!
Eu estava me perdendo aí. Queria uma cura imediata, com algumas que tive an-
tes. Portanto, resolvi assumir a minha tomada de posse da cura atual e declarar que, apesar
destes incômodos: EU ESTOU CURADO; para honra e glória do Nome que está acima de todos
os nomes. Aleluia!
Quando a reunião terminou saí correndo para urinar e doeu para burro. E tive de
urinar as presas, várias vezes, depois. Parecia que enfermidade aumentava, toda vez que ora-
vam pela minha cura. Era o diabo querendo me convencer de que eu não estava curado.
Comecei a, toda vez que ia urinar, glorificar o Nome que está acima de todos os
nomes, apesar das dores e humilhações do correr para urinar. E no dia seguinte, fui urinar e
senti como um rato de fogo saindo pela uretra.

77
Começou doendo e foi aumentando e pensei que fosse atingir um patamar de dor
insuportável, mas, estabilizou-se num patamar suportável; era físico, senti algo saindo pela
uretra.
E foi expulso! Olhei para o vaso sanitário e não tinha nada físico!
Aleluia! Só falta me livrar dessa incontinência. Mas já estou completamente cura-
do, isto são só sintomas de mentira. Agora é mais fácil. Aleluia!
Maranata!

25/07/2014 – Boa reunião, porém, mais voltada para resolver problemas dos ir-
mãos presentes na mesma.

27/07/2014 – Ontem, nossa congregação convidou uma missionária de fora, com


ministério de louvor, para levar o culto à frente. Ótima pessoa. No entanto, quando terminou o
trabalho, ela se sentou e as irmãs se juntaram ao seu redor, para orar por ela.
A mulher tinha câncer, diabetes e outra doença, a qual a tinha obrigado a operar
os pés, de cujas cicatrizes mostrou fotos, enquanto nos disse que podia perder a capacidade de
caminhar.
Percebi que os irmãos estavam fazendo a mesma coisa de sempre: uma longa ora-
ção mecânica e, depois, abraços e risos. Não gostei do que vi, e aquilo me doeu.
Então, vi num quadro que a mulher projetara na parede, duas palavras que me
chamaram a atenção e sobre as quais, ela se esqueceu de se referir e não deu nenhuma expli-
cação; as palavras foram: cova de leões e bancos de igrejas!
Aquelas palavras me revoltaram mais ainda, porque pensei em que nós (irmãos do
Senhor Jesus, que é o “Leão de Judá”) que mais parecíamos gatinhos dizendo miau, ao invés
de Leões rugindo, para recuperarem o que lhes pertencia. Faltava fé, no pedaço!
Os bancos das igrejas? Eles eram as covas, onde os possíveis leões caíam e fica-
vam sentados, dizendo miau; enquanto lobos maus os retalhavam!
Quando terminaram a oração pela irmã e encerraram o culto, pedi-lhe uma con-
versa particular, e lhe falei tudo sobre o que sabia sobre curas, dei vários testemunhos a res-
peito, e o endereço de meu site para ela pegar meus livros, além do endereço do site: Ministé-
rio Palavra e Poder, onde o Senhor estava operando poderosamente.
Enquanto isso chegou uma irmã com a receita de uma pomadinha para o pé da
mulher. Misericórdia!
Que o Senhor nos ajude, e tenha misericórdia de mim, se agi erradamente ou, es-
tou pensando errado, a respeito de curas. Mas, foi o que me ocorreu fazer para ajudar aquela
irmã, que tentava levar a Palavra. Aleluia!
Maranata!

29/07/2014 - Boa reunião a de hoje. Orávamos pelos problemas de uma irmã


quando vi, saindo da sua boca enquanto orava, um buque de várias flores. Então, disse-lhe o
que vi, lembrando-me de que da boca de touros bravos sai fumaça, quando zangados. Ela en-
tendeu o recado, é um pouco brava!
Vi um guardanapo branco, enrolado, com um anel negro apertando-lhe a cintura;
e entendi que era sobre um filho de Deus que estava com algum problema, só não entendi
qual.
Minha esposa informou-me que era eu mesmo e problemas com comidas. Orou
destruindo aquele anel, e libertando-me de sua influência na minha vida. Aleluia!
Minha esposa recebeu ordem de fazer uma oração por pessoas distantes e, imedi-
atamente, orou por uma irmã minha e seu esposo, que moram em Goiânia (GO).

78
Vieram versículos falando para a irmã C. dirigir com tranquilidade e sem levar pe-
sos, o Ministério que o Senhor lhe deu, lembrando-a que:
“Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão
acrescentadas.” (Mateus 6.33).
Oramos por Israel, pelo Brasil, pelos EEUU, por nossos irmãos do mundo inteiro, e
enfim, foram só: bênçãos. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 29
Engenharia Reversa
30/07/2014 – Ontem uma irmã me pediu oração por seu casamento. Teve um en-
trevero com o marido e ele lhe disse claramente, que só ia às suas reuniões de oração para
agrada-la; mas, jamais, iria se converter como ela queria, etc.
É claro que isso dói e foi, justo com esta intenção, que o diabo fez aquele homem
dizer tais coisas. Eu a instrui a não crer no que o diabo dissesse pela boca do marido, e oramos
por ela e seu casamento.
A mulher acrescentou que descobriu qual o defeito do marido, onde o diabo mais
se agarrava: orgulho!
Aqui, por engenharia reversa, fiquei pensando se não era por algum orgulho dela,
que o diabo conseguia feri-la tanto! Avisei-a para pensar a respeito. Ela se auto-examinasse.
Outra coisa me chamou a atenção, foi quando me disse que alguém tinha dado ao
seu marido uma bíblia católica. Ora, o diabo não quer dar nem bíblia católica, se fez isso foi
porque, possivelmente, o marido dela já estava mostrando estar se interessando pela Bíblia.
Destarte, sem ter mais para o que apelar, dar-lhe uma Bíblia católica foi a forma que o diabo
achou, de mantê-lo sem entender a Bíblia por mais algum tempo.
Enfim, oramos por eles!
Hoje, pela madrugada, o Senhor me falou sobre Engenharia Reversa. Para quem
não sabe, Engenharia Reversa consiste em você desconstruir uma máquina ou alguma outra
coisa, para ver como ela é por dentro, a fim de saber para que serve e consertá-la.
Eu já tinha observado nas salas de bate-papos (onde evangelizo evangélicos) que,
quando eu dava aconselhamentos às pessoas no reservado (isto é, só eu e ela, numa sala),
outras pessoas começavam a ficar fulos contra mim, dizendo-me impropérios e, em muitos
casos, mencionando exatamente o problema do qual, a pessoa que estou atendendo, estava
sendo liberta!
Claro, as outras pessoas não sabiam o que estávamos conversando, mas o diabo
sabia e as insuflava!
Percebi também que, às vezes, esta ira fica enorme, noutras nem tanto... Isto me
levou a conclusão que a pessoa que estava sendo liberta era, do ponto de vista do diabo: muito
importante para o Reino de Deus ou, menos importante!
Nesses casos eu estava fazendo exatamente engenharia reversa sem saber!
No dia em que aquela mulher me pediu ajuda pela manhã, aconteceu algo bastan-
te interessante, na sala de bate-papos.
Enquanto fui dizendo minhas frases a respeito da necessidade imperiosa do batis-
mo com o Espírito Santo, uma pessoa destacou-se: chamando-me de herege; citando versículos
bíblicos pela letra, para provar que eu estava enganado; agredindo-me verbalmente; mostran-
do que ficou realmente tocado pelo que lera!

79
O Senhor me orientou a não dar uma só resposta aquele homem, o qual mostrou
ter ficado desesperado, com isso.
O cara até me ordenou (imaginem!) que falasse com ele! Alegando que ele esta-
va ali, portanto, eu tinha obrigação de dar-lhe atenção. E, quando eu já estava perto de dei-
xar a sala, inconformado por não lhe dar respostas, ele chegou a pedir a alguém (que entrou e
se denominava “Psicólogo”) para que esta pessoa falasse comigo, dizendo-me eu estar doido,
ensandecido, e só falar bobeiras!
Realmente o homem entrou no desespero!
Pelo que dizia e, pelo seu comportamento, mostrou ser algum “principezinho”, al-
guém criado com todos os mimos, nunca contrariado, e que se achava com direitos sobre os
outros. Coitado, desta vez mexeu com a pessoa errada!
Alguns dos versículos bíblicos o tocaram no seu ponto fraco, só que, ao invés dele
querer mudar, como “principezinho” queria era que eu mudasse meu ponto de vista, sobre o
batismo com o Espírito Santo!
Foi curioso, mas, por engenharia reversa, vemos que aquele cidadão foi tocado pe-
lo Espírito, e mais perto do que imaginamos, creio, irá consertar-se de suas doutrinas fajutas, e
aceitar o Evangelho de Cristo. Aleluia!
Assim é, irmãos, o diabo fica furioso, quando alguém prega o Caminho da Verdade
e da Vida. Enquanto estiverem pregando um “evangelho” diferente, ele até ajuda, arranjando
colaboradores, bajuladores, fãs, Bíblias católicas, etc.
Portanto, nestes casos, , é que temos de usar engenharia reversa, para procurar
entender certas coisas, aleluia!
Maranata!

Capítulo 30
O Relógio de Pêndulo
21/07/2014 – Tenho na parede de meu quarto de dormir (a que fica paralela ao pé
da minha cama) um relógio de pêndulo, baratinho, mas, muito eficiente, e em posição estraté-
gica, para quando queremos saber as horas a noite, não precisemos nos levantar.
Há uns seis meses atrás, este relógio começou a dar problemas... E fui empurran-
do a coisa com a barriga, dava umas sacudidelas nele, aqui e ali, e ele retornava a funcionar
por semanas ou mês, porém, pifava de novo...
Então, fui procurar outra máquina daquelas, que pensava ter adquirido junto com
ele, anos atrás, e guardado em determinada caixa.
O problema é que minha mulher tinha feito uma arrumação na estante e, quando
ela faz isso, geralmente, fico sem saber onde estão minhas coisas. Assim, por mais que tenha
procurado por vários meses a bendita caixa, levantando e revirando livros da estante, onde ela
deveria estar: não a achei!
Comecei a pensar que estivesse enganado, pois, minha esposa tinha posto todas
as máquinas de relógios sem pêndulos, junto com os quebrados noutra caixa, e não tinha lá
nenhuma de pêndulo... Talvez só tivesse comprado uma máquina com pêndulo!
- Puxa, se estiver enganado, não perdi nada! – pensei, enquanto sacudia meu re-
lógio, para ver se o ressuscitava novamente.

80
Infelizmente, ele se recusou a funcionar de vez e resolvi abri-lo, mesmo sabendo
que isto seria uma operação de alto risco. E foi. Ele morreu de vez! Não consegui, encaixar as
pecinhas dentro do estojo e ele morreu: o pobre!
Agora, não tinha jeito, a única solução seria mandar buscar pelo Correio, umas du-
as máquinas daquela; para substituir a que tinha se ido, para aproveitar o mostrador que eu
mesmo desenhei e do qual, não queria me livrar.
Sentei-me na cadeira para fazer a compra pela internet, quando resolvi dar uma
última espiada na estante, para ver se não tinha mesmo outra máquina. Ao olhar para ela, a
primeira caixa que vi foi a caixa, onde tinha guardado as máquinas de relógios de pêndulo!
Inacreditável, pensei! Revolvi aquela estante, várias vezes, lembrava-me exata-
mente da cor e do formato da caixa onde estariam as máquinas, e não a tinha visto. Agora ei-la
ali, na minha cara!
Dei um pulo de alegria. Corri, abri-a e, lá estava uma maquinazinha nova, como eu
pensei. Aleluia!
Novamente aquela aliança de achar coisas funcionou!
Num momento no qual eu não tinha mais nenhuma esperança a respeito daquela
máquina, Jesus interviu e cumpriu a Aliança da qual eu estava até esquecido.
Agora, novamente, torno a ficar pensando em por que Ele fez esta estranha Alian-
ça comigo, e por qual razão me relembrou da mesma assim, de forma tão marcante!
Alguma coisa Ele quer me dizer com isso!
Tenho de ficar de olhos e ouvidos bem abertos. Aleluia!
Maranata!

05/08/2014 - Boa reunião a de hoje. Porém sem muito a relatar, por ter sido mais
voltada para instruções e uma pequena libertação na filha de uma irmã. A mãe trouxe a moci-
nha, depois de ter tido um sonho estranho com ela. Tudo resolvido.
Descobri um livro excelente, aliás, minha esposa o descobriu e comprou. Foi “As
Duas Justiças de Deus” (o qual recomendo a todos os irmãos) de autoria de E. W. Kenyon. Com
certeza serão ricamente abençoados, por sua leitura.
Aliás, na Internet tem este livro para você baixar de graça. É só procurar.
Maranata!

06/08/2014 – Ontem festejamos o aniversário de minha esposa, aproveitando um


feriado municipal. Infelizmente, tenho de dizer foi um dia de enorme decepção para mim. Nada
relativo à minha esposa e nosso casamento, mas a alguns convidados.
Uma convidada, Mb., que já participou a várias nossas reuniões anos atrás, mos-
trou como não sabia nada a respeito de Jesus, nem da Palavra de Deus, sequer de meu livro,
do qual lhe dei um exemplar.
Fez-me perguntas e alegações que muito me entristeceram como: se devia confes-
sar os pecados aos padres, perguntando-me qual o meu signo, e insistindo para que eu lhe
dissesse o dia do meu aniversário para descobri-lo. Foi uma aberração!
Outra irmã trouxe o namorado da filha, o qual foi batizado no Espírito Santo há al-
guns dias, aqui em casa, e ele me perguntou o que eu achava sobre o “Templo de Salomão”,
do Edir Macedo.
Ora, sua sogra (minha irmã) é fiel da IURD e jamais lhe falei dos erros daquela
congregação, porque ela nunca me perguntou. Deve ter concluído algumas coisas, porque eu
falava o que era certo e errado no Evangelho e ela pôde chegar às próprias conclusões, quanto
à sua denominação, mas não as aceitando como válidas.
Aquele homem estava em minha casa, queria instruções, e eu lhe dei o que pude.
Aí ele chamou a sogra e disse:

81
- Olha aí, dona Fa. o que ele está dizendo sobre o “Templo de Salomão” e o Bispo
Macedo!
Minha irmã fez sinal para ele, como lhe dizendo que não levasse nada daquilo em
consideração, porque aquilo era apenas meu pensamento, e que eu não valia muito ante Igreja
Universal!
Eu lhe perguntei como é que ela sabia o que eu estava falando com o seu genro,
se não estava perto, ouvindo e só se voltou para nós, quando ele a chamou! E ela fez sinal de
que tinha ouvido tudo e já sabia o que eu pensava!
Outra irmã, cuja mãe está com câncer, fez que se alegrou, quando lhe falei do li-
vro “As Duas Justiça de Deus”, de E. W. Kenyon; mas, como sempre, deixou-me com aquela
sensação de que fez aquela expressão só para me enganar; como já tinha feito várias vezes,
quando me pediu ajudas!
Aquele sentimento de não me levarem a sério, foi provado, logo em seguida,
quando lhes mostrei o irmão (um senhor de alta responsabilidade) que estava sentado perto de
nós, e ele confirmou ter sido curado do joelho e de várias enfermidades, em minhas reuniões.
Nesse momento aquela mulher ficou séria, escutou aquele senhor e ficou realmen-
te admirada; como se nunca tivesse sabido de alguém que tivesse sido abençoado em minhas
reuniões!
Enfim, depois de, desesperadamente, tentar fazer aquela primeira mulher (a que
queria saber meu signo) entender a diferença entre ódio e raiva, já estava bastante cansado.
Desiludido, fiquei pensando em se venho fazendo as coisas como o Senhor quer!
Fazendo engenharia reversa, pude ver, aí, o diabo desesperado, querendo fazer-
me desanimar ao me ver, cada vez mais perto, de me apropriar da justiça que me vem pela fé!
Mas, que foi decepcionante, foi!
Maranata!

08/08/2014 – Hoje foi a nossa última reunião da qual o irmão Ma. participará, vez
que viajará, na próxima semana, para os EEUU e de lá só Jesus sabe para onde irá!
O mais interessante é que o Ma. recebeu do Senhor Jesus ensino específico sobre
as duas Justiças que aprendi, através daquele livrinho do qual lhes falei antes!
E, no final, eu vi o irmão Ma. com uma vara nos ombros (como os imigrantes nor-
destinos) só que, no final dela, tinha uma gaiola com o canarinho Piu-Piu.
Ficamos sem entender o que aquilo significava até que, o Espírito me revelou.
Eu tinha dito aos irmãos estar super entristecido com a situação atual das igrejas,
onde, ao invés de vermos leões rugindo e reinando, víamos gatinhos tremendo nos bancos,
dizendo: miau-miau!
Aquele canarinho sempre ficava repetindo: “Estou vendo um gatinho! Sim, é um
gatinho!” - lembram-se? Rimos um bocado com a lembrança.
O irmão Ma. tinha, como missão do Senhor, libertar estes gatinhos, mundo afora e
torna-los leões.
Tínhamos passado toda a reunião pedindo ao Senhor para nos tirar dessa situação
vergonhosa, de andarmos como homens velhos (gatinhos dizendo miau!) ao invés de como
homens novos (cheios do Poder e Autoridade Celestiais) mostrando sermos novas-criaturas, e
que tudo do homem velho tinha passado.
Precisamos dar o exemplo!
Em dado momento, a irmã Al. viu a presidente Dilma com um longo cabelo, rabo
de cavalo, preso em algum lugar, do qual não conseguia escapar. Usamos nossa autoridade
para libertá-la e a irmã viu aquele cabelo cortado, e a Dilma liberta. Aleluia!

82
A irmã Al. também viu sua filha amarrada a uma fileira interminável de remédios
para a enfermidade que declararam ela ter e, até agora, nenhum daqueles remédios a cura-
ram...
Oramos para que ela fosse liberta não só dos remédios, mas de tudo que prendia
a mente dela ao passado. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 31
Espírito Santo e espírito santo
As “testemunhas de Jeová” têm até uma Bíblia, onde o Espírito Santo de Deus é
considerado apenas energia divina e não uma pessoa e, portanto, escrevem seu nome com
letra minúscula.
Eu sei que o Espírito Santo é uma das três pessoas divinas por que: comunico-me
com Ele, fui cheio d’Ele, manifesto os dons de 1ª Corintos 12, 13 e 14; portanto, não tenho
nenhum problema a respeito do Espírito Santo nem com o: espírito santo!
Sim, existe o espírito santo com letra minúscula e não é o das testemunhas de Je-
ová!
Adão tinha este espírito! Era o espírito do homem em estado puro, mas, não imor-
tal; pois, todos concordam que o espírito de Adão morreu, quando Ele pecou; certo?
Foi por isso que Deus retirou Adão, imediatamente, do Paraíso, depois do pecado;
para que ele não comesse da Árvore da Vida e não se tornasse uma aberração eterna: um pe-
cador com vida eterna!
Algo nas igrejas sempre me deixa perplexo: é o fato de acharem que todos os que
aceitam Jesus como Salvador, receberam o Espírito Santo e nasceram de novo, se tornando
novas criaturas; mesmo que não deem os menores sinais de terem uma nova natureza; depois,
quando estas pessoas são batizadas, de fato, por Jesus com o Espírito Santo, consideram ape-
nas que elas foram: revestidas com o Espírito!
Isso dá uma confusão imensa e choque de declarações, que observo acontecerem
nas pregações dos defensores de tal doutrina; pois, enquanto continuam falando sobre o Espíri-
to Santo, logo em seguida ao dizerem estas coisas, entram em contradições.
Há um versículo que deixa bem claro uma coisa: as pessoas não se tornam, de
imediato, filhos de Deus (nascidos de novo ou, novas criaturas) ao aceitarem Jesus como Sal-
vador pessoal: elas recebem um espirito novo, santo, sem mácula, renascido; mas, para se
tornarem filhos de Deus recebem o poder de opção, pela fé; é o que diz o versículo abaixo:
“Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o po-
der de se tornarem filhos de Deus”, João 1.12.
Agora, notem como o versículo acima casa com outro do qual gosto muito, Marcos
16.17-18, o qual diz:
“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demô-
nios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não
lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos e estes serão curados.”
Aleluia!
Então, os que aceitaram Jesus como Salvador (mas, ainda não O aceitaram como
Senhor) podem optar pelo novo nascimento quando quiserem; e, só quando decidirem tal coi-

83
sas e serão mergulhados (batizados) no Espírito Santo imortal e mostrarão a Natureza de
Deus fluindo de si, como rios de Água Viva.
O “Se fizeres” neste Ano da Graça Salvífica foi mudado para “Se creres”; e
aquele pequenino passo para um homem, dado pelos que aceitarem Jesus como Senhor de
suas vidas, será um grande passo para a humanidade. Porque, nisto, todo o Universo se alegra-
rá, pois está escrito:
“... a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus”,
Romanos 8.19.
E a revelação dos filhos de Deus se constata, quando eles andam cumprindo a
grande comissão, que ordena:
“Ide por todo o mundo e pregai O EVANGELHO a toda criatura. Quem crer e for
batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes SINAIS acompanharão aos
que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpen-
tes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os
enfermos, e estes serão curados.” Marcos 16.15-18.
Fora disso, os apenas salvos não queiram estar vivos, quando no Arrebatamento;
pois, Mateus 24.28, já avisa:
“Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres.” (Mateus 24.28).
Isto, porque estes cadáveres de homens velhos (as virgens néscias, a que Jesus se
refere) ficarão na Terra, presos pelos demônios e o Novo Evangelho, pregado do céu por anjos,
avisa que quem se deixar marcar pela Besta:
“Olhai por vós mesmos, para que não percais o fruto do nosso trabalho, antes re-
cebeis plena recompensa.” (2ª João 1.8).
Aleluia!
Maranata!

Capítulo 32
E. W. Kenyhon
16/08/2012 - Recomendei o livro: “As Duas Justiças de Deus” (do escritor acima) a
um irmão e ele me informou que leu, mas, com certa reserva, porque antes leu a biografia do
autor e descobriu que o mesmo terminou a vida: confuso e vitima de um câncer (o que contra-
riava seus ensinamentos no livro); além disso, descobriu que uns estudiosos o consideram um
dos precursores da Teologia da Prosperidade.
Não sei por quais cargas d’água existe tanta resistência a uma vida próspera!
Mas, de algo tenho certeza, é de que, se você oferecer quaisquer vantagens mate-
riais a esses resistentes anti-prosperidades, eles as segurarão com unhas e dentes naquelas
vantagens!
Falta de prosperidade eles só desejam para os outros, e serve mais para fazerem-
nos parecer humildes, ante as congregações.
Toda esta ojeriza pela teologia da prosperidade é mais fruto de hipocrisia religiosa
que não olha para Jesus; mas, para teólogos idiotas.
Jesus veio para nos dar o exemplo de como devemos viver, além de para nos
proporcionar TODAS as condições para um tipo de vida: perfeita e plena. Quem não acredita
nisso, não acredita na salvação, nem no que Ele declarou:
“O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; Eu vim para que tenham
vida e a tenham em abundância.” (João 10.10).

84
Cuidado com o ladrão, irmãos, ele anda pelas igrejas!
Jesus diz que quem crer n’Ele fará o que Ele fazia (operar curas, maravilhas, liber-
tações, profetizar, pisar em serpentes e escorpiões e não sofrer danos) e coisas maiores ain-
da!...
Sem doenças, sem nada para nos agredir, com todo sustento às mãos! Se isso não
é prosperidade, não sei o que seja! Isto não é viver agora, no Paraíso?
Sabe que Jesus nunca adoeceu? Está na Bíblia, Deus ordenou aos anjos que o pro-
tegessem até das pedras do calçamento! E não adoecer é: prosperidade!
Jesus nunca passou necessidade, pelo contrário, com sua fé supriu a necessidade
dos carentes, não só curando as pessoas como lhes dando de comer a sobejo, e até vinho da
melhor qualidade, quando só tinham água!
Se isso não é ser adepto da prosperidade, não sei o que seja!
Jesus nunca precisou se preocupar com dinheiro, até para pagar um imposto, tirou
o dinheiro da boca de um peixe! Enquanto isto viveu, com toda segurança, sustentado por
aqueles a quem o Senhor ordenara servi-Lo.
Seu manto era tão valioso que os soldados romanos resolveram não dividi-los en-
tre si, optando por lançarem sorte, para ver quem o ganharia inteiro!
Existe o perigo, sim, de se cair do 8 para o 80!
Isto é bastante comum entre os humanos. Viver voltado, totalmente, para o pró-
prio bem-estar não foi o que Jesus fez! Disto Ele não nos deixou exemplos. É este tipo de
“prosperidade” que não devemos querer, nem pregar; mas é, justamente, do tipo que a maioria
das denominações usa e abusa!
Os pastores que se apascentam a si mesmos que se cuidem; pois, desde Eze-
quiel 34, 1 a 36, 28; o Senhor já os tem postos sob vista!
Outro erro daquele nosso irmão foi correr para ver a biografia do escritor e conclu-
ir por meio dela, se o que ele escreveu era bom!
Nenhum ser humano é perfeito! Podemos cair aqui e ali na fé, e isso não é bom,
mas acontece. Algumas vezes, demoramos para nos reerguer e, durante este tempo, o diabo
não perde oportunidades!
Mas, se o que o escritor escreveu está de acordo com a Bíblia (embora os teólogos
da anti-prosperidade dos outros detestem) problema deles!
Na realidade, aquele escritor falou o que a Palavra diz, conferindo Palavra com Pa-
lavra, mas só os crentes de verdade podem aceitar aquilo; teólogos estarão sempre militando
contra a fé.
Temos de conferir tudo com a Bíblia, não com teologias, nem com ciências ou bio-
grafias humanas. Se eu disser coisas que contrariem a Bíblia estou errado, ai de mim; se eu
ensinar um viver não conforme o de Jesus, estou errado, ai de mim.
Mas se o que eu escrever estiver de acordo com a Bíblia e o viver que Jesus quer
para nós, ai de mim se ensinar o contrário! Aleluia!
Maranata!

18/08/2014 – Boa reunião, porém mais de ensinamentos particulares.

22/08/2-14 – Excelente reunião. O irmão que pôs dúvidas no livro “As Duas Justi-
ças de Deus”, veio com uma gripe querendo retornar. Não sabia por qual razão.
Informei-lhe que também não sabia e, em certo momento, uma irmã viu uma telha
diferente em formato e medidas, colocada sobre um telhado.
Concluí que aquela telha era uma fé errada, pois, o telhado ali representava a fé
sob a qual devemos nos abrigar. E o Senhor mostrou que aquela telha fora posta na cabeça do
irmão, ameaçado de gripe.

85
Então, entendi tudo. O escritor daquele livro escrevera tudo baseado na Bíblia. En-
tão estava certo no que disse, embora, conforme aquele irmão aprendeu (ao ler a biografia
daquele escritor) ele não tenha tido uma velhice tranquila e morrido de câncer. Coisas que,
aliás, confesso, não consegui descobrir sobre ele!
O Senhor confirmou o que eu escrevi antes: disse para o irmão que ele não pode
basear as conclusões dele na vida do homem, mas do que está escrito na Bíblia. Se alguém
afirma algo que está corroborado pela Bíblia esta pessoa está certa, seja ela quem for.
Quanto ao problema da Teologia da Prosperidade, lhe expliquei tudo que vocês já
leram, e ele entendeu. Acendeu-se uma luz na mente dele, e vi uma lâmpada LED na sua boca,
iluminando seu caminho. Ele é professor de Eletrônica.
Ora, a lâmpada LED, hoje, é o “top” de linha na iluminação e nós devemos nos
pautar pelo “top” do “top” de linha: a Palavra de Deus. Ele deve andar com a Palavra de Deus
na boca, iluminando tudo. Ele entendeu e fez-se grande paz no recinto.
A irmã Al. orou pelo seu neto, o qual se mostrava renitente para enxergar a Luz do
Evangelho (por causa de muitas maldições familiares), mas estava começando a enxergar; e o
Senhor nos disse, inclusive, que ele seria um Sansão do Evangelho, e libertaria muitos das tre-
vas. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 33
O Senhor Proverá
27/08/2014 – Ontem a missionária Ca. me enviou um e-mail, informando-me que
tinha ido às pressas, para os Estados Unidos para resolver um problema de sua filha com a
Imigração. Portanto, fiquei sem saber se iria fazer ou não, nossa reunião de hoje, porque minha
mulher não tomou uma decisão ao lhe falar do problema da missionária.
Mas, à tarde de ontem, falei para minha esposa que nossa reunião era fundamen-
tada no Senhor Jesus Cristo, o qual estaria presente, e não podíamos ignora-Lo e ela concor-
dou. Por isto, resolvemos que iria ter a reunião e, depois, quando minha esposa perguntou
quantos participariam dela, respondi apenas o seguinte: “O Senhor Proverá!”.
Foi o bastante! Hoje pela manhã o irmão Lo. (um alemão) me telefonou e acertou
de vir participar do nosso culto; fazia quase dez anos, que não vinha ao Brasil! De qualquer
forma, o Senhor já estava provendo mais uma pessoa para o culto.
Começamos o culto sem o Lo. o qual chegou meia hora atrasado, esbaforido, qua-
se sem fôlego... É que ele viu minha casa pela janela do apartamento da sogra, onde estava
alojado com a esposa, e pensou que, porque viu, era perto; resolvendo vir a pé. Coitado!
Bebeu água e esperamos um bom tempo, para ele se recuperar e recomeçamos o
culto. Minha esposa viu que ele tinha um problema de enfermidade, e ele ficou sem saber qual,
até que se lembrou de um problema no quadril, que o deixava mancando.
Ela orou pela restauração dos ossos do quadril do irmão e, depois, oramos por vá-
rias outras coisas. Aleluia! Mas, a reunião terminou na hora que deveria terminar, porque o
Senhor me disse que tínhamos muitas coisas para conversar; pois, fazia muito tempo que o
irmão não vinha ao Brasil.
Ele me contou que estava abismado como os islamitas estavam invadindo a Ale-
manha, como as igrejas (frias) de lá, os recebiam como se fossem irmãos, enquanto o Estado

86
Alemão lhes dava todo tipo de ajudas que dá aos alemães; só que eles recebiam tudo multipli-
cado, por terem um mundão de esposas e filhos!
Disse-me que, depois do ramadã (período de jejum sagrado deles) autoridades das
igrejas evangélicas foram até as mesquitas islâmicas, levando alimentos; esquecidos das barba-
ridades que os muçulmanos fazem mundo afora, com quem não se converte à sua religião!
Conversamos muito sobre isto e falei sobre o que o Senhor me ensinou, também,
quanto ao problema do crescimento do mundo gay, com seus direitos civis maiores do que os
dos cidadãos heterossexuais. E ele me informou que nas escolas alemães, já ensinam às crian-
ças de três anos de idade, gay ser: “normalidade”, estimulando os pirralhos a aceitarem tal
coisa.
- Aliás, como já estão fazendo oficialmente, aqui no Brasil – disse-lhe.
Concordamos ser o princípio do fim, e fui deixa-lo no seu apartamento, com receio
de que ele tivesse alguma coisa, se fosse a pé.
Nem me preocupei com a hora, mas, respondi à minha esposa: “O Senhor prove-
rá!”; quando ela, no carro, me lembrou já ser a hora na qual, o cara da geladeira tinha agenda-
do, para conserto da nossa.
Quando voltei, o técnico estava acabando de estacionar o carro, em frente da mi-
nha casa. Aleluia!
Terminado o serviço, ele recebeu o batismo com o Espírito Santo e se foi. Aleluia!
O telefone tocou, foi a irmã Al., em total desespero, dizendo que estava se sentin-
do muito mal fisicamente, e me informando já estar vindo para minha casa, para orarmos por
ela. Dito e feito, em vinte minutos tocou a campainha da porta!
Ela nos informou que foi ferida, emocionalmente, na repartição onde trabalha e
quase desmaiou; ao ter seu trabalho achincalhado por sua chefe; embora a irmã tenha certeza
do trabalho estar perfeito!
Ao orar por ela, descobri que tinha tido ódio e este ser o motivo maior de seu mal
estar. Confessou isto, minha esposa orou por ela, e a irmã Al se sentiu renovada. Aleluia!
Contando tudo: foram três reuniões num dia no qual, pensamos que não iria ter
nenhuma! E tudo, graça às três benditas palavrinhas: “O Senhor Proverá”, que pronunciei. Ale-
luia!
Maranata!

28/08/2014 – A reunião de amanhã tinha sido transferida para hoje, e me esqueci


completamente. A irmã Al. chegou no horário e, alertou-me. Faltava chegar o Professor.
Esperamos 10 minutos e nada... Portanto, começamos sem ele. Depois de meia
hora, ele chegou. Tinha ficado preso no trânsito!
A reunião foi excelente. A irmã Al. recebeu o Ministério de Curas e tive a honra de
ser a primeira pessoa pela qual ela orou. Em seguida oramos por várias coisas, dirigidos pelo
Espírito...
Em dado momento a irmã Al. contou uma história sobre um galo (que nos disse
ser real, não vou contar a história), mas ela me levou a compará-la, com certos milagres bíbli-
cos que o Senhor fez.
Por exemplo: o profeta Elias (1º Reis 17) pediu a uma viúva que lhe desse de co-
mer do pouco que tinha e com o resto multiplicou o azeite e a farinha de trigo, das vasilhas da
viúva, até que a seca terminou na terra.
Jesus fez coisa semelhante quando, em duas ocasiões diferentes, precisou alimen-
tar multidões: pediu o que lhes trouxessem os alimentos que tivessem (alguns pães e peixi-
nhos), abençoo-os e: multiplicou os mesmos.

87
Então entendi que o Senhor estava nos solicitando a utilizarmos este processo ma-
ravilhoso e convidei os irmãos a oferecerem alguma coisa a Ele, para que Ele iniciasse um mila-
gre de multiplicação, que O glorificasse.
Eu fiz isto e os irmãos também, embora um não saiba o que foi o que os outros
decidiram colocar nas mãos do Senhor como semente.
Antes eu tinha visto vi um tipo de camarão enorme, dependurado nas costas da
irmã Al. Expulsamos o mesmo, e o vi sumindo no espaço. Aleluia! Ela se sentiu melhor.
Quando estávamos para terminar o culto, chegou meu cunhado, que tinha vindo
do Rio, para assistir à troca do comando do 1º Grupamento De Engenharia, onde seu cunhado
assumiu o posto de General Comandante, por dois anos.
O irmão dela já estava com o voo de volta marcado e só deu tempo de minha es-
posa e um amigo dele desenfaixarem e ré-enfaixarem seu braço quebrado (o qual estava doen-
do) para ele se despedir, e correr para pegar. Isto, depois da nossa irmã Al., que tinha recebido
o Ministério de curas, orar pelo braço dele.
Foi tudo maravilhoso, o Senhor provê tudo, com extrema precisão.
Maranata!

Capítulo 34
Zumbis
Eu sempre me admirei como os artistas, algumas vezes, conseguem visualizar o
futuro. O maior exemplo disto é Júlio Vernes, que escreveu sobre: aviões, submarinos, viagens
interplanetárias, etc.; dezenas de anos antes de tais coisas surgirem.
Até artistas desses, que produzem arte em massa para televisão ou cinema, vez ou
outra, nos mostra coisas que estão além do conhecimento real, do universo.
É comum, hoje, filmecos sobre vampiros e zumbis. É como se fosse moda: o tem-
po deles! Tem até um canal inteiro, na Sky, que é só sobre fantasmas vistos por celebridades!
Realmente estes filmes são uma nojeira, porém, por trás das bobagens que ensi-
nam, mostram duas verdades ocultas: 1ª) a da existência dos sugadores de sangue espirituais
(os demônios); e 2ª) a existência de uma raça de homens mortos vivos, ou zumbis, cujas obras
procedem da morte para a morte.
Certa vez um irmão foi visitar um parente que estava morrendo, e ficou espantado
como o moribundo implorava para que ele expulsasse os morcegos que entravam no quarto,
querendo pegá-lo. O irmão não via nenhum morcego, mas, fazia que espantava, para confortar
o enfermo.
Alucinação? Creio que não, porque já expulsei muitos destes seres espirituais da
vida de seres humanos! São uma forma como se apresentam os demônios, exatamente a casta
que leva as almas perdidas para o inferno. Bem, se eles são demônios, quem seriam os zum-
bis?
Certa vez Jesus chamou uma pessoa para ser seu discípulo e, leia o diálogo d’Ele
com o futuro discípulo, em Lucas 9.59-60:
“- E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que primeiro eu
vá a enterrar meu pai!”
Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu
vai e anuncia o reino de Deus”.

88
Se não entenderam ainda, os mortos-vivos (ou zumbis) são os seres humanos caí-
dos, desligados de Deus e ligados com a morte (que é um demônio).
Só para esclarecer mais, não existem homens livres, como muitos se ufanam ser;
ou o homem está com Jesus ou com o diabo! Jesus disse isto em Mateus 12.30:
“Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.”
Portanto, você, que acha que vai poder se virar e vitoriar sozinho, abra os olhos!
Você já é um zumbi, falta pouco para entrar na sua morada final; você precisa ajuntar seu caco
de vida com Jesus, para sair desse estado mortal; porque, para onde está indo, jamais sairá.
E se formos buscar mais fundo, iremos descobrir que tudo o que os zumbis fazem,
leva à morte. Não há escapatória para eles, na situação em que estão: são mortos caminhando
cegamente para as trevas, e levando trevas por onde passam!
“... tudo o que não provém da fé é pecado.” (Romanos 14.23).
Estes zumbis, que não creem em Jesus ser o único meio de salvação, vivem pe-
cando e gerando pecados, isto é: leva à morte e à destruição de tudo que existe ao redor.
Não é preciso ser muito sábio, para concordar comigo. Basta ver a situação do
mundo: a impossibilidade cruel de haver Paz na terra; ou um planeta saudável, onde todos
possam viver em harmonia uns com os outros, e com o meio ambiente!
Quem não percebe isso, é o pior dos zumbis, coitado, e mesmo que se esforce
com toda sua alma para o bem geral, tudo o que fizer procederá das fontes do inferno, e vai
gerar apenas mais: mortes! Não tem como se escapar disso: uma árvore má não pode dar bons
frutos.
Vou dar apenas uns exemplos: no princípio, a energia atômica foi vista como a
energia ideal e, hoje, sabemos o quanto errada é tal declaração!
Cedo ou tarde, tudo o que o homem carnal (morto-vivo) faz, achando ser bom, se
virará contra ele mesmo! Vejam o caso dos antibióticos: parecia uma solução mágica para to-
das as enfermidades e, agora, o homem luta contra a bola de neve do aparecimento de bacté-
rias que, graças aos antibióticos, se tornaram: superbactérias!
Quanto a Paz, nem é bom falar! Em cada canto deste combalido planeta, o sangue
é derramado sob mil e uma desculpas, às vezes sem desculpa nenhuma, só para o prazer de
alguém. Mas o mais impressionante é quando matam: em Nome de Deus! Neste ultimo caso a
única pergunta a se fazer é: qual Deus?
Mas que os homens adoram estas coisas, a prova é que todos os jornais do mundo
vivem graças ao sangue derramado nas ruas; pois, no momento em que deixarem de publicar
tais misérias, vão falir.
Enfim, é isso aí, a única porta de escape para os zumbis é nascerem de novo, pela
fé em Jesus e esta porta cada um deles deve buscar. Não só escutando o Evangelho Salvador
de Jesus, mas procurando pô-lo em prática.
Sem isto, será: de morto-vivo para um morto-morto bem morto, nos porões do in-
ferno.
Maranata!

30/08/2014 – A irmã Ca. telefonou-me dos EEUU, via SKYPE, para orarmos. Co-
municou-me que voltaria na próxima quarta-feira; pois, os problemas da filha com a Imigração
Americana, estavam encaminhados.
Queria saber da opinião de Deus a respeito de tudo que tinha acontecido com elas
e Ele nos respondeu.
Primeiro, com uma referência bíblica, que não entendi, falava sobre Jesus ter vindo
para cá, não ter aberto a boca e, de ninguém O ter levado em conta. A irmã também não en-
tendeu.

89
Depois, vi três trombetas de aviso. Falei para a irmã que o Senhor já lhe tinha da-
do dois avisos a respeito de não querer a filha dela nos EEUU; que só daria mais um!
Porém, a irmã lembrou-se que Ele já tinha dado outro aviso antes destes, quando
sua filha teve sérios problemas, na primeira casa de intercâmbio onde ficou hospedada.
Concluindo: Deus não lhe daria mais nenhum aviso! Era para ela tirar a filha dos
EEUU de imediato.
Nessas alturas, vi uma enorme gota de azeite sobre a cabeça da irmã e entendi
que ela estava perdendo um precioso tempo, resolvendo problemas da filha nos EEUU; enquan-
to o Senhor a queria operando a todo vapor, no seu Ministério de Curas.
A irmã entendeu tudo e, aleluia!, vi que eu estava certo, desde o primeiro aviso
que o Senhor deu; embora, quando comentei isto com meus familiares, tivessem dito que eu
estava errado, era radical demais; e, por isso, fiquei com receio de avisar a irmã.
Além de, também, por aquilo ser um problema íntimo de família e eu não queria
ser um metido, estraga prazeres de ninguém; muito menos daquela mocinha, que estava fasci-
nada pelos primeiros lugares que ganhava, com seus saltos de trampolim.
Enfim, tudo resolvido.
Maranata!

Capítulo 35
RELIGIÕES
31/08/2014 – Vez ou outra torno a falar sobre religiões, para alertar os leitores so-
bre o que religião significa, e de como ela pode ser criada e seguida, até por pessoas que
pensam não crerem em Deus!
Às vésperas das eleições, no Brasil, o termo me veio à mente e aqui estou: temos
de votar! Na escolha terei de optar entre um partido ateu (o PT, historicamente contra Deus) e
outro tradicional, em qual devo votar?
Acho que a maioria está azeda de saber, que religião significa algo que o homem
considera capaz de religa-lo a Deus; portanto, alguém que se diz ateu não deve, por defini-
ção, ter nenhuma religião, porque o que o ateu defende é não crer na existência: de Deus!
Mas, aí, está mascarado um engano diabólico.
Vejamos no caso dos petistas: o petismo é uma religião porque têm os livros de
pensamentos “sagrados” (para eles) de Marx e Engels; têm um deus: o ser humano, com o
qual consideram ser capazes de conseguirem chegar (com o apoio da dialética materialista-
leninista) a formar um Paraíso na Terra; pagam dízimos (pelo menos os petistas mais fiéis pa-
gam)! Seu ideal é o “evangelho” de todos serem iguais um dia...
A Alemanha também, no tempo de Hitler, teve seu: Deus! Ela colocou toda sua
esperança em que aquele Führer (Salvador) a levaria a um “Milênio de Glória”, apoiado pela
“superioridade” da raça alemã, e fundamentada no livro “Mein Kampf” (“Minha Luta”) do Hitler.
O interessante é que Hitler, nem alemão era e sim: austríaco!
Mas a idolatria faz isto: cega os idólatras, e deixa-os viverem numa ambiguidade
tremenda. Não enxergam nem o que lhes está acontecendo a um palmo dos olhos! Nenhum
fanático religioso consegue enxergar como mau, um companheiro de fé, que esteja cometendo
crimes gritantes! Até hoje, existe muita gente na Alemanha que acredita: que Hitler exterminou
uma barata!

90
Deus já avisou que todo ídolo trás uma maldição aos seus possuidores ou criado-
res: cegueira, surdez, mudez, incapacidade de andar e trabalhar no Caminho da Verdade e da
Vida.
Portanto, fica impossível para o idólatra, de qualquer grupo, enxergar sua idolatria.
Um exemplo disso no âmbito religioso é o do: católico. Pode perguntar a qualquer um deles se
ele é idólatra, que dirá não ser; apesar dos ídolos aberrantes expostos em seus templos, festas
e procissões, onde os carregam nas costas. Lembrem-se mesmo que não tenhamos estátuas
religiosas em casa, se apoiarmos um grupo que as tem, somos: cúmplices dele!
É bom lembrar a todos que: se nós cometermos um crime aprovado por nosso
grupo social ou religioso; assim como aconteceu com Hitler e seus seguidores mais fanáticos,
chegará o dia do nosso: “Julgamento de Nuremberg”; feito pelos homens, por Deus, ou por
ambos!
Para todos os crimes religiosos haverá, com certeza, um dia de julgamento divino
(onde cada criminoso será responsabilizado por suas escolhas e ações; sem essa, de por a cul-
pa nos outros).
Mas, aí, estão as eleições! Em quem vocês vão votar?
Pensem bem. Porque uma escolha errada, aqui, pode doer bastante em todos, de-
pois...
O melhor é orar e pedir ao Senhor a direção do que fazer com seu voto. Só não
jogue na sorte, nem vá pela cabeça de desmiolados idólatras! Aleluia!
Maranata!

Ontem um irmão me telefonou combinando uma reunião, antes de irmos a um al-


moço de despedida num restaurante. Acertamos tudo e fiquei pensando em se a esposa dele
(católica sincera) viria também...
A vinda dela seria fenomenal, porque ela só veio, uma vez, à nossas reuniões de
orações, durante os dois anos em que seu esposo esteve aqui, a serviço do Governo Federal.
Na hora aprazada ele chegou e imaginem: sua mulher veio com ele!
Durante dois anos, ficamos intercedendo por ela, mas, sabendo que só um milagre
divino a faria vir a um de nossos cultos para participar; não só para acompanhar o marido como
fez naquela única vinda!
Quando começamos, falei da purificação, e examinei se ela tinha tido algum ódio;
pelo que ela fez um exame de consciência e me disse que não. Perdoou alguns desafetos e
começamos.
Eu tinha tido a impressão, quando ela veio na primeira vez, dela já ser batizada
com o Espírito Santo, embora sem certeza absoluta. Então, ela me contou que já tinha imposto
as mãos sobre um enfermo e ele tinha sido curado, confirmando minha opinião a seu respeito.
No entanto ela não orava em línguas e o Espírito, imediatamente, providenciou a
respeito, levando-me a ir orar por ela, e solicitar-lhe que repetisse a oração do marido: pois,
eram uma só carne; ela fez isso e recebeu o dom de línguas.
Demos-lhe várias instruções, mas, não tocamos no problema de suas idolatrias; in-
clusive, ela estava com uma medalha bem grande, com uma figura de Maria, no pescoço!
Falei-lhe sobre vários assuntos como: dela dever apagar do seu dicionário a pala-
vra morte; de que a ninguém devemos chamar de Mestre, Guia ou Rabi; e nem de Pai, lembrei-
a de que, depois que nascemos de novo (somos batizados com o Espírito) o Pai Celestial é nos-
so único Pai, tudo que era velho já passou e tudo se fez novo, etc.
O Senhor nos ordenou orar por uma conhecida do casal, e fizemos outras orações
dirigidas por Ele, até que nos liberou e fomos para o restaurante. Eu e minha esposa de quei-
xos caídos, com o que Jesus tinha feito por aquela senhora, na última hora de sua estada co-
nosco. Aleluia!

91
Agora, tudo o mais, o Espírito Santo irá fazer com toda certeza, para aqueles dois
se tornarem um poderoso exemplo de casal cristão, em Brasília.
Maranata!

05/09/2014 – A reunião hoje foi muito boa. No começo foi meio emperrada por
causa de uma falha minha. Uma irmã viu um ambiente branco, nevado, onde havia um trilho de
trem o qual, não ia para lugar algum.
A primeira visão que tive foi de um remendo desses, que os palhaços colocam nas
roupas. Então, falei para os irmãos que o problema era eu. O defeito era em minha fé!
Eu estava assim, na fé, sem saber para qual lado me virar!
É que ainda estava com a incontinência urinária e parece que ainda tinha pedras
para serem expelidas. Muitos irmãos já oraram por mim, profetizando minha cura, mas, já vão
quase dois anos, e parece que nada funcionou...
Uma irmã, presente a esta reunião, disse-me que eu ia saber quando estava sendo
curado ao sentir um calor, que iria tomar conta de toda a área onde sentia a doença.
Estava bastante preocupado em me defrontar com alguém me dizendo que vai
orar por mim, por que: como crer diante de tantos fracassos? O que estava mais me incomo-
dando era que eu devia estar com algum erro, porque o Senhor não falha, não é um remendão.
E agora?
Agora, o Senhor me repreendeu por incredulidade; eu me arrependi e Ele me colo-
cou novamente no Caminho. Aleluia!
Já no final do culto, uma irmã viu uma mesa cheia de “pizzas”, o que imediata-
mente interpretei como sendo o Senhor nos mandando orar pelo Brasil; o que fizemos.
Maranata!

08/09/2014 – Orei pela irmã Cr., por telefone, e o Senhor me deu visões perfeitas
de tudo o que ela queria. Primeiro vi a letra S. e ela me disse que era sobre seu filho mais mo-
ço o qual, parecia não avançar no caminho espiritual, apesar de ser batizado com o Espírito;
tentei dar-lhe algumas explicações como: falta e tempo dos jovens sobrecarregados com estu-
dos, problemas com os hormônios, mas, o Senhor nos mostrou que eu estava dando explica-
ções do homem velho, não me atendo à fé. Portanto, pedi perdão, e orarmos pelo filho dela e
pela minha neta, a respeito do mesmo assunto.
Vi um cifrão, mas com apenas um traço, o que lembrou-me o dólar e ela lembrou-
se do filho dela, que está nos EEUU. Oramos por ele.
E assim, foi uma reunião excelente, cada revelação sendo confirmada ora por mim,
ora por ela; até que o Senhor nos mandou encerrar, quando ela viu um martelo de juiz batendo
na mesa. Aleluia!
Minha esposa voltou de uma viagem que fez para Fortaleza, onde foi participar de
uma competição de natação, e me contou que levou duas pessoas para Jesus e, teve a grata
satisfação de se encontrar com outra colega de natação, a qual mora noutro estado, e por
quem orou no ano passado, pela cura de um ombro.
A mulher estava eufórica, disse-lhe que estava doida para encontra-la, porque foi
curada do ombro com aquela oração; depois de passar anos tentando todo tipo de cura em
vão. Disse ainda que a cura não foi instantânea, mas ela a foi sentindo aos poucos... Aleluia!
Maranata!

09/09/2014 – A reunião e hoje (14:00hs) foi um pouco amarrada. De qualquer


forma, oramos por várias coisas importantes e, no final, temos de nos lembrar, sempre, do que
diz o Senhor referindo-se à Sua Igreja:

92
“... e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não preva-
lecerão contra ela” (Mateus 16.18);
(11/09/2014) Hoje descobri porque esta reunião ficou amarrada. Uma pessoa es-
tava cansada e cochilou durante a mesma. Só não vou revelar o nome da pessoa. Misericórdia!
Maranata!

10/09/2014 – Depois do almoço uma irmã me telefonou para confirmar uma coisa.
Ele pediu instruções ao senhor, sozinha, e recebeu os versículos da Palavra que falam de quan-
do Samuel ainda era jovem e o Senhor o acordou à noite, três vezes, e ele pensou que era Eli
que o tinha acordado, até que o profeta lhe deu instruções do que fazer; para saber o que
Deus queria. Leia 1ª Samuel 3.6-9.
Então, fomos orar e o Senhor deu a irmã os versículos de 1ª Samuel 15.6-9:
“Mas Saul e o povo pouparam a Agague, como também ao melhor das ovelhas,
dos bois, e dos animais engordados, e aos cordeiros, e a tudo o que era bom, e não os quise-
ram destruir totalmente; porém, tudo o que era vil e desprezível destruíram totalmente.“
Estes versos mostram que Deus não aprovou, quando os hebreus venceram o rei
Agague e, ao invés de o matarem junto com todos os homens e animais daquela terra, deixa-
ram-no vivo; além disso, os melhores animais e coisas, que consideraram boas, tomaram para
si!
Concluímos que o Senhor não queria que ela fizesse o que estava planejando, que
era se candidatar a presidente (rei) de determinada organização na qual (ela mesma afirmou)
havia uma politicagem gritante, e muitos problemas.
Ser presidente (rei) daquela organização era um sonho dela desde a juventude,
mas Deus não a queria acolá, nem voltada para outras “benesses”, que o mundo poderia lhe
dar, e que ela ainda tinha guardadas no coração. O Senhor a queria totalmente para Ele.
Agora, vamos ver se ela vai obedecer ao Senhor ou a um sonho da juventude.
Aleluia!
Maranata!

Capítulo 36
Ira Divina
Outro dia umas irmãs me alegaram que Deus não nos castiga que Ele apenas: re-
preende e corrige aos que ama; ao que eu me calei, por não ter suficiente conhecimento a
respeito do assunto.
Hoje pela manhã, veio-me a mente este assunto, e notei algo interessante: Deus,
Pai, não só repreendia como punia severamente os culpados; conforme o Antigo Testamento dá
sobejos testemunhos.
Várias vezes, milhares de judeus morreram por desobedecerem ao Senhor. Até no
caso em que um rei desobedeceu e a nação inteira foi castigada: como quando Davi resolveu
fazer o recenseamento de Israel e Deus enviou uma praga para dizimar os judeus. Isto está
relatado em 2ª Reis 2.19-25.
Porém, olhando só para Jesus, vemos algo totalmente diferente, Ele NUNCA che-
gou a se irar tanto, a ponto de desejar a morte de alguém!
Os momentos nos quais Ele devia ter se irado mais, claro, foram: a) no momento
que Judas o traiu e b) durante seu flagelo e crucificação; mas, dai só surgiu perdão para nós.

93
Houve, no entanto, um momento curioso e bem específico de ira em Jesus, foi
quando ele viu os vendilhões no templo e fez um chicote e vergastou a todos que encontrou
pela frente, derrubando suas barracas de negócios, no templo.
Aquela foi a máxima ira de Jesus e, Ele: chicoteou para valer!
Fui examinar mais a alegação das irmãs de que Jesus não castiga, e descobri que,
na bíblia do meu PC, em Hebreus 12.5-8, está escrito:
“... pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho.
Notem que sublinhei a palavra açoite! E, em outra versão da Bíblia, também en-
contrei a palavrinha: açoite!
Açoita-se com chicote! Lembram-se de Jesus no Templo?
O mais importante, em tudo isso, é notar como Jesus ficou muito mais irado
quando desonraram a casa do Pai, do que quando O torturaram e mataram: perceberam?
Hoje, desonramos o Pai e Sua Casa quando nos mostramos incrédulos. Porque:“ ...
meu justo viverá por fé” é determinação do Pai, para este Ano da Graça.
Isto devia servir para os muitos, que mercantilizam a Palavra de Deus, abrirem
bem os olhos; pois o dia do chicoteamento deles irá chegar, sem sombra de dúvidas; já que
Deus não faz acepção de pessoas.
Então, que este capítulo sirva para ajudar os irmãos que vão para as igrejas, com
a finalidade maior de: obterem lucros. Misericórdia!
Maranata!

12/09/2014 – A reunião de hoje foi excelente. A irmã que ia ser eleita presidente
de um cargo em sua categoria, renunciou, obedecendo às ordens do Senhor. Um irmão teste-
munhou que tinha um sonho recorrente, por vários anos.
Sonhava que estava dentro de um prédio enorme, de concreto, e não conseguia
sair do mesmo. Só tinha uma abertura no teto, a qual se fechava, toda vez que ele se aproxi-
mava dela.
Informou-nos que uma irmã (presbiteriana) recebeu ordens de orar por ele e, no
mesmo dia no qual ela fez isso, ele conseguiu se aproximar daquela abertura, voar para fora, e
sentido uma sensação indescritível de liberdade. Aleluia!
Aconteceu, também, algo parecido comigo, que prefiro guardar para testemunhar
depois, quando estiver mais seguro de que foi Jesus quem falou.
Recebemos ordens de orar pelo filho (adotivo) do Professor, no qual, a irmã Al. viu
uma chaga enorme no coração. Quando o professor nos disse que o rapaz tinha sido enjeitado
pela mãe, soubemos imediatamente ser: rejeição brava. Oramos por isso e mandei para ele um
volume de meu livro “Jesus, o Leão de Judá”.
Ele é refratário às instruções do padrasto a respeito de Jesus, mas, pedi ao Profes-
sor para dizer ao rapaz que também fui aviador. Como o rapaz está tirando seu “brevet” de
piloto agora, isto pode abrandar seu coração, para leitura do livro.
Maranata!

Capítulo 37
Geração Y
Ontem assisti a um programa onde pedagogos eram entrevistados sobre a Gera-
ção Y. Para quem não sabe, eles dividem as gerações humanas atuais em: X, Y e Z. Para escla-

94
recer bem: eu sou da geração que já fica antes da X, minhas filhas são da geração X, minha
neta é da geração Y e os filhos dela serão da geração Z.
Claro, tudo aqui é conforme a: ciência dos homens!
Porque eu, minha família e minha neta, realmente, somos filhos de Deus e, nada
temos a ver com esta classificação. Porém, tal classificação serve para os irmãos (que ainda
não se desvencilharam completamente, da ciência humana) pensar a respeito dos seus filhos e
netos.
Enfim, a geração X (de minhas filhas) pegou o iniciou da globalização e informati-
zação do mundo. Aprendeu muitas coisas através da internet, porém, ainda tinha muito da
minha educação, digamos assim.
Portanto, ainda tinha um conhecimento social mais firme, sabia conversar e escre-
ver, o que os filhos dela (meus netos) já começaram a desaprender.
Os pedagogos estão impressionadíssimos como a geração Y não sabe se expressar
em português correto e, pior, não sabem nem pronunciar as palavras direito! Porque vive a
maior parte do tempo calada, só digitando; e dedos não: pronunciam sons!
A maioria desses jovens pertence a famílias onde os pais estão totalmente concen-
trados nos seus respectivos empregos, e o amor que lhes dão são em forma de presentes:
computadores, “tablets”, “smartfones” e cursos e mais cursos; porque se lhe derem livros eles
não os lerão; pois seus pais já não são exemplos de bons leitores.
Esta geração Y tem um enorme conhecimento e sabe onde encontrar mais e mais
dele na internet. Porém é um conhecimento fragmentado, isto é: sabem um pouco sobre
muitas coisas; o que não lhes dá apoio, para se firmarem na vida prática!
Lembro-me que, no meu tempo, fazíamos experiências químicas, físicas, líamos em
busca de mais conhecimentos, por gosto próprio: pensávamos no que queríamos ser... A gera-
ção Y faz muita musculação, esportes; só senta para ler, obrigada; não pensa um só momento
no futuro, o futuro dela é o HOJE.
Por isso os jovens da geração Y fazem vestibular para uma coisa, desistem, fazem
para outra, e outra, desistem; e terminam na casa dos pais, pensando no que devem fazer da
vida, revoltados com tudo e todos.
A mesma coisa é nos empregos. Qualquer coisa que os abuse, deixam o emprego.
Casam e se separam como se escolhe sapatos. Têm milhões de amigos e não têm amigos ne-
nhum. Vivem num precipício contínuo, cercados pela sombra da depressão...
Eles estão descobrindo que o mundo não é como os vídeos games ensinam. Que é
preciso saber conversar, ter jogo de cintura, traquejo social, coisas que nunca aprenderam.
Tudo isto causa um problema social enorme; pois, até as firmas ficam com dificul-
dades para conseguir funcionários confiáveis. E isto gera estresse em toda sociedade, princi-
palmente nas famílias, as quais ficam, sempre, tendo de levar filhos adultos nas costas.
Fico pensando em daqui a uns dez anos, quando toda minha geração sumir e estes
encostados das famílias, já bastante adultos, não tiverem mais onde se encostar. Como será?
Os problemas terríveis de violência nas escolas, hoje, são todos causados por esta
geração Y. Querem tudo nas mãos e na hora, ou saem para matar, como: Rambos!
Esses mascarados que se infiltram nos protestos também são desta geração Y. São
as partes mais podres das maçãs sociais, são contra tudo e todos. Só não sabem do que são a
favor!
Agora, pensem bem, estamos falando apenas nos problemas da geração Y! Imagi-
nem como será a vida da Geração Z! Misericórdia!
Felizmente, minhas filhas foram protegidas pelo meu Senhor, e sequer fumar elas
fumam.

95
Porém, eu e minha esposa demos o exemplo: não temos vícios! E um exemplo
vale por mil palavras, até os animais mostram isso, as fêmeas ensinam tudo que os filhotes
precisam saber sobre a vida, sem articularem palavras: só fazendo!
Mas as mães de hoje onde estão? Trabalhando duro, fora de casa, ou: perseguin-
do sonhos...
Irmãos tomem cuidados! Vejam como estão educando seus filhos porque, tem
pouco tempo, para ensiná-los a caminhar corretamente.
Maranata!

16/09/2014 – Ótima reunião a de hoje, as 14:00hs. O Senhor me disse que eu já


tinha perdido várias oportunidades de cura. Através de um versículo que não entendi (mas
irmãs me revelaram) minha carne tinha seis reis carnais, obstaculizando minhas curas.
Por exemplo, um deles era: eu já ter dito várias vezes que a cura dos outros era
fácil, mas a minha difícil; esquecendo-me de que pedi libertação ao Senhor e oraram por mim,
baseados em que nenhum rei tem nome maior que o de Jesus. Misericórdia!
Minha esposa deu um testemunho, nos contou que o pastor de nossa congregação
estava revoltado no domingo passado. Uns irmãos, que migraram para outra igreja, depois de
terem recebido a unção do Espírito na nossa, começaram a prosperar bastante e os dirigentes
de lá, alegaram que eles estavam adorando Mamom; que deviam vender tudo o que tinham
conseguido e dar para a congregação!
Então esta congregação está adorando a quem, pergunto-me!
Assustados, eles entraram em contato com o pastor de nossa congregação, que os
alertou do que o diabo estava querendo: roubar-lhes. Só para não pensarmos errado, o pastor
informou que isso não aconteceu na igreja Universal!
Oramos por várias coisas importantíssimas e, soube por minha esposa, de algo
maravilhoso que tinha acontecido numa congregação de J. Pessoa, que foi toda batizada com o
Espírito Santo, numa noite! Depois disto, o pastor da mesma congregação pediu perdão, por
nunca ter falado do Espírito para os irmãos! Acho este perdão um bocado oportunista.
Interessante é que quem levou o fogo para lá, foi a esposa daquele pastor arre-
pendido, ela recebeu o fogo da missionária Ca., a qual o recebeu aqui em casa. Como nas
Olimpíadas, a Tocha foi passando de mãos em mãos... Aleluia!
Assim, uma obra pode crescer a perder de vistas. Aleluia!
Oramos para que a mesma coisa acontecesse com muitas e muitas outras congre-
gações do nosso estado, país e do mundo. Para nos incentivar, o Senhor nos disse por um ver-
sículo, que estávamos fazendo exatamente Sua Vontade.
Uma irmã confessou um pecado o qual, eu tinha visto que ela não quis confessar
em reunião anterior; e que me ficou na mente... Sabia que todo o caminhar dela, dependia
daquela sua confissão de erro. E ela venceu. Aleluia!
Enfim, só: glórias!
Maranata!

17/09/2014 – Uma irmã (com quem oro frequentemente por telefone) me ligou
hoje, às 9:00hs. Já orei por ela, que tem um problema de enxaqueca que a perturba há muito
tempo e da qual, até hoje, não conseguiu cura.
Para animá-la, primeiro contei o testemunho daquela igreja que recebeu o batismo
com o Espírito Santo. E ela se alegrou.
Então, lhe falei o que aprendi ontem: de como nossa carne resisti, muitas vezes, à
receber bênçãos que o Senhor envia.

96
Esmiuçamos a vida da irmã a respeito disso e descobrimos várias coisas, seme-
lhantes às que descobriram comigo, ontem. Aleluia!
Com estes novos dados, oramos pela irmã, lembrando-lhe que não existe nenhum
outro nome acima do de Jesus; e vi uma nuvem envolver toda a cabeça dela.
Que seja sua cura tão aguardada. Amem!
Maranata!

19/09/2014 – Excelente a reunião das 15:30hs. O Senhor fez uma limpeza profun-
da nos três, presentes. De cada um tirou alguma coisa, que o deixava incapacitado em algum
ponto da vida espiritual.
Impressionante como nos revelou cada coisa daquelas, com precisão cirúrgica!
Minha esposa voltou de um enterro durante o qual, levou a esposa do falecido
(que ela já tinha levado para Jesus) para o Senhor, além de uma filha da viúva. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 38
Química e Física
Adorava estas duas ciências: química e física! Quando rapaz, passei muitas horas
em meu laboratoriozinho de fundo de quintal, fazendo experiências com as duas, achava tudo
aquilo: maravilhoso!
Infelizmente, enquanto me esforçava para tirar boa nota nestas ciências, não pas-
sava de 5,5 ou 6,5, enquanto colegas meus, que passavam a maior parte do tempo dormindo
(literalmente!), tiravam: 9 a 10 com a maior facilidade!
Naquele tempo não percebia que eu não tinha cacife para me tornar um profissio-
nal da Química ou da Física. Passei muitos anos, iludido com possibilidade de ser cientista, até
perceber minha carência intelectual para as mesmas. Foi uma grande desilusão. Meu mundo
ruiu!
Vaguei sem rumo até conhecer o Senhor Jesus e descobrir um Universo muito
maior e mais maravilhoso.
A partir daí, eu experienciei coisas fantásticas, que contrariavam todas as leis da
Física, da Química e Medicina; que me deixaram realmente fascinado.
Com Jesus é assim: ele anda sobre o mar bravio; transforma água em vinho da
melhor qualidade; com cinco pães e alguns peixinhos alimenta milhares e pessoas; cura toda
sorte de enfermidades; sabe o que se passa no coração de cada mortal, antes mesmo do ho-
mem falar a respeito!
Assim minha adoração por aquelas ciências se foi para sempre. Agora as acho é
engraçadas; e fico pensando em como Deus as vê.
Quanta soberba que eu tinha!
Bem, não sei se era mesmo soberba ou era apenas uma criança fascinada pelo
Universo que nos cerca, sedenta de respostas; as quais achava que a ciência pudesse dar! As
vezes, penso que nunca cresci, apesar de meus setenta e nove anos!
De qualquer forma, quando vejo o tempo que os homens gastam procurando a vi-
da em outros planetas, acreditando em ets superinteligentes e outras babaquices; vejo como
demoram a entender; apesar de seus grandes intelectos!
Afinal, Jesus mesmo disse em Mateus 19.24:

97
“E outra vez vos digo que é mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha,
do que entrar um rico no reino de Deus.” .
Repare que Jesus se refere, aí, não apenas ao rico em posses, mas, ao rico em co-
nhecimentos intelectuais. Muitos ricos em posse materiais irão entrar no Reino dos Céus quan-
do falecerem, pois, para isto, basta se aceitar a Salvação gratuita de Jesus!
Já, para alguém entrar no Reino de Deus, na Terra, precisa exercer fé, um pouco
de esforço espiritual para nascer de novo (batismo com o Espírito Santo) e se tornar um filho
de Deus.
Isso não é impossível a nenhum dos eleitos, porque a Palavra declara:
“Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o po-
der de se tornarem filhos de Deus”, João 1.12.
Mas, Ele deixa isso como uma opção para o salvo; não os obriga a isso, mas, não
deixa de alertá-los da necessidade deles darem esse passo, conforme concluímos dos versículos
abaixo:
1º) “Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não
nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”, João 3.3.
2º) “Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo”. João
3.7.
Finalmente, Ele nos dá uma ordem explícita a respeito do nascer de novo (ou seja,
do ser batizado com o Espírito Santo) em Efésios 5.18:
3º)“E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos com
o Espírito”
Baseados, pois, nestes três testemunhos da Palavra, temos uma doutrina bíblica
que não devemos desprezar.
Hoje, dou-me por feliz, pois, entendi por que Ele não me fez rico do intelecto. O
versículo abaixo é autoexplicativo a respeito:
“Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que são pobres quanto ao
mundo para fazê-los ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? (Tiago
2.5).
Aleluia! O Senhor é bom e Sua Misericórdia dura para sempre!
Maranata!

22/09/2014 – Hoje a GVT saiu do ar, fiquei sem internet e telefone em casa. Fui a
televisão para ver se tinha algo interessante e tinha, um filme sobre a vida do jesuíta São Felipe
Neri, que viveu na Idade Média, em Roma.
Quanta miséria e sujeira!
No entanto Deus usou este jesuíta de forma poderosa por sua fé pura. O desejo
dele era ir para a África (como é a de todos os missionários deste mundo), mas Deus o colocou
para dirigir um abrigo para órfãos, em Roma.
E os órfãos, naquele tempo: ou se tornavam ladrões ou morriam de fome! Eram
milhares de órfãos de: prostitutas, filhos bastardos de fidalgos, etc...
E Deus fez vários milagres por meio desse homem. Multiplicou alimentos, ressusci-
tou pessoas, curou uma pessoa que tinha sido apunhalada, etc. É para nos admirar como Deus
fez estas coisas, o homem sendo católico!
O lema deste homem de Deus era: Nem pecado nem tristeza nunca!
Ao ler sua biografia descobri que no final, ele foi eleito papa!
Maranata!

A reunião das 14:00hs foi excelente, oramos por um avivamento mundial, o Se-
nhor prometeu nos atender; oramos por uma conversão maciça de muçulmanos, idem.

98
Oramos por várias outras coisas que o próprio Jesus nos orientou a orar, e uma
irmã nos apresentou um problema para resolvermos.
Ela pertence a uma congregação, mas tem um Ministério autônomo. Como mem-
bro da congregação dá os dízimos dela na mesma, claro; porém, em seu ministério, ela está
recebendo dízimos de pessoas que estão se congregando a ele. O que fazer com estes dízimos?
Ela concluiu que deveria dar 10% dele ao Senhor, ficando com 90% para desen-
volvimento do seu Ministério. Mas e os 10% como fazer?
Deliberamos a respeito, e o Senhor a orientou a depositar a importância em uma
poupança particular para que, quando Ele achasse necessário, ela pudesse usar. Aleluia!
Maranata!

30/09/2014 – Hoje teremos nossa reunião das 14:00hs. A miss. Ca. vai passar três
semanas no Japão, dando um curso do “Rhema”, de forma que, nas três reuniões seguintes a
esta, seremos só eu, minha esposa e outras pessoas se Deus quiser. Vamos ver as vitórias que
a miss. Ca. trará, do Japão. Aleluia!
Levei uma mocinha, hoje, a receber o batismo com o Espírito Santo pela internet e
ontem, numa festival de venda de orquídeas, instrui várias pessoas a como resolverem seus
problemas. Inclusive uma senhora, que instrui a pedir a Jesus para Ele a encher com o Espírito
Santo.
Ótima a reunião de despedida da miss. Ca. Tivemos uma Santa Ceia. Oramos por
inúmeras coisas que o Senhor nos ordenou orar, e para a desobstrução das nascentes de rios
do Brasil, que estão secando, e por chuvas para os mananciais de água potável.
O Senhor nos revelou que bruxarias, feitas nos rios, era que estavam matando os
mesmos. Oramos, expulsando os demônios que lá estavam e devemos ter chuvas fortes em
breve. Aleluia!
O inimigo atacou a miss. Ca. de várias formas: roubaram o cartão dela, ela discu-
tiu com o marido, um hospital dos EEUU mandou a conta do tratamento da filha dela, etc...
Tudo para ela desistir de viajar para o Japão!
Oramos para que o Senhor devolvesse em dobro tudo, o que o inimigo tinha leva-
do da irmã. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 39
Raiz Maldita
01/10/2014 – Várias vezes, me deparei com pessoas totalmente encurvadas, mãos
encrespadas, tortas como de bruxas, sofrendo de artroses, problemas mentais, cardíacos, insô-
nias graves, por causa da maldita raiz do ódio, que deixaram penetrar em seus corações e
nelas viraram arbustos venenosos!
O mais impressionante nestes casos, é como estas pessoas, ao serem informadas
de ódio ser o mesmo que assassinato não aceitar uma declaração da Palavra de Deus, sob o
argumento de más serem as pessoas que as maltrataram!
Já escrevi sobre este assunto, mas quero mostra-lo por outro ponto de vista. Creio
que estas pessoas pensam que, com seus ódios, castigarão as pessoas que lhes magoaram!
O fato é que aquelas pessoas podem estar bem longe, desfrutando deliciosas fé-
rias, tomando conta de seus negócios, felizes, saudáveis; sem a menor lembrança dos que os
odeiam!

99
É, o ódio não maltrata a pessoa que odiamos, maltrata a quem odeia. É por isso
que Jesus nos manda perdoar os inimigos e não odiá-los. Para nosso próprio bem!
Ah! Então quer dizer que Jesus abençoa quem nos maltrata? – perguntam os ton-
tos.
Não é por aí! Pense bem: você está acusando e assassinando (odiando) alguém
que lhe fez isso ou aquilo, mas não pensa em que assassinar é pecado mais grave do que o
que acredita que aquela pessoa lhe fez! Já pensou nisso?
Imagine a situação de um chefe que, em certo momento, dá um cargo a outro
funcionário, menos qualificado que você, quando você tinha certeza de que iria ficar com aque-
le cargo, e ganhar muito mais, para sustentar sua família!
Você fica com ódio daquele chefe, mas, só não sabe é que ele não lhe deu aquele
lugar, só para ver como você reagiria; porque ele tinha um cargo muito melhor, vago, para o
qual este cargo, precisava de uma pessoa bem equilibrada emocionalmente!
Aí, você ficou com ódio do chefe, que só queria lhe fazer um bem, e tem certeza
de que está correta em desejar a morte dele! Loucura, por cima, não recebe o cargo, por sua
própria culpa!
Esse é só um exemplo hipotético, mas, no momento em que odiamos, deixamos o
demônio da morte penetrar no coração; e não será o coração da pessoa odiada, que irá enfer-
mar! É disto que precisam aprender os odiadores!
Existem pessoas, iracundas por natureza. Qualquer coisinha, pipocam!... Elas têm
um problemão pela frente: vencer esta natureza miserável é difícil, mas confessar os crimes a
Jesus é fácil!
Eu e minha esposa estávamos comparando a vida de duas irmãs: uma, procedente
de uma família em que o ódio é sentimento fundamental; outra, que falou para minha esposa
que nunca odiou ninguém, sequer guarda mágoas, perdoa facilmente a todos...
Ambas são pessoas idosas, quase mesmas idades, filhas de Deus, batizadas com o
Espírito Santo, acreditem! A primeira está com mal de Alzheimer e outras enfermidades; a se-
gunda está totalmente lúcida, dona da própria vida.
Enquanto você é jovem, seu corpo suporta muitos estresses; ele pode ir driblando
as ações do inimigo em seu ser, automaticamente, sem você nem saber que o diabo penetrou
quando você teve ódio...
Mas, com o tempo, seu corpo não tem como driblar tantos estresses e feridas;
chegada a velhice, vão se rompendo os diques de ódios e amarguras não tratadas com confis-
sões sinceras e, então, podemos dizer já ser quase impossível vitórias sobre os inimigos, que
reinaram naquelas áreas do seu ser; principalmente se você congrega em igrejas frias, onde o
Senhor Jesus não tem permissão de curar nem libertar ninguém.
Assim o diabo vai lhe roubará anos de vida saudáveis e produtivos dos quais, você
poderia usufruir! Que pena!
Quando Jesus nos diz que a Ele compete o julgar, está nos dizendo, também, para
não nos preocuparmos em como irão se sair nossos inimigos.
Ore por eles! Mas, lembre-se, só faz sentido orar por um inimigo que não mata-
mos!
Caso contrário, estaremos orando por um defunto e isto não tem o menor valor
para Deus; e quem age assim, não confessou seus crimes de: morte!
Também, quando uma pessoa mata os que lhe magoam, ao orar o Pai Nosso, es-
tará pedindo a Deus para lhe perdoar da mesma forma que ela perdoa: matando! Já pensou
nisso?
“Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos”...
Além disso, quando se participa da Ceia do Senhor com amarguras ou ódios, pode-
se adoecer ou até morrer, sabia? Leia a Bíblia!

100
Antes de orar pelos que odiou, obrigatoriamente, você tem de: ressuscitar os
mesmos em seu coração, confessando a Jesus tê-los matado.
Como Deus não perdoa pecados não confessados; você não será perdoado de
ódios não confessados e, nestes casos, os demônios da morte, que penetraram em seu coração
quando odiou, continuarão seus trabalhos mortíferos contra você!
Enquanto somos jovens, devemos procurar tomar posse de todas as áreas de nos-
sa vida (corpo e alma) para Jesus; ou, nas áreas em que deixarmos os demônios habitando,
eles continuarão a trabalhar furiosa e invisivelmente, contra nós. Pode ter certeza!
Portanto, não se apoie nas razões lógicas que teve para odiar A ou B. Principal-
mente seu pai e mãe; pois, nestes casos, seu pecado ainda é maior; pois, além de mata-los (se
os odiou) você também terá desonrado os mesmos e, só isso, já serve para tornar sua vida
sem prosperidade e longevidade.
Se não sabia disso, saiba agora: NÃO DESONRAR PAI E MÃE faz parte dos Dez
Mandamentos de Deus! Por pior que sejam seus pais, tem de: perdoá-los.
O correto é julgue sua vida, não a vida dos outros; trate de se livrar de todas as
raízes de amarguras e, principalmente: dos ódios.
O castigo dos que lhe maltrataram é problema de Deus não, seu. Se é que eles lhe
maltrataram mesmo; pois, tais fatos podem ter sido só frutos de sua imaginação, envenenada
pelos demônios, que desejavam abrir uma porta, para penetrar em você!
Como saber se teve ódio ou apenas uma zanga contra alguém?
É a coisa mais fácil do mundo: toda vez que você desejou NUNCA MAIS VER, ou
FALAR ou OUVIR alguém que lhe maltratou, naquele momento, ficou: CEGO, MUDO OU SURDO
de ódio!
Confesse cada ódio como crime de morte sem mais nem menos, enquanto ainda
tem tempo de recuperar áreas preciosas de seu ser, para Jesus; antes que o inimigo lhe traga
doenças pelas quais, você nem sequer se lembrará do próprio nome ou viverá como um zumbi
ou um ET, se arrastando na Terra. Misericórdia!
Maranata!

Capítulo 40
“Mea Culpa”
03/10/2014 – É espantoso quanto os filhos de Deus do Brasil são inertes, conside-
rando que, de acordo com pesquisas do IBGE, já existem 18% de filhos de Deus, nesta terra!
Deus disse que muito pode a súplica de um justo, ora se existem 18% deles no
Brasil, onde estão?
A cada ser humano que nasce de novo, e se torna um filho do Altíssimo, Deus dá-
lhe Poder e um Domínio para gerir:
“O Senhor enviará de Sião o cetro do teu poder. Domina no meio dos teus inimi-
gos.” (Salmo 110.2).
Pelo que vemos, no Brasil, pouquíssimos estão dando valor ao cetro de poder que
receberam e tomando conta do reino, que lhes foi dado para dominarem; porque este país
continua a ser saqueado por todos os lados, acuado pelo crime organizado, gerido por mal ges-
tores, roubado até de suas fontes de águas, imprescindíveis à vida!
E os filhos de Deus não se mexem!
Será que os filhos de Deus, nascidos no Brasil, só têm por missão ajudar a África?
É o que parece, a maioria que conheço só sonha em ser: missionário na África!

101
Se forem ser missionários na África, como são no Brasil; coitada da África!
Acho que estas declarações deles são apenas para colocarem para bem longe, as
possibilidades deles se moverem como filhos de Deus! Desculpas, para não fazerem nada aqui.
Falando da água potável, enquanto os bruxos fazem suas bruxarias nas fontes e
rios, matando tudo, contaminando-os com demônios; o que fazem os filhos de Deus a respeito?
Eles reclamam do governo e das autoridades que não tomam providências!
Mas que autoridades?!
Vocês são as autoridades maiores, irmãos, vocês, os Filhos do Altíssimo são as au-
toridades constituídas por Deus, para gerirem a Terra contra as forças do mal!
Acordem, por meio de orações, corretamente feitas, podem mudar a face do Brasil
e, ao invés de sermos contados aqui como 18%, passarmos para 100%, do dia para a noite!
O céu é o limite para um filho de Deus. Mas, para o filho de Deus que age como
Filho de Deus!
Não para aqueles que nascem de novo e continuam atrelados às velhas doutrinas
de suas congregações, presos a pastores que, muitas vezes, sequer são ungidos do Alto!
Da terra a terra, do pó ao pó, estes últimos vegetarão até serem libertos do espíri-
to de rebeldia ao Senhor; quando deixarem definitivamente este corpo do pecado, e dormirem.
Aí, já não serão mais úteis aqui!
E por isso a coisa tarda! Deus tem de enviar substitutos e substitutos e, enquanto
estes novatos não se mostrarem conscientes do Cetro de Poder e do Reino que têm a dominar,
as bênçãos continuarão, só na esperança: pingo a pingo!
Já ajudei a algumas pessoas a receberem o Poder do Alto e, depois de certo tem-
po, ao ter novo contato com elas, tive uma surpresa: informaram-me que nada aconteceu, não
sentiram nada!
A geração atual quer estar sempre sentindo uma comichão no corpo, para ter fé
no que a Palavra diz. Não comichou: não aconteceu, não funcionou!
Enquanto isso, muitos que não são batizados com o Espírito, não nasceram de no-
vo, se mostram como se tivesse sido convertidos em filhos de Deus, com seus “dons” de sapa-
tear no meio da igreja, cair para trás, chorar, tremer ou “profetizar” sem produzirem nada de
bom!
Como o diabo deve rir desses irmãos! Esses que não são e se mostram como sen-
do; falo dos que já nasceram de novo, de fato, e não mostram um ato sequer de sua Autorida-
de e Poder sobre a Terra. É triste!
O interessante é que muitos a quem procuro estimular e pergunto quais dons do
Espírito já fluíram de sua pessoa, saem de lá todos “sábios”, alegando que não são exibidos e
sim humildes, e tudo que fazem fica entre eles e Deus!
Na verdade entre eles e Deus não existe nada, só vácuo!
Pô, nem sabem o que Deus diz no Evangelho que a Luz (dons do Espírito) é para
ser colocada num velador (lugar bem alto) para iluminar a todos; e não escondida debaixo da
cama!
Misericórdia!
Maranata!

A reunião das 15:30 foi ótima. A irmã Al. nos falou que o Senhor lhe tinha dito
(quando ela ainda estava em casa) que, na reunião, aconteceriam maravilhas e ficamos entusi-
asmados.
Em certo momento vi uma gameleira com três raízes fortes prendendo-a ao chão.
E percebi que cada raiz apontava, exatamente, para onde estava cada um dos participantes da
reunião.

102
O Senhor me fez falar aos irmãos sobre o que me tinha mostrado pela manhã, so-
bre o que escrevi no capítulo acima, deste livro. Ele falou-me que nos deu Autoridade e Poder
sobre a Terra e, ao invés de usá-los, os irmãos ficam reclamando pela ajuda das autoridades
seculares, para resolverem os problemas terríveis que a sociedade enfrenta; e que são gerados
por espíritos malignos.
Nós, os Filhos do Altíssimo é quem somos as autoridades espirituais, reconhecidas
por Deus na Terra, capacitadas para mudar tudo! Nós é que temos de mudar a face da Terra,
para a vinda do Rei.
Então, oramos para o Senhor operar na vida de todos os irmãos, dando-lhes ousa-
dia e despertando-os do sono mortal no qual vivem.
Depois dessa oração, a irmã viu aquela gameleira com inúmeras raízes fortes. Ale-
luia!
Logo em seguida orarmos para que as congregações deixassem de brigar umas
com as outras, e se ocupassem em fazer a vontade de Deus e a irmã Al. viu uma fileira enorme
de tendas de campanha. A primeira delas acendeu-se e passou o fogo para a outra, aquela
para outra e, seguidamente, até a última delas. Aleluia!
Falei sobre as fontes de água potáveis, que os bruxos tinham contaminado, e ora-
mos para que fossem restauradas e o Senhor nos ouviu.
O Senhor mostrou-se irado com as práticas imundas do povo e, lembrei-O que nós
estávamos aqui, entre eles; pedimos misericórdia e oramos para que fossem abertas as tornei-
ras do céu, para derramarem água nos reservatórios do Brasil.
Todos os pedidos foram atendidos e, já estava no final da reunião, quando pensei
sobre quais maravilhas Deus faria e, só então, me dei conta de como só consideramos fantásti-
cas, as obras de Deus tais como: curas, libertações, ressuscitações que virmos!
Mas devemos CRER para ver a realização de todas as promessas que Ele nos faz. E
que milagres maiores que estes, os quais o Senhor fez, hoje, pelos irmãos, e pelo Brasil inteiro!
Só quem só quer viver pelo sentir não é capaz de enxergar; mas, quem tem os
olhos abertos, esse vê, antecipadamente, sem sentir! Aleluia!
Maranata!

04/10/2014 – Como o Senhor é fiel! Maravilhoso!


Hoje pela manhã, quando acordei, vi que minha esposa tinha saído com o meu
carro e perguntei à minha filha se sabia por que. Ela me informou que faltou combustível no
carro da mãe!
Eu e minha esposa nunca, jamais, ficamos na rua por falta de combustível, por is-
so fiquei intrigado.
- Puxa! Saiu justo com o meu, que também já está em tempo de ser reabastecido!
– tentei e tentei ligar para minha esposa, para ela encher o tanque, e uma mensagem da OI
(telefônica) me dizia que eu devia gravar a mesma, alegando que só iria pagar a partir do sinal
para gravar...
Liguei novamente e, lá vinha a maldita mensagem...
Fiquei desconfiado, mas, meu telefone fixo estava preso naquilo. Resolvi usar meu
celular, cuja operadora é outra, e deu a mesma coisa! Isto devia ser coisa de “hacker”!
Chateado com a impossibilidade de me comunicar com minha esposa, desisti.
Pela internet ainda tentei contatar a OI a respeito daquela mensagem estranha,
mas a moça que atendeu só entendia de vendas; daí, desisti de qualquer outra ação a respeito.
Quando minha esposa chegou, vimos uma maravilha que o Senhor tinha feito.
Ela notou que o tanque do meu carro estava com pouco combustível e resolveu
completa-lo, sem me consultar. Aleluia!

103
O frentista, por sua vez, resolveu examinar a água e os óleos do meu carro (outra
Aleluia!) e eis, aí, a maravilha: estava quase sem líquido refrigerador (tinha apenas um dedo do
mesmo!); faltava óleo de direção e de freio; e o óleo do motor já estava passado... Misericór-
dia!
Em resumo, o motor de meu carro teria fundido se eu (e não a minha esposa) ti-
vesse saído com ele. O fato é que, há mais de dois meses, vinha sendo alertado pelo Senhor
(só agora percebi isso!) para examinar tudo aquilo.
Mas, como os instrumentos do carro mostravam tudo OK, não me preocupei, pen-
sando ser coisa de minha cabeça. Além disso, estava com alguns problemas bem chatos, para
resolver e fui deixando para fazer um exame geral no carro: quando fosse trocar o seu óleo do
motor, o qual estava só com poucos quilômetros de vida!
Gosto muito de meu Corsinha! É simples, barato, mas ligeiro, extremamente efici-
ente e confortável. Foi ótimo o Senhor não ter deixado acontecer nada com ele; apesar de mi-
nha surdez em ouvi-Lo. Aleluia!
Maranata!

07/10/2014 – A reunião da l4:0Ohs foi ótima. Como a miss. Ca está no Japão, só


participamos: eu e minha esposa. Oramos por tudo o que o Senhor mandou. Não tenho nada a
contar aos irmãos a respeito, a não ser que, já é a segunda reunião que faço apenas com mi-
nha mulher, e o Senhor determinou que as mesmas durem apenas meia hora, e não uma hora
completa, como é normal, nas outras reuniões que fazemos.
Maranata!

Capítulo 41
Reino de Deus e Reino dos Céus
“O Senhor enviará de Sião o Cetro do Teu Poder. Domina no meio dos teus inimi-
gos”, Salmo 110.2.
Certas coisas podem parecer de pouca importância para muitos, porém, prefiro en-
sinar aos meus leitores tudo o que o Senhor me ensina, porque, não creio que o que Ele se
deu ao trabalho de me fazer saber possa ser: insignificante.
E uma das coisas que Ele me ensinou, foi da diferença entre Reino de Deus e Rei-
no dos Céus.
Na maioria das vezes os irmãos usam uma coisa pela outra e ninguém se dá conta,
mas está torcendo a Palavra de Deus e, quando fazemos isso, o diabo arregala os olhos e es-
frega uma mão com a outra, pensando em como lucrar com esta brecha.
Se observarem bem, irão ver que: quando Jesus se refere a Reino dos Céus, está
se referindo ao Reino onde Deus manda absoluto, ao reino d’Ele no Céu dos Céus, onde andam
os anjos.
Já, quando Jesus se refere ao Reino de Deus, está se referindo a Deus reinar na
Terra; o que Ele tem de conseguir por meio de algum homem que lhe seja obediente; por um
Filho de Deus!
É para esse reino que Ele envia o Cetro do Poder d’Ele, para que o homem que lhe
é obediente exerça autoridade em Seu Nome (Jesus é o Nome d’Ele) para dominar no meio dos
inimigos de Deus, que infestam a Terra.

104
Tudo isso nos remete ao que já escrevi antes, sobre o salvo se tornar um Filho de
Deus com Autoridade e Poder e, aqui, temos de alertar os salvos, de todas as congregações
cristãs, para ver se eles já obedeceram ao que Deus nos ordena nestes dois versículos, que
mostram uma doutrina bíblica a não ser desprezada:
a) “Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo.” João
3.7.
Explicando: Este versículo mostra o novo nascimento ser uma necessidade pa-
ra o cristão, esclarecemos mais que: “O que é nascido da carne é carne, e o
que é nascido do Espírito é espírito”, João 3.6.
b) “... mas enchei-vos do Espírito”, Efésios 5.18.
Já este versículo é uma ordem de Deus para o salvo receber o novo nasci-
mento!
Para os irmãos que insistem em que todo que aceita Jesus como Salvador já nas-
ceu de novo e é filho de Deus, deixo o versículo:
“Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o po-
der de se tornarem filhos de Deus” João 1.12.
Portanto, irmãos renitentes, que não querem dar um passo de fé para mostrar que
são crentes de verdade; cuidado, pois o Reino de Deus ainda não está em suas vidas. Vocês
andam pela carne, pelo raciocínio, pela teologia estéril.
Lembrem-se do que o Senhor falou:
“... o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da
letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.” 2ª Corintos 3.6.
E se você pensa que é crente, é bom conferir o que você chama de crente, com
quem Jesus considera crente; pois, o que você acha, não vale bulhufas no Reino de Deus, mas
o que Jesus acha, e Ele diz:
“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demô-
nios; falarão novas línguas; se impuserem as mãos enfermos serão curados...” Marcos 16.17.
Agora, se você ainda quer ir contra tantos testemunhos da Palavra, pode ir, mas
não deve, porque se continuar neste caminho, irá sobrar no Arrebatamento e, a grande pergun-
ta que faço é:
- Será que você vai suportar todo martírio a que o Anticristo o submeterá durante
a Grande Tribulação, e não se deixar marcar pela Besta?
Lembre-se, todo aquele que se deixar marcar pela besta será condenado e, você,
que se julga salvo hoje, fraquejando diante das torturas, pode aceitar ser marcado e se tornar
um daqueles sobre os quais a Palavra diz:
“... perderão o que julgam ter”.
E, assim, não gozará do Reino de Deus na Terra, e perderá a chance de viver no
Reino dos Céus, na eternidade. Que peninha!
Só por causa de uma teimosia idiota. Misericórdia!
Maranata!

10/10/2014 – Ótima reunião a das 15:30hs. O Senhor nos ensinou maravilhas. E


cada um de nós reivindicou uma vitória que tinha perdido por ter se deixado levar pelas mutre-
tas do diabo.
O Senhor foi categórico: “Meu justo viverá por fé” e não admite de maneira algu-
ma, que não creiamos em algum ponto de sua Palavra.
Muitos perdem curas, porque não acreditam em que:
“... pelas Suas pisaduras FOMOS curados” (Isaías 53.5) .

105
No final a irmã Cr. falou a respeito da situação dos homossexuais e criou-se um
debate, onde cheguei à conclusão, que, cada caso será um caso, e não devemos considerar
esta distorção sexual, como um todo.
Posteriormente, a irmã Cr. me informou que, durante esta reunião, recebeu uma
cura. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 42
Igreja Culpada por Homofobia?
Ao terminar nossa reunião de ontem, uma irmã nos falou que o Senhor estava
querendo que ela dissesse algo que a estava preocupando; aquietamo-nos para ouvi-la, e ela
falou:
- É quanto a questão do homossexualismo! O Senhor me falou que a Igreja será
culpada pelos milhões de homossexuais que irão para o inferno, porque as congregações não
os aceitam.
E nos perguntou: Por acaso o pecado deles não é igual a qualquer outro pecado?
As igrejas aceitam esquizofrênicos, paranoicos, etc., por que não aceitam os que são contami-
nados desde o útero, pela pomba gira?
Parecia uma declaração legítima, mas, só parecia; porque fiquei pensando em que
faria se fosse pastor e homossexuais resolvessem se filiar à congregação, que me tivessem
confiado. Minha única conclusão foi: graças a Deus não sou pastor!
Ao dizer o que eu achava, criou-se leve debate e, amigavelmente, resolvemos dei-
xar a questão para cada um meditar a respeito.
Meditei.
1º) Pensei: Jesus diz que a noiva dele, a Igreja, é sem rusga, nem mácula; como é
que Deus a estava acusando de pecado tão grave?
2º) O homossexualismo é um pecado igual aos outros?
Vamos examinar está segunda pergunta.
O homossexualismo até parece ser pecado igual aos outros; mas, ninguém vê em
lugar algum da história humana, adúlteros, ladrões, assassinos, esquizofrênicos, filhos que de-
sonram o pai e mãe, exigindo mais direitos do que os outros, nas leis dos seus países! Isto já
mostra uma diferença brutal entre homossexualismo e demais pecados!
Nenhum ladrão, assassino, ou adúltero, ganha o direito de, em locais públicos,
praticarem seus pecados em nome de uma liberdade social, impingida por um grupo minoritá-
rio! Tem diferenças aí!”... Não tenho dúvidas.
Quanto ao pecado de omissão da Igreja, vamos fazer um paralelo. Voltemos no
tempo, para a época em que Jesus já, com seus trinta anos, batizado com o Espírito Santo,
espalhava o Reino de Deus pela Terra: libertando, curando, orientando as pessoas para a Luz.
Seria Ele culpado porque: pecadores da Índia, China, Américas, Portugal, Europa
inteira, estavam indo para o inferno; porque Jesus não pode lhes ensinar o Caminho da Verda-
de e da Vida?
Creio que não! Ninguém pode imputar pecado a Jesus e isso, por si só, já seria
resposta.

106
Da mesma forma as congregações cristãs não são culpadas, por não conseguirem
segurar a onda de homossexualismo que varre o mundo, nem as outras ondas malignas como
as da: rebeldia, crimes, roubos e assassinatos de hoje.
As congregações podem minorar muito, segurar a barra, até o retorno de Jesus;
isto podem. Mas é fato que nem toda congregação faz isto e, algumas até prejudicam o Reino
de Deus!
Está escrito Marcos 6.56, que:
“Onde quer, pois, que Jesus entrava .....: todos os que a tocavam ficavam cura-
dos.”!
Não houve nenhuma mudança em Jesus, hoje Ele é o mesmo; Jesus não muda:
“é o mesmo ontem, hoje e eternamente” (Hebreus 13.8); quem O tocar (pela fé)
será curado de suas mazelas.
A Igreja é o corpo de Jesus na Terra, porém, como Jesus naquele tempo, SÓ
quem tocar Jesus, será curado! Através da Igreja ou não.
A Igreja não é responsável pelos que não recorrem a ela!
A Bíblia nos ensina que devemos ser: “simples como as pombas e prudentes como
as serpentes” (Mateus 10.16), por isso, cada caso será um caso, e não devemos ver as coisas
hipoteticamente, ou aceitar acusações de “Deus” contra Sua Igreja. Porque não é Deus quem a
acusa.
Outro fato, que me veio à mente, foi que devemos nos lembrar de que Deus nos
escolheu antes da fundação do mundo, como Sua propriedade exclusiva. E não toscaneja nem
dormita o guarda de Israel; disso tenho sobejas provas.
Quantas vezes, na minha vida de homem carnal, me meti em problemas sérios,
por causa de meus pecados e de todos me livrou o Senhor; não permitindo que eu falecesse
sem salvação!...
Não foi uma nem duas vezes em que vi a morte bem na minha frente, e me entre-
guei, sem ver a saída... Mas o Senhor me livrou! Aleluia. Amem.
Assim, ele livrará cada um dos que a Ele pertencem, mesmo que todas as congre-
gações do mundo não o acolham, por este ou aquele motivo!
E, no caso de homossexualismo, pode haver muitos motivos válidos, como mostrei,
para os pastores quererem evitar receber tais pessoas em seu meio.
Na internet, por onde levo o Evangelho para as pessoas, já fui solicitado inúmeras
vezes, por homens que pediam que lhes acudissem privadamente, nas salas de bate-papo e, no
final, o que eles queriam mesmo, era me convidar para suas práticas homossexuais! Felizmen-
te, não tive nem tenho nenhum remorso de ter dito não, a estas pessoas.
Também já li testemunhos de pessoas que Jesus foi buscar lá, no meio do isla-
mismo mais feroz, e transformou em missionários Seus. E entre os islamitas, prezados, só pos-
suir a Bíblia já é caso de: degola!
Deus não esquece os Seus, agora, se for da Vontade d’Ele que eu ou você liberte
ou ore pela cura de um homossexual, Ele falará claramente; para que não nos metamos em
frias.
No mais, que todos fiquem na Paz do Senhor.
Maranata!

14/10/2014 – Hoje o Senhor me livrou das mãos de um inimigo. Diante dos repeti-
tivos apagões de meu PC, estava a procura de uma máquina nova, e recebi um e-mail de uma
grande firma nacional, me ofertando uma pechincha de notebook.
Este aparelho tinha tudo que eu queria e mais ainda, e pensei que só podia ser um
milagre do Senhor; por isso, resolvi compra-lo. No entanto, ele só era vendido por meio de
cartão de crédito e eu não tenho tal coisa, pensei em usar o de minha esposa.

107
Porém, já que iria usar o cartão dela, resolvi ser mais cuidadoso e examinar me-
lhor a oferta. Telefonei para a firma e perguntei se aquela oferta era deles!
E a resposta foi um NÃO. Eram piratas, querendo nos roubar, usando o nome de-
les.
Aquela máquina, que estavam me oferecendo por R$ 999,00, eles tinham sim para
venda, mas: por mais de R$ 6 000,00! Tratava-se de um golpe no qual, bandidos se apossam
de dados dos cartões de créditos, para lesar as pessoas.
Felizmente o Senhor me livrou mais dessa fria, já é a segunda vez, que o inimigo
quase me pega, me ofertando coisas que parecem legais!! Tenho de abrir, mais ainda, meus
olhos em compras pela internet, e ofertas mirabolantes. Aleluia!
Maranata!

A reunião da 14:00hs foi comigo, minha esposa e Jesus. Oramos por várias coisas
que o Senhor nos orientou a orar e não teve nenhuma novidade a mais. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 43
Orando por Curas
Tenho escutado muitas orações de irmãos que oram por cura, procurando usar
terminologia médica; não sei por qual razão, pois, não são médicos!
E o pior é que, tentando falar como médicos terminam se embaraçando, e fazendo
orações erradas, do que os demônios se aproveitam.
Vou dar um exemplo: Você vai orar por uma pessoa que diz estar com diabetes e
diz: Em Nome de Jesus ordeno que a sua taxa de açúcar fique normal, seu sangue fique, com
suas taxas normais. Em Nome de Jesus!
Pronto. Você falou bonitinho, mas, não expulsou o demônio que causa a doença
naquela pessoa, porque ela não tem diabetes e sim, outra coisa! E o diabo não vai reclamar, vai
ficar caladinho, talvez até deixando a taxa de açúcar normal, enquanto procura atacar noutro
órgão dela, com outra doença...
Temos de nos referenciar sempre, em todas as práticas cristãs, em: Jesus. Vejam
se Jesus alguma vez, se preocupou com taxa disso ou daquilo, com algo ser uma virose ou um
problema bacteriológico, etc. Não tente modernizar o Evangelho, só há um Evangelho e o Se-
nhor zela pela Sua Palavra.
Jesus mandava os espíritos de enfermidades sair e eles saiam, e os doentes fica-
vam curados! Porque quer acrescentar ou tirar ao que Ele ensinou?
Outro dia uma irmã me disse que gostava de ficar assistindo programas com médi-
cos pela tevê, para aprender com eles a respeito das doenças; a fim de saber como orar pela
cura das mesmas!
Eu, já faço o contrário; quando aparece um médico dizendo que isso faz bem para
aquilo e aquilo faz mal a isso; vou logo mudando para outro canal. Não quero ficar com minha
mente cheia desta filosofia médica me atrapalhando o agir pela fé, como Jesus agia.
Jesus já avisou que, dificilmente, um rico entraria no Reino de Deus. Ou seja,
uma pessoa rica de sabedoria humana (no caso, médica) terá mais dificuldade para se tornar:
“simples como uma pomba e prudente como uma serpente” (Mateus 10.16) ou, também, de
agir como uma criancinha!

108
Mesmo que você seja um médico, se vai orar por uma cura como um nascido de
novo, um filho de Deus, não aja como médico, porque senão, vai terminar tendo primeiro de
pedir aos doentes para fazerem uma série de exames, para você ler e meditar, antes de orar
por eles!
Os cristãos têm de agir na dimensão espiritual, não na dimensão material. Os re-
sultados da Autoridade e Poder deles irão se manifestar no mundo material, se determinarem
tudo, conforme a vontade de Deus. Aleluia!
Maranata!

17/10/2014 – Ótima reunião, embora não tenhamos nada de diferente para narrar
aos irmãos, a não ser um testemunho de minha esposa, que foi bastante singular.
Ele me contou que tinha acabado sua aula de natação e foi tomar banho, no ba-
nheiro do clube. Então, ouviu uma colega perguntando se tinha alguém ali (o recinto tem vários
banheiros femininos) e minha esposa disse que sim.
Sua colega disse que tinha medo de ficar só naqueles lugares porque, um dia, ela
e uma amiga foram atacadas por um bandido numa praia, e quase foram estupradas. O homem
as roubou, mas, naquele momento, ela disse alguma coisa mencionando o nome de Jesus, e o
meliante parou e devolveu tudo o que lhe tinha roubado e não as violentou.
Ela ficou traumatizada, mas admirada com o acontecido. Então, minha esposa fa-
lou que não tinha medo por que era propriedade de Jesus e:
“Posso todas as coisas naquele que me fortalece”, Filipenses 4.13.
Este versículo tocou tanto a mulher, que ela o anotou cuidadosamente no seu ce-
lular.
Em seguida, minha esposa lhe falou o versículo de Romanos 10.9:
“Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração
creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo.”
E lhe perguntou se ela queria aceitar Jesus como seu Salvador, e a mulher aceitou,
declarando alto e bom som, sua decisão. Devo notar que uma estava num banheiro e outra
noutro próximo, tomando banho, ambas.
A mulher também anotou este versículo (o qual pediu a minha esposa para repetir
devagar) e, depois lhe disse que ia enviar ambos, com as explicações recebidas, na mesma
hora, para uma amiga dela que estava precisando daquilo, na Suécia!
Já pensaram? Ainda no banho, minha esposa praticamente levou duas pessoas
para Jesus!
Antes mesmo de minha mulher se enxugar, se vestir, e sair do banheiro, a mulher
já tinha enviado tudo, para a amiga da Suécia.
Dou glória a Deus porque nos direciona a fazer coisas que nunca vimos nenhum
crente de carteirinha, fazendo por aí.
Dou graças ao Senhor, por ter visto coisas maravilhosas acontecerem, pela ousadia
de nossa fé. Aleluia!
Maranata!

109
Capítulo 44
O Enterro
24/10/2014 - Ontem fui ao enterro de uma contraparente, que levei a Jesus anos
atrás. Nem sabia que ela esteve doente! Soube no enterro. Passou dois meses sofrendo na UTI.
Pegou uma infecção no rosto, mal este que lhe penetrou nariz adentro, até o cérebro. Coitada!
Talvez não tivesse sofrido nada, se eu tivesse sabido de sua enfermidade e ido
orar por ela. Mas agora está na glória, isto garanto.
Outra amiga nossa está se acabando com câncer. Há tempo sentiu a doença, mas
resolveu andar pela fé e não disse nada a ninguém, apenas procurando por cura divina. Final-
mente, a coisa não pode mais ser escondida e o câncer já tinha feito uma devastação nela! Está
entre a vida e a morte, num hospital; só um milagre de Jesus!
Outra amiga que levei para Jesus, também de idade avançada, já não reconhece
nem mais o filho, que mais amava!
Estava matutando, pensando nestas coisas, principalmente, nesta com câncer.
Trabalhou muito nos hospitais para cancerosos, onde visitava os enfermos, lhes falava de Jesus
e orava por eles... Só poucos anos atrás vim a conhecê-la e saber de seus trabalhos.
Perguntava-me: como ela está com câncer! Por que nossas orações não a cura-
ram?
Então uma irmã que conhecia a enferma, me lembrou de duas coisas: a primeira,
foi que esta irmã era dada a ódios bem fortes; a segunda foi que, talvez, a fé dela não estives-
se correta. Aliás, certamente, a fé dela não estava correta!
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto
rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de
mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.”
Oséias 4.6.
Muitos irmãos não entendem bem o que significa a Salvação pela Graça e volta-se
a trabalhos extenuantes e obras exaustivas, para agradar ao Senhor; talvez, até inconsciente-
mente, para pagar seus pecados, mas, se esquecem do que Ele diz:
“Pois misericórdia quero, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que
os holocaustos.” Oseias 6.6.
Infelizmente os irmãos que acreditam que podem ganhar a graça de Deus median-
te seus esforços e sacrifícios estão andando no caminho errado; menosprezando o único Sacri-
fício que Deus aceita como remissor de pecados: o Sacrifício de Jesus.
Assim, com o passar do tempo, se não escutarem os insistentes chamados de
Deus, para voltarem para o caminho da fé escorreita, perecerão de forma inglória; pois, é Lei
de Deus que;
“... o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele”,
Hebreus 10.38.
Quem sabe estes versículos expliquem tudo a respeito! Deus é perfeito e não ad-
mite imperfeições. Dá tempo a todos para consertos, até avisa os errados a respeito. Mas,
quem não dá atenção ao que Ele fala, termina enfraquecendo e, com a idade, seus males vão-
se somando e somando e, só um: milagre!
Se você não acredita em tudo o que diz o versículo abaixo, está com problemas.
Com certeza, está no caminho errado, e essa sua fé não vai leva-lo pelo Caminho da Vida.

110
“... Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das
nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos
sarados.” Isaías 53.5.
Não se deixe enganar, sua teimosia doutrinaria não vai lhe ajudar na hora do aper-
to; o inimigo está atento e o tempo urge. Examine bem a Palavra, veja se não descobre ne-
nhuma incongruência na sua versão bíblica. O assunto é sério. Tem que conhecer exatamente o
que Deus quer ou, se dará mal.
Por exemplo: em minhas versões bíblicas o versículo de João 16.23 diz:
“Naquele dia nada Me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo que tudo
quanto pedirdes ao Pai, Ele vo-lo concederá em Meu nome.”
Só, ultimamente, foi que ouvi o pastor R. R. Soares informar que, uma palavra
desta tradução não está correta, e a palavra pedirdes deve ser trocada por determinares,
então a frase correta deve ficar assim:
“...vos digo que tudo quanto determinares Ele vo-lo concederá em meu nome.”
Isto deve mesmo ser verdadeiro porque, se ficarmos pedindo curas a Jesus esta-
remos, claramente, dizendo que não acreditamos que pelas pisaduras d’Ele já fomos curados!
O engraçado, aqui, é que todos os evangélicos defendem prontamente, que já es-
tão salvos, porém, quanto às outras bênçãos como: curas e prosperidade, divergem!
Só acreditam numa parte do trabalho de Jesus e, assim, só gozarão das bênçãos
referentes ao que creem. Misericórdia!
Enquanto isso, iremos ter de presenciar: a irmã fulana morrendo de câncer, por-
que não creu que Jesus venceu o câncer por ela; o irmão beltrano morrendo de Alzheimer,
porque não creu em que Jesus venceu esta doença por ele; que o irmão sicrano morreu de
coração, ou de enfarte ou de AVC, porque não acreditou que Jesus venceu as doenças cardía-
cas e circulatórias por ele.
Não sai de minha mente aquele primeiro versículo que citei acima:
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto
rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de
mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.”
Oséias 4.6.
Misericórdia. É doloroso!
Maranata!

24/10/2014 – Ótima a reunião das 15:30hs. Todos os que participaram notaram


que estavam sendo duramente atacados pelo inimigo. Eu, inclusive, já cansado de tantas inves-
tidas de todos os lados, abri a Bíblia a esmo, e apontei o versículo.
Saiu um versículo de Neemias que fala das dificuldades que teve de vencer, quan-
do foi fazer o trabalho que o Senhor lhe ordenou, o: de levantar os muros de Israel e colocar-
lhes as portas.
Entendi que era isso que estava havendo conosco. O inimigo viu que estávamos
perto de chegar num ponto de nossas vidas, ao qual, ele não quer ver ninguém atingir e nos
tem atacado rijo, conforme lhe permita o Senhor.
Mas, imediatamente o Senhor nos mandou persistir na fé e não se agastar perante
estas manobras, porque a vitória será nossa; visto Ele estar conosco. Aleluia!
Oramos por várias coisas que Ele nos indicou, e eu vi um X de ferro no chão. Não
sabia o que era, mas o irmão Professor nos informou ser um sinal, que Ele tinha pedido ao
Senhor, a respeito de um assunto de seu interesse, e nos alegramos.
Vi um teclado de piano, porém, só com as teclas pretas. Interpretação: o Senhor
nos recomendava procurar bem o que Ele podia estar nos dizendo, por trás da letra.

111
17:30hs – a irmã Cr me telefona. Está sendo atacada ferozmente e pede para
orarmos a respeito. Pergunto-lhe qual o verdadeiro problema, e me informa que estão tentando
tirar o marido dela (que é avesso a Jesus) de um cargo.
Isso me levou a, antes mesmo de orar pelo caso, falar do que o Senhor me tinha
informado: o inimigo estava revoltadíssimo conosco, porque estávamos “levantando nossos
muros” com sucesso.
Inclusive nos tinha incentivado a continuarmos nossa luta contra estes principados
e potestades, nos enviando o versículo de Josué 1.7 que diz:
“Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, cuidando de fazer conforme toda
a lei que meu servo Moisés te ordenou; não te desvies dela, nem para a direita nem para a
esquerda, a fim de que sejas bem sucedido por onde quer que andares.”
A irmã muito se alegrou com a mensagem, e oramos para que o Senhor agisse no
caso do esposo dela. Aleluia!
Maranata!

28/10/2014 - Nossa reunião de hoje foi transferida para amanhã, afim de a


Miss.Ca., que chegou do Japão hoje pela manhã, possa descansar. Soubemos de muitas mara-
vilhas acontecidas no Japão. Aleluia!
29/10/2014 - Ótima reunião. A miss. Ca nos contou as maravilhas que acontece-
ram no Japão; e ficou abismada como, nos EEUU, igrejas evangélicas festejam o Halloween
(noite das bruxas) se enfeitando e fazendo oferendas!
O Senhor mostrou como o povo de Deus está cego, com vendas nos olhos; e ora-
mos para que aquelas vendas fossem tiradas dos irmãos.
Oramos pelo Brasil, oramos para que acontecesse um derramamento gigantesco
do Espírito Santo no mundo inteiro, pelas forças dos EEUU em combate no Oriente Médio, etc...
Tive a visão de um relógio de pulso dourado, cujo mostrador era negro e os pon-
teiros brancos. O Senhor estava me dizendo (há pouco comprei meu primeiro relógio dourado)
que aguentasse firme, que o Arrebatamento estava às portas, embora ninguém possa afirmar
dia e hora.
No final, tive a visão de um cocar de índio e, de repente, as penas do mesmo fo-
ram todas arrancadas, ficando só o aro que as sustinham, na cabeça.
A miss. Ca falou que aquilo significava que o cacique tinha perdido o poder, pois
isto é o que as penas representam: poder e autoridade. Falei que achava que aquilo era comi-
go; pois, ultimamente, me sentia assim, sem nenhuma autoridade e poder espiritual, sem obje-
tivos na vida...
Minha esposa confirmou isso dizendo-nos que, durante o último enterro ao qual
fomos, viu meu rosto como se expressando que eu não acreditava o que falava; o rosto de uma
mentira!
Exatamente o que eu andava sentindo, ultimamente!
Oramos, e eu retomei das mãos do inimigo todo poder, autoridade, e território que
o Senhor me tinha delegado; declarando que a ninguém daria tais coisas a não ser ao próprio
Senhor. Aleluia!
A partir daí senti-me fortalecido. Amem.
Maranata!

112
Capítulo 45
Crianças Assassinas
Nunca, em tempo algum, nestes meus 79 anos de idade, tinha sequer ouvido falar,
de: crianças assassinas! Hoje, isto é bastante comum em várias partes do mundo, e fiquei
tocado ao ouvir um comentarista da TV, perguntando a um especialista em leis, se isso não
seria motivo para mudança na menoridade; ao que o especialista falou algumas bobagens que
não adianta repetir.
Fui tocado não pelas opiniões daquelas pessoas, mas, pela completa cegueira espi-
ritual delas, que representa a cegueira de toda a humanidade a respeito do que está aconte-
cendo no mundo.
Estas crianças, que saem matando coleguinhas e depois se suicidam estão agindo,
exatamente, como os religiosos islamitas fazem em maior escala e com desculpa diferente! Se é
que têm desculpas! É preciso observar isto, para se perceba que algo bem diferente, está acon-
tecendo no mundo.
Quando os crentes falam em SINAIS DOS TEMPOS são levados na gozação, por-
que, durante 2.000 anos, vêm falando disso e nada aconteceu.
Guerras e rumores de guerras: nunca deixou de existir!
Mas outros sinais estão se somando a este de maneira alarmante, como: a morte
dos animais, da flora, as hecatombes como: terremotos, vulcões, enchentes, incêndios, desas-
tres de proporções dantescas, se avolumando; secas num lado, enchentes no outro...
Aos poucos os homens foram se acostumando e nem percebem o volume da coisa.
Não sei se já notaram o problema da água potável. Olho para o Sul do Brasil e
nem acredito! As represas estão cada vez com menos água, e ninguém se preocupando com
isso. Olho a situação política do Brasil e penso: quem diria!...
O Rio São Francisco está secando, o Rio Paraná também, aqui na Paraíba o açude
Boqueirão, que serve Campina Grande, já está abaixo do nível normal.
Somando-se à estas coisas o demônio da revolta mostra ter se apossado de multi-
dões, mundo afora; levando pessoas a se rebelarem contra isto ou aquilo, ou contra tudo e
todos, com ou sem nenhuma desculpa: para destruir e matar. Os mais organizados destes as-
sassinos, invocam o nome de Deus, de seus partidos ou, times de futebol; como desculpas para
seus crimes!
Uma grande quantidade de mulheres do ocidente tem se passado para servir ao is-
lamismo, onde sabem que não têm o menor valor como pessoas, e servirão de escravas, en-
quanto aqui, no mundo ocidental, outras querem serem livres... Mulheres ocidentais, acostu-
madas a fazerem o que querem se tornando escravas, por pura vontade? Não pode!
Segundo informes da ONU 15.000 jovens, do mundo inteiro, já fugiram de seus
países, para lutarem pelo islamismo. Quinze mil, pensem bem!...
A rebeldia (e a confusão) também agem contra o sexo estabelecido por Deus, e
pessoas de um sexo se rebelam, e resolvem ser do outro; muitas vezes se mutilando por cirur-
gias, para completarem o que acham Deus ter feito errado.
Para todo lugar que me viro, vejo o demônio tomando posse e declarando aberta-
mente: isto é meu!
Assim, ao tomar posse de: pessoas nações, flora, fauna, rios e mares, a morte
mostra seu rastro nefando...
Os filhos de Deus parecem andar dormindo ou, cegos ao que ocorre.

113
Uma irmã que passou dois dias nos EEUU, esta semana, chegou escandalizada, e
me contou que é “festa” do “Dia das Bruxas” por lá; e as igrejas evangélicas estavam enfeita-
das a caráter e seus membros saindo para fazerem suas declarações de “doces ou travessuras”,
como se também fossem filhos do mundo das trevas!
A consciência do mundo espiritual parece estar totalmente obliterada, na mente do
homem moderno, e isto é outro: SINAL DOS TEMPOS; não se enganem!
Enquanto isso, nossos dois grupos de orações vem lutando e lutando, para mitigar
a sombra maligna que vai engolindo o planeta; orando ainda mais para que, noutros lugares,
irmãos acordem e comecem a agir, enquanto o Senhor não retorna. Aleluia!
Maranata!

31/10/2014 – Nossa reunião das 15:30hs foi ótima. Porém voltada mais a orarmos
pelo que o Senhor nos ordenava. Pedimos um grande derramamento do Espírito Santo, oramos
pelo povo árabe, pelos judeus, pelas congregações que estão cegas e não conseguem enxergar
o caminho em que andam, pelo Brasil, etc...
Enfim, fizemos o nosso trabalho. Quanto a ascensão do comunismo, cada vez mai-
or ao Poder, também temos orado, e não devemos temer; pois, o Senhor tem as rédeas de
tudo.
Maranata!

04/11/2014 – A reunião das 14:00hs foi ótima. O Senhor nos disse que ela servia
para que eu, a miss. Ca e minha esposa, renovássemos nossas forças, fôssemos instruídos e
aprontados para nossos ministérios. Cada um tem um.
Deu-me uma unção especial para pregar, de forma diferente, não como antes.
Ainda não sei como é isso. Só quando vier a prática.
Em certo momento tive a visão de mim mesmo pregando, porém, o estranho era a
plateia, que era composta por pessoas jovens extremamente atentas. Não se ouvia um som, só
víamos olhos arregalados.
Irmãs me informaram que o Senhor disse que eu, antes, pregava “informalmente”
mas agora seria: diferente. Aleluia!
Tive a visão de um sete, porém, em espelho (ao contrário), em frente minha espo-
as, e entendi que o Senhor estava dizendo a ela que ela não era tão perfeita quanto pensava.
Imediatamente ela pediu perdão e vi o sete ficar na posição correta. Só que, uma
nuvem branca o cobria até dois terços da perna do número sete. Entendi isso ser, porque mi-
nha esposa tinha entregado sua vida a Jesus, mas, não toda, faltava ela entregar aquela parte
das suas pernas. Ela gosta de viajar e, quando decide isso, não tem quem a faça voltar atrás.
Da mesma forma, ela fez uma entrega completa e a nuvem a cobriu totalmente.
Depois, me vi defronte de uma plantação de trigo, jovem, cheia de vida, mas plan-
tado tão perto, pé de trigo a outro, que não dava para ninguém penetrar no trigal. Na visão
fiquei diante, parado, sem saber o que fazer...
Uma irmã falou que, já que eu não podia penetrar no trigal, porque não pregar pa-
ra os pés de trigo, do extremo dele?
Aceitei isso, por enquanto; mas acho que o Senhor tem algo mais a me dizer com
esta visão!
No total, fomos renovados, podados, reorientados. Minha esposa foi liberta de al-
gumas coisas, o Senhor ouviu nossas orações por Israel e o mundo árabe, pelo Oriente (asiáti-
cos), e por várias outras coisas, pelas quais o Espírito nos orientou a orarmos, e eu recebi uma
nova forma de pregar a Palavra. Aleluia!

114
Findou, lembrando-nos que tudo tem de ser realizado pela fé. Que o Pai não acei-
ta nada que não provenha da fé.
Maranata!

CAPÍTULO 46
ESCRAVOS E ESCRAVIZADORES
07/11/2014 – Hoje, pela manhã, exortei um irmão, que não tinha percebido ter ca-
ído numa armadilha diabólica. Ele tem um ministério semelhante ao meu, via internet e, hoje,
ensinava que, quando os brancos escravizaram os negros africanos e os trouxeram para o Bra-
sil, trouxeram com os mesmos os seus “deuses” e religiões das quais, os brancos terminaram
se tornando escravos.
Os brancos escravizaram os negros fisicamente, os negros escravizaram os bran-
cos, espiritualmente. Que jogada do diabo!
Eu nunca tinha percebido este ataque do inimigo! E, lembrem-se, escravos negros
não foram exportados só para o Brasil, mas, para todos os cantos da Terra!...
O irmão, no entanto, errou num ponto, que só percebi depois que ele deu longas
explicações, sobre cada deus afro e sua aculturação ao catolicismo.
Quando percebi o erro, interrompi-o e lembrei-o que, ao ensinar aquilo, citando
minuciosamente nomes e características de tais “deuses”, estava despertando em pessoas que
nunca pensaram naquilo, uma curiosidade diabólica.
O irmão entendeu rápido, e pediu perdão por seu erro ao Senhor. Mas, depois, o
Espírito lembrou-me que ele tinha de destruir todos os livros que tivesse a respeito do assunto,
e ele me informou que conseguiu tudo pela internet.
Neste caso, disse-lhe, tem de pedir perdão ao Senhor, e reconsagrar seu PC. Por-
que o inimigo não dorme em serviço.
Por que o irmão estava errado ao ensinar, assim, aquelas coisas?
A Palavra diz Deuteronômios 12.3:
“... e derrubareis os seus altares, quebrareis as suas colunas, queimareis a fogo os
seus asseras, abatereis as imagens esculpidas dos seus deuses e apagareis o seu nome
daquele lugar.”
Tem irmãos que ainda resistem em fazer esta última coisa, sob a desculpa que
Deus lhe deu autorização para estudar aqueles assuntos, a fim deles poderem ensinar os
outros a não caírem no buraco!
Esta desculpa não casa com a Palavra de Deus, que declara que não devemos
considerar ninguém como Mestre, Guia, Rabi ou Pai e só devermos ter apenas UM: Mestre,
Guia, Rabi e Pai; conforme os versículos abaixo confirmam:
“Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi (= Mestre); porque um só é o vosso
Mestre, e todos vós sois irmãos. E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é
o vosso Pai, aquele que está nos céus. Nem queirais ser chamados guias; porque um só é o
vosso Guia, que é o Cristo.” Mateus 23.8-10.
Oras, se nós formos ler livros de “autoridades” religiosas estaremos, claro, acei-
tando tais autoridades como nossos Mestres ou Guias; não importando a desculpa que dermos;
porque, estaremos querendo aprender com eles, sobre aquela religião!

115
Imediatamente, o diabo vê e age, confundindo a mente destes estudiosos, que lo-
go passam a acreditar que Deus lhes deu permissão para: agir contra Sua Palavra!
Isto será a primeira coisa que estes alunos não conseguirão enxergar e, daí, para
frente, só terão mais problemas; pois, caíram no laço do passarinheiro!
Se não pararem, imediatamente, o laço será apertado mais e mais, até a morte.
Misericórdia!
Uma coisa que devemos ter sempre em mente é que o diabo é o pai da mentira.
Portanto, tudo o que ele diz é mentiroso. Quando um mestre daqueles diz que o deus tal é o
deus da selva, outra é deusa do mar, outro ou outra é isto e aquilo ele está, simplesmente:
mentindo!
Lembrem-se, irmãos, o Senhor, tecnicamente, já tomou todo o poder que o diabo
tinha sobre qualquer coisa no Universo! Jesus já é Senhor do céu e da Terra e, só falta se
apossar do que a Ele já pertence. Fará isso, no momento que julgar adequado.
Engraçado, agora vi outra ironia!
O irmão acima, ao buscar os ensinamentos daquelas religiões pagãs, caiu na pró-
pria escravidão da qual, queria evitar que os outros irmãos caíssem! Foi um trabalho esperto e
matreiro do diabo, mas, espero ter quebrado a cadeia do mesmo, na vida daquele irmão. Ale-
luia!
Maranata!

A reunião das 15:30hs foi ótima, apesar de só ter vindo um irmão o Professor. O
Senhor nos orientou a orarmos por várias coisas e o irmão nos deu dois testemunhos. O primei-
ro foi de um dentista.
Ele precisava ir ao dentista e perguntou ao Senhor a qual ir. O Senhor lhe indicou
um nome e ele foi. Quando chegou lá, o dentista estava quase na miséria, a pique de fechar o
consultório porque ninguém aparecia; por isso, perguntou admirado, ao irmão, quem o tinha
indicado e ele respondeu:
- Foi o Senhor Jesus Cristo! - pelo que o homem deu um pulo. Isso serviu para o
irmão pregar sobre o Senhor para o dentista, que aceitou Jesus e foi batizado com o Espírito
Santo. Hoje, alguns meses depois desses fatos, o irmão nos disse que o dentista estava de
consultório cheio, feliz e gordinho. Aleluia!
Outro testemunho desse irmão foi a respeito de sua aposentadoria, que foi feita
errada, motivo pelo que o INSS estava lhe pagando bem menos do que o devido, há quase dois
anos.
O problema estava na universidade de onde o irmão se aposentou, porque o fun-
cionário da mesma, não enviava para o INSS as informações necessárias para conserto do erro.
Um funcionário embromou e embromou (certamente movido pelo demônio) por-
que o dinheiro não era dele, estava tudo certo, era só dar um parecer e liberar, para o INSS
consertar as coisas, mas o homem não fazia...
Oramos por isso e, no começo desta semana, o Senhor mandou o irmão ir até a
universidade para falar com aquele funcionário. Ao chegar lá o irmão descobriu que o homem
tinha sido transferido para outro lugar.
Ligou para o cara e ele lhe informou que tinha deixado os papéis do irmão nas
mãos de um substituto, de quem deu o nome.
O irmão foi falar com aquela pessoa e, ele lhe informou que tudo já tinha sido
despachado e remetido para o INSS. Agora, era só receber o dinheiro. Aleluia!
Não sei por qual razão o Senhor esperou tanto tempo para agir! Talvez, como o
próprio irmão falou, para levar o mesmo a fazer alguns consertos na vida! Ou, para só deixar
seu dinheiro chegar, no momento certo para determinadas coisas. Não sei, o Senhor sabe!

116
Outra coisa que o Senhor voltou a insistir com o irmão, foi para ele ter cuidado no
que está fazendo, a respeito de certas invenções eletrônicas que patenteou.
O Senhor já tinha me feito ficar alerta, sobre a vida de muitos inventores e perce-
bido como, se alguma coisa pode alterar o poder que alguém detém hoje, em qualquer ramo,
pode esperar retaliações, às vezes mortais, como aconteceu com Diesel, Tesla e outros grandes
inventores, que prometeram alterar o balanço do poder.
Hoje, novamente, vi uma bota de gigante. Era uma bota enorme, devia ter bem
um metro e meio de comprimento!
- Bem, se tem esta bota aí, significa que existe algum gigante dono dela por perto!
Ninguém quer mexer na bota de um gigante, não é? - perguntei ao irmão.
Foi quando ele nos lembrou, quando, anos atrás, o Senhor lhe orientou a andar
com cuidados, com suas invenções, pois iria mexer com os pés de muitos gigantes da indústria.
Então, o Senhor deu ao irmão sabedoria, para resolver os problemas que poderiam
advir com a apresentação de seus inventos, e alertou a:
“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como
as serpentes e simples como as pombas.” (Mateus 10.16 ) Aleluia!
Maranata!

Capítulo 47
Falsos Médicos
Muitas orações de curas dos irmãos se perdem, porque eles não percebem que as
fazem errado, usando terminologia médica, determinando equilíbrio de taxas disso e daquilo,
etc.
A tendência nestes casos é os irmãos não terem êxito nas curas que determinam
porque, estão ordenando que aconteçam coisas que nada ou pouco têm a ver com o problema
real do doente!
Ontem tive um exemplo bem claro disso, quando o Senhor nos mandou orar pelo
dentista de um irmão; o qual nos informou que tinha encontrado o mesmo, com umas manchas
feias no rosto e nas mãos.
Fomos determinar a cura do odontólogo, mas o irmão começou a orar ordenando
que o sistema imunológico dele reagisse corretamente; pelo que, no ato, parei a oração e lhe
apontei o erro.
Ele tinha certeza que o problema era por uma imunologia defeituosa? E mesmo se
fosse, quem causava tal desequilíbrio não era um demônio? Por que orar pelos efeitos, ao invés
de ir direto à causa?
O irmão entendeu e expulsamos o demônio que estava causando aquela enfermi-
dade no dentista.
Mas isso me deu a ideia de escrever este capítulo, para ensinar aos irmãos o evita-
rem querer aparecer como eruditos ou médicos, quando, na verdade, devem agir não pela di-
mensão do intelecto humano, mas, pela dimensão espiritual: expulsando os demônios que cau-
sam todos os problemas deste mundo.
“... pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os prin-
cipados, contra as potestades, contra os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes
espirituais da iniquidade nas regiões celestes.” Efésios 6.12.

117
Este versículo resume, perfeitamente bem, o que digo.
Mesmo um médico cristão não deve querer operar uma cura divina, baseado em
seus conhecimentos científicos, porque estará navegando em águas rasas. Se quiser curar por
meio de sua ciência, então, fica a seu critério. Mas, claro, com todas as inconveniências, incer-
tezas e efeitos colaterais, que sua medicina declara a respeito da enfermidade que está enfren-
tando!
Para um doutor é muito mais difícil agir como cristão, diante das enfermidades,
porque ele é rico em conhecimentos humanos a respeito das doenças; e isto lhe atrapalha a
fé.
O Senhor já avisou:
“É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que um rico entrar
no reino de Deus.” , Marcos 10.25.
Quando Jesus se refere a reino de Deus está se referindo exatamente a quando
nós, usando o Poder do Alto, agimos na Terra para estabelecer nela, a Vontade do Pai. Claro
que isto só poderá acontecer por meio daqueles que são batizados com o Espírito Santo e rece-
beram os dons espirituais, para agirem em Nome do Senhor Jesus.
Se você vai orar por um enfermo e o Senhor lhe mostra um órgão do mesmo, cla-
ro, pode determinar a cura daquele órgão, ordenando que o espírito de enfermidade saia dele e
decretando a restauração do mesmo.
Mas não vá querendo ordenar a pressão, o metabolismo, as taxas disso e daquilo,
porque aí, você pode se perder. Espero que tenham entendido a mensagem e a aproveitem
bem. Aleluia!
Maranata!

11/11/2014 – A reunião das 14:00hs foi ótima. O Senhor nos pediu áreas de nos-
sos corações que nós ainda não Lhe tínhamos entregado e nós as entregamos. Então Ele mu-
dou, em cada um de nós, alguma coisa lá dentro...
Uma coisa curiosa foi com minha esposa (japonesa) cujo pai lutou na II Guerra. A
irmã Ca. nos informou que leu sobre pessoas que tiveram ascendentes que lutaram em guer-
ras, eles sempre ficavam com imundícies espirituais, com as quais contaminavam a família.
Minha esposa ficou livre dessas sequelas. Aleluia!
Só fico pensando nesses irmãos, que só vão aos cultos aos domingos e, geralmen-
te, nem ouvem a Palavra, mas só: baboseiras!... E ficam anos a fio ali, aplaudindo...
Não quero nem pensar no que poderá lhes acontecer, se continuarem neste cami-
nho, coitados!
Ontem levei uma pessoa para Jesus. Este rapaz estava super-deprimido (até o
emprego tinha perdido) fechado no seu quarto, tomando drogas receitadas por psiquiatras!
Nunca tinha aceitado Jesus, porque, quando menino, foi ler o Apocalipse e ficou
apavorado! Daí, não quis saber de mais nada com evangélicos! Sua família é uma misturada de
evangélicos, católicos e por aí vai.
Expliquei-lhe que Jesus é Deus de Vivos e não de mortos, que Ele não tem nada
com a morte, pelo contrário veio para vencê-la em nosso lugar. No final ele aceitou e recebeu o
batismo com o Espírito Santo!
Deixei-o orando em línguas e com mais instruções para iniciar sua caminhada para
sair do fundo do poço. Aleluia!
Maranata!

118
Capítulo 48
INDÍGNA INDIGNAÇÃO
Muita gente fica indignada, por ver a situação caótica do mundo atual e o Todo
Poderoso impassível. Como pode, alguém que se diz o Sumo Bem, ver tanta miséria e não mo-
ver um milímetro, é a pergunta que se fazem estes indignados.
Por isso eles se ajuntam em bandos e fazem protestos de todos os lados, os mais
comuns são pela: Paz e Liberdade.
Estas pessoas só não entendem uma coisa: Deus não é como eles! Deus não muda
de caminhos, não pula cercas, não engana ninguém, e cumpri fielmente o que diz.
Poderão entender melhor toda a situação deste mundo, lembrando-se do que a
Palavra de Deus diz: “... o mundo jaz no maligno” (1ª João 5.19) , ou seja, o mundo: está mor-
to sob o poder do demônio; se começarem e ver as coisas pelo o ponto de vista espiritual, não
dos seus olhos míopes, vão descobrir algumas coisas.
Primeiro: Deus não toma nada daquilo que dá. E está escrito que Ele deu a Terra
(o mundo material) aos homens; por isso, não a tomará dos homens.
Segundo: Adão deu o mundo ao diabo, não Deus!
Para ajudar o homem caído, adâmico, Deus teve de se tornar homem natural e
cumprir toda Lei Divina (que Ele como Todo-Poderoso tinha determinado ao homem natural
cumprir) para poder tomar a terra das mãos do diabo, fazer o homem voltar à casa do Pai, ao
Paraíso Perdido.
Deus teve de se humilhar desta forma por que: só um homem tem autoridade pa-
ra tomar das mãos do diabo, aquilo que um homem, Adão, deu ao diabo!
Agora, entra em cena outro componente desta história, que já vai com quase seis
mil anos o: tempo!
No mundo material, existe uma variável chamada tempo, que incidiu sobre a vida
humana, quando Adão morreu para Deus. Entenda: Adão foi programado para ter vida eterna
SE não comesse da árvore do Bem e do Mal.
Se Adão não tivesse acreditado no diabo e persistido crendo no que Deus disse,
estaria no Caminho da Vida, teria comido da Árvore da Vida, e se tornado eterno; para quem o
tempo, de certa forma, deixaria de ser uma variável na sua vida e na de seus filhos: nós!
Mas nem por Adão ter feito aquela tremenda loucura, Deus tomou a terra das
mãos dele, pelo contrário, a terra de forma legal, espiritualmente, passou a ser de propriedade
daquele a quem Adão se curvou ao: demônio!
Por isso, Deus teve de preparar toda uma série de coisas, para ir driblando o de-
mônio (que não é nenhum idiota como muitos podem pensar) para reestabelecer o homem no
lugar de domínio, que Deus tem preparado para ele.
Para ver todo o trabalho de Deus, temos de recorrer ao que Ele deixou escrito para
nós. Do Gênesis ao Apocalipse a Bíblia conta, minuciosamente, tudo o que aconteceu, aconte-
ce, e acontecerá entre o homem, Deus e o diabo.
Na Bíblia podemos ver como Deus vai agindo e desfazendo as artimanhas do dia-
bo, numa luta em prol de sua criação mais amada: o homem!
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para
que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3.16.
E, infelizmente, também, a Palavra de Deus nos mostra como o homem vai, sem-
pre, traindo a confiança de Deus e ouvindo e seguindo o que o diabo lhe orienta seguir...

119
Mas Deus nunca foi um vitorioso, Ele é como quer que Seus filhos sejam: “Mais
que vencedores” ; quando entra numa batalha, Deus não se contenta apenas em vencer,
mas, em criar algo maior, pelo que pensavam Ele estar batalhando. E como isto deixa o diabo
ainda mais baratinado!
Portanto, até atingirmos o final desta luta de Deus por sua Criação, estaremos vi-
vendo num mundo em guerra espiritual constante. Não porque Deus não pudesse resolver tudo
na marra e dar um final glorioso em tudo; mas, porque, tudo na terra, depende mais do ho-
mem do que de Deus. Porque esta foi determinação de Deus ao criar o mundo, e Ele não mu-
da. Espero que tenham entendido tudo até aqui.
Quando Deus nos ensina isso e aquilo e nós preferimos aprender e agir ao contrá-
rio, estamos atrasando o que é realmente Bom, para nós. Mas, de acordo com a Bíblia, o Se-
nhor não se sente frustrado pela demora, pelo contrário, Ele usa isso para ir educando os ho-
mens, ensinando-lhes lições preciosas, que terão de lembrar no futuro glorioso, que os aguar-
da.
Notem, enquanto o diabo se ufanava de ter derrotado Adão, Deus criou um Novo
Adão (Jesus Cristo) primogênito de uma nova espécie de homem na qual, o diabo jamais tinha
pensado!
E a este Novo Adão, Deus dá autoridade para vencer todo principado e potestade
das forças celestiais, se marcharem, pela fé, contra o inimigo, no Caminho que Deus lhes mos-
trar. Portanto o diabo derrotou Adão e Deus criou a Igreja, gloriosa e sem rusgas, a quem o
inimigo não consegue vencer.
O final de tudo isto está bem perto. É só lerem a Bíblia, com boa vontade, pedindo
que o Espírito do Senhor Jesus lhes oriente e verão! No mais que todos fiquem na Paz do Se-
nhor. Aleluia!
Maranata!

Nossa reunião das 15:30hs foi ótima. No começo ela empacou, e fiquei sem en-
tender o porquê. Então, uma irmã recebeu os versículos de Malaquias que falam sobre alguém
roubando nos dízimos.
“Roubará o homem a Deus?
Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas
alçadas!
Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta
nação toda.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha
casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do
céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da
vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos
exércitos.
E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra
deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos.
As vossas palavras foram agressivas para mim, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Que
temos falado contra ti?
Vós tendes dito: inútil é servir a Deus. Que nos aproveita termos cuidado em
guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos exércitos?
Ora, pois; nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; também os que co-
metem impiedade prosperam; sim, eles tentam a Deus, e escapam.

120
Então aqueles que temiam ao Senhor falaram uns aos outros; e o Senhor atentou
e ouviu, e um memorial foi escrito diante dele, para os que temiam ao Senhor, e para os que se
lembravam do seu nome.
E eles serão meus, diz o Senhor dos exércitos, minha possessão particular naquele
dia que prepararei; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve.
Então vereis, outra vez, a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a
Deus e o que não O serve”, Malaquias 3.8-18.
Temi estar dando meus dízimos de forma errada, e fiquei contando e recontando o
que dou todos os meses, mas não via brechas... Então interroguei aos irmãos e ambos se dis-
seram fiéis nos dízimos... Fiquei mais preocupado ainda, comigo. Onde estaria minha brecha?...
Mas o Senhor me fez perguntar à irmã Al. como ela dava os dízimos, e ela me in-
formou que do líquido de sua folha mensal! Às vezes dava até o dobro daquilo!
Ali estava o erro e motivo pelo qual, ela estava tendo problemas no emprego e de
saúde.
Antes da reunião ela tinha me contado que começou a sofrer de glaucoma e a fa-
zer tratamento médico, que diminuiu sua pressão ocular; mas, depois, foi em busca de cura
divina e abandonou o tratamento médico.
O resultado foi que sua pressão ocular subiu de 18 (normal) para 25! Esse aumen-
to de pressão pode causar rompimento dos vasos do interior dos olhos, e levar à cegueira!
Resolveu optar pela fé e foi punida? Na hora não entendi, só agora.
O Senhor nos falou também em Malaquias 3.1-5:
“Eis que eu envio o meu mensageiro, e Ele há de preparar o caminho diante de
mim; e, de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, e o anjo do pacto, a
quem vós desejais; eis que Ele vem, diz o Senhor dos exércitos.
Mas quem suportará o dia da sua vinda? e quem subsistirá, quando Ele aparecer?
Pois Ele será como o fogo de fundidor e como o sabão de lavandeiros; assentar-se-á como fun-
didor e purificador de prata; e purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como pra-
ta, até que tragam ao Senhor ofertas em justiça.
Então a oferta de Judá e de Jerusalém será agradável ao Senhor, como nos dias
antigos, e como nos primeiros anos.
E chegar-me-ei a vós para juízo; e serei testemunha veloz contra os feiticeiros,
contra os adúlteros, contra os que juram falsamente, contra os que defraudam o trabalhador
em seu salário, a viúva, e o órfão, e que pervertem o direito do estrangeiro, e não me temem;
diz o Senhor dos exércitos”.
Notem que o Senhor Jesus nos purifica como o ourives purifica a prata, e nos lava
como os lavandeiros purificam as roupas!
E Ele fez isso conosco, bem ali, naquela reunião, nos mostrando coisas que havia
em nós que não O agradavam.
A irmã ainda me disse que passou vários meses dando seus dízimos a pessoas as
quais o Senhor orientava dar. Informei-lhe que isso estava errado, e que quem a estava ensi-
nando a fazer errado não era o Senhor, que deixou bem claro o lugar onde devemos dar nossos
dízimos: no Tesouro da Casa do Senhor. (No nosso caso hoje, na Tesouraria da congregação
onde nos filiamos). Ponto final.
E eu fico sempre pensando nos irmãos que vão às igrejas aos domingos, e se dão
por satisfeitos com isso. Misericórdia! Há um Caminho tão longo a trilhar!
Oramos por estes irmãos, e a reunião chegou ao seu final. Aleluia!
Maranata!

121
Capítulo 49
JANELA NO ESPAÇO/TEMPO
O tempo é algo essencial neste no mundo material, algo a que não podemos fugir.
Tudo aqui se resolve, sempre, envolvendo o tempo.
Vocês já devem ter visto aquelas explicações sobre a entrada das espaçonaves em
seu retorno a Terra, quando consideram existir uma janela (subjetiva) no espaço, que os cien-
tistas são obrigados a utilizar, se quiserem que as astronaves desçam com segurança.
Um erro mínimo é permitido nessas entradas, porque se as naves vierem em ângu-
los errados ou velozes demais, podem se despedaçar contra a atmosfera, ou quicar nela e per-
der-se no espaço...
Da mesma forma está nossa relação com Deus, sujeita a uma janela no espa-
ço/tempo!
Se Deus nos dá uma ordem para cumprir e nós deixamos de fazer o que Ele man-
da no momento certo para, só, quando estivermos sem nada mais a fazer, irmos providenciar o
que Deus ordenou, estaremos deixando se fechar uma janela de espaço/tempo que Ele nos
abriu, para que tivéssemos: êxito!
Uma irmã me procurou para orar, porque estava se sentindo cheia de problemas e
cansada. De imediato, o Senhor me mostrou ela conferindo uma pilha enorme de provas e eu
lhe disse que ela andava trabalhando demais, precisava maneirar...
Então, não lembro por qual razão, a conversa derivou para a vida familiar de outra
irmã, e a senhora com quem eu orava me disse que o Senhor já tinha lhe dado uma ordem
para avisar algo errado na vida da outra; mas, ela não tinha ainda achado uma oportunidade
para fazer tal coisa, porque a outra se fechava demais, em sua presença.
Então, o Senhor me mostrou que Ele tinha dado aquela missão à irmã, há muito
tempo atrás, e ela só estava tentando cumpri-la agora; por isso, a janela de oportunidade que
Deus abrira para ela ter bom êxito, já tinha se fechado!
As pessoas não pensam, mas, quando Deus abre uma janela de oportunidade para
fazermos algo para Ele, Ele tem de mexer antes, com a vida de milhares (ou milhões, sei lá!) de
pessoas e coisas, para que saia tudo perfeito. Deus é Deus de Excelências!
Cada vez que nós não fazemos uma obra no momento correto, alteramos todo o
plano de Deus, e Ele irá precisar de mais tempo, para abrir outra janela, para aquilo ser execu-
tado.
Nada disso é por impotência de Deus, mas, pelas características: santa, justa, ima-
culável do caráter d’Ele; que age de forma que tudo seja bom para todos, na medida adequada,
conforme a justiça espiritual, criada por Ele, exige.
Deus não brinca em serviço. Mas existem muitas Martas neste mundo que, quando
Deus lhes fala, preferem continuar a varrer a casa, fazer o almoço, passar as roupas, dar banho
nos garotos ou no cachorro, ao invés de ir obedecer ao Senhor. E o tempo vai passando...
Se não sabem por que falei Marta, leiam Lucas 10.38-42, abaixo:
“Ora, quando iam de caminho, Jesus entrou numa aldeia, e certa mulher, por no-
me Marta, O recebeu em sua casa.
Tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, sentando-se aos pés do Senhor, ou-
via a Sua palavra.

122
Marta, porém, andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse:
Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me
ajude.
Respondeu-lhe o Senhor: - Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas
coisas; entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só; e Maria escolheu a boa parte, a
qual não lhe será tirada” .
Isso não quer dizer que os atrasos sejam causados só por mulheres! A Marta, aci-
ma citada, pode representar simplesmente a carne humana, que homens também possuem. E
muitos marmanjos deixam para fazer o que Deus ordena só para: depois do futebol, da cerveji-
nha, das tarefas do escritório, da família, da firma, etc...
Motivos não faltam, embora, nenhum leve ninguém a uma conquista de vital im-
portância; pois, ao invés de seguirem o Caminho da Verdade e da Vida, que lhes mostra o Se-
nhor; tais pessoas estão seguindo o caminho do mundo, que o diabo procura encher com mil e
uma distrações, para poder roubar e adquirir direitos de morte, sobre os humanos.
“Vigiai e Orai” é a ordem do Senhor. Não podemos deixar de estar de olhos e ou-
vidos atentos porque, a qualquer momento, Ele pode nos chamar para determinada missão.
Larguemos tudo e vamos atendê-Lo, pois, de tudo o mais, Ele cuidará. Do contrário será um
desastre. Não só não conseguiremos cumprir a missão, como nossa vida particular virará de
ponta-cabeça. Misericórdia!
Obedecendo ao Senhor, no momento certo, é que podemos nos tornar mais que
vencedores, não se iludam.
Maranata!

Capítulo 50
A Água Se Foi
Cada noticiário me deixa mais, de boca aberta! Nascentes de rios secam, os mais
poderosos rios, murcham, a água do mar entra e saliniza leitos de rios secos, os agricultores
pedem ações do governo, isso de um lado ao outro do mundo.
Eu me pergunto e para onde vai toda água que sumiu?
Mas a resposta me vem quase de imediato, dada pelos próprios noticiários: en-
chentes aqui, avalanches acolá, cidades destruídas, gente morrendo. Lá estão as águas que
fugiram daqui!
Assistindo ao programa Globo Rural, percebi uma parte das razões pela qual as
águas fogem daqui. E foi no finalzinho daquele programa, quando começaram a apresentar as
festas que os agricultores realizariam na semana! Tinha festa de Sta...., de N. Senhora das
quantas, de São não sei, que, enfim, um leque de festivais idólatras, pelo país inteiro, só na-
quela semana!
Isso, sem contar as rezas a S. Pedro ou a atribuir a ele o poder de controlar as
chuvas!
Como a Palavra diz:
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquan-
to rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote
diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de
teus filhos.” Oséias 4.6.

123
Enquanto isso vi a euforia dos cientistas europeus, ao pousarem uma nave num
cometa. Quanta idiotice! Quanta energia jogada no lixo!
Claro, conseguir pousar um objeto num ponto do espaço em movimento, a seis mi-
lhões de quilômetros, é uma façanha da mente humana, do intelecto. Mas, a esperança de
descobrir, por meio desta caríssima bobeira, algo sobre as origens da criação e da vida é uma
idiotice: fenomenal e caríssima!
Tudo o que nós precisamos saber sobre as origens da Criação e da vida, está bem
explicadinho na Bíblia, que só custa alguns reais e tem para vender em todo canto do mundo!
Mas, não. Os cérebros mais excelentes não podem crer no que a Bíblia diz. E co-
meçam a surtar e a inventar maluquices sem fim, para provar que Deus está errado e eles cer-
tos. Loucura!
O Senhor já nos avisou que próximo do fim, haveria maravilhas no céu e na terra e
elas estão acontecendo em grande velocidade.
Claro, os que não creem continuarão a se casar e a se darem em casamento com
todas as bobeiras que inventam ou reinventam no mundo, e vão ser pegos com as calças nas
mãos; quando o mais glorioso dia chegar. Que fazer?
Eu vou fazendo o que Ele me manda. Tentando abrir os olhos aos cegos e fazer os
paralíticos andarem. Mas como o Senhor diz: o pior cego é aquele que não quer ver, da mesma
forma o pior paralítico é aquele que não quer andar. Contra estas coisas, não há argumentos. O
melhor será nem pensar no fim que tais soberbas criaturas terão, pois, isso poderia dar até
pesadelos. Misericórdia!
Maranata!

18/11/2014 – Boa reunião a de hoje, às l4:00hs.


Antes de começar, a miss. Ca me contou um sonho que teve. Ela acordou de um
sonho e viu que estava com uma meia-máscara, dessas que só cobre os olhos e, percebeu no
seu rosto uma espinha enorme. Espremeu-a e ela saltou, era enorme! Então acordou.
Na hora não interpretei o sonho. Deixei para depois fazer isso. E começamos a
reunião.
A miss. Ca. recebeu sinal verde do Senhor, para publicar seu livro infantil. No mais
foram orações variadas, por várias pessoas, nações e alguns consertos pessoais. Aleluia!
Contei para os irmãos que nossa lava-louças pifou, motivo por que chamamos um
técnico.
Ele descobriu que o defeito não existia, mas havia um erro na mangueira de exa-
ustão de água, que não estava fazendo sifão. Consertou isso e a máquina voltou a funcionar.
O Senhor me tocou para eu lhe perguntar se ele era evangélico. Informou-me ser
católico. Perguntei se ele já tinha entregado a vida ao Senhor, e me respondeu que, desde
novinho. Falei-lhe que era preciso confessar Jesus como Senhor com a própria boca, e ele
confessou.
Então, o senhor me tocou para lhe dar o livro “Jesus, o Leão de Judá” e recomen-
dar-lhe pedir para ser batizado com o Espírito Santo. Ele me disse que gostava muito de ler e
iria com certeza, ler o livro. Mostrei-lhe onde fazer uma purificação espiritual completa, e nos
despedimos. Aleluia!
Então, aconteceu algo diferente: do meu coração espiritual (que fica o lado direito
do peito) apareceu um pequeno círculo branco, e me veio uma vontade diferente de agradecer
ao Senhor pela esposa, que me deu. Fiz isso e me senti extremamente feliz.
Minha esposa me informou que o Senhor estava abrindo, em mim, um canal para
a gratidão.

124
De fato, eu agradecia e louvava a Deus como a Bíblia diz, mas, sempre sentia co-
mo se estivesse mentindo, querendo enganar ou bajular o Senhor. Isso me deixava intrigado,
mas, não tinha outra opção!
Talvez, agora, eu tenha descoberto o que é o: “perfeito louvor”. Aleluia!
Maranata!

19/11/2014 – Creio que sei a interpretação daquele sonho da miss. Ca. Ela expul-
sou do seu Ministério, uma senhora, que estava perturbando demais os trabalhos do grupo, e
avisou a mesma que só poderia aceita-la de novo, se mudasse o comportamento; alertando-a e
que, se quisesse voltar teria, antes, de ter uma conversa com ela.
O problema é que aquela irmã já sabia de uma cruzada que a miss. Ca iria fazer na
próxima semana, numa cidade do sertão paraibano; e, a miss. Ca. soube, por outros, que a
perturbadora ia, por conta própria, para aquela cidade.
Aquilo que a irmã Ca. tinha, não era o espinho na carne de Paulo, mas: a espinha
no rosto da missionária.
O sonho mostrava o desejo da missionária de proteger a imagem de seu Ministério
e, lembrei-a como eu, sempre, achava engraçado nas estórias em quadrinhos, como alguns
heróis usam uma meia-máscara, para proteger a identidade.
Uma máscara que só esconde os olhos e deixa tudo o mais a vista, e ninguém
descobre quem são os heróis fantasiados? A coisa fica mais ridícula ainda, no caso do Super-
homem, quando apenas os óculos escondem a identidade do herói!
Portanto, aquela máscara estaria escondendo a personalidade da missionária (ou
seria ela tentando esconder a personalidade do grupo dela?) cujo desejo real, foi apertar de
uma vez e jogar para bem longe, aquela espinha no rosto. Seria ódio mascarado?
Agora a missionária tem de se auto examinar. Aleluia!
Maranata!

Capítulo 51
SÁBADO X DOMINGO
Outro dia assisti a um programa pela TV, onde um pastor pregava sobre os últimos
tempos. Ele esmiuçava tudo, tomava as profecias bíblicas e as relacionava à História, levando-
nos a crer que o papado era (pelo menos) um Anticristo.
Mostrou muito conhecimento sobre o assunto até que tocou no dia do sábado;
quando entendi estar diante de um sabatista fanático.
Foi quando ele disse que o papa, no catecismo católico, tinha adulterado os Dez
Mandamentos, eliminando o primeiro (que condena a prática da idolatria) e transformando o
décimo, em dois, para continuar tendo-se os: dez mandamentos.
A primeira coisa que fiz foi ir ao meu computador procurar um catecismo católico,
destarte descobri que (pelo menos no, que vi) o segundo mandamento contra a posse e adora-
ção de ídolos, continuava impávido, acolá; embora os católicos não o levem em conta, na práti-
ca: mas isso já é outra questão!
Depois, ele afirmou que a desculpa que damos da guarda do sábado ser do juda-
ísmo era fajuta, porque aquela guarda foi estabelecida por Deus, no Gênesis, no tempo de
Adão; quando os judeus sequer existiam!

125
Acho que, aí, o sabidão tropeçou feio! Deus descansou e santificou o sétimo dia, é
verdade. Mas, em lugar algum, a Palavra nos diz que Deus exigiu Adão de santificar o sábado
ou de qualquer outro dia!
Afirma isto é acrescentar algo à Palavra de Deus, o que leva a um encontro direto
com o espírito da confusão, e explica aquela idolatria por dia da semana dos sabatistas.
O sábado foi dado a Moisés (logo: aos judeus!) nas Táboas da Lei. E está escrito
que:
“Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça decaístes.”
(Gálatas 5.4).
Ora, sabemos que a Lei a ninguém justifica; pois, se pecarmos contra um só dos
mandamentos dela: pecamos contra toda a Lei. E é impossível alguém não pecar!
“Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-Lo mentiroso, e a Sua Pa-
lavra não está em nós” (1ª João 1.10).
Quanto mais erudita a pessoa, quanto mais rica de conhecimentos, e mais rica in-
telectualmente, lhe acontece, exatamente, o que o Senhor diz em Mateus 19.24:
“E outra vez vos digo que é mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha,
do que entrar um rico no reino de Deus.”.
Com toda certeza, também, aquele pastor não é nascido de novo; mostrava isso
pela sua própria postura e fala. Deve alegar alguns “bons” motivos pelos quais, não tem os
dons do Espírito, só não pode alegar eles serem do judaismo.
Outro dia o irmão Professor foi solicitado pelo Senhor a ir assistir a um culto em
determinada denominação. Ele já conhecia aquela congregação e só foi por obediência, mas
ficou chocado com a pregação de um pastor. Segundo me informou, o homem ensinava o
Evangelho de forma errada, distorcida.
Reclamou do Senhor por tê-lo enviado para ouvir aquilo, e Lhe mostrou os absur-
dos que o pastor pregava. Então, o Senhor lhe ordenou que tomasse alguma atitude.
- Mas o que posso fazer se nem sou desta denominação?
O Senhor lhe disse que ele ordenasse o pastor a se calar, e ele o fez baixinho...
Instantaneamente o pastor ficou embaraçado, mostrou-se totalmente perdido, ca-
lou-se e alguém veio, pegou o microfone e tomou lugar dele, no púlpito. Aleluia!
O irmão saiu de lá abismado. O Senhor tinha-lhe mostrado, na prática, a diferença
entre quem é o que no mundo espiritual.
Aleluia! E eu já passei por uma situação dessas, que narro no meu livro “Jesus, o
Leão de Judá”.
Afinal, para os verdadeiros crentes, todos os dias devem ser santos e não apenas
um!
Lembre-se: se quer ser sabatista e é macho, você terá de se circuncidar também,
pois, isso consta da Aliança abrâmica, não é dos judeus!
Na verdade, todo seguidor da Lei estará dando as costas aos sofrimentos terríveis,
que Deus em carne, sofreu no Calvário e, zombando do trabalho sobre humano do d’Ele, para
nos libertar do pesado jugo da Lei, e nos levar para Sua Graça. Vai encarar?
A escolha sua. A vida é sua. Não se trata do nosso time de futebol, o Domingão,
jogando contra seu time o: Sabadão! Nem é coisa de safadas disputas político-partidárias. É
questão de vida ou morte, abra bem os olhos. Mas a decisão é toda sua!
Uma coisa é certa, devemos estar prontos a fazer o trabalho que o Senhor nos or-
denar em: qualquer hora, dia da semana, do ano ou do mês. Fora disso, estaremos em rebel-
dia, que é igual ao pecado da feitiçaria. Aleluia!
Outra coisa que os legalistas esquecem totalmente, e que se tornou doutrina para
a Igreja de Cristo, foi decidido pelo Espírito Santo e pelos “pais” da Igreja em formação, está
Atos 15.12 e diz:

126
“Por isso, julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se con-
vertem a Deus, mas escrever-lhes que: a) se abstenham das contaminações dos ídolos; b) do
sexo ilícito; c) da carne do animal sufocado; e d) do sangue.” (Atos 15.19-20).
Tirar ou acrescentar algo a esta doutrina é cair num poço profundo do qual pode
não conseguir mais sair.
Maranata!

21/11/2014 – A reunião da l4:00hs foi muito boa. A irmã Al. não veio porque teve
de preparar uns quitutes, para uma festa na congregação onde irá pregar.
A reunião foi comigo e o Professor. Interessante foi que depois de fazermos ora-
ções por pessoas e coisas que os Senhor revelou, Ele me mandou falar sobre aquele pastor
sabatista, referido no capítulo anterior deste livro, e o irmão mostrou ter pela Lei, um sentimen-
to errado.
Então o Senhor me mostrou um tipo de grampo, usado antigamente, feito de cha-
pinha fina de latão. Servia para pregar papeis juntos provisoriamente. Nos papéis fazíamos um
furo pelo qual introduzíamos o grampo, cujas pernas nós abríamos no outro lado, para firmar
tudo.
Curioso foi aquele irmão não conhecer este tipo de grampo, usado abundantemen-
te há alguns anos atrás. Com este grampo, o Senhor me mostrou que o irmão não tinha enten-
dido direito a função da Lei, e a menosprezava totalmente. Por isso, lhe expliquei minuciosa-
mente tudo a respeito dela e lhe alertei que ainda tínhamos de cumpri-la, sob outro prisma.
Aliás, agora era que tínhamos mais consciência de como e porque cumpri-la! Deus
ainda não quer que tenhamos ídolos, outros deuses, que não matemos ninguém, não roube-
mos, etc... A nossa santificação tem de ser perfeita, mas de dentro para fora.
Depois que o irmão entendeu, ele me deu uns versículos que o Senhor mandou o
irmão me entregar. Foram os de um livro e capítulo dos quais não me recordo mais, que, por
coincidência, não tem o capítulo 7; mas que, pelo Espírito, entendi que era do capítulo 2 até o
último que o versículo continha. Só isso já me mostrou a diferença entre entender a Palavra
pela letra e pela fé. Aleluia!
O Senhor nestes versículos me exortava a não desanimar da fé. Estive a pique de
fazer tal coisa (mais uma vez!) ontem, por que: primeiro, a lava-louças, que pensei estar perfei-
ta, apresentou defeitos, durante a noite; segundo: minha filha nos acordou dizendo que alguém
estava querendo arrebentar os cadeados da grade da garagem; e todas estas coisas foram de
encontro com minha fé, deixando-me totalmente confuso.
Ora, Jesus tinha-me impedido de colocar um alarme em casa, garantindo-me que
Ele mesmo seria o guardião dela! E eu até já tinha dado um testemunho a respeito da lava-
louças como bênção d‘Ele; como devem ter lido antes... Por fim, o meu PC, comprado com a
ajuda do Senhor, foi atacado por um vírus, quando fui baixar uma: Bíblia!
Tudo isso ficou rolando na minha cabeça e dormi pouco, estava exausto, procu-
rando o que podia ter feito de errado, embora tudo isso tenha ocorrido logo depois, daquele
meu louvor perfeito.
Já ouvi muita gente dizendo que o diabo ficava zangado quando ganhávamos uma
bênção grande e nunca aceitei esta premissa. Se Jesus nos abençoa, quem é o diabo para vir
nos castigar por termos sido abençoados?
Mas muitos irmãos contam estas histórias e, agora, eu estava diante de algo que
parecia confirmar aquilo como verdadeiro! Mas não aceito.
O certo é que o Senhor me admoestou, alegando que tinha de me manter na fé.
Ou seja: vacilei na fé! Misericórdia!
Ainda estou um tanto confuso: vacilei na fé, ou o diabo zangou-se e quis me as-
sustar? Agora, só o Senhor pode me revelar a verdade.

127
Quando levei meu PC para uma oficina para me tirarem o vírus dele, a moça da
oficina me deu vários sinais, que me abriram os olhos e, na verdade, o Senhor me mostrou que
foi para isso que eu fora levado até aquela oficina: para dar a moça um exemplar do meu livro
“Jesus, o Leão de Judá”. Dei algumas instruções à moça e lhe entreguei o livro, depois que ela
me entregou o PC livre de vírus. Aleluia!
Maranata!

27/11/2014 – A reunião das terças foi transferida para hoje, visto a Miss. Ca ter
feito uma longa e cansativa Cruzada, no sertão paraibano. Inclusive, o Senhor encurtou esta
reunião para mais conforto da missionária. Aleluia!
Oramos por tudo o que o Senhor ordenou e, não temos algo de mais específico e
curioso a relatar.
Maranata!

28/11/2014 – A reunião das 15:30hs foi ótima. Oramos por várias coisas e pessoas
sobre o que o Senhor nos orientou orar e, no finalzinho da reunião; por alguma razão, pergun-
tei a uma irmã se ela já tinha ido ver o que tinha por trás daqueles altares grandes das igrejas
católicas, e ela disse que não.
Então, lhe disse do choque que tive quando, certa vez, me atrevi a dar a volta ao
altar para ver o que tinha lá. Fiquei amedrontado e enojado. Era como um sepulcro cheio de
cadáveres com mortalhas rotas e esqueletos à mostra!
Refiro-me aos manequins de “santos” e “santas” católicas. Tinham uma cabeça,
um esqueleto de arame, braços de arame no final dos quais havia uma mão, da mesma forma
pernas de arame, algumas com pés e outras não...
Sobrevoando tudo isso, morcegos aos montes. Fezes de morcegos nas paredes;
era realmente macabro. Saí de lá às pressas, e nunca mais me esqueci do que vi.
Neste momento a irmã se lembrou, de certa vez, quando ainda católica, ter ido ver
a chegada da relíquia de um santo, numa igreja. Havia uma fila de milhares de pessoas para
verem e rezarem ante aquela relíquia, que a irmã não lembrava mais se era mesmo um pedaço
da língua de um “santo”!
Que nojo!
Nisso me lembrei do que eles chamam de escapulário, um saco de pano onde co-
locam alguma coisa macabra como: um pedaço de osso, de carne, sangue, o que seja, que
dizem ser de um “santo” ou “santa” e usam, dependurados no pescoço ou presos por dentro da
camisa (como eu fazia); para nos livrar de perigos!
Nestas alturas a irmã se lembrou de que já se benzeu com aquelas coisas, e eu de
que (no meu tempo de católico) já usei daqueles “escapulários” amaldiçoados. Pedimos perdão
ao Senhor, oramos queimando toda imundície espiritual que nos tivessem passado, e nos ale-
gramos, ao ver como o Senhor nos poda dia a dia. Aleluia!
Maranata!

03/12/2014 – Nossa reunião das 14:00hs foi praticamente para orarmos para re-
preender o ataque que o inimigo fez, contra o trabalho da Miss. Ca. Ele armou uma e tivemos
de eliminar cada parte, daquele ataque.
No mais foram orações por pessoas e coisas que o Senhor nos revelou para orar.
Foi uma boa reunião. Aleluia!
Ao ir para o computador encontrei um e-mail da irmãzinha Dolica, de 18 anos, re-
sidente em Moçambique, África. Ela me informou que estava lendo meus livros, e me pediu
instruções, e me informou que, em sua congregação, apenas ela era batizada com o Espírito
Santo.

128
Bom, fiz o que pude, veremos no que dará.
Maranata!

ÍNDICE
Cap. 1 O Caminho e o Serviço
Cap. 2 A Cura
Cap. 3 Apóstolos
Cap. 4 O Bom Filho
Cap. 5 Retrato Falado
Cap. 6 O Ídolo é Letal
Cap. 7 Energia Limpa e Grátis?
Cap. 8 O Temor e o Amor
Cap. 9 Quem é Jesus?
Cap.10 Viagem Astral ou Arrebatamento?
Cap.11 Carnal e Espiritual
Cap.12 A Cura de Novo
Cap.13 O Carpinteiro
Cap.14 A Obra o Senhor
Cap.15 Surfando no Espírito
Cap.16 Os Filhos de Maria
Cap.17 Confessar
Cap.18 Não Julgueis
Cap.19 F.A.B
Cap.20 A Rocha Ferida
Cap.21 Meu Preso
Cap.22 O Casamento
Cap.23 Perde-se a Salvação?
Cap.24 Reunião Maravilhosa
Cap.25 Roubais nos Dízimos?
Cap.26 Doar Sangue
Cap.27 Maria, Maria!
Cap.28 Deus Fala Hoje?
Cap.29 Engenharia Reversa
Cap.30 O Relógio de Pêndulo
Cap.31 Espírito Santo e espírito santo.
Cap.32 E. W. Kenyon
Cap.33 O Senhor Proverá
Cap.34 Zumbis
Cap.35 Religiões
Cap.36 Ira Divina
Cap.37 Geração Y
Cap.38 Química e Física
Cap.39 Raiz Maldita
Cap.40 “Mea Culpa”
Cap.41 Reino de Deus e Reino dos Céus
Cap.42 Igreja Culpada por Homofobia?
Cap.43 Orando por Cura

129
Cap.44 O Enterro
Cap.45 Crianças Assassinas
Cap.46 Escravos e Escravizadores
Cap.47 Falsos Médicos
Cap.48 Indigna Indignação
Cap.49 Janela no Espaço/Tempo
Cap.50 A Água se Foi
Cap.51 Sábado X Domingo

130