Você está na página 1de 6

Aula 04

Filtros
Filtros eletrônicos são circuitos eletrônicos que executam funções de processamento de
sinal, especificamente para atenuar características indesejadas de uma frequência a partir
de um sinal de entrada, ressaltar elementos desejados dela ou ambos. Filtros eletrônicos
podem ser:

• Passivos ou ativos
• Analógicos ou digitais
• Passa-alta, passa-baixa, passa-faixa, rejeita-faixa ou passa-tudo.
Os tipos mais comuns de filtros eletrônicos são os filtros lineares, independentemente de
outros aspectos de sua construção.

Em eletrônica um filtro eletrônico pode ser:

• Um circuito de dois acessos chamado de quadripolo, podendo ser linear ou não


linear, concentrado ou distribuído, passivo ou ativoinvariante ou variante no tempo,
capaz de processar sinais elétricos analógicos ou digitais
• Qualquer quadripolo linear, concentrado e invariante no tempo, capaz de produzir
uma resposta especificada para uma dada excitação.
• Mecanismos ou dispositivos que atuam como filtro de áudio ou instrumentos que
transmitem e absorvem sons seletivamente, são denominados filtros acústicos.
• Determinados dispositivos ópticos que absorvem, em geral seletivamente, radiação
luminosa.
• Dispositivos que além de componentes passivos, contém uma ou mais fontes
de tensão ou corrente dependentes.

• TIPOS DE FILTROS

• Filtro Butterworth: Filtro que tem função de transferência com característica plana
em baixas frequências, queda acentuada a partir da frequência de corte, caindo a zero
na frequência infinita.
• Filtro de Cauer ou filtro elíptico: Filtro que apresenta uma característica de amplitude
equiondulante, tanto na faixa de passagem quanto na faixa de rejeição.
• Filtro Chebyshev: Filtro que apresenta uma característica de amplitude equiondulante
na faixa de passagem.
• Filtro de absorção: Filtro que tem elementos dissipativos de calor que absorvem os
componentes indesejáveis de volta para a entrada.
• Filtro de linha: Filtro elétrico ou eletrônico cuja finalidade é suprimir ruídos e surtos
de tensão da rede.
• Filtro de reflexão: Filtro que, na configuração ideal, não tem elementos dissipativos,
refletindo os sinais indesejáveis de volta para a entrada.
• Filtro LC: Filtro elétrico passivo formado por combinação de indutores e capacitores.

• CLASSIFICAÇÃO DOS FILTROS:


• Filtro passa-altas: Filtro elétrico ou eletrônico que permite a passagem de sinais de
altas frequências, atenuando sinais abaixo da frequência de corte do filtro. Permite a
passagem das frequências altas com facilidade, porém atenua (ou reduz)
a amplitude das frequências abaixo de frequência de corte. A quantidade de
atenuação para cada frequência varia de filtro para filtro. O filtro passa-altas possui
um princípio de funcionamento oposto ao do filtro passa-baixas.

Ele é muito utilizado para bloquear as frequências baixas não desejadas em um sinal
complexo enquanto permite a passagem das frequências mais altas. As frequências
são consideradas 'altas' ou 'baixas' quando estão acima ou abaixo da frequência de
corte, respectivamente.

• Filtro passa-baixas: Filtro elétrico ou eletrônico que permite a passagem de sinais de


baixas frequências, atenuando sinais acima da frequência de corte do filtro.
• A quantidade de atenuação para cada frequência varia de filtro para filtro.
• O conceito de filtro passa-baixas existe de muitas formas diferentes, incluindo os
circuitos eletrônicos, algoritmos digitais para trabalhar com conjuntos de
dados, barreiras acústicas, trabalhos com imagens, entre outros.
xistem muitos tipos diferentes de circuitos de filtros, com diferentes respostas à mudança
de frequência. A resposta em frequência de um filtro é geralmente representada utilizando
um gráfico.

• Um filtro de primeira ordem, por exemplo, irá atenuar a amplitude do sinal em


cerca de 6 dB cada vez que a frequência dobrar (subir uma oitava). O gráfico de
magnitude de um filtro de primeira ordem se assemelha a uma linha horizontal antes
da frequência de corte, e um linha diagonal após a mesma. Existe também o
"cotovelo" no limite entre os dois, que é a transição suave entre as duas regiões de
reta. Veja Circuito RC.

• Um filtro de segunda ordem possui uma maior atenuação às frequências mais altas.
O gráfico deste tipo de filtro é semelhante ao gráfico do filtro de primeira ordem, com
a diferença de que a variação na queda da amplitude com o aumento da frequência é
mais acentuada. Por exemplo, um filtro Butterworth de segunda ordem reduzirá a
amplitude do sinal a um quarto de seu valor anterior cada vez que a frequência dobrar
(−12 dB por oitava). Outros filtros de segunda ordem podem apresentar taxas
diferentes dependendo de seu fator Q, porém se aproximam da taxa final de −12dB
por oitava. Veja Circuito RLC.

• Filtros de terceira ordem ou mais possuem uma definição similar. No geral, a taxa
final de atenuação de um filtro de n-ordem é −6n dB por oitava.
Respostas em frequência de filtros Butterworth de diversas ordens
Em qualquer filtro Butterworth, se a linha horizontal se estende para a direita e a linha
diagonal para a esquerda supeior (a assímptota da função), eles terão
uma intersecção exatamente na "frequência de corte". A resposta na frequência de corte
de um filtro de primeira ordem é de −3 dB com relação à linha horizontal. Os vários tipos
de filtros, filtro Butterworth, filtro Chebyshev e outros, possuem "curvas de cotovelo"
diferentes. Muitos filtros de segunda ordem são projetados para possuir "pico"
ou ressonância, fazendo com que sua resposta em frequência na frequência de corte seja
"acima" da linha horizontal. Veja filtro eletrônico para ver os outros tipos.
Os significados de 'baixa' e 'alta', como a frequência de corte, dependem das
características do filtro. (O termo "filtro passa-baixas" se refere meramente ao formato da
resposta do filtro. Um filtro passa-altas pode ser construído de modo a cortar as
frequências menores que as de um filtro passa-baixas. São suas respostas que os
diferenciam, não a frequência de corte.) Os circuitos eletrônicos podem ser desenvolvidos
para qualquer faixa de frequência desejada, podem atingir inclusive a faixa
das microondas (acima de 1000 MHz) ou superior.

• Filtro passa-faixa: Filtro elétrico ou eletrônico que só permite a passagem de sinais


de frequências compreendidas dentro de uma certa faixa de frequência.

Filtro passivo: Filtro elétrico que contém apenas componentes passivos,


como resistores, capacitores, indutores e transformadores. A função de um módulo de
modificação do sinal é de modular o áudio provindo de um oscilador, gerador de ruídos
ou fonte externa. Quando o sinal passa pelo módulo, a amplitude, o timbre ou outros
aspectos dele são modificados de acordo com as regulagens feitas no painel do
equipamento.
VCF – VOLTAGE CONTROLLED FILTER

O VCF (filtro controlado por tensão) pode ser considerado a parte mais importante de um
sintetizador. É o circuito que corresponde ao elemento básico do som, o timbre. Nos
sintetizadores digitais de modelagem analógica, é encontrada apenas a denominação
Filtro. Tem por função modificar o timbre, ao acentuar ou filtrar certos harmônicos das
formas de onda criadas pelo VCO, gerador de ruídos ou fontes externas. O timbre é
produzido pela presença de harmônicos de diversas freqüências e o filtro permite
determinar faixas que podem ou não passar para o módulo seguinte, produzindo
modificações no brilho e na qualidade do som.

Corte de freqüência – cutoff frequency – Com o ajuste da freqüência de corte, são


determinados quais os harmônicos do som em que o filtro irá atuar. Modificando esse
parâmetro, é possível controlar o “brilho” do som (tone color). Elevando esse controle, a
frequência de corte será feita nos registros mais altos. O filtro pode ser de 12db (2-pole)
por oitava ou 24 db (4-pole) por oitava. Este último proporciona um corte mais intenso
na do que o de 12db.

Resonância – resonance, emphasis, peak ou q (quality) – é a acentuação da resposta de


frequência de um filtro em uma faixa específica. Elevando esse valor, os harmônicos da
região de corte da frequência são enfatizados.

TIPOS DE FILTROS DE UM SINTETIZADOR ANALÓGICO


HPF (High Pass Filter) – o “passa-alta” corta as frequências graves, e deve ser usado
para criar sons brilhantes e sem “massa”. Quando o filtro for HPF, e o valor de corte da
freqüência for elevado, o som possuirá menos parciais graves e será mais brilhante. Ao
mesmo tempo, o volume será menos intenso. Com ajustes muito altos, algumas formas
de onda não produzirão nenhum som.

BPF (Band Pass Filter) – O “passa-banda” permite escolher uma região de frequências
a ser ouvida e enfatiza as médias. Quando o filtro for BPF, apenas as faixas da região de
corte serão ouvidas. Com ajustes altos, pode ser que nenhum som seja ouvido.
LPF (Low Pass Filter) – O “passa-baixa” permite cortar frequências altas. Este é tipo de
filtro mais usado e permite tornar os timbres mais suaves.

Um filtro passa-alto (high pass filters) é um tipo de equalizador que elimina as freqüências
abaixo de um ponto de corte especificado, por isso o nome passar alto, você escolhe por
exemplo 40 Hz, e abaixo de 40 Hz será eliminado e o equalizador ira deixar passar apenas
as frequencias acima de 40 Hz, por isso Passa-alta, irá passar apenas as frequencias altas.

Bom também temos o iverso Low pass Filter (Filtro passa-baixa), como o nome já diz irá
passar apenas as baixas do ponto em que você escolher. Por exemplo: vamos aplicar o
filtro em 4 Khz , então apenas as frequencias abaixo de 4 Khz irão soar, já as frequencias
acima de 4 Khz serão eliminadas.