Você está na página 1de 48

SINAPI

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA


CONSTRUÇÃO CIVIL

CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA

PRODUÇÃO DE CONCRETO

LOTE 1
Versão: 004
Vigência: 07/2016
Última atualização: 07/2017
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

GRUPO PRODUÇÃO DE CONCRETO

A produção de concreto auxilia a execução de diversos serviços, como fundações profundas


(broca, strauss, escavada etc.), fundações rasas (sapatas, blocos, vigas baldrames etc.),
piso, preparo de base e estrutura. Logo, os dados coletados são provenientes de coletas dos
diferentes serviços onde se utilizava concreto preparado em obra.

Fazem parte desse grupo 14 composições de produção de concreto e 02 composições de


execução de lastro.

As composições aferidas para a produção do concreto são formadas por indicadores de:

• Mão de obra: servente e operador de equipamento


• Material: cimento, areia, brita
• Equipamento: betoneira de 400 litros e betoneira de 600 litros

A equipe de produção de concreto considerada é composta por um operador do equipamento,


responsável por carregar e descarregar o equipamento e operá-lo, e um ajudante que auxilia
no carregamento e descarregamento. O transporte do concreto é feito por outros ajudantes,
contemplados em outras composições.

Para o cálculo dos traços foram adotados os seguintes parâmetros:


Tabela 1: Parâmetros para transformação do traço e cálculo do consumo de materiais básicos

Massa
Massa Unitária
Material Específica i (%)
(kg/dm³)
(kg/dm³)
Cimento 3,15 1,35 0
Areia média 2,65 1,50 35
Brita 1 2,65 1,65 0

O consumo de cada insumo leva em conta as perdas na produção provenientes das sobras
de concreto nos equipamentos ou locais de mistura.

A produtividade do equipamento de mistura foi calculada com base em duas medições: o


tempo de ciclo de produção (formado pelos tempos de carregamento, mistura e
descarregamento) e o tempo ocioso (composto pela espera devido à demanda de frente e às
paradas na inicialização, finalização e almoço). A modelagem utilizada para o cálculo dos
tempos de ciclo (carregamento, mistura e descarregamento) é a mesma utilizada para
preparo de argamassa.

Página | 1
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

NORMAS E LEGISLAÇÃO

• NBR 5732:2014 – Cimento Portland Comum


• NBR 5733:2014 – Cimento Portland de alta resistência inicial
• NBR 5735: 2014 – Cimento Portland de alto-forno
• NBR 5736:1999 – Cimento Portland pozolânico
• NBR 5737: 2014 – Cimentos Portland resistentes a sulfatos
• NBR 11578: 2014 – Cimento Portland composto – Especificação
• NBR 12989: 2014 – Cimento Portland branco - Especificação
• NBR 11768:2015 – Aditivos químicos para concreto de cimento Portland –
Requisitos
• NBR 7211:2009 – Agregados para concreto – Especificação
• NBR NM 26:2009 – Agregados – Amostragem
• NBR 9775:2015 – Agregado miúdo – Determinação do teor de umidade
superficial por meio do frasco de Chapman – Método de ensaio
• NBR 6467:2009 – Agregados: Determinação do inchamento de agregado
miúdo
• NBR NM 248:2003 – Agregados: Determinação da Composição
Granulométrica
• NBR NM 45:2006 – Agregados: Determinação da Massa Unitária e do
volume de vazios
• NBR NM 52:2009 – Agregado miúdo - Determinação da massa específica
e massa específica aparente
• NBR NM 53:2009 – Agregado graúdo - Determinação da massa específica,
massa específica aparente e absorção de água–
• NBR 15577-1:2008 – Agregados - Reatividade álcali-agregado - Guia para
avaliação da reatividade potencial e medidas preventivas para uso de
agregados em concreto
• NBR 12655:2015 – Concreto de cimento Portland - Preparo, controle e
recebimento - Procedimento
• NBR 7212:2012 - Execução de concreto dosado em central
• NBR NM 33:1998 – Concreto - Amostragem de concreto fresco
• NBR 5738:2015 – Concreto – procedimento para moldagem e cura de
corpos-de-prova
• NBR 5739:2007 – Concreto - Ensaio de compressão de corpos de prova
cilíndricos
• NBR 10342:2012 – Concreto - Perda de abatimento – Método de ensaio
• NBR NM 67:1998 – Concreto - Determinação da consistência pelo
abatimento do tronco de cone

Página | 2
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

COMPOSIÇÕES AFERIDAS

Código Descrição Pág.

01.FUES.CONC.001/01 CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO 1:4,5:4,5


(CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO 4
94962 COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.002/01 CONCRETO FCK = 15MPA, TRAÇO 1:3,4:3,5 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 7
94963 400 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.003/01 CONCRETO FCK = 20MPA, TRAÇO 1:2,7:3 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 10
94964 400 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.004/01 CONCRETO FCK = 25MPA, TRAÇO 1:2,3:2,7 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 13
94965 400 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.005/01 CONCRETO FCK = 30MPA, TRAÇO 1:2,1:2,5 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 16
94966 400 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.006/01 CONCRETO FCK = 40MPA, TRAÇO 1:1,6:1,9 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 19
94967 400 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.007/01 CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO 1:4,5:4,5
(CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO 22
94968 COM BETONEIRA 600 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.008/01 CONCRETO FCK = 15MPA, TRAÇO 1:3,4:3,5 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 25
94969 600 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.009/01 CONCRETO FCK = 20MPA, TRAÇO 1:2,7:3 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 28
94970 600 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.010/01 CONCRETO FCK = 25MPA, TRAÇO 1:2,3:2,7 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 31
94971 600 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.011/01 CONCRETO FCK = 30MPA, TRAÇO 1:2,1:2,5 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 34
94972 600 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.012/01 CONCRETO FCK = 40MPA, TRAÇO 1:1,6:1,9 (CIMENTO/ AREIA
MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 37
94973 600 L. AF_07/2016
01.FUES.CONC.013/01 CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO 1:4,5:4,5
(CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MANUAL. 40
94974 AF_07/2016
01.FUES.CONC.014/01 CONCRETO FCK = 15MPA, TRAÇO 1:3,4:3,5 (CIMENTO/ AREIA
42
94975 MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO MANUAL. AF_07/2016
01.FUES.CONC.013/02 LASTRO DE CONCRETO, E = 3 CM, PREPARO MECÂNICO,
44
95240 INCLUSOS LANÇAMENTO E ADENSAMENTO. AF_07_2016
01.FUES.CONC.013/03 LASTRO DE CONCRETO, E = 5 CM, PREPARO MECÂNICO,
46
95241 INCLUSOS LANÇAMENTO E ADENSAMENTO. AF_07_2016

Página | 3
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.001/01 CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO


Código SIPCI 1:4,5:4,5 (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) -
M3
PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L.
94962 AF_07/2016
Vigência: 07/2016 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,5500
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,4500

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 212,2100


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,8590
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5790
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88830 CHP 0,8000
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_10/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88831 CHI 0,7500
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR –
CHI DIURNO. AF_10/2014

Página | 4
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo, sendo o traço ajustado
em função da natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região
da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 1,00.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.
• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos
em campo.

Página | 5
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 6
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.002/01
CONCRETO FCK = 15MPA, TRAÇO 1:3,4:3,5
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94963 MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,4700
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,3300

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 273,06


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,8360
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5790
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88830 CHP 0,7600
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_10/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88831 CHI 0,7100
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR –
CHI DIURNO. AF_10/2014

Página | 7
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas características

• Cimento Portland composto CP II-32.


• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 15 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,75.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.
• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos
em campo.

Página | 8
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 9
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.003/01
CONCRETO FCK = 20MPA, TRAÇO 1:2,7:3
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94964 MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,6000
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,5300

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 322,9800


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7850
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5870
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88830 CHP 0,8300
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_10/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88831 CHI 0,7800
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR –
CHI DIURNO. AF_10/2014

Página | 10
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas características

• Cimento Portland composto CP II-32.


• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 20 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,63.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.
• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos em
campo.

Página | 11
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 12
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.004/01
CONCRETO FCK = 25MPA, TRAÇO 1:2,3:2,7
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94965 MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,4600
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,3100

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 362,6600


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7510
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5930
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88830 CHP 0,7500
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_10/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88831 CHI 0,7100
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR –
CHI DIURNO. AF_10/2014

Página | 13
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 25 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,56.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.
• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos
em campo.

Página | 14
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 15
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.005/01
CONCRETO FCK = 30MPA, TRAÇO 1:2,1:2,5
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94966 MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,4500
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,3000

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 388,8800


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7350
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5890
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88830 CHP 0,7500
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_10/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88831 CHI 0,7000
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR –
CHI DIURNO. AF_10/2014

Página | 16
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 30 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,52.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.
• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos
em campo.

Página | 17
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 18
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.006/01
CONCRETO FCK = 40MPA, TRAÇO 1:1,6:1,9
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94967 MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,5400
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,4400

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 486,85


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7010
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5610
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88830 CHP 0,7900
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_10/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 400 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 280 L, MOTOR ELÉTRICO
C 88831 CHI 0,7500
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 2 CV, SEM CARREGADOR –
CHI DIURNO. AF_10/2014

Página | 19
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador

3. Equipamentos
• Betoneira: capacidade nominal 400 l, capacidade de mistura 280 l, motor
elétrico trifásico, potência de 2 CV, sem carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 40 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,42.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.
• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos
em campo.

Página | 20
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 21
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.007/01 CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO


Código SIPCI 1:4,5:4,5 (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) -
M3
PREPARO MECÂNICO COM BETONEIRA 600 L.
94968 AF_07/2016
Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,3300
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,1100

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 213,4500


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,8640
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5820
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89225 CHP 0,6900
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_11/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89226 CHI 0,6500
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHI DIURNO. AF_11/2014

Página | 22
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo, sendo o traço ajustado
em função da natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região
da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 1,00.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.

Página | 23
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos


em campo.

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 24
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.008/01
CONCRETO FCK = 15MPA, TRAÇO 1:3,4:3,5
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94969 MECÂNICO COM BETONEIRA 600 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,2800
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,0300

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 274,0600


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,8390
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5810
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89225 CHP 0,6600
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_11/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89226 CHI 0,6200
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHI DIURNO. AF_11/2014

Página | 25
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 15 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,75.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.

Página | 26
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos


em campo.
6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 27
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.009/01
CONCRETO FCK = 20MPA, TRAÇO 1:2,7:3
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94970 MECÂNICO COM BETONEIRA 600 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,2800
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,0300

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 325,1600


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7900
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5910
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89225 CHP 0,6600
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_11/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89226 CHI 0,6200
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHI DIURNO. AF_11/2014

Página | 28
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 20 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,63.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.

Página | 29
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos


em campo.

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 30
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.010/01
CONCRETO FCK = 25MPA, TRAÇO 1:2,3:2,7
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94971 MECÂNICO COM BETONEIRA 600 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,2500
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 1,9800

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 364,9400


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7550
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5970
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89225 CHP 0,6400
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_11/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89226 CHI 0,6100
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHI DIURNO. AF_11/2014

Página | 31
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 25 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,56.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.

Página | 32
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos


em campo.

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 33
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.011/01
CONCRETO FCK = 30MPA, TRAÇO 1:2,1:2,5
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94972 MECÂNICO COM BETONEIRA 600 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,2800
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,0300

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 391,5100


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7400
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5930
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89225 CHP 0,6600
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_11/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89226 CHI 0,6200
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHI DIURNO. AF_11/2014

Página | 34
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 30 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,52.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.

Página | 35
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos


em campo.

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 36
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.012/01
CONCRETO FCK = 40MPA, TRAÇO 1:1,6:1,9
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94973 MECÂNICO COM BETONEIRA 600 L. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
OPERADOR DE BETONEIRA ESTACIONARIA COM
C 88377 H 1,2800
ENCARGOS COMPLEMENTARES
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 2,0300

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 490,3500


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,7060
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5650
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89225 CHP 0,6600
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHP DIURNO. AF_11/2014
BETONEIRA CAPACIDADE NOMINAL DE 600 L,
CAPACIDADE DE MISTURA 360 L, MOTOR ELÉTRICO
C 89226 CHI 0,6200
TRIFÁSICO POTÊNCIA DE 4 CV, SEM CARREGADOR -
CHI DIURNO. AF_11/2014

Página | 37
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

3. Equipamentos
• Betoneira capacidade nominal de 600 l, capacidade de mistura 360 l, motor
elétrico trifásico potência de 4 cv, sem carregador, O insumo pode ser
substituído por betoneira de mesma capacidade com motor a diesel
potência 10 HP, com carregador.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 40 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do concreto.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,42.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) do
equipamento da seguinte forma:
• CHP: considera os tempos de carregamento, mistura e
descarregamento;
• CHI: considera os demais tempos da jornada de trabalho
• Os tempos de carregamento foram calculados a partir dos valores medidos
em campo, considerando a capacidade de mistura do equipamento.
• O tempo de mistura foi calculado a partir dos valores medidos em campo
e referências bibliográficas.

Página | 38
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

• O tempo de descarregamento foi calculado a partir dos valores medidos


em campo.

6. Execução
• Lançar parte da água e todo agregado na betoneira, colocando-a em
movimento;
• Lançar o cimento conforme dosagem indicada;
• Após algumas voltas da betoneira, lançar o restante da água;
• Respeitar o tempo mínimo de mistura indicado pela normalização técnica
e/ou pelo fabricante do equipamento, permitindo a mistura homogênea de
todos os materiais.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 39
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.013/01
CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO
Código SIPCI 1:4,5:4,5 (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - M3
94974 PREPARO MANUAL. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 10,1800

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 218,8400


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,8860
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5970
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211

Página | 40
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

3. Equipamentos
• Não se aplica.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo, sendo o traço ajustado
em função da natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região
da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do graute.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 1,00.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Os tempos de transporte foram calculados a partir dos valores medidos em
campo, considerando a mistura.

6. Execução
• Fazer uma mistura inicial a seco da areia, cimento e brita, conforme
dosagem indicada;
• Adicionar água aos poucos, misturando com uma enxada até se obter uma
massa homogênea e livre de grumos.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 41
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.014/01
CONCRETO FCK = 15MPA, TRAÇO 1:3,4:3,5
Código SIPCI (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3
94975 MANUAL. AF_07/2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 07/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 10,0200

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 277,7200


AREIA MÉDIA - POSTO JAZIDA/ FORNECEDOR (SEM
I 370 M³ 0,8500
FRETE)
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 A 19 MM) POSTO
I 4721 M³ 0,5890
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

2. Itens e suas Características


• Cimento Portland composto CP II-32.
• Areia média – areia média úmida, com coeficiente de inchamento de 1,35,
pronta para o uso. Caso seja necessário peneiramento, utilizar composição
correspondente.
• Brita 1 - agregado graúdo com dimensão granulométrica entre 9,5 e 19 mm
e que atenda à norma ABNT NBR 7211

Página | 42
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

3. Equipamentos
• Não se aplica.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume necessário para execução de um determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo. Para que seja atingida
a resistência característica de 15 MPa aos 28 dias de idade deve ser
efetuado estudo de dosagem, sendo o traço ajustado em função da
natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos com o preparo do graute.
• O traço indicado na composição refere-se à massa de materiais secos,
porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume de
material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de
inchamento de 1,35 para a areia.
• Considerou-se ainda relação água/cimento igual a 0,75.
• Para o cálculo do consumo de insumos para a produção do concreto, foram
consideradas as sobras ao final do dia.
• Os tempos de transporte foram calculados a partir dos valores medidos em
campo, considerando a mistura.

6. Execução
• Fazer uma mistura inicial a seco da areia, cimento e brita, conforme
dosagem indicada;
• Adicionar água aos poucos, misturando com uma enxada até se obter uma
massa homogênea e livre de grumos.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 43
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.013/02
LASTRO DE CONCRETO, E = 3 CM, PREPARO
Código SIPCI MECÂNICO, INCLUSOS LANÇAMENTO E M2
95240 ADENSAMENTO. AF_07_2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 12/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
LANÇAMENTO COM USO DE BALDES, ADENSAMENTO
C 92873 E ACABAMENTO DE CONCRETO EM ESTRUTURAS. M3 0,0300
AF_12/2015
CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO 1:4,5:4,5
I 94962 (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3 0,0300
MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

2. Itens e suas Características


• Lançamento com uso de baldes, adensamento e acabamento de concreto
em estruturas.
• Concreto magro para lastro, traço 1:4,5:4,5 (cimento/areia média/ brita 1)
preparado mecanicamente com betoneira 400 l.

3. Equipamentos
• Não se aplica.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar a área necessária para execução do determinado serviço.
• O traço apresentado no item 1 é apenas indicativo, sendo o traço ajustado
em função da natureza dos materiais efetivamente disponíveis na região
da obra.

5. Critérios de Aferição
• O traço indicado na composição auxiliar refere-se à massa de materiais
secos, porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume
de material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de

Página | 44
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

inchamento de 1,35 para a areia. Para tanto, foi considerada a relação


água/cimento igual a 1,00.
• A presente composição foi elaborada a partir da junção dos serviços
aferidos de lançamento com uso de baldes, adensamento e acabamento
de concreto em estruturas e preparo de concreto magro para lastro, com
uso de betoneira, com os coeficientes definidos para aplicação por área.

6. Execução
• Fazer uma mistura inicial a seco da areia, cimento e brita, conforme
dosagem indicada;
• Adicionar água aos poucos, misturando com uma enxada até se obter uma
massa homogênea e livre de grumos.
• Após a verificação da trabalhabilidade (abatimento / “slump”), lançar o
material com a utilização de baldes e adensá-lo com uso de vibrador de
imersão, de forma a que toda a superfície e os componentes embutidos
sejam adequadamente envolvidos na massa de concreto;
• Adensar o concreto de forma homogênea, conforme NBR 14931:2004, a
fim de não se formarem ninhos, evitando-se vibrações em excesso que
venham a causar exsudação da pasta / segregação do material.
• Conferir o nível do lastro aplicado ao final da execução.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 45
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

CLASSE: FUES - FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS


Tipo: 0043 – CONCRETOS

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade

01.FUES.CONC.013/03
LASTRO DE CONCRETO, E = 5 CM, PREPARO
Código SIPCI MECÂNICO, INCLUSOS LANÇAMENTO E M2
95241 ADENSAMENTO. AF_07_2016

Vigência: 07/2016 Última atualização: 12/2016

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
LANÇAMENTO COM USO DE BALDES, ADENSAMENTO
C 92873 E ACABAMENTO DE CONCRETO EM ESTRUTURAS. M3 0,0500
AF_12/2015
CONCRETO MAGRO PARA LASTRO, TRAÇO 1:4,5:4,5
I 94962 (CIMENTO/ AREIA MÉDIA/ BRITA 1) - PREPARO M3 0,0500
MECÂNICO COM BETONEIRA 400 L. AF_07/2016

2. Itens e suas Características


• Lançamento com uso de baldes, adensamento e acabamento de concreto
em estruturas.
• Concreto magro para lastro, traço 1:4,5:4,5 (cimento/areia média/ brita 1)
preparado mecanicamente com betoneira 400 l.

3. Equipamentos
• Não se aplica.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar a área necessária para execução do determinado serviço.
• O traço apresentado na composição auxiliar é apenas indicativo, sendo o
traço ajustado em função da natureza dos materiais efetivamente
disponíveis na região da obra.

5. Critérios de Aferição
• O traço indicado na composição auxiliar refere-se à massa de materiais
secos, porém o consumo de areia foi determinado considerando o volume
de material úmido, adotando-se módulo de finura de 2,8 e coeficiente de

Página | 46
SINAPI - Caderno Técnico do Serviço – Produção de Concreto

inchamento de 1,35 para a areia. Para tanto, foi considerada a relação


água/cimento igual a 1,00.
• A presente composição foi elaborada a partir da junção dos serviços
aferidos de lançamento com uso de baldes, adensamento e acabamento
de concreto em estruturas e preparo de concreto magro para lastro, com
uso de betoneira, com os coeficientes definidos para aplicação por área.

6. Execução
• Fazer uma mistura inicial a seco da areia, cimento e brita, conforme
dosagem indicada;
• Adicionar água aos poucos, misturando com uma enxada até se obter uma
massa homogênea e livre de grumos.
• Após a verificação da trabalhabilidade (abatimento / “slump”), lançar o
material com a utilização de baldes e adensá-lo com uso de vibrador de
imersão, de forma a que toda a superfície e os componentes embutidos
sejam adequadamente envolvidos na massa de concreto;
• Adensar o concreto de forma homogênea, conforme NBR 14931:2004, a
fim de não se formarem ninhos, evitando-se vibrações em excesso que
venham a causar exsudação da pasta / segregação do material.
• Conferir o nível do lastro aplicado ao final da execução.

7. Informações Complementares
• Não se aplica.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 47

Você também pode gostar