Você está na página 1de 6

09/05/2010

PREVENÇÃO E
Curso Técnico de
CONTROLE DE PERDAS
Segurança do Trabalho
Professor: RAPHAEL LUIZ BORBA
E-mail: rlbtec@yahoo.com.br

Modulo III msn: raphael@cenciseg.com.br


raphael_tst@hotmail.com

Período: 6 a 19 de maio de 2010


10 aulas / 40 horas

CONTEUDO PROGRAMATICO A EVOLUÇÃO DO PREVENCIONISMO


• A EVOLUÇÃO DO PREVENCIONISMO • A informação mais antiga sobre a preocupação
• DEFINIÇOES NECESSARIAS E PROGRAMA DE SEGURANÇA DE com a segurança do trabalho está registrada num
SISTEMAS documento egípcio. O papiro Anastacius V fala da
preservação da saúde e da vida do trabalhador e
• SISTEMAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE PERDAS
descreve as condições de trabalho de um
• ANALISE DE RISCOS - CONCEITOS BASICOS pedreiro.
• IDENTIFICAÇÃO, AVALIAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE RISCOS • Também no Egito, no ano 2360 a.C., uma
• TECNICAS DE ANALISE DE RISCO insurreição (revolta) geral dos trabalhadores,
• COMPOSIÇÃO DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO E deflagrada (desencadeada) nas minas de cobre,
CONTROLE TOTAL DE PERDAS evidenciou ao faraó a necessidade de melhorar as
• AVALIAÇÃO DAS PERDAS DE UM SISTEMA condições de vida dos escravos.

TEMPOS MODERNOS – CHARLIE CHAPLIN

A EVOLUÇÃO DO PREVENCIONISMO

• No Brasil, podemos fixar por volta de


1930 a nossa revolução industrial e,
embora tivéssemos já a experiência de
outros países, em menor escala, é bem
verdade, atravessamos os mesmos
percalços, o que fez com que se
falasse, em 1970, que o Brasil era o
campeão mundial de acidentes do
trabalho.

1
09/05/2010

A EVOLUÇÃO DO PREVENCIONISMO A EVOLUÇÃO DO PREVENCIONISMO


• INSTITUIDO DECRETO nº 21.175, de 21 de março de 1932, Carteira de Trabalho. Em
1934 tornou-se obrigatória para todas as empresas. • Lei 10.666/2003 FAP – FATOR ACIDENTARIO
• CRIADA A JUSTIÇA DO TRABALHO EM 1939
• DECRETO-LEI N.º 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943 PREVIDENCIARIO
Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho.
Sancionada por Getulio Vargas • PORTARIA Nº 202, DE 22-12-2006 NR – 33
• Lei 5.316, de 14.09.67 SAT – SEGURO ACIDENTE DE TRABALHO SEGURANÇA E SAUDE NOS TRABALHOS EM
• LEI Nº 6.514 - DE 22 DE DEZEMBRO DE 1977
DOU (Diário Oficio da União) DE 23/12/77 ESPAÇO CONFINADOS
Altera o Capítulo V do Titulo II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo a segurança e medicina do
trabalho e dá outras providências.
• Lei nº 11.770 de 9-9-2008 - Prorroga a licença
• PORTARIA Nº 3.214, DE 8-6-1978 NORMAS REGULAMENTADORAS
• PORTARIA Nº 3.067 DE 12-4-1988 NORMAS REGULAMENTADORAS maternidade , Regulamentada final de dezembro
RURAIS de 2009, inicio vigor janeiro de 2010
• Portaria Nº 3.626, de 13 de Novembro de 1991 – acrescenta
algumas alterações, CARTEIRA DE TRABALHO

Entenda o que é FAP


DEFINIÇÕES NECESSARIAS E
PROGRAMAS DE SEGURANÇA DE
SISTEMAS

SEGURANÇA DE
SEGURANÇA DE
SISTEMAS
(OPERACIONAL) PESSOAS SISTEMAS
(INFORMAÇÃO)

SEGURANÇA
DE SISTEMAS
(AMBIENTAL)

PESSOAS
Para atender as necessidades de
segurança de uma empresa o Programa São responsáveis por realizar trabalhos,
de Segurança de Sistemas (PSS) aborda braçais ou intelectuais. Podemos considerar
os seguintes segmentos: segurança de
como principal patrimônio de uma organização,
sistema operacional, segurança de
sistema da informação e segurança de o bem mais valioso.
sistema ambiental; as pessoas e sua O custo da perda de uma vida não pode
segurança permeiam todos estes ser medido nem calculado, devendo sempre ter
segmentos. Esses segmentos não são a atenção voltada para garantir a preservação
necessariamente isolados. Existem
das pessoas.
regiões de sobreposição, que servem
para reforçar a segurança.

2
09/05/2010

PRINCIPAIS CRITERIOS DE SELEÇÃO SEGURANÇA DE SISTEMAS


OPERACIONAL
• Grau de instrução de acordo com a
É utilizada para avaliar e assegurar a
função;
melhor maneira de realizar os processos
• Estrutura física de acordo com a função; operacionais, são estudados os
• Avaliação psicológica; procedimentos, máquinas e
• Exames médicos e laboratoriais. equipamentos utilizados no processo
produtivo, bem como a matéria prima a
ser empregada na fabricação de um
determinado bem.

PRINCIPAIS SEGMENTOS DE SEGURANÇA DE SISTEMAS


AVALIAÇÃO: DA INFORMAÇÃO
• ATIVIDADE - Descrição detalhada da É utilizada com o intuito de proteger as
atividade. informações da empresa e assegurar a
• MAQUINAS E EQUIPAMENTOS - Descrição continuidade dos negócios, garantindo a
detalhada do funcionamento das máquinas e integridade, confidencialidade e
utilização de equipamentos. disponibilidade das informações,
• MATERIA PRIMA - Descrição detalhada da sistemas de informação e recursos.
matéria prima e sua utilização.

PRINCIPAIS SEGMENTOS DE SEGURANÇA DE SISTEMA


AVALIAÇÃO AMBIENTAL
• FISICO- Conjunto de medidas destinado a prevenir riscos naturais,
É utilizada para avaliar e assegurar a
acidentais, intencionais e acessos não autorizados às instalações e recursos da
empresa.
• PESSOAS-Conjunto de medidas destinado a prevenir acidentes, melhor condição de trabalho, são
garantir a saúde e segurança dos empregados no trabalho, reduzir os erros,
fraudes e mau uso de recursos e proteger o conhecimento obtido. estudados os riscos ambientais, máquinas
• LOGICO- Conjunto de medidas destinado a garantir a integridade,
e equipamentos, instalações em geral,
confidencialidade e disponibilidade de sistemas, software, dados e informação.

• COMUNICAÇÃO- Conjunto de medidas destinado a bem como o ambiente externo da


garantir a integridade, confidencialidade e disponibilidade da
informação, durante o tráfego na rede. empresa, localização geográfica, rotas de
• COMPUTAÇÃO PESSOAL- Conjunto de medidas
destinado a garantir a integridade, confidencialidade e disponibilidade acesso para se chegar ao trabalho.
das informações no ambiente de computação pessoal (estações de
trabalho, microcomputadores standalone ou portáteis).

3
09/05/2010

PRINCIPAIS SEGMENTOS DE PROGRAMA DE SEGURANÇA


AVALIAÇÃO DE SISTEMAS
• Estrutura e arranjo físico • ETAPAS PARA ELABORAÇÃO:
• Riscos ambientais – físicos, químicos,
biológicos, ergonômicos e mecânicos 1ª ETAPA – GERENCIAMENTO DE
• Instalações elétricas RISCOS
2ª ETAPA – DESENVOLVIMENTO DO
• Instalações hidráulicas e sanitárias PSS?
• Sistemas de prevenção e combate a incêndio 3ª ETAPA – EMPLEMENTAÇÃO
• Localização geográfica 4ª ETAPA – MONITORAMENTO DA
SEGURANÇA
• Acesso
5ª ETAPA – AUDITORIA

1ª ETAPA – GERENCIAMENTO O gerenciamento de riscos consiste das


DE RISCOS seguintes fases principais:
Etapa que visa a proteção dos recursos da • IDENTIFICAÇÃO DOS RECURSOS A SEREM
PROTEGIDOS (pessoas, instalações, maquinas, equipamentos,
empresa, por meio da eliminação, redução ou hardware, rede, software, dados, documentação, suprimentos);
transferência dos riscos, conforme seja • IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS (AMEAÇAS) - que podem ser
economicamente (e estrategicamente) mais viável. naturais (tempestade, inundações), causadas por pessoas (ataques, furto,
vandalismo, erro ou negligência), causada por maquinas (ruído, fumaça,
Os seguintes pontos devem ser identificados: vibração) ou de outro tipo (incêndio);
• ANÁLISE DOS RISCOS (vulnerabilidades e impactos) - identificar
• O que deve ser protegido? as vulnerabilidades e os impactos associados;
• Deve ser protegido contra quem ou contra o • AVALIAÇÃO DOS RISCOS (probabilidade de ocorrência) -
levantamento da probabilidade da ameaça vir ou não a acontecer. Esta
quê? avaliação pode ser feita com base em informações históricas ou em tabelas
internacionais.
• Quanto pode ser gasto na proteção ? • TRATAMENTO DOS RISCOS (medidas a serem adotadas) - maneira
como lidar com as ameaças.
Necessidade de uma análise da relação custo x
benefício para o negócio.

Considerações importantes no
As principais alternativas são : gerenciamento dos riscos:
• os riscos que não puderem ser eliminados devem
• eliminar o risco; estar documentados e devem ser do
conhecimento do cliente (proprietário ou
• prevenir; interessado no programa);
• um efetivo gerenciamento dos riscos permite
• limitar ou transferir as perdas; decidir se o custo de prevenir um risco (medida de
• aceitar o risco; proteção) é mais alto que o custo das
consequências do risco (impacto da perda);
• faz-se necessária a participação e o envolvimento
do cliente (proprietário ou interessado no
programa).

4
09/05/2010

Valor da Informação No processo de determinação do valor da


informação três aspectos básicos devem ser
considerados : (exemplo PSSI)
• No gerenciamento de riscos uma variável
fundamental é o valor da informação • toda informação requer algum tipo de
(pessoa ou bem) a ser protegido. A recurso para ser produzida e mantida
informação ou recurso deve ser protegido (dinheiro, tempo, equipamentos, pessoas,
conforme sua necessidade, evitando etc.);
situações extremas de superproteção • nem toda informação causa danos se for
(elevando o custo) ou de falta de proteção divulgada;
(trazendo riscos para a saúde ou • a informação deve ser protegida apenas
negócios). pelo prazo necessário;

Na determinação do valor da informação


algumas questões devem ser utilizadas :
O risco pode ser definido da
• qual o custo para produzir a informação ?
seguinte forma:
• qual o custo para substituir a informação ?
• qual o impacto caso a informação esteja
indisponível ?
• qual o impacto caso a informação seja
divulgada de forma não autorizada?
• existe alguma exigência legal para a
proteção da informação?
• Quais as penalidades caso a informação não
seja protegida adequadamente?

2ª ETAPA – DESENVOLVIMENTO DO
PSS?

A Política do Programa de Prevenção e


Controle de Perdas da empresa ou
organização é o referencial para o PSS? e
deve orientar na definição e adoção de
normas, para reduzir riscos e garantir a
integridade, confidencialidade e
disponibilidade das pessoas, informações,
sistemas de informação e recursos.

5
09/05/2010

3ª ETAPA – EMPLEMENTAÇÃO 4ª ETAPA – MONITORAMENTO DA SEGURANÇA

• Uma vez identificados os recursos a serem O PSS? e sua efetividade devem ser
protegidos e riscos associados, as medidas monitorados e revisados permanentemente
de segurança necessárias devem ser
implantadas de acordo com as normas e de forma estratégica pela Unidade de
procedimentos estabelecidos na etapa Gestão, visando manter soluções de
anterior – Desenvolvimento do PSS?. segurança integradas e homogêneas,
• A implementação e a manutenção do PSS? considerando as mudanças tecnológicas,
dependem de ações específicas da Unidade direcionamentos estratégicos de negócio e
Corporativa, Unidades de Gestão e área necessidades dos Clientes.
responsável pela auditoria.

Indicadores 5ª ETAPA – AUDITORIA


O uso de indicadores tem os seguintes
objetivos principais: O processo de auditoria deve ser
conduzido pela auditoria interna e sua
• Identificar os riscos e minimizá-los de uma forma operacionalização pode ser realizada
consistente; internamente ou por empresa externa. As
• Acompanhar a implantação das medidas de Unidades de Gestão devem ter disponíveis
segurança;
informações que permitam atender às suas
• Realizar ajustes medidas de segurança adotadas;
• Identificar evolução no processo segurança;
necessidades de auditoria e necessidades
• Justificar os investimentos na segurança. dos Clientes.