Você está na página 1de 3

Cópia não autorizada

AGO./1991 EB-2132
Hipoclorito de sódio
ABNT-Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA

Especificação

Origem: Projeto 02:009.05-011/90


CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
Copyright © 1990, CE-02:009.05 - Comissão de Estudo de Produtos Químicos para Tratamento
ABNT–Associação Brasileira EB-2132 - Sodium hypochlorite for water treatment - Specification
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavra-chave: Hipoclorito de sódio 3 páginas
Todos os direitos reservados

SUMÁRIO cial - Determinação do teor de cloro ativo pelo méto-


1 Objetivo do volumétrico - Método de ensaio
2 Documentos complementares
3 Definições NB-836 - Preenchimento da ficha de emergência pa-
4 Condições gerais ra o transporte de cargas perigosas - Procedimento
5 Condições específicas
6 Inspeção NB-837 - Emprego da simbologia para o transporte
7 Aceitação e rejeição rodoviário de produtos perigosos - Procedimento

NB-1042 - Conjunto de equipamento de proteção


1 Objetivo individual para avaliação de emergência e fuga no
transporte rodoviário de produtos perigosos - Proce-
Esta Norma fixa as condições exigíveis para o fornecimento dimento
de hipoclorito de sódio utilizado, entre outros fins, como
agente desinfectante no tratamento de água para abas- NB-1058 - Conjuntos de equipamentos para emer-
tecimento público. gências no transporte rodoviário de produtos perigo-
sos - Procedimento
2 Documentos complementares
NB-1362 - Amostragem de hipoclorito de sódio - Pro-
Na aplicação desta Norma é necessário consultar: cedimento

DL 96044, de maio/88, do Ministério dos Transportes PB-977 - Ficha de emergência para o transporte de
carga perigosa - Características e dimensões - Pa-
Portaria 291, de maio/88, do Ministério dos Transportes dronização

Portaria 56/BSB, de 14 de março de 1977, do Ministério PB-978 - Envelope para transporte de cargas perigo-
da Saúde sas - Dimensões e utilizações - Padronização

MB-2371 - Solução de hipoclorito de sódio comer- SB-54 - Símbolos de risco e manuseio para o transpor-
cial - Determinação do teor de hidróxidos e carbonato te e armazenagem de material - Simbologia
de sódio - Método de ensaio
TB-188 - Transporte de cargas perigosas - Termino-
MB-2410 - Solução de hipoclorito de sódio comer- logia
Cópia não autorizada
2 EB-2132/1991

3 Definições c) ficha de emergência,

Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições - preenchida segundo a NB-836 e PB-977;
de 3.1 e 3.2.
d) envelope de embarque,
3.1 Hipoclorito de sódio
- preenchido segundo a PB-978;
Solução aquosa, alcalina, de coloração amarelada, límpida
e de odor característicos, contendo concentrações va-
e) EPIs e equipamentos de emergência,
riadas de cloro ativo.
- segundo a NB-1042 e NB-1058.
3.2 Cloro ativo ou cloro disponível

Expressão empregada para caracterizar quantitativamen- 4.4 Estocagem


te no produto objeto desta Norma o cloro contido capaz de
produzir oxidação. 4.4.1 A granel

4 Condições gerais Em reservatórios protegidos de seu efeito oxidante, utili-


zando materiais como: ebonite, PVC, polietileno ou outros.
4.1 Apresentação
Nota: Antes da descarga do veículo-tanque, recomenda-se efetuar
O hipoclorito de sódio apresenta-se na forma de solução, uma drenagem de pelo menos 30 L de hipoclorito de sódio
pela válvula de descarga, a fim de eliminar possíveis de-
miscível em todas as proporções em água.
posições de materiais estranhos que eventualmente se
acumulam na válvula, para não contaminar o produto no
4.2 Fornecimento tanque de estocagem.

4.2.1 Granel
4.4.2 Embalado
Em veículos-tanques revestidos com materiais compatí-
Em área coberta, com ambiente seco e arejado, sobre es-
veis com o produto, tais como: PVC, ebonite, resina po-
trados de madeira. Devem ser observados cuidados quan-
liéster e outros.
to ao efeito provocado pela evolução de oxigênio na em-
balagem, ocasionado pelo prolongado tempo de estoca-
4.2.2 Embalado
gem, temperatura elevada e incidência de luz solar. Esta
Em recipientes opacos,de materiais compatíveis com o evolução de oxigênio ocorre em conseqüência da de-
produto, tais como: polietileno, polipropileno, PVC, de vo- gradação do hipoclorito de sódio.
lumes variados, nos quais devem constar, no mínimo, as
Nota: Recomenda-se o uso, nas embalagens de hipoclorito de
seguintes identificações:
sódio, de tampas valvuladas para alívio da pressão interna.
a) nome do produto;
5 Condições específicas
b) fornecedor;
O produto deve atender às características constantes na
Tabela.
c) rótulo de risco (corrosivo - classe 8);
Tabela - Composição química
d) peso líquido. Hipoclorito
Características de sódio
4.3 Identificação para transporte
Cloro ativo
Segundo o DL 96044 e a Portaria 291, do Ministério dos (% em massa como Cl) - mínimo 10,0
Transportes, e as normas NB-836, NB-837, NB-1042,
NB-1058, PB-977, PB-978, SB-54 e TB-188, veículos que Hidróxidos
transportam hipoclorito de sódio devem portar: (% em massa como NaOH) - mínimo 0,5

a) rótulo de risco, Notas: a) O hipoclorito de sódio, objeto desta Norma, não deve
conter substâncias minerais ou orgânicas, solúveis ou
- segundo a Figura 17 da SB-54 e Figura 1 da em suspensão, em quantidades que tornem a água
NB-837, deve ser colocado nas laterais e trasei- tratada imprópria para o consumo, isto é, fora dos
ra do veículo (CORROSIVO - CLASSE 8); padrões de potabilidade prescritos na Portaria 56/BSB,
do Ministério da Saúde.
b) painel de segurança,
b) Os valores especificados na Tabela são válidos para o
momento de recebimento do produto pelo cliente. Por
- segundo a Portaria 291, do Ministério dos Trans-
se tratar de um produto instável, devem ser observados
portes, e NB-837, deve ser colocado nas laterais, cuidados no transporte de hipoclorito de sódio quanto a:
traseira e frente do veículo, contendo na parte temperaturas elevadas, incidência de luz, limpeza de
inferior o número da ONU (nº da ONU: 1791) e na recipientes de acondicionamento e tempo de trânsito do
parte superior o número de identificação de risco veículo até o local de entrega, a fim de atender aos
(nº de RISCO 85); limites especificados na Tabela.
Cópia não autorizada
EB-2132/1991 3

6 Inspeção 7 Aceitação e rejeição

6.1 A inspeção deve ser executada em uma amostra re- O produto deve ser aceito caso atenda a todas as carac-
presentativa da amostragem feita no lote recebido, que terísticas estabelecidas nesta Norma. Em caso de diver-
deve ser coletada segundo a NB-1362. gência nos resultados analíticos entre comprador e for-
necedor, pode ser indicado um laboratório, escolhido de
6.2 As análises do produto, para determinação das carac- comum acordo.
terísticas definidas na Tabela, devem ser executadas se-
gundo a MB-2371 e MB-2410.