Você está na página 1de 17

APRESENTAÇÃO

Considerado um dos maiores distúrbios sexuais do


homem moderno, a ejaculação precoce interfere não
somente na vida sexual do casal e, principalmente
do homem, como também na condição emocional e
pessoal do indivíduo.

A incapacidade de proporcionar uma transa


satisfatória para a parceira e para si próprio é uma
das consequências que esse problema acarreta na
vida do homem. À longo prazo, isso desestabiliza não
só a saúde do relacionamento, como o psicológico
do homem que sofre com o distúrbio.

Se você foi diagnosticado com ejaculação precoce


e não consegue controlar a ejaculação em mais de
50% das relações sexuais, então, este e-book foi
feito para você! Se deseja acabar com o problema
sem precisar utilizar de tratamentos invasivos,
caros e que fazem uso de substâncias que podem
colocar sua saúde em risco, além de recuperar o
desempenho sexual e usufruir de uma relação de
qualidade, acompanhe o conteúdo até o final!
O conteúdo que vamos apresentar trata-
se de uma técnica de massagem íntima
publicada pela revista acadêmica Ártemis.
Ela é chamada pelo pelo autor de “método
alternativo de dessensibilização da glande”
e é uma valiosa aposta de recurso para o
controle da ejaculação e, sobretudo, para a
autoconsciência corporal. A autoconsciência
corporal é aquilo que vai te ajudar a ter
o controle total do seu prazer e das suas
reações corporais aos estímulos.

A partir de agora, você aprenderá uma técnica


inédita e, para garantir resultados excelentes,
tudo o que você precisa é do seu próprio
corpo!

Preparado?
O impacto da Ejaculação
Precoce na vida sexual do
casal
A sexualidade possui um papel muito importante
na vida emocional do homem, tanto para a sua
autoimagem, quanto para destacar o seu papel de
masculinidade na sociedade.

Ou seja, se a vida sexual é afetada de alguma


maneira, é possível que sentimentos como crise de
identidade e baixa autoestima possam surgir em
alguma etapa do processo da disfunção.

Por isso, está cada vez mais recorrente o número


de homens que têm buscado ajuda de profissionais
da saúde com a finalidade de solucionar questões
envolvendo a saúde sexual.

E quais são as maiores


preocupações dos homens
em relação à sexualidade?
Entre as queixas mais comuns relatadas pelos
consultórios médicos, a maioria estão relacionadas
à anatomia do órgão sexual, como o tamanho ou
formato, bem como a dificuldade de obter uma ereção
duradoura e a ejaculação precoce, distúrbio sexual mais
comum entre os homens.

Essas preocupações estão cada vez maiores devido a


responsabilidade do homem de proporcionar o orgasmo
feminino. Uma vez que, se a relação não durar tempo o
suficiente, elas raramente conseguem atingir o ápice do
prazer. O empenho e o tempo de duração do homem
são fundamentais no processo de ambos alcançarem o
orgasmo.

Tais fatores vem aumentando ainda mais a busca pelo


bom desempenho sexual em relação ao tempo (duração
do coito e condição física até o momento da parceira
conseguir atingir o orgasmo).

Em parte, isso está associado também às reivindicações


femininas atuais e a mudança do comportamento
masculino em relação ao século passado, visto que
o exercício da sexualidade masculina repousava
tranquilamente sobre o comodismo de não se
preocupar com o prazer das mulheres.

E, cada vez mais, essa postura comodista está ficando


no passado para garantir a satisfação plena do casal
durante o sexo, não apenas de uma das partes.
Portanto, se você está preocupado em acabar com
qualquer problema que atrapalhe a sua potência sexual,
dificultando o prazer da sua parceira, isso demonstra
claramente que você se encaixa no que chamamos de
Macho Alfa.

Macho Alfa, isso mesmo!

Esse termo refere-se ao modelo de homem que não


abandona suas origens e está sempre disposto a ir
em busca de suas conquistas. Sempre pensando
em si mesmo, no seu desenvolvimento pessoal e
amadurecimento, sem deixar de pensar no bem estar
dos outros.

Se você não se considera uma Macho Alfa, não precisa


preocupar. Saiba que todo homem tem o potencial
de desenvolver essa característica, o que muitos não
sabem é como praticá-la e aperfeiçoá-la da melhor
maneira. Se você deseja aprender como fazer isso,
clique aqui e veja como potencializar o seu Efeito Alfa.

Antes de ensinarmos a mais inovadora técnica da


massagem íntima capaz de controlar a ejaculação, é
importante aprofundarmos no que se refere à esse
distúrbio. Vamos lá?
Ejaculação Precoce:
causas, sintomas e
tratamentos

O homem só é considerado precoce quando não


consegue ter o controle sobre o momento da
ejaculação em mais de 50% das relações sexuais.
Essa manifestação pode ocorrer até mesmo antes do
sexo, como nos casos mais graves, logo no começo ou
durante a penetração, após poucos minutos.

O diagnóstico é feito basicamente através do histórico


clínico do paciente e relatos relacionados aos seus
hábitos sexuais. Por exemplo, quando ele relata que
não sabe exatamente o momento que irá ejacular e, por
conta disso, fica impossível controlar.

Ao contrário do que as pessoas pensam, se esse


descontrole acontecer uma ou duas vezes durante a
relação sexual não será suficiente para determinar se o
homem sofre desse distúrbio.

Portanto, é importante ficar atento ao número de vezes


que seu corpo sente dificuldades para ejacular, para,
assim, relatá-las na consulta com o especialista.
Causas comuns da
ejaculação precoce
A causa exata da ejaculação precoce ainda é
desconhecida, mas os médicos acreditam que fatores
psicológicos e biológicos estejam envolvidos nos
motivos que levam à ocorrência desse problema.

Fatores psicológicos
• Ansiedade;
• Insegurança;
• Pressões estéticas e pressão de desempenho;
• Problemas de relacionamento;
• O uso de alguns medicamentos antidepressivos.

Fatores biológicos
• Níveis hormonais acima do normal;
• Níveis de neurotransmissores acima do normal;
• Atividade anormal do sistema ejaculatório;
• Distúrbios da tireoide;
• Disfunção erétil;
• Inflamação ou infecção na próstata e na uretra;
• Fatores genéticos;
• Danos no sistema nervoso causados por experiências
traumáticas ou cirurgias.
E quais são os sintomas da
EP?
Os sintomas da ejaculação precoce, inicialmente,
correspondem ao descontrole ejaculatório. No entanto,
essa característica precoce pode ocorrer algumas vezes
até mesmo na masturbação, o que não caracteriza
como distúrbio.

Como dito anteriormente, para ser diagnosticado com o


problema, o homem precisa apresentar esse quadro em
pelo menos 50% das relações sexuais.

Isso porque situações momentâneas do dia dia que


provocam ansiedade e estresse podem atrapalhar o
controle ejaculatório em situações isoladas.

Os especialistas costumam classificar a ejaculação


precoce em duas categorias: como primária ou
secundária.

Na primária, o distúrbio é identificado durante toda a


vida do homem e seus sintomas são:

• Dificuldade de segurar uma ereção com menos de um


minuto de penetração;
• Inabilidade de retardar a ereção durante o ato sexual;
• Estresse, frustração e o ato de evitar intimidade sexual
com a parceira.
Já na secundária, o homem apresenta os mesmos
sintomas da primária, porém, com a diferença que eles
se manifestam em algum momento pontual da vida, ou
seja, mantinham relação sexual satisfatória no passado
e passaram a apresentar o problema por algum motivo
específico.

Tratamentos para EP

Vale lembrar que antes de iniciar qualquer tratamento


é recomendável procurar um especialista para que
ele identifique o grau da sua doença de acordo com a
história clínica.

Os tratamentos mais indicados pelas médicos são os


naturais por não apresentarem efeitos colaterais e não
utilizarem substâncias químicas em seu processo.

Se você deseja conhecer mais sobre os tratamentos


naturais, clique aqui e assista aos vídeos gratuitos
que te mostrarão como aumentar a qualidade de
seu desempenho sexual a longo prazo, com efeitos
duradouros e eficazes.

Contudo, se deseja um resultado a curta prazo,


porém, não definitivo, vamos apresentar o método de
dessensibilização da glande, descoberto pelo autor
Alisson Duarte e publicado pela revista acadêmica
Ártemis. Alinhado ao tratamento principal que
indicamos, o método apresenta resultados satisfatórios
sem precisar recorrer a tratamentos agressivos tanto ao
corpo quanto no bolso.

Dessensibilização da glande
para o controle ejaculatório
É importante ressaltar que este método não substitui
a necessidade de uma consulta com o médico
especialista em saúde sexual. Portanto, deve-se
utilizá-lo para o controle de curto prazo do processo
ejaculatório.

I - Preparo instrumental
O homem minutos antes de uma relação sexual
(penetração vaginal ou anal) deverá oferecer a glande
de seu membro alta quantidade de estímulo. Isso
deverá ser feito utilizando lubrificante íntimo apropriado
em abundância, aplicado sobre as próprias mãos ou
sobre as mãos da(o) parceira(o).
II - Exposição da Glande
Com uma das mãos, o homem ou sua parceira deverá
puxar o prepúcio do pênis para baixo (imobilizando
totalmente a pele do pênis) e deixando tanto quanto
possível a glande exposta.

III - Estimulação
Com a outra mão, sem fazer movimentos de sobe e
desce ou de bombeamento (clássicos da masturbação
masculina), o homem ou sua parceira deverá estimular
com intensidade a cabeça do pênis, friccionando-a de
diferentes formas com a mão. Isso o fará sentir uma alta
quantidade de prazer, às vezes tão intensa, que poderá
provocar um estado de leve agitação motora.

Os movimentos deverão ser contínuos e tanto quanto


possível sem pausas, durante aproximadamente 3 a 10
minutos (respeitando claramente os seus limites).

Poderão ser feitos na forma circular com a mão fechada


(estilo ao apertar e girar de uma maçaneta redonda
de porta); na forma de massagem com os dedos;
deslizando a palma da mão aberta; com a mão fechada
apertando e puxando para cima repetidas vezes; e assim
por diante.
A alternação do movimento é fundamental para que
toda a glande seja estimulada de diferentes formas e
intensidades.

IV - Autopercepção
O procedimento deverá ser executado até que o toque
se torne mais suportável do que quando iniciou.

É importante o homem tomar consciência das possíveis


contrações na musculatura de seu abdômen enquanto
o procedimento é executado.

Essas contrações provocadas pelo prazer poderão


sinalizar positivamente a eficiência do método, uma vez
que por meio delas o indivíduo estará liberando energia
e cargas de tensão excessivas acumuladas e que
possivelmente estão ligadas ao disparo prematuro do
reflexo ejaculatório.

Caso você ejacule durante a execução do procedimento,


fato possível de ocorrer (mas não frequente), deverá
em outra oportunidade reduzir a intensidade do
procedimento, para depois intensificá-lo gradativamente
conforme aumentam também sua autopercepção e
condição para lidar com os diferentes níveis de prazer.
O ideal é realizar o procedimento todos os dias, no
máximo uma vez por dia, respeitando os limites do
seu corpo. Se doer ou causar grande incômodo, pare e
retome novamente no dia seguinte.

Para que o procedimento seja efetivo, toda a glande


deve ter o mesmo nível de sensibilidade. Perceba se,
ao realizar os exercícios, algumas partes estão mais
sensíveis ao toque do que outras. Se você identificar
essa parte, realize os movimentos de dessensibilizar
com mais intensidade diretamente nela, até que a
sensibilidade de toda a extensão da glande seja a
mesma.

Durante a execução da técnica, tenha cuidado para


não realizar nenhum movimento do tipo “sobe e desce”,
característico da masturbação. Isso fará com que você
ejacule mais rápido e a ejaculação é o que devemos
evitar nesse método.

Ele pode ser executado também com a parceira, se


você desejar. Mas o mais indicado é, a princípio, realizar
sozinho, para que você experimente e tome ciência das
sensações novas e suas respectivas intensidades.

Se você quiser se masturbar após o método, tenha


cuidado de esperar no mínimo 5 minutos após realizar
a técnica de dessensibilização. Dessa forma, ficará mais
fácil para você identificar os focos de sensibilidade de
sua glande.
Durante o processo, o lubrificante à base de água
deve ser reaplicado sempre que houver necessidade,
ou seja, sempre que a área ficar seca. Não realize, em
hipótese alguma, os movimentos sem o lubrificante. Isso
poderá danificar a pele da glande, que é extremamente
sensível.

Para garantir os resultados, a técnica deve ser uma


prática continua. A princípio, uma vez por dia, podendo
diminuir na medida em que você note melhoria no seu
controle ejaculatório.

Quanto mais a técnica é praticada, mais o corpo tende


a suportar altas tensões sexuais. Você só tende a
melhorar!

V - Penetração
Depois de estimulado intensamente, o homem deverá
descansar entre 2 a 5 minutos, aproveitando o tempo
para normalizar sua respiração, trocar carícias, para só
então em seguida, efetuar a penetração.

Nesse momento, deve estar atento a maneira pela


qual sente o intercurso sexual, avaliando se percebe
diferença em sua sensibilidade e na urgência ou não de
ejacular.
Esperamos que logo nas primeiras tentativas, você note
significativas alterações em sua capacidade de controle
ejaculatório!

Conclusão
Gostou da técnica? De modo geral, ela não oferece
danos, a menos que você a utilize em excesso (mais
de uma vez por dia e por um período de tempo maior
do que indicamos), de maneira agressiva ou sem a
lubrificação necessária.

A técnica pode perder sua eficácia em casos de


comprovados de condições patológicas do sistema
nervoso central ou de lesões graves na coluna, casos de
disfunção erétil acentuada por causa fisiológica ou em
casos em que o homem se encontra há muito tempo
sem ejacular. Além disso, a técnica não funciona após o
ato sexual já ter iniciado ou quando o orgasmo estiver
muito próximo de acontecer.

Se você deseja conferir o artigo que fala sobre a técnica


na íntegra, clique aqui e acesse diretamente o site da
Revista Ártemis.

Como dissemos, essa é uma técnica de efeitos de curto


prazo, para ser utilizada alinhada a um tratamento
integral. Se você busca atingir o controle completo da
sua ejaculação, com efeitos duradouros e definitivos,
clique aqui e conheça o Programa CAE4S!
CONHEÇA OS PARCEIROS
DESSE PROJETO