Você está na página 1de 18

Treinamento de Segurança

Para Operadores de Paleteira


Elaborado por:
Treinamento de Segurança Para
Operadores de Paleteira
• 1 – Legislação NR – 11;
• 2 – Características Técnicas do
Equipamento;
• 3 – Instrução para o manuseio e
operação;
• 4 – Medidas de Segurança durante a
condução;
• 5 – Riscos provenientes da operação.
Norma Regulamentadora NR-11
Transporte, Movimentação, Armazenagem
e Manuseio de Materiais
• 11.1. Normas de Segurança para operação
de Elevadores, Guindastes, Transportadores
Industriais e Máquinas Transportadoras;
• 11.1.3.2. - Em todo o equipamento será
indicado, em lugar visível, a carga máxima
de trabalho permitida.

• 11.1.5. - Nos equipamentos de transporte,


com força motriz própria, o operador deverá
receber um treinamento específico, dado
pela empresa, que o habilitará nessa função.
Norma Regulamentadora NR-11
Transporte, Movimentação, Armazenagem
e Manuseio de Materiais
11.1.6. - Os operadores de equipamentos de
transporte motorizado deverão ser habilitados e só
poderão dirigir se durante o horário de trabalho e
portarem um cartão de identificação, com o nome e
fotografia, em lugar visível.

11.1.6.1 – O cartão terá validade de 1 (um) ano, salvo


imprevisto, para reciclagem do funcionário.

Obs.: O operador de paleteira é também responsável


pela observação do vencimento de sua autorização
para dirigir e deve comunicar a sua chefia.
Norma Regulamentadora NR-11
Transporte, Movimentação, Armazenagem
e Manuseio de Materiais

11.1.7. - Os equipamentos de transporte


motorizados deverão possuir sinal de advertência
sonora (buzina).

11.1.8. - Todos os transportadores industriais


serão permanentemente inspecionados e as
peças defeituosas, ou que apresentem
deficiências, deverão ser imediatamente
substituídas.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO EQUIPAMENTO
- Capacidades: 1.800 e 2.000 kg Ideal para transporte horizontal,
carregamento e descarregamento de paletes ;
- Sistema de controle de tração infinitamente variável;
- Timão longo mantendo o operador distante da máquina;
- Freio regenerativo e eletromagnético;
- Excelente estabilidade graças a cinco pontos de apoio com rodas
estabilizadoras ajustáveis;
- Painel de fácil visualização com indicador de bateria e horímetro
CARACTERÍSTICAS DO
EQUIPAMENTO
FREIO DE RÉ

BORBOLETA

BUZINA

LEVANTAR

ABAIXAR
INSTRUÇÕES PARA O
MANUSEIO DE OPERAÇÃO
1.CHAVE DE CONTATO:

Montada no painel de controle e ligada a uma luz piloto,


esta chave imobiliza o circuito de tração e a máquina não
pode ser movida sem a ligação da mesma.
Devemos, sempre, desligar a chave ao se afastar da máquina.

INDICADOR DE BATERIA
CHAVE DE CONTATO

CONTADOR DE HORAS
DE OPERAÇÃO
INSTRUÇÕES PARA O
MANUSEIO DE OPERAÇÃO
2. TIMÃO E PAINEL DE CONTROLE:
As borboletas de cada lado do painel de controle acionam as
três velocidades de frente e ré. Quando o timão está na
posição vertical, um freio mecânico entra em operação e o
circuito elétrico de tração fica desligado. Baixando o timão na
posição horizontal também aciona o freio e desliga o circuito
elétrico de tração.
TIMÃO
INSTRUÇÕES PARA O
MANUSEIO DE OPERAÇÃO
Para operar a máquina, primeiro abaixa-se o timão para
uma posição cômoda de trabalho, em seguida pressiona-
se suavemente a borboleta na direção de locomoção
desejada. A primeira e segunda velocidades são para
manobras delicadas e a terceira velocidade é para
aceleração e locomoção.
Ao soltar a borboleta um freio dinâmico atuando através
do motor reduz e controla a velocidade da máquina
evitando a necessidade de operar o freio mecânico
continuamente. Existe uma posição de “roda livre”entre o
freio elétrico e a primeira velocidade que permite uma
operação macia quando se manobra para entrar num
estrado.
INSTRUÇÕES PARA O
MANUSEIO DE OPERAÇÃO
BOTÃO DA BUZINA: Localizado no painel de controle.

INDICADOR DE CARGA DA BATERIA:

A luz piloto (amarela) localizada no painel,


normalmente acesa, começa a piscar ou apagar-se
quando a bateria está descarregada.

RODA MOTRIZ: É constituída de uma única peça,


com um diâmetro de 343 mm e largura de 100 mm, o
revestimento em POLIURETANO ou em BORRACHA
é moldado direto sobre o aro da roda.
MEDIDAS DE SEGURANÇA DURANTE
A CONDUÇÃO
• - Quando se dirige no local de trabalho o
motorista deve-se comportar com a
mesma atenção da via pública;
• - A velocidade deve ser adaptada ás
condições locais de tráfego;
• Deve-se andar lentamente nas curvas,
corredores estreitos e locais por onde
passam pedestres;
• O operador deve manter uma distância
segura de pedestres e pontos fixos;
• Deve-se evitar paradas e manobras
bruscas, e ultrapassagens em locais
perigosos.
MEDIDAS DE SEGURANÇA DURANTE
A CONDUÇÃO
• Nunca operar o veículo sentado ou em pé
no mesmo;
• O veículo não deve servir de escada;
• O veículo não é um meio de transporte
para pessoas;
• O operador deve olhar na direção de
movimento e deve ter sempre uma vista
adequada sobre a área de trabalho;
• Especialmente quando dirigindo de ré,
ele deve ter certeza que o caminho esteja
livre e sem obstrução;
• Freie o equipamento sempre suavemente
para não derrubar a carga;
MEDIDAS DE SEGURANÇA DURANTE
A CONDUÇÃO
• - Subir inclinações com carga na frente e
descer com a carga atrás;
• O Operador deve verificar que as rodas
possam agarrar na superfície e que a
mesma esteja limpa;
• Nunca atravesse declives na direção
horizontal;
• Nunca tentar fazer a volta num declive;
• Nunca estacione a paleteira numa rampa;
• Reduzir a velocidade ao descer uma
rampa;
• - Não efetue manutenção no equipamento.
RISCOS PROVENIENTES DA
OPERAÇÃO DE PALETEIRA

GARFO MAL POSICIONADO


RISCOS PROVENIENTES DA
OPERAÇÃO DE PALETEIRA

RACK DISTANTE
DA BASE DA PALETEIRA
RISCOS PROVENIENTES DA
OPERAÇÃO DE PALETEIRA

PÉ POSICIONADO
DEBAIXO DA PALETEIRA
RISCOS PROVENIENTES DA
OPERAÇÃO DE PALETEIRA

ALTURA MÁXIMA
DO GARFO