Você está na página 1de 5

SEMINÁRIO PRESBITERIANO FUNDAMENTALISTA DE GARANHUNS

BACHARELADO EM TEOLOGIA

WIRLAN PAJEÚ DE MORAES

CINCO CONTRIBUIÇÕES E PREJUÍZOS DA RENASCENÇA E DO ILUMINISMO


PARA A FÉ CRISTÃ

GARANHUNS-PE
2018
CINCO CONTRIBUIÇÕES DO RENASCIMENTO PARA A FÉ CRISTÃ.

1. O renascimento expressa uma renovação nas ideias e atitudes nos movimentos culturais
que influenciaram, de certa forma, as reflexões a cerca da fé cristã. Trouxe um novo olhar
sobre o modo como a igreja dirigia a fé cristã, buscando uma análise profunda do texto
bíblico e associando aos livros antigos da época clássica, colocando como objeto de
estudo o próprio homem.
2. Dentro do renascimento surgiu o humanismo que foi um movimento intelectual que
propunha o estudo de autores antigos (gregos e romanos) para, a partir deles, construir um
novo conhecimento do homem e do mundo. Os humanistas rejeitavam a cultura
dominante fortemente influenciada pela Igreja. Porém, eles nunca deixaram de exercer sua
fé cristã e buscavam reinterpretar as mensagens bíblicas com base nos ideias da
Antiguidade. Foram importantes para novos questionamentos sobre a fé cristã.
3. Outra contribuição do renascimento para a fé cristã foi o controle do tempo, a necessidade
do homem organizar o seu tempo. O renascimento criou influências para o
desenvolvimento urbano da Europa. Neste contexto apresentam-se várias modificações no
cotidiano do europeu, como a nova visão de tempo, onde o homem organizaria seu tempo
de acordo com as suas necessidades. O homem medieval se guiava pelo ritmo da natureza,
ele não se preocupava em medir o tempo o deixava em uma situação de estagnação, sendo
que este já tinha sido traçado por Deus. E com o crescimento do comercio e das cidades, a
situação mudou. O tempo passou a ser uma necessidade.
4. As grandes teorias sobre o universo foram debatidas neste contexto, onde uma das grandes
questões foi o heliocentrismo e o geocentrismo, onde homens como Nicolau Copérnico e
Galileu Galilei defendiam que a terra gira em torno do sol, e não que o sol gira em torno
da terra, teoria essa que a igreja medieval cunhava como a correta. Com o surgimento do
renascimento, houve grandes questionamentos sobre tais assuntos científicos.
5. A euforia de libertação e de análise critica da realidade por meio das mudanças culturais,
evidenciou a criticidade da Igreja, onde homens como John Wycliff e John Huss
criticavam abertamente em suas pregações os abusos eclesiásticos imorais da Igreja
Romana. Ambos traduziram a Bíblia para o idioma de suas respectivas nações (Wycliff
traduziu para o inglês; Huss para o tcheco), dando início há um grande movimento que
modificaria o modo de pensar e praticar a fé cristã.
CINCO PREJUÍZOS DO RENASCIMENTO PARA A FÉ CRISTÃ

1. O antropocentrismo foi uma das grandes marcas do renascimento. O homem era visto
como o centro das atenções, Deus passou a ser visto como um simples personagem
coadjuvante. O homem passa a ser visto como um ser criativo, virtuoso, capaz de alcançar
a glória e dono de seu próprio destino. Isso desconstrói a ideia da providência de Deus na
vida do homem, e o leva a viver de acordo com as suas paixões.
2. O individualismo também foi um prejuízo de certa forma, que muitas vezes, tem como
sinônimo o egoísmo. Porém, no renascimento, tinha sentido positivo do individualismo;
significava a capacidade individual, o talento ou a criatividade de cada indivíduo. Essa
prática trazia o sentido de independência, o homem não precisaria de Deus para ter seus
talentos, portanto negavam a sua dependência de Deus e viviam enaltecendo seus dons e
talentos. Isso é um perigo para fé cristã, que por sua vez, é exercida no coletivo e na
dependência total de Deus, entretanto valorizando em cada um os seus talentos.
3. Os humanistas eram cristãos, porém muitos deles deixavam de evidenciar a soberania de
Deus em sua Palavra e misturavam filosofias e literaturas para novas interpretações
bíblicas, que contribuíram para ideias errôneas a cerca da fé cristã.
4. A demasiada valorização do mundo mítico das literaturas clássicas trouxeram visões
distorcidas sobre a fé cristã. Novas ideias heréticas foram surgindo de acordo com a
análise de mitologias antigas com a as histórias bíblicas.
5. A supervalorização do “Eu” talvez tenha sido um dos maiores problema do renascimento.
Vejamos em um trecho do livro Hamlet, de William Shakespeare: “Que obra de arte é o
homem: tão nobre no raciocínio; tão vário na capacidade; em forma e movimento, tão
preciso e admirável, na ação é como um anjo; no entendimento é como um deus; a beleza
do mundo; o exemplo dos animais”. Para Shakespeare o homem é praticamente um deus,
um ser divinizado pela sua inteligência e raciocínio. Essa ideia é oposta a fé cristã, que
não supervaloriza o homem, e o trata como deus.
CINCO CONTRIBUIÇÕES DO ILUMINISMO PARA A FÉ CRISTÃ

1. O iluminismo afasta da igreja todo tipo de fanatismo religioso, nos dando a perspectiva de
exercer uma fé cristã baseada na razão bíblica, uma fé inteligente que não se baseada em
meras tradições criadas por homens para poderem se perpetuar no poder.
2. A ignorância bloqueava o crescimento intelectual do homem, e os pensadores iluministas
defendiam que a crença religiosa deve ser esclarecida não por meio de misticismos, mas
pela análise racional da fé.
3. Os iluministas opunham-se ao conhecimento baseado nas palavras de alguém com poder
ou prestígio (autoridade) e na aceitação das coisas que deveriam ser sempre daquela
maneira (tradição). Eles propunham a busca de um novo conhecimento baseado na razão.
Essas ideias levaram alguns homens a questionarem a autoridade suprema da igreja, e as
práticas tradicionais da igreja que não convergiam ao modo bíblico de viver.
4. Os iluministas acreditavam no progresso da humanidade, apesar de terem em sua maioria
uma ideia distorcida sobre Deus, eles sabiam da necessidade de conhecer as leis naturais e
por isso dedicavam suas vidas à ciência. E também foi um grande movimento intelectual
contra o Antigo Regime, eles opunham-se ao absolutismo, aos privilégios da nobreza e do
clero, e à intolerância religiosa.
5. Grande parte do conhecimento ortodoxo sobre Deus que temos nos dias atuais foi galgada
no período do iluminismo, pois várias questões foram levantadas para desmoralizar a fé
cristã, porém, Deus sempre levantou homens para responderem as perguntas mais difíceis
sobre o universo, a criação, e os propósitos divinos.
CINCO PREJUÍZOS DO ILUMINISMO PARA A FÉ CRISTÃ

1. A supervalorização da razão foi um dos grandes perigos do iluminismo, muitos deles


faziam da própria razão uma deusa, em que deveria prevalecer em todas as circunstâncias.
A ideia não era simplesmente em ter uma fé baseada em alguma coisa, mas de fazer a
razão como centro de todas as coisas.
2. A ideia de que o homem nasce bom, a sociedade é que o corrompe, surge no iluminismo
com o pensador Rousseau. Esse conceito sobre o homem foge da interpretação bíblica
acerca dele, pois segundo a Palavra de Deus o homem já nasce em meio ao pecado, e não
há nenhum justo sequer. Essa ideia é prejudicial à fé cristã.
3. A desvalorização da fé cristã também foi atacada pelos iluministas, que diferente do
renascimento não era um movimento cultural, mas, sim, intelectual. Muitas doutrinas
básicas da fé cristã foram debatidas e atacadas, como a ideia da verdade absoluta,
providência de Deus e a ressurreição de Cristo, com base na superioridade da razão sobre
a fé.
4. Vários ideais iluministas eram prejudicais a fé cristã, como os conceitos utópicos de
liberdade, igualde e fraternidade (lema da Revolução Francesa). Tais conceitos levavam
os indivíduos a abandonarem a fé cristã e viverem na busca incessante de uma falsa
liberdade e igualdade.
5. Por serem contra a qualquer movimento religioso, muitas vezes amordaçaram a fé cristã
para que ela não ganhasse espaço nos debates acadêmicos e ditos “racionais”. Apesar de
defenderem a liberdade de expressão eram ignorantes quanto aos pensamentos divergentes
aos seus axiomas revolucionários da luz. Portanto, eles eram contrários à fé cristã e a
ignoravam como se fosse um meio que levava as pessoas ao comodismo e ao fanatismo.