Você está na página 1de 6

INSTRUÇÕES

1. A avaliação de é constituída de 20 questões objetivas e uma Dissertação de Língua Portuguesa, 20


questões objetivas de Matemática, 10 questões objetivas de Geografia e 10 questões objetivas de História.
2. A redação deve ser a caneta e deve atender à proposta indicada.
3. Questões rasuradas serão anuladas. Portanto cuidado ao redigir a redação e passar as respostas para a
grade de respostas.

PORTUGUÊS

As questões 1 e 6 exigem a leitura da crônica abaixo:

O viajante clandestino Mia Couto


- Não é arvião. Diz-se: avião.
O menino estranhou a emenda de sua mãe. Não mencionava ele uma criatura do ar? A criança tem a
vantagem de estrear o mundo, iniciando outro matri mónio entre as coisas e os nomes. Outros a elas se
semelham, à vida sempre recém- chegando. São os homens em estado de poesia, essa infância autorizada pelo
brilho
da palavra.
- Mãe: avioneta é a neta do avião?
Vamos para a sala de espera, ordenou a mãe. Sala de esperas? Que o miúdo acreditava que todas as salas
fossem iguais, na viscosa espera de nascer sempre menos. Ela lhe admolestou, prescrevendo juízo. Aquilo era
um aeroporto, lugar de respeito. A senhora apontou os passageiros, seus ares graves, sotúrnicos. O menino mediu-se
com aquele luto, aceitando os deveres do seu tamanho. Depois, se desenrolou do colo materno, fez sua a sua mão e
foi à vidraça. Espreitou os imponentes ruídos, alertou a mãe para um qualquer espanto. Mas a sua voz se
arfogou no tropel dos motores.
Eu assistia a criança. Procurava naquele aprendiz de criatura a ingenuidade que nos autoriza a sermos
estranhos num mundo que nos estranha. Frágeis onde a mentira credencia os fortes.
Seria aquele menino a fractura por onde, naquela toda frieza, espreitava a humanidade? No aeroporto eu
me salvava da angústia através de um exemplar da infância. Valha-nos nós.
O menino agora contemplava as traseiras do céu, seguindo as fumagens, lentas pegadas dos instantâneos
aviões. Ele então se fingiu um aeroplano, braços
estendidos em asas. Descolava do chão, o mundo sendo seu enorme brinquedo. E

viajava por seus infinitos, roçando as malas e as pernas dos passageiros entediados. Até que a mãe debitou
suas ordens. Ele que recolhesse a fantasia, aquele lugar era pertença exclusiva dos adul•tos.
- Arranja-te. Estamos quase a partir.
- Então vou despedir do passaporteiro
A mãe corrigiu em dupla dose. Primeiro, não ia a nenhuma parte. Segundo, não se chamava assim ao
senhor dos passaportes. Mas só no presente o menino se subditava. Porque, em seu sonho, mais adiante, ele se
proclama:
- Quando for grande quero ser passaporteiro.
E ele já se antefruía, de farda, dentro do vidro. Ele é que autorizava a subida aos céus.
- Vou estudar para migraceiro.
- És doido, filho. Fica quieto.
O miúdo guardou seus jogos, constreito. Que criança, neste mundo, tem vocação para adulto?
Saímos da sala para o avião. Chuviscava. O menino seguia seus passos quando, na lisura do alcatrão,
ele viu o sapo. Encharcado, o bicho saltiritava. Sua boca, maior que o corpo, traduzia o espanto das
diferenças. Que fazia ali aquele representante dos primórdios, naquele lugar de futuros apressados?
O menino parou, observente, cuidando os perigos do batráquio. Na imensa incompreensão do asfalto, o
bicho seria esmagado por cega e certeira roda.
- Mãe, eu posso levar o sapo?
A senhora estremeceu de horror. Olhou vergonhada, pedindo desculpas aos passantes. Então, começou a
disputa. A senhora obrigava o braço do filho, os dois se teimavam. Venceu a secular maternidade. O meni•no,
murcho como acento circunflexo, subiu as escadas, ocupou seu lugar, ajeitou o cinto. Do meu assento eu podia
ver a tristeza desembrulhando líquidas missangas no seu rosto. Fiz-lhe sinal, ele me encarou de soslado. Então,
em seu rosto se acendeu a mais grata bandeira de felicidade. Porque do côncavo de minhas mãos espreitou o
focinho do mais clandestino de todos os passageiros. (in Cronicando, Caminho)

1. Em relação ao narrador, marque a alternativa correta:


a) narrador onisciente;
b) narrador observador;
c) narrador personagem:
d) narrador protagonista;
e) N.D.A

2. Em o menino “observente” podemos substituir por qual expressão abaixo, sem prejuízo à compreensão?
a) obedeceu a uma regra ou lei;
b) comentou:
c) olhou-se com atenção;
d) olhou às escondidas;
e) considerou, buscando chegar a julgamento;

3. Diante da narrativa, podemos concluir que o personagem principal é:


a) o narrador;
b) o sapo;
c) o avião;
d) o menino;
e) N.D.A.

4. Dentre estas palavras, qual podemos inferir ser um neologismo?


a) prescrevendo;
b) espreitava;
c) fractura;
d) passaporteiro;
e) subditava.

5. No excerto que segue: “O menino agora contemplava as traseiras do céu, seguindo as fumagens, lentas pegadas
dos instantâneos aviões”, as expressões evidenciadas definem-se como:
a) presente do subjuntivo e presente do indicativo;
b) verbos irregulares;
c) pretérito mais que perfeito e imperativo afirmativo;
d) pretérito do subjuntivo e particípio;
e) pretérito do indicativo e gerúndio.
6. “Do meu assento eu podia ver a tristeza desembrulhando líquidas missangas no seu rosto”. Das expressões
assinaladas, por quais podemos substituir, sem prejuízo à compreensão?
a) apoio, desembalando, contas;
b) sela, solucionando, vidrilhos;
c) suporte, desdobrando, contas;
d) morada, desenvolvendo, miçangas;
e) banco, despontando, lágrimas.

7. Por definição, oração coordenada que seja desprovida de conectico é denominada assindética,
Observando os períodos seguintes
I. Não saía um alho, não balançava uma folha.
II. O filho chegou, a filha saiu, mas a mãe nem notou.
III. O fiscal deu o sinal, os candidatos entregaram a prova. Acabara o exame. Nota-se que existe
coordenação assindética em:
a) I apenas;
b) II apenas;
c) III apenas;
d) I e II;
e) I e III.

8. No período “Penso, logo existo”, a oração em destaque é:


a) coordenada sindética conclusiva;
b) coordenada sindética aditiva;
c) coordenada sindética alternativa;
d) coordenada sindética adversativa;
e) coordenada sindética explicativa.

9. Por definição, a oração coordenada que se prende à anterior por conectivo é denominada sindética e é
classificada de acordo com a conjunção que a introduz. Assinale a alternativa que contém uma oração coordenada
explicativa, conforme definição:
a) A casaca dele estava remendada, mas estava limpa.

b) Ambos se amavam, contudo não se falavam.


c) Todos trabalhando: ou varrendo o chão ou lavando as vidraças.
d) Chora, que lágrimas lavam a dor.
e) O time ora atacava, ora defendia e no placar aparecia o resultado favorável.
10. Assinale a alternativa que ocorre oração coordenada sindética conclusiva:
a) Todos estavam presentes, porém ninguém prestou atenção.
b) Saiu cedo, no entanto não chegou na hora combinada.
c) Estes exercícios são mais fáceis, portanto resolva-os agora.
d) Vá embora, que logo começará a chover.
e) Não só compareceram, mas também ajudaram.

11. Analise as afirmações abaixo a respeito dos níveis de linguagem.


I. A língua falada é mais solta, livre, espontânea e emotiva, pois reflete contato humano direto.
II. A língua escrita é mais disciplinada, obedece às normas gramaticais impostas pelo padrão culto, resultando
em um texto melhor elaborado.
III. A linguagem culta, eleita como a de maior prestígio, reflete um índice de cultura a que todos pretendem chegar.
IV. A linguagem popular é usada no cotidiano, não obedecendo às normas gramaticais.
Sobre as afirmações acima, marque a resposta certa:
a) Apenas I e II estão corretas;
b) apenas II e III estão corretas;
c) apenas II, III e IV estão corretas;
d) apenas III e IV estão corretas;
e) todas estão corretas.

12. (UFPR) Assinale a alternativa em que todos os vocábulos são acentuados por serem oxítonos:
a) paletó, avô, pajé, café, jiló
b) parabéns, vêm, hífen, saí, oásis
c) você, capilé, Paraná, lápis, régua
d) amém, amável, filó, porém, além
e) caí, aí, ímã, ipê, abricó
13. Marque a única alternativa que apresenta equívocos de acentuação das palavras:
a) Goiânia é a única cidade que gostaria de morar.
b) Sábado vou à feira comprar pêixe e abóbora para fazer aquela receita.
c) Gostaria de saber o porquê de tanta rúcula e cará no meu prato.
d) O vigésimo colocado no concurso será nomeado a partir do último sábado do mês que vem.
e) Hélio não pôde ver o número do ônibus porque estava sem os óculos.

14. (EPCAR) Assinale a série em que todos os vocábulos devem receber acento gráfico:
a) Troia, item, Venus
b) hifen, estrategia, albuns
c) apoio (subst.), reune, faisca
d) nivel, orgão, tupi
e) pode (pret. perf.), obte-las, tabu.

15. Assinale a frase com inadequação de colocação pronominal:


a) Tudo me era completamente indiferente.
b) Ela não me deixou concluir a frase.
c) Este casamento não deve realizar-se.
d) Ninguém havia lembrado-me de fazer as reservas.
e) N.D.A.

16. O pronome pessoal oblíquo átono está bem colocado em um só dos períodos. Qual?
a) Isto não me diz respeito! Respondeu-me ele, afetadamente.
b) Segundo deliberou-se na sessão, espero que todos apresentem-se na hora conveniente .
c) Os conselhos que dão-nos os pais, levamo-los em conta mais tarde.
d) Amanhã contar-lhe-ei por que peripécias consegui não envolver-me.
e) N.D.A.
16) Encontramos pronome indefinido em:

a) "Muitas horas depois, ela ainda permanecia esperando o resultado."


b) "Foram amargos aqueles minutos, desde que resolveu abandoná-las."
c) "A nós, provavelmente, enganariam, pois nossa participação foi ativa."
d) "Havia necessidade de que tais ideias ficassem sepultadas."
e) "Sabíamos o que você deveria dizer-lhe ao chegar da festa."

18. O pronome está mal colocado em apenas um dos períodos. Identifique-o:


a) Finalmente entendemos que aquela não era a estante onde deveriam-se colocar os cristais.
b) Ninguém nos falou, outrora, com tanta sinceridade.
c) Não se vá, custa-lhe ficar mais um pouco?
d) A mão que te estendemos é amiga.
e) Há pessoas que nos querem bem.

19. Se omitido o acendo gráfico, que palavra, quanto à classe gramatical, torna-se um substantivo? Observe a
flexão dos verbos: odiar, ansiar, mediar e incendiar.
a) pés;
b) número;
c) saía;
d) é;
e) médio.

20. “entre um cão e um homem ”; a forma correta da construção da preposição ENTRE seguida de pronomes
pessoais é:
a) entre você e eu;
b) entre ti e eu;
c) entre mim e tu;
d) entre mim e ti;
e) entre tu e ela.
2ª PARTE – DISSERTAÇÃO-NARRATIVA
ORIENTAÇÃO: redija seu texto no espaço organizado, observando e respeitando o limite de linhas,
de até no máximo 30 linhas. Redações com menos de 15 linhas serão desclassificadas. Escreva a
caneta, com letra legível e sem rasuras. Não se esqueça de dar um título.
Embasados no conhecimento adquirido em sala de aula, quando da necessidade de redigir um
texto narrativo e criativo acerca de breves relatos de um colega, a proposta desta dissertação é a de ser
escrita em primeira pessoa, tendo como base uma vivência pessoal adquirida, de importância
inesquecível no baú das memórias.
QUE ESTE SIMULADO POSSA AGREGAR MAIS CONHECIMENTO!
BOA SORTE!
Profª Inês Ivankio Borges
_________________________________________________